Siap 2009 Resumo

2.179 visualizações

Publicada em

ISCAD - Sistemas de Informação da Administração Pública - Resumo das Aulas 2009 - 2010

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.179
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Siap 2009 Resumo

  1. 1. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Resumo das Aulas 2009 / 2010 Luís Vidigal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  2. 2. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Administração Pública Electrónica (e-Government) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  3. 3. Os relacionamentos decorrentes do e-Government Organismo Empresas G2G Organismo Administração Fornecedores Pública Organismo G2B E-Pro Cidadãos curem Organismo ent G2C Funcionários G2E Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  4. 4. O que se espera do e-Government Democracia Transparência Eficiência Confiança Eficácia Usabilidade e-Gov Poupança Rapidez Mobilidade Disponibilidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  5. 5. É preciso apostar também em "corridas de fundo” e acreditar nos Funcionários Públicos Corrida de Corrida de Fundo Velocidade 6? 3 s 4 os An o An Funcionários Políticos Serviço Público Notoriedade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 5
  6. 6. As 4 fases de Maturidade do e-Government na UE Desenvolvimento Online Transacção Resolução plena de problemas ç ão a ic Interacção un nos dois sentidos Com Interacção num só sentido download de formulários Informação Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal eEurope – Online Avaibility of Public Services (Capgemini)
  7. 7. Para onde queremos ir? Vortal Transformação Transformação Vortal Portal Portal Vortal Inovação e Cooperação Vortal Estamos aqui Transacção Transacção Portal Interacção Interacção Vortal Vortal Vortal Presença Presença Vortal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  8. 8. Situação actual da Europa Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 8
  9. 9. Os 4 clusters dos 20 serviços eEurope Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  10. 10. Disponibilidade de serviços online Portugal Em 2006 ‐ 8º nos 15 3º lugar 11º nos 25 CapGemini EU i2010 – “The User Challenge Benchmarking The Supply Of Online Public Services? ‐ 7th Measurement ‐ Setembro 2007 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 10
  11. 11. Sofisticação de serviços online Portugal Em 2006 ‐ 9º nos 15 4º lugar 12º nos 25 CapGemini EU i2010 – “The User Challenge Benchmarking The Supply Of Online Public Services? ‐ 7th Measurement ‐ Setembro 2007 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 11
  12. 12. Para onde vamos Transacção Transformação Personalização Participação Política Integração Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 12
  13. 13. Administração Electrónica Inclusiva “From e-Government to e-Inclusion” Nações Unidas (2005) “Em 2010 todos os cidadãos beneficiarão do acesso aos serviços da Administração Electrónica pelo canal que lhe seja mais conveniente.” In Moving Forward in the 5 priority objectives of the eGovernment Action Plan Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  14. 14. Para além do E-Government Hype Cycle do Gartner Prioridades para a Maturidade • Interoperabilidade • Estratégias Multi‐canal • Arquitectura de Empresa • Reengenharia do Back‐office • Medida do Desempenho Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 14
  15. 15. Administração em Rede? Interoperabilidade? É aqui que tudo falha Organizacional “Peopleware” (Vontades) Informacional / Semântica “Infoware” (Língua) Tecnológica “ Software” e” Hardware” (infra-estrutura) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 15
  16. 16. Fim às Certidões!!! Peça Informação uma só vez e utilize-a muitas vezes Uma Certidão é um toque Tem que me trazer  a uma uma prova de quem é você Base de Dados Tem que me trazer  uma prova de que  não nos deve nada 16 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 16
  17. 17. Promessas para 2009 - 2013 • Portal do Cidadão 2.0 Um só lugar para todos os serviços públicos. Permitir ao cidadão criar uma área personalizada para que o avisem do concurso de que estava à espera, do dia da consulta, da data em que expira a sua carta de condução, etc • Portal da Empresa 2.0 Vida da empresa online: criar uma só porta de entrada para todos os serviços públicos on-line, incluindo os municipais, com serviços à medida e uma área personalizada, onde o empresário possa ser avisado que abriu um novo concurso para projectos de inovação ou que está na hora de enviar a IES • Simuladores on-line dos procedimentos administrativos, que permitam conhecer os prazos de decisão, o valor das taxas e todo o percurso dos procedimentos • Licenciamento zero Projecto-piloto, da eliminação de licenças, autorizações, vistorias e condicionamentos prévios para actividades específicas em áreas a seleccionar, substituindo-os por acções sistemáticas de fiscalização a posteriori e mecanismos de responsabilização efectiva dos promotores • Balcões e-agenda de utilização assistida nos centros de saúde e serviços de proximidade, para marcação de consulta e apoio na utilização de outros serviços • Menos CO2 “Comunicar sem Papel” na Administração Pública • Cartão de Cidadão Potenciar a utilização do Cartão de Cidadão nos serviços on-line (ex: compra e venda de automóvel, saber quanto tempo vai demorar o meu processo judicial, etc) • Dados.gov Informação pública produzida pela AP e disponibilizada de forma facilmente utilizável por cidadãos, empresas, etc • Consulta Pública 2.0 Plataforma agregadora de consultas e discussões públicas, para incentivar participação e co-participação • Voto Electrónico Voto antecipado e voto em mobilidade, explorando as potencialidades das TI Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  18. 18. Temos de abrir a “Caixa de Pandora” e resolver de facto os problemas Como na Mitologia, depois esperamos encontrar a Esperança Defesa de Territórios o Confli Desintegraçã s de Po tos de  Sistema der Falta de Digitalização De sperdício ação orm nte ecursos Inf re de R Incoe etc., etc., etc,,…. Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 18
  19. 19. Partilha de Dados e Serviços “Administração em Rede” Recursos e Serviços Comuns (SOA) Taeritório Pessoas Empresas Veículos Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 19
  20. 20. Precisamos de algumas espinhas mas de poucos Peixes Sinergias Horizontais € Prioridade ao Cidadão Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 20
  21. 21. SIMPLEX a três dimensões • Ver os processos para além de um só departamento, Ministério ou Governo (Central, Regional ou Local) • Incluir os cidadãos e as empresas no ambiente operacional da Administração Pública • Reutilizar informação já recolhida algures na Administração Pública ("ask once, use many") • Acabar com a defesa dos territórios, com os conflitos de poder e as "Feiras de Vaidades" • Digitalizar tudo o que se puder - Enviar em vez de Imprimir • Ter um olhar 360º em torno de cada cidadão ou empresa (repositórios únicos e fiáveis) - Ter apenas um só rosto perante a Administração Pública • Menos medidas e mais integração e interoperabilidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  22. 22. Expectativas Sector Sector Privado Público Criatividade Harmonização Inovação Clareza Competitividade Simplicidade Risco Segurança Iniciativa Confiança e Estabilidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  23. 23. Modelo de IT Governance Competências necessárias Governo Administração Alinhamento Administração Pública Pública Estratégico Arquitecturas de Gestão, Informação, Aplicacionais e Tecnológicas Gestão de Contratos e Controlo de Qualidade Serviços Partilhados Mercado Desenvolvimento de soluções Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 23
  24. 24. • Search Máquinas Homens • Collect • Procura • Sonhar • Copy • Recolha • Imaginar • Compare • Cópia • Criar Dave • Order • Comparação • Fantasiar • Ordenação • Decidir • Calculate • Cálculo Novo trabalhador • Measure • Medida do Conhecimento • Verify • Verificação • Store • Armazenamento Energia Informação Dados Conhecimento 24 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 2001 Odisseia no Espaço (Stanley Kubrick ‐ 1968)
  25. 25. 2 0% Tecnol ogia 80% Atitudes Contra a corrente Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  26. 26. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 1 - Os estágios de maturidade dos CIO e do uso das TIC Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  27. 27. Dominar o Tempo e o Espaço com Credibilidade, Soberania e Alinhamento Estratégico + Governance Arquitectura Espaço Governança dos SI/TI Bo CIO (Estratégica) ard Boar d 67% dos  departamentos de SI/TI não estão Management alinhados com a estratégia do negócio Engenharia Gestão dos SI/TI CTO (Operacional) ‐ ‐ Tempo + 27 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  28. 28. O que é um CIO CIO Chief Information Officer ou CTO Chief Technology Officer Executivo Tecnólogo Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  29. 29. Competências do CIO (Gartner – 1999) • Visionário • Embaixador • Fornecedor de produtos • Piloto do barco • Arquitecto • Adivinho Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  30. 30. A dinâmica das actividades tradicionais do CIO Responsabilidades tradicionais de SI/TI Conduzir a Inovação Fornecer Mudança Suportar a Infra-estrutura Integração nas unidades de Negócio Subcontratação a Fornecedores Externos Marianne Broadbent & Ellen S. Kitzis – “The New CIO Leader”, 2004 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  31. 31. 10 Papéis para os Gestores Mintzberg - 1994 1. Testa de Ferro 2. Líder de Pessoas Interpessoais 3. Elemento de Ligação 4. Monitor 5. Disseminador Informacionais 6. Conferencista 7. Empresário 8. Concertador de Distúrbios Decisórios 9. Fornecedor de Recursos 10.Negociador Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  32. 32. Diferentes Lideranças para diferentes Situações • Comandante – “Sigam-me porque eu digo isso” • Exemplo – “Sigam-me, façam o que eu faço” • Visionário – “Sigam-me porque eu vejo o futuro” • Associado – “Sigam-me porque estamos nisto juntos” • Treinador – “Tentem fazer desta maneira” • Democrático – “O que é que vocês pensam” Marianne Broadbent & Ellen S. Kitzis – “The New CIO Leader”, 2004 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  33. 33. Modelo Nolan (versão de 1979) I. Iniciação - Aplicações para redução de custos funcionais II. Contágio - Proliferação de aplicações III. Controlo - Actualização de documentação e integração de aplicações IV. Integração - Adaptação das aplicações para passarem a utilizar tecnologias de bases de dados V. Administração de Dados - Organização e integração das aplicações VI. Maturidade - Integração das aplicações ”espelhando” os fluxos de informação Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  34. 34. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 2 – Normas e melhores práticas de gestão de SI/TI Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  35. 35. Convergência das Práticas ISO ISO 27001 COBIT 19770 eS V2 00 C Balanced 20 /IE CM 2 CM 0 Scorecard SCAMPI O - -S IS P P Nova ISO CMMI 9001 Services Service SOX ISO/IEC Design 2000 estágios de maturidade dos CIO Service Strategy e-TOM BPM / BPI ITIL ITIL EFQM ISO/IEC Service 12207 Operation Service Transition ISO/IEC 20000 ANSI Continual Service ISO/ Continual Service I Improvement Improvement 3850EC 0 ISO / 270 IEC IEEE 00 TQM eSCM Six PRINCE2 SP Sigma Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  36. 36. ITIL v3 Service Strategies Service Design Service Transition Service Operation Continual Service Improvement Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  37. 37. ISO 20000 Modelo de Processos Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  38. 38. Visão Geral e Estrutura do CobiT PO1 definir um plano estratégico de TI PO2 definir a de informação PO3 determinar a direcção tecnológica PO4 definir a organização e relacionamentos da TI PO5 gerir o investimento em TI PO6 comunicar metas e directivas de gestão M1 monitorar os processos PO7 gerir recursos humanos M2 avaliar a adequação do controle interno PO8 garantir cumprimento de exigências externas M3 obter certificação independente PLANEAMENTO E PO9 avaliar riscos PO10 gerir projectos M4 providenciar auditoria independente ORGANIZAÇÃO PO11 gerir qualidade INFORMAÇÃO Eficácia Eficiência Confidencialidade Integridade Quantificação MONITORAÇÃO Conformidade AQUISIÇÃO E Disponibilidade IMPLEMENTAÇÃO RECURSOS TIC Pessoas Sistemas aplicacionais DS1 definir níveis de serviços Dados DS2 gerir serviços de terceiros Infra-estrutura tecnológica DS3 gerir performance e capacidade Facilidades DS4 garantir continuidade dos serviços DS5 garantir segurança dos sistemas DS6 identificar e alocar custos DS7 educar e treinar utilizadores DS8 auxiliar e aconselhar utilizadores de TI AI1 identificar soluções DS9 gerir a configuração PRODUÇÃO E SUPORTE AI2 adquirir e manter software aplicacional DS10 gerir problemas e incidentes AI3 adquirir e manter arquitectura tecnológica DS11 gerir dados AI4 desenvolver e manter procedimentos de TI DS12 gerir instalações AI5 instalar e certificar sistemas DS13 gerir a operação AI6 gerir mudanças Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  39. 39. CMM (Capability Maturity Model) Guia para melhoria contínua do processo de software Estrutura básica para métodos confiáveis de avaliação Melhoria contínua Estabelecimento 5. de metas OPTIMIZADO Documentação 4. de um padrão GERIDO Estabelecimento 3. de uma política DEFINIDO 2. REPETIVO 1. INICIAL Compromisso em fazer Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  40. 40. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 3 – Planeamento estratégico e Arquitecturas Organizacionais Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  41. 41. Conceito de arquitectura de empresa É o conjunto de representações descritivas que são relevantes para a descrição de uma empresa de forma que possa ser produzida de acordo com os requisitos de gestão (qualidade) e mantida ao longo do seu tempo útil de vida. Abrange o negócio da empresa e os sistemas e tecnologias de informação que o suportam. John Zachman É uma base de activos estratégicos de informação que define o negócio, a informação necessária para operar o negócio, as tecnologias necessárias para suportar as operações de negócio e os processos de transição necessários para a implementação das novas tecnologias em resposta às mudanças das necessidades de negócio. Governo Americano Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  42. 42. Arquitectura Zackman Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  43. 43. O Papel da Arquitectura Fortalecer as relações entre as TIC e o Negócio Arquitectura do Estratégia do Negócio Implementação Negócio Arquitectura da Processos de • Forças externas Informação Negócio • Objectivos do Arquitectura Estruturas de Negócio Tecnológica Informação • Política do Negócio Arquitectura da Sistemas de • Locação de Solução Aplicação Recursos Infra-estrutura Tecnológica Estrutura Organizacional Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  44. 44. CRUD •C – Create •R – Retrieve •U – Update •D - Delete Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  45. 45. Data Nascimento Nacionalidade Naturalidade Diagrama de CRUD Número Filiação Morada Nome Sexo xxx yyy • • • • • • • • • • • Processo A C C C C C C C C C C • Processo B C C C C C C C C C C • Processo C C C C C C C C C C C • … • Processo n C C C C C C C C C C Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  46. 46. Data Nascimento Nacionalidade “Matrícula” Naturalidade Consistência e Qualidade Número Filiação Morada dos Dados Nome Sexo xxx yyy • • • • • • • • • • • Processo A C C C C C C C U U U • Processo B U U U U U U U C U U • Processo C U U U U U U U U C U • … • Processo n U U U U U U U U U C Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  47. 47. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 4 – Gerir as aquisições de SI/TI Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  48. 48. IN ou OUT? Tempo Tempo Talento Talento (Velocidade) (Velocidade) (Qualidade) (Qualidade) Dinheiro Dinheiro (Preço) (Preço) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  49. 49. Alternativas de *sourcing + Time Insourcing Insourcing Time Sharing completo Internalização de Recursos Humanos Sharing completo Contratos de Contratos de Contratos de Contratos de desenvolvimento desenvolvimento Integração Integração ASP de Sistemas de Sistemas Contratos Contratos de Análise e de Análise e desenvolvimento desenvolvimento Outsourcing Outsourcing completo completo - - Internalização de Recursos Tecnológicos + Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  50. 50. Dependência em relação ao outsourcing + € g rcin tsou ído e Quantidade da Oferta O u ib u D is tr P razo rto d e Cu rcing e sou rado Out ent c C on ngo P razo d e Lo €€€ - - Especificidade do Negócio + Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  51. 51. Balancear 5 factores chave para alcançar Valor Custo Risco e Inovação Velocidade Qualidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  52. 52. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 5 - Gestão de Projectos Luís Vidigal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  53. 53. PMBOK É um guia onde se descreve o somatório de conhecimento e as melhores práticas dentro da área de gestão de projectos. Todo o conhecimento reunido neste guia é comprovado e não se restringe somente a práticas tradicionais, mas também às inovadoras e avançadas. É um material genérico que serve para todas as áreas de conhecimento, ou seja, tanto para construção de edifício ou processo de fabricação industrial como para a produção de software. Um outro objectivo do PMBOK é a padronização de termos utilizados em gestão de projectos. Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  54. 54. O Que é um Projecto? Trabalho nas Organizações Tipos Operações Projectos • Realizados por Pessoas Semelhanças • Limitados aos Recursos Disponíveis • Planeados, Executados e Controlados Contínuas e Temporários e Diferenças Repetitivas Únicos Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  55. 55. "Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe para onde ir." Lucius Annaeus Seneca (Cordoba, 4 a.C. — Roma, 65 d.C.) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  56. 56. Grupos de procedimentos ao longo do Ciclo de Vida do Projecto Intensidade Execução Planeamento Iniciação Controlo Encerramento Tempo Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  57. 57. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 6 - Gestão da Mudança Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  58. 58. Mudança e preconceito "É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito“ Albert Einstein Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  59. 59. Conceito de Gestão da Mudança • São processos, ferramentas e técnicas para gerir questões ligadas às pessoas durante a mudança de processos de negócio para que se atinja o melhor resultado possível Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  60. 60. As cinco faces da mudança é g ia Co ntr rat olo Est Alinhamento Pro Pro s soa ces ces Pes sos sos Tecnologia Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  61. 61. Mudar através das Pessoas • A Mudança significa quebrar e alterar relacionamentos com coisas que fazemos e que prezamos. • A perda de controle pode custar muito no âmbito pessoal… Medo de Perder: •Controle Sentimento de Perda •Confiança Medo do Medo do Medo da mudança Desconhecido •Competência Desconhecido •Poder • etc. Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  62. 62. Capacidade de Mudar (Os 3 “W”) Poder Poder Willing Willing Querer Querer Saber Saber Wanting Wanting knoWing knoWing Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  63. 63. Descongelar / Re-congelar Descongelar Re-congelar Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  64. 64. Objectivos da Gestão da Mudança O objectivo da Gestão da Mudança é ter uma abordagem equilibrada dos aspectos técnicos e organizacionais, visando minimizar as possíveis resistências e obter uma transformação mais eficaz, completa e em menos tempo Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  65. 65. Acções proactivas para ultrapassar as resistências Resistência devido ao desconhecido Comunicação Gestão de Resistência de pessoas-chave Influenciadores Direcção / Visão da Falta de razão clara para o projecto mudança Incertezas sobre competências disponíveis Análise dos pedidos de Formação Implementação de um sistema Execução da Formação Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  66. 66. Estratégia e Táctica Objectivo Objectivo Táctico Estratégico Objectivo Táctico Objectivo Táctico Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  67. 67. Resistência à Mudança Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  68. 68. Se alguém faz … alguém desfaz Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  69. 69. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 7 – Comunicação Organizacional Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  70. 70. Os “olhos” da nossa cultura Cultura Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  71. 71. Um Organograma não é uma Organização Imagem real Pública t m çã o n mic i nA sdrainistratio Pd Aubli Imagem formal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  72. 72. Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  73. 73. Tipos de imagem organizacional Imagem Imagem Objectiva Prospectiva O que é O que deseja Imagem Global Imagem Imagem Subjectiva Pública Como é percebida Generalizada a um grupo social Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  74. 74. Tipos de imagem organizacional Imagem Transmitida Imagem Imagem Desejada Percebida Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  75. 75. Boas apresentações devem ter • A comunicação sempre presente • Texto para apoiar a comunicação • Imagens para simplificar conceitos complexos • Animações para simplificar a transmissão de relações complexas • O visual como apoio, não como um distractivo • Som, apenas quando absolutamente necessário Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 75
  76. 76. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Governação dos Sistemas e Tecnologias da Informação “IT Governance” 8 – Papéis e Perfis Profissionais Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  77. 77. Tipos psicológicos Modelo MBTI (Myer-Briggs Type Indicator) (Baseado em Carl G. Jung) • Como é que uma pessoa – é Motivada – Percebe – Decide – Vive Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  78. 78. Tipos psicológicos - Escalas medidas pelo MBTI Actividade - Escala Refere-se a chave Extroversão - Como uma pessoa é motivada Motivação Introversão Naquilo que a pessoa presta Sensação - Intuição Observação atenção Pensamento - Como uma pessoa toma Decisões Sentimento decisões Julgamento - Tipo de vida que uma pessoa Modo de vida Percepção adopta Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  79. 79. Características das escalas MBTI Motivação Extroversão (E) Introversão (I) Preferência por tirar energia Preferência por tirar energia do do mundo exterior das mundo interior das ideias, pessoas, actividades ou emoções ou impressões coisas pessoais Observação Sensação (S) Intuição (N) Preferência por obter Preferência por obter informações informações através dos através do "sexto sentido", cinco sentidos, concentrando-se em princípios concentrando-se em factos e observando as possibilidades e observando aquilo que é real Decisões Pensamento (T) Sentimento (F) Preferência por organizar e Preferência por organizar e estruturar as informações estruturar as informações para para tomar decisões de tomar decisões de maneira maneira lógica e objectiva pessoal e orientada para os valores Modo de vida Julgamento (J) Percepção (P) Preferência por ter uma vida Preferência por ter uma vida organizada e planeada espontânea e flexível Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  80. 80. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Da automatização à inteligência dos processos 1 – BPM, Reengenharia de Processos e Formulários Electrónicos Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  81. 81. Reengenharia de Processos • É o repensar fundamental e a reestruturação radical dos processos organizacionais, que visam alcançar melhorias drásticas em indicadores críticos e contemporâneos de desempenho, tais como custos, qualidade, atendimento e velocidade Michael Hammer & James Champy (1993) • É o repensar fundamental e redefinição radical dos processos para conseguir enormes melhorias no desempenho Michael Hammer & Steven Stanton (1995) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  82. 82. O que fazer antes de iniciar? • Identificar os processos chave de negócio • Estabelecer objectivos e metas, de preferência alinhados ao Plano Estratégico • Lembrar que o mapeamento de processos é um meio e não um fim • Não é necessário mapear todos os processos da organização, somente aqueles mais importantes ou críticos • Definir o nível de detalhe necessário e apropriado para a organização em questão Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  83. 83. Modelação dos Processos "As Is" • Obter informações do processo / Construir modelo – Entrevistas – Entrevistar o “Owner” de cada processo – Identificar a origem das fontes do processo (Inputs) • Identificar elementos chave do processo – Actividades – Quem faz o que? – Sequência do processo – Regras específicas do processo (Business Rules) – Entradas e Saídas – Indicadores (Tempo de execução das actividades) 83 Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  84. 84. Melhoria dos Processos • Identificar claramente o objectivo da melhoria – Reduzir Custo e Tempo – Potencializar a qualidade do produto ou serviço – Aumentar a satisfação do cliente • Meios para alcançar os objetivos – Racionalizar o processo – Melhorar a utilização dos recursos – Melhorar ou definir um processo de Gestão Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  85. 85. Modelação Processo Seqüencial As Is Tempo Total: 6 horas Processo com atividades paralelas To Be Tempo Total: 2 horas Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  86. 86. Reengenharia Não faça sempre como fez! Repensar (Why) Realocar Resequenciar (How much) (When) Reconfigurar Os 7 Re Relocalizar (What) (Where) Reduzir Refazer (How much) (How) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 86
  87. 87. Reengenharia Não faça sempre como fez! • Qual a causa para determinado problema? • Porque fazemos as coisas desta forma? • Este processo continua a ser crítico para o cliente? • Quem faz o quê? • O processo, não poderia ser conseguido com menos passos? • Poderá o processo ser feito em outsourcing? Trará mais valor acrescentado para o cliente? • Os processos acontecem em paralelo? Quais são executados primeiro, qual a sequência? • Poderemos introduzir novas funcionalidades tecnológicas? Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  88. 88. Fazes da reengenharia de processos In íci o Definição Definição da Visão “To Be” Análise Caracterização Custo / “As Is” Benefício Avaliação Plano de Transição Definição Implementação das Métricas Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 88
  89. 89. Reengenharia de processos • O que se pretende obter com o processo; • Quem intervém no processo e com que responsabilidade; • Onde é executado o processo, em que estruturas ou serviços; • Como é executado o processo, qual o suporte tecnológico inerente; • Qual a sequência mais adequada de procedimentos e tarefas; • Que recursos são necessários. Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  90. 90. O que aprendemos da Reengenharia • A gestão de topo deve apoiar a mudança • A cultura organizacional deve ser receptiva • As melhorias e as poupanças devem focar-se nos processos • Os processos devem ser seleccionados com base nas necessidades dos cidadãos • Os donos dos processos devem gerir as equipas, o âmbito e as métricas Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  91. 91. Formas de melhorar os processos • Normalizar • Reduzir erros • Usar equipas em rede • Agrupar trabalho semelhante • Combinar operações e actividades similares • Reduzir controlos e revisões • Mover a decisão para níveis próximos do cidadão • Eliminar dados não utilizados • Remover atrasos artificiais • Assegurar 100% de qualidade • Automatizar tudo o que for possível Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  92. 92. Um mundo de objectos inteligentes das pessoas às coisas Tecnologias de auto-identificação: • Código de barras • Tarja magnética • Chip • Reconhecimento óptico de caracteres (OCR) • Biometria (voz, imagem e gesto) • Rádio-frequência (RFID) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  93. 93. Personalizados, únicos, dinâmicos e inteligentes Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  94. 94. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública Da automatização à inteligência dos processos 2 – Alinhamento Estratégico, Competitividade, Valor e Gestão de Benefícios Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  95. 95. Modelo de Processos da Gestão de Benefícios Identificar Identificar e estruturar e estruturar os Benefícios os Benefícios Potencial Potencial Planear a Planear a para futuros para futuros realização dos realização dos Benefícios Benefícios Benefícios Benefícios Rever e Rever e Executar Executar avaliar os avaliar os o Plano de o Plano de resultados resultados Benefícios Benefícios Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 95
  96. 96. BCG - Boston Consulting Group (Matriz de Portfolio de Produtos) Domínio do Mercado Grande Pequeno Estrelas Alto Potencial Crescimento do Mercado Brilhantes Grande Crescimento Grande Pequena parcela do Grande Crescimento Mercado Líderes do Mercado Precisa de Dinheiro Precisa de Dinheiro Baixos Lucros Vacas Cães Pequeno Leiteiras Rafeiros Pequeno Crescimento Pequeno Crescimento Grande parcela do Mercado Pequena parcela do Mercado Elevado Cash Flow Cash Flow mínimo Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 96
  97. 97. Portugal está em 43º lugar no ranking de competitividade mundial The Global Competitiveness Report 2009-2010 do World Economic Forum Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  98. 98. Constrangimentos à competitividade em Portugal The Global Competitiveness Report 2009-2010 do World Economic Forum Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  99. 99. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública As famílias e as tendências tecnológicas Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  100. 100. Para além do E-Government Hype Cycle do Gartner Prioridades para a Maturidade • Interoperabilidade • Estratégias Multi-canal • Arquitectura de Empresa • Reengenharia do Back-office • Medida do Desempenho Simplicidade na Comunicação e nos Processos Administrativos / | Luís Vidigal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 100
  101. 101. Software Livre Uma decisão Política a tomar Concentração de Partilha do Conhecimento Conhecimento Software Software Proprietário Livre País de País de Consumidores Produtores Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  102. 102. O que esperamos das TIC? Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  103. 103. As Grandes Famílias Tecnológicas na Gestão ERP SCM CRM Enterprise Supply Custumer Resource Chain Resource Planning Management Management Recursos Processos Clientes Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  104. 104. Abordagem SOA Service Oriented Architecture Activos a proteger Processos Dados Tecnologias Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  105. 105. Proteger os Activos Informacionais (Dados e Processos) Metadados (XML) e Regras de Negócio (BPM) Tecnologia Tecnologia Tecnologia A B C Plataforma SOA O que entra tem de sair Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  106. 106. Estágios de Maturidade Tecnológicas Interactividade Automatizar os Processos z ar ati Comunicar tom Trabalhar juntos Au iz ar ial Acesso à ter ma Informação D es Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  107. 107. Quadrantes mágicos do Gartner Desafiadores Líderes + Facilidade de utilização Quadrante ideal - Nichos Visionários - Sofisticação e Visão Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  108. 108. Hype Cycle do Gartner Visibilidade Euforia Maturidade Desencanto Maturidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  109. 109. Para além do E-Government Hype Cycle do Gartner Prioridades para a Maturidade • Interoperabilidade • Estratégias Multi-canal • Arquitectura de Empresa • Reengenharia do Back-office • Medida do Desempenho Simplicidade na Comunicação e nos Processos Administrativos / | Luís Vidigal Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal 109
  110. 110. Software Livre Uma decisão Política a tomar Concentração de Partilha do Conhecimento Conhecimento Software Software Proprietário Livre País de País de Consumidores Produtores Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  111. 111. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública 5 - Os novos serviços públicos na Era do Conhecimento “Services Science” Novos paradigmas para os serviços Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  112. 112. Divisão do Trabalho • Trabalho Produtivo –Produtos vendáveis • Trabalho Improdutivo –Serviços Adam Smith "Uma investigação sobre a natureza e a causa da riqueza das nações“ Séc. XVIII Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  113. 113. O que é a Ciência de Serviços? Ciência Engenharia Gestão Dados Conhecimento Valor Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal Ravi Nemana, UC Berkeley
  114. 114. Co-produção de valor Perde – Ganha Ganha – Ganha (Serviço: Fornecedor (coersão) co-produção de valor) Perde – Perde Ganha – Perde (guerra, (perca de co-destruição domínio) de valor) Cliente Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  115. 115. Definições de Serviço • Serviço = Co-Produção de Valor = Aplicação de competências para benefício mútuo • Sistema de Serviço Uma configuração para co-criação de valor, incluindo pessoas, tecnologias e propostas de valor, conectando sistemas internos e externos e partilhando informação (línguagem, regras, medidas, contratos, etc.) Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  116. 116. Estimativas de Marc Porat, (1977) Info Economy: Definitions and Measurement Serviços de Informação Ouros Serviços Indústria (Produtos) Agricultura Caça e Pesca Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  117. 117. Porque estamos preocupados? • Globalização • Automação Serviços • Self-service Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  118. 118. Informática Investigação Operacional Engenharia Gestão Ciências Sociais Direito Ciência TIC de Serviços Negócio Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  119. 119. SSME Services Science, Management and Engineering Ciência • Comportamento • Relacionamentos • Competências • Cultura Gestão Engenharia • Valor • Métodos • Estruturas • Ferramentas • Planeamento • Eficiência Operacional • Liderança • Qualidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  120. 120. Multi-disciplinas TECNOLOGIA Inovação Inovação VALOR Ciência & Tecnológica no Negócio Negócios & Engenharia Gestão CIÊNCIA DE SERVIÇOS PESSOAS Inovação Inovação CLIENTES Ciências Social na Procura Economia Sociais & Cognitivas & Mercados Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal Adaptado da visão da IBM
  121. 121. A Inovação está a mudar Negócio Novos Conhecimentos Sociedade Tecnologia Multi-disciplinas e Colaboração Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal Adaptado da visão da IBM
  122. 122. No mundo em que vivemos • Os serviços dependem das pessoas, tecnologia, e co-produção de valor • As pessoas trabalham juntas e com a tecnologia para fornecer valor aos clientes • Um sistema de serviço é um sistema complexo socio-técnicoo-económico • O crescimento exige inovação que combina pessoas, tecnologia, valor e clientes Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  123. 123. Componentes do PIB nos EUA Produtos Serviços Matérias 11% 30% Primas 9% 50% Informação Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal Fonte: Uday Karmarkar, UCLA
  124. 124. Novos empregos – Novas Competências • Gestão aberta • Organizações abertas • Aprendizagem ao longo da vida • Inovação colaborativa e global • Globalização dos talentos • Diversidade cultural • Acesso democrático à tecnologia • Tecnologia mais flexível (SOA) • Ubiquidade tecnológica • Outsourcing – Ameaça ou oportunidade • Os Serviços dominam o PIB • Mudança estrutural e não apenas cíclica Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  125. 125. Inovação Global e Colaborativa Crescimento Lideres • Identificar um nicho e agentes de mudança • Diferenciação • Visão Estratégica • Marca (Brand) • Competências de Liderança • Métricas Ligar as Organizações • Competências empresariais • Definição de acções de curto prazo • Colaboração e abertura cultural Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  126. 126. A Índia e a China irão ser os maiores mercados emergentes Combinados correspondem já a 1/3 da população mundial e já são hoje os novos motores da economia global Evolução da % do PIB mundial Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  127. 127. Novas parcerias Governo Ciência Associações de Empresas Serviços Universidades Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  128. 128. http://egovernment.no.sapo.pt Sistemas de Informação da Administração Pública 5 - Os novos serviços públicos na Era do Conhecimento “Services Science” Homwns e Máquinas: Uma nova relação Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  129. 129. Novos Valores Novas Funções Novos Papeis Novas Organizações Novas Lideranças Novos Relacionamentos Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  130. 130. Nicholas Carr: “IT doesn’t matter” Espiral das “commodities” (HBR -Maio 2003) • 70 a 90% dos gastos em TI são feitos em infra-estrutura indiferenciada e este valor vai continuar a subir à medida que a standardização vai invadindo cada vez as áreas do software • Há cada vez menos empresas a diferenciar-se através das TIC Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  131. 131. Inovar ou consumir? Zona de Tecnologia Estratégica Inovação e “Really matters” Competitividade Tecnologia Infra-estrutural Soberania “Doesn’t matter” Mais estável Utilidade Mais maleável Zona de partilhada Poupança Mais flexível Outsourcing Forças tecnológicas, Mais estandardizada competitivas “Overbooting” e económicas (banalização para além das necessidades) Inspirado em Nicholas Carr Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  132. 132. Actividades Estratégicas Alta Competição Exclusividade Reagir Improvisar Inovar Fundações Competências Músculos e Reflexos Partilha Partilha Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  133. 133. Nicholas Carr: “IT doesn’t matter” Consequências para a gestão • “Idade do mainframe” (60s – 70s) • “Idade do cliente-servidor” (80s – 90s) • “Idade das utilities” (futuro) Não se trata de quanto se gasta mas de como se gasta Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  134. 134. Energia + Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  135. 135. Informação + Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  136. 136. Novo Taylorismo? Sociedade Industrial Máquina Sociedade da Informação Rede Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  137. 137. Máquina Isolamento Ausência de contexto Rotina Mecanização Rede Comunidade Interacção Contexto Processos orgânicos Complexidade Fluxo Mudança Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  138. 138. Os Trabalhadores do Conhecimento perseguem a Empregabilidade Li de Pe ra rc n ça do ep P r Co ão ç oc m Ex Contexto es pre te Ve so en rn rs do sã a de at Ne o Co Pa dili gó nh p e ad cio e is e Lo cim Ap ca en Té tid l to cn ão ic a Empregabilidade Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal
  139. 139. As origens das novas formas organizacionais • 1961 – Burns and Stalker –Orgânica • 1968 – Bennis and Slater –Flexível e Adaptativa • 1970 – Toffler – Adhocracia TIC • 1973 – Galbraith – Matricial • 1979 – Mintzberg – Orgânica e Adhocracia • 1986 – Miles and Snow – Em Rede • 1989 – Handy – Federal • 1990s - Virtual Sistemas de Informação da Administração Pública / | Luís Vidigal

×