Diretrizes e orientações sobre tdic na rede

1.064 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.064
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
318
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diretrizes e orientações sobre tdic na rede

  1. 1. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE AÇÕES EDUCACIONAIS DIVISÃO DE INCREMENTO AO ENSINO SEÇÃO DE LABORATÓRIO E EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Concepção da Rede DIRETRIZES PARA O USO DAS Diretrizes para trabalho TECNOLOGIAS DIGITAIS DAINFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Orientações para organização das Unidades Escolares NA REDE MUNICIPAL Fluxos e Contatos Seções da Secretaria de Educação Março de 2012
  2. 2. Concepção da Secretaria de Educação No atual contexto, educar na chamada Era Digital implica em novos desafios quando se objetivaformar cidadãos capazes de participar ativamente da ação social, sendo assim, o uso das diferentestecnologias digitais é fundamental na Educação e o professor deve ter condições para fazer um usoautônomo, adequando o uso dos variados recursos aos projetos pedagógicos e práticas diárias na escola. A política pública adotada em nosso município é a de avançar no processo de integração dasTDICs – Tecnologias da Informação e Comunicação - às práticas pedagógicas e ampliar os recursos digitaispara diferentes espaços da escola, não só nos laboratórios de informática, mas também nas salas de aula,principalmente com os laptops educacionais. Utilizar as diferentes mídias digitais com alunos em diferentes espaços e contextos, adequandoo uso às demandas pedagógicas é um desafio possível a todos os educadores do Ensino Fundamental e daEducação de Jovens e Adultos. Diante disso, faz-se necessário romper com o paradigma de que o uso de computadores eInternet na escola são restritos aos laboratórios de informática e seu uso condicionado à presença do Pape– Professor de Apoio aos Programas Educacionais. Portanto, a organização dos horários para uso dolaboratório e dos laptops educacionais deve ser feita também, considerando a possibilidade do usoautônomo por professores e alunos. 1
  3. 3. Concepção da Secretaria de Educação As ações para formação dos educadores para tal autonomia deve ser partilhado entre aSecretaria de Educação, equipes gestoras e Pape das U.E., que exercem papel de fundamentalimportância nos processos de capacitação dos professores e na organização das rotinas escolares afim de viabilizar a implantação dessas novas diretrizes de trabalho. Um dos objetivos do trabalho com as TDICs é viabilizar ações que podem contribuircom o raciocínio científico do aluno para: identificar problemas, levantar hipóteses, testá-las, saberorganizar e processar as informações, interpretá-la, comunicá-la a terceiros (usando métodos orais,escritos, gráficos, imagéticos e multimídia) e, finalmente, eleger a solução que seja realmentesignificativa. Avançar no processo de integração das TDICs aos Projetos Políticos Pedagógicos dasunidades escolares e a formação dos educadores é um dos focos de trabalho em nossa Rede, umavez que entendemos que a Tecnologia não consiste num objeto em si mesmo, mas deve estardiluída, imbricada no Currículo. 2
  4. 4. NOVAS TECNOLOGIAS NA ESCOLA PARA QUÊ? JUSTIFICATIVA: necessidade da democratização do conhecimento e das práticas sociais presente na Cultura Digital do século XXI OBJETIVO: promover mudanças nas ações pedagógicas com os usos das TDICs no Currículo Escolar a fim de contribuir para uma Educação de qualidade ETAPAS DO PROCESSO: reflexão sobre as práticas pedagógicas existentes nas escolas tendo em vista a revisão de metodologia de ensino, criação de novas rotinas de trabalho visando a mudança no uso dos espaços e tempos escolares AVALIAÇÃO PROCESSUAL:Processo de ação e reflexão do Professor considerando a análisee adequação permanente para se fazer um uso apropriado dosrecursos tecnológicos aos objetivos pedagógicos;Avaliação dos alunos em relação a contribuição das TDICs para ONDE USAR OS RECURSOSsuas aprendizagens; DIGITAIS NA ESCOLA?Avaliação da equipe escolar em relação aos objetivos propostosno Projeto Político Pedagógico considerando os Indicadores deQualidade da Educação.
  5. 5. DIRETRIZES PARA O TRABALHO Considerando o objetivo de avançar no processo de integração das TDICs às práticas pedagógicas, a Secretaria de Educação prioriza as seguintes diretrizes para o trabalho em nossa Rede de Ensino: Ampliação dos Recursos Digitais e Integração das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs) à Educação Objetivos: Garantir o atendimento nos laboratórios e o uso dos laptops educacionais prioritariamente por alunos do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos, estendendo o atendimento aos alunos da Educação Infantil nos complexos e unidades próximas à escolas do Fundamental; Propiciar ações formativas aos educadores de todas as modalidades da Rede, a fim de promover a autonomia do professor para fazer uso pedagógico das mídias digitais como recursos para o desenvolvimento de projetos e demais atividades das diferentes áreas de conhecimento, garantindo a articulação com o Projeto Político Pedagógico da escola; FOCOS DO ATENDIMENTOS TRABALHO
  6. 6. Atendimentos nos laboratórios e uso dos LaptopsEducacionais: As Unidades Escolares terão autonomia para a organização dos horários para uso doslaboratórios de informática e dos laptops Educacionais, assim como definir as regras para uso desdeque sejam respeitadas as diretrizes para o trabalho e garantido o acesso à todos os alunos ecomunidade escolar:• Alunos do Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos: é considerado atendimento prioritário devendo ser garantido horários semanais para o uso de alunos de todas as turmas da U.E. com acompanhamento do professor Orientações: a regência das aulas no laboratório ou em sala com os laptops educacionais é do professor de classe, que pode contar ou não com a presença do Pape nas aulas;• Alunos da Educação Infantil: o atendimento deve ser garantido nas escolas Complexos e nas unidades próximas à escolas do Fundamental quando possível, podendo ser agendado horários de atendimentos nos laboratórios ou para uso dos laptops educacionais pelos professores e alunos Orientações: a regência das aulas no laboratório ou em sala com os laptops educacionais é do professor de classe considerando a faixa etária dos alunos, é importante o apoio do Pape nas aulas para esse público.
  7. 7. Foco do trabalho Avançar no processo de integração das tecnologias digitais às práticas pedagógicas é considerar o protagonismo do professor. Para isso é fundamental que todos os educadores se apropriem destes recursos e sejam capazes de desenvolver atividades e projetos com autonomia, reconhecendo as diferentes possibilidades de trabalho que as TDICs oferecem no campo da Educação.SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PAPE EQUIPES GESTORAS - Estabelecimento de parcerias para - Gestão de Mídias da escola: a oferta de cursos de formação aos manutenção dos recursos e garantia educadores da rede - Apoio na Gestão de Tecnologias / do uso Mídias da escola - Aquisição e manutenção dos - Analisar os planos de ação espaços e recursos tecnológicos considerando o uso das TDICs - Desenvolver ações formativas na U.E. visando o letramento digital e autonomia dos professores - Propiciar espaços para formações, - Orientações e Acompanhamento socialização de práticas e discussão dos trabalhos desenvolvidos na Rede sobre o uso pedagógico das mídias digitais na U.E. 1
  8. 8. As TDICs e a Prática Pedagógica Avançar no processo de integração das tecnologias digitais às práticas pedagógicas é consideraro protagonismo do professor e do aluno. É fundamental que educadores e educandos se apropriemdestes recursos e sejam capazes de desenvolver atividades e projetos, reconhecendo as diferentespossibilidades de trabalho que as TDICs oferecem no campo da Educação. Para isso a SE conta com o apoio do pape em projetos e ações para o desenvolvimento decultura digital na escola, e tem como meta desafiadora a capacitação de todos os professores parauso autônomo das TDICs. muitos são os recursos que podem ser utilizados: Metodologia de pesquisa na internet: Criação de blogs e fotologs Ferramentas de comunicação A aprendizagem é compartilhada na interação e na publicação das Programas de edição de imagem, áudio e Web Quest e Web Gincana produções dos alunos. vídeo.
  9. 9. As TDICs e a Prática Pedagógica As TDIC são utilizadas em diferentes situações de aprendizagem, tais como: apresentação de conteúdos, pesquisas e comparação de diferentes fontes, resolução de situação - problema, produção de conteúdo pelo aluno, projetos colaborativos, entre outras. Para isso podem ser usados diversos recursos e metodologias:- Software educacionais- Jogos de estratégia, simulação e execução- Aplicativos - editores de : textos, apresentações e planilhas eletrônicas- Internet - uso para pesquisa livre e orientada (como WebQuest e Web Gincana)- Mídias - edição, produção e publicação de mídias impressas e digitais (texto, áudio, vídeo e imagem)- Ferramentas da WEB - para comunicação, produção e publicação (blog, fotolog, videolog) e uso de ambiente virtuais de aprendizagem
  10. 10. DIRETRIZES PARA O TRABALHO Considerando o objetivo de avançar no processo de integração das TDICs às práticas pedagógicas, a Secretaria de Educação prioriza as seguintes diretrizes para o trabalho em nossa Rede de Ensino: Desenvolvimento de Cultura Digital na Rede Objetivos: Democratizar o acesso aos laboratórios de informática pela comunidade escolar; Contribuir com a inclusão digital dos funcionários e comunidade por meio de cursos / oficinas e acesso à Internet ; Ampliar a participação dos alunos favorecendo o protagonismo em diferentes ações educativas, inclusive por meio da formação de alunos monitores. FOCOS DO ATENDIMENTOS TRABALHO
  11. 11. Atendimentos à Comunidade e Monitoria• Comunidade Interna: é direcionado aos funcionários das U.E. através de oficinas pontuais, projetos específicos e horários para acesso livre nos laboratórios; Orientações: As oficinas e cursos são ministrados pelos pape, e os horários para acesso livre podem contar ou não com a presença do Pape• Comunidade externa: é direcionado aos munícipes por meio de oficinas de inclusão digital e cursos básicos de informática, projetos específicos e horários para acesso livre nos laboratórios Orientações: as atividades serão oferecidas dentro da grade de atendimento e o livre acesso por agendamento, necessitando da presença do Pape para esse atendimento• Projeto monitoria: preferencialmente direcionado aos alunos do 2º ciclo, para que possam atuar com autonomia nas atividades desenvolvidas no laboratório, conforme demandas apresentadas. Orientações: Garantir horário para formação semanal com o PAPE do laboratório e atuação no período contrário as aulas;• Educação Profissionalizante: direcionada aos munícipes à partir dos 16 anos com cursos de Informática Básica, com duração de 200h com certificação. Orientações: as atividades são oferecidas nas Escolas Municipais, dentro da grade de curso, ministrados por professores da rede ou instrutores de informática
  12. 12. Foco do trabalho com a Monitoria O projeto de monitoria justifica-se pela possibilidade de o ser humano aprender com ooutro, através da interação interpessoal, conforme enfatiza Paulo Freire. É, portanto, na interaçãoe na troca de informações entre colegas, professores, membros da comunidade , que muitasvezes, ocorre a aprendizagem de forma significativa. Para os alunos monitores, essa oportunidade consiste no aprofundamento dos saberesadquiridos ampliando assim suas competências, possibilitando muitas vezes a oportunidade deinclusão digital e principalmente o desenvolvimento do exercício da cidadania. O projeto Monitoria deve estar atrelado ao PPP da escola, considerando a adesão aprojetos tais como “Palco Digital”, o Robofesti . É importante ter claro quais são os objetivos dessetrabalho na escola, bem como planejar cada ação realizada com este grupo.
  13. 13. DIRETRIZES PARA O TRABALHO Divulgação e popularização da Ciência e Tecnologia Objetivos: Promover a vivência com o conhecimento científico, a partir da investigação e do estudo de conceitos de forma lúdica e interativa; Estimular e subsidiar o trabalho com a Educação Tecnológica e a Robótica Educacional nas escolas da Rede. FOCOS DO TRABALHO
  14. 14. Educação Tecnológica e Robótica Educacional O trabalho com a Educação Tecnológica e a Robótica Educacional em nossa rede temcomo objetivo principal promover o estudo de conceitos multidisciplinares, como Ciências, Física eMatemática, articulados aos conteúdos trabalhados em sala de aula e a projetos de diferentesáreas do conhecimento. Os focos do trabalho são a pesquisa, a investigação científica e a montagem e/ouconstrução de experimentos que visam a resolução de problemas, tendo como temáticanorteadora o estudo da evolução tecnológica desenvolvida ao longo da história da humanidade.Esse trabalho possibilita um processo educativo que permite aos alunos vivenciar osprocedimentos da metodologia científica de forma lúdica e interativa. CONCEITOS: CONCEITOS: MÁQUINAS AUTOMAÇÃO SIMPLES CONCEITOS: MÁQUINAS CONCEITOS: MOTORIZADAS PROGRAMAÇÃO
  15. 15. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLAR Orientações gerais1. Para o desenvolvimento dos trabalhos no com as TDICs, é imprescindível garantir momentos de planejamento do Pape junto aos professores em HTPC e outros espaços;2. Considerando as constantes inovações e criações relacionadas às tecnologias digitais, é importante a busca de novos recursos, metodologias e softwares para o aprimoramento das práticas, portanto garantir espaços aos professores e pape, para pesquisa, discussão sobre o uso e socialização de práticas com os recursos digitais é fundamental para garantir a qualidade dos trabalhos;3. Para o desenvolvimento de projetos específicos gerenciados pelo pape, em parceria ou não com os professores - como Monitoria, Robótica Educacional, Educação Tecnológica, projetos em Educomunicação - o pape deve apresentar as propostas de trabalho e a definição pelos projetos e sua organização deve ser discutida coletivamente, envolvendo a equipe gestora e docente da escola. 1
  16. 16. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLAR Orientações gerais 4. Cabe ao Pape manter procedimentos de rotina para o pleno funcionamento dos equipamentos do laboratório e laptops educacionais, assim como solicitar os serviços de suporte técnico, oferecer informações e os procedimentos necessários para o uso autônomo pela equipe escolar, mas a responsabilidade pelos espaços e recursos tecnológicos é de todo o coletivo escolar, sendo que a guarda e segurança dos equipamentos, assim como os cuidados para uso devem ser compartilhados entre a equipe gestora e toda a comunidade escolar; 5. É expressamente proibida a comercialização de produções impressas e multimídia - como vídeos, álbum de fotos, apresentações, livros, entre outros - realizadas por alunos, funcionários, comunidade e professores na escola; 2
  17. 17. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLAR Considerando as potencialidades e demandas de cada escola, a organização dos horáriospara uso do laboratório e laptops educacionais deverá ser elaborada pela equipe de gestão e Papeapós a discussão com o coletivo escolar, respeitando as seguintes orientações:Laboratórios de Informática• Aulas de (no mínimo) 50 minutos;• Atendimento semanal para todas as turmas do fundamental e EJA, ainda que sem a presença do PAPE em todas aulas;• Garantia de horários para atendimento semanal à Comunidade (interna e externa) por meio da oferta de oficinas/cursos de inclusão digital e/ou horários para acesso livre;• No gerenciamento das aulas no laboratório, o Pape e os professores devem atuar em parceria no atendimento aos alunos, uma vez que o professor de sala continua responsável pela regência das aulas;• É importante que o laboratório não seja utilizado somente quando o pape estiver presente, sendo que os professores têm autonomia para utilizar o espaço com seus alunos, respeitando os horários de agendamento; 3
  18. 18. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLAR Considerando as potencialidades e demandas de cada escola, a organização dos horários parauso do laboratório e laptops educacionais deverá ser elaborada pela equipe de gestão e Pape após adiscussão com o coletivo escolar, respeitando as seguintes orientações:Laptops Educacionais• Aulas semanais ou quinzenais com os laptops em sala de aula ou outros espaços da escola;• Garantir o uso equitativo para os alunos do Fundamental e EJA prioritariamente, estendendo aos alunos do Infantil quando possível;• O gerenciamento das aulas é do professor da turma;• Alunos monitores podem auxiliar nas aulas, desde que sejam orientados/acompanhados pelo pape ou professor da sala.• Para o uso dos laptops educacionais, é de responsabilidade do pape apresentar possibilidades de uso, planejar as atividades e projetos com os professores e contribuir em ações formativas da equipe, podendo acompanhar e auxiliar eventualmente nas aulas, mas as demandas relativas ao armazenamento, carregamento e transporte dos equipamentos deve ser destinada a outros profissionais da escola, conforme orientação da equipe gestora;• Planejamento e acompanhamento pela equipe de gestão. 4
  19. 19. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLARHorário do Pape na U.E. Conforme último edital de normatização das atividades complementares, as principais normativas para a função do Pape :• O pape deve cumprir a jornada de 40 ou 48 horas na escola, sendo obrigatória a participação nos HTPC (a participação do pape poderá ser quinzenal quando houver vários agrupamentos para o HTPC na mesma escola ou quando este atuar como volante em mais de uma U.E.);• Deve atender semanalmente a EJA, nas escolas com até 4 turmas (1 noite), sendo que nas escolas com número maior de turmas será designado um Pape EJA;• O Pape EJA continua em sala com ampliação de jornada de 10 ou 16horas (gratificação proporcional);• Nas escolas com até 16 turmas o pape poderá atender em uma outra U.E. e /ou Seção de laboratório 5
  20. 20. ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DAUNIDADE ESCOLARHorário do Pape na U.E.A carga horária do Pape não deverá ser condicionada somente aos horários de uso do laboratório elaptops, considerando os diferentes atendimentos e demandas da função, devendo ser garantindo horários para:• Acompanhamento das aulas de todas as turmas no laboratório, considerando o nível de autonomia de cada professor;• Planejamento e preparação das aulas para o Fundamental, EJA e Infantil quando houver;• Gerenciamento de ações: blog da U.E., demandas relativas ao Conect@, ações formativas para equipe docente, reunião com equipe gestora, entre outras;• Atendimentos e projetos específicos: Robótica Educacional, Monitoria, Escola Livre, projetos colaborativos, entre outros;• Atendimento semanal para comunidade (interna e externa) por meio da oferta de oficinas /cursos de inclusão digital e horário para planejamento dessas aulas;• Horário para formação e/ou reunião do grupo de Pape com a SE.Obs: As 2ª feiras serão destinadas à formação de Pape pela PUC, reuniões com a chefia da SE.134 epreparação da formação para professores, uma vez que os Pape deverão atuar como multiplicadores docurso ProUCA na Rede. 5
  21. 21. Questões Técnicas A partir de 2011 os serviços de manutenção de software e hardware da Secretaria deEducação contam com a colaboração da empresa G&P que presta serviços de suporte corretivo epreventivo na área de Tecnologia da Informação: o Service-Desk, que consiste em uma central deatendimento e serviço de apoio aos usuários para suporte e resolução de problemas técnicos. Oprincipal objetivo do service-desk é o restabelecimento da operação normal dos serviços de TI omais rápido possível. As aberturas de chamado deverão ser feitas somente pelo email: suporte.educacao@saobernardo.sp.gov.br e deverão conter minimamente as seguintes informações:• Nome da unidade;• Nome do funcionário solicitante;• Telefone para contato;• Motivo do chamado;• Espaço físico onde está localizado o equipamento A Central de Atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 7h00 as 18h00 também pelo telefone 4336-7873 ou pelos ramais 2128 e 2013. Orientações sobre o SERVICE DESK: Equipamentos da Salas de Recursos Laptops Educacionais U.E. Multifuncionais
  22. 22. Contato para questões Técnicas QUESTÕES TÉCNICAS E EQUIPAMENTOS: SE.3 SE.323 com Daniela Petrassi FONE: 4336-4699 SE323@saobernardo.sp.gov.br Clique aqui Mais orientações consultar Guia de práticas em anexo ou no endereço: (http://www.educacao.saobernardo.sp.gov.br/images/Secoes/SE323/Guia/Guia%20Melh ores%20Praticas.pdf
  23. 23. Contato para questões Pedagógicas QUESTÕES PEDAGÓGICAS SE.1- DIRETORIA SE.134 com Kátia Duarte FONE: 4390-4610 SE134@saobernardo.sp.gov.br Mais informações sobre atendimentos e projetos: BLOG CONECT@ ENTREMEIOS

×