Lições Adultos

Discipulado

Lição 10 - Fazendo discípulos de todas as nações
Sábado à tarde

VERSO PARA MEMORIZAR:

1º a ...
subamos ao monte do SENHOR e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e
andemos pelas suas veredas; p...
saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre,
compadece-te de nós! Ao ...
provavelmente falasse o mesmo idioma dos visitantes. O texto sugere que Jesus não estava ali presente.
Talvez estivesse ad...
origem étnica, social ou cultural.
Quinta - A Grande Comissão

Ano Bíblico: Dt 29–31

6. Leia Romanos 15:12; Atos 1:7, 8; ...
sacrificará o conforto terreno e as associações familiares, a fim de fazer avançar a causa de Deus? Essas
são perguntas qu...
morreu por todos e deve reinar no coração de pessoas de todas as nações. A missão de pregar o evangelho
abrange todas as n...
Quais são as implicações desse tipo de atitude? Se Deus só Se preocupasse com os judeus, o que dizer
sobre Ele? Felizmente...
Quando Jesus contou a história do bom samaritano, não havia "bons samaritanos", de acordo com a maioria
dos judeus. A anti...
2. Imagine isto: uma delegação da sua comunidade visita a comissão da sua igreja com o pedido: "Nós
gostaríamos de ver Jes...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014

540 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
540
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014

  1. 1. Lições Adultos Discipulado Lição 10 - Fazendo discípulos de todas as nações Sábado à tarde VERSO PARA MEMORIZAR: 1º a 8 de março Ano Bíblico: Dt 14–17 "A Minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos." Is 56:7. Leituras da Semana: Is 56:6-8; Mt 11:20-24; Jo 12:20-32; Rm 15:12, At 1: 7, 8. A mensagem de Cristo, desde o seu início, destinava-se a todas as pessoas, em todos os lugares. Desde cedo, o evangelho foi disseminado em todo o mundo, porque ele tem aplicação universal. Sem dúvida, esse conceito desafiou o pensamento dos discípulos. Por exemplo, a reação inicial deles à conversa de Cristo com a mulher samaritana ilustra esse desafio. Eles pensavam que Jesus como Messias era apenas o cumprimento das profecias e esperanças judaicas. De alguma forma, eles haviam ignorado ou interpretado erroneamente os escritos dos profetas, especialmente Isaías, cuja mensagem abrangia todos os povos. Jesus, O Desejado das Nações, não devia ficar limitado a um único grupo. A salvação podia vir dos judeus, mas era para todos. Os seguidores de Cristo transcenderiam fronteiras nacionais, conflitos internacionais, diferenças de linguagem e outras dificuldades, porque Ele mesmo havia estabelecido o padrão de evangelismo transcultural. Como Adventistas do Sétimo Dia, vemos esse chamado especialmente em Apocalipse 14:6: "Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a Terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo". Domingo - Os profetas predisseram Ano Bíblico: Dt 18–20 Os antigos profetas predisseram a conversão dos povos não judeus (gentios) para uma fé alicerçada nas Escrituras. Divindades pagãs, culto pagão e estilos de vida destrutivos seriam derrubados pela submissão inflexível e fé em Jeová. Os inimigos de Israel afluiriam a Jerusalém suplicando para ser aceitos, sedentos de conhecimento espiritual. A missão de Israel era transmitir o convite universal de Deus às nações vizinhas. Infelizmente, a paixão missionária de Israel foi prejudicada pelas preocupações terrenas. A grande visão foi sepultada sob a complacência. A vinda de Cristo ressuscitou aquela visão, pelo menos para alguns. 1. Leia Isaías 56:6-8; Miqueias 4:1, 2; Jonas 3:7-10; 4:1. O que esses versos ensinam sobre o alcance universal da missão e sobre quão limitados eram alguns em Israel com relação à compreensão dela? “Aos estrangeiros que se chegam ao SENHOR, para o servirem e para amarem o nome do SENHOR, sendo deste modo servos seus, sim, todos os que guardam o sábado, não o profanando, e abraçam a minha aliança, também os levarei ao meu santo monte e os alegrarei na minha Casa de Oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar, porque a minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos. Assim diz o SENHOR Deus, que congrega os dispersos de Israel: Ainda congregarei outros aos que já se acham reunidos.” Isaías 56:6-8 RA “Mas, nos últimos dias, acontecerá que o monte da Casa do SENHOR será estabelecido no cimo dos montes e se elevará sobre os outeiros, e para ele afluirão os povos. Irão muitas nações e dirão: Vinde, e Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  2. 2. subamos ao monte do SENHOR e à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos pelas suas veredas; porque de Sião procederá a lei, e a palavra do SENHOR, de Jerusalém.” Miquéias 4:1-2 RA “E fez-se proclamar e divulgar em Nínive: Por mandado do rei e seus grandes, nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem os levem ao pasto, nem bebam água; mas sejam cobertos de pano de saco, tanto os homens como os animais, e clamarão fortemente a Deus; e se converterão, cada um do seu mau caminho e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez.” Jonas 3:7-10 RA “Com isso, desgostou-se Jonas extremamente e ficou irado.” Jonas 4:1 RA Israel devia ser a luz das nações. Vendo as vantagens maravilhosas que tinham os israelitas, as nações pagãs perguntariam sobre a fé monoteísta dos israelitas, e assim muitas delas seriam convertidas ao Deus verdadeiro. Infelizmente, não foi assim que as coisas aconteceram, porque Israel se tornou tão concentrado em si mesmo que perdeu de vista seu propósito maior e, muitas vezes, deixou de olhar para o Deus que tanto lhes tinha oferecido. Os cristãos modernos enfrentam um desafio similar. Será que eles investirão com sacrifício na promoção do evangelho, ou se tornarão centralizados em si mesmos, esquecendo-se do propósito maior? É mais fácil cair nessa armadilha do que podemos imaginar. "Em nome do Senhor, levantemos a voz em louvor e ações de graças pelos resultados da obra no exterior. "Diz-nos ainda nosso General, que jamais erra: 'Avancem, alcancem novos territórios. Ergam o estandarte em todas as terras.' 'Levanta-te, resplandece, porque já vem a tua luz, e a glória do Senhor vai nascendo sobre ti' (Is 60:1) "Nosso lema é: Avante, sempre avante. Adiante de nós irão os anjos de Deus para preparar o caminho. A nossa responsabilidade pelas 'terras de além' nunca cessará até que a Terra inteira seja iluminada com a glória do Senhor" (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 28, 29). Segunda - Ai de ti! Ano Bíblico: Dt 21–23 2. Leia Mateus 11:20-24; Lucas 4:25-30; 17:11-19; João 10:16. Qual é a mensagem fundamental desses textos? Como podemos aplicá-la à nossa vida? Que princípio neles é revelado, com o qual devemos ter muito cuidado? “Passou, então, Jesus a increpar as cidades nas quais ele operara numerosos milagres, pelo fato de não se terem arrependido: Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se em Tiro e em Sidom se tivessem operado os milagres que em vós se fizeram, há muito que elas se teriam arrependido com pano de saco e cinza. E, contudo, vos digo: no Dia do Juízo, haverá menos rigor para Tiro e Sidom do que para vós outras. Tu, Cafarnaum, elevar-te-ás, porventura, até ao céu? Descerás até ao inferno; porque, se em Sodoma se tivessem operado os milagres que em ti se fizeram, teria ela permanecido até ao dia de hoje. Digo-vos, porém, que menos rigor haverá, no Dia do Juízo, para com a terra de Sodoma do que para contigo.” Mateus 11:20-24 RA “Na verdade vos digo que muitas viúvas havia em Israel no tempo de Elias, quando o céu se fechou por três anos e seis meses, reinando grande fome em toda a terra; e a nenhuma delas foi Elias enviado, senão a uma viúva de Sarepta de Sidom. Havia também muitos leprosos em Israel nos dias do profeta Eliseu, e nenhum deles foi purificado, senão Naamã, o siro. Todos na sinagoga, ouvindo estas coisas, se encheram de ira. E, levantando-se, expulsaram-no da cidade e o levaram até ao cimo do monte sobre o qual estava edificada, para, de lá, o precipitarem abaixo. Jesus, porém, passando por entre eles, retirou-se.” Lucas 4:2530 RA “De caminho para Jerusalém, passava Jesus pelo meio de Samaria e da Galiléia. Ao entrar numa aldeia, Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  3. 3. saíram-lhe ao encontro dez leprosos, que ficaram de longe e lhe gritaram, dizendo: Jesus, Mestre, compadece-te de nós! Ao vê-los, disse-lhes Jesus: Ide e mostrai-vos aos sacerdotes. Aconteceu que, indo eles, foram purificados. Um dos dez, vendo que fora curado, voltou, dando glória a Deus em alta voz, e prostrou-se com o rosto em terra aos pés de Jesus, agradecendo-lhe; e este era samaritano. Então, Jesus lhe perguntou: Não eram dez os que foram curados? Onde estão os nove? Não houve, porventura, quem voltasse para dar glória a Deus, senão este estrangeiro? E disse-lhe: Levanta-te e vai; a tua fé te salvou.” Lucas 17:11-19 RA “Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor.” João 10:16 RA Cristo queria que Seu povo despertasse para sua verdadeira vocação e propósito. Ele queria que o povo percebesse que a salvação, mesmo para a nação escolhida, não é algo inato. Ela não é transmitida através de genes ou por direito de nascimento. É algo que você precisa escolher de modo consciente, uma escolha que os não israelitas podiam fazer, e muitos fizeram. Às vezes, técnicos de esportes desafiam seus atletas, comparando-os com atletas de times adversários. "Se vocês treinassem de maneira tão fiel, enérgica e intensa como eles fazem, vocês teriam sucesso." A motivação óbvia do técnico é inspirar, produzir desejo, e não diminuí-lo. Da mesma forma, Jesus queria que Seu povo compartilhasse a plenitude da salvação, como alguns povos não judeus já estavam fazendo. Sem dúvida, Suas palavras escandalizaram alguns, porque Ele pregou algo que eles não queriam ouvir, por mais que devessem ter conhecido e compreendido essas verdades. Alguns podem, de fato, ter muitas vantagens espirituais que outros não têm, mas os que têm essas vantagens devem entender que tudo que receberam é dom de Deus, para ser usado para Sua glória, e não a deles. Quais vantagens temos recebido de Deus como igreja? Por que é importante reconhecer essas vantagens e perceber, com humildade, as responsabilidades inerentes a elas? Terça - "Queremos ver Jesus" Ano Bíblico: Dt 24, 25 3. Leia João 12:20-32. Como a universalidade da mensagem do evangelho é revelada nesses versos? “Ora, entre os que subiram para adorar durante a festa, havia alguns gregos; estes, pois, se dirigiram a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e lhe rogaram: Senhor, queremos ver Jesus. Filipe foi dizê-lo a André, e André e Filipe o comunicaram a Jesus. Respondeu-lhes Jesus: É chegada a hora de ser glorificado o Filho do Homem. Em verdade, em verdade vos digo: se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, produz muito fruto. Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna. Se alguém me serve, siga-me, e, onde eu estou, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, o Pai o honrará. Agora, está angustiada a minha alma, e que direi eu? Pai, salva-me desta hora? Mas precisamente com este propósito vim para esta hora. Pai, glorifica o teu nome. Então, veio uma voz do céu: Eu já o glorifiquei e ainda o glorificarei. A multidão, pois, que ali estava, tendo ouvido a voz, dizia ter havido um trovão. Outros diziam: Foi um anjo que lhe falou. Então, explicou Jesus: Não foi por mim que veio esta voz, e sim por vossa causa. Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso. E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.” João 12:20-32 RA Jerusalém ainda estava agitada pelos rumores. A entrada triunfal de Cristo tinha acabado de ocorrer. Os gritos de hosanas, no entanto, foram rapidamente substituídos por perguntas. O que aconteceria a seguir? Seria Jesus coroado rei? Entre a multidão reunida para a páscoa estavam adoradores gregos. Observe suas palavras a Filipe: "Senhor, queremos ver Jesus" (Jo 12:21). Eles queriam ver Jesus. Em outras palavras, eles queriam estar com Ele, aprender com Ele. Que testemunho sobre o caráter universal de Cristo e Sua mensagem! É muito triste notar que aqueles que deveriam ter dito a mesma coisa foram os que queriam se livrar dEle. Os gregos provavelmente teriam se aproximado de Filipe porque, de todos os discípulos, somente ele tinha nome grego. Vindo de Betsaida, um centro de pesca comercial e, portanto, um lugar de mistura cultural, ele Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  4. 4. provavelmente falasse o mesmo idioma dos visitantes. O texto sugere que Jesus não estava ali presente. Talvez estivesse adorando perto dali, em lugares reservados aos judeus. Em seguida, no entanto, reunindo os discípulos e aqueles gregos no pátio exterior, Jesus concedeu a esses homens seu desejo. Observe o que Ele lhes disse: "Se alguém" (Jo 12:26), significando qualquer homem, mulher, judeu ou grego, quisesse segui-Lo, poderiam fazê-lo, mas isso teria um custo. 4. Qual era esse custo? Como podemos entender isso? João 12:25. “Quem ama a sua vida perde-a; mas aquele que odeia a sua vida neste mundo preservá-la-á para a vida eterna.” João 12:25 RA Então, estando esses estrangeiros ainda presentes, o Céu trovejou uma mensagem de confirmação acerca de juízo e conquista. Jesus disse que aquela voz não foi ouvida por Sua causa, mas por causa deles, judeus e gregos, para que sua fé se fortalecesse. As palavras de Cristo confirmaram que Sua morte seria em favor de todo o mundo. Quarta - Derrubando barreiras Ano Bíblico: Dt 26–28 5. Leia João 7:35; 8:48; Lucas 10:27-37. Por que os cristãos devem eliminar todas as barreiras de separação, enquanto buscam fazer discípulos de todas as nações? “Disseram, pois, os judeus uns aos outros: Para onde irá este que não o possamos achar? Irá, porventura, para a Dispersão entre os gregos, com o fim de os ensinar?” João 7:35 RA “Responderam, pois, os judeus e lhe disseram: Porventura, não temos razão em dizer que és samaritano e tens demônio?” João 8:48 RA “A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.” Lucas 10:27-37 RA O desprezo dos líderes por Jesus não conhecia limites. Novamente, a terrível ironia: aqueles que deviam ter sido os primeiros a recebê-Lo e à Sua mensagem, foram os que mais lutaram contra Ele. Os sacerdotes de Israel desprezaram o Filho de Deus, enquanto aqueles que não eram de Israel O aceitaram como Messias. Que lição poderosa e solene há aqui para aqueles que se julgam espiritualmente favorecidos! Ao condenarem Cristo, eles não somente O rotularam como tendo demônio, mas fizeram algo pior, chamaram-nO de samaritano. Eles ainda zombaram dEle por Seu testemunho entre os gregos, mostrando, obviamente, seu desprezo por aqueles que não eram de sua própria nação e crença. Para os líderes de Israel era inadmissível que Jesus pensasse em ensinar os gregos. Jesus reagiu a essa atitude enfatizando a superioridade do caráter sobre a origem étnica. É interessante também que Ele usou a história verdadeira de um samaritano, a fim de ensinar uma grande lição espiritual sobre o que significava realmente cumprir a lei de Deus. Os líderes religiosos, sem dúvida restringidos por sua compreensão distorcida da lei levítica e da contaminação, tinham anteriormente ignorado o homem ferido. O estrangeiro desprezado, um samaritano, tinha conscienciosamente desafiado os preconceitos étnicos, salvando a vida do estranho. Essa foi uma cortante repreensão a todos aqueles que desprezam e zombam de alguém que esteja em necessidade, somente porque essa pessoa tem diferente Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  5. 5. origem étnica, social ou cultural. Quinta - A Grande Comissão Ano Bíblico: Dt 29–31 6. Leia Romanos 15:12; Atos 1:7, 8; João 11:52, 53; Mateus 28:19, 20. Qual é a mensagem essencial desses textos e como ela se harmoniza com as mensagens dos três anjos em Apocalipse 14? “Também Isaías diz: Haverá a raiz de Jessé, aquele que se levanta para governar os gentios; nele os gentios esperarão.” Romanos 15:12 RA “Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.” Atos 1:7-8 RA “e não somente pela nação, mas também para reunir em um só corpo os filhos de Deus, que andam dispersos. Desde aquele dia, resolveram matá-lo.” João 11:52-53 RA “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.” Mateus 28:19-20 RA “Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome e o nome de seu Pai. Ouvi uma voz do céu como voz de muitas águas, como voz de grande trovão; também a voz que ouvi era como de harpistas quando tangem a sua harpa. Entoavam novo cântico diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém pôde aprender o cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. São estes os que não se macularam com mulheres, porque são castos. São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá. São os que foram redimidos dentre os homens, primícias para Deus e para o Cordeiro; e não se achou mentira na sua boca; não têm mácula. Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe pelos séculos dos séculos, e não têm descanso algum, nem de dia nem de noite, os adoradores da besta e da sua imagem e quem quer que receba a marca do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus. Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham. Olhei, e eis uma nuvem branca, e sentado sobre a nuvem um semelhante a filho de homem, tendo na cabeça uma coroa de ouro e na mão uma foice afiada. Outro anjo saiu do santuário, gritando em grande voz para aquele que se achava sentado sobre a nuvem: Toma a tua foice e ceifa, pois chegou a hora de ceifar, visto que a seara da terra já amadureceu! E aquele que estava sentado sobre a nuvem passou a sua foice sobre a terra, e a terra foi ceifada. Então, saiu do santuário, que se encontra no céu, outro anjo, tendo ele mesmo também uma foice afiada. Saiu ainda do altar outro anjo, aquele que tem autoridade sobre o fogo, e falou em grande voz ao que tinha a foice afiada, dizendo: Toma a tua foice afiada e ajunta os cachos da videira da terra, porquanto as suas uvas estão amadurecidas! Então, o anjo passou a sua foice na terra, e vindimou a videira da terra, e lançou-a no grande lagar da cólera de Deus. E o lagar foi pisado fora da cidade, e correu sangue do lagar até aos freios dos cavalos, numa extensão de mil e seiscentos estádios.” (Apocalipse 14:1-20 RA) A obra final de Deus estará incompleta até que o evangelho eterno expresso na mensagem dos três anjos de Apocalipse 14 tenha cruzado todos os limites raciais, étnicos, nacionais e geográficos. Sem divulgar o tempo exato, a Escritura afirma inequivocamente que esse evangelho alcançará todo o mundo. O triunfo de Deus e sua proclamação estão garantidos. A aceitação dessa mensagem por parte das nações está profetizada. Isso deve acontecer, mas quem se oferecerá como canal da graça divina? Quem se unirá a Cristo para derrubar barreiras raciais, étnicas e de linguagem, que impedem o progresso do evangelho? Quem vai esvaziar suas carteiras e bolsas? Quem Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  6. 6. sacrificará o conforto terreno e as associações familiares, a fim de fazer avançar a causa de Deus? Essas são perguntas que devemos fazer a nós mesmos. O que estamos fazendo para alcançar outras pessoas, independentemente de sua origem? Quão lamentável é que alguns cristãos permitam que estereótipos raciais, preconceitos culturais e barreiras sociais projetados por Satanás os impeçam de proclamar vigorosamente o evangelho, enquanto seus irmãos estão espalhados por todo o mundo, entregando a vida para que o evangelho seja pregado. "Nosso êxito missionário tem sido plenamente proporcional ao nosso esforço abnegado e espírito de sacrifício. Somente Deus pode avaliar a obra feita à medida que a mensagem evangélica tem sido proclamada de maneira clara e direta. Novos campos têm sido alcançados e se tem feito um trabalho resoluto. As sementes da verdade têm sido semeadas, a luz tem resplandecido em muitas mentes, proporcionando ampla visão de Deus e uma avaliação mais correta do caráter a ser formado. Milhares têm sido levados ao conhecimento da verdade, tal qual é em Jesus. Têm sido imbuídos da fé que atua por amor e purifica a vida" (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 28). Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Dt 32–34 Leia de Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 25-34: "A Grande Comissão"; p. 35-46: "O Pentecostes"; O Desejado de Todas as Nações, p. 621-626: "No pátio"; p. 497-505: "O Bom Samaritano". "Certo samaritano, indo de viagem, chegou onde se achava a vítima e, ao vê-la, moveu-se de compaixão por ela. Não indagou se o estranho era judeu ou gentio [...] "Assim, a pergunta: 'Quem é o meu próximo?' ficou para sempre respondida. Cristo mostrou que nosso próximo não quer dizer simplesmente alguém de nossa igreja ou da mesma fé. Não tem que ver com distinção de raça, cor ou classe. Nosso próximo é todo aquele que necessita de nosso auxílio. Nosso próximo é toda pessoa que se acha ferida e quebrantada pelo adversário. Nosso próximo é todo aquele que é propriedade de Deus" (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 503). Perguntas para reflexão 1. O que nosso apoio financeiro à missão mundial da Igreja indica sobre nosso compromisso com a Grande Comissão? Por que nosso envolvimento precisa ir além do mero apoio financeiro? Os recursos atualmente destinados à manutenção da igreja devem ser canalizados para o evangelismo transcultural? 2. "Não devemos julgar que a obra do evangelho dependa principalmente do pastor. Deus deu a cada um uma obra para fazer em relação ao Seu reino. Cada um dos que professam o nome de Cristo deve ser obreiro zeloso e desinteressado, decidido a defender os princípios da justiça. […] Devemos ser missionários que tenham como alvo principal converter pessoas para Cristo" (Ellen G. White, Testemunhos Para a Igreja, v. 6, p. 427). Pergunte à classe: O que mais poderíamos fazer para ajudar a concluir a obra a que fomos chamados? 3. Medite no que Jesus disse em João 12:25. O que quer dizer "odiar" a nossa vida "neste mundo"? De que forma devemos expressar esse "ódio"? Respostas sugestivas: 1. A missão envolvia a salvação de todas as pessoas e nações. Deus requer que busquemos todos quantos se acham fora do redil de Jesus. Jonas foi um exemplo de egoísmo e exclusivismo porque não desejava que os assírios fossem perdoados. 2. As cidades que viram os milagres de Jesus e O rejeitaram ficariam em ruínas, enquanto o julgamento divino seria menos rigoroso em relação a cidades pagãs que teriam sido mais receptivas ao convite divino. No fim, as pessoas que conheceram Jesus e o rejeitaram serão arruinadas. Às vezes a verdade é mais valorizada pelos incrédulos do que pelos que estão acostumados a lidar com ela, mas se tornam ingratos e orgulhosos. Muitas ovelhas verdadeiras de Deus ainda estão fora do aprisco verdadeiro. 3. O evangelho é universal. Deus não faz acepção de pessoas. Todos os sinceros que O buscam são recebidos de braços abertos. Jesus disse que quando fosse levantado da Terra atrairia todos os povos a Ele, a exemplo dos gregos que queriam vê-Lo. 4. O custo é a vida. Quem renuncia a vida por causa de Cristo, irá preservá-la eternamente. Deve haver entrega total ao Seu serviço. Vida, posses e planos devem ser consagrados a Ele. Só assim Ele pode salvar e usar as pessoas. 5. Embora os judeus abominassem gregos e samaritanos, Jesus aceitava a todos, sem barreiras. A parábola do bom samaritano ilustrou o princípio do amor que devia aproximar judeus e samaritanos. O cristão não deve abrigar qualquer preconceito contra pessoas. Todos devem receber a mensagem de salvação. 6. Jesus Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  7. 7. morreu por todos e deve reinar no coração de pessoas de todas as nações. A missão de pregar o evangelho abrange todas as nações da Terra. Ele nos enviou a ensinar, batizar e fazer discípulos em todas as nações. Apocalipse 14 mostra o cumprimento dessa missão. Auxiliar - Resumo Discipulado Texto-chave: Isaías 56:7 O aluno deverá... Saber: Afirmar que, no reino de Deus, adjetivos como africanos, asiáticos, argentinos ou brasileiros, em última análise, são inúteis. Sentir: Resistir à tentação de classificar as pessoas por idade, etnia, nível econômico e religião. Fazer: Aproveitar todas as oportunidades possíveis para envolver pessoas de diferentes origens e perspectivas. Esboço I. Saber: A preocupação de Deus por Suas criaturas vai muito além das categorias humanas. A. Por que achamos tão fácil classificar as pessoas: boas e más, residentes e estrangeiras, santas e pecadoras? B. Por que essa tendência de discriminar as pessoas é perigosa para nossa tentativa de fazer discípulos? II. Sentir: Nossas semelhanças superam as nossas diferenças. A. Mencione dez coisas que temos em comum com todos os nossos semelhantes. B. Excluindo questões de fé, mencione dez coisas que nos tornam diferentes dos outros. C. O que é mais fácil: destacar nossas diferenças ou nossas semelhanças? Por quê? III. Fazer: Às vezes, os profetas de Deus receberam mensagens para Seu povo. Mas alguns receberam mensagens para outras nações. A. Israel cumpriu seu destino de ser uma luz para as nações? B. O que tornou a nação tão ineficaz? C. O que Israel deveria ter feito, e não fez? Que lição esse fracasso tem para nós? Resumo: A tarefa de proclamar o evangelho a todo o mundo é prejudicada quando as pessoas acreditam que Deus só Se preocupa com elas e que Ele voltará apenas para salvá-las. Temos que entender que Deus deseja que revelemos Seu amor "a cada nação, e tribo, e língua, e povo" (Ap 14:6). Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando as Escrituras: Isaías 56:7 Conceito-chave para o crescimento espiritual: O reino de Deus não é limitado por fronteiras étnicas nem geográficas. Somente para o professor: Enquanto a Bíblia é muitas vezes um registro do relacionamento de Deus com Seu povo, os judeus, outro tema percorre toda a Bíblia: que Deus realmente respeita todas as pessoas na Terra como Sua possessão. Esta lição desafia a alegação de exclusividade do povo "escolhido" de Deus. Atividade de abertura/Reflexão Para a mente judaica, havia apenas duas classes de pessoas no mundo: os judeus e os outros. Os "outros" eram chamados de gentios. Eles podiam ser babilônicos, assírios, romanos, chineses ou etíopes: todos eram gentios. Essa atitude, no entanto, era comum no mundo antigo: por exemplo, os gregos consideravam os não gregos como "bárbaros". Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  8. 8. Quais são as implicações desse tipo de atitude? Se Deus só Se preocupasse com os judeus, o que dizer sobre Ele? Felizmente, Deus é maior do que a maioria de nós pode imaginar. Você já viajou para algum lugar em que você era desconhecido? Como foi a experiência de se sentir um estranho? Compreensão Somente para o professor: Você não precisa ler muito a Bíblia para entender que Deus Se considerava o Deus dos judeus. Mas Ele também Se considerava Deus de toda a humanidade. O fato de que Deus tinha interesse em outras pessoas, além dos judeus, remonta à história da criação, em que Ele foi responsável pela criação de todo o mundo, bem como dos primeiros pais da humanidade, Adão e Eva. Histórias do Antigo Testamento sobre José, Raabe, Rute, Daniel, Ester e Jonas demonstram que Deus não só estava consciente das pessoas de outras nações, mas, muitas vezes, fazia todo o possível para abraçálas e torná-las parte de Sua comunidade de fé. Os personagens do Novo Testamento, como os reis magos, que apareceram de um país distante para adorar o Menino Jesus, o bom samaritano, a mulher samaritana junto ao poço de Jacó, o centurião romano que tinha um servo doente, a mulher de Tiro e Sidon, cuja filha estava doente, e vários outros mostram que Jesus não estava impedido de ajudar os outros, simplesmente porque não eram judeus. Comentário Bíblico I. Um Deus bom demais para os gentios (Recapitule com a classe Jn 3; 4) A história de Jonas é instrutiva porque mostra a preocupação de Deus para com as pessoas de outras nações, bem como a forma de os judeus, neste caso, Jonas, entenderem sua missão, e qual era a diferença entre os dois. Deus enviou Jonas a Nínive com uma mensagem de juízo: "Daqui a quarenta dias Nínive será destruída " (Jn 3:4, NVI). Não havia nenhuma indicação do que as pessoas de Nínive poderiam fazer para evitar esse mal. Seu destino estava selado. Eles tinham 40 dias. Porém, aparentemente, Jonas foi um evangelista tão convincente que, quando ouviu falar sobre a mensagem de Jonas, o rei pediu que todos (até mesmo os animais) se arrependessem em saco e cinza. "Talvez Deus Se arrependa e abandone a Sua ira, e não sejamos destruídos" (v. 9). O registro bíblico declara: "Tendo em vista o que eles fizeram e como abandonaram os seus maus caminhos, Deus Se arrependeu e não os destruiu como tinha ameaçado" (v. 10). Boas notícias! Certo? Não para Jonas. Uma cidade inteira foi poupada, mas isso não o agradou nem um pouco. "Foi por isso que me apressei em fugir para Társis", Jonas orou. "Eu sabia que Tu és Deus misericordioso e compassivo, muito paciente, cheio de amor e que prometes castigar mas depois Te arrependes" (Jn 4:2, NVI). Aparentemente, Jonas concordava que Deus fosse compassivo com ele e seus companheiros judeus; na verdade, ele confessou isso quando orou na barriga do peixe: "A salvação vem do Senhor" (Jn 2:9). Mas misericórdia e compaixão para com os gentios? Isso, na cabeça de Jonas, era levar as coisas um pouco longe demais. Pense nisto: Você acha que é surpreendente que Deus Se preocupe tanto com os gentios como Se preocupa com os judeus? Será que Ele Se importa tanto com os católicos romanos, como Se preocupa com os adventistas do sétimo dia? E sobre cristãos e hindus, muçulmanos, budistas – Ele Se importa com todos eles? Até mesmo com os ateus? Explique. Leia Salmo 86:9 e Isaías 52:10; 56:7 e 61:11. No contexto da história de Jonas, como você entende esses textos? II. E o herói é... (Leia com a classe Lc 10:25-37.) Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  9. 9. Quando Jesus contou a história do bom samaritano, não havia "bons samaritanos", de acordo com a maioria dos judeus. A antipatia entre judeus e samaritanos vinha de centenas de anos. Jesus contou a história no contexto da conversa com "um perito na lei" (v. 25, NVI). A pergunta do homem foi: "O que preciso fazer para herdar a vida eterna?" (V. 25, NVI). A resposta de Jesus foi dupla: "Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração" e "Ame o seu próximo como a si mesmo" (v. 27). Quando indagado sobre quem o homem devia considerar seu próximo, Jesus contou a história de um homem que foi espancado, roubado e deixado para morrer ao longo da estrada para Jericó. Um sacerdote e um levita passaram sem fazer nada para ajudar. Foi um daqueles desprezados samaritanos que parou para ajudar a vítima. O samaritano não só fez um curativo nas feridas do homem, mas o colocou sobre seu jumento, levou-o para uma estalagem e pagou pelos cuidados do homem. Pense nisto: A pergunta de Jesus. "Qual destes três você acha que foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltante"(v. 36, NVI), está carregada com algumas implicações surpreendentes. Se, supostamente, o sacerdote e o levita, que estavam mais perto de Deus, passaram sem fazer nada, que direito eles tinham de se chamar o povo de Deus? E se o samaritano parou e fez o que qualquer pessoa decente teria feito, o que isso diz sobre aqueles a quem somos tentados a descartar por serem indignos da graça de Deus? Como a graça pode ser graça, se não for imerecida? III. O que o mundo precisa agora (Recapitule com a classe Jo 12:20-32) Após a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, menos de uma semana antes de Sua crucificação, Jerusalém estava repleta de boatos e especulações sobre o que Jesus faria em seguida. Os fariseus também estavam ficando cada vez mais desesperados quando viam aumentar a influência de Jesus e a sua própria diminuição. "Olhem como o mundo todo vai atrás dEle!" (João 12:19, NVI). Esse é o cenário para o seguinte pedido de alguns gregos que estavam em Jerusalém para a Páscoa: "Senhor, queremos ver Jesus" (v. 21, NVI). Curiosamente, foi nesse contexto que Jesus fez esta declaração significativa: "Eu, quando for levantado da Terra, atrairei todos a Mim" (v. 32). Em outras palavras, quando as pessoas dizem que querem ver Jesus, não estão pedindo para saber sobre nós, mas estão pedindo por um vislumbre do caráter de Cristo. Não seremos bons discípulos se tivermos uma mensagem sobre nós mesmos, nossos pontos fortes, nosso talentos ou ensinamentos. Seremos bons discípulos, unicamente se Cristo for refletido em nossa vida, e dirigirmos a atenção das pessoas para Ele. Pense nisto: Mais de sete bilhões de pessoas vivem no planeta Terra. E cada uma das várias grandes religiões do mundo tem seus próprios escritos sagrados. Como nós, adventistas do sétimo dia, mesmo com nossa familiaridade com a verdade bíblica, pretendemos alcançar a todos? Perguntas para reflexão Como você se sente com a ideia de que o evangelho eterno de Deus se aplica a pessoas de todas as nações? Confuso? Assustado? Encantado? Por quê? Seja honesto com seus sentimentos e razões. Aplicação Somente para o professor: Por vezes, algumas partes do mundo são descritas como "póscristãs". Este é um grande desafio, especialmente naquelas partes do mundo (América do Norte, Europa Ocidental, Pacífico Sul) que, anteriormente, eram conhecidas como cristãs. Claramente, esse trabalho foi talhado para nós. Perguntas para reflexão: 1. Se Deus ama todos, por que deveríamos convidá-los a aceitar Seu evangelho? Dica: mesmo crendo na salvação pela graça mediante a fé, ainda há um lugar para as obras. Qual? Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  10. 10. 2. Imagine isto: uma delegação da sua comunidade visita a comissão da sua igreja com o pedido: "Nós gostaríamos de ver Jesus". O que você diria? O que faria? Criatividade e atividades práticas Somente para o professor: O mundo em que vivemos é muito mais complexo do que nossos pioneiros adventistas do sétimo dia jamais imaginaram. Quem teria pensado, uma geração atrás, que o Islã seria uma das religiões que mais crescem na América do Norte? Temos que estar abertos para métodos novos, criativos, para chegar aos outros. Atividade Atividade: Dependendo de onde você mora, você pode conhecer alguém que pratica uma das outras tradições religiosas do mundo diferentes do cristianismo (budismo, hinduísmo, islamismo, judaísmo etc.). Aprenda com eles o que eles creem e, depois, pense em maneiras pelas quais você pode alcançá-los com nossa mensagem. Perguntas para reflexão 1. Até que ponto você conhece as pessoas de outras religiões (não cristãs)? 2. Você se sente ameaçado por elas? Se sim, por quê? 3. Se você quisesse discutir religião com elas, isso seria fácil? 4. Que tipo de evangelismo seria mais eficaz para alcançá-las? Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira. Veja esta e outras lições sobre o discipulado em: http://www.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html

×