Eu e outras poesias

2.840 visualizações

Publicada em

Trabalho dos alunos do 3º E.M do Colégio Alpis Veredas

Publicada em: Educação, Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.840
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eu e outras poesias

  1. 2. <ul><li>Augusto dos Anjos nasceu na Paraíba do Norte em 20 de abril de 1884 e faleceu em Leopoldina (Minas Gerais) em 12 de novembro de 1914. </li></ul><ul><li>Foi um poeta brasileiro precoce mais merece um lugar na tribuna de honra da poesia brasileira. </li></ul>
  2. 3. <ul><li>Eu, única publicação de Augusto dos Anjos, reúne toda a sua obra poética; </li></ul><ul><li>Uma linguagem que privilegia o cientificismo, através da literatura médica; </li></ul><ul><li>Conduz o leitor a uma obsessão com a morte simultânea e sua aversão a ela; </li></ul><ul><li>Fala sobre coisas que lhe dão inspiração; </li></ul>
  3. 4. <ul><li>Foi considerado por críticos da época, um “escritor de mau gosto”; </li></ul><ul><li>Semelhança entre Augusto dos Anjos e Machado de Assis; </li></ul><ul><li>O autor é um enigma humano; </li></ul><ul><li>Possui um estilo único e inconfundível; </li></ul><ul><li>“ Psicologia de um vencido” </li></ul>
  4. 5. <ul><li>Versos que eram apenas seus; </li></ul><ul><li>Alguns dos poemas de EU são vistos como os mais estranhos de toda a nossa literatura; </li></ul><ul><li>Desespero radical que tematiza (...); </li></ul><ul><li>Vocabulário técnico-cientifico-poético. </li></ul>
  5. 6. <ul><li>A obra se destaca pela visão de vida; </li></ul><ul><li>Ela pode ser dividida em três fases: 1 ª “ Saudade e versos intimos” 2 ª , “Psicologia de um vencido” e 3 ª “Ao Luar”. </li></ul><ul><li>Deixou sua marca na história. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Vês?!  Ninguém assistiu ao formidável   Enterro de tua última quimera.   Somente a Ingratidão — esta pantera —   Foi tua companheira inseparável!  </li></ul><ul><li>Acostuma-te à lama que te espera!   O Homem, que, nesta terra miserável,   Mora, entre feras, sente inevitável   Necessidade de também ser fera.  </li></ul><ul><li>Toma um fósforo.  Acende teu cigarro!   O beijo, amigo, é a véspera do escarro,   A mão que afaga é a mesma que apedreja.  </li></ul><ul><li>Se a alguém causa inda pena a tua chaga,   Apedreja essa mão vil que te afaga,   Escarra nessa boca que te beija! </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Ana Claudia </li></ul><ul><li>Daniela Sayuri </li></ul><ul><li>Giovana Ferrari </li></ul><ul><li>Jessica Calixto </li></ul><ul><li>Tamires Brussez </li></ul>

×