Casa da Cascata

5.888 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado na disciplina de Estudo da Forma Arquitetônica, sobre a Casa da Cascata, de Frank Lloyd Wright.

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.888
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
159
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Casa da Cascata

  1. 1. O ARQUITETO : Nascido nem 08 de Junho de 1867 em Richland Center, Wisconsin (EUA). É considerado um dos maiores mestres da arquitetura contemporânea e o mais importante arquiteto norte-americano. Pertencente a geração anterior a de Le Corbusier, Ludwig Mies Van der Rohe e Walter Gropius, no arco de sua longa vida, Wright viveu as fases primordiais do modernismo, a ascensão e o declínio de um movimento do qual foi um dos maiores expoentes. No início do século XX,Wright atinge a maturidade de uma primeira identidade artística e de uma liberdade expressiva fundada por um lado na desmaterialização progressiva da caixa ou do volume construído, em favor da maior integração entre interior e exterior, obtida pela acentuação das linhas horizontais(janelas com amplos beirais, elementos decorativos, janelas em fitas, etc)e por outro, na aplicação sistemática de uma “grelha” na concepção do plano, módulo de base que não é só unidade de medidas do espaço, mas também princípio formal. Essa primeira pesquisa sobre a casa levará a uma releitura inédita do interior da casa tradicional americana.Um processo de síntese e de redução das partes dos elementos essenciais marca a influência exercida pelo Japão sobre o pensamento de Wright. Frank Lloyd Wright passou mais de 70 anos se dedicando a criar projetos que revolucionaram a arte e a arquitetura desse século. Os mais de 1141 trabalhos (532 executados) incluem casas, escritórios, igrejas, escolas, museus e outros. Wright também se dedicou a desenhar móveis, tecidos, luminárias,...,e possui uma vasta produção literária como pensador da arquitetura, educador e filósofo. Tinha 67 anos quando os Kaufmann encomendaram a nova casa de campo. Wright acreditava que o edifício tinha que se integrar com o local onde seria construído, como se cada projeto arquitetônico devesse crescer, sem esforço, a partir do local a qual está inserido. Chamou a isso arquitetura orgânica.
  2. 2. A CASA DA CASCATA “A Casa da Cascata foi concebida a partir da sua integração ao curso d’água que passa pela propriedade. Frank Lloyd Wright a imaginou para que os futuros moradores sempre sentissem a força com que cai e passa o riacho, não visualmente, mas através do som que se produz, percorrendo toda a casa.” Fabiana Nunes
  3. 3. Ivete Miranda O PROJETO: A CONSTRUÇÃO: .. A construção foi atormentada por conflitos entre Wright, Kaufmann e o empreiteiro da construção. O edifício é feito de forma que as quedas de água podem ser ouvidas do seu interior, mas só podem ser vistas quando se está de pé na varanda do piso mais alto. Este tipo de mistério de arquitetura geométrica intrigou o próprio Wright. Na época da sua construção, a Casa da Cascata custou um total de 155.000 dólares,
  4. 4. repartidos da seguinte forma: 75.000 para a casa, 22.000 para os acabamentos e mobiliário, 50.000 para casa de hóspedes, garagem e alojamentos dos criados e 8.000 para os honorários do arquiteto. Atualizados, estes custos traduzem-se em cerca de 2,4 milhões de dólares em 2010.
  5. 5. Análises: Elementos Planos: As lajes de concreto armado expressam a horizontalidade dos planos do piso e da cobertura à medida que se projetam em balanço a partir de um núcleo vertical central. Os planos de base elevado e rebaixado assim como o plano superior foram feitos em concreto armado.Os planos obtiveram destaque maior através das janelas de vidro. Quanto à organização da forma e espaço: Organização aglomerada: Se baseia na proximidade física para relacionar seus espaços em ao outro, a casa possui espaços semelhantes, repetitivos,com característica linear comum e constante Espaços interseccionais, pois resultam da sobreposição de dois campos espaciais e do aparecimento de uma área de espaço comum. Transformação da forma: Forma aditiva:São adicionados os vários terraços e ovolume da chaminé Articulação das formas: Arestas e cantos: Aberturas nos cantos enfatizam a definição de planos sobre volume. Os cantos definem o encontro entre dois planos. Essa condição de canto enfatiza o volume de uma forma. Diferencia os planos contíguos através de uma mudança no material, na cor, na textura ou no padrão. Articulação das superfícies: A cor, a textura e o padrão das superfícies articulam a existência dos planos e influenciam o peso visual de uma forma. Wright usou apenas duas cores na construção da casa. Elementos verticais:Wright fez todo o desenho da casa ao redor da chaminé, que foi considerado o lugar de reunião da família. A base da casa são as rochas do lugar. Algumas superam o nível inferior e aparecem junto à chaminé, trazendo, em certa medida, a cascata para dentro da residência, criando um núcleo vertical, reforçado pela torre da chaminé, o ponto mais alto da casa. Plano vertical único, Planos paralelos. Elementos Horizontais: Todos elementos horizontais encontrados na casa são de betão(concreto). O concreto armado foi executado considerando as cores encontradas nas pedras da região mantendo o cuidado da harmonização com o ambiente em que está inserido.
  6. 6. ELEMENTOS DE CIRCULAÇÃO: A via de nosso movimento pode ser concebida como a linha perceptiva que conecta os espaços de um edifício ou qualquer série de espaços internos e externos. É Como nos movemos no tempo através de uma sequência de espaços. A circulação/ espaço uso indicam que existem condições de privacidade e circulação. ILUMINAÇÃO: Iluminação natural: Há incidência de luz direta pelas aberturas dos terraços,do térreo e no segundo pavimento e iluminação indireta pela janela do estar do pavimento térreo. Os caminhos desenvolvem os temas da luz e dos espaços, partindo da parte de trás da casa e da encosta, no escuro e na estreiteza do corte para desaguar nos ambientes dilatados embebidos de luz e virados para o rio. ABERTURAS: Longos vitrais encerram os espaços internos anulando o conceito tradicional de janelas e liberando o visual para a natureza circundante. “a essência de um bom projeto de iluminação natural consiste na colocação de aberturas de tal modo que a luz penetre onde ela é desejada, isto é, sobre o trabalho, e de tal maneira que proporcione uma boa distribuição de luminância em todos os planos do interior” Aberturas em elementos definidores de espaço Aberturas em planos
  7. 7. O INTERIOR: A Casa da Cascata é formada por duas partes: a casa principal dos clientes, construída entre 1936 e 1938, e o quarto de hóspedes, finalizado em 1939. A casa original contém ambientes simples, desenhados proporcionados por Wright e feitos com madeiras encontradas na região; uma sala de estar ampla com um cozinha compacta no nível térreo; e uma enorme suíte principal no segundo andar. O terceiro nível era o lugar de estudo e dormitório do filho do cliente, o sr.Kaufmann. Todos os recintos da casa se relacionam com o entorno natural. A sala de estar, inclusive, apresenta uma escada que conduz diretamente ao riacho. As circulações dentro da casa são escuras, os corredores são estreitos, para que os habitantes tenham a sensação de fechamento, em comparação com a abertura proporcionada à medida que se aproximam aos ambientes principais. Um detalhe muito curioso da estrutura é o pé-direito muito baixo. Uma inovação para a época e até hoje muito comentada. Em certos locais é possível tocar o teto. Esse detalhe arquitetônico, que a princípio parece estranho, potencializa os efeitos naturais e ajuda no conforto térmico interno. Nos dias quentes de verão a circulação de ar cruzada refresca os ambientes e nos dias frios o calor da casa é mantido com mais eficiência. Outro fator de destaque é que com os tetos mais baixos a reverberação do som que vem da cascata aumenta bastante, nos relembrando a todo momento, onde a casa está Janelas panorâmicas e mobiliário totalmente incorporado às paredes: Esses móveis de linhas retas e acabamentos lisos, feitos sob medida, custaram uma verdadeira fortuna, mas não agradaram totalmente à Sra. Kaufmann. As opiniões de Wright sobre o que devia ser a entrada têm sido questionadas; ainda, a porta que Wright considerava ser a porta principal está escondida num canto e é bastante pequena. A ideia de Wright para a grande fachada desta casa é a da perspectiva de todas as famosas fotografias do edifício, olhando para cima a partir do riacho, vendo o canto oposto à entrada principal. Na encosta acima da casa principal existe uma coberta para quatro carros (apesar dos Kaufmanns terem pedido uma garagem), alojamentos para os criados e um quarto de hóspedes. Este edifício exterior anexo foi construído um ano depois usando a mesma qualidade de materiais e a mesma atenção aos detalhes da casa principal. Logo acima fica uma pequena piscina de seis pés de profundidade, continuamente alimentada por água natural, a qual depois flui para o riacho abaixo. Através dum truque visual comparando as paredes da piscina com a paisagem mais além, a piscina parece não ter nível, embora, de facto, o tenha. A coberta foi, sob direcção de Kaufmann, Jr., fechada posteriormente para ser usada pelos visitantes da Casa da Cascata, que geralmente se reunem ali no final das visitas guiadas. Kaufmann, Jr. projetou ele próprio os interiores, mas com as especificações encontradas noutros interiores da casa projetados por Wright.
  8. 8. A perfeição de todos os detalhes leva esta obra a uma consistência de alto grau. É uma obra que vai muito além de sua forma, onde a presença física e espiritual do homem se faz mais transparente, em sincronia com a relação harmônica entre arquitetura e natureza. Referências Bibliográficas: PFEIFFER,Bruce Brooks.Wright, CHING, Francis D.K., Arquitetura- Forma,espaço e ordem FOLHA DE SÃO PAULO, Frank Lloyd Wright Sites: http://www.archdaily.com.br/br/01-53156/classicos-da-arquitetura-casa-da- cascata-frank-lloyd-wright http://pt.slideshare.net/IsabellaMarra/frank-lloyd-wright-15413667?qid=7a1e8a94- 78ee-4cef-99fe-21f9153ba7f4&v=default&b=&from_search=2 http://pt.slideshare.net/hcaslides/frank-lloyd-wright-1507739?qid=7a1e8a94-78ee- 4cef-99fe-21f9153ba7f4&v=qf1&b=&from_search=2 http://pt.wikipedia.org/wiki/Casa_da_Cascata
  9. 9. PLANTAS:

×