O Livro dos Espíritos<br />Lei de Conservação<br />Necessário e Supérfluo<br />
O livro dos espíritos, questão 704<br />“Deus proveu a Natureza de todos os recursos para garantir a sobrevivência dos ser...
“A Terra produzirá o suficiente para alimentar a todos os seus habitantes, quando os homens souberem administrar, segundo ...
Diferença entre: o essencial, o necessário e o supérfluo. Água é essencial. Água gelada pode ser bem necessária, mas se nã...
Conceito de Supérfluo:<br />Que é demais, demasiado; excedente: ornamentação supérflua. Desnecessário, ocioso, inútil: lam...
O que possuímos <br />em excesso?<br />Aliás, os excessos costumam ser mais prejudiciais que as faltas, mas demoram mais p...
Obsessivos compulsivos<br />Acumuladores<br />
Necessidades ilusórias<br />
Parte Terceira - Das leis morais<br />Capítulo v  - Da lei de conservação<br />Necessário e supérfluo<br />“715. Como pode...
“Pergunta716:  A natureza não traçou o limite de nossas necessidades em nossa estrutura orgânica?”<br />“Sim, mas o homem ...
Conceito de Necessário:<br />Aquilo que não se pode dispensar: a respiração é necessária à vida.<br />Que acontece infaliv...
“O limite entre o necessário e o supérfluo não tem nada de absoluto, de indiscutível. A civilização criou necessidades que...
“O consumismo atual responde por muitos problemas.<br />As indústrias do supérfluo apresentam no mercado da vacuidade um s...
Supérfluo e o necessário<br />Uns queriam um emprego melhor; <br />outros, só um emprego.<br />Uns queriam uma refeição ma...
Somente o necessário<br />O extraordinário é demais<br />Eu digo o necessário<br />Somente o necessário<br />Por isso é qu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Superfluo e necessário

8.597 visualizações

Publicada em

1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.597
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
326
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Superfluo e necessário

  1. 1. O Livro dos Espíritos<br />Lei de Conservação<br />Necessário e Supérfluo<br />
  2. 2. O livro dos espíritos, questão 704<br />“Deus proveu a Natureza de todos os recursos para garantir a sobrevivência dos seres vivos no Planeta. Não fora possível que Deus criasse para o homem a necessidade de viver, sem lhe dar os meios de consegui-lo. Essa a razão por que faz que a Terra produza de modo a proporcionar o necessário aos que a habitam, visto que só o necessário é útil. O supérfluo nunca o é”.<br />
  3. 3. “A Terra produzirá o suficiente para alimentar a todos os seus habitantes, quando os homens souberem administrar, segundo as leis de justiça, de caridade e de amor ao próximo, os bens que ela dá.” <br /> O evangelho segundo o espiritismo. Cap. 25, item 8.<br />“Não vos preocupeis com a vossa vida, quanto ao que haveis de comer, nem com o vosso corpo quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento e o corpo mais do que a roupa? [...] <br />Buscai, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça e todas essas coisas vos serão acrescentadas. “<br /> Mateus, 6:25-26 e 33.<br />
  4. 4. Diferença entre: o essencial, o necessário e o supérfluo. Água é essencial. Água gelada pode ser bem necessária, mas se não tiver, dá para se virar com água natural. <br />E água Pellegrino é absolutamente supérfluo.<br />
  5. 5. Conceito de Supérfluo:<br />Que é demais, demasiado; excedente: ornamentação supérflua. Desnecessário, ocioso, inútil: lamentos supérfluos. Aquilo que excede o necessário; coisas desnecessária. É algo que está sobrando, sobejo, inútil, desnecessário… mas, a palavra supérfluo pode nos dar inúmeros significados se rompermos a linha que nivela o pensamento de todos...<br />
  6. 6.
  7. 7. O que possuímos <br />em excesso?<br />Aliás, os excessos costumam ser mais prejudiciais que as faltas, mas demoram mais para serem percebidos, o que só ocorre quando despertamos nossa consciência.<br />Comemos em excesso, trabalhamos em excesso, guardamos coisas em excesso, nos importamos em excesso com a opinião dos outros… Há um excesso de preocupações e acúmulo de “gorduras” em diversas áreas de nossas vidas.<br />Todo excesso é energia acumulada em local inapropriado, estagnando o fluxo da vida. Excesso de excessos corresponde à falta de si mesmo. E se o que te falta é você!<br />
  8. 8. Obsessivos compulsivos<br />Acumuladores<br />
  9. 9. Necessidades ilusórias<br />
  10. 10. Parte Terceira - Das leis morais<br />Capítulo v - Da lei de conservação<br />Necessário e supérfluo<br />“715. Como pode o homem conhecer o limite do necessário?” <br />“Aquele que é ponderado o conhece por intuição. Muitos só chegam a conhecê-lo por experiência e à sua própria custa.”<br />
  11. 11. “Pergunta716: A natureza não traçou o limite de nossas necessidades em nossa estrutura orgânica?”<br />“Sim, mas o homem é insaciável. A natureza traçou o limite às suas necessidades no seu próprio organismo, mas os vícios lhe alteraram a constituição e criaram necessidades que não são reais.”<br />“Pergunta 717: O que pensar dos que monopolizam os bens da terra para obter o supérfluo em prejuízo dos que precisam do necessário?”<br />“Eles desconhecem a lei de Deus e terão que responder pelas privações que impuseram aos outros.”<br />
  12. 12. Conceito de Necessário:<br />Aquilo que não se pode dispensar: a respiração é necessária à vida.<br />Que acontece infalivelmente: o calor é o efeito necessário do fogo.<br />O que é indispensável, essencial. Primordial. O que não se pode evitar . Forçoso; Inevitável. O que deve ser feito ou realizado. Obrigatório.<br />
  13. 13. “O limite entre o necessário e o supérfluo não tem nada de absoluto, de indiscutível. A civilização criou necessidades que o selvagem desconhece, e os Espíritos que ditaram esses ensinamentos não pretendem que o homem civilizado viva como o selvagem. Tudo é relativo e cabe à razão distinguir cada coisa. A civilização desenvolve o senso ético e ao mesmo tempo o sentimento de caridade, que leva os homens ao apoio mútuo. Os que vivem à custa das necessidades dos outros exploram os benefícios da civilização em seu proveito; têm da civilização apenas o verniz, como há pessoas que têm da religião apenas a máscara.” Allan Kardec<br />
  14. 14. “O consumismo atual responde por muitos problemas.<br />As indústrias do supérfluo apresentam no mercado da vacuidade um sem-número de produtos desnecessários, que aturdem os indivíduos. Estimulados pela propaganda bem elaborada, desejam comprar, mesmo sem poder, o que veem, o que lhes é apresentado, numa volúpia crescente.<br />Objetos e máquinas que são o último modelo, em pouco tempo passam para o penúltimo lugar, até ficarem esquecidos em armários ou depósitos de coisas sem valor.<br />No entanto, se não fossem adquiridos, naquela ocasião, a vida perderia o sentido para quem os não comprasse. Consumismo é fantasia, transferência do necessário para o secundário. O consumidor que não reflete antes de adquirir, termina consumido pelas dívidas que o atormentam. Muita gente faz compras, por mecanismos de evasão. Insatisfeitas consigo mesmas, fogem adquirindo coisas mortas, e mais se perturbando. Enquanto grande número de indivíduos se afogam no oceano do supérfluo, multidões inteiras não possuem o indispensável para uma vida digna. Abarrotados, uns, com coisas nenhumas, e outros vitimados por terrível escassez. São os paradoxos do século e do comportamento materialista utilitarista da atualidade.<br />Confere a necessidade legítima, antes de te permitires o consumismo.<br />Coisas de fora não equacionam estados íntimos. Distraem a tensão por um momento, sem que operem real modificação interior.<br />Quando o excesso te visite, reparte-o com a escassez ao teu lado. Controla e dirige a tua vontade, a fim de não seres uma vítima a mais do tormento consumista.”<br />Espírito Joanna de Ângelis, psicografado por Divaldo Pereira Franco do livro: Episódios Diários<br />
  15. 15. Supérfluo e o necessário<br />Uns queriam um emprego melhor; <br />outros, só um emprego.<br />Uns queriam uma refeição mais farta; <br />outros, só uma refeição.<br />Uns queriam uma vida mais amena; <br />outros, apenas viver.<br />Uns queriam pais mais esclarecidos; <br />outros, ter pais.<br />Uns queriam ter olhos claros; outros, enxergar.<br />Uns queriam ter voz bonita; outros, falar.<br />Uns queriam silêncio; outros, ouvir.<br />Uns queriam sapato novo; outros, ter pés.<br />Uns queriam um carro; outros, andar.<br />Uns queriam o supérfluo; <br />outros, apenas o necessário. <br />Há dois tipos de sabedoria: a inferior e a superior.<br />A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.<br />Tenha a sabedoria superior.<br />Seja um eterno aprendiz na escola da vida.<br />A sabedoria superior tolera, a inferior julga;<br />a superior alivia, a inferior culpa;<br />a superior perdoa, a inferior condena.<br />Tem coisas que o coração <br />só fala para quem sabe escutar!<br />Que possamos estar sempre atentos aos sinais e saber o que realmente se faz necessário.<br /> Chico Xavier<br />
  16. 16. Somente o necessário<br />O extraordinário é demais<br />Eu digo o necessário<br />Somente o necessário<br />Por isso é que essa vida eu vivo em paz<br />Vejam o pica-pau, pau<br />Que só pensa em picar<br />Ele vai se dar mau, mau<br />Pra se alimentar<br />Não pique a pera no pé<br />Pois pera picada no pé<br />Nunca presta, pois é<br />Não vai dar pé<br />Você vai dar mal<br />Não pique essa pera como um pica-pau<br />Você entendeu esse angu?<br />E o necessário pra viver você terá<br />Você terá!<br />Eu uso o necessário<br />Somente o necessário<br />O extraordinário é demais<br />Eu digo necessário<br />Somente o necessário<br />Por isso é que essa vida eu vivo em paz(2x)<br />Assim é que eu vivo<br />E melhor não há<br />Eu só quero ter<br />O que a vida me dá<br />Milhões de abelhas vão fazer<br />Fazer o mel pra eu comer<br />E se por acaso eu olhar pro chão<br />Tem formigas em profusão<br />Então, prove uma<br />Eu uso o necessário<br />Somente o necessário<br />

×