Dermatite atopica

6.143 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.143
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
26
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
128
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dermatite atopica

  1. 1. Fundação Presidente Antônio Carlos Fupac/Itajubá DERMATITE ATÓPICA Rocha Ana Aparecida, Natália Sales e Wanessa Trabalho apresentado ao prof. MSc. Luiz Prudêncio Santos, na disciplina de Imunologia, no 4º período do curso de Enfermagem, para obtenção de pontos.
  2. 2. DERMATITE ATÓPICA Dermatite atópica é uma doença crônica que causa inflamação da pele, levando ao aparecimento de lesões e coceira. Também conhecida como eczema endógeno. Cerca de 30% dos indivíduos com dermatite atópica têm asma ou rinite alérgica e 15% têm surtos de urticária. Estudos apontam que 70% dos pacientes possuem antecedentes familiares de atopia (asma, rinite alérgica ou dermatite atópica).
  3. 3. ATOPIAO conceito de atopia foi descrito pela primeira vez por Coca em 1923 para descrever uma tendência familiar em produzir anticorpos da classe IgE contra alérgenos ambientais, geralmente proteínas. O termo atopia não é sinônimo de "alergia" pois descreve exclusivamente uma "predisposição". Doenças atópicas são a asma, a rinite (ou rino- conjuntivite) alérgica e a dermatite atópica.
  4. 4. Principais desencadeantes: Alimentos: leite, ovo, trigo, soja, amendoim, peixes e frutos do mar. Fatores ambientais: ácaros, fungos, animais e pólen. Irritantes cutâneos: lã, sabão, detergentes, amaciantes de tecido, solventes e suor. Infecções: vírus e bactérias. Fatores emocionais.
  5. 5. SINAIS E SINTOMAS É comum o indivíduo sentir uma intensa coceira. As lesões mais frequentes são: eritema (vermelhidão); edema (inchaço); exsudação (secreção na pele); crostas e descamação; pele ressecada e manchas brancas (pitiríase alba).
  6. 6. O tipo de erupção e o local em que ela ocorre podemdepender da idade do paciente: Em crianças com menos de dois anos, as lesões na pele começam no rosto, no couro cabeludo, nas mãos e nos pés. Em geral, é uma erupção que apresenta crostas, bolhas ou vazamentos.
  7. 7.  Em crianças mais velhas e adultos, a erupção é vista commaior frequência na parte interna dos joelhos e cotovelos,além do pescoço, mãos e pés.Durante um ataque grave, as erupções podem ocorrer emqualquer parte do corpo.
  8. 8.  DIAGNÓSTICOO diagnóstico da dermatite atópica (eczema), geralmente, é feito através do histórico da pessoa e de exames físicos.O diagnóstico leva em conta: Coceiras recorrentes e por períodos prolongados; Histórico de alergias na família; Início dos sintomas quando bebê ou criança; Piora dos sintomas após exposição a agentes irritantes.
  9. 9. PREVENÇÃO Tome banhos rápidos, não muito quentes, use pouco sabonete e aplique hidratantes. Prefira roupas de algodão, e não as de lã ou fabricadas com tecido misto ou sintético; Mantenha abertas as janelas e portas para que o ar circule pelos ambientes; Procure assistência médica ao surgirem os sintomas, assim pode-sea evitar que o quadro se agrave.
  10. 10. EXAMESNão existem exames laboratoriais definitivos para diagnosticar DA. Observa-se a ocorrência de níveis elevados de Imunoglobulina E (IgE) no sangue. Testes cutâneos para alérgenos comuns podem ajudar.
  11. 11. INFLUÊNCIA PSICOEMOCIONAL Emiliano Panconesi e Giuseppe Hautmann, em artigopublicado em Dermatologic Clinics, em 1996, sugerem queum estado psicoemocional excitado atua sobre fatoresgenéticos predisponentes; Defeito no sistema do linfócito T, deficiência transitória deIgA secretora e resposta anormal de receptores demembrana;
  12. 12. Isso causa aumento da imunoglobulina E e da liberação demediadores por mastócitos, deficiência da imunidade mediada porcélulas, resposta vasomotora cutânea anormal e deficiência quimiotática,de onde se origina a sensação de prurido. Daí, pelo ato de se coçar, surge a lesão cutâneo. Em todo esseprocesso há a participação de neuropeptídios, que são as moléculasmensageiras do cérebro. O dermatologista e imunologista Hermênio Cavalcanti Lima, emTópicos em Imunodermatologia Clínica (2004). citando estudo em quecrianças com dermatite atópica foram submetidas a tensão e observada aação desse fator psicoemocional sobre o cortisol, relata que osinvestigadores sugeriram que crianças com a doença podem ser maissuscetíveis a erupção da pele motivada pela tensão.
  13. 13. A causa sugerida foi por uma baixa capacidade deresposta do eixo hipotálamo-hipófise-supra-renal. Essa deficiência bloquearia a competência natural docorpo para produzir cortisol e suprimir a inflamação, o queconduziria à exacerbação da dermatite.
  14. 14. INFLUÊNCIA FAMILIAR Na infância, há ainda o problema dos familiares, que tendem aconsiderar o atópico uma pessoa com deficiência e dão exageradaatenção a sua condição cutânea, muitas vezes superprotegendo-o oucriando-lhe incapacidades e falta de confiança. Pais e parentes próximos devem ser orientados a não estimularatitudes de dependência para não facilitar a criação de condições paramanipulação dos outros pela criança. É preciso dar o cuidado devido ao problema, aplicar osmedicamentos com carinho e delicadeza e sugestionar a criança sobreseu poder de controlar certa parte da alteração de sua pele sabendoque, com o passar do tempo, é grande a probabilidade de melhora,podendo mesmo o paciente ficar livre da dermatite.
  15. 15. TRATAMENTO A hidratação da pele é muito importante, devendo ser evitado sabonetes agressivos, buchas e banhos quentes. Se tomar mais de um banho por dia, o sabonete deve ser usado apenas em um desses banhos. Logo após o banho, com a pele ainda úmida, deve-se usar hidratantes para evitar o ressecamento da pele. As lesões devem ser tratadas com o uso de cremes e pomadas à base de corticosteróides ou outras substâncias que ajudam a combater a inflamação.
  16. 16.  Em caso de infecção secundária, devem ser usados antibióticos. Medicações antialérgicas ajudam a diminuir e controlar a coceira. Casos mais graves podem necessitar de medicações mais potentes, via oral, para o seu controle, devendo, portanto, o médico ser consultado. O tratamento da dermatite atópica depende de cada caso e deve ser conduzido por um médico dermatologista.
  17. 17. REFERENCIAS ASSOCIAÇÃO DE APOIO A DERMATITE ATÓPICA, AADA. Disponível em: <http://www.aada.org.br/index.php >Acesso em: 07 de nov.2012 DRAUZIO VARELLA . Dermatite Atópia. Disponível em: <http://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/dermatite-atopica/> Acesso em: 07 de nov. 2012 MINHA VIDA. Tudo sobre Dermatite Atópica. Disponível em: http://www.minhavida.com.br/saude/temas/dermatite-atopica>. Acesso em: 07 de nov.2012

×