SlideShare uma empresa Scribd logo

Feridas

Desbridamento

1 de 13
Baixar para ler offline
* CURSO DE

ENFERMAGEM
Samira Rahaamid Paz - 201308189621
CURATIVOS
Introdução
O Tratamento de feridas se refere a proteção de lesões contra a ação de agentes
externos físicos, mecânicos ou biológicos, tendo com objetivo reduzir, prevenir
e/ou minimizar os riscos de complicações decorrentes. Antes da seleção e
aplicação de um curativo, é necessária uma avaliação completa da ferida, do seu
grau de contaminação, da maneira como esta ferida foi produzida, dos fatores
locais e sistêmicos e da presença de exsudato, como forma de agilizar o processo
de cicatrização e proteger a ferida.
• Ferida
Qualquer lesão da integridade da pele e tecidos adjacentes que pode ser
superficial ou profunda, que deve se fechar em até 2 semanas.

• Úlcera
A Ferida se torna uma úlcera após seis semanas de evolução sem intenção
de cicatrizar.
Definição de curativo
É um meio terapêutico que consiste na limpeza e aplicação de uma
cobertura estéril em uma ferida, quando necessário, com a finalidade de
promover a rápida cicatrização e prevenir a contaminação ou infecção.

Definição de Cicatrização
Cicatrização nada mais é do que uma cascata de eventos celulares e
moleculares, que envolvem processos bioquímicos e fisiológicos, sendo estes
dinâmicos e simultâneos.
•
•
•
•
•
•
•
•

Mantém a umidade;
Absorve a exsudação;
Permite a troca gasosa;
Fornece isolamento térmico;
Impermeável a bactérias;
Isento de partículas;
Removido sem trauma;
Custo acessível;
DESBRIDAMENTO

MÉTODO CIRÚRGICO

desbridamento é o processo de
remoção de corpos estranhos e
tecidos
desvitalizados
ou
necróticos com o objetivo de
limpeza, deixando em condições
adequadas para a cicatrização.



É a ressecção dos tecidos
necrosados,
utilizados
quando a área necrótica é
muito
extensa
e/ou
profunda, e quando o tecido
necrótico é mais desidratado,
mais firme, seco, petrificado
e caloso.

É



A
execução
é
de
responsabilidade
médica,
envolvendo
analgesia
ou
anestesia para a realização
do procedimento.

Técnica

 Entretanto, existem algumas
situações
em
que
não
é
recomendado o desbridamento de
tecido desvitalizado, como em
feridas isquêmicas com necrose
seca. Estas necessitam que sua
condição vascular seja melhorada
antes de ser desbridada.

Cuidados de enfermagem
1.

Compressão
no
local
(curativo compressivo);

2.

Observar sinais de choque
(hipotensão,
sudorese,
palidez,
taquicardia
e
alteração
do
nível
de
consciência); 

MÉTODO MECÂNICO 
a remoção dos tecidos
necróticos
pela
limpeza
mecânica,
utilizando-se
de
fricção de gaze umedecida com
SF 0,9% ou da aplicação da gaze
umedecida sobre a necrose e após
a
secagem
retirá-la
com
consequente desbridamento.
Lesa

muito traumática;

tecidos viáveis próximos à
necrose.

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENFAvaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENFJanaína Lassala
 
Aula de feridas e curativos - Completa
Aula de feridas e curativos -  CompletaAula de feridas e curativos -  Completa
Aula de feridas e curativos - CompletaSMS - Petrópolis
 
Aula 1 esterilização preparatorio aprova
Aula 1   esterilização preparatorio aprovaAula 1   esterilização preparatorio aprova
Aula 1 esterilização preparatorio aprovaMarlon Vaughan
 
Curativo apresentação (1)
Curativo apresentação (1)Curativo apresentação (1)
Curativo apresentação (1)Solange Broggine
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Aline Bandeira
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadahospital
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Aline Bandeira
 
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Elcos&Ulcus - Sociedade Feridas
 
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Aline Bandeira
 
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)Joseir Saturnino
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelizaçãoGilson Betta Sevilha
 
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosAnotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosHeberth Macedo
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosSMS - Petrópolis
 
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptx
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptxSLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptx
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptxconferenciamunicipal1
 

Mais procurados (20)

Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENFAvaliação e tratamento de feridas - CBCENF
Avaliação e tratamento de feridas - CBCENF
 
Aula de feridas e curativos - Completa
Aula de feridas e curativos -  CompletaAula de feridas e curativos -  Completa
Aula de feridas e curativos - Completa
 
tratamento-de-feridas.ppt
tratamento-de-feridas.ppttratamento-de-feridas.ppt
tratamento-de-feridas.ppt
 
Aula 1 esterilização preparatorio aprova
Aula 1   esterilização preparatorio aprovaAula 1   esterilização preparatorio aprova
Aula 1 esterilização preparatorio aprova
 
Curativo apresentação (1)
Curativo apresentação (1)Curativo apresentação (1)
Curativo apresentação (1)
 
Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7Período Pós Operatório AULA 7
Período Pós Operatório AULA 7
 
Banho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizadaBanho de leito.atualizada
Banho de leito.atualizada
 
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
Período Intra Operatório e Tempos Cirúrgicos AULA 5
 
Catálogo de curativos e coberturas
Catálogo de curativos e coberturasCatálogo de curativos e coberturas
Catálogo de curativos e coberturas
 
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
Preparação do leito ferida, exsudados e desbridamento ELCOS VII jornadas AEES...
 
Curativo
CurativoCurativo
Curativo
 
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
Períodos Perioperatórios: Pré Operatório AULA 4
 
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)
Tudo sobre curativo (Avaliação/Princípios/Técnicas de Realização)
 
Central de Material e esterelização
 Central de Material e esterelização Central de Material e esterelização
Central de Material e esterelização
 
Feridas
FeridasFeridas
Feridas
 
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativosAnotacoes de enfermagem_em_curativos
Anotacoes de enfermagem_em_curativos
 
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticosAula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
Aula de Artigos críticos, semi críticos e não críticos
 
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptx
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptxSLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptx
SLIDE AÇÃO EDUCATIVA - FERIDAS E CURATIVOS - Copia.pptx
 
Manual sobre drenos
Manual sobre drenosManual sobre drenos
Manual sobre drenos
 
Drenos e Sondas
Drenos e SondasDrenos e Sondas
Drenos e Sondas
 

Destaque (20)

Feridas
FeridasFeridas
Feridas
 
Curativo
CurativoCurativo
Curativo
 
Feridas - FSA
Feridas - FSAFeridas - FSA
Feridas - FSA
 
Manual feridas ministerio da saude
Manual feridas ministerio da saudeManual feridas ministerio da saude
Manual feridas ministerio da saude
 
Ccih manual de_curativos
Ccih manual de_curativosCcih manual de_curativos
Ccih manual de_curativos
 
4 pé diabético abordagem tópica
4 pé diabético abordagem tópica4 pé diabético abordagem tópica
4 pé diabético abordagem tópica
 
Manual de condutas para úlceras do ms
Manual de condutas para úlceras do msManual de condutas para úlceras do ms
Manual de condutas para úlceras do ms
 
Mamão - Curando Doenças Nelson J Comegnio
Mamão - Curando Doenças Nelson J ComegnioMamão - Curando Doenças Nelson J Comegnio
Mamão - Curando Doenças Nelson J Comegnio
 
Tratamento de feridas - Aula 02
Tratamento de feridas -  Aula 02Tratamento de feridas -  Aula 02
Tratamento de feridas - Aula 02
 
Manual rotinas
Manual rotinas Manual rotinas
Manual rotinas
 
Feridas e curativos_01
Feridas e curativos_01Feridas e curativos_01
Feridas e curativos_01
 
Infeções dos tecidos moles
Infeções dos tecidos molesInfeções dos tecidos moles
Infeções dos tecidos moles
 
Tratamento de úlceras de pressão
Tratamento de úlceras de pressãoTratamento de úlceras de pressão
Tratamento de úlceras de pressão
 
DPOC
DPOCDPOC
DPOC
 
As feridas...
As feridas...As feridas...
As feridas...
 
Ulcera De Pressao
Ulcera De PressaoUlcera De Pressao
Ulcera De Pressao
 
Úlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: PrevençãoÚlcera por Pressão: Prevenção
Úlcera por Pressão: Prevenção
 
Manual PráTico De TéCnicas De Enfermagem
Manual PráTico De TéCnicas De EnfermagemManual PráTico De TéCnicas De Enfermagem
Manual PráTico De TéCnicas De Enfermagem
 
Apostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagemApostila fundamentos de enfermagem
Apostila fundamentos de enfermagem
 
Cateterismo vesical
Cateterismo vesicalCateterismo vesical
Cateterismo vesical
 

Semelhante a Feridas

Semelhante a Feridas (20)

tipos de feridas.pdf
tipos de feridas.pdftipos de feridas.pdf
tipos de feridas.pdf
 
Feridasmalignas
FeridasmalignasFeridasmalignas
Feridasmalignas
 
curativos e coberturas.pdf
curativos e coberturas.pdfcurativos e coberturas.pdf
curativos e coberturas.pdf
 
curativos.ppt
curativos.pptcurativos.ppt
curativos.ppt
 
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
Aula 4 - 2_CUIDADO_INTEGRAL_PORTADOR_LESOES_UNIDADE_I (revisado HAAF) (revisa...
 
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdfFERIDAS E COBERTURAS.pdf
FERIDAS E COBERTURAS.pdf
 
CUIDADOS_INTEG_CUTANEA.pdf
CUIDADOS_INTEG_CUTANEA.pdfCUIDADOS_INTEG_CUTANEA.pdf
CUIDADOS_INTEG_CUTANEA.pdf
 
curativos aula.pptx
curativos aula.pptxcurativos aula.pptx
curativos aula.pptx
 
Aula 15 - Curativos.pptx
Aula 15 - Curativos.pptxAula 15 - Curativos.pptx
Aula 15 - Curativos.pptx
 
Curativos léia
Curativos  léiaCurativos  léia
Curativos léia
 
curativos.ppt
curativos.pptcurativos.ppt
curativos.ppt
 
Queimaduras- Tratamento .doc
Queimaduras- Tratamento .docQueimaduras- Tratamento .doc
Queimaduras- Tratamento .doc
 
Curativos e drenos.ppt
Curativos e drenos.pptCurativos e drenos.ppt
Curativos e drenos.ppt
 
5343303 tipos-de-curativos
5343303 tipos-de-curativos5343303 tipos-de-curativos
5343303 tipos-de-curativos
 
Procedimentos em atenção primária a saúde
Procedimentos em atenção primária a saúdeProcedimentos em atenção primária a saúde
Procedimentos em atenção primária a saúde
 
Desbridamiento de ulceras por pressao e outras feridas cronicas
Desbridamiento de ulceras por pressao e outras feridas cronicasDesbridamiento de ulceras por pressao e outras feridas cronicas
Desbridamiento de ulceras por pressao e outras feridas cronicas
 
26967547 feridas-e-curativos
26967547 feridas-e-curativos26967547 feridas-e-curativos
26967547 feridas-e-curativos
 
Proteção da pele
Proteção da peleProteção da pele
Proteção da pele
 
Feridas E Curativos
Feridas E CurativosFeridas E Curativos
Feridas E Curativos
 
Protocolo feridas rs
Protocolo feridas rsProtocolo feridas rs
Protocolo feridas rs
 

Mais de Samira Rahaamid Paz

Mais de Samira Rahaamid Paz (6)

Gerência em Enfermagem
Gerência em EnfermagemGerência em Enfermagem
Gerência em Enfermagem
 
Aula 09 Administração de Recursos físicos e ambientais.
Aula 09 Administração de Recursos físicos e ambientais.Aula 09 Administração de Recursos físicos e ambientais.
Aula 09 Administração de Recursos físicos e ambientais.
 
Aula 08 (4)
Aula 08 (4)Aula 08 (4)
Aula 08 (4)
 
Cancer de Mama
Cancer de MamaCancer de Mama
Cancer de Mama
 
Climat+®rio trabalho yara
Climat+®rio   trabalho yaraClimat+®rio   trabalho yara
Climat+®rio trabalho yara
 
Caso Clínico - alta complexidade
Caso Clínico - alta complexidadeCaso Clínico - alta complexidade
Caso Clínico - alta complexidade
 

Último

Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...excellenceeducaciona
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Prime Assessoria
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.Prime Assessoria
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Prime Assessoria
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...excellenceeducaciona
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 

Último (20)

Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
Slides Lição 10, CPAD, A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja, 1Tr2...
 
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
A) Cite inicialmente as três dimensões do desenvolvimento sustentável e estab...
 
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
Vários modelos foram propostos para estudar os determinantes sociais e a tram...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
A) DESCREVA no mínimo três pontos-base do princípio da cromatografia gasosa.
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
Explique o modelo de determinação social da saúde proposto por Dahlgren e Whi...
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 

Feridas

  • 1. * CURSO DE ENFERMAGEM Samira Rahaamid Paz - 201308189621
  • 3. Introdução O Tratamento de feridas se refere a proteção de lesões contra a ação de agentes externos físicos, mecânicos ou biológicos, tendo com objetivo reduzir, prevenir e/ou minimizar os riscos de complicações decorrentes. Antes da seleção e aplicação de um curativo, é necessária uma avaliação completa da ferida, do seu grau de contaminação, da maneira como esta ferida foi produzida, dos fatores locais e sistêmicos e da presença de exsudato, como forma de agilizar o processo de cicatrização e proteger a ferida. • Ferida Qualquer lesão da integridade da pele e tecidos adjacentes que pode ser superficial ou profunda, que deve se fechar em até 2 semanas. • Úlcera A Ferida se torna uma úlcera após seis semanas de evolução sem intenção de cicatrizar.
  • 4. Definição de curativo É um meio terapêutico que consiste na limpeza e aplicação de uma cobertura estéril em uma ferida, quando necessário, com a finalidade de promover a rápida cicatrização e prevenir a contaminação ou infecção. Definição de Cicatrização Cicatrização nada mais é do que uma cascata de eventos celulares e moleculares, que envolvem processos bioquímicos e fisiológicos, sendo estes dinâmicos e simultâneos.
  • 5. • • • • • • • • Mantém a umidade; Absorve a exsudação; Permite a troca gasosa; Fornece isolamento térmico; Impermeável a bactérias; Isento de partículas; Removido sem trauma; Custo acessível;
  • 6. DESBRIDAMENTO MÉTODO CIRÚRGICO desbridamento é o processo de remoção de corpos estranhos e tecidos desvitalizados ou necróticos com o objetivo de limpeza, deixando em condições adequadas para a cicatrização.  É a ressecção dos tecidos necrosados, utilizados quando a área necrótica é muito extensa e/ou profunda, e quando o tecido necrótico é mais desidratado, mais firme, seco, petrificado e caloso. É  A execução é de responsabilidade médica, envolvendo analgesia ou anestesia para a realização do procedimento. Técnica  Entretanto, existem algumas situações em que não é recomendado o desbridamento de tecido desvitalizado, como em feridas isquêmicas com necrose seca. Estas necessitam que sua condição vascular seja melhorada antes de ser desbridada. Cuidados de enfermagem 1. Compressão no local (curativo compressivo); 2. Observar sinais de choque (hipotensão, sudorese, palidez, taquicardia e alteração do nível de consciência);  MÉTODO MECÂNICO  a remoção dos tecidos necróticos pela limpeza mecânica, utilizando-se de fricção de gaze umedecida com SF 0,9% ou da aplicação da gaze umedecida sobre a necrose e após a secagem retirá-la com consequente desbridamento. Lesa muito traumática; tecidos viáveis próximos à necrose.
  • 7. MÉTODO ENZIMÁTICO MÉTODO MECÂNICO  historicamente, algumas 1. Úlcera de pressão em estágio 2, aguardando delimitar a enzimas (colagenase, papaína, necrose para desbridamento. uroquinase), tem sido usadas como agentes desbridantes de escaras e crostas. Sua ação é seletiva, mas é lenta, dispendiosas e trabalhosas. Em muitos casos, estes agentes podem agravar infecções localizadas nos detritos liquefeitos e aumentam ou provocam dor local. 2. Úlcera com tecido necrótico pronta para desbridamento. MÉTODO CIRÚRGICO
  • 8. MÉTODOS QUÍMICOS  PAPAÍNA CONTRA-INDICAÇÃO: Consiste na utilização de agentes químico-enzimáticos. Dentre eles: Ação: Alergia ao produto; •Colagenase; • Papaína. A papaína é uma mistura complexa de enzimas proteolíticas e peroxidases, ou seja, capaz de decompor substâncias protéicas. Posologia: cremes ou loções cremosas a 2%. Estudos têm demonstrado que a combinação com uréia é duas vezes mais eficaz que a papaína pura, pois a uréia desnatura proteínas por ação solvente e desnatura material necrosado permitindo que fique mais susceptível a digestão enzimática. Aplicar a cada 12 – 24 horas, e cobrir com um curativo. Estimula o desenvolvimento de tecido de granulação e auxilia no processo cicatricial através do alinhamento dos fibroblastos, reduzindo a possibilidade de formação de queloides. Dor não suportável à aplicação; Maceração das bordas. Precauções: Contato com peróxido de hidrogênio ou outro medicamento contendo sais metálicos como prata, mercúrio, chumbo, podem inativar a papaína. Vantagens: 1. Desbridamento do tecido necrótico de forma rápida e não traumática; 2. Não danifica o tecido sadio; 3. Baixo custo.
  • 9. Reações adversas o Provoca dor nos primeiros 20 minutos após a aplicação; o É necessário a utilização logo após diluição; o sensação de queimadura; o O exsudado liquefeito da digestão enzimática pode irritar a pele; Modo de usar o Lavagens e limpeza freqüente da área ao redor da lesão pode aliviar o desconforto. o Feridas com necrose de coagulação, fazer escarotomia e aplicar fina camada de pó ou gel; o Ferida exsudativa ou presença de necrose de liquefação; existem 2 opções: o Limpar a feridas com SF 0,9% morno e em jato e depois com solução de papaína; o Aplicar pó de papaína limpando ao redor da ferida com com SF 0,9%.
  • 10. FILMES o o o CONTRA-INDICAÇÃO: Cobertura para ferimentos estéril, composta por um filme transparente de poliuretano semipermeável associado a um hipoalergênico. adesivo o Feridas infectadas; o Com moderada à intensa exsudação; o Queimaduras de 3º grau; o Lesão com vasculite ativa. o NOMES COMERCIAIS: o Opsite®,Hydrofilm®,Polyskin ®,Bioclusive®,TegadermSupra sorb F®, Aquagard®, Blisterfilm®, Mefilm®, Askina Film®
  • 11. Curativos de Drenagem Procedimentos: Procedimentos: Feridas com drenos abertos: O curativo do dreno deve ser realizado separado da incisão, e o primeiro a ser realizado será sempre o do local menos contaminado. O curativo deve ser mantido limpo e seco, isto significa que o número de trocas deve estar diretamente relacionado com quantidade de drenagem. Feridas com drenagem superior a 50ml quando possível deve-se aplicar uma bolsa para coletar o excesso de drenagem. Colocar bolsas em torno de feridas permite medir com exatidão a quantidade de drenagem, restringe a disseminação de contaminação e aumenta o conforto do paciente. 1. Lavar as mãos com água e sabão; 2. Reunir o material e levá-lo próximo ao paciente; 3. Explicar ao paciente o que será feito; 4. Fechar a porta para privacidade do paciente; 5. Colocar o paciente em posição adequada expondo apenas a área a ser tratada; 6. Abrir o pacote de curativo com técnica asséptica; 7. Colocar gaze em quantidade suficiente sobre o campo estéril; 8. Calçar luvas; 9. Remover o curativo anterior com uma das pinças usando soro fisiológico; 10. Desprezar esta pinça; 11. Com a outra pinça pegar uma gaze e umedecê-la com soro fisiológico; 12. Limpar a incisão do dreno e depois o dreno; 13. Limpar as regiões laterais da incisão do dreno; 14. Ainda com a mesma pinça secar a incisão e as laterais; 15. Mobilizar dreno a critério médico; 16. Ocluir o dreno mantendo uma camada de gaze entre o dreno e a pele ou quando ocorrer hipersecreção colocar bolsa simples para colostomia; 17. Colocar o setor em ordem; 18. Fazer evolução na papeleta; 19. Fazer evolução da ferida e anotação de materiais na papeleta do paciente.
  • 13.  Brunner & Suddarth. Tratado de enfermagem médicocirúgico. ed. 11; v.3; p.1286. Rio de Janeiro: Guanabara, 2009.  http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_coletor_de_drenagem_pleural_ou_m ediastinal  http://www.youtube.com/watch?v=OcSNQC48jBw