Segurança no Período Perioperatório:
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA




                                Dra. Fabiane Card...
Qualidade e Segurança no Perioperatório
                                                                                  ...
Sentinel Event Statistics as of: March 31, 2009
Análise das Causas dos Eventos Adversos
                   RCA (Root Cause Analysis)




• 65% comunicação                ...
Operative and Post-Operative Complications:
      Lessons for the Future


•   8 causas proximais / raiz:

•   2/3 dos cas...
Qualidade e Segurança na Saúde
To err is human: building a safer health system.
Kohn LT, Corrigan JM, Donaldson MS, eds Wa...
Health Policy and Management at the Harvard School of Public Health and Harvard Business School
Qualidade e Segurança na Saúde: INTEGRAÇÃO
Qualidade e Segurança na Saúde

- ANESTESISTA
- CIRURGIÃO
- CIRURGIÃO ASSISTENTE
- CLÍNICOS
- INSTRUMENTADORA
            ...
Segurança no Período Perioperatório:
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA
1 – HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS/ USO DE LUVAS
-    Lavagem com água e sabão
-    Uso do álcool g...
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA

4 – TIME OUT! – Comunicação/ Trabalho em equipe/ Registro em Prontuário
LISTA DE VERIFICAÇÕES DE SEGURANÇA CIRÚRGICA (PRIMEIRA EDIÇÃO)
Antes da indução anestésica                                ...
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA




5 – CHECAGEM DE SEGURANÇA DA ANESTESIA:
- 3M (materiais/medicamentos/máquinas)
- Alerg...
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA


6 – PLANEJANDO A ANESTESIA:
- Acesso à via aérea: materiais/ medicamentos/ máquinas
- Ac...
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA


8 – MONITORIZAÇÃO ADEQUADA
- Checagem: Disponibilidade/ Funcionamento
- Condição Clínica...
10 – TRANSPORTE SEGURO/ PERÍODO PÓS-OPERATÓRIO


    • Avaliação Clínica do Paciente

    • Composição da Equipe

    • Pr...
Segurança no Período Perioperatório:
10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA


                               Obrigada!

         ...
Segurança no Período Perioperatório: 10 Passos para Anestesia Segura
Segurança no Período Perioperatório: 10 Passos para Anestesia Segura
Segurança no Período Perioperatório: 10 Passos para Anestesia Segura
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Segurança no Período Perioperatório: 10 Passos para Anestesia Segura

12.287 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
12.287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
306
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Segurança no Período Perioperatório: 10 Passos para Anestesia Segura

  1. 1. Segurança no Período Perioperatório: 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA Dra. Fabiane Cardia Salman Comitê de Qualidade e Segurança em Anestesia/ SMA Outubro de 2009
  2. 2. Qualidade e Segurança no Perioperatório TENDÊNCIAS • 234 milhões de cirurgias de grande porte são realizadas no mundo/ ano: 1 em 25 • Pelo menos 7 milhões de pacientes podem ter complicações no pós-operatório anualmente (3% a 25% dos pacientes); • A mortalidade relatada após cirurgias de grande porte/ alta complexidade é de 0,4 a 10% - pelo menos 1 milhão de pacientes morram a cada ano. • Quase metade dos eventos danosos que afetam pacientes em hospitais estão relacionados a procedimentos cirúrgicos. • Evidências sugerem que pelo menos metade desses eventos são preveníveis. A Surgical Safety Checklist to Reduce Morbidity and Mortality in a Global Population. N Engl J Med 2009;360:491-9 An estimation of the global volume of surgery: a modelling strategy based on available data. The Lancet, June 25, 2008 - Transição Demográfica - Pacientes críticos - Procedimentos mais complexos (menos invasivos?) - Aumento de procedimentos anestésicos (CDI) - Tecnologia/ Inovação/ Custos - Medicina perioperatória - Profissionais especializados, treinados e capacitados
  3. 3. Sentinel Event Statistics as of: March 31, 2009
  4. 4. Análise das Causas dos Eventos Adversos RCA (Root Cause Analysis) • 65% comunicação •13% continuidade do cuidado • 58% orientação, treinamento • 12% competências/credenciamento • 36% avaliação inicial do paciente • 20% disponibilidade da informação • 12% conform. com procedimentos • 18% diferenças entre níveis • 8% sistemas de alarmes profissionais • 8% cultura organizacional • 15% ambiente físico
  5. 5. Operative and Post-Operative Complications: Lessons for the Future • 8 causas proximais / raiz: • 2/3 dos casos identificaram como causa raiz a FALHA DE COMUNICAÇÃO DA EQUIPE • Mais da metade mencionou a FALHA NO SEGUIMENTO DE PROTOCOLOS/ DIRETRIZES ESTABELECIDAS - Outras causas apontadas:  Avaliação Pré-operatória incompleta  Deficiências no credenciamento e concessão de privilégios - Profissionais  Monitorização operatória/ pós-operatória deficiente Source: Joint Commission: Operative and postoperative complications: Lessons for the future. Sentinel Event Alert Issue 12, 4 Feb 2000.
  6. 6. Qualidade e Segurança na Saúde To err is human: building a safer health system. Kohn LT, Corrigan JM, Donaldson MS, eds Washington, DC: National Academy Press, 2000 “Modelo de Segurança Internacional na Área da Saúde” MORTALIDADE EM ANESTESIA GERAL: Três décadas atrás: 1 em 5.000 Atualmente: 1 em 200.000 (países desenvolvidos) A taxa de mortalidade relacionada à anestesia é de 1 em 150 em certas regiões da África sub-saariana (WHO - 2008).
  7. 7. Health Policy and Management at the Harvard School of Public Health and Harvard Business School
  8. 8. Qualidade e Segurança na Saúde: INTEGRAÇÃO
  9. 9. Qualidade e Segurança na Saúde - ANESTESISTA - CIRURGIÃO - CIRURGIÃO ASSISTENTE - CLÍNICOS - INSTRUMENTADORA FATOR HUMANO - EQUIPE DE ENFERMAGEM... ENGENHARIA CLÍNICA FARMÁCIA SUPRIMENTOS CCIH HIGIENE BANCO DE SANGUE...
  10. 10. Segurança no Período Perioperatório: 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA
  11. 11. 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA 1 – HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS/ USO DE LUVAS - Lavagem com água e sabão - Uso do álcool gel - Uso de luvas 2 – AVALIAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA - Avaliação da Via Aérea - Tempos de jejum - Alerta à Equipe 3 – DOCUMENTOS DO PRONTUÁRIO
  12. 12. 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA 4 – TIME OUT! – Comunicação/ Trabalho em equipe/ Registro em Prontuário
  13. 13. LISTA DE VERIFICAÇÕES DE SEGURANÇA CIRÚRGICA (PRIMEIRA EDIÇÃO) Antes da indução anestésica Antes da incisão cutânea Antes do paciente sair da sala de operações ENTRADA TEMPO DE PREPARO SAÍDA PACIENTE CONFIRMOU CONFIRMAR QUE TODOS OS MEMBROS DA O ENFERMEIRO CONFIRMA EQUIPE SE APRESENTARAM PELO NOME VERBALMENTE COM A EQUIPE IDENTIDADE E FUNÇÃO LOCAL O NOME DO PROCEDIMENTO REGISTRADO PROCEDIMENTO CONSENTIMENTO CIRURGIÃO, ANESTESIOLOGISTA E SE A CONTAGEM DE INSTRUMENTOS, ENFERMEIRO CONFIRMARAM VERBALMENTE: COMPRESSAS E AGULHAS ESTÃO CORRETAS (OU NÃO SE APLICAM) LOCAL MARCADO/NÃO SE APLICA PACIENTE LOCAL COMO A AMOSTRA PARA A ANTOMIA PROCEDIMENTO PATOLÓGICA ESTÁ IDENTIFICADA? VERIFICAÇÃO DE SEGURANÇA (INCLUINDO O NOME DO PACIENTE) ANESTÉSICA CONCLUÍDA EVENTOS CRÍTICOS PREVISTOS SE HÁ ALGUM PROBLEMA COM REVISÃO DO CIRURGIÃO: EQUIPAMENTO PARA SER RESOLVIDO OXÍMETRO DE PULSO NO PACIENTE E QUAIS SÃO AS ETAPAS CRÍTICAS OU EM FUNCIONAMENTO INESPERADAS, DURAÇÃO DA OPERAÇÃO, PERDA SANGUÍNEA PREVISTA? O CIRURGIÃO, O ANESTESIOLOGISTA E O ENFERMEIRO REVISAM PREOCUPAÇÕES O PACIENTE POSSUI: REVISÃO DA EQUIPE DE ANESTESIA: ESSENCIAS PARA A RECUPERAÇÃO E O HÁ ALGUMA PREOCUPAÇÃO ESPECÍFICA MANEJO DESTE PACIENTE ALERGIA CONHECIDA? EM RELAÇÃO AO PACIENTE? NÃO SIM REVISÃO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM: A ESTERILIZAÇÃO FOI CONFIRMADA VIA AÉREA DIFÍCIL/RISCO DE ASPIRAÇÃO? (INCLUINDO RESULTADOS DO INDICADOR?) NÃO HÁ QUESTÕES RELACIONADAS A SIM, E EQUIPAMENTO/ASSISTÊNCIA DISPONÍVEIS EQUIPAMENTOS OU QUAISQUER PREOCUPAÇÕES? RISCO DE PERDA SANGUÍNEA >500 ML (7ML/KG EM CRIANÇAS)? NÃO A PROFILAXIA ANTIMICROBIANA FOI SIM, E ACESSO ENDOVENOSO REALIZADA NOS ÚLTIMOS 60 MINUTOS? ADEQUADO E PLANEJAMENTO PARA FLUIDOS SIM NÃO SE APLICA AS IMAGENS ESSENCIAIS ESTÃO EXPOSTAS? SIM NÃO SE APLICA ESTA LISTA DE VERIFICAÇÕES NÃO TEM A INTENÇÃO DE SER ABRANGENTE. ACRÉSCIMOS E MODIFICAÇÕES PARA ADAPTAÇÃO À PRÁTICA LOCAL SÃO RECOMENDADOS
  14. 14. 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA 5 – CHECAGEM DE SEGURANÇA DA ANESTESIA: - 3M (materiais/medicamentos/máquinas) - Alergia - Risco de sangramento e broncoaspiração - Posicionamento do Paciente
  15. 15. 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA 6 – PLANEJANDO A ANESTESIA: - Acesso à via aérea: materiais/ medicamentos/ máquinas - Acesso Venoso CHAME POR AJUDA! - prudência 7 – PLANEJANDO A ANALGESIA - Recuperação do Paciente - Satisfação do Paciente
  16. 16. 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA 8 – MONITORIZAÇÃO ADEQUADA - Checagem: Disponibilidade/ Funcionamento - Condição Clínica/ Estado Físico do Paciente - Cirurgia/ Procedimento 9 – REPOSIÇÃO VOLÊMICA - Checar reserva de sangue - Considerar aquecimento das soluções - Garantir acessos venosos adequados
  17. 17. 10 – TRANSPORTE SEGURO/ PERÍODO PÓS-OPERATÓRIO • Avaliação Clínica do Paciente • Composição da Equipe • Preparo do Paciente • Preparo de Materiais • Checagem dos Equipamentos • Maleta de Emergência • Registro no prontuário
  18. 18. Segurança no Período Perioperatório: 10 PASSOS PARA ANESTESIA SEGURA Obrigada! Dra. Fabiane Cardia Salman Comitê de Qualidade e Segurança em Anestesia/ SMA qualidade@sma.com.br anestesiasegura.com

×