Roma antiga-resumo-ilustrado

1.480 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Roma antiga-resumo-ilustrado

  1. 1. Roma Antigaresumo ilustrado
  2. 2. RomaA aldeia que virou Império
  3. 3. Geografia e Povoamento A civilização romana se localizou na parte continental pela península Itálica e na parte insular pelas ilhas de Córsega, Sardenha e Sicília banhada pelos mares Mediterrâneo, Tirreno, Adriático e Jônico. O povoamento se deu pelos indo europeus, por volta de 2000 a.C., na mesma época que se deu o povoamento da Grécia. Os principais povos foram: a) Italiotas ou Itálicos b) Cartagineses c) Gregos d) Etruscos
  4. 4. A fundação de Roma Origem Mitológica Segundo essa versão Roma foi fundada entre 754 a.C. e 753 a.C., pelos irmãos Rômulo e Remo. Esses irmãos gêmeos foram fruto do relacionamento entre o Deus Marte e a mortal Réia Silvia. Após o parto eles foram abandonados e amamentados por uma loba, criados por um casal de pastores, quando adultos regressam às proximidades de Roma fundando a tal cidade.
  5. 5. A fundação de Roma Origem Histórica Segundo os historiadores Roma se originou de algumas aldeias de pastores que se uniram[1] para se proteger da invasão de outros povos, a principal atividade econômica era a criação de ovelhas[2]. [1] A união se deu na planície do Lácio (ou do latium) origem do termo latim. [2] A palavra pecuária vem de pecus, nome latino para ovelha.
  6. 6. A Roma Monárquica (753 – 509 a.C.) Estrutura social a a)Patrícios: donos das terras romanas, que originou a aristocracia patrícia, a elite b rural e política. Originalmente os descendentes diretos do pater familias. b)Clientes: dependentes dos patrícios, em troca de proteção eles cuidavam e trabalhavam para os patrícios. c c)Plebeus: possivelmente se originaram dos parentes mais distantes do pater familias e dos povos dominados por Roma, eram camponeses e artesãos, não tinham nenhum direito político, porém, a grande maioria da população.
  7. 7. A Roma Monárquica (753 – 509 a.C.) Estrutura Política Segundo a tradição Roma teve sete reis, sendo o primeiro Rômulo, porém, historicamente temos indicio de apenas três, todos eles etruscos[1], sob o comando destes Roma se tornou importante centro comercial, artesanal e agrícola. No final do séc. VI a.C., os latinos tomam o poder em Roma e instituem a República ( res=coisa ; publica=do povo), logo, coisa do povo. [1] Durante a Monarquia Roma foi invadida pelos etruscos por isso os três reis de origem etrusca.
  8. 8. A República Romana (509 - 27 a.C.) Estrutura Política: Os cargos públicos deviam ser assumidos pelos representantes do povo, porém, quem participava das eleições em Roma era apenas os patrícios, logo, a República romana era aristocrática. O regime republicano era comandado pelo Senado composto por 300 membros, este por sua vez elegiam dois cônsules que chefiavam a administração romana e eram eleitos anualmente, em caso de guerra ou perigo, o Senado elegia um dos cônsules para ser o ditador, este tinha poder total durante no máximo um ano, com isso, o Senado perdia suas funções. Os plebeus, ficavam de fora, todos os cargos eram ocupados por patrícios, porém, a partir do séc. V a.C., os plebeus conseguiram o direito de eleger um patrício para representá- los, chamado Tribuno da Plebe.  
  9. 9. Leis romanas criadas para amenizar a tensãoLei das Doze Tábuas: primeira compilaçãode leis romanas.Leis Licínias: estabeleceu que um doscônsules sempre seria um plebeu, além detornar possível o acesso da plebe às terrasconquistadas nas campanhas militares.Lei Canuléia: permitia o casamento entrepatrícios e plebeus.
  10. 10. Expansão Territorial Expansão Interna: A conquista territorial romana começou napenínsula Itálica, numa aliança entre os patrícios e plebeus, estes faziam parte doexército e em troca recebiam direitos políticos, a expansão territorial tornou-se muitovantajosa para os romanos, além de conseguir posições de defesa, tal expansão virouum grande negócio, já que ao conquistar determinado território, saqueavam o lugar etomavam a posse da terra.  Expansão Externa: Ao dominarem a península Itálica, os romanospassaram a desejar outros territórios, o primeiro deles foi Cartago no norte da África,a guerra dessa conquista chamou-se Guerras Púnicas (264 a.C – 46 a.C.), após trêsguerras, Roma dominou Cartago tornando-se uma gigantesca potência comercial nomar Mediterrâneo. A expansão romana seguiu para a península Ibérica, Grécia, Gália eOriente, depois de séculos de conquista Roma dominou toda a orla do Mediterrâneo,chamando-o de Mare Nostrum, ou seja, nosso Mar.
  11. 11. Cartago X Roma
  12. 12. Guerras PúnicasAs Guerras Púnicas foram três conflitos entre Roma e Cartago, agrande cidade africana fundada pelos Fenícios. O seu nome,temorigem em "Punus", nome latino para os cartagineses. Estasguerras foram provocadas por rivalidades comerciais no Mediterrâneo.A Primeira ( 264 - 241a.C. ) deveu-se a uma questão relacionada como controlo da Sicília. Os Romanos, venceram e transformaram a Sicíliana sua primeira província.A Segunda ( 218 - 201a. C. ) surgiu causada pelo ressentimentoRomano na expansão de Cartago em Espanha e com a destruição deSagunto (aliada de Roma), pelo general cartaginês Aníbal. A guerrateve o seu terminus depois da destruição do exército cartaginês naBatalha de Zama no Norte de África.A Terceira (149 - 146 a. C.) deu-se quando Cartago atacou um aliadode Roma, da Numídia Oriental. Um exército romano cercou Cartagodurante dois anos. Os romanos acabaram por tomar a cidade e destrui-la.
  13. 13. A questão agráriaAs conquistas provocaram profundastransformações em Roma.O enorme afluxo de bens das provínciasconquistadas produziu um impacto naeconomia com a queda dos preços dosprodutos agrícolas.Os pequenos proprietários plebeustransformaram-se em mão-de-obra barataque, sem emprego no campo, migravampara a cidade.
  14. 14. Crise na RepúblicaA cidade passou a crescer desmedidamente.Consolidação da economia escravista.Surgimento de uma poderosa classe decomerciantes (homens-novos)Impossibilidade dos patrícios de conter apressão social.Tentativa de reforma agrário pelos irmãosGraco.
  15. 15. Processo de crise da RepúblicaDitaduras militares Popularidade e prestígio de generais vitoriosos em guerras. Mário e Sila
  16. 16. Processo de crise da República 1º: Julio César, Pompeu e Crasso (59-53 a.C.)Triunviratos 2º: Marco Antônio, Otávio e Lépido (43-33 a.C.)
  17. 17. Processo de crise da RepúblicaOtávio derrota (31 a.C.) seus rivais e recebedo Senado o títuloImperator. Em seguidaConcede a si mesmo o títuloDe Augustus.
  18. 18. Alto Império (27 a.C. - 235) Estabilidade nas instituições e relativa paz entre as províncias desenvolvimento do comércio existência de uma moeda romana generalização do Direito Romano construção de estradas
  19. 19. “ PÃO E CIRCO” Com o crescimento urbano vieram também os problemas sociais para Roma. Para entreter a massa da população e mantê-la organizada e manipulada, os imperadores garantem aos súditos alimento e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma ), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta.
  20. 20. Império Romanonos Tempos de Cristo
  21. 21. Império Romano em 117
  22. 22. Baixo Império (235-476)luta de poder e crises sociais e econômicas, que levaram adesintegração de grande parte do Império;crises políticas: falta de critérios definidos para sucessão dotrono;o colapso do sistema escravista;problemas econômicos: para pagar despesas: aumento deimpostos e emissão de dinheiro = inflação;dificuldades em proteger e manter as fronteiras do Império:invasão dos bárbaros = germânicos;difusão do Cristianismo: valores contrários à escravidão e àdivinização dos imperadores;tais fatos provocaram o enfraquecimento do comércio e daprodução em todo o Império;a população abandonaria as cidades para a se abrigar noscampos, onde encontraria mais proteção contra os povosbárbaros.
  23. 23. TETRÁRQUIAPara entender voltaremos aoséculo III, marcado por umaforte crise econômica,política que acabou porreformular a vida políticadaquele povo.Para tentar organizar umasituação caótica ,que acaboupor enfraquecer o império, oimperador Dioclesiano, em293, instaurou um novomodelo de governochamado Tetrárquia.
  24. 24. IMPERADOR CONSTANTINOConstantino fez importantesreformas no setor militartentando resguardar oimpério, mas sem pretensõesde expandi-lo. A capitaloriental recebeu, emhomenagem ao imperador, onome de Constantinopla.O feito mais importantede Constantino é que ele setornou o primeiro imperadorconvertido ao cristianismo.
  25. 25. Reformas pra salvar o ImpérioTeodósio promoveu uma reforma administrativa quedividia o Império em duas partes: uma no ocidente, comsede em Roma, e outra no oriente, com sede em Bizâncio,que passou a ser chamada de Constantinopla - legalizaçãodo Cristianismo, pelo Edito de Milão;O Império Romano do Ocidente (divisões internas,indisciplina militar, crises econômicas e sociais), nãoresistiu aos ataques dos bárbaros e desintegrou-se,surgindo em seu território reinos germânicos;O Império Romano do Oriente , ou Império Bizantino,ainda enfrentando muitas invasões resistiu até 1453,quando os turcos conquistaram Constantinopla.
  26. 26. Cristianismo De ilegal a oficial O cristianismo nasceu durante o reinado de Augusto, primeiramente foi a população pobre que cultuava essa religião monoteísta, reuniam-se em catacumbas, e eram perseguidos. Com o passar do tempo o cristianismo, ganhou liberdade religiosa (Edito de Milão – 313), e se tornou a religião oficial do Estado (391), transformando-se em um dos aparatos de controle social.
  27. 27. Arquitetura Romana Fórum romanoColiseu
  28. 28. Herança ArquitetônicaA esquerda Arco de Tito em Roma (78 –81 d.C.)A direita Arco do Triunfo em Paris (1811)
  29. 29. Herança ArquitetônicaAqueduto em Istambul, Turquia
  30. 30. Herança ArquitetônicaAqueduto na França
  31. 31. Herança ArquitetônicaAqueduto em Portugal
  32. 32. Herança ArquitetônicaArcos da LapaAntigo aqueduto doRio de Janeiro
  33. 33. Aspectos gerais de RomaVista Panorâmica 1
  34. 34. Aspectos gerais de RomaVista Panorâmica 2
  35. 35. Herança ArquitetônicaMonumento à Abram Lincon, Washington
  36. 36. Herança ArquitetônicaComplexo governamental norte americano,Washington

×