Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas

320 visualizações

Publicada em

Vamos falar sobre o tema “Prudência”, retirado do Capítulo 21: Falsos Cristos e falsos profetas; do livro ESE de Allan Kardec.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
320
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas

  1. 1. Prudência Bom dia, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita, para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo! Hoje vamos falar sobre o tema “Prudência”, retirado do Capítulo 21: Falsos Cristos e falsos profetas; do livro ESE de Allan Kardec. São Paulo, 27 de Outubro de 2015 – SEAC/CEEAK Palestrante: Tiburcio Santos
  2. 2. Nossa Casa Espírita S.E.A.C. = Sopa, Esperança, Amor e Caridade  Assistência SOCIAL: sopa, cestas Natal, Dia das crianças, etc...  Assistência ESPIRITUAL: passes e palestras Alimento para o corpo e para a alma!
  3. 3. Nossa Casa Espírita C.E.E.A.K. = Centro de Estudos Espíritas Allan Kardec ESTUDOS: diversos cursos de evangelização espírita. Sem fins lucrativos... trabalho 100% voluntário!
  4. 4. Espiritismo: a terceira revelação  O Espiritismo se declara como a terceira revelação:  Primeira: MOISÉS: crença em um único Deus,  Segunda: JESUS: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo; e  Terceira: ESPIRITISMO: o Espírito da Verdade, organizado por Kardec.
  5. 5. O tríplice aspecto  O Espiritismo possui o tríplice aspecto:  o RELIGIOSO: somos todos cristãos - seguidores de Jesus,  o CIENTÍFICO: que é a fé raciocinada; e  o FILOSÓFICO: recomendações e regras de conduta.
  6. 6. Prece de abertura  Vamos então RESPIRAR profundamente, desligando momentaneamente dos sentidos materiais, para uma ligação mais rápida e verdadeira com o plano espiritual, fechando levemente nossos olhos, e elevando nosso pensamento à Jesus.
  7. 7. Prece de abertura  Pedimos à Jesus - nosso irmão maior e modelo - que, juntamente com os mensageiros, espíritos simpatizantes e protetores, nos leve até a PRESENÇA DE DEUS; e juntos oremos:  “Amado Deus, pedimos que nos ajude a compreender as mensagens de hoje e receber os benefícios desta assistência criando as melhores condições no meu corpo, mente e espírito.  Que assim seja, graças a Deus!!
  8. 8. A palestra  A partir da entrada no salão, já estamos sendo assistidos; esta palestra é parte integrante do passe, e foi desenvolvida a partir do Evangelho de Jesus, sob a interpretação espírita.  Convido a todos para RETORNAR AO SALÃO, após o passe.  É com muita alegria que convido vcs para estudarmos o ESE, junto com os amigos espirituais aqui presentes; pois desde a nossa decisão de vir ao SEAC hoje, já estamos sendo acompanhados dos nossos anjos protetores e diversos espíritos (simpatizantes ou não), que atraímos segundo nossos pensamentos e ações.
  9. 9. O Pentateuco Espírita  AK, reunindo revelações do mundo todo, elaborou muitos livros, principalmente os cinco livros básicos que compõem a Doutrina Espírita, chamados de Pentateuco Espírita:  Livro dos Espíritos (1857)  Livro dos Médiuns (1861)  O Evangelho segundo o Espiritismo (ESE) (1864)  O Céu e o Inferno (1865)  A Gênese (1868)  O que é o Espiritismo? Obras póstumas
  10. 10. O ensinamento dos Espíritos  Além de não ser suficientemente difundido o Evangelho senão entre as seitas cristãs, mesmo entre estas, quantas pessoas existem que não o lêem, e entre as que o lêem, quantas NÃO O COMPREENDEM!  O ensinamento dos Espíritos, que reproduz essas máximas sob diferentes formas, que as desenvolve e comenta, pondo-as ao alcance de todos, não é circunscrito. Assim, todos, letrados ou não, crentes ou descrentes, cristãos ou não cristãos, podem recebê-lo, pois os Espíritos se comunicam por toda à parte.
  11. 11. O estudo do ESE  O ESE é uma seleção de PASSAGENS DA BÍBLIA, organizadas de acordo com temas retirados dos 4 evangelhos, e contendo a explicação das máximas morais do Cristo, sua concordância com o Espiritismo e sua aplicação às diversas situações da vida.  Hoje abordaremos os tópicos:  Os falsos profetas Caracteres do verdadeiro profeta  Os falsos profetas da erraticidade Jeremias e os falsos profetas
  12. 12. Profeta: predizer o futuro  A palestra de hoje aborda a questão do uso indevido das faculdades mediúnicas e da exploração da fé e da ingenuidade das pessoas.  Vamos começar analisando o significado da palavra Prophetes, vem do grego e é a pessoa que fala em lugar de outra, ou seja, porta-voz.  Houve profetas, entretanto, que tiveram o pressentimento do futuro, seja por intuição ou por revelação providencial, a fim de transmitirem advertências aos homens.  Como essas predições se realizaram, o dom de PREDIZER O FUTURO foi considerado como um dos atributos da qualidade de profeta.
  13. 13. Profeta: missão de instruir os homens  No Cap XXI do ESE, temos a seguinte mensagem:  Atribui-se geralmente aos profetas o dom de revelar o futuro, de modo que as palavras profecia e predição se tornaram sinônimas.  No sentido evangélico, a palavra profeta tem uma significação mais ampla, aplicando-se a todo enviado de Deus, com a missão de instruir os homens e de lhes revelar as coisas ocultas, os MISTÉRIOS DA VIDA ESPIRITUAL.
  14. 14. Os falsos profetas: a ingenuidade das pessoas  Quem são então os falsos profetas?  “Desde todos os tempos, certos homens exploram, em proveito de sua ambição, de seus interesses e de seu desejo de dominação, certos conhecimentos que possuíam, para conseguirem o prestígio de um poder supostamente sobre-humano ou de uma pretensa missão divina.”  Na 1ª. Epístola de João 4:1, temos: “Não creais EM QUALQUER ESPÍRITO; experimentai se os espíritos são de Deus, porquanto muitos falsos profetas se têm levantado no mundo”.
  15. 15. Os falsos dons espirituais  Quem são os falsos profetas?  São todos aqueles que CONSCIENTES DO QUE FAZEM e conhecedores da verdade negam o erro por orgulho, interesse, e até por maldade.  São egoístas, astuciosos, intolerantes e fanáticos.  Servem-se de todos os meios para prevalecer suas ideias, confundindo as almas simples e confiantes.  Esses “falsos profetas” valem-se do nome de Deus e de Jesus para alcançar os seus objetivos. Exploram os conhecimentos que possuem em proveito de sua ambição e de seu lucro.
  16. 16. Os falsos dons espirituais  Fui num desses falsos profetas:  Bati na porta fechada: Toc, toc!  Perguntou: Quem é?  Fui embora! Kkkkk  No ESE, Cap. XXVI; Item 4, Allan Kardec, nos diz:  "Deus não vende os benefícios que concede... não subordina à uma soma de dinheiro um ato de clemência, de bondade, de justiça de sua misericórdia.  Se achamos imoral pagarmos para termos a proteção de um poderoso da Terra, seria correto pagarmos pela ajuda do Criador do Universo?"
  17. 17. Consultórios espirituais  Vejamos esta histórinha de Richard Simonetti, presente na obra “Uma razão para viver”:  Um homem foi até um desses “consultórios espirituais”, aproximou-se do médium que havia incorporado um espírito e disse assim:  Olha, eu cansei de ser pobre. O senhor tem que me ajudar, preciso dar um jeito na minha vida.  O que o senhor quer que eu faça?  Ah! Eu quero ganhar na loteria.  Ah! Mas é muito difícil.  Mas eu sei que você pode conseguir. Por favor, eu preciso.  O espírito silenciou e depois recomendou:  Está bem, amanhã jogue o número 23.492.  Então, o protegido, muito animado, vendeu o seu televisor que estava velho, o jogo de sofá, emprestou dinheiro de seus amigos, apropriou-se do salário da filha, e fez o jogo recomendado. Certo que era o mais novo milionário.  À tarde, na hora do sorteio ligou o rádio e ouviu:  Vinte e três mil... Meu Deus, exclamou. Vai dar! Vai dar! Quatrocentos e noventa e...Estou rico, já ganhei!!! Quatrocentos e noventa e três.  Três!!! Está errado. É dois.
  18. 18. Consultórios espirituais (cont.)  E o locutor repetiu que o bilhete premiado era o 23.493.  Ele não se conformava. Houve um engano, dizia ele. Telefonou para a emissora e não havia o erro. Perdera por um único algarismo, enterrando-se em dívidas e muito mais preocupações.  Então, correu até o guia.  Uma desgraça! Joguei o que eu não possuía e perdi. Mas o que houve? O senhor recomendou 23.492 e deu 23.493.  Então o espírito, cheio de animação, respondeu:  Ah! Meu filho. Fico feliz, quase acertamos. Talvez dê certo na próxima...  Fora apenas um palpite.  Desconfiai dos falsos profetas!  Esta recomendação é útil em todos os tempos, mas sobretudo nos momentos de transição, em que, como neste, se elabora uma transformação da humanidade.  Porque nesses momentos uma multidão de ambiciosos e farsantes se arvoram em reformadores e messias.
  19. 19. 19
  20. 20. 20
  21. 21. 21
  22. 22. Emancipação da Humanidade  Esses profetas (falsos) que se apresentam como o Cristo revelam todas as suas virtudes? Não.  Espíritos orgulhosos que, fingindo amor e caridade, semeiam a desunião e retardam o trabalho de emancipação da Humanidade, impingindo-lhe os seus sistemas absurdos, através dos médiuns que os servem.  Esses falsos profetas, para melhor fascinar os que desejam enganar, e para dar maior importância às suas teorias, disfarçam-se inescrupulosamente com nomes que os homens só pronunciam com respeito.  É pela obra que se conhece o obreiro. Todo aquele que prega e aconselha a boa moral, mas não a pratica, também é um falso profeta.
  23. 23. Profetas verdadeiros: meios de diferenciar  Para fazer avançar a humanidade, moral e intelectualmente, são necessários homens superiores em inteligência e moralidade!  Pelo trabalho: fruto da árvore.  Pelo caráter da pessoa.  Os verdadeiros profetas não viviam à custa dos segredos que Deus lhes comunicava.  Tinham o seu trabalho, a sua missão na Terra e a sua missão espiritual.  Pode-se dizer que eram orientadores do povo, mas não viviam das consultas futuristas.  Pela finalidade do que é revelado.  Os profetas de Deus não sabiam tudo, sabiam apenas aquilo que Ele lhes desvendava e com uma intenção bem definida: prepará-los para que fossem mais dignos Dele, sabendo o que era preciso fazer para vencer os obstáculos que se colocavam entre o povo e o Pai.  Pela importância da revelação.  Os profetas não andavam sempre a incomodar o Pai para saberem das coisas comezinhas do dia a dia.  Preocupavam-se com o futuro do povo e o aperfeiçoamento da sua relação com Deus.
  24. 24. Conhecimentos das Leis Naturais  A DIFUSÃO DOS CONHECIMENTOS vem desacreditá-los, de maneira que o número de profetas diminui, à medida que os homens se esclarecem.  No Cap XXI do ESE, temos a seguinte mensagem:  Aos olhos do povo, todo fenômeno cuja causa é desconhecida passa por sobrenatural, maravilhoso e miraculoso.  Conhecida a causa, reconhece-se que o fenômeno, por mais extraordinário que pareça, não é mais do que a aplicação de uma determinada lei da natureza.
  25. 25. O entendimento das Leis Naturais  ENTENDER AS LEIS NATURAIS nos ajudará a controlar nossos pensamentos e emoções.  Vocês podem me ajudar a listar algumas dessas Leis?  Lei de causa e efeito: toda ação tem uma reação ou consequência, e “colhemos o que semeamos”, pois nada acontece por acaso ou fora das leis universais.  Lei do Trabalho e do Progresso: de simples e ignorantes a arcanjos!  Lei da Justiça, do Amor e da Caridade: o caminho, a verdade e a vida.
  26. 26. Tudo no universo é energia  Cada um de nós pode mudar, ou dirigir, as energias em nossas vidas através da compreensão das LEIS NATURAIS e aplicar os princípios de tal forma a efetuar uma mudança para melhor.  As Leis Naturais estão interligadas e são fundadas no entendimento de que tudo no universo é energia, inclusive nós.  Nossos pensamentos, sentimentos, palavras e ações são todas formas de energia que, por sua vez, atraem energias semelhantes.
  27. 27. Conhecer a si próprio  Tudo o que fazemos, dizemos, pensamos e acreditamos afeta os outros e o universo que nos rodeia.  No Livro dos Espíritos de AK, temos a pergunta 621 que diz:  Onde está escrita a Lei de Deus? R. Na consciência do ser.  Galileu Galilei: “CONHECER A SI PRÓPRIO é o maior saber.”  “A ciência humana de maneira nenhuma nega a existência de Deus. Quando considero quantas e quão maravilhosas coisas o homem compreende, pesquisa e consegue realizar, então reconheço claramente que o espírito humano é obra de Deus, e a mais notável.”
  28. 28. A edificação do ser integral  No livro Missionários da Luz, André Luiz, pelo médium FCX, conclui:  “Infere-se, pois, que Deus chama todos os filhos à cooperação em sua obra augusta, mas somente os devotados, persistentes, operosos e fiéis constroem QUALIDADES ETERNAS que os tornam dignos de grandes tarefas.  E reconhecendo-se que as qualidades são frutos de construções nossas, nunca podemos esquecer que a escolha divina começará pelo esforço de cada um.”  A proposta espírita para o progresso do homem na Terra é:  O conhecimento do mundo mental, espiritual e psicológico, ou seja, o conhecimento de si mesmo e das Leis Universais!  A edificação do ser integral: a evolução consciente do homem e sua integração com o mundo espiritual.
  29. 29. Reforma íntima, pessoal e intransferível  Nenhum dos que conhecem o Espiritismo, diretamente ou por intermédio de outros, pode pretextar ignorância das Leis Naturais, ou pode desculpar-se com a sua falta de instrução ou com a obscuridade do sentido alegórico (parábolas).  Aquele, pois, que NÃO O PÕE EM PRÁTICA para se melhorar, que o admira apenas como interessante e curioso, sem que seu coração seja tocado, que não se faz menos fútil, menos orgulhoso, menos egoísta, nem menos apegado aos bens materiais, nem melhor para o seu próximo, é tanto mais culpado, quanto teve maior facilidade para conhecer a verdade.
  30. 30. Qualidades eternas  No livro RENOVANDO ATITUDES, de Hammed, psicografado pelo médium Francisco do Espírito Santo Neto, encontramos a mensagem:  “Não somos responsáveis por aquilo que não sabemos, não sofreremos nenhum castigo por atos ou atitudes que ignoramos.  Vale, porém, considerar que, à medida que nossa consciência se expande e maior lucidez se faz em nossa mente, maiores serão nossos compromissos perante a existência.  Podemos pretextar ignorância, mas se tivermos consciência de nossos feitos isso sempre será levado em conta.”
  31. 31. A batalha dos lobos  Um velho índio conversava com seu neto a respeito da grande batalha íntima que travamos entre o nosso lado bom e o lado mau, entre a sombra e a luz, o velho índio começa assim:  A batalha é entre os dois lobos que vivem dentro de todos nós.  Um é Mau: é a raiva, inveja, ciúme, tristeza, desgosto, cobiça, arrogância, pena de si mesmo, culpa, ressentimento, inferioridade, orgulho e ego.  O outro lobo é Bom: é alegria, fraternidade, paz, esperança, serenidade, humildade, bondade, benevolência, empatia, generosidade, verdade, compaixão e fé.  O neto do velho índio pensou nessa luta e perguntou ao avô: - “Mas avô, qual é o lobo que vence? “  O velho índio respondeu: - "Aquele que você alimenta!“  Concluiremos que o verdadeiro missionário de Deus deve provar que o é pela sua superioridade, pela suas virtudes, pela sua grandeza, pelos resultados e a influência moralizadora de suas obras.  Os verdadeiros profetas se revelam pelos seus atos e são descobertos pelos outros, enquanto os falsos profetas se apresentam por si mesmos como enviados de Deus.
  32. 32. Prudência Bom dia, sejam todos muito benvindos a nossa casa espírita, para continuarmos o nosso estudo dos ensinamentos de Jesus Cristo! Hoje vamos falar sobre o tema “Prudência”, retirado do Capítulo 21: Falsos Cristos e falsos profetas; do livro ESE de Allan Kardec. São Paulo, 27 de Outubro de 2015 – SEAC/CEEAK Palestrante: Tiburcio Santos

×