SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
CURATIVOS
Profº Vanice
É um meio que consiste na
limpeza e aplicação de uma
cobertura estéril em uma ferida.
Finalidade dos Curativos
• Prevenir e tratar a infecção das lesões contaminadas;
• Evitar a contaminação das feridas limpas;
• Promover a cicatrização;
• Remover exudatos;
• Promover a hemostasia;
• Proteger o leito da ferida;
• Aliviar a dor;
• Manter medicamentos no local;
• Manter um ambiente umedecido;
• Remover corpos estranhos;
• Proteger contra traumas.
• Reaproximar bordas separadas;
• Preencher espaço morto
• Remover tecido necrótico;
• Reduzir o edema;
• Fornecer isolamento térmico;
• Dar conforto psicológico.
• Permitir as trocas gasosas
•Limitar a movimentação dos tecidos em
torno da ferida;
Critérios para seleção da cobertura
⚫ Ferida: seca/crosta/exsudato/necrose
⚫ Localização da ferida
⚫ Tamanho da ferida
⚫ Formato da ferida, superficial, profunda
TIPOS DE CURATIVOS
SEMI-OCLUSIVO
Curativo que oclui parcialmente a lesão e absorve
secreções, sendo semi-permeável ao ar e a água
• Permite a exposição da ferida ao ar;
• Absorve exsudato da ferida;
• Isola o exsudato da pele saudável adjacente.
OCLUSIVO
Curativo que oclui totalmente o leito da ferida e não
permite a passagem de ar ou fluidos, sendo uma
barreira contra bactérias. Tem como vantagens:
• Vedar a ferida, a fim de impedir pneumotórax;
• Impede a perda de fluidos;
• Promove o isolamento térmico e de terminações
nervosas;
• Impede a formação de crostas.
COMPRESSIVO
É utilizado para
promover estase,
extremidades
reduzir o fluxo sangüíneo, ou
e ajudar
do
na aproximação das
ferimento.
SUTURA COM FITAADESIVA
Após limpeza da ferida, as bordas do tecido
seccionado são unidas e fixa-se a fita adesiva. Este
tipo de curativo é apropriado para cortes superficiais
e de pequena extensão.
CURATIVOS ABERTOS
Não há necessidade dos ferimentos serem ocluídos.
• Algumas feridas cirúrgicas (após 24 horas)
• Cortes pequenos ou escoriações
• Queimaduras de 1º grau
TÉCNICA PARA REALIZAR CURATIVO
• Preparar o material no posto de enfermagem;
• Lavar as mãos;
• Preparar o local para manuseio dos materiais;
• Local de descarte;
• Orientar o paciente acerca do procedimento;
• Preparar o campo estéril e material utilizado;
• Lavar a ferida, sem friccionar começando pelas
áreas limpas e fechadas, seguindo-se de ferida
aberta não infectada, drenos e por último as
feridas infectadas, colostomias e fístulas em geral;
• Em presença de tecido de granulação nunca
friccione, apenas use jatos de soro fisiológico;
• Mantenha sempre o leito da ferida úmido e as
bordas levemente secas;
• Recomposição do paciente e do ambiente;
• Lavar as mãos;
• Evolução/ Anotação: Registro do procedimento
incluindo avaliação da ferida; Após cada
curativo devem ser anotadas no prontuário do
paciente.
IMPORTANTE
Feridas limpas
Feridas Infectadas
Limpar de dentro para fora
Limpar de fora para dentro
SOLUÇÕES E MEDICAMENTOS
UTILIZADOS
• SORO FISIOLÓGICO
Mantém a ferida úmida e importante na
formação do tecido de granulação.
• SULFADIAZINADE PRATA
Características bactericidas imediatas e bacteriostáticas
residuais. Para manter sua ação deve ser trocado a cada
12 h. Muito utilizado em quaimaduras.
⚫RIFOCINASPRAY
É um antibiótico de elevado poder bactericida. Tratamento
microorganismos sensíveis à
tópico das infecções de superfície, causadas por
rifamicina, ferimentos e
feridas infectadas, furúnculos, piodermites, dermatoses
infectadas, úlceras varicosas.
⚫CLOREXEDINAALCOÓLICA
Indicada na antissepsia de pele e mucosas e na inserção de
cateteres vasculares para prevenção de colonização.
Não deve ser usada em feridas abertas
⚫POLIVINILPIRROLIDONA-IODO (PVP-
I): POVIDINE
Fora de uso para curativos.
Indicação em anti-sepsia de pele íntegra.
⚫COLAGENASE
É uma pomada enzimática utilizada no debridamento
químico, atua também no tecido de granulação,
acelerando o crescimento e enchimento do vazio da
lesão, bem como sua epitelização.
Está indicada exclusivamente nas feridas com tecido
necrótico.
⚫Ácidos Graxos Essenciais (AGE)
Correspondem a uma classe de óleo vegetal
formado por triglicerídeos de cadeia média,
vitamina A,E e lecitina de soja.
É importante para a manutenção da integridade
das membranas das células;
Possui ação hidratante e auxilia a restauração da
pele.
A vitamna E é antioxidante, protegendo a
membrana celular contra radicais livres, e a
vitamina A participa como importante cofator na
cicatrização.
Curativos Especiais
Rodrigo Abreu
São insumos que irão contribuir ou
facilitar o processo de cicatrização,
podendo atuar também na
prevenção de lesões.
Hidrocolóide
Principais Benefícios:
• Proporcionao meio ideal paraacicatrização
• Aliviaador
• Protegercontra traumas mecânicos
• É econômico (permaneceporaté 7 dias)
• Atendea todas as fases no processodecicatrização
Hidrocolóide
Úlceras de Perna
Aplicação do Curativo
Perfeita Adesividade
Áreas de Difícil Oclusão
Curativo Contorno
Curativo Aliviadorde Pressão
Prevençãoe tratamentodas úlcerasde pressão
Alginato de Cálcio
Produzidocom fibras dealgas marinhasembebidasem íonsdesódioecálcio;
Altaabsorção deexudato(podeabsorveraté 20 vezesseu pesoem flúidos.
Induz a hemostasia
A fibra se transforma em um gel suave não aderente a ferida.
Recortável e moldável
Fácil aplicaçãoeremoção
 Evita maceraçãoda peleao redorda ferida
 Reduz númerodetrocadecurativos
Preenchecavidades
Mantém o leitoúmido
Deve ser trocado no máximo a cada 24 horas.
Cobertura Alginato de Cálcio
Característicase Benefícios
Hidrogel
 Carboximetilcelulose
desódio
 Alginatode Cálcio
 ÁguaPurificada
Função:
 Partículasabsorventes
 Desbridamentoquímico
PromoveGranulação
Hidrogel
Ingredientes
 Tratamentode feridas necrosadas / fibrina
 Úlcerasde perna
 Úlcerasde pressão
 Úlcerasde pédiabético não - infectadas
Indicações:
Carvão Ativado e Prata
Indicações:
 Possui grande capacidade de absorção de exsudato e
odores, sendo indicado para lesões fétidas.
Dever ser trocado a cada 48 horas, e quando existe uma
grande quantidade de exsudato deve ser trocado com uma
maior freqüência.
Não é aconselhado cortar o curativo.
Filmes Transparentes
• Se apresentam como uma fina película de
poliuretano adesivo que permite as trocas
gasosas e a evaporação de água, sendo
impermeável a liquidos e bactérias.
• São indicados para a proteção da pele íntegra,
fixação cateteres, curativos secundários.
• Pode ser mantido por até 7 dias
Indicações:
• Reduz risco de infecção por prevenir acúmulo de umidade;
• Minimiza as trocas do curativo;
• Impermeável à água e bactérias;
• Fácil aplicação e remoção;
• Permite a inspeção no local da punção para sinais de
infecção ou flebite sem a necessidade de retirar o curativo;
• Evita o atrito da a pele com as superfícies.
Características:
Curativo
Prof. Vanice

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a curativos aula.pptx

Semelhante a curativos aula.pptx (20)

curativohelpcompleto-160721140724.pdf
curativohelpcompleto-160721140724.pdfcurativohelpcompleto-160721140724.pdf
curativohelpcompleto-160721140724.pdf
 
curativos e coberturas.pdf
curativos e coberturas.pdfcurativos e coberturas.pdf
curativos e coberturas.pdf
 
Feridas e Curativos
Feridas e CurativosFeridas e Curativos
Feridas e Curativos
 
Curativos e coberturas
Curativos e coberturasCurativos e coberturas
Curativos e coberturas
 
tipos de feridas.pdf
tipos de feridas.pdftipos de feridas.pdf
tipos de feridas.pdf
 
Tratamento de feridas - Aula 03
Tratamento de feridas - Aula 03Tratamento de feridas - Aula 03
Tratamento de feridas - Aula 03
 
tratamento-de-feridas.ppt
tratamento-de-feridas.ppttratamento-de-feridas.ppt
tratamento-de-feridas.ppt
 
Aula feridas e curativos
Aula feridas e curativosAula feridas e curativos
Aula feridas e curativos
 
Curativos especiais
Curativos especiaisCurativos especiais
Curativos especiais
 
TRATRAMENTO DE FERIDAS.pptx
TRATRAMENTO DE FERIDAS.pptxTRATRAMENTO DE FERIDAS.pptx
TRATRAMENTO DE FERIDAS.pptx
 
FERIDAS CURSO.pdf
FERIDAS CURSO.pdfFERIDAS CURSO.pdf
FERIDAS CURSO.pdf
 
Coberturas 04.ppt
Coberturas 04.pptCoberturas 04.ppt
Coberturas 04.ppt
 
Feridas
FeridasFeridas
Feridas
 
Lavagem das mãos cirúrgica e paramentação.pptx
Lavagem das mãos cirúrgica e paramentação.pptxLavagem das mãos cirúrgica e paramentação.pptx
Lavagem das mãos cirúrgica e paramentação.pptx
 
Principais produtos usados no tratamento de feridas
Principais produtos usados no tratamento de feridasPrincipais produtos usados no tratamento de feridas
Principais produtos usados no tratamento de feridas
 
Coberturas mais usadas na cce
Coberturas mais usadas na cceCoberturas mais usadas na cce
Coberturas mais usadas na cce
 
Aula 04 curativos
Aula 04  curativosAula 04  curativos
Aula 04 curativos
 
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
 
Feridasmalignas
FeridasmalignasFeridasmalignas
Feridasmalignas
 
Curativo
CurativoCurativo
Curativo
 

Mais de vaniceandrade1

carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.ppt
carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.pptcarrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.ppt
carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.pptvaniceandrade1
 
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....vaniceandrade1
 
classificação de risco saude tecnico em enfermagem
classificação de risco  saude tecnico em enfermagemclassificação de risco  saude tecnico em enfermagem
classificação de risco saude tecnico em enfermagemvaniceandrade1
 
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptx
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptxAULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptx
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptxvaniceandrade1
 
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptx
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptxAssistência enfermagem em centro cirúrgico.pptx
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptxvaniceandrade1
 
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptx
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptxNormatização CENTRO CIRÚRGICO.pptx
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptxvaniceandrade1
 
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptxAULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptxvaniceandrade1
 
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxAula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxvaniceandrade1
 
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxAula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxvaniceandrade1
 
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptx
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptxAULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptx
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptxvaniceandrade1
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxvaniceandrade1
 

Mais de vaniceandrade1 (11)

carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.ppt
carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.pptcarrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.ppt
carrodeemergencias-150829234747-lva1-app6892.ppt
 
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....
aula2-principaismedicamentosutilizadosememergencia-230727164253-bf668225 (1)....
 
classificação de risco saude tecnico em enfermagem
classificação de risco  saude tecnico em enfermagemclassificação de risco  saude tecnico em enfermagem
classificação de risco saude tecnico em enfermagem
 
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptx
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptxAULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptx
AULA aula 3 Suporte basico e avançado de vida.pptx
 
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptx
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptxAssistência enfermagem em centro cirúrgico.pptx
Assistência enfermagem em centro cirúrgico.pptx
 
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptx
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptxNormatização CENTRO CIRÚRGICO.pptx
Normatização CENTRO CIRÚRGICO.pptx
 
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptxAULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
AULA INTRODUAÇÃO CENTRO CIRURGICO.pptx
 
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxAula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
 
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptxAula pronta anotações de enfermagem.pptx
Aula pronta anotações de enfermagem.pptx
 
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptx
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptxAULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptx
AULA INSTRUMENTAÇÃO CIRURGICA PINÇAS.pptx
 
aula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptxaula posies cirrgicas.pptx
aula posies cirrgicas.pptx
 

Último

Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfGiza Carla Nitz
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfamaroalmeida74
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadJordanPrazeresFreita1
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoDjalmadeAndrade2
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfGiza Carla Nitz
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfEduardoSilva185439
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfmarrudo64
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfThiagoAlmeida458596
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfRodrigoSimonato2
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAndersonMoreira538200
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxEnfaVivianeCampos
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdfThiagoAlmeida458596
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfGiza Carla Nitz
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdfGiza Carla Nitz
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIAArtthurPereira2
 

Último (17)

Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdfAula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
Aula 5 - Sistema Muscular- Anatomia Humana.pdf
 
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdfGlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
GlicolÃ_se -MEDICINA GERAL PIAGET-2023-2024 - AULA 2 -ESTUDANTE.pdf
 
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para DownloadSlide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
Slide sobre Estruturalismo - Disponível para Download
 
Primeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalhoPrimeiros socorros segurança do trabalho
Primeiros socorros segurança do trabalho
 
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdfAula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
Aula 7 - Sistema Linfático - Anatomia humana.pdf
 
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdfAula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
Aula 1 - Clínica Médica -Organização, Estrutura, Funcionamento.pdf
 
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdfDengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
Dengue aspectos clinicos sintomas e forma de prevenir.pdf
 
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdfAula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
Aula 7 - Tempos Cirurgicos - A Cirurgia Passo A Passo - PARTE 1.pdf
 
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdfAula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
Aula 2 - Sistemas de Informação em Saúde.pdf
 
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdfNutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
Nutrição Enteral e parenteral para enfermagem .pdf
 
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdfControle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
Controle-da-população-microbiana-antibióticos-e-resistência-ENF.pdf
 
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptxAula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
Aula de Anatomia e fisiologia socorrista .pptx
 
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptxAULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
AULA 12 DESENVOLVIMENTO FETAL E MUDANÇAS NO CORPO DA MULHER.pptx
 
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
Guia alimentar para a população brasileira  .pdfGuia alimentar para a população brasileira  .pdf
Guia alimentar para a população brasileira .pdf
 
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdfAula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
Aula 8 - Primeiros Socorros - IAM- INFARTO AGUDO DO MIOCARDIO.pdf
 
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdfAula 02 -Biologia Celular -  Células Procariontes e  Eucariontes .pdf
Aula 02 -Biologia Celular - Células Procariontes e Eucariontes .pdf
 
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIASAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
SAUDE E SEGURANNÇA DO TRABALHO E EPIDEMIOLOGIA
 

curativos aula.pptx

  • 2. É um meio que consiste na limpeza e aplicação de uma cobertura estéril em uma ferida.
  • 3. Finalidade dos Curativos • Prevenir e tratar a infecção das lesões contaminadas; • Evitar a contaminação das feridas limpas; • Promover a cicatrização; • Remover exudatos; • Promover a hemostasia; • Proteger o leito da ferida; • Aliviar a dor; • Manter medicamentos no local; • Manter um ambiente umedecido; • Remover corpos estranhos; • Proteger contra traumas.
  • 4. • Reaproximar bordas separadas; • Preencher espaço morto • Remover tecido necrótico; • Reduzir o edema; • Fornecer isolamento térmico; • Dar conforto psicológico. • Permitir as trocas gasosas •Limitar a movimentação dos tecidos em torno da ferida;
  • 5. Critérios para seleção da cobertura ⚫ Ferida: seca/crosta/exsudato/necrose ⚫ Localização da ferida ⚫ Tamanho da ferida ⚫ Formato da ferida, superficial, profunda
  • 6. TIPOS DE CURATIVOS SEMI-OCLUSIVO Curativo que oclui parcialmente a lesão e absorve secreções, sendo semi-permeável ao ar e a água • Permite a exposição da ferida ao ar; • Absorve exsudato da ferida; • Isola o exsudato da pele saudável adjacente.
  • 7.
  • 8. OCLUSIVO Curativo que oclui totalmente o leito da ferida e não permite a passagem de ar ou fluidos, sendo uma barreira contra bactérias. Tem como vantagens: • Vedar a ferida, a fim de impedir pneumotórax; • Impede a perda de fluidos; • Promove o isolamento térmico e de terminações nervosas; • Impede a formação de crostas.
  • 9.
  • 10. COMPRESSIVO É utilizado para promover estase, extremidades reduzir o fluxo sangüíneo, ou e ajudar do na aproximação das ferimento.
  • 11. SUTURA COM FITAADESIVA Após limpeza da ferida, as bordas do tecido seccionado são unidas e fixa-se a fita adesiva. Este tipo de curativo é apropriado para cortes superficiais e de pequena extensão.
  • 12. CURATIVOS ABERTOS Não há necessidade dos ferimentos serem ocluídos. • Algumas feridas cirúrgicas (após 24 horas) • Cortes pequenos ou escoriações • Queimaduras de 1º grau
  • 13. TÉCNICA PARA REALIZAR CURATIVO • Preparar o material no posto de enfermagem; • Lavar as mãos; • Preparar o local para manuseio dos materiais; • Local de descarte; • Orientar o paciente acerca do procedimento; • Preparar o campo estéril e material utilizado; • Lavar a ferida, sem friccionar começando pelas áreas limpas e fechadas, seguindo-se de ferida aberta não infectada, drenos e por último as feridas infectadas, colostomias e fístulas em geral;
  • 14. • Em presença de tecido de granulação nunca friccione, apenas use jatos de soro fisiológico; • Mantenha sempre o leito da ferida úmido e as bordas levemente secas; • Recomposição do paciente e do ambiente; • Lavar as mãos; • Evolução/ Anotação: Registro do procedimento incluindo avaliação da ferida; Após cada curativo devem ser anotadas no prontuário do paciente. IMPORTANTE Feridas limpas Feridas Infectadas Limpar de dentro para fora Limpar de fora para dentro
  • 15. SOLUÇÕES E MEDICAMENTOS UTILIZADOS • SORO FISIOLÓGICO Mantém a ferida úmida e importante na formação do tecido de granulação. • SULFADIAZINADE PRATA Características bactericidas imediatas e bacteriostáticas residuais. Para manter sua ação deve ser trocado a cada 12 h. Muito utilizado em quaimaduras.
  • 16. ⚫RIFOCINASPRAY É um antibiótico de elevado poder bactericida. Tratamento microorganismos sensíveis à tópico das infecções de superfície, causadas por rifamicina, ferimentos e feridas infectadas, furúnculos, piodermites, dermatoses infectadas, úlceras varicosas. ⚫CLOREXEDINAALCOÓLICA Indicada na antissepsia de pele e mucosas e na inserção de cateteres vasculares para prevenção de colonização. Não deve ser usada em feridas abertas
  • 17. ⚫POLIVINILPIRROLIDONA-IODO (PVP- I): POVIDINE Fora de uso para curativos. Indicação em anti-sepsia de pele íntegra. ⚫COLAGENASE É uma pomada enzimática utilizada no debridamento químico, atua também no tecido de granulação, acelerando o crescimento e enchimento do vazio da lesão, bem como sua epitelização. Está indicada exclusivamente nas feridas com tecido necrótico.
  • 18. ⚫Ácidos Graxos Essenciais (AGE) Correspondem a uma classe de óleo vegetal formado por triglicerídeos de cadeia média, vitamina A,E e lecitina de soja. É importante para a manutenção da integridade das membranas das células; Possui ação hidratante e auxilia a restauração da pele. A vitamna E é antioxidante, protegendo a membrana celular contra radicais livres, e a vitamina A participa como importante cofator na cicatrização.
  • 20. São insumos que irão contribuir ou facilitar o processo de cicatrização, podendo atuar também na prevenção de lesões.
  • 22. Principais Benefícios: • Proporcionao meio ideal paraacicatrização • Aliviaador • Protegercontra traumas mecânicos • É econômico (permaneceporaté 7 dias) • Atendea todas as fases no processodecicatrização Hidrocolóide
  • 25.
  • 27.
  • 28. Áreas de Difícil Oclusão
  • 30. Curativo Aliviadorde Pressão Prevençãoe tratamentodas úlcerasde pressão
  • 31.
  • 33. Produzidocom fibras dealgas marinhasembebidasem íonsdesódioecálcio; Altaabsorção deexudato(podeabsorveraté 20 vezesseu pesoem flúidos. Induz a hemostasia A fibra se transforma em um gel suave não aderente a ferida. Recortável e moldável Fácil aplicaçãoeremoção  Evita maceraçãoda peleao redorda ferida  Reduz númerodetrocadecurativos Preenchecavidades Mantém o leitoúmido Deve ser trocado no máximo a cada 24 horas. Cobertura Alginato de Cálcio Característicase Benefícios
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 38.  Carboximetilcelulose desódio  Alginatode Cálcio  ÁguaPurificada Função:  Partículasabsorventes  Desbridamentoquímico PromoveGranulação Hidrogel Ingredientes
  • 39.  Tratamentode feridas necrosadas / fibrina  Úlcerasde perna  Úlcerasde pressão  Úlcerasde pédiabético não - infectadas Indicações:
  • 40.
  • 42. Indicações:  Possui grande capacidade de absorção de exsudato e odores, sendo indicado para lesões fétidas. Dever ser trocado a cada 48 horas, e quando existe uma grande quantidade de exsudato deve ser trocado com uma maior freqüência. Não é aconselhado cortar o curativo.
  • 44. • Se apresentam como uma fina película de poliuretano adesivo que permite as trocas gasosas e a evaporação de água, sendo impermeável a liquidos e bactérias. • São indicados para a proteção da pele íntegra, fixação cateteres, curativos secundários. • Pode ser mantido por até 7 dias Indicações:
  • 45. • Reduz risco de infecção por prevenir acúmulo de umidade; • Minimiza as trocas do curativo; • Impermeável à água e bactérias; • Fácil aplicação e remoção; • Permite a inspeção no local da punção para sinais de infecção ou flebite sem a necessidade de retirar o curativo; • Evita o atrito da a pele com as superfícies. Características: