QUAL O MEU PAPEL AQUI?
                                                                                      Mais que um ...
O objectivo é …
                                                                                            O QUE O CLIENT...
MOVING UP THE VALUE CHAIN
             DESAFIOS PARA A ECONOMIA PORTUGUESA                                            subi...
COMPETIDORES DE HOJE E DE AMANHA                          Se os salários nos BRIC são…

                                  ...
OPORTUNIDADES DE MELHORIA
                                                                                                ...
“Obtemos resultados brilhantes,
               Um Value Stream Map revelou:
                                              ...
2007 – ANO DA CONSAGRAÇÃO DA TOYOTA

                                                                                    G...
A TMC HOJE
                                                                                                           • Os...
O PRIUS DA TOYOTA
                                                                                                        ...
AS QU4TRO REGRAS DO TPS
                                                            A melhor qualidade,
                  ...
OBJECTIVOS TPS
                                                                                                           ...
u
                                                                                                                    O LE...
O PENSAMENTO MAGRO
                                                                                                       ...
LEAN THINKING                                                                          A CRIAÇÃO DE VALOR
           o pro...
AGREGAÇÃO DE VALOR
                                                                                                       ...
processos de
                                                                   menor qualidade                           ...
Uma simples ilustração…                                                                                                   ...
O OBJECTIVO DO LEAN THINKING É A MELHORIA CONTINUA DO DESEMPENHO
                  OPERACIONAL ATRAVÉS DA ELIMINAÇÃO SISTE...
COMO TORNAR-SE LEAN…
                                                                                                     ...
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Clt IntroduçãO Lean Thinking
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Clt IntroduçãO Lean Thinking

3.452 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.452
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Clt IntroduçãO Lean Thinking

  1. 1. QUAL O MEU PAPEL AQUI?  Mais que um formador – um sensei!  Um agitador de consciências! INTRODUÇÃO AO  Por as pessoas a pensar!  Never stop thinking – é a atitude a seguir; LEAN THINKING Por JOÃO PAULO PINTO  Não procurarei em ser simpático com as questões que irei colocar – o objectivo é agitar!  Pretendo com vocês estabelecer uma relação win-win (tal como espero que vocês estabeleçam com os vossos colaboradores, clientes e fornecedores). COMUNIDADE LEAN THINKING comunidade lean thinking © 1 de 100 comunidade lean thinking © 2 de 100 O OBJECTIVO NEVER STOP THINKING comunidade lean thinking © 3 de 100 comunidade lean thinking © 4 de 100
  2. 2. O objectivo é … O QUE O CLIENTE QUER?  SATISFAÇÃO TOTAL!!!  Elevada qualidade do produto ou serviço ao mais baixo possível custo!  Entregas a tempo!!! Peter Drucker … servir o cliente. comunidade lean thinking © 5 de 100 comunidade lean thinking © 6 de 100 PROVOCAÇÃO INICIAL ... SINAIS DE ALERTA  Qual a missão da Vossa Empresa (VE)?  Redução das vendas;  Redução de margens;  Quem são as partes interessadas (stakeholders) da VE?  Aumento de custos;  Quais as suas necessidades e expectativas?  Aumento da insatisfação do cliente e demais stakeholders;  Como é que a VE está a detectar estas necessidades e  Acumulação de stocks em toda a cadeia; expectativas? (que evidências?)  Manifestações frequentes de desperdício (aparente ou não);  Qual a politica de Qualidade da VE? Ex. excesso de recursos, problemas de qualidade, paragens, erros, hesitações, resistências internas e externas…  De que modo esta influencia as  Ineficácia das tentativas/acções de melhoria; suas actividades diárias?  Adopção de soluções do tipo quick-fix…  Quais as evidências disso?  Ausência de envolvimento das pessoas;  Qual a politica de RH da VE?  Complacência perante as situações;  Obediência maliciosa. comunidade lean thinking © 7 de 100 comunidade lean thinking © 8 de 100
  3. 3. MOVING UP THE VALUE CHAIN DESAFIOS PARA A ECONOMIA PORTUGUESA subir na cadeia de valor  Globalização; design > > > >>>>>>>> > > > entrega  Mudança global para os serviços; valor acrescentado  Aumento de custos (materiais, energia, MDO, etc);  Alterações demográficas;  Subir na cadeia de valor; fabrico  Crescente importância do conhecimento; •I&D; • Supply Chain Management; • Inovação;  Alterações nas politicas da UE; •Design; • Customer Response Management • Estratégia de distribuição; •DFM/DFX; • Mass Customisation;  Questões ambientais; •NPD; •Localização. • Integração de sistemas.  PORTUGAL em mudança... “The greater the curve on either side the greater the value add for the plant and a stronger foundation” comunidade lean thinking © 9 de 100 comunidade lean thinking © 10 de 100 PRESSÃO DOS MERCADOS? QUE PRESSÃO? MELHORAR A COMPETITIVIDADE NUM MUNDO CADA VEZ MAIS PEQUENO comunidade lean thinking © 11 de 100 comunidade lean thinking © 12 de 100
  4. 4. COMPETIDORES DE HOJE E DE AMANHA Se os salários nos BRIC são… India $0.49 China $0.60 Russia $0.98 Brasil $3.03 Portugal … $12 Note: Latin Trade 2005 p 22, by Rachel Hatzipanagos Miami, “From Small Things ”BRIC the emerging world’s big dogs. comunidade lean thinking © 13 de 100 comunidade lean thinking © 14 de 100 QUAL A NOSSA ALTERNATIVA?  Competir em Preço?  Competir em Volume?  Competir em Commodities?  Competir em Inovação?  Competir em Conhecimento?  Competir em Serviços?  Competir em Design?  Competir em Tempo (quick response)?  Competir em Flexibilidade? “Oiçam, neste momento dominamos o mercado do mel. Acho que é Oiç  Competir em __________ ? tempo de diversificar a oferta, e virarmo-nos para a geleia.” virarmo- geleia.” comunidade lean thinking © 15 de 100 comunidade lean thinking © 16 de 100
  5. 5. OPORTUNIDADES DE MELHORIA  Em média, 40% dos custos em qualquer negócio são puro desperdício. Eliminar este desperdício permite, além de reduzir custos, dispor de um negocio mais rápido e flexível no mercado;  Em média, a eficiência dos processos administrativos (definida como a relação entre o tempo real de valor acrescentado e o tempo total), na maioria das organizações, é <1%. Um valor de eficiência alcançável está em torno dos 10%!  Actualmente, dispomos de um modelo operativo, com técnicas e ferramentas bem consolidadas, que sob a designação de Lean Thinking, ajudam a melhorar a eficiência global das organizações; Vamos parar e pensar.  Para que esta oportunidade seja realizada é necessário contar com as pessoas. Atrair, preparar, comprometer, mobilizar, Deve haver alguma oportunidade compensar e fazer um seguimento dos resultados das pessoas é para sair daqui … um elemento chave. comunidade lean thinking © 17 de 100 comunidade lean thinking © 18 de 100 Produtividade (indústria): Produtividade (serviços):  Time-to-market - 75% (Wiremold)  Tempo de aprovação de crédito - 67% (Citi Bank)  Erros nas linhas de montagem - 75% (Porsche)  Percurso Avião - Saída do aeroporto - 60% (Terminal 5, Heathrow Airport)  Tempo throughput na produção - 93% (Lantech)  Tempo de espera no diagnóstico de cancro  Tempos de preparação - 99% (Pratt & Whitney) - 88% (NHS Lothian) LEI, 2008 Womack & Jones, Lean Thinking, 2003 comunidade lean thinking © 19 de 100 comunidade lean thinking © 20 de 100
  6. 6. “Obtemos resultados brilhantes, Um Value Stream Map revelou: com pessoas normais, com pessoas normais, operando processos brilhantes.  Tempo de produção de um componente – operando processos brilhantes. entre 6 meses a 2 anos, … mas, muitas empresas obtêm  156 passos de produção, em 21 locais, resultados medíocres, atravessando quatro continentes, com pessoas brilhantes, operando processos inadequados.”  Tempo (útil) estimado como necessário: 2,5 hrs com pessoas brilhantes, operando processos inadequados.” Daniel Jones, 2008 Toyota Executive, 2003 comunidade lean thinking © 21 de 100 comunidade lean thinking © 22 de 100 EVOLUÇÃO DOS PARADIGMAS E GESTÃO EMPRESARIAL EVOLUÇ NOVOS PARADIGMAS DE GESTÃO… A origem do pensamento magro Antes os automóveis eram criados num só ponto, os colaboradores deslocavam-se de carro a carro. Modelo T da Ford Henry Ford usou uma corda para puxar os carros através de uma linha. Os operários tinham posição fixa. comunidade lean thinking © 23 de 100 comunidade lean thinking © 24 de 100
  7. 7. 2007 – ANO DA CONSAGRAÇÃO DA TOYOTA GRUPO 2008 Fev 27 comunidade lean thinking © 25 de 100 comunidade lean thinking © 26 de 100 Síndrome das PARA PENSAR... Never stop thinking quintinhas... (miopia)  Nada é permanente senão a mudança!  Pense global e actue local!  O lucro é um conceito, o dinheiro é um facto!  As pessoas são o principal recurso de uma organização!  Tome decisões baseadas em factos!  Procure controlar os desvios e não tome decisões baseadas na média;  A Europa é uma velha senhora, gorda e cheia de maus hábitos. A China é uma rapariga nova, sem vícios e não sabe nada da vida. comunidade lean thinking © 27 de 100 comunidade lean thinking © 28 de 100
  8. 8. A TMC HOJE • Os resultados da Toyota Motor Company (TMC) corroboram o sucesso da filosofia Lean Thinking; • Em Junho de 2006 a Toyota reportou lucros de $3.2B, mais que a General Motors, Ford ou DaimlerChrysler O SISTEMA TPS thinking people system toyota production system ganharam nos últimos 40 anos!; • Adicionalmente, a Toyota tem uma capitalização de mercado avaliada em mais $80B, mais $10B que o valor total da GM, Ford e DaimlerChrysler juntas... • A Toyota tem dinheiro que chegue e valores de mercado em mão que lhes permite comprar os três maiores fabricantes de automóveis aos valores actuais de mercado... comunidade lean thinking © 29 de 100 comunidade lean thinking © 30 de 100 O PREÇO DA ACÇÃO VS. INACTIVIDADE….. 5 ANOS APENAS PREÇ ACÇ 114 % QUAL A DIFERENÇA ENTRE A TMC E A GM? Toyota 107 O que os americanos dizem: 50 A GM é uma empresa com processos medianos dirigida por pessoas brilhantes. GM Ford 61% 24% 18 A TMC é uma empresa com processos 41 31 brilhantes dirigida por pessoas medianas. 7 Será apenas esta a diferença? comunidade lean thinking © 31 de 100 comunidade lean thinking © 32 de 100
  9. 9. O PRIUS DA TOYOTA FEZ DEZ ANOS EM 2007, E EM MAIO DE 2008 ATINGIU O PRIMEIRO MILHÃO DE UNIDADES VENDIDAS EM TODO O MUNDO! comunidade lean thinking © 33 de 100 comunidade lean thinking © 34 de 100 ESTUDOS DE BENCHMARKING Actualmente a Toyota é uma empresa de referência, servindo de (Womack et al, 1990) benchmark em áreas como: European American Japanese  Produtividade e Qualidade; Plants Plants Plants  Eficiência e Rapidez; (Craft) (Mass) (Lean)  Rentabilidade. Productivity (hours / vehicle) 36.2 25.1 16.8 A estratégia da TMC é orientada pelos seguintes princípios: Quality (assembly defects / 100 vehicles) 97.0 82.3 60.0  Actuar como uma empresa global; Layout space (sq ft / vehicle / year) 7.8 7.8 5.7  Colocar ênfase na segurança e no ambiente; Inventories (days for 8 sample parts) 2.0 2.9 .2  Ser um líder em tecnologia e serviço ao cliente; % of work force in teams .6 17.3 69.3  Contribuir para o desenvolvimento de cada país onde está Training of new production workers (hours) 173.3 46.4 380.3 localizada; Number of job classifications 14.8 67.1 11.9  Respeitar o individuo e a equipa como um todo; Absenteeism 12.1 11.7 5.0  Aplicar uma gestão global e eficiente;  Estabelecer relações negociais com parceiros locais. comunidade lean thinking © 35 de 100 comunidade lean thinking © 36 de 100
  10. 10. AS QU4TRO REGRAS DO TPS A melhor qualidade, o menor custo, o menor tempo, o melhor serviços, 1. Todas as operações devem ser devidamente a maior segurança, a maior moral e a maior motivação! especificadas relativamente ao conteúdo, sequência, PESSOAS E TRABALHO EM EQUIPA tempos e resultados; JUST-IN-TIME • recrutamento; JIDOKA • objectivos comuns; Qualidade na fonte. Tornar O material certo no momento certo e na • tomada de decisão em equipa; • formação e treino polivalente. os problemas visíveis; 2. A relação cliente/fornecedor deve ser directa, inequívoca Melhorar continuamente! quantidade certa. no envio de solicitações e recebimento de respostas (ex. • Parar se necessário; • Planeamento de acordo com o takt time; MELHORIA CONTÍNUA CONTÍ • Quadro andon; do tipo sim/não); • Separação homem • Fluxo contínuo; • Pull Flow Management; ELIMINAR O MUDA • Genchi genbutsu; máquina; • Poka-yoke; 3. O fluxo de cada produto ou serviço deve ser simples e • Sistema Pull; • 5W+Q+S; • Rápidas mudanças; • Método cientifico; • Resolução de problemas. • Resolver os problemas na fonte; directo; • Logística integrada. • Empowerment! 4. Qualquer melhoria deve ser feita de acordo com o PRODUÇÃO NIVELADA (HEIJUNKA) método cientifico, sob a supervisão de um responsável PROCESSOS ESTÁVEIS E NORMALIZADOS (sensei) ao mais baixo nível da hierarquia da empresa. RESPEITO PELAS PESSOAS GESTÃO VISUAL FILOSOFIA TOYOTA (THE TOYOTA WAY) E MUTUO RESPEITO comunidade lean thinking © 37 de 100 comunidade lean thinking © 38 de 100 Continuação … Continuaç ALVOS DE ACÇÃO DO TPS Com o objectivo de reduzir custos, sem abdicar da melhoria contínua da qualidade e do desempenho, o TPS potencia o valor aos clientes orientando a sua acção no sentido da eliminação dos 3M, ou seja:  MURI (o excesso ou a insuficiência) – é eliminado pela uniformização do trabalho. Garantido que todos seguem os mesmos procedimentos, tornando os processos mais previsíveis e controláveis;  MURA (as irregularidades ou as inconsistências) – é eliminado através da adopção do sistema JIT procurando fazer apenas o necessário e quando pedido. Através do sistema pull deixando o cliente puxar os produtos ou serviços;  MUDA (desperdício) – tudo o que não acrescenta valor é desperdício e como tal deve ser eliminado. comunidade lean thinking © 39 de 100 comunidade lean thinking © 40 de 100
  11. 11. OBJECTIVOS TPS PALAVRAS MÁGICAS NO TPS QUALIDADE Redução da variabilidade  Kaizen = melhoria contínua;  Kaikaku = revolução, RIE;  Kyosei = viver e trabalhar juntos para o bem comum;  Keiretsu = conjunto de empresas com core TOYOTA PRODUCTION businesses diferentes, que se aliam de forma SYSTEM cooperativa estabelecendo parceiras estratégicas;  Kodawari = nunca desistir; CUSTO ENTREGA Redução do muda e muri Redução do lead time  Gemba = local de trabalho;  Genchi Genbutsu = Vá e veja por si; comunidade lean thinking © 41 de 100 comunidade lean thinking © 42 de 100 PRINCÍPIOS DE GESTÃO TPS 8. Usar apenas tecnologia fiável e já testada que suporte as pessoas e os processos; 1. Basear as decisões de gestão numa filosofia de longo-prazo, 9. Facilitar o desenvolvimento de lideres que verdadeiramente mesmo que à custa de resultados financeiros no curto-prazo; conheçam o trabalho, vivam a filosofia e ensinem os outros; 2. Criar processos/fluxos contínuos de forma a tornar os problemas 10. Desenvolver pessoas e equipas excepcionais que seguiam a evidentes; filosofia da sua empresa; 3. Usar o sistema pull para evitar excessos de produção; 11. Respeitar e estender isto à rede de parceiros (incluindo 4. Nível a carga de trabalho (heijunka). (Work like the tortoise, not fornecedores) desafinando-os e apoiando-os a melhorar; the hare.) 12. “Vá e veja por si e verdadeiramente perceba a situação” 5. Criar o hábito de interrmper os processos para resolver os (genchi genbutsu); problemas, to get quality right the first time. 6. Uniformização é a base da melhoria contínua e o empowerment 13. Tomar decisões consensuais – considerando todas as opiniões; das pessoas. implementar as decisões rapidamente; 7. Usar controlos visuais para que os problemas não se escondam. 14. Fomentar a criação de uma Learning Organization através da reflexão segura (hansei) e da melhoria contínua (kaizen). comunidade lean thinking © 43 de 100 comunidade lean thinking © 44 de 100
  12. 12. u O LEGADO DA GESTÃO JAPONESA uts enb RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS iG Melhoria  Os gestores Japoneses têm dado importantes contributos ao nch contínua e Ge aprendizagem desenvolvimento da gestão. Alguns contributos têm ajudado PESSOAS E PARCEIROS a destronar um conjunto de ideias antigas e há muito z en Respeitar, desafiar, apoiar ultrapassadas mas, infelizmente, ainda muito populares nas e crescer em conjunto kai nossas empresas; (win-win) PROCESSOS  Os métodos de gestão Japoneses devem merecer de todos Eliminação do desperdício (Muda) a maior atenção e respeito porque não foi do nada que uma nação em menos de três décadas se reconstruiu e se tornou PHILOSOFIA afio na segunda maior potência económica do mundo. Cultura, princípios e valores des Pensamento a longo-prazo Os 4p´s e onde a maior parte das empresas se encontra comunidade lean thinking © 45 de 100 comunidade lean thinking © 46 de 100  Procure quantificar de forma a tomar decisões baseadas em factos – as decisões de gestão devem  Procure controlar o desvio e não a média – a tentação das empresas sempre foi a de controlar os valores fundamentadas em factos concretos, ou seja, em dados médios das variáveis sob controlo ignorando os desvios actuais e correctos; associados a estas. O que de facto importa, e o que interfere no desempenho, são as oscilações dos valores  A melhoria contínua do desempenho consegue-se de e não o valor central ou médio; forma sistemática e devidamente apoiada em pessoas com formação, motivadas e orientadas e em processos  Variedade sim, variação não – variedade significa uniformizados; ampla oferta, ie, poder oferecer ao mercado um vasto leque de artigos capaz de satisfazer as necessidades dos diversos clientes. O que se pretende é que, para  A uniformização consegue-se através da documentação cada produto ou serviço oferecido, a variação (ou dos processos e da sua formalização. Só através da desvio) seja a menor possível; uniformização é que se consegue evitar que os processos em melhoria entrem em retrocesso voltando às fases iniciais. comunidade lean thinking © 47 de 100 comunidade lean thinking © 48 de 100
  13. 13. O PENSAMENTO MAGRO  A filosofia do pensamento magro surgiu como um sistema de gestão cujo objectivo é o desenvolvimento de processos e sistemas tendo em vista a eliminação do desperdício em toda a organização e a criação de valor para todas as partes interessadas. LEAN  A designação lean thinking foi utilizada pela primeira vez por James Womack e Daniel Jones na sua obra de referência (re-editado em: 2003); THINKING  É um novo paradigma de gestão, baseado em princípios simples e imutáveis. É um desafio que se coloca a todas as organizações (aplicável a instituições publicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos;  Ênfase na satisfação do cliente (final). comunidade lean thinking © 49 de 100 comunidade lean thinking © 50 de 100 CONHECER O CLIENTE quem servimos? QUEM SÃO OS NOSSOS CLIENTES? [stakeholders] DEFINIR VALOR o objectivo de todos PRINCÍPIOS LEAN THINKING Que características têm? Quais as suas necessidades? ? What are the needs? Que expectativas têm? The expectations? DEFINIR A campo de intervenção Expected value? Qual o valor esperado? CADEIA DE VALOR How satisfaction Como avaliar a sua pessoas is perceived? satisfação? SOCIEDADE CLIENTES OPTIMIZAR FLUXOS os meios a aplicar target IMPLEMENTAR o sistema a usar ? O SISTEMA PULL ACCIONISTAS ou ESTADO STAFF What are the needs? PERFEIÇÃO insatisfação The expectations? Expected value? What are the needs? How satisfaction is perceived? The expectations? Expected value? INOVAR SEMPRE a atitude certa How satisfaction is perceived? Ex. fabricante de disquetes comunidade lean thinking © 51 de 100 comunidade lean thinking © 52 de 100
  14. 14. LEAN THINKING A CRIAÇÃO DE VALOR o processo de emagrecimento de processos e pessoas, …  Criar valor é o objectivo final de cada organização. O valor corresponde a todas as características e propriedades dos produtos/serviços que o cliente considera como importantes e como tal merecedoras da sua atenção;  A criação de valor e a eliminação o desperdício (muda) andam de mãos dadas no caminho para a excelência das organizações;  Deve ser através de metodologias simples, mas eficazes, que a filosofia de gestão lean deve ser implementada. comunidade lean thinking © 53 de 100 comunidade lean thinking © 54 de 100 Nas organizações, apenas uma pequena percentagem das A DEFINIÇÃO DE VALOR actividades acrescenta valor. A maioria (>90%) são desperdício (muda) e como tal devem ser eliminadas.  Não é fácil definir “valor” dada as múltiplas interpretações atribuídas ao conceito;  O valor é sempre definido pelo cliente e refere-se às INPUT características dos produtos ou serviços que satisfazem (ex. tempo total do produto ou serviço, 100%) as necessidades e expectativas dos clientes;  Apenas o valor justifica o tempo, o esforço/atenção e   o dinheiro do nosso cliente. É o valor que mantém os VALOR DESPERDÍCIO PURO clientes interessados no nosso negócio; CRIADO (embora necessário) DESPERDÍCIO  Valor é o que se leva, preço é o que se paga – o que 5% a minimizar a eliminar o cliente pretende é que o preço que paga seja Sejamos proactivos! justificado pelo valor que leva, ie, um preço justo. Não são 95% de desperdícios, mas sim 95% de oportunidades de melhoria! comunidade lean thinking © 55 de 100 comunidade lean thinking © 56 de 100
  15. 15. AGREGAÇÃO DE VALOR BENCHMARKING… No caso da TMC:  Valor acrescentado: 80%  Desperdício (hidden waste): 20% Outras empresas do ramo automóvel:  Valor acrescentado: 50%  Desperdício (evident waste): 30% Calçado  Desperdício (hidden waste): 20% comunidade lean thinking © 57 de 100 comunidade lean thinking © 58 de 100 EXEMPLOS A GORDURA NAS ORGANIZAÇÕES  No seu dia-a-dia, realizam-se imensas actividades que se classificam como desperdícios (muda, waste);  Quantos de nós não fazem na perfeição aquilo que não é necessário fazer?; Controlos Excesso de Rework Stock actividades  Quantos não mantém as suas pessoas ocupadas apenas para isso, para as manter ocupadas?  Ou seja, mais recursos para produzir o mesmo;  A gordura nas organizações torna-as doentes, pesadas, lentas e de baixa produtividade não sendo capaz de gerar riqueza para a sociedade; Avarias Movimentação Transportes  Apenas as organizações magras e ágeis têm oportunidades de sobreviver. por acaso, isto é-lhe familiar?? comunidade lean thinking © 59 de 100 comunidade lean thinking © 60 de 100
  16. 16. processos de menor qualidade O DESPERDÍCIO NAS ORGANIZAÇÕES pior serviço, menos tempo  Papeis (burocracia); menos  Demasiados níveis hierárquicos; quantidade  Tempo e outros recursos mal aproveitados; materiais de menos  Subestimar a capacidade/valor das pessoas nas menor qualidade I&D organizações; menos  Transportes e movimentações; componentes, menos features  Controlos e inspecções; Quando há pouco para tirar… há tirar…  Acertos e ajustes (setups); Quando emagrecer significa Cortes nas  Defeitos e erros (errar sai caro); reduzir as condições de condiç regalias e direitos dos colaboradores  Stocks (de tempo e de materiais); trabalho, agravar ainda mais a vida no gemba… gemba…  E muitos mais... SERÁ ISTO REDUZIR DESPERDÍCIOS? SERÁ DESPERDÍ QUEM ESTAMOS NÓS A ENGANAR? NÓ comunidade lean thinking © 61 de 100 comunidade lean thinking © 62 de 100 E AINDA MAIS PROVOCAÇÕES…  Qual o valor que a VE produz para cada um dos seus stakeholders?  Como estamos a medir o valor que entregamos aos nossos clientes?  Que estão a fazer os nossos concorrentes?  Quais as suas vantagens (mais valias) sobre nós?  Que estamos nós a fazer em relação a isso?  Quais as principais fontes de desperdício na VE?  Estão quantificadas?  Quais as suas causas?  Que estamos a fazer para as eliminar? comunidade lean thinking © 63 de 100 comunidade lean thinking © 64 de 100
  17. 17. Uma simples ilustração… EXPLICAÇÃO… Encomenda ($) Pagamento ($)  “tudo o que estamos a fazer é observar a linha temporal, Análise inicial do Lead Time (processos com desperdícios) ESTAMOS desde o momento em que o cliente coloca a encomenda até AQUI! recebermos o seu pagamento. E estamos a reduzir essa Definir o caminho critico da criação de valor KAIZEN linha de tempo removendo todas as actividades que não acrescentam valor.” Incorporar processamento paralelo KAIZEN Taichi Ohno Best Practices/Standard Work KAIZEN Elimination of additional Non-Value-Added (NVA) KAIZEN VALUE STREAM KAIZEN IMPROVEMENT  “Não há nada mais inútil que fazer na perfeição aquilo que TEMOS DE AQUI CHEGAR PARA BATER A CONCORRÊNCIA! nunca deveria ter sido feito.” Peter Drucker comunidade lean thinking © 65 de 100 comunidade lean thinking © 66 de 100 O OBJECTIVO COMENTÁRIO TRADICIONAL Envios aéreos  Se há alguma coisa certa é que as previsões da Horas extras procura estão sempre erradas! Produzir para o monte Risco de obsoletos Sobrecapac. Sub.  Como tal, evite-as… Armazen(s) atulhados Procura  Procure reduzir tempos de forma a ser rápido a Capacidade tempo de reacção reagir;  Menores tempos significam menores stocks e LEAN menores incertezas;  Menores tempos menor dependência de previsões. LEAN = gap mínimo • Processos just in time; • Sintonia com o cliente. comunidade lean thinking © 67 de 100 comunidade lean thinking © 68 de 100
  18. 18. O OBJECTIVO DO LEAN THINKING É A MELHORIA CONTINUA DO DESEMPENHO OPERACIONAL ATRAVÉS DA ELIMINAÇÃO SISTEMÁTICA DO DESPERDÍCIO… AS SOLUÇÕES LEAN VALOR  Visão e liderança! Muda (無駄)  Planeamento e controlo; Desperdício  A oferta (capacidade) sintonizada com a procura;  Takt time como referência;  Processos simples e humanizados; Muri (でこぼこ )  Operações uniformizadas; Mura (重荷 ) Sobrecarga Variabilidade  Decisões baseadas em factos;  Controlo de desvios e não de médias; Kaizen (改善) Melhoria continua  Ferramentas tradicionais derivadas do Objectivo: Entregar exactamente e de forma consistente o que o cliente quer, JIT, Kaizen, TQM, Six Sigma, entre outros. na altura certa, com o dispêndio mínimo de recursos! comunidade lean thinking © 69 de 100 comunidade lean thinking © 70 de 100 A SIMPLICIDADE DAS FERRAMENTAS CONFUSO? n Le One Piece Flow io  Método Cientifico (ainda se lembram? quantos o usam??); First Ze Quality Time ct an  Genchi Genbutsu (vai e vê por ti); ro Def t du en  5W2H (what, why, who, when, where, how, how much); ects ust i J Ope n Time TQM Plu Re em  Ciclo PDCA/SDCA (plan/standadize-do-check-act); rwork ator Team aste Fl Pull Emp ov  te Identificar os 3M (Muda, Muri e Mura); o=W s e ’s nwerm xi as pr  5(+1)S; io matEfficiency t 7 W Takt Time en bi im W  uto 7 ferramentas clássicas da Qualidade, ex: lit  Fluxograma e Histograma; A us Value Stream Mapping y  Análise ABC (Pareto) e Diagrama de Ishikawa Six Sigma Team S’s 5 work uo t  TOPS/8D el tin Kanban 3 P’s TPM B  VSM (value stream mapping); on TO ck  Hoshin Kanri (policy deployment). Kaizen C M la  [ …] B comunidade lean thinking © 71 de 100 comunidade lean thinking © 72 de 100
  19. 19. COMO TORNAR-SE LEAN… ALGUNS KPI´S  Lead time (e os seus componentes);  Cycle time e Takt time;  Eficiência; “Não se pode gerir o que Equipamento  não se mede, não se Exercicio Exercicio Disponibilidade;  OEE; mede o que não se define, Dieta Tempo das pessoas  Ocupação; não se define o que não  Cash-to-cash; se entende, não há  Rotação de stocks;  BTS (Bild to order); sucesso  FTT (first time trough); no que não se gere.”  Velocidade; Material/Peças  Process cycle efficiency. Espaço A CASA DO TPS comunidade lean thinking © 73 de 100 comunidade lean thinking © 74 de 100 CLT - ÁREAS DE INTERVENÇÃO LEAN Um processo de Estratégia melhoria contínua Coorporate leadership Business management envolvendo toda a liderança lideranç MÉTODOS E PRÁTICAS organização cria Lean office muitas vantagens fornecedores Lean services Gestão de operações clientes competitivas … Gestão da cadeia de fornecimento gestão supply chain PESSOAS E PROCESSOS Lean manufacturing Continuous improvement Value stream management Customer service Far side Copyright Gary Larson operações operaç People empowerment ABORDAGEM INTEGRADA E COLABORATIVA DE TODA A CADEIA DE VALOR “Epá, é melhor apanharmos aquilo porque Epá apanharmos poderemos precisar disso mais tarde” disso tarde” comunidade lean thinking © 75 de 100 comunidade lean thinking © 76 de 100

×