SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
1- O que é discipulado?.
• É um relacionamento pessoal entre um discípulo
maduro (experiente) e outros novos discípulos.
• Esta palavra vem do latim “lt. discipulato: aprendizado”
• O discipulado tem como finalidade a instrução do
novo convertido nos caminhos santos do Senhor Jesus.
• Em um período de 06 meses, divido em 03 períodos,
o novo convertido vai adquirir conhecimento e
crescimento cristão.
2-Alguns conselhos.
• Recomenda-se a cada aluno acompanhar as aulas
portando: 01 (um) caderno, 01 (uma) caneta e sua
Bíblia.
• Tirar todas as suas dúvidas. Pergunte o que for
preciso e o professor, na medida do que for
possível, esclarecerá suas dúvidas.
• Evite faltar às aulas.
• No decorrer de cada aula abordaremos temas que
vão desde a sua iniciação como discípulo de Jesus
até nossa chegada gloriosa nos céus.
3- O que é discípulo?.
• É aquele que recebe ensino ou doutrina de alguém.
• Jesus mandou seus discípulos fazer discípulos das
nações, e empregou o verbo grego matheteo (Mateus
28:19).
• O que ele queria dizer? O que ele queria?
• Quando tivermos concluído a lição sobre o discipulado,
os nossos alunos não devem aceitar o engano de que
as ideias da “graça fácil”, tão frequentemente
associadas à religião da “fé somente”, e a aceitação
superficial de Jesus no coração de uma pessoa têm algo
a ver com o verdadeiro cristianismo.
• Em primeiro lugar, Jesus diz que devemos “aborrecer” o
parente mais próximo e até mesmo a própria vida, caso
contrário não poderemos ser seus discípulos (Lucas
14:26).
• Obviamente, o “aborrecimento” não é tomado aqui em
valor absoluto. Outras passagens nos ensinam a amar
essas pessoas. Então “aborrecer” é usado relativa ou
comparativamente (veja Gênesis 29:31 com a
declaração imediatamente anterior, no 29:30).
• O discipulado implica amor e lealdade para com Jesus
tão grandes que qualquer outro amor parecerá como o
aborrecimento em comparação.
• Após os exemplos sobre a necessidade de levar em
conta os custos antes de se lançar a qualquer grande
empreendimento (Lucas 14:28-32), Jesus conclui:
• “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a
tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”(Lucas
14:33).
• Ele continua comparando essa pessoa ao sal que se
tornou “insípido” e para nada serve, senão para ser
lançado fora (Lucas 14:34-35).
• “Fazei discípulos”, disse Jesus a seus apóstolos.
• Ele já tinha explicado o que era ser discípulo.
• Observe que a “numerosa multidão” que seguiu a Jesus
para o lado leste do mar da Galiléia distinguiu-se no
primeiro momento de “seus discípulos” (João 6:2-
3,5,8,12 e, especialmente, 16-17, 22- 24).
• A alimentação milagrosa dos cinco mil estimulou a
multidão, cuja conclusão foi que ele era
“verdadeiramente, o profeta que devia vir ao mundo”
(6:14), com a consequência de que “estavam para vir
com o intuito de arrebatá-lo para o proclamarem rei”
(6:15). Jesus, portanto, agiu rapidamente para separar
os seus discípulos desse entusiasmo equivocado, e os
compeliu a atravessarem o mar de barco (6:15-21; veja
Marcos 6:45).
• Na grande crise resultante, a palavra discípulo é
aplicada num sentido mais abrangente (6:60-61,66).
• Apesar dos maiores esforços de Jesus, “muitos dos
seus discípulos o abandonaram e já não andavam com
ele” (6:66).
• O abandono foi tão completo que Jesus até se voltou
aos doze com a triste pergunta:
• “Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?”
(6:67).
• Mas Pedro foi rápido em responder: “Senhor, para quem
iremos?
• Tu tens as palavras da vida eterna” (6:68).
• Dessa vez, o conflito de Jesus com os judeus aconteceu
na Judéia.
• O assunto era, mais uma vez, a missão e a natureza de
Jesus. João diz que “muitos creram nele” (8:30).
• Agora escute: “Disse, pois, Jesus aos judeus que
haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha
palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e
conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”
(8:31-32).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A consolidação na vida da igreja formatada
A consolidação  na  vida  da igreja   formatadaA consolidação  na  vida  da igreja   formatada
A consolidação na vida da igreja formatadaMarcos De Oliveira Leite
 
Kit escolar e kit cesta básica
Kit escolar e kit cesta básicaKit escolar e kit cesta básica
Kit escolar e kit cesta básicafelipe_higa
 
Opugnadores do anticristianismo moderno
Opugnadores do anticristianismo modernoOpugnadores do anticristianismo moderno
Opugnadores do anticristianismo modernoPastor Paulo Francisco
 
Primeiro post de heresiologia
Primeiro post de heresiologiaPrimeiro post de heresiologia
Primeiro post de heresiologialeandroaleixo
 
Caminhoverdadeevidal179
Caminhoverdadeevidal179Caminhoverdadeevidal179
Caminhoverdadeevidal179Manoel Gamas
 
Jesus
JesusJesus
JesusJNR
 
Palavra de vida dezembro 2011
Palavra de vida   dezembro 2011Palavra de vida   dezembro 2011
Palavra de vida dezembro 2011Alexandre Ribeiro
 
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rl
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rlForma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rl
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rlHOPE Serviços
 
Andando nos passos de jesus
Andando nos passos de jesus Andando nos passos de jesus
Andando nos passos de jesus Ivanilson Ribeiro
 
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.Almy Alves
 

Mais procurados (17)

Pvbs201605
Pvbs201605Pvbs201605
Pvbs201605
 
Estudo bíblico
Estudo bíblicoEstudo bíblico
Estudo bíblico
 
A consolidação na vida da igreja formatada
A consolidação  na  vida  da igreja   formatadaA consolidação  na  vida  da igreja   formatada
A consolidação na vida da igreja formatada
 
Kit escolar e kit cesta básica
Kit escolar e kit cesta básicaKit escolar e kit cesta básica
Kit escolar e kit cesta básica
 
Opugnadores do anticristianismo moderno
Opugnadores do anticristianismo modernoOpugnadores do anticristianismo moderno
Opugnadores do anticristianismo moderno
 
Primeiro post de heresiologia
Primeiro post de heresiologiaPrimeiro post de heresiologia
Primeiro post de heresiologia
 
C1323 o seguimento_de_jesus
C1323 o seguimento_de_jesusC1323 o seguimento_de_jesus
C1323 o seguimento_de_jesus
 
Caminhoverdadeevidal179
Caminhoverdadeevidal179Caminhoverdadeevidal179
Caminhoverdadeevidal179
 
Esforço, ingrediente de sucesso no Casamento
Esforço, ingrediente de sucesso no CasamentoEsforço, ingrediente de sucesso no Casamento
Esforço, ingrediente de sucesso no Casamento
 
20160128 Estudo PGs 36
20160128 Estudo PGs 3620160128 Estudo PGs 36
20160128 Estudo PGs 36
 
Jesus
JesusJesus
Jesus
 
Palavra de vida dezembro 2011
Palavra de vida   dezembro 2011Palavra de vida   dezembro 2011
Palavra de vida dezembro 2011
 
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rl
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rlForma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rl
Forma e conteúdo na visão de Jesus Cristo 20140624 rl
 
20150708.Estudo PGs 10
20150708.Estudo PGs 1020150708.Estudo PGs 10
20150708.Estudo PGs 10
 
Andando nos passos de jesus
Andando nos passos de jesus Andando nos passos de jesus
Andando nos passos de jesus
 
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.
Amizade com Deus. Possibilidade para todos, realidade para alguns.
 
2 infinito e-alem
2 infinito e-alem2 infinito e-alem
2 infinito e-alem
 

Destaque

4º módulo 4ª aula
4º módulo   4ª aula4º módulo   4ª aula
4º módulo 4ª aulaJoel Silva
 
Confissão de fé de westminster
Confissão de fé de westminsterConfissão de fé de westminster
Confissão de fé de westminsterSEDU
 
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...ANTONIO INACIO FERRAZ
 
Estudos condicional x incondicional
Estudos  condicional   x   incondicionalEstudos  condicional   x   incondicional
Estudos condicional x incondicionalJoel Silva
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizadesJoel Silva
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
Trindade nas-escrituras prof.jamierson
Trindade nas-escrituras prof.jamiersonTrindade nas-escrituras prof.jamierson
Trindade nas-escrituras prof.jamiersonPaulo André Barbosa
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristãJoel Silva
 
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02Família EBD Areão
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aulaJoel Silva
 
TRINDADE - DEUS UNO E TRINO
TRINDADE - DEUS UNO E TRINOTRINDADE - DEUS UNO E TRINO
TRINDADE - DEUS UNO E TRINOPaulo David
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja Oswaldo Michaelano
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aulaJoel Silva
 
Sermão o andar do cristão
Sermão  o andar do cristãoSermão  o andar do cristão
Sermão o andar do cristãoJoel Silva
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serHugo Machado
 

Destaque (20)

4º módulo 4ª aula
4º módulo   4ª aula4º módulo   4ª aula
4º módulo 4ª aula
 
IPB TERRA BRASIL
IPB TERRA BRASILIPB TERRA BRASIL
IPB TERRA BRASIL
 
Confissão de fé de westminster
Confissão de fé de westminsterConfissão de fé de westminster
Confissão de fé de westminster
 
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...
antonio inacio ferraz-Igreja presbiteriana no Brasil-técnico em agropecuária ...
 
Estudos condicional x incondicional
Estudos  condicional   x   incondicionalEstudos  condicional   x   incondicional
Estudos condicional x incondicional
 
Compêndio de teologia
Compêndio de teologia Compêndio de teologia
Compêndio de teologia
 
Doutrina o perigo das amizades
Doutrina  o perigo das amizadesDoutrina  o perigo das amizades
Doutrina o perigo das amizades
 
5º módulo 1ª aula
5º módulo   1ª aula5º módulo   1ª aula
5º módulo 1ª aula
 
Trindade nas-escrituras prof.jamierson
Trindade nas-escrituras prof.jamiersonTrindade nas-escrituras prof.jamierson
Trindade nas-escrituras prof.jamierson
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
Doutrina multiformidade cristã
Doutrina  multiformidade cristãDoutrina  multiformidade cristã
Doutrina multiformidade cristã
 
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02
Diferenças e Divergências Conjugais - Entendendo os papéis 02
 
1º módulo 4ª aula
1º módulo   4ª aula1º módulo   4ª aula
1º módulo 4ª aula
 
TRINDADE - DEUS UNO E TRINO
TRINDADE - DEUS UNO E TRINOTRINDADE - DEUS UNO E TRINO
TRINDADE - DEUS UNO E TRINO
 
Romanos 16
Romanos   16Romanos   16
Romanos 16
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
 
As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
 
1º módulo 1ª aula
1º módulo   1ª aula1º módulo   1ª aula
1º módulo 1ª aula
 
Sermão o andar do cristão
Sermão  o andar do cristãoSermão  o andar do cristão
Sermão o andar do cristão
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 

Semelhante a 1º módulo 2ª aula

O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014
O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014
O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014Gerson G. Ramos
 
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo IILição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo IIÉder Tomé
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosAilton da Silva
 
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdfAMILTON gomes Gomes
 
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02Eden Serrano
 
A arte perdida de fazer díscpulos
A arte perdida de fazer díscpulos A arte perdida de fazer díscpulos
A arte perdida de fazer díscpulos Josi E Edy
 
Pérola Evangelho.pdf....................
Pérola Evangelho.pdf....................Pérola Evangelho.pdf....................
Pérola Evangelho.pdf....................Nelson Pereira
 
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1Ramón Zazatt
 
A arte perdida de fazer discípulos le roy eims -
A arte perdida de fazer discípulos   le roy eims -A arte perdida de fazer discípulos   le roy eims -
A arte perdida de fazer discípulos le roy eims -Maressa Almeida
 
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdfA-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdfAMILTON gomes Gomes
 
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOS
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOSLIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOS
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOSEv.Antonio Vieira
 
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointNovo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointJosé De Sousa Coelho
 
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointNovo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointJosé De Sousa Coelho
 
Introdução ao estudo do sermão do monte
Introdução ao estudo do sermão do monteIntrodução ao estudo do sermão do monte
Introdução ao estudo do sermão do monteMarcus Silva
 
Jesus escolhe seus dicipulos
Jesus escolhe seus dicipulosJesus escolhe seus dicipulos
Jesus escolhe seus dicipulosPr. Gerson Eller
 
Tadel a importância do discipulado um a um
Tadel a importância do discipulado um a umTadel a importância do discipulado um a um
Tadel a importância do discipulado um a umWágner Rocha Pereira
 

Semelhante a 1º módulo 2ª aula (20)

O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014
O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014
O custo do discipulado_Lição_original com textos_1312014
 
Disciple sermon 2
Disciple sermon 2Disciple sermon 2
Disciple sermon 2
 
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo IILição 12 - O processo de formação do discípulo II
Lição 12 - O processo de formação do discípulo II
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdfAula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
Aula_02_-_A_importancia_do_Discipulado_-_Pr._Jose.pdf
 
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02
Aarteperdidadefazerdiscpulos leroyeims-110329120433-phpapp02
 
A arte perdida de fazer díscpulos
A arte perdida de fazer díscpulos A arte perdida de fazer díscpulos
A arte perdida de fazer díscpulos
 
Discipulos de-jesus
Discipulos de-jesusDiscipulos de-jesus
Discipulos de-jesus
 
Formação do Discipulo.pdf
Formação do Discipulo.pdfFormação do Discipulo.pdf
Formação do Discipulo.pdf
 
Pérola Evangelho.pdf....................
Pérola Evangelho.pdf....................Pérola Evangelho.pdf....................
Pérola Evangelho.pdf....................
 
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1
Uma Visão do Discipulado Cristão - Parte 1
 
A arte perdida de fazer discípulos le roy eims -
A arte perdida de fazer discípulos   le roy eims -A arte perdida de fazer discípulos   le roy eims -
A arte perdida de fazer discípulos le roy eims -
 
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdfA-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
A-Arte-perdida-de-fazer-discipulos-LeRoy-Eims-.pdf
 
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOS
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOSLIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOS
LIÇÃO 5 JESUS ESCOLHE OS SEUS DISCIPULOS
 
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointNovo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
 
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power pointNovo(a) apresentação do microsoft office power point
Novo(a) apresentação do microsoft office power point
 
Introdução ao estudo do sermão do monte
Introdução ao estudo do sermão do monteIntrodução ao estudo do sermão do monte
Introdução ao estudo do sermão do monte
 
Jesus escolhe seus dicipulos
Jesus escolhe seus dicipulosJesus escolhe seus dicipulos
Jesus escolhe seus dicipulos
 
O rosto da Palavra.pptx
O rosto da Palavra.pptxO rosto da Palavra.pptx
O rosto da Palavra.pptx
 
Tadel a importância do discipulado um a um
Tadel a importância do discipulado um a umTadel a importância do discipulado um a um
Tadel a importância do discipulado um a um
 

Mais de Joel Silva

Seguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzSeguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzJoel Silva
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Joel Silva
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Joel Silva
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeJoel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

Seguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruzSeguir a cristo é carregar a cruz
Seguir a cristo é carregar a cruz
 
Colossences 4
Colossences 4Colossences 4
Colossences 4
 
Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)Colossences 3 (parte 3)
Colossences 3 (parte 3)
 
Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)Colossences 3 (parte 2)
Colossences 3 (parte 2)
 
Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)Colossences 3 (parte 1)
Colossences 3 (parte 1)
 
Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)Colossences 2 (parte 3)
Colossences 2 (parte 3)
 
Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)Colossences 2 (parte 2)
Colossences 2 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
Colossences 1 (parte 05) e cap. 02 (parte 01)
 
Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)Colossences 1 (parte 4)
Colossences 1 (parte 4)
 
Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)Colossences 1 (parte 3)
Colossences 1 (parte 3)
 
Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)Colossences 1 (parte 2)
Colossences 1 (parte 2)
 
Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)Colossences 1 (parte 1)
Colossences 1 (parte 1)
 
Ansiedade
AnsiedadeAnsiedade
Ansiedade
 
A bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidadeA bíblia e a homossexualidade
A bíblia e a homossexualidade
 
Romanos 15
Romanos   15Romanos   15
Romanos 15
 
Romanos 14
Romanos   14Romanos   14
Romanos 14
 
Romanos 13
Romanos   13Romanos   13
Romanos 13
 
Romanos 13
Romanos   13Romanos   13
Romanos 13
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 
Romanos 11
Romanos   11Romanos   11
Romanos 11
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptxhenrygabrielsilvarib
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JAhenrygabrielsilvarib
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 

Último (10)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 

1º módulo 2ª aula

  • 1.
  • 2. 1- O que é discipulado?. • É um relacionamento pessoal entre um discípulo maduro (experiente) e outros novos discípulos. • Esta palavra vem do latim “lt. discipulato: aprendizado” • O discipulado tem como finalidade a instrução do novo convertido nos caminhos santos do Senhor Jesus. • Em um período de 06 meses, divido em 03 períodos, o novo convertido vai adquirir conhecimento e crescimento cristão.
  • 3. 2-Alguns conselhos. • Recomenda-se a cada aluno acompanhar as aulas portando: 01 (um) caderno, 01 (uma) caneta e sua Bíblia. • Tirar todas as suas dúvidas. Pergunte o que for preciso e o professor, na medida do que for possível, esclarecerá suas dúvidas. • Evite faltar às aulas. • No decorrer de cada aula abordaremos temas que vão desde a sua iniciação como discípulo de Jesus até nossa chegada gloriosa nos céus.
  • 4. 3- O que é discípulo?. • É aquele que recebe ensino ou doutrina de alguém. • Jesus mandou seus discípulos fazer discípulos das nações, e empregou o verbo grego matheteo (Mateus 28:19). • O que ele queria dizer? O que ele queria? • Quando tivermos concluído a lição sobre o discipulado, os nossos alunos não devem aceitar o engano de que as ideias da “graça fácil”, tão frequentemente associadas à religião da “fé somente”, e a aceitação superficial de Jesus no coração de uma pessoa têm algo a ver com o verdadeiro cristianismo.
  • 5. • Em primeiro lugar, Jesus diz que devemos “aborrecer” o parente mais próximo e até mesmo a própria vida, caso contrário não poderemos ser seus discípulos (Lucas 14:26). • Obviamente, o “aborrecimento” não é tomado aqui em valor absoluto. Outras passagens nos ensinam a amar essas pessoas. Então “aborrecer” é usado relativa ou comparativamente (veja Gênesis 29:31 com a declaração imediatamente anterior, no 29:30). • O discipulado implica amor e lealdade para com Jesus tão grandes que qualquer outro amor parecerá como o aborrecimento em comparação.
  • 6. • Após os exemplos sobre a necessidade de levar em conta os custos antes de se lançar a qualquer grande empreendimento (Lucas 14:28-32), Jesus conclui: • “Assim, pois, todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo”(Lucas 14:33). • Ele continua comparando essa pessoa ao sal que se tornou “insípido” e para nada serve, senão para ser lançado fora (Lucas 14:34-35). • “Fazei discípulos”, disse Jesus a seus apóstolos. • Ele já tinha explicado o que era ser discípulo.
  • 7. • Observe que a “numerosa multidão” que seguiu a Jesus para o lado leste do mar da Galiléia distinguiu-se no primeiro momento de “seus discípulos” (João 6:2- 3,5,8,12 e, especialmente, 16-17, 22- 24). • A alimentação milagrosa dos cinco mil estimulou a multidão, cuja conclusão foi que ele era “verdadeiramente, o profeta que devia vir ao mundo” (6:14), com a consequência de que “estavam para vir com o intuito de arrebatá-lo para o proclamarem rei” (6:15). Jesus, portanto, agiu rapidamente para separar os seus discípulos desse entusiasmo equivocado, e os compeliu a atravessarem o mar de barco (6:15-21; veja Marcos 6:45).
  • 8. • Na grande crise resultante, a palavra discípulo é aplicada num sentido mais abrangente (6:60-61,66). • Apesar dos maiores esforços de Jesus, “muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele” (6:66). • O abandono foi tão completo que Jesus até se voltou aos doze com a triste pergunta: • “Porventura, quereis também vós outros retirar-vos?” (6:67). • Mas Pedro foi rápido em responder: “Senhor, para quem iremos? • Tu tens as palavras da vida eterna” (6:68).
  • 9. • Dessa vez, o conflito de Jesus com os judeus aconteceu na Judéia. • O assunto era, mais uma vez, a missão e a natureza de Jesus. João diz que “muitos creram nele” (8:30). • Agora escute: “Disse, pois, Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (8:31-32).