Paragrafação

1.965 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.965
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paragrafação

  1. 1. Prof.ª ISIS BARROS PARAGRAFAÇÃO Salvador 2014
  2. 2. Recurso que permite organizar as ideias apresentadas em um texto, agrupando-as em parágrafos ou blocos textuais
  3. 3.  Há um tema ou uma ideia central;  Recuo à esquerda;  Uma linha em branco entre os blocos;  Tamanho pode variar;
  4. 4. QUESTÃO 02
  5. 5.  Não há regras rígidas;  Unidade  Coerência  Clareza
  6. 6. Devemos limitar o assunto, pois alguns temas permitem múltiplos enfoques; ENERGIA > recursos atuais> os mais adequados para cada contexto>os que esgotam e os renováveis> grau de poluição>custo> benefício; VIOLÊNCIA> causas da violência; > violência no trânsito;> crianças e adolescentes vítimas de violência;> conflitos pela posse de terra no Brasil;> violência contra os índios no país;> preconceito como forma de violência, etc. QUESTÃO 03, 04, 05
  7. 7.  DISSERTATIVO;  DESCRITIVO;  NARRATIVO.
  8. 8. Seqüências tipológicas Carta pessoal Descritiva Injuntiva Rio, 11/08/1991 Amiga A.P. Oi! Descritiva Para ser mais preciso estou no meu quarto, escreveno na escrivaninha, com um Micro System ligado na minha frente (bem alto, por sinal). Expositiva Está ligado na Manchete FM - ou rádio dos funks - eu adoro funk, principalmente com passos marcados. Aqui no Rio é o ritmo do momento ... e você, gosta? Gosto também de house e dance music, sou fascinado por discotecas!Sempre vou à K.I, Narrativa ontem mesmo (sexta-feira) eu fui e cheguei quase quatro horas da madrugada. Expositiva Dançar é muito bom, principalmente em uma discoteca legal. Aqui no condomínio onde moro têm muitos jovens, somos todos muito amigos e sempre vamos todos juntos. É muito maneiro! Narrativa C. foi três vezes à K. 1., Injuntiva pergunte só a ele como é! Expositiva Está tocando agora o "Melô da Mina Sensu-al", super demais! Aqui ouço também a Transamérica e RPC FM. Injuntiva E você, quais rádios curte? Expositiva Demorei um tem pão pra responder, espero sinceramente que você não esteja chateada co-migo. Eu me amarrei de verdade em vocês aí, do Recife, principalmente a galera da ET, vocês são muito maneiros! Meu maior sonho é via-jar, ficar um tempo por aí, conhecer legal vocês todos, sairmos juntos ... Só que não sei ao certo se vou realmente no início de 1992. Mas pode ser que dê, quem sabe! /........../ Não sei ao certo se vou ou não, mas fique certa que farei de tudo para conhecer vocês o mais rápido possível. Posso te dizer uma coisa? Adoro muito vocês!
  9. 9. Narrativa Agora, a minha rotina: às segundas, quartas e sextas-feiras trabalho de 8:00 às 17:00h, em Botafogo . De lá vou para o T., minha aula vai de 18;30 às 10:40h. Chego aqui em casa quinze para meia-noite. E às terças e quintas fico 050 em F. só de 8:00 às 12:30h. Vou para o T.; às 13:30 começa o meu curso de Francês (vou me formar ano que vem) e vai até IS:30h. 16:ooh vou dar aula e fico até 17:30h. 17:40h às 18:30h faço natação (no T. também) e até 2:40h tenho aula. ./ Ontem eu e Simone fizemos três meses de namoro; Injuntiva você sabia que eu estava namorando? Expositiva Ela mora aqui mesmo no «ilegível)) (nome do condomínio). A gente se gosta muito, às vezes eu acho que nunca vamos terminar, depois eu acho que o namoro não vai durar muito, entende? Argumentativa O problema é que ela é muito ciumenta, principalmente porque eu já fui afim da B., que mora aqui também. Nem posso falar com a garota que S. já fica com raiva. Narrativa É acho que vou terminando ... Injuntiva escreva! Faz um favor? Diga pra M., A. P. e C. que esperem, não demoro a escrever . Adoro vocês! Um beijão Narrativa Do amigo P.P. 15:16h
  10. 10.  Parágrafo dissertativo: são apresentadas as ideias principais e reflexões sobre o tema de maneira generica:
  11. 11.  Parágrafo descritivo: apontam aspectos que apresentam pessoas, ambientes, objetos, etc., com uso de muitos adjetivos: A moça tinha ombros curvos como os de uma cerzideira. Aprendera em pequena a cerzir. Ela se realizaria muito mais se desse ao delicado labor de restaurar fios, quem sabe se de seda. Ou de luxo: cetim bem brilhoso, um beijo de almas. Cerzideirinha mosquito. Carregar em costas de formiga um grão de açúcar. Era ela de leve como uma idiota, só que não o era. Não sabia que era infeliz. É porque ela acreditava. Em quê? Em vós, mas não é preciso acreditar em alguém ou em alguma coisa - basta acreditar. Isso lhe dava às vezes estado de graça. Nunca perdera a fé. (Lispector, Clarice. A Hora da Estrela)
  12. 12.  Parágrafo narrativo: apresenta sequências de ações, expressa por formas verbais geralmente no pretérito perfeito do indicativo; Fui jantar com Henrique, que tinha me convidado de manha, quando eu chegara de viagem. Ele morava no decimo andar de um predio.Apertei a campainha.Quem abriu a porta foi Heloisa: me disse que Henrique tinha saido [...] Questao 06
  13. 13. Declaração inicial > Geralmente é logo justificada: Jamais houve cinema silencioso. A projeção das fitas mudas era acompanhada por música de piano ou pequena orquestra. No Japão e outras partes do mundo, popularizou-se a figura do narrador ou comentador de imagens, que explicava a história ao público. Muitos filmes, desde os primórdios do cinema, comportavam música e ruídos especialmente compostos.
  14. 14.  Pergunta > Geralmente é seguida de uma resposta: Será que os brasileiros, nos tempos atuais, seriam capazes de dar a própria vida pelo seu país? Certamente não. Foi-se o tempo em que o amor à patria era colocado em primeiro plano, chegando até mesmo aos níveis de adoração e idolatria.  Alusão>Trata-se de iniciar um parágrafo, fazendo alusão a um fato acontecido, real ou fictício. Em algum dia, perdido na noite dos tempos, há cerca de seis mil anos, o homem lançou seu primeiro barco na água, e, flutuando, movimentou-se pela primeira vez fora de terra firme
  15. 15.  Definição> Resenha é uma síntese seguida de comentário sobre a obra publicada, geralmente feita para revistas especializadas das diversas áreas da ciência, arte, filosofia.As resenhas desempenham (...)  Citação> Terá razão Octávio Paz quando diz “o romancista nem demonstra nem conta: recria um mundo”, pois tendo como papel narrar um acontecimento, interessa-lhe não simplesmente narrar aquilo que se passou, mas reviver alguns instantes por ele selecionados.
  16. 16.  Contraste, comparação, exemplo, enumeração, descrição, causa & efeito, etc.  DESENVOLVIMENTO POR ENUMERAÇÃO A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. O tráfego intenso, os ruídos excessivos, as preocupações geradas pela pressa, o almoço corrido, o horário de entrar no trabalho, tudo isso abala as pessoas, produzindo o estresse que provoca os males cardíacos.
  17. 17.  DESENVOLVIMENTO POR DESCRIÇÃO A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. O tipo de vida em questão é aquela agitada em que o indivíduo não tem tempo para cuidar de si próprio, que fica a mercê dos compromissos e do tempo exíguo para cumpri-los. Entre as doenças cardíacas a mais comum é a que ataca as artérias coronárias, assim chamadas porque envolvem o coração como uma coroa, para irrigá-lo em toda a sua extensão.
  18. 18.  DESENVOLVIMENTO POR EXEMPLO ESPECÍFICO A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Imaginemos um chefe de família que deixa sua casa, à 6h e 30 da manhã. Logo de início, tem de enfrentar a fila da condução.A angústia da demora: será que vem ou não vem o ônibus? Finalmente, vem. Superlotado. Sobe ele aos trancos, e logo enfrenta a roleta. –Troco?- Não tem troco para cem. – Espera um pouco para poder ir à frente. Finalmente, o ponto de descida. O relógio de ponto. Em cima da hora. Nesse momento o relógio do coração do nosso amigo já passou do ponto. Está acelerado. Suas coronárias sofrem o impacto do estresse e entram em débito de fluxo sanguíneo.
  19. 19.  DESENVOLVIMENTO POR CAUSA & EFEITO A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Somente na última década, segundo informações da Secretaria da Saúde do Estado de Minas Gerais, o mineiro sofreu vinte vezes mais infartos que no decênio anterior. O estresse causado pela vida intensa acelera os batimentos cardíacos, por intermédio da injeção exagerada de adrenalina, apressa o surgimento dos problemas do coração.
  20. 20.  DESENVOLVIMENTO POR COMPARAÇÃO A vida nas grandes cidades aumenta os índices de doenças do coração. Imagine o leitor, por exemplo, um automóvel dirigido suavemente, com trocas de marcha em tempo exato, sem freadas bruscas ou curvas violentas. A vida útil desse veículo tende a prolongar-se bastante. Imagine agora o contrário: um automóvel cujo proprietário se satisfaz em arrancadas de “cantar pneus”, curvas no limite de aderência, marchas esticadas e freadas violentas. A vida útil deste último tende a decair miseravelmente. O mesmo podemos fazer com o nosso coração. Podemos conduzi-lo com doçura, em ritmo de alegria e de festa, ou podemos tratá-lo agressivamente, exigindo-o fora de seu ritmo e de seu tempo de recuperação.

×