SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
É uma atividade de enfermagem, não sendo
entretanto, ato privativo da mesma” e que o
profissional de enfermagem, atuando como
instrumentador cirúrgico, por força de lei,
“subordina-se exclusivamente, ao responsável
técnico pela unidade”. (Resolução nº 214/1998
do COFEN)
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
ATRIBUIÇÕES DO INSTRUMENTADOR
CIRÚRGICO
• Conferir os materiais e equipamentos
necessários ao ato cirúrgico;
• Paramentar-se com técnica asséptica;
• Conhecer os instrumentos cirúrgicos por seus
nomes, e dispô-los sobre a mesa, de acordo
com a sua utilização em cada tempo cirúrgico;
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
• Preparar agulhas e fios adequadamente;
• Auxiliar o cirurgião e assistentes durante a
paramentação cirúrgica;
• Prever e solicitar material complementar ao
circulante de S.O
INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
• Ser o responsável pela assepsia, limpeza e
acomodação dos instrumentos durante toda
cirurgia;
• Entregar os instrumentais ao cirurgião e
assistentes com habilidade e presteza;
• Desprezar adequadamente o material
contaminado e os perfurocortantes;
ANTISSEPSIA PRE-OPERATÓRIA DA
EQUIPE CIRÚRGICA
• Manter unhas curtas;
• Executar a degermação cirúrgica das mãos e
antebraços ate o cotovelo, por 2 a 5 minutos, usando
antisséptico apropriado;
• Realizar limpeza embaixo das unhas;
• Não utilizar jóias como pulseiras anéis e relógios
• Manter as mãos longe do corpo, cotovelos
flexionados de modo quea água escorra das pontas
dos dedos em direção ao cotovelo
• Secar as mãos com toalha estéril
PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA
• É o ato de preparação para o início das
cirurgias. É a etapa que a equipe cirúrgica se
veste com roupas esterilizadas.
• Consta de aventais,
• Luvas Cirúrgicas,
• Gorro,
• Máscara
• Pró-pés / Tamanco Cirúrgico
PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA
• Usar máscara cirúrgica que cubra toda boca e
nariz ao entrar na SO ou quando material já
esteja exposto e durante toda cirurgia;
• Cobrir todo cabelo e barba ao entrar na SO;
• As luvas estéreis devem ser colocadas após a
degermação e a colocação do avental cirúrgico;
• Usar aventais e campos que ofereçam barreira
efetiva, mesmo molhados;
• Trocar a paramentação quando visivelmente
molhada com sangue e fluidos corpóreos
infectante
PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA
Lavagem da Mãos
MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA
DE OPERAÇÕES - SO
• LIMPEZA PREPARATÓRIA DA SO
• Deve ser realizada pouco tempo antes do
inicio da montagem da sala para a primeira
cirurgia do dia;
• Remover partículas de poeira da mobília e dos
equipamentos e de superfícies com álcool a
70 %; Usar EPI;
• Se necessária a limpeza do chão chamar o
serviço de higiene
MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA
DE OPERAÇÕES - SO
• CHECK LIST DE SALA DE CIRURGIA
• Equipamentos fixos e mobiliário:
• carro de anestesia, bisturi eletrônico, foco
cirúrgico fixo e auxiliar,
• monitores multiparamétricos,
• mesa cirúrgica ,
• mesa de mayo,
• mesa auxiliar e semi-circular,
MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA
DE OPERAÇÕES - SO
• banqueta giratória,
• carro hamper,
• escada dois degraus,
• balde a chute,
• suporte de soro,
• aspirador cirúrgico,
• cardioversor,
• coluna retrátil,
• arco cirúrgico, etc
ANTISSEPSIA PRÉ-OPERATÓRIA DA
EQUIPE CIRÚRGICA
• Flora bacteriana da pele (organismos
permanentes e transitórios)
• Remover as bactérias, gorduras e outros
elementos da pele, alem de ação residual que
previna a regeneração bacteriana durante o ato
operatório.
• Solução antisséptica adequada (PVPI e
Clorhexidine)
• Tempo de 2 a 5 minutos
• Sacar as mãos com toalha estéri
MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES
• Reúne os procedimentos realizados pela equipe de
enfermagem, com a finalidade de reunir condições
funcionais e técnicas necessárias para o bom
andamento da cirurgia;
• Prever e prover materiais, instrumentais e
equipamentos indispensáveis para o ato cirúrgico;
• É baseada no planejamento estratégico e organizado
pelo enfermeiro que faz e supervisiona os protocolos
MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES
• Verificar a cirurgia programada para a SO sob
sua responsabilidade;
• Checar nome, idade, do paciente, horário da
cirurgia, tipo de anestesia, etc.
• Certificar dos materiais e dos equipamentos
necessários e específicos;
• Checar as condições de limpeza da sala;
• Testar o funcionamento dos equipamentos e
do mobiliário
MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES
• Iniciar a abertura dos pacotes na sequência com
técnica asséptica;
• Colocar antissépticos, soros, nas cubas;
• Ligar bisturi eletrônico e conectá-lo ao fio da
placa; aproximar do cirurgião o pedal do
equipamento;
• Conectar a extremidade da extensão estéril do
aspirador;
• Ajustar e colocar focos e luz;

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Assistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgicaAssistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgica
FatianeSantos
 
Instrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgicaInstrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgica
jaddy xavier
 
instrumentação cirurgica
instrumentação cirurgicainstrumentação cirurgica
instrumentação cirurgica
Simone Alvarenga
 
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Heraldo Maia
 

Mais procurados (20)

Assistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgicaAssistencia enfermagem-cirurgica
Assistencia enfermagem-cirurgica
 
Clinica Cirurgica.pdf
Clinica Cirurgica.pdfClinica Cirurgica.pdf
Clinica Cirurgica.pdf
 
Centro CirúRgico Parte 1
Centro CirúRgico Parte 1Centro CirúRgico Parte 1
Centro CirúRgico Parte 1
 
Instrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgicaInstrumentação cirúrgica
Instrumentação cirúrgica
 
Enfermagem centro cirurgico
Enfermagem centro cirurgicoEnfermagem centro cirurgico
Enfermagem centro cirurgico
 
Clínica cirúrgica
Clínica cirúrgicaClínica cirúrgica
Clínica cirúrgica
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
instrumentação cirurgica
instrumentação cirurgicainstrumentação cirurgica
instrumentação cirurgica
 
8 infecção hospitalar e ccih
8   infecção hospitalar e ccih8   infecção hospitalar e ccih
8 infecção hospitalar e ccih
 
Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2Aula slide centro cirurgico 2
Aula slide centro cirurgico 2
 
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro CirúrgicoClínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
Clínica Cirúrgica e Centro Cirúrgico
 
Apostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgicoApostila centro cirurgico
Apostila centro cirurgico
 
Aula sobre prevenção de infecção de sítio cirúrgico
Aula sobre prevenção de infecção de sítio cirúrgicoAula sobre prevenção de infecção de sítio cirúrgico
Aula sobre prevenção de infecção de sítio cirúrgico
 
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1Assistencia enfermagem-cirurgica-1
Assistencia enfermagem-cirurgica-1
 
Cme completo
Cme completoCme completo
Cme completo
 
Paciente internado
Paciente internadoPaciente internado
Paciente internado
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
 
Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2Slidesclinicacirurgica2
Slidesclinicacirurgica2
 
Aula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgicoAula do centro cirurgico
Aula do centro cirurgico
 
Centro Cirúrgico
Centro CirúrgicoCentro Cirúrgico
Centro Cirúrgico
 

Destaque

Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
UPA Fortaleza
 
Aula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgicoAula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgico
4523ppp
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
Danilo Modesto
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
joselene beatriz
 
Preparação da sala cirúrgica
Preparação da sala cirúrgicaPreparação da sala cirúrgica
Preparação da sala cirúrgica
Paulo Filho Caldas
 
Diérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e sínteseDiérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e síntese
Danilo Modesto
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
resenfe2013
 
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
Sérgio Pitaki
 

Destaque (20)

instrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgicainstrumentação e paramentação cirúrgica
instrumentação e paramentação cirúrgica
 
Instrumental cirurgico
Instrumental cirurgicoInstrumental cirurgico
Instrumental cirurgico
 
Mesa e Material Cirurgico
Mesa e Material CirurgicoMesa e Material Cirurgico
Mesa e Material Cirurgico
 
Paramentação em Cirurgia BMF
Paramentação em Cirurgia BMFParamentação em Cirurgia BMF
Paramentação em Cirurgia BMF
 
Paramentação cirúrgica em Cirurgia BMF 2013
Paramentação cirúrgica em Cirurgia BMF 2013Paramentação cirúrgica em Cirurgia BMF 2013
Paramentação cirúrgica em Cirurgia BMF 2013
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
 
Aula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgicoAula centro-cirurgico
Aula centro-cirurgico
 
Assepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsiaAssepsia e antissepsia
Assepsia e antissepsia
 
Aula SOBECC 2011 Cristiane Pavanello
Aula  SOBECC 2011 Cristiane PavanelloAula  SOBECC 2011 Cristiane Pavanello
Aula SOBECC 2011 Cristiane Pavanello
 
Exercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgicaExercícios de terminologia cirúrgica
Exercícios de terminologia cirúrgica
 
Equipe cirúrgica
Equipe cirúrgicaEquipe cirúrgica
Equipe cirúrgica
 
Preparação da sala cirúrgica
Preparação da sala cirúrgicaPreparação da sala cirúrgica
Preparação da sala cirúrgica
 
Intrumentos cirúrgicos - Vanilson Samori
Intrumentos cirúrgicos - Vanilson SamoriIntrumentos cirúrgicos - Vanilson Samori
Intrumentos cirúrgicos - Vanilson Samori
 
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de InstrumentaçãoMateriais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
Materiais Cirurgicos e Tecnicas de Instrumentação
 
Diérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e sínteseDiérese, hemostasia e síntese
Diérese, hemostasia e síntese
 
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
Estratégia Multimodal da OMS para Higienização das mãos e Degermação cirúrgica
 
Saude Animal
Saude AnimalSaude Animal
Saude Animal
 
Tempos cirurgicos
Tempos cirurgicosTempos cirurgicos
Tempos cirurgicos
 
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
Ernesto Lentz de Carvalho Monteiro 2007
 
Instrumentação cirúrgica thaty
Instrumentação cirúrgica thatyInstrumentação cirúrgica thaty
Instrumentação cirúrgica thaty
 

Semelhante a Instrumentação cirúrgica

ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdfROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
ssuser80ae40
 
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdfPARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
StephanieVieira24
 

Semelhante a Instrumentação cirúrgica (20)

Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
Montagem, circulação e desmontagem de uma sala de operação (SO) - No Caminho ...
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptxInstrumentação cirúrgica aula completa.pptx
Instrumentação cirúrgica aula completa.pptx
 
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdfAula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
Aula 6 - Rotina Enfermagem no Centro Cirúrgico.pdf
 
ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdfROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
ROTINAS E SALAS DE OPERAÇÃO PDF.pdf
 
AULA 05 - EQUIPE CIRURGICA (principal).pptx
AULA 05 - EQUIPE CIRURGICA (principal).pptxAULA 05 - EQUIPE CIRURGICA (principal).pptx
AULA 05 - EQUIPE CIRURGICA (principal).pptx
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo -  PARTE 2.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 2.pdf
 
AULA 4A (1).pptx
AULA 4A (1).pptxAULA 4A (1).pptx
AULA 4A (1).pptx
 
Katia02
Katia02Katia02
Katia02
 
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdfCLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
CLASSIFICAÇÃO CIRURGICA.pdf
 
Katia
KatiaKatia
Katia
 
Protocolo de Preparação de Sala de Cirurgia para Cirurgia de Implantes Dentár...
Protocolo de Preparação de Sala de Cirurgia para Cirurgia de Implantes Dentár...Protocolo de Preparação de Sala de Cirurgia para Cirurgia de Implantes Dentár...
Protocolo de Preparação de Sala de Cirurgia para Cirurgia de Implantes Dentár...
 
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptxAULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
 
Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)Centro cirrgico-2012 (1)
Centro cirrgico-2012 (1)
 
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdfPARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
PARAMENTAÇÃO - TECNICAS DE PR22EPARO.pdf
 
ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO equipes.pptx
ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO equipes.pptxENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO equipes.pptx
ENFERMAGEM EM CENTRO CIRÚRGICO equipes.pptx
 
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmf
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmfDiretrizes da disciplina de cirurgia bmf
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmf
 
aula de centro cirúrgico - aux. de enf. pdf
aula de centro cirúrgico - aux. de enf. pdfaula de centro cirúrgico - aux. de enf. pdf
aula de centro cirúrgico - aux. de enf. pdf
 
Hist rico uti
Hist rico utiHist rico uti
Hist rico uti
 
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmf
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmfDiretrizes da disciplina de cirurgia bmf
Diretrizes da disciplina de cirurgia bmf
 

Instrumentação cirúrgica

  • 2. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA É uma atividade de enfermagem, não sendo entretanto, ato privativo da mesma” e que o profissional de enfermagem, atuando como instrumentador cirúrgico, por força de lei, “subordina-se exclusivamente, ao responsável técnico pela unidade”. (Resolução nº 214/1998 do COFEN)
  • 3. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA ATRIBUIÇÕES DO INSTRUMENTADOR CIRÚRGICO • Conferir os materiais e equipamentos necessários ao ato cirúrgico; • Paramentar-se com técnica asséptica; • Conhecer os instrumentos cirúrgicos por seus nomes, e dispô-los sobre a mesa, de acordo com a sua utilização em cada tempo cirúrgico;
  • 4. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Preparar agulhas e fios adequadamente; • Auxiliar o cirurgião e assistentes durante a paramentação cirúrgica; • Prever e solicitar material complementar ao circulante de S.O
  • 5. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Ser o responsável pela assepsia, limpeza e acomodação dos instrumentos durante toda cirurgia; • Entregar os instrumentais ao cirurgião e assistentes com habilidade e presteza; • Desprezar adequadamente o material contaminado e os perfurocortantes;
  • 6. ANTISSEPSIA PRE-OPERATÓRIA DA EQUIPE CIRÚRGICA • Manter unhas curtas; • Executar a degermação cirúrgica das mãos e antebraços ate o cotovelo, por 2 a 5 minutos, usando antisséptico apropriado; • Realizar limpeza embaixo das unhas; • Não utilizar jóias como pulseiras anéis e relógios • Manter as mãos longe do corpo, cotovelos flexionados de modo quea água escorra das pontas dos dedos em direção ao cotovelo • Secar as mãos com toalha estéril
  • 7. PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA • É o ato de preparação para o início das cirurgias. É a etapa que a equipe cirúrgica se veste com roupas esterilizadas. • Consta de aventais, • Luvas Cirúrgicas, • Gorro, • Máscara • Pró-pés / Tamanco Cirúrgico
  • 8. PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Usar máscara cirúrgica que cubra toda boca e nariz ao entrar na SO ou quando material já esteja exposto e durante toda cirurgia; • Cobrir todo cabelo e barba ao entrar na SO; • As luvas estéreis devem ser colocadas após a degermação e a colocação do avental cirúrgico; • Usar aventais e campos que ofereçam barreira efetiva, mesmo molhados; • Trocar a paramentação quando visivelmente molhada com sangue e fluidos corpóreos infectante
  • 11. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • LIMPEZA PREPARATÓRIA DA SO • Deve ser realizada pouco tempo antes do inicio da montagem da sala para a primeira cirurgia do dia; • Remover partículas de poeira da mobília e dos equipamentos e de superfícies com álcool a 70 %; Usar EPI; • Se necessária a limpeza do chão chamar o serviço de higiene
  • 12. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • CHECK LIST DE SALA DE CIRURGIA • Equipamentos fixos e mobiliário: • carro de anestesia, bisturi eletrônico, foco cirúrgico fixo e auxiliar, • monitores multiparamétricos, • mesa cirúrgica , • mesa de mayo, • mesa auxiliar e semi-circular,
  • 13. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • banqueta giratória, • carro hamper, • escada dois degraus, • balde a chute, • suporte de soro, • aspirador cirúrgico, • cardioversor, • coluna retrátil, • arco cirúrgico, etc
  • 14. ANTISSEPSIA PRÉ-OPERATÓRIA DA EQUIPE CIRÚRGICA • Flora bacteriana da pele (organismos permanentes e transitórios) • Remover as bactérias, gorduras e outros elementos da pele, alem de ação residual que previna a regeneração bacteriana durante o ato operatório. • Solução antisséptica adequada (PVPI e Clorhexidine) • Tempo de 2 a 5 minutos • Sacar as mãos com toalha estéri
  • 15. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Reúne os procedimentos realizados pela equipe de enfermagem, com a finalidade de reunir condições funcionais e técnicas necessárias para o bom andamento da cirurgia; • Prever e prover materiais, instrumentais e equipamentos indispensáveis para o ato cirúrgico; • É baseada no planejamento estratégico e organizado pelo enfermeiro que faz e supervisiona os protocolos
  • 16. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Verificar a cirurgia programada para a SO sob sua responsabilidade; • Checar nome, idade, do paciente, horário da cirurgia, tipo de anestesia, etc. • Certificar dos materiais e dos equipamentos necessários e específicos; • Checar as condições de limpeza da sala; • Testar o funcionamento dos equipamentos e do mobiliário
  • 17. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Iniciar a abertura dos pacotes na sequência com técnica asséptica; • Colocar antissépticos, soros, nas cubas; • Ligar bisturi eletrônico e conectá-lo ao fio da placa; aproximar do cirurgião o pedal do equipamento; • Conectar a extremidade da extensão estéril do aspirador; • Ajustar e colocar focos e luz;