Instrumentação cirúrgica

1.768 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
60
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Instrumentação cirúrgica

  1. 1. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA
  2. 2. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA É uma atividade de enfermagem, não sendo entretanto, ato privativo da mesma” e que o profissional de enfermagem, atuando como instrumentador cirúrgico, por força de lei, “subordina-se exclusivamente, ao responsável técnico pela unidade”. (Resolução nº 214/1998 do COFEN)
  3. 3. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA ATRIBUIÇÕES DO INSTRUMENTADOR CIRÚRGICO • Conferir os materiais e equipamentos necessários ao ato cirúrgico; • Paramentar-se com técnica asséptica; • Conhecer os instrumentos cirúrgicos por seus nomes, e dispô-los sobre a mesa, de acordo com a sua utilização em cada tempo cirúrgico;
  4. 4. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Preparar agulhas e fios adequadamente; • Auxiliar o cirurgião e assistentes durante a paramentação cirúrgica; • Prever e solicitar material complementar ao circulante de S.O
  5. 5. INSTRUMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Ser o responsável pela assepsia, limpeza e acomodação dos instrumentos durante toda cirurgia; • Entregar os instrumentais ao cirurgião e assistentes com habilidade e presteza; • Desprezar adequadamente o material contaminado e os perfurocortantes;
  6. 6. ANTISSEPSIA PRE-OPERATÓRIA DA EQUIPE CIRÚRGICA • Manter unhas curtas; • Executar a degermação cirúrgica das mãos e antebraços ate o cotovelo, por 2 a 5 minutos, usando antisséptico apropriado; • Realizar limpeza embaixo das unhas; • Não utilizar jóias como pulseiras anéis e relógios • Manter as mãos longe do corpo, cotovelos flexionados de modo quea água escorra das pontas dos dedos em direção ao cotovelo • Secar as mãos com toalha estéril
  7. 7. PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA • É o ato de preparação para o início das cirurgias. É a etapa que a equipe cirúrgica se veste com roupas esterilizadas. • Consta de aventais, • Luvas Cirúrgicas, • Gorro, • Máscara • Pró-pés / Tamanco Cirúrgico
  8. 8. PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA • Usar máscara cirúrgica que cubra toda boca e nariz ao entrar na SO ou quando material já esteja exposto e durante toda cirurgia; • Cobrir todo cabelo e barba ao entrar na SO; • As luvas estéreis devem ser colocadas após a degermação e a colocação do avental cirúrgico; • Usar aventais e campos que ofereçam barreira efetiva, mesmo molhados; • Trocar a paramentação quando visivelmente molhada com sangue e fluidos corpóreos infectante
  9. 9. PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA
  10. 10. Lavagem da Mãos
  11. 11. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • LIMPEZA PREPARATÓRIA DA SO • Deve ser realizada pouco tempo antes do inicio da montagem da sala para a primeira cirurgia do dia; • Remover partículas de poeira da mobília e dos equipamentos e de superfícies com álcool a 70 %; Usar EPI; • Se necessária a limpeza do chão chamar o serviço de higiene
  12. 12. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • CHECK LIST DE SALA DE CIRURGIA • Equipamentos fixos e mobiliário: • carro de anestesia, bisturi eletrônico, foco cirúrgico fixo e auxiliar, • monitores multiparamétricos, • mesa cirúrgica , • mesa de mayo, • mesa auxiliar e semi-circular,
  13. 13. MONITORAMENTO PRÉVIO DA SALA DE OPERAÇÕES - SO • banqueta giratória, • carro hamper, • escada dois degraus, • balde a chute, • suporte de soro, • aspirador cirúrgico, • cardioversor, • coluna retrátil, • arco cirúrgico, etc
  14. 14. ANTISSEPSIA PRÉ-OPERATÓRIA DA EQUIPE CIRÚRGICA • Flora bacteriana da pele (organismos permanentes e transitórios) • Remover as bactérias, gorduras e outros elementos da pele, alem de ação residual que previna a regeneração bacteriana durante o ato operatório. • Solução antisséptica adequada (PVPI e Clorhexidine) • Tempo de 2 a 5 minutos • Sacar as mãos com toalha estéri
  15. 15. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Reúne os procedimentos realizados pela equipe de enfermagem, com a finalidade de reunir condições funcionais e técnicas necessárias para o bom andamento da cirurgia; • Prever e prover materiais, instrumentais e equipamentos indispensáveis para o ato cirúrgico; • É baseada no planejamento estratégico e organizado pelo enfermeiro que faz e supervisiona os protocolos
  16. 16. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Verificar a cirurgia programada para a SO sob sua responsabilidade; • Checar nome, idade, do paciente, horário da cirurgia, tipo de anestesia, etc. • Certificar dos materiais e dos equipamentos necessários e específicos; • Checar as condições de limpeza da sala; • Testar o funcionamento dos equipamentos e do mobiliário
  17. 17. MONTAGEM DA SALA DE OPERAÇÕES • Iniciar a abertura dos pacotes na sequência com técnica asséptica; • Colocar antissépticos, soros, nas cubas; • Ligar bisturi eletrônico e conectá-lo ao fio da placa; aproximar do cirurgião o pedal do equipamento; • Conectar a extremidade da extensão estéril do aspirador; • Ajustar e colocar focos e luz;

×