REVISTAREVISTANovembro/Dezembro de 2010.   Por: Gilson Matos          VVI          VIVENCIANDO A ARTE DE ENSINAR
UNIVERSIDADE DO ESTDO DA BAHIA- UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA- DCET CAMPUS II- ALAGOINHAS-BA        ESTÁ...
OOO Estágio        O                                  identidade profissional é gerada,                                  c...
prática do professor, embora ao         comporta-se como aquele que é ovivenciarmos à aplicação dos            detentor do...
n                                      Os alunos estão divididos                         O Colégio      nos turnos, ficand...
A Regente A professora regente possui        afeto, cordialidade, contribuindoformação superior, licenciada em    para um ...
O Livro didático     O seu principal objetivo éoferecer      informações          quesubsidiarão o estudo do alunodurante ...
A Turma      A turma escolhida para oestágio foi a do 1º ano do nívelmédio, composta de 25 alunosfreqüentes.   Os    aluno...
Período de observação     O período de observação                  Esse contato inicial foi defoi de seis aulas que aconte...
Período de regência      O período de regência é                     ser um professor mediadorconceituado como aquele em q...
1ª Semana     A       primeira        semanacorrespondente a duas aulas,iniciou-se com      a passagem daresponsabilidade ...
2ª Semana      A aula teve como tema:                  Fundamentação teóricaDivisão     celular        (Mitose     eMeiose...
3ª Semana       A aula teve como tema:                                           Fundamentação teóricatecido epitelial e c...
4ª Semana     A aula teve como tema ,             caracterizando       a      concepçãoTecidos     conjuntivos.     A aula...
5ª Semana     Nesta semana a aula tevecomo      tema:    introdução     aosartrópodes. A aula foi iniciada                ...
6ª semanaAula: Tecidos musculares.                                               Fundamentação teórica     A    aula    in...
7ª semana     Avaliação escrita tecidos                                             Fundamentação teóricaepiteliais e conj...
8ª SemanaTema da aula: Tecido epitelial,conjuntivo e muscular.Os      temas   propostos       foramrevisados, partindo de ...
9ª SemanaTema: Aplicação de prova sobre                Fundamentação teóricaTecidos humanos.                              ...
10ª Semana[ªEssa última semana resumiu-seem correção da prova e entregados resultados finais da unidade,como também result...
Referências bibliográficas  BIZZO,     N.    Ciências:         fácil   ou   SOUZA,      C.P.   Avaliação escolar  difícil?...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Portifólio gilson

1.916 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.916
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portifólio gilson

  1. 1. REVISTAREVISTANovembro/Dezembro de 2010. Por: Gilson Matos VVI VIVENCIANDO A ARTE DE ENSINAR
  2. 2. UNIVERSIDADE DO ESTDO DA BAHIA- UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA- DCET CAMPUS II- ALAGOINHAS-BA ESTÁGIO DE REGÊNCIA II POR GILSON SANTOS MATOS MOTIVADORA/ORIENTADORA CLÁUDIA REGINA TEXEIRA DE SOUZA ALAGOINHAS DEZEMBRO/2010
  3. 3. OOO Estágio O identidade profissional é gerada, construída e referida; volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e crítica, por isso, deve ser planejada gradativa e sistematicamente com essa finalidade. O estágio é uma forma de introduzir o licenciado na escola, para que o mesmo possaA identidade do professor é vivenciar o cotidiano da sala deconstruída ao longo de sua aula, onde experimentará astrajetória como profissional do dificuldades e realizações damagistério. No entanto, é no profissão que contribuirá para aprocesso de sua formação que formação da sua identidadesão consolidadas as opções e profissional.intenções da profissão que o O período de estágiocurso se propõe a legitimar permitiu-me viver novas(Pimenta, 2008). descobertas, e a valorizar o Segundo Buriolla (1999, p. planejamento das aulas, pois esse10), o estágio é o lócus onde a é um instrumento norteador da
  4. 4. prática do professor, embora ao comporta-se como aquele que é ovivenciarmos à aplicação dos detentor do conhecimento, poisplanos durante as aulas, os alunos trazem consigo umapercebemos que a nossa prática bagagem de conhecimentosdeve ser avaliada e revista a todo prévios adquiridos das suasmomento. Sou professor há dez relações familiares, culturais, eanos, mesmo com essa sociais que devem serexperiência, o estágio foi um considerados pelo professor. Omomento ímpar, para reflexões, chamado currículo oculto se fezmudanças de atitudes e rever presente durante de formaconceitos, que precisavam ser marcante no decorrer do estágio.modificados. O estágio foi também, ummomento para vivermos ao ladode outros docentes, observarmosa forma como a educação é vistapor eles, e a forma comoconduzem a profissão, pois éassim que a identidadeprofissional do educador vaisendo formada, nas trocas deexperiências vivenciadas nocontexto escolar. O estágio mostrou-me queo professor realmente não pode
  5. 5. n Os alunos estão divididos O Colégio nos turnos, ficando em média 40 alunos por turma. O estágio foi realizadoColégio Estadual Antônio deDeus Seixas, no período de 14/10á 16/12/10. O colégio estálocalizado a rua Rodolfo Góes, Quanto ao espaço físico,no bairro do Pioneiro na cidade interfere, de forma marcante node Catu-Ba, oferece ensino desempenho das atividadesgratuito do Fundamental ao Nível pedagógicas tanto para alunosmédio, divididos nos turnos como para professores. Emmatutino, vespertino e noturno. consonância com esse pensamento Lima (1989), diz que O colégio na sua estrutura o espaço escolar deve comporfísica possui onze salas de aula um todo coerente, pois é nele e aamplas, uma sala para partir dele que se desenvolve aprofessores, biblioteca, prática pedagógica, sendo assim,laboratórios de Informática, ele pode constituir um espaço deQuímica e Biologia. possibilidades, ou de limites, O colégio atende a uma tanto o ato de ensinar como o declientela de 500 alunos, oriundos aprender exige condiçõesda Zona urbana e Rural. Esses propícias ao bem estar docente e discente.
  6. 6. A Regente A professora regente possui afeto, cordialidade, contribuindoformação superior, licenciada em para um bom desempenho dasCiências Biológicas. A mesma aulas.atua na docência, ensinando A regente no decorrer do estágio depositou em minha pessoa confiança, dando-me apoio quando requisitada, tanto no desenrolar das aulas, como também, nas informações sobre a dinâmica do colégio, o que foi de suma importância no desempenho do estágio.alunos do ensino fundamental aoMédio. Na sua prática apresentadomínio diante do alunado,conseguindo impor limites,mantendo um clima de respeito,
  7. 7. O Livro didático O seu principal objetivo éoferecer informações quesubsidiarão o estudo do alunodurante a sua formação no ensinomédio. O livro adotado pelocolégio foi o Biologia vol.únicode Sônia Lopes, rico emgravuras, que ilustram asexplicações, a cada capítulo éfinalizado com questões paraestudo, textos para discussões equestões voltadas para ovestibular e ENEM, além de estáatualizado com as mudanças nasinformações e termos biológicos. O livro foi utilizado duranteo estágio, como também, outro aexemplo de Biologia NovoEnsino Médio de Paulino.
  8. 8. A Turma A turma escolhida para oestágio foi a do 1º ano do nívelmédio, composta de 25 alunosfreqüentes. Os alunos seencontram em uma faixa etáriaque varia de 15 anos a 18 anos deidade, a maioria, oriundos daZona urbana. São alunos calmose participativos em sua maioria,com destaque para aqueles queconfessavam gostar de Biologia. A turma era dividida emgrupos com seus respectivoslíderes.
  9. 9. Período de observação O período de observação Esse contato inicial foi defoi de seis aulas que aconteceram suma importância para a formanos dias 9/9 á 23/9/10. de condução das minhas aulas na Durante esse período, regência, pois conheci um poucoaproveitei para fazer um do perfil da turma. E a formalevantamento junto aos alunos. A como eles gostariam que fossemmaioria confessou não gostar da as aulas: motivadoras edisciplina, pois achava difícil e interativas.reclamavam da forma em que asaulas eram conduzidas. Aulasformais, tradicionais segundoeles. Embora a regente pareça seapoiar na concepção pedagógicaempirista , a mesma demonstravaconhecimento profundo dosassuntos abordados, respeita osalunos tendo boa relação e sedispõe ao novo.
  10. 10. Período de regência O período de regência é ser um professor mediadorconceituado como aquele em que na construção do conhecimento.o estagiário tem a Procurei dinamizar as aulas,responsabilidade da condução levando os alunos a se sentiremdas aulas. Esse período construtores da suaproporcionou-me momentos aprendizagem e não apenasnovos em sala de aula, embora já assimiladores de conceitos, paratendo experiência como tanto busquei sempre umaprofessor, elementos surpresa interação aluno-professor nasempre surge no decorrer das construção do conhecimento.aulas, mas esses servirão para O período da regência énortear e avaliar a nossa prática o momento da afirmação dodocente. estagiário, como futuro docente, Durante a regência procurei Pimenta e Anastasioutrabalhar com a concepção (2002), afirmam que a identidadepedagógica relacional docente se constrói no confronto(construtivista) valorizando e entre a teoria e prática, e naexplorando os conhecimentos análise sistemática das práticas aprévios dos alunos, procurando luz das teorias, na construção das teorias.
  11. 11. 1ª Semana A primeira semanacorrespondente a duas aulas,iniciou-se com a passagem daresponsabilidade da sala de aulada professora regente para a de organização dos seresminha pessoa como estagiário. A vivos, partindo da célula comoregente conversou com a turma unidade morfisiológica até adeixando-os cientes que a partir Biosfera. Em seguida discutimosdaquele momento o estagiário o significado etimológico daassumiria a sala de aula .Como palavra Histologia, juntos (alunosjá era conhecido da turma dede o e estagiário) conceituamosperíodo da observação, iniciei a tecidos, e enumeramos os quatroconversa apresentando o tipos principais, ou seja, aplanejamento da unidade, classificação dos tecidos. Após adiscutimos as formas de aula como conteúdoavaliação e iniciamos o primeiro procedimental os alunos foramassunto que foi: Introdução a convidados a realizarem umaHistologia animal. A aula pesquisa com o tema: Tipos deexpositiva dialógica iniciou-se tecidos e sua localização nocom a discussão sobre os níveis corpo humano.
  12. 12. 2ª Semana A aula teve como tema: Fundamentação teóricaDivisão celular (Mitose eMeiose). A aula foi introduzidacom a seguinte pergunta: Ao O desenho realizado pelos alunosmorrer uma célula no corpo dos tem como objetivo, trabalhar aseres vivos de que forma ela é memória fotográfica, comosubstituída? Após discussão foi também o lado artístico doapresentado com o uso de slides, indivíduo. Segundo Santoscomo se dá o processo de divisão (2005), a utilização de recursoscelular e formação de novas artísticos para auxiliar océlulas. Em seguida foi proposto desenvolvimento de conteúdosaos alunos que fizessem escolares específicos vem seilustrações (desenhos) retratando expandindo cada vez mais, com oas diversas fases da divisão foco do trabalho pedagógico nacelular. No decorrer da aula os atividade do aluno.alunos fizeram poucasintervenções, talvez pelacomplexidade do tema e por serbastante abstrato.
  13. 13. 3ª Semana A aula teve como tema: Fundamentação teóricatecido epitelial e conjuntivo. Aaula foi iniciada, promovendo aseguinte pergunta: Onde Os mapas conceituais vêmencontramos no nosso corpo os sendo utilizados nas maistecidos epiteliais e conjuntivos? distintas áreas do conhecimento,Após discussão, foram tendo diferentes finalidades,apresentados através de slides os como na aprendizagem, nadiversos tipos de tecidos avaliação, na organização e naepiteliais e conjuntivo e suas representação defunções. Após a aula expositiva conhecimento.Para promover adialógica os alunos aprendizagem significativa:confeccionaram um mapa (Moreira, 1999).conceitual referente ao assuntoabordado. Durante a aula houvetranstornos por parte dos alunos,pois os mesmos por se tratar deúltimo horário, ficaram inquietos,por terem o costume de seremliberados por alguns profissionaisantes do horário.
  14. 14. 4ª Semana A aula teve como tema , caracterizando a concepçãoTecidos conjuntivos. A aula construtivista.iniciou-se com indagações sobre Fundamentação teóricao que seria um tecido conjuntivoe quais as suas funções. Após Construtivismo para Beckerdiscussão foi apresentado slides (1992), é a idéia de que nada acom o uso da TV pendrive, o rigor está pronto, acabado, e deassunto abordado. Em seguida os que, especificamente oalunos assistiram a um vídeo conhecimento, não é dado, emsobre tecidos conjuntivos. nenhuma instância, como algoDurante a aula surgiram terminado.Ele se constitui pelaperguntas a cerca de doenças interação do indivíduo com oligadas ao tecido conjuntivo meio físico, e social, com osangüíneo, como: câncer de simbolismo humano, com omedula, anemia falciforme, como mundo das relações sociais;e setambém o tempo de vida das constitui por força de sua ação ehemácias. As discussões ao por qualquer dotação prévia,promoveram um ambiente de na bagagem hereditária , ou notroca e mediação entre professor meio.e alunos,
  15. 15. 5ª Semana Nesta semana a aula tevecomo tema: introdução aosartrópodes. A aula foi iniciada Fundamentação teóricacom uma discussão sobre aimportância dos artrópodes no A educação devecotidiano. ( área criminal, área proporcionar aos estudantes amédica, na agricultura etc.). oportunidade de desenvolverApós o tema foi apresentados capacidades que neles despertematravés da Tv pendrive, com o a inquietação diante douso de slides, discutindo-se os desconhecido, buscandodiversos pontos com os alunos. explicações lógicas e razoáveis,Em seguida os alunos resolveram levando os alunos aquestões utilizando o livro desenvolverem postura crítica,didático. realizar julgamentos e tomar No decorrer da aula, decisões fundamentadas emsurgiram indagações por parte critérios objetivos, baseados emdos alunos, gerando um clima de conhecimentos compartilhadosdiscussão troca e interação entre por uma comunidadealunos e professor. escolarizada (BIZZO, 1998).
  16. 16. 6ª semanaAula: Tecidos musculares. Fundamentação teórica A aula iniciou-se comindagações feitas pelo professor Segundo Fernandes (1998),aos alunos sobre a importância e os slides permitem uma projeçãoas funções dos tecidos de alta resolução, enfatizandomusculares. Buscando explorar cores, beleza detalhes, visíveisdos alunos os conhecimentos em qualquer ponto de uma salaprévios sobre o tema de aula. Argumenta também queabordado.Em seguida o tema foi as imagens em si não asseguramapresentado través de slides. nenhum aprendizado e queDurante a aula foram discutidas devem vir acompanhadas de umaas questões das atividades físicas nova abordagem, dee o uso dos anabolizantes nas sensibilização do aluno para oacademias, essa discussão mundo natural. Um enfoquemotivou a aula, gerando naturalista e aventureiro, mas queparticipação dos alunos. não se limite a isso: que também faça com que esse aluno aprenda, pense, questione e queira saber mais.
  17. 17. 7ª semana Avaliação escrita tecidos Fundamentação teóricaepiteliais e conjuntivos e aulacom o tema: Tecido nervoso. Segundo Souza (2000), a No primeiro momento da avaliação é uma prática valiosa,realizou-se uma avaliação escrita reconhecidamente educativa,contendo dez questões objetivas. quando utilizada com o propósitoApós dei inicio a aula sobre de compreender o processo detecido nervoso, partindo da aprendizagem que o aluno estáimportância do mesmo e percorrendo em um dado curso,suscitando discussão sobre as no qual o desempenho docélulas que compõem o tecido professor e outros recursosnervoso. Foi proposta aos alunos devem ser modificados paraa realização de uma pesquisa favorecer o cumprimento dossobre á ação das drogas no objetivos previstos e assumidosistema nervoso, objetivando coletivamente na escola.fazer uma ligação do tema com ocotidiano.
  18. 18. 8ª SemanaTema da aula: Tecido epitelial,conjuntivo e muscular.Os temas propostos foramrevisados, partindo de dúvidasapresentadas pelos alunos, comenfoque na caracterização dostipos de tecidos e suasrespectivas funções. Durante aulade revisão os alunos mostraram-se cansados, desanimados, osmesmos alegaram ser final deano, portanto justificaria tãocomportamento. Mesmo diantedo desânimo, tentei mostrá-los anecessidade da revisão, poisestávamos as portas da últimaavaliação da unidade.
  19. 19. 9ª SemanaTema: Aplicação de prova sobre Fundamentação teóricaTecidos humanos. Segundo Souza (2000), aNa penúltima semana, foi avaliação deve ser realizada comrealizada a última avaliação, o apoio de múltiplosescrita com o objetivo de instrumentos de coleta decontinuidade da verificação do informações, sempre de acordoaprendizado, já que à avaliação, com as características do planotranscorreu de forma processual, de ensino, isto é, dos objetivossendo a prova deste momento, que se está buscando junto aosapenas mais uma etapa alunos.Assim, conforme o tipoavaliativa, desta feita a última da de objetivo, podem serunidade. A avaliação transcorreu empregados trabalhos em gruposem maiores problemas, pois os ou individuais, provas orais ealunos participaram ativamente escritas, seminários, observaçãodas aulas, e perceberam que s de cadernos, realização dequestões propostas na prova exercícios em classe ou em casacondiziam com a realidade vivida e observação dos alunos emem sala de aula. classe. O autor ainda afirma que o professor não deve restringir a avaliação para o final da unidade, mas fazê-la processualmente.
  20. 20. 10ª Semana[ªEssa última semana resumiu-seem correção da prova e entregados resultados finais da unidade,como também resultados dasmédias finais do ano letivo.Durante IV unidade os resultadosforam setenta e dois por centodos alunos aprovados com médiafinal superior ao da unidadepassada.
  21. 21. Referências bibliográficas BIZZO, N. Ciências: fácil ou SOUZA, C.P. Avaliação escolar difícil?.Ed. Ática, São Paulo, SP. limites e possibilidades, 2000. BECKER, Fernando. O que é construtivismo? Revista de Educação AEC, Brasília, v.21, n.83,p. 7- 15,abr./jun. 1992. FERNANDES, H.L. Um naturalista na sala de aula. Ciência & Ensino. Campinas, vol.5, 1998. PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria S. Lucena. Estágio e Docência. São Paulo: Cortez, 2008. PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo. Docência no ensino superior. São Paulo. Cortez, 2002 (Coleção Docência em Formação).

×