Poesia trovadoresca

2.322 visualizações

Publicada em

Apresenta alguns detalhes sobre poesia trovadoresca.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.322
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
534
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • nnnnnnnnn
  • Poesia trovadoresca

    1. 1. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 1
    2. 2. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 2
    3. 3. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 3
    4. 4. Tradição O povo da região galaico-portuguesa sempre demonstrou um profundo sentimentalismo; Os temas mostram que as donzelas cantavam no campo, na fonte, junto ao mar, nos bailes, no caminho para as romarias; PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 4
    5. 5. Tradição As tradições das festas primaveris, as danças, as peregrinações ou as romarias estavam enraizadas na alma popular; PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 5
    6. 6. Tradição• A demora na faina marítima, a ausência dos namorados ao serviço do Rei ou na guerra contra muçulmanos, provocavam saudades nas donzelas; PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 6
    7. 7. Tradição O amor puro ou a paixão arrebatadora, as traições ou os ciúmes, deram origem a uma poesia marcadamente afectiva. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 7
    8. 8. Por deus, amigo, quem cuidariaque vós nunca ouvéssedes poderde tan longo tempo sem mi viver!E dês oimais, par Santa Maria, nunca molher deve, bem vos digo, muit’a creer per juras d’amigo. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 8
    9. 9. Dissestes-mi, u vos de min quitastes:«Log’aqui serei con vosco, senhor»,e juraste-mi pólo meu amor,e dês oimais, pois vos perjurastes, nunca molher deve, bem vos digo, muit’a creer per juras d’amigo. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 9
    10. 10. Jurastes-m’ enton muit’aficadoque logo logo, sem outro tardar,vos queríades pêra mi tornar,e dês oimais, ai meu perjurado, nunca molher deve, bem vos digo, muit’a creer per juras d’amigo. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 10
    11. 11. E assim farei eu, bem vos digo,por quanto vós passastes comigo. - D. Dinis – PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 11
    12. 12. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 12
    13. 13. (...) Naquele momento os jograis aproximavam-se do trono saudando os reis com uma vénia profunda. ... A exibição ia começar. Os músicos recuaram para deixar espaços para as bailarinas. ... Duas flautas, uma viola de arco, uma harpa e vários pandeiros encheram a sala de sons melodiosos. ... um rapaz loiro dedilhava as cordas do saltério. ... O sarau foi interrompido porque ia seguir-se o banquete. O rei pôs-se de pé... ninguém se mexeu, enquanto ele atravessou o aposento, seguido pela rainha e pelos príncipes. (...) in ‘Uma visita à corte do rei D. Dinis’ PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 13
    14. 14. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 14
    15. 15. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 15
    16. 16. A partir das iluminuras e miniaturas presentes nosdiversos documentos medievais conseguimos retiraralguns dos instrumentos mais utilizados pelosrepresentantes da música durante o movimentotrovadoresco, são eles os jograis e os trovadores, esteúltimo onde se integra D. Dinis. O jogral era o poeta-cantor popular, homem ou mulherque ganhava a vida precariamente a cantar e a tocarenquanto que o trovador era o fidalgo artista da palavra edos sons. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - in ‘D. Dinis: actas dos encontros 2011/2012 sobre D. Dinis em Odivelas’ 16
    17. 17. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 17
    18. 18. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 18
    19. 19. PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 19
    20. 20.  Alçada, Isabel; Magalhães, Ana Maria – Uma viagem à Corte do rei D. Dinis – Lisboa: Caminho Camões, Luís Vaz de – 7ª ed. - Os Lusíadas – Porto: Porto Editora, [s.d.] Correia, Raul – Quadros da História de Portugal: os Lusitanos ... Batalha do Salado. [S.L.] : [s.n.], [1985] ‘D.Dinis’ in Jornal de Letras, Artes e Ideias, nº 1067, p.7-10 D. Dinis: Actas dos encontros sobre D.Dinis em Odivelas – Edições Colibri / Câmara Municipal de Odivelas: Outubro 2011 Oliveira, Correa de; Machado, Saavedra – 2ªed. – Textos Portugueses Medievais: 3º ciclo dos liceus – Coimbra: Coimbra Editora, 1967 Pereira, Nuno Moniz – A assistência em Portugal na Idade Média – [S.L.]: CTT, 2005 Programa oficial das festas da Rainha Santa 1958 [Tipografia Atlântida – Coimbra] Revista ‘Pública’, 16 de Outubro 2011, p. 20-29 PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 20
    21. 21.  http://antt.dgarq.gov.pt / http://pt.wikipedia.org/wiki/Afonso_X_de_Le%C3%A3o_e_Castela http://arquivomunicipalmirandela.blogspot.com/2010/05/mirandela-e http://pt.wikipedia.org/wiki/Castelo_de_Leiria http://pt.wikipedia.org/wiki/Dinis_de_Portugal http://pt.wikipedia.org/wiki/Pinhal_de_Leiria novacasaportuguesa.blogspot.com/2011/10/d-din... osemprefixe.blogspot.com/2011/03/um-dia-na-mi... http://www.asbeiras.pt/2011/10/evocacao-de-d-dinis-fundador-da-univ / PB / BIBLIOTECA ESCOLAR EPADD - 2011/2012 21

    ×