Henry giroux cultura popular e pedagogia do prazer

742 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
742
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Henry giroux cultura popular e pedagogia do prazer

  1. 1. HENRY GIROUXHENRY GIROUX A CULTURA POPULAR COMO U MA CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER EPEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoSIGNIFICADO: descolonizando o corpo In: GIROUX, Henry. Cruzando asIn: GIROUX, Henry. Cruzando as fornteiras do Discurso Educacional.fornteiras do Discurso Educacional. Porto Alegre: Artmed, 1999Porto Alegre: Artmed, 1999
  2. 2. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo Ênfase do capítuloÊnfase do capítulo (p. 214):(p. 214): - PRODUÇÃO DE SIGNIFICADO + INVESTIMENTOS EMOCIONAIS + PRODUÇÃO DO PRAZER- PRODUÇÃO DE SIGNIFICADO + INVESTIMENTOS EMOCIONAIS + PRODUÇÃO DO PRAZER Constituem os alunos: identidade, opinião sobre si mesmos e plano de futuroConstituem os alunos: identidade, opinião sobre si mesmos e plano de futuro -- REVISAR ALGUMAS VISÕES CONSERVADORAS E RADICAIS DA CULTURA POPULAR EREVISAR ALGUMAS VISÕES CONSERVADORAS E RADICAIS DA CULTURA POPULAR E SUAS PRÁTICAS PEDAGÓGICASSUAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - TENTAR DESENVOLVER OS ELEMENTOS BÁSICOS QUE CONSTITUEM UMA TEORIA DA- TENTAR DESENVOLVER OS ELEMENTOS BÁSICOS QUE CONSTITUEM UMA TEORIA DA CULTURA POPULAR QUE POSSA BASEAR UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICACULTURA POPULAR QUE POSSA BASEAR UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA (Ex.: filme Darty Dancing)(Ex.: filme Darty Dancing) - DEBATER ESSAS ANÁLISES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA- DEBATER ESSAS ANÁLISES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA
  3. 3. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo DESENVOLVIMENTO DO TEXTODESENVOLVIMENTO DO TEXTO INTRODUÇÃO: POSTURA DOS EDUCADORES RADICAISINTRODUÇÃO: POSTURA DOS EDUCADORES RADICAIS COMO AS TEORIAS CRÍTICAS TRATAM DA QUESTÃO DA PEDAGOGIACOMO AS TEORIAS CRÍTICAS TRATAM DA QUESTÃO DA PEDAGOGIA ABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULARABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULAR A HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICOA HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO A CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODERA CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODER A CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DAA CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DO PRAZERIDEOLOGIA E DO PRAZER INVESTIMENTO E PRAZER EMINVESTIMENTO E PRAZER EM DIRTY DANCINGDIRTY DANCING IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICAIMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA
  4. 4. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo INTRODUÇÃO (211-214 pp)INTRODUÇÃO (211-214 pp) Debate de educadores radicais (desde déc. 80): experiência do aluno para desenvolverDebate de educadores radicais (desde déc. 80): experiência do aluno para desenvolver teoria educacional e da política culturalteoria educacional e da política cultural COMO AS ESCOLAS AUTORIZAM E PRODUZEM FORMAS PARTICULARES DECOMO AS ESCOLAS AUTORIZAM E PRODUZEM FORMAS PARTICULARES DE SIGNIFICADO E PARA IMPLEMENTAR PRÁTICAS DE ENSINO CONSISTENTESSIGNIFICADO E PARA IMPLEMENTAR PRÁTICAS DE ENSINO CONSISTENTES COM OS PRINCÍPIOS IDEOLÓGICOS DA SOCIEDADECOM OS PRINCÍPIOS IDEOLÓGICOS DA SOCIEDADE DOMINANTE?DOMINANTE? MUDANÇA DE POSTURA DOS EDUCADORESMUDANÇA DE POSTURA DOS EDUCADORES RADICAISRADICAIS ANTES:ANTES: modo como as escolas reproduzem a ordem social; como os alunos contestammodo como as escolas reproduzem a ordem social; como os alunos contestam a lógica dominante pela resistênciaa lógica dominante pela resistência HOJE:HOJE: educação como uma luta por modos de vidas particulareseducação como uma luta por modos de vidas particulares Educação = parte da produção e legitimação das formas e das subjetividadesEducação = parte da produção e legitimação das formas e das subjetividades sociais que são organizadas nas relações de poder e significado que habilitamsociais que são organizadas nas relações de poder e significado que habilitam ou limitam o potencial humano para a capacitação social e doou limitam o potencial humano para a capacitação social e do selfself
  5. 5. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo CRÍTICA DE GIROUX À POSTURA DOS EDUCADORES RADICAISCRÍTICA DE GIROUX À POSTURA DOS EDUCADORES RADICAIS - Ignoram a importância da cultura popular tanto para entender de formaIgnoram a importância da cultura popular tanto para entender de forma mais crítica a experiência do alunomais crítica a experiência do aluno (expansão critica & problema da pedagogia)(expansão critica & problema da pedagogia) - Desconsideram que a experiência do aluno é moldada pela cultura popularDesconsideram que a experiência do aluno é moldada pela cultura popular - Não questionam por que a cultura popular não é objeto sério de estudo noNão questionam por que a cultura popular não é objeto sério de estudo no currículo, nas reformas curriculares dos educadores liberais críticoscurrículo, nas reformas curriculares dos educadores liberais críticos GIROUX TENTA EXPLICAR A LACUNA DA POSTURA DOS ED. RADICAISGIROUX TENTA EXPLICAR A LACUNA DA POSTURA DOS ED. RADICAIS - Objetivam a correção ideológica da posição política do aluno – politicamente- Objetivam a correção ideológica da posição política do aluno – politicamente correto e pedagogicamente erradocorreto e pedagogicamente errado - Poucas tentativas de analisar como podem estar ligadas as relaçõesPoucas tentativas de analisar como podem estar ligadas as relações pedagógicas e as relações de poderpedagógicas e as relações de poder ““ não somente ao que as pessoas sabem, mas também a maneira pela qualnão somente ao que as pessoas sabem, mas também a maneira pela qual chegam a saber de um modo particular dentro das restrições das formaschegam a saber de um modo particular dentro das restrições das formas sociais específicas” (p. 212)sociais específicas” (p. 212)
  6. 6. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo COMO AS TEORIAS CRÍTICAS TRATAM DA QUESTÃO DA PEDAGOGIACOMO AS TEORIAS CRÍTICAS TRATAM DA QUESTÃO DA PEDAGOGIA Método comMétodo com statusstatus definido por suadefinido por sua relação funcional com formasrelação funcional com formas particulares de conhecimentoparticulares de conhecimento Observa-se o conhecimento escolhidoObserva-se o conhecimento escolhido para ser trabalhado em dada classepara ser trabalhado em dada classe Deveria ser considerado a técnica deDeveria ser considerado a técnica de procedimentoprocedimento (aula expositiva, seminário, etc)(aula expositiva, seminário, etc) Processo de desconstrução ideológica deProcesso de desconstrução ideológica de um textoum texto Preocupação com os interesses políticosPreocupação com os interesses políticos que estruturam as formas particularesque estruturam as formas particulares de conhecimento; maneiras de sede conhecimento; maneiras de se conhecer e os métodos de ensinoconhecer e os métodos de ensino AMBAS abordagens ignoram a pedagogia como forma de produção e intercâmbioAMBAS abordagens ignoram a pedagogia como forma de produção e intercâmbio cultural que trata o modo como o conhecimento é produzido, mediado,cultural que trata o modo como o conhecimento é produzido, mediado, recusado e representado nas relações de poder dentro e fora da escolarecusado e representado nas relações de poder dentro e fora da escola
  7. 7. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo OPINIÃO DE GIROUXOPINIÃO DE GIROUX - Educadores não devem ignorar as formas culturais e sociais consentidasEducadores não devem ignorar as formas culturais e sociais consentidas pelos jovens e que servem para capacitá-los ou incapacitá-lospelos jovens e que servem para capacitá-los ou incapacitá-los risco de cumplicidade no silêncio e na negação dos alunosrisco de cumplicidade no silêncio e na negação dos alunos - Educadores ainda recusam em reconhecer a importância de práticas foraEducadores ainda recusam em reconhecer a importância de práticas fora da escolada escola Importante não é motivar os alunos a aprender MAS estabelecer asImportante não é motivar os alunos a aprender MAS estabelecer as condições de aprendizagem – permitir aos alunos se interrogarcondições de aprendizagem – permitir aos alunos se interrogar questão política e pedagógicaquestão política e pedagógica - ed. radicais: o que faltaed. radicais: o que falta CONHECIMENTO DA ESCOLA + VIDA COTIDIANA DOS ALUNOSCONHECIMENTO DA ESCOLA + VIDA COTIDIANA DOS ALUNOS - INCLUIR A CULTURA POPULAR NUMA PEDAGOGIA CRÍTICAINCLUIR A CULTURA POPULAR NUMA PEDAGOGIA CRÍTICA COMO A POLÍTICA DE PRAZER SERVE PARA LIDAR COM ALUNOSCOMO A POLÍTICA DE PRAZER SERVE PARA LIDAR COM ALUNOS RELACIONANDO A EDUCAÇÃO E A VIDA COTIDIANA (QUE PARECEMRELACIONANDO A EDUCAÇÃO E A VIDA COTIDIANA (QUE PARECEM CONTRADITÓRIOS)?CONTRADITÓRIOS)?
  8. 8. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo ABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULARABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULAR (p. 214)(p. 214) PARA ESQUERDA (DUAS POSIÇÕES)PARA ESQUERDA (DUAS POSIÇÕES) PRIMEIRA POSIÇÃOPRIMEIRA POSIÇÃO - Cultura popular carece de expressões criativas, produtivas ou autênticasCultura popular carece de expressões criativas, produtivas ou autênticas - Terreno da ideologia e imposição cultural às massas para ordem socialTerreno da ideologia e imposição cultural às massas para ordem social - Padronização, uniformidade e passividadePadronização, uniformidade e passividade Adorno e Horkheimer:Adorno e Horkheimer: cultura popular = cultura de massa produtora de neurosescultura popular = cultura de massa produtora de neuroses ESCOLA DE FRANKFURT:ESCOLA DE FRANKFURT: razão em crise e declíniorazão em crise e declínio Cultura como ignorância e mercadoria: cultura superiorCultura como ignorância e mercadoria: cultura superior ≠≠ cultura de massacultura de massa Cultura Superior = autonomia, criatividade, pode ser ensinada e praticadaCultura Superior = autonomia, criatividade, pode ser ensinada e praticada
  9. 9. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo ABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULARABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULAR SEGUNDA POSIÇÃOSEGUNDA POSIÇÃO Historiadores e sociólogos que estudam “história dos povos” ou práticas deHistoriadores e sociólogos que estudam “história dos povos” ou práticas de grupos subculturaisgrupos subculturais Cultura popular = cultura do povo e variedade contemporâneaCultura popular = cultura do povo e variedade contemporânea Cultura da classe trabalhadora é escavada como expressão da resistência popularCultura da classe trabalhadora é escavada como expressão da resistência popular Pedagogia para apropriação da própria culturaPedagogia para apropriação da própria cultura Cultura superior X cultura da classe trabalhadoraCultura superior X cultura da classe trabalhadora CONCLUSÕES SOBRE POSIÇÕES DE ESQUERDACONCLUSÕES SOBRE POSIÇÕES DE ESQUERDA Explica o fato das pessoas não se rebelam ante as injustiças do capitalismoExplica o fato das pessoas não se rebelam ante as injustiças do capitalismo AA DIREITADIREITA se apropriou dessa lógicase apropriou dessa lógica
  10. 10. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo ABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULARABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULAR PARA DIREITAPARA DIREITA Cultura popular:Cultura popular: ajuda a explicar & condenar os fracassos da escola igualitária e das instituiçõesajuda a explicar & condenar os fracassos da escola igualitária e das instituições culturais para educar as massas para a responsabilidade políticaculturais para educar as massas para a responsabilidade política CRÍTICOS CONSERVADORESCRÍTICOS CONSERVADORES JOSÉ ORTEGA Y GASSETJOSÉ ORTEGA Y GASSET EZRA POUNDEZRA POUND T.S. ELIOTT.S. ELIOT Cultura Popular:Cultura Popular: ameaça a civilização & é vulgarização e decadência das massasameaça a civilização & é vulgarização e decadência das massas XX Cultura Erudita:Cultura Erudita: não exige crítica social e fora de interesses ideológicosnão exige crítica social e fora de interesses ideológicos Princípios pedagógicos: semelhantes à celebração da cultura superior presentePrincípios pedagógicos: semelhantes à celebração da cultura superior presente na posição da esquerda da Escola de Frankfurtna posição da esquerda da Escola de Frankfurt
  11. 11. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo ABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULARABORDAGENS RADICAIS E CONSERVADORAS À CULTURA POPULAR CONCLUSÕES DO GIROUXCONCLUSÕES DO GIROUX - Defensores da cultura superior (esquerda e direita) declaram que a cultura do povoDefensores da cultura superior (esquerda e direita) declaram que a cultura do povo tem de ser substituída por conhecimentos e valores da cultura dominantetem de ser substituída por conhecimentos e valores da cultura dominante - As visões da esquerda dominante não analisa a penetração do poder nas lutas peloAs visões da esquerda dominante não analisa a penetração do poder nas lutas pelo domínio do senso comum e do cotidiano por processos pedagógicos de base políticadomínio do senso comum e do cotidiano por processos pedagógicos de base política - Consentimento, resistência, produção de subjetividadeConsentimento, resistência, produção de subjetividade →→ formados por processosformados por processos pedagógicospedagógicos - Discorda de ambos pontos de vista pois são posições bináriasDiscorda de ambos pontos de vista pois são posições binárias
  12. 12. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICOA HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO ANTONIO GRAMSCIANTONIO GRAMSCI Redefine o significado de cultura popularRedefine o significado de cultura popular →→ importância pedagógica e políticaimportância pedagógica e política Cultura Popular = local de luta e dominaçãoCultura Popular = local de luta e dominação O controle das classes subordinadas é caracterizado pelo uso de uma força oficial, masO controle das classes subordinadas é caracterizado pelo uso de uma força oficial, mas pela luta por uma liderança hegemônicapela luta por uma liderança hegemônica Consentimento para à dominação pelos grupos subordinadosConsentimento para à dominação pelos grupos subordinados
  13. 13. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCIA HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCI CONSENTIMENTOCONSENTIMENTO Legitimação dos interesses e autoridades do bloco dominanteLegitimação dos interesses e autoridades do bloco dominante Não há polaridadeNão há polaridade cultura dominante opressivacultura dominante opressiva XX culturas subordinadas fracas/autênticasculturas subordinadas fracas/autênticas TODA HEGEMONIA É UM RELACIONAMENTO EDUCACIONALTODA HEGEMONIA É UM RELACIONAMENTO EDUCACIONAL UM BLOCO DOMINANTE SÓ PODE SE ENVOLVER EM UMA LUTA POLÍTICA EUM BLOCO DOMINANTE SÓ PODE SE ENVOLVER EM UMA LUTA POLÍTICA E PEDAGÓGICA VIA CONSENTIMENTO DOS GRUPOS SUBORDINADOS E SEPEDAGÓGICA VIA CONSENTIMENTO DOS GRUPOS SUBORDINADOS E SE ESTIVER DISPOSTO A ARTICULAR ALGUNS VALORES E INTERESSESESTIVER DISPOSTO A ARTICULAR ALGUNS VALORES E INTERESSES DESSES GRUPOSDESSES GRUPOS
  14. 14. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCIA HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCI COMO AS CULTURAS SUBORDINADAS PODEM CRIAR ESPAÇOS DECOMO AS CULTURAS SUBORDINADAS PODEM CRIAR ESPAÇOS DE RESISTÊNCIA E AFIRMAÇÃO?RESISTÊNCIA E AFIRMAÇÃO? LUTA NO PROCESSO HEGEMÔNICO ENTRE CULTURA POPULAR E PROCESSOSLUTA NO PROCESSO HEGEMÔNICO ENTRE CULTURA POPULAR E PROCESSOS DE CONSENTIMENTODE CONSENTIMENTO == REJEIÇÃO DE QUALQUER CONCEITO DE CULTURA POPULAR DE VISÃOREJEIÇÃO DE QUALQUER CONCEITO DE CULTURA POPULAR DE VISÃO ESSENCIALISTAESSENCIALISTA Significado de cultura popularSignificado de cultura popular →→prática e relações contextuais e temporaisprática e relações contextuais e temporais Forma dual de atuação do popularForma dual de atuação do popularreferência semântica e ideológicareferência semântica e ideológica realiza experiência de prazer, afeto e corporalidaderealiza experiência de prazer, afeto e corporalidade
  15. 15. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCIA HEGEMONIA COMO UM PROCESSO PEDAGÓGICO - ANTONIO GRAMSCI CARACTERIZAÇÃO GERAL DA CULTURA POPULAR COMO ESFERA DECARACTERIZAÇÃO GERAL DA CULTURA POPULAR COMO ESFERA DE RELAÇÕES SOCIAISRELAÇÕES SOCIAIS ( aspectos teóricos básicos)( aspectos teóricos básicos) Conceito de hegemonia = poder cultural que penetra na vida cotidianaConceito de hegemonia = poder cultural que penetra na vida cotidiana Terreno cultural de vida cotidiana = local de luta e acomodação + umTerreno cultural de vida cotidiana = local de luta e acomodação + um lugar no qual a produção de subjetividade é um processo pedagógico comlugar no qual a produção de subjetividade é um processo pedagógico com princípios políticos de estruturaçãoprincípios políticos de estruturação Noção de consentimento = identificar os limites e possibilidades dosNoção de consentimento = identificar os limites e possibilidades dos princípios pedagógicos em ação dentro das formas culturais que capacitam &princípios pedagógicos em ação dentro das formas culturais que capacitam & incapacitam (contraditório) os gruposincapacitam (contraditório) os grupos
  16. 16. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODERA CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODER PRÁTICA CULTURAL = LOCAL E FORMA DE POLÍTICA CULTURALPRÁTICA CULTURAL = LOCAL E FORMA DE POLÍTICA CULTURAL PROJETO DE GIROUX: CONSTRUIR PRÁTICA EDUCACIONAL PARAPROJETO DE GIROUX: CONSTRUIR PRÁTICA EDUCACIONAL PARA POTENCIALIDADE HUMANA (último §POTENCIALIDADE HUMANA (último § 220-221 pp)220-221 pp) CULTURA POPULAR = LOCAL DE POLÍTICA DIFERENCIADA – PESOSCULTURA POPULAR = LOCAL DE POLÍTICA DIFERENCIADA – PESOS IDEOLÓGICOS E AFETIVOS MÚLTIPLOSIDEOLÓGICOS E AFETIVOS MÚLTIPLOS CONCEITOS TEÓRICOSCONCEITOS TEÓRICOS CATEGORIA PRODUTIVOCATEGORIA PRODUTIVO →→ construção e organização de práticasconstrução e organização de práticas envolvidas por grupos dominante e subordinados para garantir espaçoenvolvidas por grupos dominante e subordinados para garantir espaço para produzir e legitimar experiências e formas sociais que constituempara produzir e legitimar experiências e formas sociais que constituem diferentes modos de vida nessas relações assimétricas de poderdiferentes modos de vida nessas relações assimétricas de poder
  17. 17. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODERA CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODER CATEGORIA PRODUTIVOCATEGORIA PRODUTIVO 2 CONJUNTOS DE RELAÇÕES DIFERENTES NA ESFERA DO POPULAR2 CONJUNTOS DE RELAÇÕES DIFERENTES NA ESFERA DO POPULAR Maneiras de atuação daManeiras de atuação da culturacultura dominantedominante para estruturar dentropara estruturar dentro && através das forças popularesatravés das forças populares Cultura dominanteCultura dominante busca, através dabusca, através da semântica e da afetividade, asemântica e da afetividade, a cumplicidade com gruposcumplicidade com grupos subordinadossubordinados Apropriação e da transformação daApropriação e da transformação da ideologia e da cultura popularideologia e da cultura popular Produção seletiva; distribuição controladaProdução seletiva; distribuição controlada e noções regulamentadas da narrativae noções regulamentadas da narrativa e do discurso do consumidore do discurso do consumidor Maneiras como osManeiras como os grupos subordinadosgrupos subordinados articulam conteúdos e/ou envolvimentoarticulam conteúdos e/ou envolvimento nas formas populares mais sociaisnas formas populares mais sociais Recusa em se envolver em práticas sociaisRecusa em se envolver em práticas sociais definidas por uma racionalidadedefinidas por uma racionalidade abstrata (negam afeto e prazer)abstrata (negam afeto e prazer) Socialidade das formas populares podeSocialidade das formas populares pode conter potencialidades não realizadas econter potencialidades não realizadas e possibilidades necessárias para formaspossibilidades necessárias para formas mais democráticas e humanas demais democráticas e humanas de comunidade e formação coletivacomunidade e formação coletiva
  18. 18. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODERA CULTURA COMO UM LOCAL DE LUTA E DE RELAÇÕES DE PODER PIERREPIERRE BOURDIEUBOURDIEU Formas culturais dos grupos dominantesFormas culturais dos grupos dominantes == Celebração do formalismo; distância do mundo real - paixões, emoções e sentimentosCelebração do formalismo; distância do mundo real - paixões, emoções e sentimentos Formas culturais dos grupos subordinadosFormas culturais dos grupos subordinados == Participação do público (momento produtivo da corporalidade)Participação do público (momento produtivo da corporalidade) CorporalidadeCorporalidade → pode ser inscrita em ações repressivas ou emancipatórias.→ pode ser inscrita em ações repressivas ou emancipatórias. Celebração não políticas é teórica e politicamente deslocadaCelebração não políticas é teórica e politicamente deslocada ProdutivoProdutivo → mistura dialética de prazer, consentimento e envolvimento inconsciente,→ mistura dialética de prazer, consentimento e envolvimento inconsciente, mapeia um aspecto importante do popular dentro da vida cotidianamapeia um aspecto importante do popular dentro da vida cotidiana
  19. 19. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DOA CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DO PRAZERPRAZER Processos PersuasivosProcessos Persuasivos poder político nunca atua sem mediação ideológicapoder político nunca atua sem mediação ideológica (processo pedagógico)(processo pedagógico)  Modo como as pessoas se tornam envolvidas nasModo como as pessoas se tornam envolvidas nas ConsentimentoConsentimento ideologias e nas relações sociais da cultura dominanteideologias e nas relações sociais da cultura dominante  Imposição da cultura dominante aos grupos subordinadosImposição da cultura dominante aos grupos subordinados por mecanização da indústria da culturapor mecanização da indústria da cultura OPINIÃO DE GIROUXOPINIÃO DE GIROUX Consentimento é aprendido. Que processos pedagógicos estão em ação pelosConsentimento é aprendido. Que processos pedagógicos estão em ação pelos quais as pessoas identificam suas necessidades e desejos com formas equais as pessoas identificam suas necessidades e desejos com formas e relações de significado específicas?relações de significado específicas? Como Educadores radicais analisam:Como Educadores radicais analisam: desconstrução das ideologias; modo como osdesconstrução das ideologias; modo como os leitores organizam os textos segundo seus próprios significados e experiênciasleitores organizam os textos segundo seus próprios significados e experiências == Educadores radicais tem interesse limitado na produção de ideologiaEducadores radicais tem interesse limitado na produção de ideologia
  20. 20. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DOA CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DO PRAZERPRAZER OPINIÃO DE GIROUXOPINIÃO DE GIROUX A pedagogia está presente na produção do discursoA pedagogia está presente na produção do discurso Pedagogia constitui um momento em que o corpo aprende, se movimenta, desejaPedagogia constitui um momento em que o corpo aprende, se movimenta, deseja e anseia por afirmaçãoe anseia por afirmação ConsentimentoConsentimento →→ abre a pedagogia para o incerto que legitima o concreto deabre a pedagogia para o incerto que legitima o concreto de uma maneira experimentada e não faladauma maneira experimentada e não falada IDÉIA QUE GIROUX QUER DESENVOLVER (retomando 212-213 pp)IDÉIA QUE GIROUX QUER DESENVOLVER (retomando 212-213 pp) Reteorizar a noção de ideologia com uma teoria que retome o prazerReteorizar a noção de ideologia com uma teoria que retome o prazer Educadores podem desenvolver uma pedagogia com possibilidade mais crítica deEducadores podem desenvolver uma pedagogia com possibilidade mais crítica de tratar o propósito & o significado da cultura popular como terreno de luta etratar o propósito & o significado da cultura popular como terreno de luta e esperançaesperança
  21. 21. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo A CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DOA CULTURA POPULAR E O CONSENTIMENTO: A DIALÉTICA DA IDEOLOGIA E DO PRAZERPRAZER COLIN MERCERCOLIN MERCER InfluênciasInfluências Walter Benjamin Roland BarthesWalter Benjamin Roland Barthes Os investimentos afetivos tem uma capacidade cultural real e podem serOs investimentos afetivos tem uma capacidade cultural real e podem ser indiferentes ao conceito do significado em si, construído através das lentesindiferentes ao conceito do significado em si, construído através das lentes do ideológicodo ideológico PRINCÍPIOS POLÍTICOS E PEDAGÓGICOS IMPORTANTESPRINCÍPIOS POLÍTICOS E PEDAGÓGICOS IMPORTANTES Lutas hegemônicas e contra-hegemônicasLutas hegemônicas e contra-hegemônicas → produção e regulamentação do→ produção e regulamentação do desejo = constituição do significadodesejo = constituição do significado Ideia e experiência do prazer são constituição políticaIdeia e experiência do prazer são constituição política → corpo sujeito do prazer.→ corpo sujeito do prazer. Prazer = consentimento da vida do corpoPrazer = consentimento da vida do corpo Reconhecer que cultura popular pode constituir um campo de possibilidadesReconhecer que cultura popular pode constituir um campo de possibilidades →→ alunos podem se apropriar das formas culturais para ampliar suas possibilidadesalunos podem se apropriar das formas culturais para ampliar suas possibilidades
  22. 22. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo INVESTIMENTO E PRAZER EMINVESTIMENTO E PRAZER EM DIRTY DANCINGDIRTY DANCING Por que o Comentado sobre o Filme?Por que o Comentado sobre o Filme? Maneira de analisar as formas popularesManeira de analisar as formas populares usando como parte de um processo pedagógico crítico. É um relato incorporado eusando como parte de um processo pedagógico crítico. É um relato incorporado e não observação abstratanão observação abstrata Para envolver alunos para uma consideração crítica (textos ou relações sociais da vida)Para envolver alunos para uma consideração crítica (textos ou relações sociais da vida) inicialmente deve-se reconhecer como os sujeitos históricos e sociais (nós) estamosinicialmente deve-se reconhecer como os sujeitos históricos e sociais (nós) estamos implicados (ligados) nos significados e prazeres que atribuímos a essas formas.implicados (ligados) nos significados e prazeres que atribuímos a essas formas. Baby descobre que “o corpo humano não é um objeto eterno (...) foi construídoBaby descobre que “o corpo humano não é um objeto eterno (...) foi construído pela história, pelas sociedades, pelos regimes e pelas ideologias” ( citação depela história, pelas sociedades, pelos regimes e pelas ideologias” ( citação de Barthes, p. 231)Barthes, p. 231) DIRTY DANCINGDIRTY DANCING e processos de persuasãoe processos de persuasão → a relação de Baby com pessoas da→ a relação de Baby com pessoas da classe operária é mediada de duas formas:classe operária é mediada de duas formas: posição de sujeito no discurso doposição de sujeito no discurso do liberalismo & experimenta os prazeres do corpo dentro das formas culturaisliberalismo & experimenta os prazeres do corpo dentro das formas culturais populares da classe operáriapopulares da classe operária
  23. 23. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICAIMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA CULTURAS POPULARES + PEDAGOGIA = FORMA PARTICULAR DECULTURAS POPULARES + PEDAGOGIA = FORMA PARTICULAR DE ENSINAR E APRENDERENSINAR E APRENDER Pedagogia crítica –Pedagogia crítica – realidade da diferença é o campo para questionar teoria erealidade da diferença é o campo para questionar teoria e práticaprática Experiência da diferençaExperiência da diferença → uma tarefa a ser discutida e recurso fundamental→ uma tarefa a ser discutida e recurso fundamental para uma pedagogia da possibilidadepara uma pedagogia da possibilidade Tensões (lutas) provocadas pela discussão da experiência vivida e que nãoTensões (lutas) provocadas pela discussão da experiência vivida e que não devem ser vencidas pela pedagogiadevem ser vencidas pela pedagogia → sobre o significado atribuído; sobre→ sobre o significado atribuído; sobre em que direção desejar; sobre os modos de expressão particulares; sobreem que direção desejar; sobre os modos de expressão particulares; sobre versões múltiplas e até contraditórias doversões múltiplas e até contraditórias do selfself O CONHECIMENTO É CONCEBIDO COMO UM ASPECTO INTEGRANTE DOO CONHECIMENTO É CONCEBIDO COMO UM ASPECTO INTEGRANTE DO ENSINO E DA APRENDIZAGEMENSINO E DA APRENDIZAGEM
  24. 24. GIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpoGIROUX - A CULTURA POPULAR COMO U M PEDAGOGIA DO PRAZER E SIGNIFICADO: descolonizando o corpo IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICAIMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA PEDAGÓGICA CRÍTICA PROFESSORES E ALUNOS SÃO DESAFIADOS A ENCONTRAR FORMAS ONDE UMPROFESSORES E ALUNOS SÃO DESAFIADOS A ENCONTRAR FORMAS ONDE UM ÚNICO DISCURSO NÃO SE TORNA O LOCAL DE CERTEZA E DE CERTIFICAÇÃOÚNICO DISCURSO NÃO SE TORNA O LOCAL DE CERTEZA E DE CERTIFICAÇÃO POPULAR COMO UM CAMPO DE PRÁTICAS QUE CONSTITUI A TRÍADEPOPULAR COMO UM CAMPO DE PRÁTICAS QUE CONSTITUI A TRÍADE INDISSOLÚVELINDISSOLÚVEL SABER+PODER+PRAZERSABER+PODER+PRAZER MICHELMICHEL FOUCAULTFOUCAULT ALERTA: É UM CAMINHO PERIGOSO O PROFESSOR FAZER UMAALERTA: É UM CAMINHO PERIGOSO O PROFESSOR FAZER UMA PEDAGOGIA ARTICULANDO CONHECIMENTO E PRAZERES INERENTESPEDAGOGIA ARTICULANDO CONHECIMENTO E PRAZERES INERENTES À VIDA COTIDIANA DO ALUNOÀ VIDA COTIDIANA DO ALUNO OBJETIVO DA LUTA PEDAGÓGICAOBJETIVO DA LUTA PEDAGÓGICA → usar a base material e discursiva para→ usar a base material e discursiva para produzir significado que represente os sujeitos, as relações com os outros eproduzir significado que represente os sujeitos, as relações com os outros e com o ambiente e também considerar possibilidades ainda não realizadascom o ambiente e também considerar possibilidades ainda não realizadas PRÁTICA UTÓPICA NECESSÁRIA E LIMITADAPRÁTICA UTÓPICA NECESSÁRIA E LIMITADA

×