SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
 Terceira Pessoa:
 É quando o narrador está fora dos
 acontecimentos;podemos dizer que
 ele paira acima de tudo e de todos.Essa
 situação lhe permite saber de tudo, do
 passado e do futuro das emoções e dos
 pensamentos dos personagens.
Narrador onisciente:
Exemplo:

“Quaresma      era   um      homem
pequeno, magro, que usava pince-
nez,         olhava          sempre
baixo, mas, quando fixava alguém ou
alguma coisa, os seus olhos
tomavam, por detrás das lentes...”
pág.28 capítulo I
As    vezes   na   narrativa    são
 apresentados alguns fatos para, em
 flashback, voltar atrás e explicar
 como as coisas sucederam. Como por
 exemplo      no terceiro capítulo,
 Genelício da a notícia de que o major
 Quaresma fora internado em um
 hospício.E só no capítulo quarto é
 que iremos saber as causas e
 circunstâncias desse internamento.
Variantes de Narrador em terceira
                pessoa:
Narrador “parcial”
 É o narrador que se identifica com
 determinado personagem da
 história e, mesmo não o defendendo
 explicitamente, permite que ele
 tenha mais espaço, isto é maior
 destaque na história
Exemplo:


 [...] Acabava de entrar
                     na casa do major
 Quaresma o senhor Ricardo coração
 dos Outros, homem célebre pela sua
 habilidade em cantar modinhas..
 pág.32 cap.I
NARRADOR NÃO É AUTOR
É muito comum que as pessoas confundam a
figura do narrador (quem nos conta os fatos)
com o próprio autor. O autor é quem idealiza e
cria a história e o seu corpo inclusive o narrador.
Mesmo que o os verbos estejam em 1ª pessoa,
quem narra, quem dialoga com o leitor, quem
comenta os fatos é o narrador, não o autor do
texto.
O narrador é um ser que pertence a história que
está sendo narrada, está claro que é um preposto
do autor, mas isso não significa que defenda nem
compartilhe suas ideias.
OBRIGADO PELA ATENÇÃO
      BOM DIA!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Questões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresmaQuestões sobre triste fim de policarpo quaresma
Questões sobre triste fim de policarpo quaresma
 
Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis (slides)
Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis (slides)Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis (slides)
Memórias Póstumas de Brás Cubas - Machado de Assis (slides)
 
Triste fim exercícios
Triste fim exercíciosTriste fim exercícios
Triste fim exercícios
 
Mário Quintana
Mário QuintanaMário Quintana
Mário Quintana
 
Capitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADOCapitães da Areia - JORGE AMADO
Capitães da Areia - JORGE AMADO
 
Memórias póstumas de Brás Cubas
Memórias póstumas de Brás CubasMemórias póstumas de Brás Cubas
Memórias póstumas de Brás Cubas
 
A escrava isaura
A escrava isaura A escrava isaura
A escrava isaura
 
O cortiço
O cortiçoO cortiço
O cortiço
 
Capitães de Areia
Capitães de AreiaCapitães de Areia
Capitães de Areia
 
Senhora
SenhoraSenhora
Senhora
 
Alphonsus de Guimaraens
Alphonsus de GuimaraensAlphonsus de Guimaraens
Alphonsus de Guimaraens
 
Vidas secas graciliano ramos (1)
Vidas secas   graciliano ramos (1)Vidas secas   graciliano ramos (1)
Vidas secas graciliano ramos (1)
 
Dom Casmurro
Dom CasmurroDom Casmurro
Dom Casmurro
 
Memórias Póstumas de Brás Cubas
Memórias Póstumas de Brás CubasMemórias Póstumas de Brás Cubas
Memórias Póstumas de Brás Cubas
 
Vidas secas
Vidas secasVidas secas
Vidas secas
 
Iracema - José de Alencar
Iracema - José de AlencarIracema - José de Alencar
Iracema - José de Alencar
 
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A - 2015
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A -  2015Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A -  2015
Triste fim de Policarpo Quaresma 3º A - 2015
 
Quincas Borba - Machado de Assis
Quincas Borba - Machado de AssisQuincas Borba - Machado de Assis
Quincas Borba - Machado de Assis
 
Contos de fadas
Contos de fadasContos de fadas
Contos de fadas
 
Slide lima barreto
Slide lima barretoSlide lima barreto
Slide lima barreto
 

Destaque

O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoO triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoMirelle Ferreira
 
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco Narrativo
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco NarrativoLigia Chiappini Moraes Leite – O Foco Narrativo
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco NarrativoJessiely Soares
 
Triste fim de policarpo completo (1)
Triste fim de policarpo  completo (1)Triste fim de policarpo  completo (1)
Triste fim de policarpo completo (1)Marcela Rodrigues
 
Triste fim de policarpio quaresma
Triste fim de policarpio quaresmaTriste fim de policarpio quaresma
Triste fim de policarpio quaresmaIldina Soares
 
Canac3a3 grac3a7aaranha
Canac3a3 grac3a7aaranhaCanac3a3 grac3a7aaranha
Canac3a3 grac3a7aaranhaAna Tondo
 
Eu e outras poesias
Eu e outras poesiasEu e outras poesias
Eu e outras poesiasalpisveredas
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismorafabebum
 
3 8 graça aranha
3 8 graça aranha3 8 graça aranha
3 8 graça aranhaLuan02
 
Os sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaOs sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaLucio Braga
 
Urupês - 3ª A - 2011
Urupês - 3ª A - 2011Urupês - 3ª A - 2011
Urupês - 3ª A - 2011Daniel Leitão
 
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da Cunha
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da CunhaTrabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da Cunha
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da CunhaHarize Rose
 

Destaque (17)

O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismoO triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
O triste fim de Policarpo Quaresma- contextualização com o pré-modernismo
 
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
Triste Fim de Policarpo Quaresma - 3ª D - 2011
 
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco Narrativo
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco NarrativoLigia Chiappini Moraes Leite – O Foco Narrativo
Ligia Chiappini Moraes Leite – O Foco Narrativo
 
Triste fim de policarpo completo (1)
Triste fim de policarpo  completo (1)Triste fim de policarpo  completo (1)
Triste fim de policarpo completo (1)
 
Triste fim de policarpio quaresma
Triste fim de policarpio quaresmaTriste fim de policarpio quaresma
Triste fim de policarpio quaresma
 
Canac3a3 grac3a7aaranha
Canac3a3 grac3a7aaranhaCanac3a3 grac3a7aaranha
Canac3a3 grac3a7aaranha
 
Eu e outras poesias
Eu e outras poesiasEu e outras poesias
Eu e outras poesias
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
Graça aranha
Graça aranhaGraça aranha
Graça aranha
 
3 8 graça aranha
3 8 graça aranha3 8 graça aranha
3 8 graça aranha
 
O Foco Narrativo
O Foco NarrativoO Foco Narrativo
O Foco Narrativo
 
Augusto Dos Anjos
Augusto Dos AnjosAugusto Dos Anjos
Augusto Dos Anjos
 
Os sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunhaOs sertões euclides_da_cunha
Os sertões euclides_da_cunha
 
Literatura Contemporânea
Literatura  ContemporâneaLiteratura  Contemporânea
Literatura Contemporânea
 
Urupês
UrupêsUrupês
Urupês
 
Urupês - 3ª A - 2011
Urupês - 3ª A - 2011Urupês - 3ª A - 2011
Urupês - 3ª A - 2011
 
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da Cunha
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da CunhaTrabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da Cunha
Trabalho de Literatura - Os Sertões e Euclides da Cunha
 

Semelhante a Triste fim de policarpo quaresma

Escola Virtual....8ºano
Escola Virtual....8ºanoEscola Virtual....8ºano
Escola Virtual....8ºanoJosé Trigo
 
Categorias da narativa
Categorias da narativaCategorias da narativa
Categorias da narativaSandra Luz
 
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da NarrativaC:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da NarrativaEneida da Rosa
 
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da NarrativaC:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da NarrativaEneida da Rosa
 
Elementos para a análise da narrativa
Elementos para a análise da narrativaElementos para a análise da narrativa
Elementos para a análise da narrativaEneida da Rosa
 
Narracao
NarracaoNarracao
NarracaoDior FG
 
Fábula - Texto Narrativo.pdf
Fábula - Texto Narrativo.pdfFábula - Texto Narrativo.pdf
Fábula - Texto Narrativo.pdfIgor71257
 
Noções básicas de linguagem cinematográfica
Noções básicas de linguagem cinematográficaNoções básicas de linguagem cinematográfica
Noções básicas de linguagem cinematográficadesignuna
 
O conto (apresentação)
O conto  (apresentação)O conto  (apresentação)
O conto (apresentação)nildacsouto
 
Como abordar o texto narrativo
Como abordar o texto narrativoComo abordar o texto narrativo
Como abordar o texto narrativoDiana Vicente
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da NarrativaVanda Sousa
 

Semelhante a Triste fim de policarpo quaresma (20)

Narração
NarraçãoNarração
Narração
 
Escola Virtual....8ºano
Escola Virtual....8ºanoEscola Virtual....8ºano
Escola Virtual....8ºano
 
Categorias da narrativa
Categorias da narrativaCategorias da narrativa
Categorias da narrativa
 
Categorias da narativa
Categorias da narativaCategorias da narativa
Categorias da narativa
 
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da NarrativaC:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\CóPia (3) De Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
 
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da NarrativaC:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
C:\Fakepath\Elementos Para A AnáLise Da Narrativa
 
Elementos para a análise da narrativa
Elementos para a análise da narrativaElementos para a análise da narrativa
Elementos para a análise da narrativa
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 
Narracao
NarracaoNarracao
Narracao
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Fábula - Texto Narrativo.pdf
Fábula - Texto Narrativo.pdfFábula - Texto Narrativo.pdf
Fábula - Texto Narrativo.pdf
 
Teoria do texto literário
Teoria do texto literárioTeoria do texto literário
Teoria do texto literário
 
Narração
NarraçãoNarração
Narração
 
O jarro de prata
O jarro de prataO jarro de prata
O jarro de prata
 
Noções básicas de linguagem cinematográfica
Noções básicas de linguagem cinematográficaNoções básicas de linguagem cinematográfica
Noções básicas de linguagem cinematográfica
 
O conto (apresentação)
O conto  (apresentação)O conto  (apresentação)
O conto (apresentação)
 
Como abordar o texto narrativo
Como abordar o texto narrativoComo abordar o texto narrativo
Como abordar o texto narrativo
 
Categorias da Narrativa
Categorias da NarrativaCategorias da Narrativa
Categorias da Narrativa
 
Slides narração
Slides narraçãoSlides narração
Slides narração
 
Tipologia textual.ppt
Tipologia textual.pptTipologia textual.ppt
Tipologia textual.ppt
 

Mais de Lucas Castro

Análise exploratória e modelação com r parte 3
Análise exploratória e modelação com r  parte 3Análise exploratória e modelação com r  parte 3
Análise exploratória e modelação com r parte 3Lucas Castro
 
Análise exploratória e modelação com r parte 2
Análise exploratória e modelação com r  parte 2Análise exploratória e modelação com r  parte 2
Análise exploratória e modelação com r parte 2Lucas Castro
 
Análise exploratória e modelação com R parte 1
Análise exploratória e modelação com R parte 1Análise exploratória e modelação com R parte 1
Análise exploratória e modelação com R parte 1Lucas Castro
 
Gasolina - Química Orgânica
Gasolina - Química OrgânicaGasolina - Química Orgânica
Gasolina - Química OrgânicaLucas Castro
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaLucas Castro
 
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destino
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destinoPobreza, condição de nascença, desgraça, destino
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destinoLucas Castro
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estadoLucas Castro
 

Mais de Lucas Castro (8)

Análise exploratória e modelação com r parte 3
Análise exploratória e modelação com r  parte 3Análise exploratória e modelação com r  parte 3
Análise exploratória e modelação com r parte 3
 
Análise exploratória e modelação com r parte 2
Análise exploratória e modelação com r  parte 2Análise exploratória e modelação com r  parte 2
Análise exploratória e modelação com r parte 2
 
Análise exploratória e modelação com R parte 1
Análise exploratória e modelação com R parte 1Análise exploratória e modelação com R parte 1
Análise exploratória e modelação com R parte 1
 
Gasolina - Química Orgânica
Gasolina - Química OrgânicaGasolina - Química Orgânica
Gasolina - Química Orgânica
 
O Período Militar - Geografia
O Período Militar - GeografiaO Período Militar - Geografia
O Período Militar - Geografia
 
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destino
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destinoPobreza, condição de nascença, desgraça, destino
Pobreza, condição de nascença, desgraça, destino
 
O poder e o estado
O poder e o estadoO poder e o estado
O poder e o estado
 
Filo Mollusca
Filo MolluscaFilo Mollusca
Filo Mollusca
 

Triste fim de policarpo quaresma

  • 1.
  • 2.  Terceira Pessoa: É quando o narrador está fora dos acontecimentos;podemos dizer que ele paira acima de tudo e de todos.Essa situação lhe permite saber de tudo, do passado e do futuro das emoções e dos pensamentos dos personagens.
  • 3. Narrador onisciente: Exemplo: “Quaresma era um homem pequeno, magro, que usava pince- nez, olhava sempre baixo, mas, quando fixava alguém ou alguma coisa, os seus olhos tomavam, por detrás das lentes...” pág.28 capítulo I
  • 4. As vezes na narrativa são apresentados alguns fatos para, em flashback, voltar atrás e explicar como as coisas sucederam. Como por exemplo no terceiro capítulo, Genelício da a notícia de que o major Quaresma fora internado em um hospício.E só no capítulo quarto é que iremos saber as causas e circunstâncias desse internamento.
  • 5. Variantes de Narrador em terceira pessoa: Narrador “parcial” É o narrador que se identifica com determinado personagem da história e, mesmo não o defendendo explicitamente, permite que ele tenha mais espaço, isto é maior destaque na história
  • 6. Exemplo:  [...] Acabava de entrar na casa do major Quaresma o senhor Ricardo coração dos Outros, homem célebre pela sua habilidade em cantar modinhas.. pág.32 cap.I
  • 7. NARRADOR NÃO É AUTOR É muito comum que as pessoas confundam a figura do narrador (quem nos conta os fatos) com o próprio autor. O autor é quem idealiza e cria a história e o seu corpo inclusive o narrador. Mesmo que o os verbos estejam em 1ª pessoa, quem narra, quem dialoga com o leitor, quem comenta os fatos é o narrador, não o autor do texto. O narrador é um ser que pertence a história que está sendo narrada, está claro que é um preposto do autor, mas isso não significa que defenda nem compartilhe suas ideias.