SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Obesidade na
Adolescência
Intro. Saúde Pública
3° Período de Fisioterapia
Paracatu – MG
2017
Obesidade na Adolescência
Intro. Saúde Pública
Introdução
A obesidade é um distúrbio metabólico
caracterizado por um estado inflamatório
crônico e acúmulo excessivo de gordura
corporal, que apresenta um risco para a
saúde e contribui para o desenvolvimento
de outras patologias, como diabetes
melittus tipo 2, hipercolesterolemia,
hipertensão arterial, doenças
cardiovasculares, síndrome de apneia
obstrutiva do sono, comprometimentos
osteomioarticulares e diversos tipos de
cânceres. (PAES, 2015).
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 3
Justificativa
A obesidade é considerada um dos maiores
problemas de saúde pública por causa da sua
elevada prevalência. Deste modo torna-se
necessário incentivar a mudança para hábitos
saudáveis na alimentação e a prática de
exercícios físicos para que o sobrepeso na
adolescência não evolua para obesidade na
vida adulta.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 4
Objetivo
• Objetivo Geral: O trabalho tem como objetivo geral
conscientizar a população quanto à obesidade na
adolescência, utilizando como fonte de pesquisa
artigos científicos, livros e questionários.
• Objetivo Específico:
• Realizar a avaliação nutricional de adolescentes de 13 a
15 anos de idade do Colégio Soma;
• Analisar a educação alimentar do adolescente no
período atual;
• Verificar a incidência em que a obesidade na
adolescência acontece e as consequências que os tais
alimentos podem levar.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 5
Causas
Os alimentos antes eram feitos de uma
forma mais delicada onde a família fazia
questão de preparar os alimentos frescos,
ao meio dia se sentava todos para o
almoço, ou em outra refeição, porem não
se existia tanta correria, pois o que se
percebe são mudanças como a
alimentação e modo de vida favorecendo o
forte risco de obesidade em adolescentes.
(MOREIRA, 2007).
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 6
Sintomas
O ganho de peso geralmente acontece ao longo do
tempo. A maioria das pessoas sabe quando engordou.
Entretanto, alguns sinais e sintomas de obesidade
incluem:
• Fome em exagero longe das refeições;
• Sono em excesso;
• Cansa facilmente;
• Respiração sempre ofegante ao subir alguns degraus;
• Suor excessivo;
• Pernas pesadas e inchadas;
• Roupas parecendo apertadas e necessidade de usar números
maiores;
• A balança mostrando que você ganhou peso;
• Ter gordura extra ao redor da cintura;
• Índice de massa corpórea e circunferência da cintura maior
do que o considerado normal; (MONTEIRO, 2014).
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 7
Prevenção
Como os programas de intervenção ainda têm pouco
consenso, a prevenção continua sendo o melhor caminho.
Os esforços para a prevenção da obesidade na
adolescência são provavelmente mais eficazes quando
endereçados simultaneamente aos alvos primordial,
primário e secundário, com metas apropriadamente
diferentes.
• A prevenção primária objetiva evitar que os
adolescentes de risco adquiram sobrepeso;
• A prevenção secundária visa impedir a gravidade
crescente da obesidade e reduzir a comorbidade entre
adolescentes com sobrepeso e obesidade.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 8
Prevenção
As iniciativas de prevenção primordial e primária são as
mais eficazes, provavelmente se forem iniciadas antes da
idade escolar e mantidas durante a infância e a
adolescência.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 9
Prevenção A maioria das recomendações deve ser seguida por toda
a família, sendo os indivíduos obesos ou não.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 10
Prevenção
Em nosso meio, a obesidade na adolescência é um sério
problema de saúde pública, que vem aumentando em
todas as camadas sociais da população brasileira.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 11
Prevenção
Em nosso meio, a obesidade na adolescência é um sério
problema de saúde pública, que vem aumentando em
todas as camadas sociais da população brasileira.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 12
Prevenção
Para alcançar uma alimentação saudável, além de
fornecer informações corretas sobre alimentação e saúde
(promoção), é preciso evitar que informações incorretas e
contraditórias alcancem indivíduos (proteção) e, ao
mesmo tempo, propiciar a esses indivíduos condições que
tornem factíveis a adoção das orientações que recebem
(apoio).
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 13
Prevenção
Saber o que é necessário para emagrecer não apresenta
maiores dificuldades após algum tempo de prática.
Querer, dever e poder emagrecer são questões
imensamente mais complexas e exigem grande
investimento emocional, intelectual e físico.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 14
Tratamento
Os provedores de cuidados de saúde geralmente
promovem alimentação saudável e atividade com
o uso mínimo de dietas altamente restritas ou
medicação para controlar o peso. Os melhores
resultados são sentidos pelos adolescentes que
participam de programas com base na família e
incluem um componente de atividade física.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 15
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 1608/06/2017 Obesidade na Adolescência 16
Resultados
Pesquisa Exploratória
Gênero
• Na figura 1, os dados analisados mostraram
que 53% dos entrevistados eram do sexo
feminino e 47% eram do sexo masculino.
Gênero
Feminino Masculino
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017)08/06/2017 Obesidade na Adolescência 18
Idade
• Na figura 2, os dados analisados demonstraram
que 53% dos entrevistados apresentaram idade
de 11 a 13 anos, 40% de 14 a 16 anos e 7% de
17 anos.
Idade
11 a 13 anos 14 a 16 anos 17 anos
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 1908/06/2017 Obesidade na Adolescência
Peso
• Na figura 3, os dados analisados demonstraram
que 33% dos entrevistados apresentaram peso de
39 a 49 kg, 40% de 50 a 59 kg, 20% de 60 a 79 kg
e 7% acima de 70 kg.
Peso
39 a 49 Kg 50 a 59 Kg 60 a 79 Kg Acima de 70 Kg
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2008/06/2017 Obesidade na Adolescência
Você se considera um
indivíduo sedentário?
• Na figura 4, os dados analisados demonstraram
que 80% dos entrevistados não se consideram
sedentários e 20% se consideram sedentários.
Você se considera um indivíduo sedentário?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2108/06/2017 Obesidade na Adolescência
Você faz algum tipo de
exercício físico?
• Na figura 5, os dados analisados demonstraram
que 93% dos entrevistados fazem algum tipo de
exercício físico e 7% não fazem algum tipo de
exercício.
Você faz algum tipo de exercício físico?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2208/06/2017 Obesidade na Adolescência
Você se preocupa com seu
peso?
• Na figura 6, os dados analisados demonstraram
que 57% dos entrevistados não se preocupam com
seu peso e 43% se preocupam com seu peso.
Você se preocupa com seu peso?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2308/06/2017 Obesidade na Adolescência
Você considera sua
alimentação saudável?
• Na figura 7, os dados analisados demonstraram
que 57% dos entrevistados não consideram sua
alimentação saudável e 43% consideram sua
alimentação saudável.
Você considera sua alimentação saudável?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2408/06/2017 Obesidade na Adolescência
Você já fez algum tipo de
dieta
• Na figura 8, os dados analisados demonstraram
que 57% dos entrevistados não fizeram algum tipo
de dieta e 43% já fizeram algum tipo de dieta.
Você já fez algum tipo de dieta?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2508/06/2017 Obesidade na Adolescência
Alguém na sua família já
teve hipertensão ou
diabetes?
• Na figura 9, os dados analisados demonstraram
que 67% dos entrevistados possuem alguém da
família que teve hipertensão ou diabetes e 33%
não possuem alguém da família que teve
hipertensão ou diabetes.
Alguém na sua família já teve hipertensão ou diabetes?
Sim Não
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017)
2608/06/2017 Obesidade na Adolescência
Quantas porções de frutas
frescas, secas ou sucos
você consome por dia?
• Na figura 10, os dados analisados demonstraram
que 43% dos entrevistados consomem duas frutas
frescas, secas ou sucos, 33% consomem três frutas
frescas, secas ou sucos e 23% consomem uma
fruta fresca, seca ou sucos.
Quantas porções de frutas frescas, secas ou sucos você consome
por dia?
Nenhuma Uma Duas Três
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2708/06/2017 Obesidade na Adolescência
Com que frequência
você consome
alimentos gordurosos?
• Na figura 11, os dados analisados demonstraram
que 37% dos entrevistados consomem alimentos
gordurosos de 1 a 2 vezes por semana, 7%
consomem alimentos gordurosos 1 a cada 15
dias/raramente/nunca, 33% consomem alimentos
gordurosos quase todos os dias e 23% consomem
alimentos gordurosos 3 a 4 vezes por semana.
Com que frequência você consome alimentos gordurosos?
Quase todos os dias 3 a 4 vezes por semana 1 a 2 vezes por semana 1 a cada 15 dia/ Raramente/ Nunca
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2808/06/2017 Obesidade na Adolescência
Quanto de açúcar você
consome por dia?
• Na figura 12, os dados analisados demonstraram
que 33% dos entrevistados consomem 4 a 5
colheres de açúcar por dia, 30% consomem 2 a 3
colheres de açúcar por dia, 23% consomem 1
colher de açúcar por dia e 15% consomem mais de
5 colheres de açúcar por dia.
Quanto de açúcar você consome por dia?
Mais de 5 colheres por dia 4 a 5 colheres por dia 2 a 3 colheres por dia 1 colher por dia
Resultados
FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2908/06/2017 Obesidade na Adolescência
Fotos do evento
Conclusão
Ao decorrer do trabalho podemos concluir que a obesidade é considerada um fator
grave, encontrado na saúde pública. Adolescentes obesos estão expostos a estigmas
de peso e podem ser vulneráveis a efeitos psicológicos, como depressão, e efeitos
sociais, como o isolamento. Um dos fatores presentes para a obesidade está a
tecnologia onde os adolescentes passam horas em frente à televisão, vídeo game, e
por muitas vezes comendo guloseimas, sendo que poderia estar praticando algum
esporte, brincadeira, fazendo algo que favoreça a atividade física, mas também
existem outros fatores como a genética.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 31
Referências
• CHAPUT, Jean Philippe; TREMBLAY, Angelo. Enciclopédia Sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância.
Obesidade Infantil. 2011. Disponível em:< http://www.enciclopedia-crianca.com/obesidade-infantil/segundo-
especialistas/obesidade-na-infancia-e-seu-impacto-sobre-o-desenvolvimento> Acesso em: 01 maio 2017.
• DE MELLO, Elza D.; LUFT, Vivian C.; MEYER, Flavia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? Jornal
de Pediatria, v. 80, n. 3, Rio de Janeiro. 09 jan. 2004. Bimestral. Disponível em:
<http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n3/v80n3a04>. Acesso em: 02 maio 2017.
• DOS SANTOS, André Luis; DE CARVALHO, Antônio Luiz; JÚNIOR, Jair Rodrigues Garcia. Obesidade infantil e
uma proposta de Educação Física preventiva. Motriz. Revista de Educação Física. UNESP, v. 13, n. 3, p. 203-213,
2008. Disponível em:<
https://www.researchgate.net/profile/Jair_Garcia_Junior/publication/228496906_Obesidade_infantil_e_uma_propost
a_de_Educacao_Fisica_preventiva/links/00b4951c8a15356b03000000.pdf >.
• MAHAN, Kathleen L.; STUMP, Sylvia Escott. Alimentos, Nutrição e Diototerapia. 11. Ed. São Paulo: Roca, 2005.
• MONTEIRO, Uyara Gomes. Fatores desencadeadores da obesidade infantil. Acervo da Iniciação Científica, n. 2,
2014. Disponível em:< http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/aic/article/view/508/423 >.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 32
Referências
• MOREIRA, Carla Marisa Maia. Obesidade infantil. 2007. Disponível em:<
http://www.obesidade.info/causasobesidadeinfantil.htm>.
• ONIS, Mercedes de. Preventing childhood overweight and obesity. Jornal de pediatria, v. 91, n. 2, p. 105-107,
2015.
• PAES, Santiago Tavares; MARINS, João Carlos Bouzas; ANDREAZZI, Ana Eliza. Efeitos metabólicos do
exercício físico na obesidade infantil: uma visão atual. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n. 1, p. 122-129,
2015.
• SOARES, Ludmila D.; PETROSKI, Edio L. Prevalência, fatores etiológicos e tratamento da obesidade infantil.
Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 5, n. 1, p. 63-74, 2003. Disponível em:
<https://www.researchgate.net/profile/Edio_Petroski2/publication/242257103_PREVALENCIA_FATORES_ETIO
LOGICOS_E_TRATAMENTO_DA_OBESIDADE_INFANTIL/links/54a17b030cf267bdb902c021.pdf>. Acesso
em: 02 mai. 2017.
08/06/2017 Obesidade na Adolescência 33
Obesidade na
Adolescência
3° Período de Fisioterapia
Paracatu – MG
2017
Boa Noite!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
 
Introdução a Nutrição
Introdução a NutriçãoIntrodução a Nutrição
Introdução a Nutrição
 
Compulsão alimentar
Compulsão alimentarCompulsão alimentar
Compulsão alimentar
 
Medicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: ObesidadeMedicina / Case: Obesidade
Medicina / Case: Obesidade
 
Alimentação saudável.pptx_
 Alimentação saudável.pptx_ Alimentação saudável.pptx_
Alimentação saudável.pptx_
 
Habitos alimentares e prevenção de doenças
Habitos alimentares e prevenção de doençasHabitos alimentares e prevenção de doenças
Habitos alimentares e prevenção de doenças
 
HiperDia
HiperDia HiperDia
HiperDia
 
Alimentação Saudável
Alimentação SaudávelAlimentação Saudável
Alimentação Saudável
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Obesidade Completo
Obesidade CompletoObesidade Completo
Obesidade Completo
 
Slide anorexia e bulimia corrigido
Slide anorexia e bulimia corrigidoSlide anorexia e bulimia corrigido
Slide anorexia e bulimia corrigido
 
Hipertensão o que é isso?
Hipertensão o que é isso?Hipertensão o que é isso?
Hipertensão o que é isso?
 
Obesidade - Tipos e Causas
Obesidade - Tipos e CausasObesidade - Tipos e Causas
Obesidade - Tipos e Causas
 
Sobrepeso e Obesidade na Infância
Sobrepeso e Obesidade na InfânciaSobrepeso e Obesidade na Infância
Sobrepeso e Obesidade na Infância
 
AlimentaçãO SaudáVel(1)
AlimentaçãO SaudáVel(1)AlimentaçãO SaudáVel(1)
AlimentaçãO SaudáVel(1)
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Palestra Nutricao
Palestra NutricaoPalestra Nutricao
Palestra Nutricao
 
Saúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitáriaSaúde individual e comunitária
Saúde individual e comunitária
 
Obesidade infantil
Obesidade infantil Obesidade infantil
Obesidade infantil
 
Diabetes
DiabetesDiabetes
Diabetes
 

Semelhante a Obesidade Adolescente

Obesidade infantil uma abordagem na rede basica de
Obesidade infantil uma abordagem na rede basica deObesidade infantil uma abordagem na rede basica de
Obesidade infantil uma abordagem na rede basica degisa_legal
 
E-book EuSaúde - Obesidade Infanto
E-book EuSaúde - Obesidade InfantoE-book EuSaúde - Obesidade Infanto
E-book EuSaúde - Obesidade InfantoEuSaúde
 
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e Lívia
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e LíviaTema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e Lívia
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e LíviaFrancini Domingues
 
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...Conrado Alvarenga
 
Saúde e bem estar.pdf
Saúde e bem estar.pdfSaúde e bem estar.pdf
Saúde e bem estar.pdfDouglas Correa
 
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaAula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaNilceia Sc
 
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...Nit Portal Social
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraCarla Gomes
 
Grupo4_Obesidade
Grupo4_ObesidadeGrupo4_Obesidade
Grupo4_Obesidademarleneves
 
Banner oi final
Banner oi finalBanner oi final
Banner oi finalgisa_legal
 
Saúde e bem-estar
Saúde e bem-estarSaúde e bem-estar
Saúde e bem-estarlouisacarla
 
Colegio catarinense 2010_w2003
Colegio catarinense 2010_w2003Colegio catarinense 2010_w2003
Colegio catarinense 2010_w2003louisacarla
 

Semelhante a Obesidade Adolescente (20)

Obesidade infantil uma abordagem na rede basica de
Obesidade infantil uma abordagem na rede basica deObesidade infantil uma abordagem na rede basica de
Obesidade infantil uma abordagem na rede basica de
 
E-book EuSaúde - Obesidade Infanto
E-book EuSaúde - Obesidade InfantoE-book EuSaúde - Obesidade Infanto
E-book EuSaúde - Obesidade Infanto
 
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e Lívia
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e LíviaTema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e Lívia
Tema: Obesidade Trabalho Desenvolvido por : Maiara e Lívia
 
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...
Revista da ABESO 2016 - Obesidade e Infertilidade - Evidências clinicas - Dr ...
 
Saúde e bem estar.pdf
Saúde e bem estar.pdfSaúde e bem estar.pdf
Saúde e bem estar.pdf
 
Jovens de hoje
Jovens de hojeJovens de hoje
Jovens de hoje
 
Jovens2
Jovens2Jovens2
Jovens2
 
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade físicaAula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
Aula sobre obesidade infanto juvenil e atividade física
 
Obesidade infantil
Obesidade infantilObesidade infantil
Obesidade infantil
 
Obesidade infantil
Obesidade infantilObesidade infantil
Obesidade infantil
 
Obesidade infantil
Obesidade infantilObesidade infantil
Obesidade infantil
 
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...
NIT PORTAL SOCIAL - DECIFRANDO RÓTULOS DE ALIMENTOS E MANTENDO DIETA EQUILIBR...
 
Obesidade
ObesidadeObesidade
Obesidade
 
Trabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de laraTrabalho de ciencias de lara
Trabalho de ciencias de lara
 
Visa educação e nutrição - peso saudável
Visa   educação e nutrição - peso saudávelVisa   educação e nutrição - peso saudável
Visa educação e nutrição - peso saudável
 
Obesidade desnutricao
Obesidade desnutricaoObesidade desnutricao
Obesidade desnutricao
 
Grupo4_Obesidade
Grupo4_ObesidadeGrupo4_Obesidade
Grupo4_Obesidade
 
Banner oi final
Banner oi finalBanner oi final
Banner oi final
 
Saúde e bem-estar
Saúde e bem-estarSaúde e bem-estar
Saúde e bem-estar
 
Colegio catarinense 2010_w2003
Colegio catarinense 2010_w2003Colegio catarinense 2010_w2003
Colegio catarinense 2010_w2003
 

Mais de Welisson Porto

Síndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários PolicísticosSíndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários PolicísticosWelisson Porto
 
Efeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoEfeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoWelisson Porto
 
Fisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato FuncionalFisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato FuncionalWelisson Porto
 
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e GeriátricasPrimeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e GeriátricasWelisson Porto
 
Massoterapia - Técnicas de Shantala e Shiatsu
Massoterapia -  Técnicas de Shantala e Shiatsu Massoterapia -  Técnicas de Shantala e Shiatsu
Massoterapia - Técnicas de Shantala e Shiatsu Welisson Porto
 
Eletroneuromiografia (ENMG)
Eletroneuromiografia (ENMG)Eletroneuromiografia (ENMG)
Eletroneuromiografia (ENMG)Welisson Porto
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaWelisson Porto
 
Refluxo Gastroesofágico
Refluxo GastroesofágicoRefluxo Gastroesofágico
Refluxo GastroesofágicoWelisson Porto
 
Biomecânica do Joelho
Biomecânica do JoelhoBiomecânica do Joelho
Biomecânica do JoelhoWelisson Porto
 
Alteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do CotoveloAlteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do CotoveloWelisson Porto
 
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das Tecnologias
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das TecnologiasTranstornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das Tecnologias
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das TecnologiasWelisson Porto
 

Mais de Welisson Porto (17)

Doença de Alzheimer
Doença de AlzheimerDoença de Alzheimer
Doença de Alzheimer
 
Distrofia Muscular
Distrofia MuscularDistrofia Muscular
Distrofia Muscular
 
Doação de Órgãos
Doação de ÓrgãosDoação de Órgãos
Doação de Órgãos
 
Síndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários PolicísticosSíndrome dos Ovários Policísticos
Síndrome dos Ovários Policísticos
 
Efeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da RadiaçãoEfeitos Deletéris da Radiação
Efeitos Deletéris da Radiação
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de Mama
 
Fisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato FuncionalFisioterapia Dermato Funcional
Fisioterapia Dermato Funcional
 
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e GeriátricasPrimeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
Primeiros Socorros - Emergências Pediátricas e Geriátricas
 
Massoterapia - Técnicas de Shantala e Shiatsu
Massoterapia -  Técnicas de Shantala e Shiatsu Massoterapia -  Técnicas de Shantala e Shiatsu
Massoterapia - Técnicas de Shantala e Shiatsu
 
Eletroneuromiografia (ENMG)
Eletroneuromiografia (ENMG)Eletroneuromiografia (ENMG)
Eletroneuromiografia (ENMG)
 
Saúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da DoençaSaúde Pública - História Natural da Doença
Saúde Pública - História Natural da Doença
 
Meningite Bacteriana
Meningite BacterianaMeningite Bacteriana
Meningite Bacteriana
 
Refluxo Gastroesofágico
Refluxo GastroesofágicoRefluxo Gastroesofágico
Refluxo Gastroesofágico
 
Biomecânica do Joelho
Biomecânica do JoelhoBiomecânica do Joelho
Biomecânica do Joelho
 
Alteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do CotoveloAlteração Biomecânica do Cotovelo
Alteração Biomecânica do Cotovelo
 
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das Tecnologias
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das TecnologiasTranstornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das Tecnologias
Transtornos Musculoesqueléticos Causados Pelo uso Abusivo das Tecnologias
 
Parto Humanizado
Parto HumanizadoParto Humanizado
Parto Humanizado
 

Último

PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 

Último (10)

PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 

Obesidade Adolescente

  • 1. Obesidade na Adolescência Intro. Saúde Pública 3° Período de Fisioterapia Paracatu – MG 2017
  • 3. Introdução A obesidade é um distúrbio metabólico caracterizado por um estado inflamatório crônico e acúmulo excessivo de gordura corporal, que apresenta um risco para a saúde e contribui para o desenvolvimento de outras patologias, como diabetes melittus tipo 2, hipercolesterolemia, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, síndrome de apneia obstrutiva do sono, comprometimentos osteomioarticulares e diversos tipos de cânceres. (PAES, 2015). 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 3
  • 4. Justificativa A obesidade é considerada um dos maiores problemas de saúde pública por causa da sua elevada prevalência. Deste modo torna-se necessário incentivar a mudança para hábitos saudáveis na alimentação e a prática de exercícios físicos para que o sobrepeso na adolescência não evolua para obesidade na vida adulta. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 4
  • 5. Objetivo • Objetivo Geral: O trabalho tem como objetivo geral conscientizar a população quanto à obesidade na adolescência, utilizando como fonte de pesquisa artigos científicos, livros e questionários. • Objetivo Específico: • Realizar a avaliação nutricional de adolescentes de 13 a 15 anos de idade do Colégio Soma; • Analisar a educação alimentar do adolescente no período atual; • Verificar a incidência em que a obesidade na adolescência acontece e as consequências que os tais alimentos podem levar. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 5
  • 6. Causas Os alimentos antes eram feitos de uma forma mais delicada onde a família fazia questão de preparar os alimentos frescos, ao meio dia se sentava todos para o almoço, ou em outra refeição, porem não se existia tanta correria, pois o que se percebe são mudanças como a alimentação e modo de vida favorecendo o forte risco de obesidade em adolescentes. (MOREIRA, 2007). 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 6
  • 7. Sintomas O ganho de peso geralmente acontece ao longo do tempo. A maioria das pessoas sabe quando engordou. Entretanto, alguns sinais e sintomas de obesidade incluem: • Fome em exagero longe das refeições; • Sono em excesso; • Cansa facilmente; • Respiração sempre ofegante ao subir alguns degraus; • Suor excessivo; • Pernas pesadas e inchadas; • Roupas parecendo apertadas e necessidade de usar números maiores; • A balança mostrando que você ganhou peso; • Ter gordura extra ao redor da cintura; • Índice de massa corpórea e circunferência da cintura maior do que o considerado normal; (MONTEIRO, 2014). 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 7
  • 8. Prevenção Como os programas de intervenção ainda têm pouco consenso, a prevenção continua sendo o melhor caminho. Os esforços para a prevenção da obesidade na adolescência são provavelmente mais eficazes quando endereçados simultaneamente aos alvos primordial, primário e secundário, com metas apropriadamente diferentes. • A prevenção primária objetiva evitar que os adolescentes de risco adquiram sobrepeso; • A prevenção secundária visa impedir a gravidade crescente da obesidade e reduzir a comorbidade entre adolescentes com sobrepeso e obesidade. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 8
  • 9. Prevenção As iniciativas de prevenção primordial e primária são as mais eficazes, provavelmente se forem iniciadas antes da idade escolar e mantidas durante a infância e a adolescência. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 9
  • 10. Prevenção A maioria das recomendações deve ser seguida por toda a família, sendo os indivíduos obesos ou não. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 10
  • 11. Prevenção Em nosso meio, a obesidade na adolescência é um sério problema de saúde pública, que vem aumentando em todas as camadas sociais da população brasileira. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 11
  • 12. Prevenção Em nosso meio, a obesidade na adolescência é um sério problema de saúde pública, que vem aumentando em todas as camadas sociais da população brasileira. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 12
  • 13. Prevenção Para alcançar uma alimentação saudável, além de fornecer informações corretas sobre alimentação e saúde (promoção), é preciso evitar que informações incorretas e contraditórias alcancem indivíduos (proteção) e, ao mesmo tempo, propiciar a esses indivíduos condições que tornem factíveis a adoção das orientações que recebem (apoio). 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 13
  • 14. Prevenção Saber o que é necessário para emagrecer não apresenta maiores dificuldades após algum tempo de prática. Querer, dever e poder emagrecer são questões imensamente mais complexas e exigem grande investimento emocional, intelectual e físico. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 14
  • 15. Tratamento Os provedores de cuidados de saúde geralmente promovem alimentação saudável e atividade com o uso mínimo de dietas altamente restritas ou medicação para controlar o peso. Os melhores resultados são sentidos pelos adolescentes que participam de programas com base na família e incluem um componente de atividade física. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 15
  • 16. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 1608/06/2017 Obesidade na Adolescência 16
  • 18. Gênero • Na figura 1, os dados analisados mostraram que 53% dos entrevistados eram do sexo feminino e 47% eram do sexo masculino. Gênero Feminino Masculino Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017)08/06/2017 Obesidade na Adolescência 18
  • 19. Idade • Na figura 2, os dados analisados demonstraram que 53% dos entrevistados apresentaram idade de 11 a 13 anos, 40% de 14 a 16 anos e 7% de 17 anos. Idade 11 a 13 anos 14 a 16 anos 17 anos Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 1908/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 20. Peso • Na figura 3, os dados analisados demonstraram que 33% dos entrevistados apresentaram peso de 39 a 49 kg, 40% de 50 a 59 kg, 20% de 60 a 79 kg e 7% acima de 70 kg. Peso 39 a 49 Kg 50 a 59 Kg 60 a 79 Kg Acima de 70 Kg Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2008/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 21. Você se considera um indivíduo sedentário? • Na figura 4, os dados analisados demonstraram que 80% dos entrevistados não se consideram sedentários e 20% se consideram sedentários. Você se considera um indivíduo sedentário? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2108/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 22. Você faz algum tipo de exercício físico? • Na figura 5, os dados analisados demonstraram que 93% dos entrevistados fazem algum tipo de exercício físico e 7% não fazem algum tipo de exercício. Você faz algum tipo de exercício físico? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2208/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 23. Você se preocupa com seu peso? • Na figura 6, os dados analisados demonstraram que 57% dos entrevistados não se preocupam com seu peso e 43% se preocupam com seu peso. Você se preocupa com seu peso? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2308/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 24. Você considera sua alimentação saudável? • Na figura 7, os dados analisados demonstraram que 57% dos entrevistados não consideram sua alimentação saudável e 43% consideram sua alimentação saudável. Você considera sua alimentação saudável? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2408/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 25. Você já fez algum tipo de dieta • Na figura 8, os dados analisados demonstraram que 57% dos entrevistados não fizeram algum tipo de dieta e 43% já fizeram algum tipo de dieta. Você já fez algum tipo de dieta? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2508/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 26. Alguém na sua família já teve hipertensão ou diabetes? • Na figura 9, os dados analisados demonstraram que 67% dos entrevistados possuem alguém da família que teve hipertensão ou diabetes e 33% não possuem alguém da família que teve hipertensão ou diabetes. Alguém na sua família já teve hipertensão ou diabetes? Sim Não Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2608/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 27. Quantas porções de frutas frescas, secas ou sucos você consome por dia? • Na figura 10, os dados analisados demonstraram que 43% dos entrevistados consomem duas frutas frescas, secas ou sucos, 33% consomem três frutas frescas, secas ou sucos e 23% consomem uma fruta fresca, seca ou sucos. Quantas porções de frutas frescas, secas ou sucos você consome por dia? Nenhuma Uma Duas Três Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2708/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 28. Com que frequência você consome alimentos gordurosos? • Na figura 11, os dados analisados demonstraram que 37% dos entrevistados consomem alimentos gordurosos de 1 a 2 vezes por semana, 7% consomem alimentos gordurosos 1 a cada 15 dias/raramente/nunca, 33% consomem alimentos gordurosos quase todos os dias e 23% consomem alimentos gordurosos 3 a 4 vezes por semana. Com que frequência você consome alimentos gordurosos? Quase todos os dias 3 a 4 vezes por semana 1 a 2 vezes por semana 1 a cada 15 dia/ Raramente/ Nunca Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2808/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 29. Quanto de açúcar você consome por dia? • Na figura 12, os dados analisados demonstraram que 33% dos entrevistados consomem 4 a 5 colheres de açúcar por dia, 30% consomem 2 a 3 colheres de açúcar por dia, 23% consomem 1 colher de açúcar por dia e 15% consomem mais de 5 colheres de açúcar por dia. Quanto de açúcar você consome por dia? Mais de 5 colheres por dia 4 a 5 colheres por dia 2 a 3 colheres por dia 1 colher por dia Resultados FONTE: Dados da pesquisa (2017) 2908/06/2017 Obesidade na Adolescência
  • 31. Conclusão Ao decorrer do trabalho podemos concluir que a obesidade é considerada um fator grave, encontrado na saúde pública. Adolescentes obesos estão expostos a estigmas de peso e podem ser vulneráveis a efeitos psicológicos, como depressão, e efeitos sociais, como o isolamento. Um dos fatores presentes para a obesidade está a tecnologia onde os adolescentes passam horas em frente à televisão, vídeo game, e por muitas vezes comendo guloseimas, sendo que poderia estar praticando algum esporte, brincadeira, fazendo algo que favoreça a atividade física, mas também existem outros fatores como a genética. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 31
  • 32. Referências • CHAPUT, Jean Philippe; TREMBLAY, Angelo. Enciclopédia Sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância. Obesidade Infantil. 2011. Disponível em:< http://www.enciclopedia-crianca.com/obesidade-infantil/segundo- especialistas/obesidade-na-infancia-e-seu-impacto-sobre-o-desenvolvimento> Acesso em: 01 maio 2017. • DE MELLO, Elza D.; LUFT, Vivian C.; MEYER, Flavia. Obesidade infantil: como podemos ser eficazes? Jornal de Pediatria, v. 80, n. 3, Rio de Janeiro. 09 jan. 2004. Bimestral. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/jped/v80n3/v80n3a04>. Acesso em: 02 maio 2017. • DOS SANTOS, André Luis; DE CARVALHO, Antônio Luiz; JÚNIOR, Jair Rodrigues Garcia. Obesidade infantil e uma proposta de Educação Física preventiva. Motriz. Revista de Educação Física. UNESP, v. 13, n. 3, p. 203-213, 2008. Disponível em:< https://www.researchgate.net/profile/Jair_Garcia_Junior/publication/228496906_Obesidade_infantil_e_uma_propost a_de_Educacao_Fisica_preventiva/links/00b4951c8a15356b03000000.pdf >. • MAHAN, Kathleen L.; STUMP, Sylvia Escott. Alimentos, Nutrição e Diototerapia. 11. Ed. São Paulo: Roca, 2005. • MONTEIRO, Uyara Gomes. Fatores desencadeadores da obesidade infantil. Acervo da Iniciação Científica, n. 2, 2014. Disponível em:< http://www3.izabelahendrix.edu.br/ojs/index.php/aic/article/view/508/423 >. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 32
  • 33. Referências • MOREIRA, Carla Marisa Maia. Obesidade infantil. 2007. Disponível em:< http://www.obesidade.info/causasobesidadeinfantil.htm>. • ONIS, Mercedes de. Preventing childhood overweight and obesity. Jornal de pediatria, v. 91, n. 2, p. 105-107, 2015. • PAES, Santiago Tavares; MARINS, João Carlos Bouzas; ANDREAZZI, Ana Eliza. Efeitos metabólicos do exercício físico na obesidade infantil: uma visão atual. Revista Paulista de Pediatria, v. 33, n. 1, p. 122-129, 2015. • SOARES, Ludmila D.; PETROSKI, Edio L. Prevalência, fatores etiológicos e tratamento da obesidade infantil. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, v. 5, n. 1, p. 63-74, 2003. Disponível em: <https://www.researchgate.net/profile/Edio_Petroski2/publication/242257103_PREVALENCIA_FATORES_ETIO LOGICOS_E_TRATAMENTO_DA_OBESIDADE_INFANTIL/links/54a17b030cf267bdb902c021.pdf>. Acesso em: 02 mai. 2017. 08/06/2017 Obesidade na Adolescência 33
  • 34. Obesidade na Adolescência 3° Período de Fisioterapia Paracatu – MG 2017 Boa Noite!