Lições Adultos
Lição 6 - Discipulando os "comuns"

Sábado à tarde

Discipulado
1º a 8 de fevereiro

Ano Bíblico: Lv 1–4

"...
Se ela não tiver recursos para oferecer um cordeiro, poderá trazer duas rolinhas ou dois pombinhos, um
para o holocausto e...
que frequentemente questionavam as credenciais pessoais de Jesus (Mc 6:3). Elas contestavam Sua
simplicidade. Porque ansia...
chorou amargamente. Mt 26:75 RA
Pedro certamente teve muitas experiências poderosas com o Senhor. Embora fosse apenas um p...
Se é assim com os pardais, quanto mais com os seres humanos, por quem Cristo morreu! Cristo morreu por
nós, não pelas aves...
segundo a necessidade de cada um. 46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão
em casa, comiam co...
também os recursos que temos na vida) aos irmãos. Do contrário, amaremos apenas de palavra.
O tempo especial de consagraçã...
onde nos encaixamos no esquema da sociedade, quem são nossos amigos, e a quem devemos temer.
Mas o ministério de Jesus foi...
No entanto, aparentemente, essa experiência teve curta duração. Logo no início da experiência dos
primeiros cristãos, "os ...
suas próprias ideias.
1. Envie um cartão de agradecimento, assinado por todos os membros de sua classe, com uma breve nota...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014

321 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014

  1. 1. Lições Adultos Lição 6 - Discipulando os "comuns" Sábado à tarde Discipulado 1º a 8 de fevereiro Ano Bíblico: Lv 1–4 "Caminhando junto ao mar da Galileia, viu os irmãos Simão e André, que lançavam a rede ao mar, porque eram pescadores. Disse-lhes Jesus: Vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens. Então, eles deixaram imediatamente as redes e O seguiram." Mc 1:16-18. VERSO PARA MEMORIZAR: Leituras da Semana: Lc 2:21-28; Mt 15:32-39; Mt 16:13-17; Lc 12:6, 7; 13:1-5; Tg 2:1-9 A morte de Cristo foi o grande equalizador: ela mostrou que todos nós somos pecadores necessitados da graça de Deus. À luz da cruz, as barreiras étnicas, políticas, econômicas e sociais se desmoronam. Às vezes, porém, em nosso evangelismo, nos esquecemos dessa verdade fundamental, e procuramos alcançar especialmente os que poderiam ser considerados "honrados" ou "grandes" aos olhos do mundo. Não foi assim com Jesus, que percebia a insignificância e o vazio das grandezas e honras mundanas. Na verdade, em muitos casos, as pessoas que mais O perturbaram foram aquelas mais "bem-sucedidas" – os bem situados fariseus, os ricos saduceus e a aristocracia romana. Em contraste com eles, as pessoas "comuns" – carpinteiros, pescadores, agricultores, donas de casa, pastores, soldados e servos – geralmente se aglomeravam e O abraçavam. Domingo - Humildes começos Ano Bíblico: Lv 5–7 1. Leia Lucas 2:21-28; Marcos 6:2-4; Levítico 12:8. O que esses versos dizem sobre a condição econômica em que Jesus nasceu? Como essa condição teria influenciado Seu ministério? A circuncisão de Jesus E, quando os oito dias foram cumpridos para circuncidar o menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, que pelo anjo lhe fora posto antes de ser concebido. 22 E, cumprindo-se os dias da purificação, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor 23 (segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo macho primogênito será consagrado ao Senhor) 24 e para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: um par de rolas ou dois pombinhos. 25 Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. 26 E fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor. 27 E, pelo Espírito, foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei, 28 ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus Lc 2:21-28 RC E, chegando o sábado, começou a ensinar na sinagoga; e muitos, ouvindo-o, se admiravam, dizendo: De onde lhe vêm essas coisas? E que sabedoria é esta que lhe foi dada? E como se fazem tais maravilhas por suas mãos? 3 Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, e de José, e de Judas, e de Simão? E não estão aqui conosco suas irmãs? E escandalizavam-se nele. 4 E Jesus lhes dizia: Não há profeta sem honra, senão na sua terra, entre os seus parentes e na sua casa. Mc 6:2-4 RC Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  2. 2. Se ela não tiver recursos para oferecer um cordeiro, poderá trazer duas rolinhas ou dois pombinhos, um para o holocausto e o outro para a oferta pelo pecado. Assim o sacerdote fará propiciação por ela, e ela ficará pura. Lv 12:8 NVI A oferta da purificação de José e Maria indicou claramente sua origem pobre. Essa tradição surgiu a partir da legislação mosaica registrada em Levítico 12:8, a qual requeria que um cordeiro fosse trazido para essa oferta. No entanto, uma isenção compassiva havia sido provida para os pobres. Em lugar do cordeiro, poderiam ser oferecidos pombos ou rolas por causa das circunstâncias limitadas. Assim, Seu nascimento em um estábulo e as ofertas dadas por seus pais, retratavam Jesus assumindo Sua humanidade no lar de pessoas pobres e "comuns". De fato, a evidência arqueológica também parece indicar que a cidade de Nazaré, onde Jesus passou Sua infância, era relativamente pobre e sem importância. Embora a carpintaria seja um trabalho honrado, ela certamente não O colocava na "elite" da sociedade. "Os pais de Jesus eram pobres e dependentes de sua tarefa diária. Ele estava familiarizado com pobreza, abnegação e privações. Essa experiência serviu-Lhe de salvaguarda. Em Sua laboriosa vida não havia momentos ociosos para convidar a tentação. Nenhuma hora vaga abria a porta às companhias corruptoras. Tanto quanto possível, fechava a porta ao tentador. Ganho ou prazer, aplauso ou reprovação, não O podiam levar a condescender com uma ação má. Era prudente para discernir o mal, e forte para a ele resistir" (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 72). O Criador de tudo o que foi feito (Jo 1:1-3) entrou na humanidade, não apenas como ser humano, não apenas como criança, o que já teria sido muito surpreendente, mas Ele nasceu em uma família relativamente pobre. Qual é a única maneira de responder a essa atitude tão extraordinária? No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2 Ele estava no princípio com Deus. 3 Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Jo 1:1-3 RC Segunda - Transformando os "comuns" Ano Bíblico: Lv 8–10 2. Leia João 2:1-11 e Mateus 15:32-39. Como Jesus usou simples desejos e necessidades cotidianas para fazer discípulos e transformar vidas? E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali a mãe de Jesus. 2 E foram também convidados Jesus e os seus discípulos para as bodas. 3 E, faltando o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. 4 Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. 5 Sua mãe disse aos empregados: Fazei tudo quanto ele vos disser. 6 E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam duas ou três metretas. 7 Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. 8 E disse-lhes: Tirai agora e levai ao mestresala. E levaram. 9 E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho ( não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os empregados que tinham tirado a água ), chamou o mestre-sala ao esposo. 10 E disse-lhe: Todo homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então, o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho. 11 Jesus principiou assim os seus sinais em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. Jo 2:1-11 RC E Jesus, chamando os seus discípulos, disse: Tenho compaixão da multidão, porque já está comigo há três dias e não tem o que comer, e não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça no caminho. 33 E os seus discípulos disseram-lhe: Donde nos viriam num deserto tantos pães, para saciar tal multidão? 34 E Jesus disse-lhes: Quantos pães tendes? E eles disseram: Sete e uns poucos peixinhos. 35 Então, mandou à multidão que se assentasse no chão. 36 E, tomando os sete pães e os peixes e dando graças, partiu-os e deu-os aos seus discípulos, e os discípulos, à multidão. 37 E todos comeram e se saciaram, e levantaram, do que sobejou, sete cestos cheios de pedaços. 38 Ora, os que tinham comido eram quatro mil homens, além de mulheres e crianças. 39 E, tendo despedido a multidão, entrou no barco e dirigiu-se ao território de Magdala. Mt 15:32-39 RC Pessoas "comuns" compartilham desejos físicos, emocionais e sociais. Elas querem nutrição física, valorização pessoal e amizade. Jesus compreendia essas características e Se colocava em situações sociais que Lhe oferecessem oportunidades para alcançar pessoas por meio desses desejos universais. Quer Jesus estivesse transformando água em vinho não fermentado, quer transformando pescadores em pregadores (Mc 1:16-18), Ele Se especializou em transformar o ordinário em extraordinário. Haviam pessoas Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  3. 3. que frequentemente questionavam as credenciais pessoais de Jesus (Mc 6:3). Elas contestavam Sua simplicidade. Porque ansiavam o extraordinário, ignoraram o que consideravam comum. Isso pode significar uma perda eterna. Muitas vezes Jesus procurava pessoas consideradas comuns porque, não sendo autossuficientes, elas estavam dispostas a confiar em Deus completamente para alcançar sucesso. Muitas vezes, pessoas encantadas por talentos, habilidades e realizações próprias não sentem a necessidade de algo maior que elas mesmas. Que engano terrível! Entre os contemporâneos de Cristo, muitos possuíam formação acadêmica superior, posição social ou riqueza pessoal. No entanto, o nome deles há muito tempo foi esquecido. Porém, permanecem na memória pessoas comuns que foram transformadas em testemunhas extraordinárias para Cristo: agricultores, pescadores, carpinteiros, pastores, oleiros, donas de casa e trabalhadores domésticos. Todos nós tendemos a ser um pouco apaixonado por pessoas bem-sucedidas e ricas, não é mesmo? Você percebe essa atitude em si mesmo? Como você pode aprender a ter em mente o valor de todas as pessoas, independentemente de seu status, fama ou riqueza? Terça - O chamado de um falho pescador Ano Bíblico: Lv 11, 12 No Novo Testamento, Pedro se destaca como um dos mais importantes de todos os discípulos. Na verdade, ele acabou sendo uma das pessoas mais influentes em toda a história humana. Esse realmente foi um grande exemplo de transformação do "ordinário" para o extraordinário! 3. Leia os seguintes textos. Como eles nos ajudam a entender como Pedro foi transformado de modo tão radical, apesar de seus enormes defeitos? Lucas 5:1-11. Que palavras de Pedro demonstraram que ele reconhecia sua necessidade de Jesus? Por que é tão importante cultivar essa característica em nossa vida? E aconteceu que, apertando-o a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré. 2 E viu estar dois barcos junto à praia do lago; e os pescadores, havendo descido deles, estavam lavando as redes. 3 E, entrando num dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da terra; e, assentando-se, ensinava do barco a multidão. 4 E, quando acabou de falar, disse a Simão: fazete ao mar alto, e lançai as vossas redes para pescar. 5 E, respondendo Simão, disse-lhe: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos; mas, porque mandas, lançarei a rede. 6 E, fazendo assim, colheram uma grande quantidade de peixes, e rompia-se-lhes a rede. 7 E fizeram sinal aos companheiros que estavam no outro barco, para que os fossem ajudar. E foram e encheram ambos os barcos, de maneira tal que quase iam a pique. 8 E, vendo isso Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, ausenta-te de mim, por que sou um homem pecador. 9 Pois que o espanto se apoderara dele e de todos os que com ele estavam, por causa da pesca que haviam feito, 10 e, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante, serás pescador de homens. 11 E, levando os barcos para terra, deixaram tudo e o seguiram. Lc 5:111 RC Mateus 16:13-17. O que esses versos nos dizem sobre a receptividade de Pedro ao Espírito Santo? A confissão de Pedro acerca de Jesus E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do Homem? 14 E eles disseram: Uns, João Batista; outros, Elias, e outros, Jeremias ou um dos profetas. 15 Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? 16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. 17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. 18 Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. 19 E eu te darei as chaves do Reino dos céus, e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. Mt 16:13-17 RC Mateus 26:75. Que atitude de Pedro revela que Deus ainda poderia usá-lo? E Pedro lembrou-se do que dissera Jesus: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, saindo dali, Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  4. 4. chorou amargamente. Mt 26:75 RA Pedro certamente teve muitas experiências poderosas com o Senhor. Embora fosse apenas um pescador "comum", cheio de defeitos, os muitos momentos passados ao lado de Jesus fizeram com que Pedro fosse radicalmente transformado, mesmo depois de ter cometido alguns erros graves, incluindo negar Jesus três vezes, o que o Mestre havia predito. Um ponto que se destaca na história de Pedro foi o momento em que ele obteve pela primeira vez um vislumbre de quem era Jesus. Ele ficou ciente de suas próprias faltas e as admitiu. Assim, pela paciência e tolerância, Jesus transformou o defeituoso Pedro em alguém que ajudou a mudar a história. Por que devemos ter muito cuidado para não cair no erro de acreditar que algumas pessoas estão além do alcance da salvação? Por que esse erro é tão fácil de ocorrer? Quarta - Avaliação celestial Ano Bíblico: Lv 13, 14 Certa vez, um evangelista celebrou (talvez até tenha se vangloriado disso) a presença de pessoas de classe alta em seus seminários (seria de se esperar que ele também comemorasse a presença das pessoas mais "comuns"). Com Cristo, no entanto, não existiam distinções de classe. Ninguém era "comum", cada um era uma exceção. Não é de admirar que Jesus tenha alcançado as multidões com ilustrações comuns e discurso objetivo. Nada em Suas ações sugeria que alguém estivesse excluído de Sua preocupação. Em sua ação evangelística, os modernos formadores de discípulos também devem ter muito cuidado para não dar a impressão de que têm mais consideração por alguns do que por outros. 4. Leia Lucas 12:6, 7; 13:1-5; Mateus 6:25-30. O que esses textos ensinam sobre o valor de cada pessoa? Embora a cruz tenha erradicado para sempre a discriminação entre pessoas, será que estamos cometendo esse mesmo erro? Não se vendem cinco pardais por duas moedinhas? Contudo, nenhum deles é esquecido por Deus. 7 Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais! Lc 12:6-7 NVI E, naquele mesmo tempo, estavam presentes ali alguns que lhe falavam dos galileus cujo sangue Pilatos misturara com os seus sacrifícios. 2 E, respondendo Jesus, disse-lhes: Cuidais vós que esses galileus foram mais pecadores do que todos os galileus, por terem padecido tais coisas? 3 Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis. 4 E aqueles dezoito sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém? 5 Não, vos digo; antes, se vos não arrependerdes, todos de igual modo perecereis. Lc 13:1-5 RC Não se preocupem Por isso, vos digo: não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo, mais do que a vestimenta? 26 Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas? 27 E qual de vós poderá, com todos os seus cuidados, acrescentar um côvado à sua estatura? 28 E, quanto ao vestuário, porque andais solícitos? Olhai para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam. 29 E eu vos digo que nem mesmo Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. 30 Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pequena fé? 31 Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? 32 (Porque todas essas coisas os gentios procuram.) Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas; 33 Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas. 34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mt 6:25-34 RC As aves mais baratas no mercado eram os pardais. Pares poderiam ser comprados por um asse, a menor e menos valiosa moeda de cobre. No entanto, pardais insignificantes e comuns não são esquecidos pelo Céu. Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  5. 5. Se é assim com os pardais, quanto mais com os seres humanos, por quem Cristo morreu! Cristo morreu por nós, não pelas aves. A cruz revela, de uma forma que não podemos entender, o "valor infinito" (para usar uma expressão muito utilizada por Ellen G. White) de cada ser humano, independentemente de seu status na vida, que é muitas vezes nada mais do que uma invenção humana fundamentada em conceitos e atributos que não fazem sentido no Céu, ou são até mesmo contrários aos princípios do Céu. Ellen G. White escreveu que "Cristo teria morrido por uma só pessoa, a fim de que ela pudesse viver pelos séculos eternos" (Testemunhos Para a Igreja, v. 8, p. 73). Uma pessoa! Medite nas implicações desse conceito. Como ele deve influenciar nossa maneira de ver os outros e a nós mesmos? Quinta - Uma sociedade sem classes Ano Bíblico: Lv 15, 16 Talvez a característica mais atrativa do cristianismo primitivo tenha sido a ausência de distinções de classe. Muros de separação haviam desmoronado sob o peso do evangelho. Por intermédio de Cristo, a pessoa comum triunfava. Jesus transformava o ordinário em extraordinário. Carpinteiros, cobradores de impostos, construtores, rainhas, empregados domésticos, sacerdotes, gregos, romanos, homens, mulheres, ricos e pobres se tornavam iguais no reino da graça de Cristo. Na realidade, a comunidade cristã devia ser uma "sociedade sem classes". 5. O que os seguintes textos ensinam sobre a igualdade humana? Considerando o contexto cultural da época, e dos escritores da Bíblia, por que não deve ter sido fácil para eles entender esse conceito crucial? Gl 3:28-29 - Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. 29 E, se sois de Cristo, então, sois descendência de Abraão e herdeiros conforme a promessa. RC Tg 2:1-9 - Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas. 2 Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com vestes preciosas, e entrar também algum pobre com sórdida vestimenta, 3 e atentardes para o que traz a veste preciosa e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui, num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé ou assenta-te abaixo do meu estrado, 4 porventura não fizestes distinção dentro de vós mesmos e não vos fizestes juízes de maus pensamentos? 5 Ouvi, meus amados irmãos. Porventura, não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam? 6 Mas vós desonrastes o pobre. Porventura, não vos oprimem os ricos e não vos arrastam aos tribunais? 7 Porventura, não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado? 8 Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. 9 Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores. RC 1 Pe 1:17 - E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação. RC 1 Pe 2:9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. RC 1 Jo 3:16-19 - Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 17 Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitando, lhe fechar o seu coração, como permanece nele o amor de Deus? 18 Filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obras e em verdade. 19 Nisto conheceremos que somos da verdade, e diante dele tranquilizaremos o nosso coração. RA Leia Atos 2:43-47; 4:32-37. De que forma os primeiros cristãos praticaram o princípio da aceitação universal? Como a ideia de que Deus ama as pessoas comuns permitiu a expansão explosiva do cristianismo primitivo? Ao mesmo tempo, precisamos perguntar a nós mesmos: Temos aplicado esses princípios à nossa maneira de ministrar ao mundo? O que nos impede de fazer o melhor nessa importante área? A fraternidade dos crentes De sorte que foram batizados os que receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; 42 e perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações. 43 Em cada alma havia temor, e muitos prodígios e sinais eram feitos pelos apóstolos. 44 Todos os que criam estavam unidos e tinham tudo em comum. 45 E vendiam suas propriedades e bens e os repartiam por todos, Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  6. 6. segundo a necessidade de cada um. 46 E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam com alegria e singeleza de coração, 47 louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E cada dia acrescentava-lhes o Senhor os que iam sendo salvos. At 2:43-47 RA Os crentes repartem os seus haveres Da multidão dos que criam, era um só o coração e uma só a alma, e ninguém dizia que coisa alguma das que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. 33 Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça. 34 Pois não havia entre eles necessitado algum; porque todos os que possuíam terras ou casas, vendendo-as, traziam o preço do que vendiam e o depositavam aos pés dos apóstolos. 35 E se repartia a qualquer um que tivesse necessidade. 36 então José, cognominado pelos apóstolos Barnabé (que quer dizer, filho de consolação), levita, natural de Chipre, 37 possuindo um campo, vendeu-o, trouxe o preço e o depositou aos pés dos apóstolos. At 4:32-37 RA Prepare seu coração! Vêm aí dez dias para orar e momentos para jejuar! Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Lv 17–19 Leia, de Ellen G. White, Educação, p. 269, 270: "O Trabalho Vitalício"; Evangelismo, p. 564-566: "Trabalho em Favor de Classes Especiais" [subtítulo: "Trabalhar Pela Classe Média"]. "Nessa obra finalizadora do evangelho haverá um vasto campo a ser ocupado; e mais do que nunca a obra deve arregimentar dentre o povo comum, elementos para auxiliar. Tanto jovens como os de maior idade, serão chamados dos campos, das vinhas, das oficinas, e enviados pelo Mestre a dar Sua mensagem." (Ellen G. White, Educação, p. 269, 270). Perguntas para reflexão 1. Por que Jesus foi tão eficiente em fazer discípulos entre as pessoas comuns? Por que Sua mensagem não foi tão prontamente recebida entre os ricos e mais influentes? Como Sua origem humilde contribuiu para Sua eficiência em alcançar o coração das pessoas comuns? Jesus teria sido eficiente em alcançar as pessoas comuns se tivesse vindo como um príncipe real ou um rico proprietário de terras? 2. Leia 1 Coríntios 1:26-29. Quais são as lições do texto? Paulo escreveu que Deus "escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes". O que significa isso? Esses versos mostram a distorção e perversão dos caminhos do mundo? Estamos envolvidos por esses conceitos corrompidos? 3. O que os grupos de estudo da Bíblia podem fazer para se tornar mais acessíveis para as pessoas comuns? Isso deveria afetar escolha de traduções da Bíblia? Por que devemos nos concentrar em assuntos práticos, em lugar de assuntos teóricos, quando procuramos alcançar pessoas que sofrem e precisam de ajuda? Respostas sugestivas: Em lugar do cordeiro e do pombo, Maria e José ofereceram dois pombos, um para holocausto e outro para oferta de purificação. Maria e José eram pobres. Jesus podia compreender e salvar as pessoas simples. Seu reino não seria um império político ou militar, mas um reino espiritual. 2. O vinho acabou. A família era pobre. Jesus transformou a água (comum) em algo extraordinário (vinho), símbolo da alegria, indicando que deseja trazer alegria para as famílias. Jesus multiplicou sete pães e alguns peixes (coisas comuns) para alimentar a multidão (feito extraordinário). Ele transforma pessoas comuns em pessoas extraordinárias. 3. Lucas 5:1-11: Pedro se prostrou "aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, retira-Te de mim, porque sou pecador". Deus só pode atuar em nossa vida, quando sentimos necessidade dEle. Mateus 16:13-17: Pedro recebeu a luz dada pelo Espírito Santo e reconheceu que Jesus era o Filho de Deus. Mateus 26:75: Pedro negou Jesus, mas depois se arrependeu e chorou amargamente. 4. Nenhum pardal é esquecido por Deus; valemos mais do que muitos pardais e lírios do campo. Mas não podemos nos sentir melhores ou superiores a outras pessoas ou outras denominações. O pecado traz sofrimento a culpados e inocentes. Por isso, devemos nos arrepender dos pecados e confiar em Deus. 5. Seria difícil derrubar as barreiras sociais, mas Cristo tinha poder para isso. Gálatas 3:28, 29: Em Cristo, todos são iguais, porque todos recebem a mesma salvação e a mesma herança de Abraão. Tiago 2:1-9: Não devemos tratar com parcialidade os ricos e pobres; os pobres devem receber honra e consideração da mesma forma que os ricos. 1 Pedro 1:17; 2:9: Somos chamados por Deus para mostrar ao mundo Sua luz, que nos torna uma família especial. 1 João 3:16-19: Nosso amor e unidade serão demonstrados quando dermos a vida (e Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  7. 7. também os recursos que temos na vida) aos irmãos. Do contrário, amaremos apenas de palavra. O tempo especial de consagração irá começar no dia 13 de fevereiro! Envolva-se! É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira Auxiliar – Resumo Texto-chave: Marcos 1:16-18 O aluno deverá... Saber: Aceitar que todos são importantes para Deus. Teoricamente, Seus seguidores são cegos às distinções de classe. Sentir: Que, mesmo em nossa simplicidade, Deus vê algo valioso em cada um de nós. Fazer: Viver como filhos de Deus em uma sociedade que valoriza as distinções artificiais, como etnia, nacionalidade, condição econômica e educação. Esboço I. Saber: Que o discipulado não é determinado pelos padrões humanos. A. Quais são algumas das categorias que usamos para nos dividir em grupos e subgrupos? Mencicone pelo menos cinco tipos. B. Quais características Deus procura quando busca alguém para ser Seu discípulo? C. Quais características nos unem como adventistas do sétimo dia? II. Sentir: Deus quer que saibamos que em Seu Reino todos nós temos algo a oferecer. A. Pensando em si mesmo, com quais qualidades você contribui para a vida de sua congregação? E para sua comunidade? B. Que qualidades especiais outros membros de sua congregação trazem à experiência de todos? Seja específico; mencione nomes. III. Fazer: O discipulado é o laboratório em que Deus faz Seus experimentos. A. Como as pessoas de sua igreja e de sua comunidade reconheceram os princípios do Céu em sua vida nesta semana? B. No reino de Deus, por que o fato de ser comum é uma questão de honra? Quais personagens bíblicos, à primeira vista, pareciam comuns? RESUMO: A grandeza do cristianismo é que ele abrangeu o mundo com o testemunho de pessoas que eram, em sua maioria, analfabetas e sem sofisticação. Sem dúvida, existe aí uma mensagem para nós. Embora não haja nada de errado com a educação, as pessoas que conhecem suas limitações e confiam na orientação de Deus, certamente podem realizar coisas extraordinárias para Ele! Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando nas Escrituras: Marcos 1:16-18 Conceito-chave para o crescimento espiritual: O reino de Deus é cego às categorias humanas, como ricos e pobres, velhos e jovens, educados e sem instrução. Somente para o professor: Embora esta lição enfatize que Cristo veio salvar pessoas comuns, não podemos deixar de classificar uns aos outros com base em nossas semelhanças e diferenças. Admita: quando alguém entra numa sala, em algum momento, fazemos duas perguntas: (1) Em que sentido somos semelhantes? (2) Onde somos diferentes? Para ser justo, "discriminar" é algo que somos ensinados a fazer desde a infância. É assim que entendemos Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  8. 8. onde nos encaixamos no esquema da sociedade, quem são nossos amigos, e a quem devemos temer. Mas o ministério de Jesus foi uma demonstração de que somos todos filhos de Deus, em virtude da criação, e que alguns aceitaram a salvação e outros ainda não o fizeram. Diante da cruz, somos todos iguais, pecadores necessitados da graça de Deus. Compreensão Só para os professores: Embora sejamos "comuns", de acordo com a definição utilizada na lição de hoje, isso não significa que sejamos todos iguais. Na verdade, somos todos únicos, e o fato de que fomos chamados para ser discípulos de Cristo sugere que Ele vê algo em nós que pode usar para contribuir exclusivamente para Seu reino. Comentário Bíblico I. Um Homem semelhante a nós (Leia com a classe Lc 2:21-40.) O nascimento de Jesus foi anunciado pelos anjos, e comemorado por homens sábios, que haviam viajado uma grande distância, e pelos pastores que receberam a notícia por meio de um coro angelical. Apesar disso, sem dúvida Jesus e Seus pais, quando compareceram ao templo de Jerusalém para que Ele fosse circuncidado, não receberam mais atenção do que as outras dezenas de pessoas que estavam ali naquele dia. Para todos os efeitos práticos, Ele era como os demais bebês. Sua presença no templo foi comemorada somente por Simeão, homem justo e temente a Deus, e pela idosa profetisa Ana – e isso apenas porque eles estavam esperando pelo Messias. A soma total da infância de Jesus é resumida nas palavras: "O menino crescia e Se fortalecia, enchendo-Se de sabedoria, e a graça de Deus estava sobre Ele" (Lc 2:40, NVI). Pense nisto: A maior parte da vida de Jesus foi passada na obscuridade. No entanto, pelo que sabemos sobre Seu ministério público, Sua vida privada não poderia ter sido "normal". Em sua imaginação, como você visualiza a maneira pela qual Jesus viveu uma vida "extraordinária"? Como você acha que Ele foi preparado para Seu ministério público? II. O milagre de Caná (Leia com a classe Jo 2:1-11 e Mt 15:32-39.) Jesus, cujo nascimento foi predito séculos antes de acontecer, e cujo ministério foi indicado divinamente, escolheu como Seu primeiro milagre público a transformação da água em vinho nas bodas de Caná. Mesmo estando ali como convidado, Jesus assumiu o papel de anfitrião. Ele ordenou que os servos enchessem de água seis talhas de pedra (do tipo que normalmente continha água para lavar os pés). Cada jarro continha entre 20 e 30 litros de água. Então, de repente, a água se transformou em vinho novo, um total de 450 a 680 litros! Claramente, um poder que transcendia o ser humano esteve em operação ali. Embora a Bíblia não registre nada mais sobre os casamentos a que Jesus e Seus discípulos compareceram, Ele foi para aquele casamento com a intenção de garantir a alegria de todos. Jesus sabia o que era importante para fazer com que houvesse alegria. Na verdade, Jesus protestou contra a forma pela qual as pessoas O comparavam com João Batista, citando o provérbio: "Nós lhes tocamos flauta, mas vocês não dançaram; cantamos um lamento, mas vocês não choraram" (Mt 11:17, NVI). Em outras palavras, Jesus não podia satisfazer Seus críticos. Percebendo que teria críticos, não importando o que fizesse, Ele sempre foi fiel aos Seus princípios. Pense nisto: Jesus Se sentia à vontade em qualquer situação. Ricos e pobres, jovens e idosos, todos se sentiam confortáveis na Sua presença, talvez porque Ele nunca fingia ser algo que não era. Isso é diferente da nossa experiência? III. Um sonho impossível? (Leia com a classe At 2:42-47.) A igreja cristã primitiva foi notável pelo fato de que pessoas de todas as categorias, de todas as classes, adoravam e comungavam juntas. Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  9. 9. No entanto, aparentemente, essa experiência teve curta duração. Logo no início da experiência dos primeiros cristãos, "os judeus de fala grega entre eles queixaram-se contra os judeus de fala hebraica, porque suas viúvas estavam sendo esquecidas na distribuição diária de alimento" (At 6:1, NVI). Esse fato provocou o desenvolvimento de um sistema de organização formal na igreja para estabelecer líderes e seguidores. Alguém poderia argumentar que a organização é essencial para o bom funcionamento de qualquer empresa ou entidade. Mas, a organização traz responsabilidade e níveis de autoridade. Não demora muito, e as pessoas já não se consideram iguais. Como os porcos declaram em A Revolução dos Bichos, de George Orwell, todos são iguais, mas "alguns... são mais iguais que outros". A história do cristianismo está repleta de exemplos de pessoas que permitiram que o poder "subisse à cabeça". No entanto, Jesus foi claro: "Quem quiser tornar-se importante entre vocês deverá ser servo" (Mt 20:26, NVI). Em outras palavras, lidera melhor quem serve mais. Pense nisto: Por mais que os cristãos gostem de pensar que são imunes às categorias artificiais tão comuns no mundo, a Igreja ainda requer que algumas pessoas exerçam seus dons de liderança, enquanto outros são chamados para apoiá-los em suas responsabilidades de liderança. Perguntas para reflexão 1. Quais líderes cristãos equilibraram bem o papel de líderes com o de membros? Como eles fizeram isso? 2. A organização é um subproduto do pecado? Em outras palavras, haverá "diretores", "vice-diretores" e "diretores associados" no Céu? Justifique sua resposta. Aplicação Somente para o professor: Muitas vezes, a palavra comum soa muito desagradável. Mas quando nosso carro quebra, um mecânico comum pode fazer milagres. Quando o encanamento vaza, um encanador comum é um salva-vidas. Da mesma forma, cada membro da igreja com quem compartilhamos os bancos a cada sábado tem seu valor. Aplicação De vez em quando, é útil fazer o inventário das pessoas que contribuem para nossa vida na igreja. Não só os pregadores, solistas e diáconos, mas as pessoas que conduzem a Escola Sabatina infantil, as pessoas que cozinham para os almoços comunitários (e, depois, fazem a limpeza), os que abrem e fecham as portas e janelas, e as que cortam a grama, consertam o encanamento e recolhem o lixo. Às vezes, quando pensamos em "igreja", pensamos no "pastor" ou no "pessoal do escritório". Mas, assim como o corpo humano é composto de inúmeras partes "comuns", a igreja de Cristo é composta de muitos membros "comuns" que são essenciais para o sucesso contínuo da igreja em sua comunidade. Perguntas para discussão 1. De quais pessoas que servem em sua igreja você sentiria mais falta se, de repente, deixasem de fazer seu trabalho? Como você pode lhes mostrar quanto os aprecia? 2. Um sorriso e um aperto de mão fazem muita diferença. Quando foi a última vez em que você agradeceu a alguém pelo serviço que prestou em sua igreja? Escreva uma nota de agradecimento a essa pessoa contando quanto você valoriza seu trabalho. Criatividade e atividades práticas É realmente notável que tantas pessoas "comuns" contribuam muito para o bom funcionamento da igreja e todos os seus ministérios. Não deveria ser feito algo para mostrar-lhes reconhecimento? Atividade: Como um grupo, planeje algum gesto ou atividade que demonstre apreço às muitas pessoas "normais" cujo serviço muitas vezes passa despercebido pela maioria dos membros de sua igreja. Abaixo estão algumas opções. Se nenhuma dessas sugestões funcionar para você, sinta-se livre para acrescentar Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  10. 10. suas próprias ideias. 1. Envie um cartão de agradecimento, assinado por todos os membros de sua classe, com uma breve nota: "Nós só queremos lhe agradecer pela maneira com a qual você ___________ todos os sábados". Anexe um singelo brinde ao envelope. 2. Faça uma coleta, compre um cartão de presente e dê ao tesoureiro com uma nota: "Queremos que você saiba que realmente é importante para nós". 3. Planeje um almoço depois do culto para todos aqueles que dirigem a Escola Sabatina Infantil. Além de agradecer seu serviço fiel, dê-lhes de presente pequenos frascos de perfume ou loção após-barba, pequenos pacotes de biscoitos ou doces, uma caneta ou lápis, etc. 4. Tente descobrir outras maneiras de reconhecer os esforços das pessoas "normais", e não apenas uma ou duas vezes por ano, mas sempre que puder. Afinal de contas, podemos ser comuns, mas somos todos originais! Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html

×