UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIADEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E               DA TERRA     Componente curricular: Estágio...
Estágio“Aprender para nós é construir,reconstruir, constatar para mudar, o quenão se faz sem abertura ao risco e àaventura...
Estágio     O estágio caracteriza-se como um momento deefetivar um processo de ensino/aprendizagem que,tornar-se-á   concr...
Estágio   Compreender o Estágio Curricular como um tempo   destinado   a   um   processo     de   ensino    e   de   apren...
Estágiograduação.    Como afirma Guarnieri (2000) apudPizzo&Lima (2003), quando diz que,   O aprendizado da profissão a pa...
Portfólio“Educação é um processo social, écrescimento. Não é preparação para avida, é a própria vida.”                    ...
Portfólio     Este portfólio refere-se ao período do EstágioSupervisionado II, que foi realizado no ColégioEstadual Dr. Ma...
Escola“Eu não posso ensinar nada a ninguém,eu só posso fazê-lo pensar.”                             Sócrates
Escola        O    Colégio    Estadual   Dr.   Magalhães    Neto,localizado na 3ª Travessa José Joaquim Leal SN,bairro Pra...
Escolaprofessores. As salas possuem o recurso da TVpendrive e ainda dispõe de aparelhos de DVD evideocassete,    que    sã...
Escolate ao aluno (usuário), de acordo com suas medidasantropométricas e a realização das tarefas nas salasde aula, aliado...
Turma“A    educação       tem  que     forneceroportunidades para a auto-realização, elepode, no mínimo, criar um ambiente...
Turma     A turma 90 M1 era composta por vinte e seisalunos, que em maioria, residem nas proximidadesdo colégio. A frequên...
Turma   principalmente porque a influência dos fatores afetivos   é geralmente mascarada pela importância e primazia   atr...
Regente“Ninguém educa ninguém – ninguém seeduca a si mesmo – os homens seeducam entre si, mediatizados pelomundo.”        ...
Regente       A professora regente, Michelini Melo Camposfoi bastante receptiva, e se mostrou prestativa paraauxiliar    n...
Regenteconhecimentos prévios dos alunos, estimulando areflexão e participação na aula, já que sempre buscaabordar temas at...
Regente   desde que possam trabalhar de comum acordo com   os professores de prática de ensino e encarar suas   atividades...
Livro“O saber a gente aprende com osmestres e com os livros. A sabedoria, seaprende é com a vida e com oshumildes.”       ...
Livro     O livro utilizado durante as aulas foi Biologia,volume 1, de José Mariano Amabis e Gilberto RodriguesMartho. No ...
Livro     O uso de diversas recursos pedagógicos, foiimportante por compreender que o livro didáticonão deve ser usado com...
Observação“O que aprendemos refaz e reorganizanossa vida.”                       Anísio Teixeira
Observação      “A     extrema    importância   dos    estágios    éindiscutível, bem como as dificuldades para executá-lo...
Observaçãopreender    melhor      os    desafios     que    seriamenfrentados no momento da prática do estágio.     Segund...
Regência“O mais alto resultado da educação é atolerância .”                           Helen keller
Regência     A segunda fase do estágio foi realizado noperíodo de 21 de outubro a 02 de dezembro de2010.        Durante   ...
Regênciae organizar o trabalho do professor em sala de aula,sendo utilizado uma continuidade entre os assuntosque estão se...
Regênciacurso da TV pendrive. Para executar esse plano, foinecessário mudar os alunos de sala, já que na salada turma, o a...
RegênciaConforme Costa (2010), Res CNE/CP 01/06, e a LDB(Lei nº 9.396/96) uma das responsabilidades doprofessor regente é,...
Regênciado momento na sala de aula, deixando que a aulafosse totalmente conduzida pela estagiária. Percebique essa atitude...
Regênciarepresentar conceitos.“ (MOREIRA, 2005). Para Filho(2007),    o uso de mapas conceituais, o conhecimento pode ser ...
Regênciao recurso da TV pendrive, que possibilitou usarimagens ilustrativas, com o objetivo de auxiliar naexplicação dos a...
Regênciasido pensadas fossem executadas, e essa foi umasdas dificuldades encontradas nesse estágio, pois nofim do ano leti...
Regência     A avaliação dos alunos, se deu durante todo oestágio, usando critérios como comportamento,levar o livro didát...
Regência    ensino-aprendizagem   e   buscar   identificar   os    conhecimentos construídos e as dificuldades de uma    f...
Regência       Com relação ao comportamento dos alunos emsala, pode-se considerar que era bom. Apenaspoucos alunos, se mos...
Regência    repetência,   cabe   discutir   se   a   diminuição   no    rendimento dos alunos ao longo do tempo é fruto da...
Regênciana   resolução    das     questões,   bem    como   nocumprimento do prazo das entregas das atividades.      Tenta...
Regênciajada para a realização das avaliações finais de todasas disciplinas, sendo que a de Biologia foi realizadano dia 0...
Análise dos                resultados“O essencial, com efeito, na educação,não é a doutrina ensinada, é odespertar..”     ...
Análise dos resultados     A partir das atividades realizadas, apenas 36%dos alunos conseguiram alcançar a média deaprovaç...
Análise dos resultadosfalta de experiência na atuação da profissãodocente, busquei me adaptar da melhor forma arealidade d...
Considerações                 finais“Não é no silêncio que os homens sefazem, mas na palavra, no trabalho, naação-reflexão...
Considerações                                 finais     Após passar por essa fase prática do processode formação, ficou e...
Considerações                                 finaisdurante a atuação em sala de aula. E a partir disso,vai sendo iniciado...
Referências•   BINI, Luci Raimann. Motivação ou interesse do aluno    em sala de aula e a relação com atitudes    consider...
•   HAMZE, A. Avaliação Escolar. [2010?]. Disponível em: <    http://www.educador.brasilescola.com/trabalho-    docente/av...
•   MEDEIROS, José Gonçalves. et. al. Observação, em sala    de aula, do comportamento de alunos em processo    de aquisiç...
Portfólio deiseane
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Portfólio deiseane

4.275 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portfólio deiseane

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIADEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA Componente curricular: Estágio Supervisonado IIDocente: Cláudia Regina Teixeira de Souza Discente: Deiseane S. de Meireles Portfólio apresentado a Universidade do Estado da Bahia como requisito para conclusão do Estágio Supervisionado II do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Alagoinhas, 2011
  2. 2. Estágio“Aprender para nós é construir,reconstruir, constatar para mudar, o quenão se faz sem abertura ao risco e àaventura do espírito.” Paulo Freire
  3. 3. Estágio O estágio caracteriza-se como um momento deefetivar um processo de ensino/aprendizagem que,tornar-se-á concreto e autônomo quando daprofissionalização, já que é o período onde oestagiário põe em prática, os conhecimentos obtidosdurante o curso na sala de aula, tornando-setambém um momento de reflexão de tudo o que sepassou durante o curso de Licenciatura, culminandono estágio, na aula, no fazer docente. Essa experiência possibilita que sejamtrabalhados aspectos indispensáveis à construção daidentidade, dos saberes e das posturas específicasao exercício profissional docente. Essa pensamentoé corroborado por Santos (2002), quando diz que,
  4. 4. Estágio Compreender o Estágio Curricular como um tempo destinado a um processo de ensino e de aprendizagem é reconhecer que, apesar da formação oferecida em sala de aula ser fundamental, só ela não é suficiente para preparar os alunos para o pleno exercício de sua profissão. Faz-se necessária a inserção na realidade do cotidiano escolar. O que é proporcionado pelo estágio. Neste contexto, foi possível compreender aimportância do estágio, pois tem-se mostradocomo uma ferramenta de ligação entre osensinamentos teóricos apreendidos em sala deaula, com a sua aplicação prática dentro dasescolas, e como uma oportunidade para refletir,sistematizar e testar conhecimentos teóricos eferramentas técnicas durante o curso de
  5. 5. Estágiograduação. Como afirma Guarnieri (2000) apudPizzo&Lima (2003), quando diz que, O aprendizado da profissão a partir de seu exercício possibilita configurar como vai sendo constituído o processo de aprender a ensinar, já que este depende da articulação entre o conhecimento teórico- acadêmico e o contexto escolar com a prática docente.
  6. 6. Portfólio“Educação é um processo social, écrescimento. Não é preparação para avida, é a própria vida.” John Dewey
  7. 7. Portfólio Este portfólio refere-se ao período do EstágioSupervisionado II, que foi realizado no ColégioEstadual Dr. Magalhães Neto, no período de 21 deoutubro a 02 de dezembro de 2010 na sala 90M1 do1º ano do Ensino Médio no turno matutino com apresença de vinte e oito estudantes regulares e queteve como Profª. regente Michelini Melo Campos, asaulas era sempre as quintas – feiras com uma cargahorário de duas horas/aulas semanais.
  8. 8. Escola“Eu não posso ensinar nada a ninguém,eu só posso fazê-lo pensar.” Sócrates
  9. 9. Escola O Colégio Estadual Dr. Magalhães Neto,localizado na 3ª Travessa José Joaquim Leal SN,bairro Praça Kennedy, já possui quarenta anos nahistória da educação desta cidade, contribuindo naformação acadêmica dos alunos. Atualmente é dirigido pelo professor JoséNilton Rodrigues dos Santos, possui um quadro comtrinta e quatro docentes, todos licenciados. O espaço físico do Colégio é uma construçãoantiga, o que pode-se perceber pela falta demanutenção. O prédio é composto por dez salas deaula, sala de direção, secretaria, biblioteca,laboratório de informática, cantina, quadra deesportes, banheiros para uso separado de alunos e
  10. 10. Escolaprofessores. As salas possuem o recurso da TVpendrive e ainda dispõe de aparelhos de DVD evideocassete, que são solicitados quando hánecessidade de uso. Todas as questões de infra-estrutura eestrutura escolar são levadas em consideração, jáque muitos autores afirmam que as condiçõesoferecidas influenciam no processo de ensino-aprendizagem. Não só os recursos pedagógicos determinarão o êxito do processo educacional, pois o ambiente físico é determinante neste processo. Fatores físico-ambientais interferirão no processo educativo caso estejam ou não adequados aos fatores humanos. A utilização de mobiliários e equipamentos projetados adequadamen-
  11. 11. Escolate ao aluno (usuário), de acordo com suas medidasantropométricas e a realização das tarefas nas salasde aula, aliados aos fatores ambientais como,iluminação, ventilação, aliados aos fatoresambientais como, iluminação, ventilação,temperatura, entre outras, são fundamentais paraum maior desempenho escolar. (LUZ et. al., 2005)
  12. 12. Turma“A educação tem que forneceroportunidades para a auto-realização, elepode, no mínimo, criar um ambiente rico edesafiador para que o indivíduo o explore,do seu próprio jeito.” Noam Chomsky
  13. 13. Turma A turma 90 M1 era composta por vinte e seisalunos, que em maioria, residem nas proximidadesdo colégio. A frequência dos alunos era boa, umacaracterística confirmada pela Profª. regente. No dia de apresentação aos alunos, percebique além da turma ser numerosa, alguns alunoseram agitados, sendo preciso que em algunsmomentos a professora interrompesse a aula parasolicitar a participação na discussão do assunto.Esse foi um dos motivos que causou preocupaçãopara realização do estágio. Para Krasilchik (2008), esse primeiro momentocom a turma é importante, pois: A análise da dimensão emocional do processo de ensino-aprendizagem assim como das relações sociais estabelecidas na escola, é um componente imprescindível da formação dos professores,
  14. 14. Turma principalmente porque a influência dos fatores afetivos é geralmente mascarada pela importância e primazia atribuídas à transmissão de informações no processo educacional. Apesar da impressão do primeiro encontro, nodecorrer das atividades, foi estabelecida umarelação de respeito e de cordialidade. A concepção de uma relação recíproca entre professor e aluno pode ser uma maneira para revelar as relações entre as ocorrências da sala de aula de uma maneira mais precisa. (...) demonstra que não são apenas os alunos que sofrem influência das ações dos professores, mas que as ações dos alunos influenciam também o desempenho do professor em sala de aula. (MEDEIROS et. al., 2003)
  15. 15. Regente“Ninguém educa ninguém – ninguém seeduca a si mesmo – os homens seeducam entre si, mediatizados pelomundo.” Paulo Freire
  16. 16. Regente A professora regente, Michelini Melo Camposfoi bastante receptiva, e se mostrou prestativa paraauxiliar nessa etapa prática do Curso deLicenciatura. Formada pela Universidade do Estadoda Bahia – UNEB, em Ciências Naturais com ênfaseem Biologia, leciona em dois turnos na referidaescola, atuando com as disciplinas de Biologia,Ciências e Química. No período de observação, foi possível notarque a docente mantém uma boa relação com seusalunos, tratando-os com respeito e prezando semprepela boa relação professor-aluno. Nodesenvolvimento de suas atividades, ela utiliza osmétodos tradicionais, apresenta os conteúdos comaulas expositivas, utilizando a lousa e o giz, porémfazendo uma relação com o cotidiano e buscando os
  17. 17. Regenteconhecimentos prévios dos alunos, estimulando areflexão e participação na aula, já que sempre buscaabordar temas atuais relacionados com os assuntos. Durante o desenvolvimento do estágio, aprofessora orientou em todos os momentos,ajudando para um bom desempenho das atividades,e auxiliando no relacionamento entre a estagiária eos alunos. Esse acompanhamento da docente foiimportante durante todo o processo, pois fez comque eu me sentisse como “elemento da escola”,como isso facilitou o cumprimento das tarefasnecessárias para a conclusão do estágio. Segundo Krasilchik (2008), Os professores-monitores obviamente, têm também papel preponderante na orientação dos licenciandos,
  18. 18. Regente desde que possam trabalhar de comum acordo com os professores de prática de ensino e encarar suas atividades não como fonte de sobrecarga de trabalho, mas sim como uma oportunidade de instruir e ajudar jovens colegas, com quem será possível trocar idéias e opiniões sobre os cursos que estão ministrando e sobre problemas de ensino. O que é citado por Krasilchik, foi o que pudeverificar neste estágio, pois a professora estevepresente em todas atividades. A mesma comentouque esse acompanhamento, ela também recebeu dasua Profª regente durante a sua formação, e elareconhece o quanto esse apoio é essencial duranteo estágio.
  19. 19. Livro“O saber a gente aprende com osmestres e com os livros. A sabedoria, seaprende é com a vida e com oshumildes.” Cora Coralina
  20. 20. Livro O livro utilizado durante as aulas foi Biologia,volume 1, de José Mariano Amabis e Gilberto RodriguesMartho. No colégio, o livro é disponibilizado para todosos alunos, e a professora solicita que o leve em todasas aulas, estimulando a leitura dos assuntos e usa essatarefa como uma nota parcial da disciplina. A abordagem empregada pelos autores é delinguagem simples e as imagens são bem ilustrativas,facilitando o entendimento e a interpretação dosalunos. Além deste livro didático, foi usada umaapostila do curso preparatório para o ENEM, de ondefoi retirado texto e atividade complementar. Alémdestes materiais didático, o estudo dirigido, quadrocomparativo, mapa conceitual, foram outras atividadesusadas para auxiliar na aprendizagem dos alunos.
  21. 21. Livro O uso de diversas recursos pedagógicos, foiimportante por compreender que o livro didáticonão deve ser usado como única ferramenta noprocesso de ensino-aprendizagem. Lucena et. al.(2010) confirma isso quando comenta que, O problema do texto do livro didático reside na sua utilização como fonte de conhecimento baseada na memorização de respostas prontas que, num breve espaço de tempo, são esquecidas pelo aluno por que não tem relação nenhuma nem com seu interesse nem com sua vida diária. Por esse motivo, torna-se relevante inseriratividades e textos complementares, visandoenriquecer as fontes de conhecimentos, e tornarmais dinâmico esse processo.
  22. 22. Observação“O que aprendemos refaz e reorganizanossa vida.” Anísio Teixeira
  23. 23. Observação “A extrema importância dos estágios éindiscutível, bem como as dificuldades para executá-los (...)” KRASILCHIK (2008). Assim como todanova experiência requer uma preparação prévia, noestágio não é diferente, e essa período deobservação caracteriza-se como uma fase onde oestagiário irá conhecer o seu novo local de atuação. Durante essa fase, foi possível começar aconhecer um pouco da turma, observar a suadinâmica, a relação dos alunos entre si e com aprofessora, comportamento esse que se mantevedurante todo o processo do estágio. Essa fase de observação foi realizada emquatro horas/aulas semanais, tempo que permitiuconhecer um pouco da rotina escolar, além de com-
  24. 24. Observaçãopreender melhor os desafios que seriamenfrentados no momento da prática do estágio. Segundo Krasilchik (2008), o aluno passará a ver o ambiente escolar de um novo ângulo, na condição de futuro professor. Esse momento é necessário para que sejam feitas análise considerando aspectos como, a situação geral da escola, o nível cognitivo e o clima afetivo das aulas.
  25. 25. Regência“O mais alto resultado da educação é atolerância .” Helen keller
  26. 26. Regência A segunda fase do estágio foi realizado noperíodo de 21 de outubro a 02 de dezembro de2010. Durante todo esse processo, foramelaborados planos de aula semanais, sob aorientação da Profª. orientadora e queposteriormente deveriam ser aprovados pela Profªregente. Para Piletti, 2001 apud Castro et. al., 2008),plano de aula é definido como, (...) a sequência de tudo o que vai ser desenvolvido em um dia letivo. (...) É a sistematização de todas as atividades que se desenvolvem no período de tempo em que o professor e o aluno interagem, numa dinâmica de ensino-aprendizagem. A partir dessa definição, esta sequência deatividades documentadas, tem o objetivo de orientar
  27. 27. Regênciae organizar o trabalho do professor em sala de aula,sendo utilizado uma continuidade entre os assuntosque estão sendo abordados durante a Unidade. Um plano de aula deve contemplar o tema queserá tratado, os objetivos, conteúdos, sequênciadidática, procedimentos metodológicos, recursos, aavaliação que será utilizada no final da aula. A utilização e elaboração dos planos de aula foide extrema importância para o desenvolvimento doestágio, pois permitiu refletir quais as atividadesseriam interessantes de ser realizadas a partir doperfil da turma, e ajudou na organização e nasequência que deveria ser conduzida a aula. Para o primeiro dia de aula (21/10/10) foiplanejado uma aula expositiva, com o auxílio do re-
  28. 28. Regênciacurso da TV pendrive. Para executar esse plano, foinecessário mudar os alunos de sala, já que na salada turma, o aparelho não estava disponível. A salaque foi disponibilizada era bastante desconfortável,devido ao espaço limitado e sem ventilação. O fatornervosismo por estar iniciando o período deregência na turma, junto com os problemas noespaço físico não favoreceu para que tivesse umbom rendimento na aula, pois os alunos estavamagitados, mesmo com a presença na Profª. regente. No segundo momento com a turma, percebique o nervosismo que me atrapalhava durante aaula, era em decorrência da presença da Profª.regente na sala de aula mesmo sabendo que elaestava apenas cumprindo com o seu compromisso.
  29. 29. RegênciaConforme Costa (2010), Res CNE/CP 01/06, e a LDB(Lei nº 9.396/96) uma das responsabilidades doprofessor regente é, Orientar o estagiário no desenvolvimento de suas atividades durante o período de estágio; Avaliar o estagiário, sob sua responsabilidade, durante o desenvolvimento das diversas etapas do estágio, registrando em formulário próprio e encaminhando ao professor supervisor toda avaliação efetuada e Participar da avaliação, das atividades do estágio em conjunto com os professores supervisores e os estagiários. Ao perceber que as atividades estavam sendobem desempenhadas, a partir da terceira semana deaula, a professora não esteve mais presente em to-
  30. 30. Regênciado momento na sala de aula, deixando que a aulafosse totalmente conduzida pela estagiária. Percebique essa atitude foi significativa para o meudesenvolvimento no estágio, pois me senti mais avontade frente aos alunos. É importante destacar,que mesmo não estando na sala de aula, aprofessora estava sempre neste horário no colégio,e no final de todas as aulas vinha na sala ver setinha ocorrido tudo bem. Nos dias 28 de outubro e 04 de novembro de2010, os conteúdos membrana plasmática ecitoplasma, respectivamente, foram abordadosutilizando a técnica de ensino mapa conceitual, queé definido como, “diagramas indicando relaçõesentre conceitos, ou entre palavras que usamos para
  31. 31. Regênciarepresentar conceitos.“ (MOREIRA, 2005). Para Filho(2007), o uso de mapas conceituais, o conhecimento pode ser exteriorizado através da utilização de conceitos e palavras de ligação, formando proposições que mostram as relações existentes entre conceitos percebidos por um indivíduo. Com a aplicação desta técnica, foi possívelperceber que os alunos interagem melhor nadiscussão do assunto que está sendo abordado. Na semana seguinte, no dia 11 de novembrode 2010, foi abordado o conteúdo núcleo celular,dando prosseguimento aos que foram estudadosanteriormente. A abordagem do conteúdoprogramático se deu com aula expositiva, utilizando
  32. 32. Regênciao recurso da TV pendrive, que possibilitou usarimagens ilustrativas, com o objetivo de auxiliar naexplicação dos assuntos. Para Castro (2009), o uso de tal mídia e seus recursos de linguagem para exprimir e representar as informações, provoca transformações na prática do docente. Ele deverá estar consciente das suas possibilidades e dos seus desafios para utilizá-la de forma significativa em sala de aula. A professora relatou que não costuma fazeruso deste recurso, devido a sua falta de habilidadepara preparar materiais que possam ser trabalhadocom os alunos. O curto período que é destinado à IV unidade,não permitiu que algumas atividades que haviam
  33. 33. Regênciasido pensadas fossem executadas, e essa foi umasdas dificuldades encontradas nesse estágio, pois nofim do ano letivo a maioria dos alunos já estãodesmotivados, alguns por já estarem aprovados nadisciplina, e os que não estão, também não sepreocupam pela oportunidade da recuperação, casonão tenham alcançado a média. Visando estimular os alunos a buscar oconhecimento, umas das solicitações, foi umapesquisa bibliográfica sobre o tema: alteraçõescromossômicas humanas, sendo que esse conteúdodeveria ser abordado em sala, porém devido aotempo reduzido da unidade, como já foi comentado,foi necessário solicitar a pesquisa extra-classe.
  34. 34. Regência A avaliação dos alunos, se deu durante todo oestágio, usando critérios como comportamento,levar o livro didático para ser usado em sala de aula,resolução dos exercício proposto em sala de aula eos que eram encaminhados para casa. Além desses,foram propostas atividades avaliativas. Este pensamento é confirmado por Hamze[2010?], quando cita que, A avaliação do processo de ensino e aprendizagem, é realizada de forma contínua, cumulativa e sistemática na escola, com o objetivo de diagnosticar a situação de aprendizagem de cada aluno, em relação à programação curricular . A avaliação não deve priorizar apenas o resultado ou o processo, mas deve como prática de investigação, interrogar a relação
  35. 35. Regência ensino-aprendizagem e buscar identificar os conhecimentos construídos e as dificuldades de uma forma dialógica. No dia 18/11/10, foi programada a atividadeavaliativa em dupla, que havia sido informadaantecipadamente, já que no início do estágio, ficouesclarecido como seria o processo de avaliação dosalunos, não tendo nenhuma rejeição no momento. Os alunos tiveram um baixo aproveitamentonesta avaliação, porém foi possível constatar que osmesmos não têm o costume de estudar em casapara resolução de uma atividade. Apresentam maisdificuldade quando se trata de questões subjetivas,pois não têm paciência em interpretar e formularuma resposta correta.
  36. 36. Regência Com relação ao comportamento dos alunos emsala, pode-se considerar que era bom. Apenaspoucos alunos, se mostravam indisciplinados namaioria das aulas, se ausentando da mesma nãomostrando nenhum interesse sobre o assunto. Paraesses casos, e em discussão com a professora,concluímos que por se tratar de alunos repetentes eque não tinham alcançado a média de aprovaçãonas três unidades anterior, esse comportamento erade se esperar. Com relação a esse assunto, Luz (2008), dizque, Neste cenário, em que se alinham a queda do desempenho dos alunos e um nó no problema da
  37. 37. Regência repetência, cabe discutir se a diminuição no rendimento dos alunos ao longo do tempo é fruto da diminuição da seletividade provocada pela repetência, e a conseqüente inclusão dos alunos com menos habilidade; ou da piora na qualidade do ensino ofertado devido ao rompimento da relação entre aprendizagem e promoção. Pouco se sabe sobre os efeitos da repetição de uma série sobre a absorção do conteúdo lecionado, não havendo evidências de que a repetência levaria a um aumento na aprendizagem daquilo que não foi assimilado no ano anterior. Os alunos reclamavam bastante ao alegaremque as atividades valiam uma nota baixa, poisestavam acostumados a terem atividade de fácilresolução com alta pontuação. Todas as atividadesrealizadas eram contabilizadas, visando estimulá-los
  38. 38. Regênciana resolução das questões, bem como nocumprimento do prazo das entregas das atividades. Tentando não prejudicar os alunos, evitandoque determinados assuntos não deixasse de serdiscutidos em sala de aula, no dia (25/11/10), foiaplicada a técnica estudo dirigido com o temadivisão celular: meiose e mitose. Segundo Cinel(2003), “O estudo dirigido é uma técnicafundamentada no princípio didático de que oprofessor não ensina: ele é o agilizador daaprendizagem (...).” Foi com esse objetivo deestimular o aluno a buscar o conhecimento, que atécnica foi pensada. Para finalizar as avaliações da IV Unidade, asemana de 29 a 03 de dezembro de 2010, foi plane-
  39. 39. Regênciajada para a realização das avaliações finais de todasas disciplinas, sendo que a de Biologia foi realizadano dia 01/12/10. Constituída apenas de questõesobjetivas, os alunos não se preocuparam em ler comatenção o que estava sendo solicitado, e o resultadofoi um baixo rendimento também nesta atividade. Todas as atividades realizadas foram corrigidasjunto com os alunos, permitindo que os mesmosrefletissem os erros, e pudessem tirar as dúvidas. Do mesmo modo, ocorreu com as atividadesavaliativas, a aula do dia 02/12/10 foi reservadaexclusivamente para essa correção, e para a entregadas pesquisas que haviam sido entregues pelosalunos.
  40. 40. Análise dos resultados“O essencial, com efeito, na educação,não é a doutrina ensinada, é odespertar..” Ernest Renan
  41. 41. Análise dos resultados A partir das atividades realizadas, apenas 36%dos alunos conseguiram alcançar a média deaprovação na unidade (5 pontos). Isso acaba sendoum fator de desmotivação profissional, já que váriasatividades foram propostas com o objetivo deauxiliar na aprendizagem, dentre elas as aulas derevisão, e era visível o desinteresse por parte daturma. É necessário que o professor reflita e analise as formas com que está desenvolvendo seus trabalhos, se estão condizentes com a realidade dos alunos, se esta é a melhor forma de desenvolvê-los para que os resultados sejam positivos. (BINI, 2008) Nesse sentido, percebo que mesmo com a
  42. 42. Análise dos resultadosfalta de experiência na atuação da profissãodocente, busquei me adaptar da melhor forma arealidade da turma, sendo sempre orientada pelaprofessora.
  43. 43. Considerações finais“Não é no silêncio que os homens sefazem, mas na palavra, no trabalho, naação-reflexão.” Paulo Freire
  44. 44. Considerações finais Após passar por essa fase prática do processode formação, ficou evidente a importância doestágio nesse processo. Além do sentimento inicialde descoberta, há uma exaltação por estar emsituação de responsabilidade, e aonde foi iniciado oprocesso de aprender a ensinar, a partir daarticulação entre o conhecimento teórico-acadêmicoe o contexto escolar com a prática docente. Porém,a partir das pesquisas bibliográficas percebi que oprocesso de aprender é contínuo, e o aprendizadoocorre durante o desenvolvimento profissional dodocente. As relações que foram estabelecidas com aprofessora regente e com alunos, me fez perceberque além da beleza da profissão, existem asdificuldades que precisam ser bem administradas
  45. 45. Considerações finaisdurante a atuação em sala de aula. E a partir disso,vai sendo iniciado o processo de formação da minhaidentidade docente, e qual a concepção que devotraçar na minha atuação como profissional.
  46. 46. Referências• BINI, Luci Raimann. Motivação ou interesse do aluno em sala de aula e a relação com atitudes consideradas indisciplinares. Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. Disponível em: < http://web03.unicentro.br/especializacao/Revista_Pos/P% C3%A1ginas/3%20Edi%C3%A7%C3%A3o/Humanas/PDF/ 23-Ed3_CH-MotivacaoIn.pdf>. Acesso em: 11 Fev. 2011.• CASTRO, E. de. Tv multimídia como mediação nos processos ensino-aprendizagem nas aulas de história: desafios e possibilidades. Curitiba-PR, 2009. Disponível em: < http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivo s/1412-8.pdf?PHPSESSID=2010062209360178>. Acesso em: 10 Fev. 2011.• CASTRO, P. A. P. P. de; TUCUNDUVA, C. C.; ARNS, E. M. A importância do planejamento das aulas para organização do trabalho do professor em sua prática docente. ATHENA - Revista Científica de Educação, v. 10, n. 10, jan./jun. 2008. Disponível em: < http://www.faculdadeexpoente.edu.br/upload/noticiasarqui vos/1243985734.PDF>. Acesso em: 10 Fev. 2011.• CINEL , N. C. B. Estudo dirigido: Técnica pode ser usada em sala de aula e fora do espaço escolar. REVISTA DO PROFESSOR, Porto Alegre, 19 (73): 31-35, jan./mar. 2003. Disponível em: <http://www.smec.salvador.ba.gov.br/site/documentos/es paco-virtual/espaco-praxis- pedagogicas/BANCO%20DE%20SUGEST%C3%95ES%20D E%20ATIVIDADES/estudo%20dirigido.pdf>. Acesso em: 10 Fev. 2011.
  47. 47. • HAMZE, A. Avaliação Escolar. [2010?]. Disponível em: < http://www.educador.brasilescola.com/trabalho- docente/avaliacao-escolar.htm>. Acesso em: 10 Fev. 2011.• KRASILCHIK, M. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Edusp, 2008. p. 167-182.• LUCENA, D. de O.; FERREIRA, H. M.; MOURA, J. A importância do livro didático para o desenvolvimento da leitura. 2010. Disponível em: <http:// entrechoques.ccha.uepb.edu.br/GT0209.doc>. Acesso em: 12 Fev. 2011.• LUZ, L. S. O impacto da repetência na proficiência escolar: uma análise longitudinal do desempenho de repetentes em 2002-2003. 2008. 125f. Dissertação (Mestrado em Demografia) - Faculdade de Ciências Econômicas – UFMG, Belo Horizonte - MG, 2008. Disponível em: <http://www.cedeplar.ufmg.br/demografia/dissertacoes/20 08/Luciana_Soares_Luz.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2011.• LUZ, Maria de Lourdes Santiago; et al. A influência da estrutura e ambientes ergonômicos no desempenho educacional. XII SIMPEP. Bauru, SP, 2005. Disponível em:<www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_12/copiar.php %3Farquivo%3DLUZ_MLS_Ainfluenciadaestrutura.pdf>. Acesso em: 11 Fev. 2011.
  48. 48. • MEDEIROS, José Gonçalves. et. al. Observação, em sala de aula, do comportamento de alunos em processo de aquisição de leitura e escrita por equivalência. 2003. Disponível em: < www.ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/psicologia/article/dow nload/3221/2583>. Acesso em: 11 Fev. 2011.• MOREIRA, M. A. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Porto Alegre – RS, 2005. Disponível em: <http://www.if.ufrgs.br/~moreira/mapasport.pdf>. Acesso em: 10 fev. 2011.• PIZZO, S. V.; LIMA, E. F. de. Aprendendo a ser professora: os primeiros passos da docência sob o olhar de professoras experientes. São Paulo, 2003.• SANTOS, H. M. dos. O estágio curricular na formação de professores: uma experiência em construção. São Paulo – SP. (2002). Disponível em: <www.anped.org.br/reunioes/28/textos/gt08/gt0875int.do c>.Acesso em: 04 fev. 2011.

×