Midias na educação

1.946 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.946
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.573
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Midias na educação

  1. 1. IInnttrroodduuççããoo aaoo AAmmbbiieennttee VViirrttuuaall MMooooddllee ee aaoo CCuurrssoo Prof. Ivanderson Pereira da Silva Prof. Rafael André de Barros
  2. 2. Certa vez um moço, formado em direito e advogado, a passeio numa região de muitos igarapés teria que atravessar um rio e à margem havia um canoeiro. Dependendo desse para transportá-lo numa canoa, começou a fazer algumas perguntas: “o senhor conhece grandes cidades?”. “Não senhor doutor”, respondeu o homem simples. O doutor disse: “o senhor perdeu metade de sua vida”. “O senhor conhece ciência jurídica”? “não senhor, doutor”. “Perdeu outra parte da sua vida”. Durante a conversa, uma tora bateu na canoa e a canoa virou. O canoeiro olhou para o doutor, já quase se afogando e perguntou: “doutor, o senhor sabe nadar? “Não”, respondeu o homem culto. Disse o canoeiro: “o senhor acabou de perder toda a sua vida”.
  3. 3. Característico e Singular Necessário e Fundamental
  4. 4. OO qquuee éé tteeccnnoollooggiiaa??
  5. 5. Novas Tecnologias
  6. 6. ÉÉ nneecceessssáárriioo eessttuuddaarr eessssaass ccooiissaass??
  7. 7. Nativos Digitais e Imigrantes Digitais (PRENSKY, 2001)
  8. 8. Marcos Conceituais
  9. 9. Aprendizagem baseadas nas TIC  Aprendizagem do Adulto (Andragogia)  Fetiche pedagógico  Flexibilidade;  Democratização da informação;  Tecnologias de Autoria e Construção (de TIC para TAC);  Exposição x Construção  Competência-chave: Saber Selecionar Bons Materiais
  10. 10. AA eessccoollaa eessttáá aaccoommppaannhhaannddoo aass nneecceessssiiddaaddeess ddeessssaass ccrriiaannççaass??
  11. 11. AAllgguuéémm tteemm eessttuuddaaddoo ssoobbrree ooss iimmppaaccttooss ddaass TTIICC nnaa EEdduuccaaççããoo ddeessssaass ccrriiaannççaass??
  12. 12. AA vviiddaa éé mmuuiittoo ccuurrttaa ppaarraa sseerr ppeeqquueennaa.. ((BBEENNJJAAMMIINN DDIISSRRAAEELLII))
  13. 13. Evolução quantitativa das Pesquisas sobre Tecnologias na Educação Fonte: SILVA, I.; MERCADO, L. P.
  14. 14. Uma escola equipada com recursos tecnológicos produz aulas melhores? SILVA, I. P. ; MERCADO, L. P. L. . TENDÊNCIAS PEDAGÓGICAS NO MUNDO CONTEMPORÂNEO: REFLEXÕES SOBRE A PEDAGOGIA DA REPRODUÇÃO E A PEDAGOGIA DA AUTORIA. Revista EDaPECI: Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais, v. 13, p. 234-261, 2013. Disponívem em: http://www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/1235
  15. 15. O que se aprende no facebook? SILVA, I. P. ; ROCHA, F. B. . CONSTRUINDO COMUNIDADES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NO FACEBOOK. Revista EDaPECI: Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais, v. 14, p. 9-23, 2014. Disponível em: http://seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/1236
  16. 16. Quem aprende com imagens? SILVA, I. P. ; MERCADO, L. P. L. . CONTRIBUIÇÕES DIDÁTICAS DA PRODUÇÃO E COMPARTILHAMENTO DE VÍDEOS EM AULAS DE FÍSICA. Tear: Revista de Educação, Ciência e Tecnologia, v. 2, p. 1-14, 2013. Disponível em: http://seer.canoas.ifrs.edu.br/seer/index.php/tear/article/view/96 SILVA, I. D. C. ; SILVA, I. P. . AUTORIA EM PRODUÇÃO DE VÍDEOS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DOS PROJETOS INTEGRADORES DO CURSO DE FÍSICA LICENCIATURA DA UFAL. Revista EDUCTE, v. 1, p. 21-32, 2012. Disponível em: http://www.kentron.ifal.edu.br/index.php/educte/article/view/39
  17. 17. O que se aprende em 140 caracteres? MERCADO, L. P. L. ; SILVA, I. P. . O TWITTER NA COLETA DE DADOS NA PESQUISA QUALITATIVA. Informática na Educação (Online), v. 16, p. 161-172, 2013. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/InfEducTeoriaPratica/article/view/12378 PIMENTEL, F. S. C. ; SILVA, I. P. ; NAUBER, C. ; MERCADO, L. P. L. . MICROBLOGS E SEU POTENCIAL DE USO NA EDUCAÇÃO. Revista EDaPECI: Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais, v. 6, p. 73-84, 2011. Disponível em: http://www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/600
  18. 18. http://biologiagui.com.br/2013/04/dissecando-um-sapo-virtual/ http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/handle/mec/15134 http://learn.genetics.utah.edu/content/addiction/mouse/ http://www.fisica.ufpb.br/~romero/objetosaprendizagem/Rived/20EfeitoFotoeletrico/Site/Animacao.htm
  19. 19. Quais as contribuições dos objetos de aprendizagem para a educação? BITTENCOURT, I. M. ; FIGUEIREDO, L. K. A. ; SILVA, I. P. . POTENCIALIDADES DO OBJETO DE APRENDIZAGEM VISIBLE BODY PARA O PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ONLINE. Paidéi@ (Santos), v. 2, p. 1-21, 2010. Disponível em: http://revistapaideia.unimesvirtual.com.br/index.php?journal=paideia&page=article&op=view&path %5B%5D=154 MERCADO, L. P. L. ; SILVA, I. P. ; NEVES, Y. P. C. E. S. . OBJETOS VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO. IE Comunicaciones, v. 1, p. 35-49, 2009. Disponível em: http://dialnet.unirioja.es/descarga/articulo/3047348.pdf
  20. 20. Como os Blogs podem ser utilizados como suporte à educação? SILVA, I. P. . POSSIBILIDADES DO USO DA MÍDIA INTERNET A PARTIR DA INTERFACE BLOG PARA MAPEAMENTO DAS INTERAÇÕES ONLINE. Revista EDaPECI: Educação a Distância e Práticas Educativas Comunicacionais e Interculturais, v. 5, p. 12-27, 2010. Disponível em: http://www.seer.ufs.br/index.php/edapeci/article/view/584 Acesso em 19 set 2014
  21. 21. Como o celular pode contribuir para os processos de ensino e aprendizagem? SILVA, I. P. ; MERCADO, L. P. L. . O TELEFONE MÓVEL COMO RECURSO DIDÁTICO: REFLEXÕES A PARTIR DA PRODUÇÃO DE RADIODRAMAS COM PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA. In: XV Encuentro Internacional Virtual Educa, 2014, Lima-Peru. Inovación, Competitividad, Desarrolo. Lima-Peru: OEA, 2014. v. 1. p. online-online. Disponível em: www.virtualeduca.org/ponencias2014/79/virtualeduca.docx Acesso em 19 set 2014
  22. 22. QQuuee oouuttrrooss ffeennôômmeennooss eemmeerrggeemm ddeessssee cceennáárriioo??
  23. 23. Cyberbullying ou Bullying virtual
  24. 24. Gestão inconsciente das TIC
  25. 25. MMaass eessssee ccuurrssoo éé aa ddiissttâânncciiaa?? OO qquuee éé EEdduuccaaççããoo aa ddiissttâânncciiaa??
  26. 26. Art. 80. O Poder Público incentivará o desenvolvimento e a veiculação de programas de ensino a distância, em todos os níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada. § 1º A educação a distância, organizada com abertura e regime especiais, será oferecida por instituições especificamente credenciadas pela União. § 2º A União regulamentará os requisitos para a realização de exames e registro de diploma relativos a cursos de educação a distância. § 3º As normas para produção, controle e avaliação de programas de educação a distância e a autorização para sua implementação, caberão aos respectivos sistemas de ensino, podendo haver cooperação e integração entre os diferentes sistemas. § 4º A educação a distância gozará de tratamento diferenciado... http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm
  27. 27. Decreto 5622 de 19 de dezembro de 2005 Art. 1o Para os fins deste Decreto, caracteriza-se a educação a distância como modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica nos processos de ensino e aprendizagem ocorre com a utilização de meios e tecnologias de informação e comunicação, com estudantes e professores desenvolvendo atividades educativas em lugares ou tempos diversos. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/Decreto/D5622.htm
  28. 28. Assíncrona Síncrona linear hipertextual Um-um Um-muitos Muitos-muitos Mútua / Reativa PRIMO, A. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulinas, 2007
  29. 29. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 25, 26,27,28.
  30. 30. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 25, 26,27,28, 30, 31, 32, 33.
  31. 31. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 31
  32. 32. SILVA, Marcos. Educação Online. São Paulo: Loyola, 2003. p.201-396.
  33. 33. AAmmbbiieennttee VViirrttuuaaiiss ddee AApprreennddiizzaaggeemm
  34. 34. AAmmbbiieennttee VViirrttuuaaiiss ddee AApprreennddiizzaaggeemm http://pos.ead.ufal.br
  35. 35. Ementa Fundamentos da EAD: princípios e pressupostos. Familiarização do AVA Moodle. Conhecimento das Interfaces midiáticas, como recursos pedagógicos, na sala de aula online e presencial.
  36. 36. Objetivos -Explorar as principais ferramentas, recursos e mídias, que compõem o Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle com vistas às práticas pedagógicas desenvolvidas nos cursos de EAD da UFAL; -Compreender as diferentes práticas da linguagem nos variados suportes de comunicação digital identificando como os gêneros digitais orientam a comunicação online síncrona e assíncrona.
  37. 37. Conteúdos - Perfil - Mensagem Direta - Fórum online - Chat - Wiki - Tarefa
  38. 38. Metodologia Esta disciplina totaliza 20h de carga horária e está disposta ao longo de cinco semanas. Ao longo das cinco semanas foram distribuídas cindo atividades. O quadro 1 detalha a proposta das atividades.
  39. 39. Interface Utilizada Papel do aluno Atividade 1 Perfil e Mensagem Direta O cursista deverá gerar e configurar o seu perfil no Moodle, inserindo uma foto e produzindo uma descrição acadêmico-profissional ao mesmo tempo em que deverá informar ao tutor os dias e horários que serão dedicados ao estudo e à realização das atividades propostas bem como um contato telefônico. Atividade 2 Fórum Os cursistas deverão participar do fórum em construção colaborativa com seus pares, o tutor e os professores tomando como pressupostos as orientações do uso pedagógico do fórum e se colocando criticamente sobre o uso da linguagem e dos gêneros digitais nos diferentes suportes de comunicação online. Atividade 3 Chat O tutor deverá organizar, tomando por base nas informações fornecidas pelos cursistas acerca de seu planejamento de estudos, grupos de até cinco componentes e agendar salas de chat com esses grupos para discutir a partir do texto e do vídeo propostos o Letramento Digital. Atividade 4 Wiki Os grupos que interagiram no chat devem compor um texto reflexivo que sintetize as ideias discutidas no chat e que deixem transparecer o posicionamento do grupo sobre as implicações dos espaços digitais nas formas contemporâneas de letramentos. Atividade 5 Tarefa Os cursistas deverão realizar a leitura do texto proposto, assistir ao vídeo de orientação e construir um texto no qual apresente a descrição de outras interfaces do moodle evidenciando os gêneros digitais próprios de cada uma delas bem como suas possibilidades didáticas em sua área de formação.
  40. 40. Avaliação Os alunos serão avaliados de acordo com suas produções e pela participação nas atividades propostas tomando por base os princípios da avaliação somativa. Serão critérios de avaliação: cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; a colaboração com os pares; o compartilhamento e conteúdos e a apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do Moodle. Para efeitos de cômputo de notas procederemos da forma descrita no barema contido no quadro 2.
  41. 41. Interface Utilizada Critérios de Avaliação Pontuação Atividade 1 Perfil e Mensagem Direta · cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; · apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do Moodle De 0 até 1,5 Atividade 2 Fórum · cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; · a colaboração com os pares; · o compartilhamento e conteúdos; · apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do Moodle De 0 até 2,0 Atividade 3 Chat · cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; · a colaboração com os pares; · a apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do Moodle De 0 até 1,5 Atividade 4 Wiki · cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; · a colaboração com os pares; · apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do Moodle De 0 até 2,5 Atividade 5 Tarefa · cumprimento das atividades propostas no prazo determinado; · apropriação das potencialidades didáticas das interfaces do De 0 até 2,5
  42. 42. O aluno que obtiver no somatório de pontos nota igual ou superior a sete, estará aprovado. O cursista que não tiver abandonado a disciplina, realizado as atividades e ainda assim não obteve no somatório da pontuação uma nota igual ou maior que sete terá direito a uma reavaliação.
  43. 43. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 38.
  44. 44. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 39.
  45. 45. PALLOFF, Rena M.; PRATT, Keith. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes online. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 48.
  46. 46. 2ª Edição do curso de Especialização em Mídias na Educação
  47. 47. Laçã?? Maranja??

×