3º Trimestre 2015 Lição 09 Adultos

1.360 visualizações

Publicada em

A corrupção dos dias atuais.
Como a igreja de Jesus deve lidar nesse momento.
Como devemos combater a corrupção.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
62
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3º Trimestre 2015 Lição 09 Adultos

  1. 1. MODELO
  2. 2. VERDADE PRÁTICA • O ensino da Palavra de Deus, de modo cuidadoso, pode evitar que a corrupção domine os corações dos salvos.
  3. 3. LEITURA DIÁRIA • Segunda — 1Co 13.5 Quem tem amor “não busca seus interesses” • Terça — Rm 1.31 Homens sem Deus, sem afeto natural • Quarta — 1Jo 3.15 Qualquer que odeia ao seu irmão é homicida • Quinta — Mt 23.23-28 Quem ensina e não dá exemplo é hipócrita • Sexta — 1Pe 3.15 O ensino bíblico dá segurança quanto à fé • Sábado — Fp 4.8 O crente precisa ter cuidado com aquilo que pensa
  4. 4. OBJETIVO GERAL Descrever a corrupção dos últimos dias.
  5. 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • I. Apontar as características dos tempos trabalhosos. • II. Apresentar o apóstolo Paulo como exemplo de obreiro em tempos difíceis. • III. Conscientizar os alunos acerca do valor do ensino bíblico nesses tempos trabalhosos.
  6. 6. ESBOÇO DA LIÇÃO I. OS TEMPOS TRABALHOSOS • Nos últimos dias (v.1). • Falsa aparência (v.5). II. PAULO, UM EXEMPLO DE OBREIRO EM TEMPOS DIFÍCEIS • Um obreiro exemplar (v.10). • Modo de viver. • Intenção, fé longanimidade e amor. III. O ENSINO DA PALAVRA DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS • O valor do ensino bíblico. • Combatendo o “espírito do Anticristo” com a Palavra de Deus. • A Palavra de Deus e seus referencias éticos.
  7. 7. PONTO CENTRAL • Nesses tempos trabalhosos, o valor do ensino das Escrituras deve ser reconhecido e aplicado pelos verdadeiros obreiros do Senhor.
  8. 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE 2 Timóteo 3.1-4,14-16. • 1 — Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; • 2 — porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, • 3 — sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons,
  9. 9. • 4 — traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, • 14 — Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido. • 15 — E que, desde a tua meninice, sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. • 16 — Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça.
  10. 10. TEXTO ÁUREO • “...Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção...” (2Pe 2.12).
  11. 11. INTRODUÇÃO • Deus criou o homem bom e perfeito, mas ele pecou. • Como resultado da Queda veio a morte e toda a sorte de corrupção. • Na lição de hoje estudaremos a respeito dos pecados dos últimos dias. • Sabemos que, infelizmente, a humanidade afastada de Deus, vem a cada dia se tornando mais e mais corrupta.
  12. 12. • O Alvo das Advertências de Deus no Livro de Malaquias. I – INTRODUÇÃO • O Livro de Malaquias, no tradicional cânon judaico, ocupa o último lugar entre os escritos dos chamados profetas menores, tendo sido escrito após o exílio babilônico, quando o Templo de Jerusalém já havia sido reedificado, pois há claras indicações que os sacrifícios e festas achavam-se plenamente restaurados. • O Templo anterior tinha sido incendiado por Nebuzaradão, general de Nabucodonosor (II Reis 25:8, 9).
  13. 13. • Ele era contemporâneo de Neemias (comparar Malaquias 2:8 com Neemias 13:29 e Malaquias 2:10-16 com Neemias 13:23) e de Esdras (comparar Malaquias 2:11 com Esdras 9:1 e 2). • Em seus escritos há uma repreensão severa contra os sacerdotes que se converteram em pedras de tropeço em vez de serem líderes espirituais para o povo. • Embora o Livro tenha apenas quatro capítulos, infelizmente poucos são os que verdadeiramente têm se debruçado para entender todo o seu contexto. • Esta é a razão porque há tantas interpretações equivocadas e tendenciosas quanto ao texto de Malaquias 3:8-10.
  14. 14. • Quando Deus disse: “...Todavia vós Me roubais...” nos dízimos e nas ofertas alçadas” (Malaquias 3:8), Ele estava direcionando estas palavras a quem? Esta questão deve ser analisada em todo o seu contexto histórico à luz da Palavra de Deus.
  15. 15. • II – A QUEM SE DESTINAVA A MENSAGEM? Na parte introdutória do livro é mencionado que a mensagem de Deus foi dada a “Israel, por intermédio de Malaquias.” Malaquias 1:1. • Após o exílio babilônico, a decadência de Israel em termos espirituais era notória. • Esta decadência teve como causa a corrupção moral e doutrinária de seus líderes religiosos. • A exposição dos fatos no livro de Malaquias, indica que a principal queixa de Deus foi contra os sacerdotes, claramente explicitada a partir do verso 6
  16. 16. • “...O filho honra o pai, e o servo ao seu amo; se Eu, pois, sou pai, onde está a Minha honra? E se Eu sou amo, onde está o temor de Mim? Diz o Senhor dos exércitos a VÓS, Ó SACERDOTES, que desprezais o Meu nome. E vós dizeis: Em que temos nós desprezado o Teu nome?...” Malaquias 1:6.
  17. 17. • O texto indica de que houve um desvio de conduta por parte dos sacerdotes, sendo culpados de desprezarem o nome de Deus. • Eles perderam o relacionamento pessoal com Ele. • Os sacerdotes do templo, em desobediência à lei que regulamentava as atividades do Templo, indevidamente recolhiam todas as ofertas do povo, nada deixando para os levitas, os órfãos, as viúvas e estrangeiros. • Os sacerdotes transformaram-se em profissionais da religião e totalmente divorciados de Deus.
  18. 18. • As passagens seguintes fornecem maiores detalhes, especificando os pecados cometidos pelos sacerdotes, não todos, mas aqueles que eram arrogantes e desonestos. • Eles foram culpados de profanarem o nome de Deus e de oferecerem no altar sagrado ofertas inaceitáveis, tais como animais cegos, coxos e enfermos (Malaquias 1:7- 14). • Deus fala especificamente aos sacerdotes e não ao povo, pois eram os sacerdotes que acendiam o fogo no altar (Malaquias 1:10).
  19. 19. • Em Malaquias 3:1-5 a repreensão de Deus é novamente dirigida aos SACERDOTES. • Com a centralização de poder por parte dos sacerdotes, as normas de Deus foram desvirtuadas, desobedecidas e as coisas santas foram profanadas. • Como conseqüência, os sacerdotes, detentores de todo o poder, passaram a oprimir as viúvas, os órfãos e os estrangeiros, por não repassarem os dízimos que lhes eram devidos. • Estes dízimos não eram em dinheiro, mas em forma de alimentos. • Esta prática perversa já tinha sido denunciada por Deus através o profeta Ezequiel:
  20. 20. • III – UM HISTÓRICO DE PERVERSÃO DO SACERDÓCIO LEVÍTICO. • O sistema sacrifical concedia aos sacerdotes excelente oportunidade de ensinar o plano da salvação aos transgressores. • No entanto, os rituais celebrados pelos sacerdotes no santuário foram pervertidos. • O sacrifício de animais tornou-se uma fonte de renda para eles. • Alguns dos sacerdotes corruptos viram perfeitamente que quanto mais o povo pecasse e quanto mais trouxesse ofertas pelo pecado e ofensas, tanto maior porção lhes caberia.
  21. 21. • Chegaram ao ponto de animar o povo a pecar. • Está escrito acerca dos sacerdotes corruptos: “...Alimentam-se do pecado do Meu povo, e da maldade dele têm desejo ardente...”
  22. 22. • Oséias 4:8. Afirma este texto que os sacerdotes, ao invés de admoestar o povo e insistir em que deixasse o pecado, tinham “...desejo ardente...” de sua maldade, e almejavam que pecasse outra vez e voltasse com outra oferta pelo pecado.
  23. 23. • A degradação do sacerdócio ocorreu já na primeira fase de sua existência (I Samuel 2:13-16). • Deus ordenara que a gordura fosse queimada sobre o altar, e que se a carne fosse comida, devia ser fervida. • Os sacerdotes, contudo, desejavam a sua porção crua com a gordura, de modo que a pudessem assar. • Deixara de ser uma oferta sacrifical, para tornar-se, em vez disso, uma festa de glutonaria. • A Palavra de Deus diz que “era, pois, muito grande o pecado destes mancebos perante o Senhor, porquanto os homens desprezavam a oferta do Senhor.” I Samuel 2:17.
  24. 24. • Com o passar do tempo a corrupção se generalizou a tal ponto que o cargo do sumo sacerdote revestiu-se de caráter político, ao ser ele designado pelo governo. • Os lucros das grandes festas eram repartidos com os oficiais superiores. • Todo o plano de Deus foi corrompido pelos sacerdotes. • Por isso a expressão de Jesus: “A minha casa será chamada casa de oração; vós, porém, a fazeis covil de ladrões.” Mateus 21:13.
  25. 25. • Os oponentes de Cristo eram sempre os sacerdotes, os escribas e os fariseus. • Quando o Senhor Jesus foi apresentado perante Pilatos, foram os sacerdotes os que Lhe acusaram (Marcos 15:3). • Oferecendo-Se sobre o Calvário, tornou sem valor a partir de então o sistema sacrifical. • Pessoalmente, durante o Seu ministério, Cristo não ofereceu sacrifício algum, porque Ele não pecou, e, ensinando os homens a não pecar, feriu o cerne da perversão sacerdotal. • Não se deve pensar, todavia, que todos os sacerdotes eram CORRUPTOS. • Muitos homens fiéis podiam ser contados entre eles.
  26. 26. I. OS TEMPOS TRABALHOSOS • 1. Nos últimos dias (v.1). • 2. Falsa aparência (v.5).
  27. 27. • Paulo inicia o capítulo três falando a respeito da extrema corrupção dos últimos dias. • O termo “últimos dias” não se refere somente ao fim dos tempos escatológicos, mas faz referência ao ataque gnóstico sobre a Igreja. • O apóstolo mostra a Timóteo o grande desafio que é permanecer fiel ao Senhor em tempos difíceis, quando os falsos mestres parecem se multiplicar. • Ele faz uma lista com as características dos falsos mestres, homens sem Deus. • Vejamos algumas: 1- Nos últimos dias (v.1).
  28. 28. a) Amantes de si mesmos. • São homens que buscam os seus interesses em primeiro lugar, antes de valorizarem os outros e a obra do Senhor. • Eles não têm amor, pois o verdadeiro amor “não busca seus interesses” (1Co 13.5).
  29. 29. "Porque haverá homens amantes de si mesmos..."(IIªTim.3:2a) • Sempre que ouvimos falar em "amante", a primeira idéia que nos vem à mente é a de uma terceira pessoa que se envolve com o cônjuge de alguém formando, assim, o chamado "triângulo amoroso" por todos conhecido nos tempos pós-modernos. • Mas, lendo e meditando neste texto de Paulo a Timóteo, veio-me ao entendimento uma outra compreensão sobre um certo tipo de traição amorosa sobre a qual nunca ouvi ninguém refletir: • "A TRAIÇÃO EGÓLATRA DA ALMA!"
  30. 30. • Ser amante de si mesmo é: • “...SE TORNAR O OUTRO/OUTRA NESSA RELAÇÃO EGÓLATRA, NARCISISTA E, EXTREMAMENTE, INTROSPECTIVA CONOSCO MESMOS SEM NOS IMPORTARMOS COM AS RELAÇÕES DIVINO- VERTICAIS E HUMANO-HORIZONTAIS QUE NOS COMPLETAM E NOS REALIZAM FORA DA CAVERNA DA NOSSA ALMA...". • Ou seja, deixamos de experimentar a plenitude da vida como dádiva de Deus quando traímos e nos deixamos trair e seduzir pelo "amante" que possa existir dentro de nós!
  31. 31. • Ser amante de si mesmo é: • "RESOLVER SE TRANCAR NA PRISÃO SOLITÁRIA DO EGO ASSUMINDO, ASSIM, UM OLHAR CENTRÍFUGO DE SI MESMO IGNORANDO, TOTALMENTE, TODA E QUALQUER COMPREENSÃO DA EXISTÊNCIA FORA DA PERSPECTIVA QUE SE ACREDITA SER A PIOR".
  32. 32. • Ou seja, a pessoa egoísta é uma prisioneira de si mesma trancafiada nos porões solitários do seu ser que está, plenamente, convencida de que sua forma de se comportar e de ver a vida é a "única correta".
  33. 33. b) Avarentos. • São amantes do dinheiro, fruto do seu egoísmo. • Hoje, há falsos obreiros, que só pregam ou fazem a obra de Deus esperando receber bens materiais (1Tm 6.10).
  34. 34. • Avareza é um dos sete pecados capitais, representando o medo de perder algo que possui. • Uma pessoa avarenta tem dificuldade de abrir mão do que tem mesmo que receba algo em troca, tem cuidado com seus pertences como uma pessoa egoísta. • No cristianismo, o pecado capital avareza não tem o significado real de avareza. • O pecado avareza, na verdade é a ganância, que foi traduzido de forma errada para o português como avareza. • Uma pessoa avarenta, acha que tudo e todos querem seus valores materiais ou financeiros, nada é verdadeiro tudo é interesse em suas posses.
  35. 35. c) Presunçosos, soberbos. • São homens cheios de orgulho, de arrogância, que se julgam superiores aos outros. • Sabemos que Deus abomina a altivez e que a “soberba precede a ruína” (Pv 6.16,17).
  36. 36. • Em direito, presunção são consequências deduzidas de um fato conhecido, não destinado a funcionar como prova, para chegar a um fato desconhecido. A PRESUNÇÃO RESULTA EM DESONRA • “...Chegou a presunção? Então chegará a desonra; mas a sabedoria está com os modestos...” (Pv 11:2).
  37. 37. • 1. O que é presunção, e de que modo tem resultado em calamidades? • UM LEVITA invejoso liderou uma turba rebelde contra as autoridades designadas por Jeová. • Um príncipe ambicioso tramou usurpar o trono do pai. • Um rei impaciente desconsiderou as instruções explícitas do profeta de Deus. • Estes três israelitas tinham uma tendência em comum: a presunção.
  38. 38. • 2. A presunção é uma característica do coração, que constitui uma séria ameaça a todos. (Salmo 19:13). • O presunçoso atreve-se a tomar liberdades sem ter a autorização para isso. • Isto muitas vezes resulta em calamidades. • Na realidade, a presunção já arruinou reis e derrubou impérios. (Jeremias 50:29, 31, 32; Daniel 5:20). • Até mesmo enlaçou alguns servos de Jeová e causou a sua ruína.
  39. 39. • 3. É com bons motivos que a Bíblia declara: • “...Chegou a presunção? Então chegará a desonra; mas a sabedoria está com os modestos...” (Provérbios 11:2). • A Bíblia nos dá exemplos que confirmam a veracidade deste provérbio. • Um exame de alguns deles nos ajudará a ver o perigo de se ultrapassar os devidos limites. • Portanto, consideremos como a inveja, a ambição e a impaciência levaram os três homens mencionados no início a agir com presunção, causando a sua desonra.
  40. 40. d) Blasfemos. • Blasfêmia é ofensa verbal a Deus, porém, ela não se limita às palavras. • Jesus ensinou que para a blasfêmia contra o Espírito Santo não haverá perdão (Mt 12.31).
  41. 41. • Blasfémia: é a difamação do nome de um ou mais deuses. • Isto pode incluir o uso de nomes sagrados em expressões vulgares ou imprecações, sem a intenção de falar de assuntos sagrados sem reverência. • Num sentido mais amplo, blasfémia é a irreverência para algo considerado sagrado ou inviolável. • Muitas culturas desaprovam a fala ou a escrita que difama o Deus ou deuses da sua religião, e em alguns países onde tal religião é predominante estas restrições podem ter força de lei.
  42. 42. • Um dos textos bíblicos mais claros sobre isso está em Mateus 12:30-32: • “...30) Quem não é comigo é contra mim; e quem comigo não ajunta espalha. • 31) Portanto, eu vos digo: todo pecado e blasfêmia se perdoará aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada aos homens. • 32) E, se qualquer disser alguma palavra contra o Filho do Homem, ser-lhe-á perdoado, mas, se alguém falar contra o Espírito Santo, não lhe será perdoado, nem neste século nem no futuro..."
  43. 43. • Blasfemar contra o Espírito Santo significa virar as costas para Deus e recusar determinadamente o seu poder e a sua autoridade sobre nós, rejeitando a unção que Ele tem colocado sobre seus servos e, muitas vezes debochando até mesmo, atribuindo-a a demônios. Nas mais variadas formas: • Falar línguas de forma natural. • Profetizar pela emoção do momento. • Ter visões de forma aleatória. • USAR A PALAVRA PARA DETERMINADOS FINS PROVEITOSOS. • Usar os Dons de Deus para manipular as pessoas sob poder e fama. (Atos 8:9-24).
  44. 44. • Simão Mago ou Simão, o Mago é um personagem bíblico com quem o apóstolo Pedro travou polémica em Samaria (Atos 8:9-24). • Além do livro bíblico dos Atos dos Apóstolos, o personagem é referido em outras obras ligadas ao gnosticismo. • O texto bíblico narra o episódio em que Simão tenta comprar dos apóstolos o poder de operar milagres. • Tal ato, considerado pecaminoso pela teologia cristã, foi denominado de simonia (ato de Simão), termo que define especificamente o comércio ou tráfico de coisas sagradas e espirituais, tais como sacramentos, dignidades, indulgências e benefícios eclesiásticos.
  45. 45. • Esse texto é demasiado lacônico, haja visto que limita- se a enquadrá-lo num episódio onde apenas coadjuva um embate com o apóstolo Pedro. De resto, diz somente que era samaritano e praticante de magia:
  46. 46. • Devemos entender que ao mesmo tempo que a blasfêmia contra o Espírito Santo não consiste de simples atos inconscientes com os quais o inimigo tenta confundir nossa mente para que deixemos de servir a Deus pensando que não temos mais salvação, ela também é um pecado muito fácil de ser cometido, bastando para isso um simples descuido de nossa parte em um breve momento de dúvida. • Chegamos a essa conclusão porque sabemos que o Espírito Santo de Deus é provido de uma grande sensibilidade e qualquer ato irreverente de nossa parte pode afastá-lo de nós.
  47. 47. e) Desobedientes a pais e mães e ingratos. • São péssimos exemplos na família, pois não honram seus pais e mães (cf. Êx 20.12). • São ingratos com Deus, os pais, os amigos, à igreja e todo ministério.
  48. 48. HONRE SEU PAI E SUA MÃE. • Êxodo 20 nos dá os Dez Mandamentos que Deus deu ao povo de Israel. • O quinto (Êxodo 20:12) é sobre os pais: • Êxodo 20:12 “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá.” • Deus mandou que o povo de Israel HONRASSE seus pais e mães. • O que “honra teu pai e tua mãe” significa?
  49. 49. Aqui está como um comentarista define isso: • “Esse era um plano ordenado por Deus, escrito com sua própria mão, e foi entregue por Moisés a eles; era de natureza moral, e de obrigação eterna: é para ser entendido, não simplesmente como uma elevada estima que os filhos deveriam ter em relação aos seus pais, ou o uso de uma linguagem e gestos respeitosos diante deles, nem apenas uma alegre obediência a ser cedidas a eles; mas também de honrá-los com sua substância, alimentação, vestimenta, e os suprindo com as necessidades da vida, quando eles estiverem em necessidade dos mesmos; que é, porém serviço razoável deles, por todo o cuidado, despesa e problemas que eles tenha tido em trazê-los neste mundo
  50. 50. • Honrar seus pais envolve elevada estima, reverência e apoio. Isso significa que você estará lá para eles quando houver a necessidade e que vocês cuidam deles com seu serviço, apoio, dinheiro, visitas e etc.
  51. 51. Deuteronômio 5:16 • “...Honra a teu pai e a tua mãe, como o SENHOR teu Deus te ordenou, para que se prolonguem os teus dias, e para que te vá bem na terra que te dá o SENHOR teu Deus...” Paulo está repetindo o mandamento em Ef 6:2-3: • “...Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra...” • Paulo diz que esse é o “primeiro mandamento com promessa”. • O primeiro mandamento que Deus deu e que continha uma promessa era o mandamento de honrar nossos pais!
  52. 52. • Jesus resumiu em Marcos 7:10 tanto o mandamento e o que, de acordo com este mandamento, aconteceria se não guardar: • “...Porque Moisés disse: Honra a teu pai e a tua mãe; e quem maldisser, ou o pai ou a mãe, certamente morrerá...” • O verbo “MALDIZER” aqui é o verbo grego “kakologeo” que significa “FALAR MAL”. • Quem quer que falasse mal contra seu pai ou mãe era condenado à morte. • Para ver um exemplo de não honrar os pais, continue abaixo com a passagem de Marcos:
  53. 53. • Marcos 7:11-13 “...Vós, porém, dizeis: Se um homem disser ao pai ou à mãe: Aquilo que poderias aproveitar de mim é Corbã, isto é, oferta ao Senhor; Nada mais lhe deixais fazer por seu pai ou por sua mãe, Invalidando assim a palavra de Deus pela vossa tradição, que vós ordenastes. E muitas coisas fazeis semelhantes a estas...” • A palavra “Corbã” é a palavra hebraica que significa “oferta a Deus”. Esta palavra é usada em Levítico 1:2, por exemplo, onde diz: “...Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando algum de vós oferecer oferta [Corbã] ao SENHOR, oferecerá a sua oferta de gado, isto é, de gado vacum e de ovelha...”
  54. 54. • Nosso Senhor Jesus Cristo condenou o uso da desculpa do “Corbã” - “oferta a Deus” para evitar o auxílio aos pais.
  55. 55. • Obviamente para ele honrar aos pais era algo muito importante, tão importante quanto foi para Deus quando listou isso nos 10 mandamentos.
  56. 56. f) Profanos e sem afeto natural. • São homens que não sabem amar, por isso não respeitam as coisas sagradas (Lv 19.8,12).
  57. 57. Profanar • Tratar sem respeito nem reverência (Lv 21.12). • Tornar imundo ou contaminado algo santo, tratando-o com desrespeito ou irreverência. • Esse movimento tem profanado a Palavra de Deus, A Sua Lei e as famílias.
  58. 58. PROSTITUIÇÃO E PROFANAÇÃO • Em Siló, local de culto e adoração, sacrificava-se ao Senhor, de modo que a espiritualidade do povo era mantida viva através de oferendas e sacrifícios. • Eli era sacerdote e foi responsável pela formação espiritual de Samuel. • Seus filhos eram ímpios e malfeitores, praticavam prostituição e não respeitavam aquilo que era sagrado ao Senhor. • Por isso, veio o juízo de Deus, famílias foram destruídas e tomada a Arca de Deus através dos filisteus e foi embora a “Glória de Deus” (I Sm 4:11 e 21)
  59. 59. • “...Guarda o teu pé, quando entrares na casa de Deus; porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal...” (aqui o salmista fala de Profanação) (Ec 5:1).
  60. 60. • O versículo em apreço fala da reverência e respeito que se deve ter na casa de Deus. • Assim, a frase “guardar o pé” mostra que não é de qualquer maneira que devemos entrar na casa de Deus, mas preparados espiritualmente, com propósito de adoração, de ouvir Deus falar. • A recomendação insiste quanto a necessidade prioritária de ouvir e aprender, antes de dizer qualquer palavra, pois estas podem ser precipitadas e aqueles que assim agem não percebem que fazem mal. • A falta de reverência e a mudança de destinação é uma grande profanação da casa do Senhor.
  61. 61. • Sem ordem e decência vira profanação – Toda adoração sem ordem e decência se torna vã diante de Deus...
  62. 62. • Existem aqueles que por querer se mostrar mais “sobrenaturais” que os outros se portam com desordem e ainda usam o versículo de 2 Co 3.17 para se justificarem: • “...Ora, o Senhor é Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade...”. • Onde está o Espírito do Senhor há liberdade quanto a fuga do pecado, quanto a estar livre, pela justiça de Cristo da condenação da lei, e onde há o Espírito do Senhor há decência, ordem e sabedoria. • O apóstolo Paulo instruiu a igreja: • 2.3 Com falta de reverência, não é racional – A palavra exige culto racional, pois a irreverência atrapalha os irmãos...
  63. 63. • Brigas, contendas e desavenças entre irmãos. • Muitos estão usando cargos na igreja como “status” ou vaidade pessoal... • Tg 4.1: “De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?” • Fp 2.3: “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo”. • Sl 133.1: “Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união”.
  64. 64. g) Irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes e cruéis. • Nunca estão dispostos a perdoar e se reconciliarem. • Cometem o crime de calúnia. • Nas igrejas, esse crime é ignorado. Raramente se pune um caluniador. • Não sabem conter-se, não tem autocontrole, nem domínio próprio. • São pessoas impiedosas, desumanas.
  65. 65. • “...Pois quem quer amar a vida e ver dias felizes refreie a língua do mal e evite que os seus lábios falem dolosamente...” 1 Pd 3:10 • O sentimento maior que deve existir em nossa vida é o amor a Deus “...Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento...” Mt 22.37.
  66. 66. • 1-Fofoca; • 2- Calunia; • 3- Difamação; • 4- Mentira. • Devemos fazer uma profunda reflexão sobre como temos usado a língua, a usamos para bem ou para o mal? Se o uso não é bênção, necessitamos rever o nosso proceder e nos empenharmos num processo de mudança, com o fim de moldar nosso agir, tomando a forma do Senhor Jesus e imitando-o. • A santidade deve envolver todo o ser, inclusive o falar.
  67. 67. • Muitos vão à igreja, tem o linguajar de crente, se vestem como crentes, porém suas atitudes não condizem com a Palavra de Deus. • Paulo adverte quanto a estes que querem viver apenas de aparência, enganando e sendo enganados. • Porém, haverá um dia em que eles terão que prestar contas ao Senhor. • Estes podem enganar a liderança e os crentes, mas jamais enganam a Deus. • O Senhor conhece aqueles que são seus. 2- Falsa aparência (v.5).
  68. 68. • O Lobo em pele de Cordeiro é uma fábula erroneamente atribuída a Esopo e que foi reescrita por vários autores. • A expressão “lobo em pele de cordeiro” tem origem numa frase de uma parábola de Jesus, proferida no Novo Testamento: ”...Cuidado com os falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores...” (Mt 7:15).
  69. 69. • Nos séculos seguintes, a frase foi usada muitas vezes nos escritos latinos dos Padres da Igreja e, mais tarde, na literatura vernácula europeia. • Surgiu também um provérbio latino que diz: “Pelle sub agnina latitat mens saepe lupina” (Sob uma pela de ovelhas, muitas vezes se esconde uma mente de lobo). • Embora, nos tempos modernos, a história de um lobo disfarçado de ovelha venha sendo contada como uma das Fábulas de Esopo, não há registro de uma fábula exatamente com este tema, antes da Idade Média. • Porém já havia fábulas gregas anteriores a Esopo, nas quais a parábola evangélica poderia ter siso baseada.
  70. 70. • A primeira fábula sobre um lobo que se disfarça com pele de uma ovelha foi escrita, no século XII, pelo retórico grego Nicéforo Basilakis, na sua obra “Progymnasmata” (exercícios retóricos). • No prefácio, é apresentado o tema “...Pode se ter problemas por usar um disfarce? Não... O problema é permanecer disfarçado...“. • Sua natureza lhe denuncia.
  71. 71. Que é seguida pela história ilustrativa. • Um lobo, uma vez decidiu mudar sua natureza, alterando sua aparência, para, assim, ter comida farta. • Ele vestiu uma pele de carneiro e acompanhou o rebanho para o pasto. • O pastor foi enganado pelo disfarce. • Quando a noite caiu, o pastor fechou o lobo no aprisco, com o resto das ovelhas. • Como havia muros altos e uma única entrada à frente, o rebanho estava bem guardado. • Mas, querendo o pastor uma ovelha para a sua ceia, tomou a faca e matou o lobo.
  72. 72. • Jesus sobre os acontecimentos antecedentes ao fim da dispensação da graça: • “...E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos..." Mt 24:11 • “...Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito. Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis. Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem..." Mt 24:24-27
  73. 73. • Apóstolo Paulo: • “...Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos para si..." At 20:29-30
  74. 74. II – PAULO, UM EXEMPLO DE OBREIRO EM TEMPOS DIFÍCEIS • Um obreiro exemplar (v.10). • Modo de viver. • Intenção, fé longanimidade e amor. •
  75. 75. • Paulo exorta Timóteo a fim de que ele perseverasse na sã doutrina e sempre procurasse pregar a Palavra de Deus em todas as ocasiões. Como líder, Paulo era um exemplo a ser seguido pelos demais pastores e por toda a igreja. Ele era um seguidor autêntico de Jesus, na proclamação do evangelho e da doutrina de Cristo. 1. Um obreiro exemplar (v.10).
  76. 76. • Ao estudarmos a vida do apóstolo Paulo, notamos como ele exerceu seu ministério com profundidade, especialmente, entre os gentios para o qual ele foi chamado, II Tm 1.11. • Ele exerceu seu apostolado com tanta nobreza de caráter que nenhum o igualou na história. • Foi um obreiro de profunda convicção e de grande sofrimento, com uma visão do maior alcance espiritual e profunda humildade. • E o apóstolo Pedro dá seu testemunho acerca dele, com fidelidade, dizendo: “...Como nosso irmão amado, Paulo, vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada...”, II Pe 3.15,16.
  77. 77. UM JUSTO MOTIVO DE SE GLORIAR, II Co 10.17,18. • Muitos se gloriam em grandes coisas, especialmente de seus próprios feitos e de sua posição natural. • Certa vez, os discípulos do Senhor voltaram se gloriando pelos trabalhos realizados e receberam a lição do Divino Mestre: “...Mas não vos regozijeis em que os espíritos se vos submetem, mas regozijai-vos em que os vossos nomes estão escritos nos céus...”. Lc 10.20.
  78. 78. • UM EXEMPLO INDIVIDUAEXAME DE CONSCIÊNCIA, I Co 13.5. • O apóstolo Paulo era um exemplo nesse sentido, pois, constantemente dava uma “olhada” para dentro de si mesmo, examinando, para ver o que se passava com ele. (I Co 4.4). • Nos dias de Cristo, os fariseus fechavam o reino de Deus aos ouvintes, dando-Ihes falsas idéias e uma esperança morta e falível. Mt 23.13. • Entretanto, temos de apoiar a nossa fé na revelação da Palavra de Deus. Hb 11.1; 12.2.
  79. 79. Mestre da palavra (2:1-2). • É a vontade de Deus que a mesma palavra se passe de uma geração para outra. Paulo disse, “...o que da minha parte ouviste isso mesmo transmite a homens para instruir a outros...". Deus não quer que novas gerações ensinem coisas novas (veja Gálatas 1:8).
  80. 80. • Muitos exortam, ensinam e pregam com muita desenvoltura, todavia, na prática não vivem aquilo que transmitem nos púlpitos. • Paulo não somente ensinava, mas sua vida era um testemunho vivo do poder transformador do Senhor Jesus Cristo. • Com toda autoridade, ele podia afirmar: “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam” (Fp 3.17). 2. Modo de viver.
  81. 81. • O OBREIRO de DEUS deve conversar com DEUS todos os dias, esta comunhão diária proporcionará o aperfeiçoamento do servo de DEUS. • Existem “...obreiros...“ que não oram, que quase não estudam a bíblia, não se apresentam a Deus, como pode esta pessoa ser bem sucedida na obra de DEUS. • O obreiro aprovado alegra-se em cumprir todas as ordens ou determinações vindas da direção do ministério. • Está sempre pronto a servir. • Não questiona, não despreza e nem negligencia. • Porque confia no seu Deus, sabe que Ele é fiel.
  82. 82. • É preciso estar solidamente firmado e estruturado espiritualmente para ser visto e reconhecido por Deus como um verdadeiro obreiro. • Fincar raízes espirituais implica uma vida de oração; como nos ensina Paulo: “Perseverai em oração, velando nela com ação de graças; .” (Cl 4:2)
  83. 83. • A intenção de Paulo não era se promover, mas promover o Evangelho de Cristo. • Seu desejo era ganhar almas para Cristo. • Ele era um homem de fé, por isso, pôde suportar todos os embates, combates e sofrimentos por que passou durante o seu ministério. • A fé nos faz vencer os embates do ministério. • Ser longânime é ter paciência para suportar os fracos, os defeituosos, os problemáticos (Gl 5.22). O líder precisa cultivar esse dom, especialmente o amor. 3. Intenção, fé longanimidade e amor.
  84. 84. • Paulo não só falou e ensinou, mas deu exemplo do que é ter amor. • Na sua epístola de 1 Coríntios, ele dedica o capítulo 13 inteiro para falar a respeito da suprema excelência do amor.
  85. 85. • E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. • Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender e sim deve ser brando para com todos aptos para instruir, paciente. • Disciplinando com mansidão os que se opõem na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade. • Também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele, para cumprirem a sua vontade." ( 2 Tm 2.23-26)
  86. 86. • Lembre-se do problema dos falsos mestres na igreja de Éfeso. Já estudamos isso anteriormente, que tais mestres ensinavam doutrinas estranhas baseadas em genealogias judaicas e lendas fantásticas, que só desviavam os crentes da verdade.
  87. 87. • Havia então um grande risco de Timóteo agir impulsivamente, agir pela carne, afinal os falsos mestres estavam tentando desviar a igreja. • Timóteo poderia cair no jogo deles e entrar numa discussão confusa, inútil, que acabaria com certeza em bate-boca, se não acabasse em coisa pior. • Por isso ele deveria ter sabedoria e mansidão. • Deveria prezar por uma atitude refletida e não impulsiva ou impensada.
  88. 88. III. O ENSINO DA PALAVRA DE DEUS EM TEMPOS DIFÍCEIS • O valor do ensino bíblico. • Combatendo o “espírito do Anticristo” com a Palavra de Deus. • A Palavra de Deus e seus referencias éticos.
  89. 89. • Na atualidade é imprescindível que os líderes invistam recursos e tempo no ensino da Palavra de Deus. • Somente o ensino bíblico ortodoxo conduz o homem à santidade e à santificação (Sl 119.105; Rm 15.4; 1 Co 4.17). • O ensino da Palavra de Deus é instrução que leva o homem a viver de modo justo e digno. • Nesses tempos difíceis em que estamos vivendo necessitamos de líderes dedicados ao estudo e ensino das Escrituras Sagradas. 1- O valor do ensino bíblico.
  90. 90. • “...Crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno...” 2Pe 3:18 • O crescimento é um fenômeno esperado em todos os seres vivos. • Na vida espiritual, o crescimento também é esperado.
  91. 91. • Aqui, o crescimento não é apenas esperado, mas ordenado. “Crescei!”, diz Pedro. • O verbo está no presente e é um imperativo, uma ordem. • Devemos crescer. • É verdade que o crescimento espiritual é “crescimento que procede de Deus” (Cl 2:19), mesmo assim nos é ordenado “desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor” (Fp 2:12). • Deus nos ordena o que Ele mesmo nos dá, então podemos confiar que o crescimento espiritual não apenas é esperado e ordenado, mas também possível!
  92. 92. Somos instados a crescer no conhecimento. • “O meu povo está sendo DESTRUÍDO, porque lhe falta o conhecimento” (Os 4:6) era um fato nos dias de Oséias, e é uma verdade nos dias de hoje. “Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus?” (Mc 12:24) descreve o motivo de tantos se desencaminharem hoje. • De Jesus é dito que “...crescia o menino e se fortalecia, enchendo-se de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele...” (Lc 2:40). • De nós deve ser dito “estais possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para vos admoestardes uns aos outros” (Rm 14:14).
  93. 93. • Vivemos tempos difíceis, porém, sabemos que o Anticristo ainda não está no mundo, mas muito de seus seguidores já se encontram em plena atividade, inclusive realizando sua obra satânica de oposição a Cristo e a sua Igreja. Assevera-nos a Bíblia: “Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos [...]” (1Jo 2.18). • Observe alguns dos “instrumentos” utilizados por Satanás nesses últimos dias contra o rebanho do Senhor: 2. Combatendo o “espírito do Anticristo” com a Palavra de Deus.
  94. 94. a) O relativismo. • O relativismo moral domina o pensamento na atualidade. • Em nome de um falso pluralismo, e do “respeito às diferenças”, o Diabo vem convencendo as pessoas de que nada é errado, tudo é relativo. b) Leis infames. • Leis que criminalizam e preveem a prisão daqueles que usam textos da Bíblia para falar contra o homossexualismo. • Leis que querem legalizar o uso de drogas e a prática do aborto.
  95. 95. • Há quem diga que o próximo evento profético da Bíblia a cumprir-se é a vinda do anticristo, mas não é isso que a Bíblia diz. • Ela relata que o anticristo já está no mundo e que sempre esteve desde a igreja do primeiro século e a vem combatendo desde então. • Erros de interpretação bíblica levam a igreja a uma falsa expectativa, e até mesmo isso já é uma estratégia do anticristo, que pode assim camuflar-se dentro da própria igreja e fazer o seu trabalho com total liberdade, como se ele próprio não existisse.
  96. 96. 2. Tess. 2 • Nas bíblias editadas com os títulos dos assuntos, porem o texto canônico propriamente dito não usa essa expressão e mostra um personagem que em nada se parece com o anticristo citado nos canônicos de João, pois enquanto nos canônicos de João o anticristo é identificado como um espírito que trabalha no âmbito religioso com os próprios crentes da igreja causando dissensões, o texto canônico de 2Tess.
  97. 97. • Apesar de todas essas perseguições contra a Igreja e contra o povo judeu ocorridas antes dos escritos de João, ele não cita esses perseguidores como "anticristos". • Eram sem dúvida inimigos do povo de Deus. • Eram inimigos da igreja. • Eram inimigos do Cristo. • Eram inimigos do próprio Deus, mas não eram exatamente o personagem a que João se refere.
  98. 98. • Alguns teólogos opinam que Antíoco Epifânio, governador da Síria, seja um tipo de anticristo, porém no seu tempo o Cristo ainda não era vindo, e pelas suas ações está mais para anti-semita, pois conquistou Jerusalém em 167AC, e procurou forçar a helenização deste seu novo território proibindo o culto judaico, a observância do shabbat e dos hábitos alimentares, e a circuncisão.
  99. 99. • No Templo de Jerusalém ordenou que fosse instalada uma estátua do deus grego Zeus, espargiu sangue de um porco no altar e entrou montado a cavalo no lugar santíssimo, e outras peripécias. • Foi expulso depois pelos Macabeus. Isto ocorreu cerca de 257 anos antes das cartas de João serem escritas. • Porém João não cita nada que possa identificar este personagem como o anticristo.
  100. 100. Primeira epístola de João, capítulo 2.22. • Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. • Este texto no esclarece que o anticristo nega que Jesus é o Cristo, ou seja que Jesus é o ungido, pois a palavra "cristo" significa "ungido".
  101. 101. • I João 4:3“...E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo...” • Assim como o "*docetismo" na idade média, já havia no tempo de João quem pensasse como eles e várias correntes teológicas surgiam dentro da própria igreja. Mesmo hoje muitos cristãos são levados a imaginar que o corpo físico de Jesus não tinha a fisiologia comum de um ser humano. Isto se chama "docetismo". • Docetismo: Seita da idade média que cria que o corpo físico de Jesus teria sido uma ilusão, como também a sua crucificação, pois Jesus era um espírito puro e imaterial, e não poderia morrer fisicamente.
  102. 102. • As leis de muitos países favorecem a imoralidade e a falta de ética na sociedade. • Muitas delas são estabelecidas sob a égide de filosofias materialistas, relativistas e pluralistas. • A Palavra de Deus, todavia, trás em seu âmago referenciais éticos e morais para a plena felicidade das famílias em qualquer civilização. • Os que rejeitam esses referenciais ficarão perdidos, inseguros, sem rumo e orientação. • O resultado disso é a tragédia moral que vem se abatendo, especialmente sobre a família, e a sociedade como um todo. 3. A Palavra de Deus e seus referencias éticos.
  103. 103. • Colossenses 3:22 ”...Vós, servos, obedecei em tudo a vosso senhor segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus...”.
  104. 104. • Como Obreiro qual o meu procedimento com relação ao meuLíder e igreja? • Submissão: Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam • por vossa alma, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17 • Fidelidade ao seu líder. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel. 1 Coríntios 4:2.
  105. 105. • Ser Exemplo: Porque para isto trabalhamos e lutamos, pois esperamos no Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, principalmente dos fiéis. • Manda estas coisas e ensina-as. Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza. Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. 1Tm 4:10 a 13.

×