SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
TRANSTORNO DE
PERSONALIDADE
ANTISSOCIAL
Aylla Cristina
Beatriz Souza
Laci Ane
Renata Adriana
Tamires Batista
Professora: Ma. Adriana Estevam
Conceito
• É um transtorno mental, também conhecido por psicopatia ou sociopatia,
que se caracteriza por um padrão de comportamento de indiferença e
violação dos direitos de outras pessoas. Geralmente, estas pessoas são
agressivas, insensíveis e têm uma grande dificuldade em se adaptar às
regras da sociedade, desrespeitando-as e violando-as.
Psicopatia X Sociopatia
Psicopatas e sociopatas sofrem de Transtorno de Personalidade
Antissocial (TPAS) e a principal diferença entre os dois está no modo
como eles desenvolveram a doença.
A psicopatia é considerada uma condição inata do indivíduo, ou seja, a
pessoa já nasce psicopata. Por outro lado, a sociopatia é desenvolvida
durante a vida, por meio da educação, relações sociais ou traumas.
Sinais e sintomas
• Os primeiros sinais do transtorno de personalidade
antissocial surgem na infância ou no início da adolescência,
em que as crianças começam a mostrar comportamentos
inadequados, violando os direitos básicos de outras pessoas
e regras sociais relevantes e apropriadas para a idade.
• São ainda comuns atos como:
Roubo;
furto;
Destruição de propriedade;
Desrespeito pelas pessoas;
Mentiras compulsivas;
Impulsividade;
Agressividade e manipulação
Transtorno de Personalidade Antissocial
Pelo menos três dos seguintes critérios devem estar presentes:
1. Indiferença insensível pelos sentimentos alheios.
2. Atitude flagrante e persistente de irresponsabilidade e desrespeito por normas, regras e obrigações
sociais.
3. Incapacidade de manter relacionamentos persistentes embora não haja dificuldade em estabelecê-los.
4. Muito baixa tolerância à frustração, e um baixo limiar para descarga de agressão, incluindo violência.
5. Incapacidade de experimentar culpa e de aprender com experiências adversas, particularmente
punição.
6. Propensão marcante para culpar os outros ou para oferecer racionalizações plausíveis para o
comportamento que trouxe o indivíduo a conflito com a sociedade.
Castro,R.C.R.EnfermagememSaúdeMentale Psiquiátrica - Desafios ePossibilidades do NovoContextodoCuidar.[DigiteoLocal da
Editora]:Grupo GEN, 2013.9788595151833.Disponívelem:https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788595151833/.Acesso
em:29Mar2021
Critérios Diagnósticos 301.7 (F60.2)
Um padrão difuso de desconsideração e violação dos direitos das outras pessoas que ocorre desde os 15 anos de
idade, conforme indicado por três (ou mais) dos seguintes:
1. Fracasso em ajustar-se às normas sociais relativas a comportamentos legais, conforme indicado pela
repetição de atos que constituem motivos de detenção.
2. Tendência à falsidade, conforme indicado por mentiras repetidas, uso de nomes falsos ou de trapaça para
ganho ou prazer pessoal.
3. Impulsividade ou fracasso em fazer planos para o futuro.
4. Irritabilidade e agressividade, conforme indicado por repetidas lutas corporais ou agressões físicas.
5. Descaso pela segurança de si ou de outros.
6. Irresponsabilidade reiterada, conforme indicado por falha repetida em manter uma conduta consistente no
trabalho ou honrar obrigações financeiras.
7. Ausência de remorso, conforme indicado pela indiferença ou racionalização em relação a ter ferido,
maltratado ou roubado outras pessoas.
O indivíduo tem no mínimo 18 anos de idade. C. Há evidências de transtorno da conduta com surgimento anterior
aos 15 anos de idade. D.A ocorrência de comportamento antissocial não se dá exclusivamente durante o curso de
esquizofrenia ou transtorno bipolar.
Como identificar o problema do paciente
Em situações cotidianas, a melhor forma de identificar um possível sociopata é através da observação e
análise de suas palavras e comportamento. Muitas vezes, pode ser útil ignorar as palavras e prestar mais
atenção em seus comportamentos, devido a sua enorme capacidade e facilidade em mentir.
• Facilidade para mentir e inventar histórias;
• Um sociopata tem facilidade para manipular;
• falso encanto;
• Podem ser cruéis com as palavras;
• Falta de empatia;
• Não sente remorso;
• Dificuldade para pedir desculpas;
• Não sentem medo;
• Comete os mesmos erros.
Prevalência na população
• O transtorno de personalidade antissocial é mais comum entre os
homens do que entre as mulheres, e há um forte componente
hereditário. A prevalência diminui com a idade, sugerindo que os
pacientes podem aprender ao longo do tempo a mudar seus
comportamentos mal adaptativos e tentar construir uma vida.
Cleptomania
Critérios Diagnósticos 312.32 (F63.2)
A. Falha recorrente em resistir aos impulsos de roubar objetos que não são
necessários para uso pessoal ou em razão de seu valor monetário.
B. Sensação crescente de tensão imediatamente antes de cometer o furto.
C. Prazer, gratificação ou alívio no momento de cometer o furto.
D. O ato de furtar não é cometido para expressar raiva ou vingança e não
ocorre em resposta a um delírio ou a uma alucinação.
E. O ato de roubar não é mais bem explicado por transtorno da conduta, por
um episódio maníaco ou por transtorno da personalidade antissocial.
DSM -V
Tipo Impulsive
Piromania
Critérios Diagnósticos 312.33 (F63.1)
A. Incêndio provocado de forma deliberada e proposital em mais de uma ocasião.
B. Tensão ou excitação afetiva antes do ato.
C. Fascinação, interesse, curiosidade ou atração pelo fogo e seu contexto situacional (p. ex.,
equipamentos, usos, consequências).
D. Prazer, gratificação ou alívio ao provocar incêndios ou quando testemunhando ou participando de
suas consequências.
E. O incêndio não é provocado com fins monetários, como expressão de uma ideologia sociopolítica,
para ocultar atividades criminosas, para expressar raiva ou vingança, para melhorar as circunstâncias
de vida de uma pessoa, em resposta a um delírio ou alucinação ou como resultado de julgamento
alterado (p. ex., no transtorno neurocognitivo maior, na deficiência intelectual [transtorno do
desenvolvimento intelectual], na intoxicação por substâncias).
F. A provocação de incêndios não é mais bem explicada por transtorno da conduta, por um episódio
maníaco ou por transtorno da personalidade antissocia.
DSM -V
Tipo Borderline (Limítrofre)
PSICOPATIA NO CINEMA
 OTalentoso Ripley
 Laranja Mecânica
 O Silêncio Dos Inocentes
 Batman
 LoucaObsessão
 O Psicopata Americano
 Onde Os Fracos NãoTemVez
 Psicose
"Perfumou-se, ofereceu água e café para o psicólogo, e na frente dele fez um coque meio
bagunçado no cabelo. (...) Disse, com voz macia, 'Nossa, você é jovem!'", escreve Campbell no
livro
- Veja mais em
https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2020/01/
17/suzane-von-richthofen-tentou-seduzir-psicologo-para-
mudar-regime-de-prisao.htm?cmpid=copiaecola
Referências:
https://www.msdmanuals.com/pt-br/profissional/transtornos-
psiqui%C3%A1tricos/transtornos-de-personalidade/transtorno-de-personalidade-
antissocial-tpas
https://www.minhavida.com.br/saude/temas/transtorno-de-personalidade-antissocial
https://hospitalsantamonica.com.br/o-que-e-o-transtorno-da-personalidade-
antissocial-e-quais-sao-os-sintomas/
https://www.tuasaude.com/transtorno-de-personalidade-antissocial/
obrigado

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Transtorno Desafiador Opositivo - TDO
Transtorno Desafiador Opositivo - TDOTranstorno Desafiador Opositivo - TDO
Transtorno Desafiador Opositivo - TDO
 
Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
 
Tdah - Transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade - Prof. Esp. Viníciu...
Tdah - Transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade - Prof. Esp. Viníciu...Tdah - Transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade - Prof. Esp. Viníciu...
Tdah - Transtorno de Déficit de atenção e Hiperatividade - Prof. Esp. Viníciu...
 
TDAH
TDAHTDAH
TDAH
 
Transtornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimentoTranstornos do neurodesenvolvimento
Transtornos do neurodesenvolvimento
 
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofreniaTranstornos do pensamento: esquizofrenia
Transtornos do pensamento: esquizofrenia
 
Trantorno de personalidade grupo b
Trantorno de personalidade   grupo bTrantorno de personalidade   grupo b
Trantorno de personalidade grupo b
 
TDAH - aula 2
TDAH - aula 2TDAH - aula 2
TDAH - aula 2
 
Tdah adul..[1]
Tdah adul..[1]Tdah adul..[1]
Tdah adul..[1]
 
TDAH
TDAH TDAH
TDAH
 
Slides sobre TDAH
Slides sobre TDAHSlides sobre TDAH
Slides sobre TDAH
 
Transtorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade BorderlineTranstorno de Personalidade Borderline
Transtorno de Personalidade Borderline
 
A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)
 
Terceira Idade
Terceira IdadeTerceira Idade
Terceira Idade
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
 
Pse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na EscolaPse - Programa Saúde na Escola
Pse - Programa Saúde na Escola
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e PsiquiatriaO papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
O papel do enfermeiro em Saúde Mental e Psiquiatria
 
Tdah slide
Tdah   slideTdah   slide
Tdah slide
 

Semelhante a Transtorno de personalidade antissocial 7° período (noturno) (1)

Manejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de condutaManejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de condutaCláudio Costa
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? MuriloMorotti
 
Psicopatia a origem do mal material janaína lobo
Psicopatia    a origem do mal material janaína loboPsicopatia    a origem do mal material janaína lobo
Psicopatia a origem do mal material janaína loboJuliana Lobo
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?Ellenpsicologia
 
Palestra bullying
Palestra bullyingPalestra bullying
Palestra bullyingAldemir1983
 
Género e Diversidade nas Escolas
Género e Diversidade nas EscolasGénero e Diversidade nas Escolas
Género e Diversidade nas EscolasMichele Pó
 
Violência contra idosos
Violência contra idososViolência contra idosos
Violência contra idosospastorlinaldo
 
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaCartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaLuiz Fernando Prado
 
Isolamento Social
Isolamento SocialIsolamento Social
Isolamento Socialguest3bc9a9
 
Bullying área de projecto
Bullying   área de projectoBullying   área de projecto
Bullying área de projectogueste6dd3b1
 
Psicopatologia E Enclausuramento
Psicopatologia E EnclausuramentoPsicopatologia E Enclausuramento
Psicopatologia E EnclausuramentoAna Sofia Costa
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escolabethbal
 
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingCartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingLIVIA L.LAGE
 
Cartilha do cnj sobre bullying
Cartilha do cnj sobre bullyingCartilha do cnj sobre bullying
Cartilha do cnj sobre bullyingimperatriz
 

Semelhante a Transtorno de personalidade antissocial 7° período (noturno) (1) (20)

Manejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de condutaManejo do adolescente com transtorno de conduta
Manejo do adolescente com transtorno de conduta
 
Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying? Por que as pessoas fazem bullying?
Por que as pessoas fazem bullying?
 
Psicopatia a origem do mal material janaína lobo
Psicopatia    a origem do mal material janaína loboPsicopatia    a origem do mal material janaína lobo
Psicopatia a origem do mal material janaína lobo
 
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
O que são maus tratos e violência contra crianças e adolescentes?
 
Palestra bullying
Palestra bullyingPalestra bullying
Palestra bullying
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Género e Diversidade nas Escolas
Género e Diversidade nas EscolasGénero e Diversidade nas Escolas
Género e Diversidade nas Escolas
 
Violência contra idosos
Violência contra idososViolência contra idosos
Violência contra idosos
 
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiçaCartilha bullying conselho_nacional_ justiça
Cartilha bullying conselho_nacional_ justiça
 
Cartilha bullying cnj 2011
Cartilha bullying cnj 2011Cartilha bullying cnj 2011
Cartilha bullying cnj 2011
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 
Isolamento Social
Isolamento SocialIsolamento Social
Isolamento Social
 
Bullying área de projecto
Bullying   área de projectoBullying   área de projecto
Bullying área de projecto
 
Psicopatologia E Enclausuramento
Psicopatologia E EnclausuramentoPsicopatologia E Enclausuramento
Psicopatologia E Enclausuramento
 
Violência Na Escola
Violência Na EscolaViolência Na Escola
Violência Na Escola
 
Cartilha
CartilhaCartilha
Cartilha
 
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullyingCartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
Cartilha 2010 justiça nas escolas -bullying
 
Cartilha do cnj sobre bullying
Cartilha do cnj sobre bullyingCartilha do cnj sobre bullying
Cartilha do cnj sobre bullying
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 
Cartilha bullying
Cartilha bullyingCartilha bullying
Cartilha bullying
 

Último

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................paulo222341
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 

Último (7)

relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................Treinamento NR 18.pdf .......................................
Treinamento NR 18.pdf .......................................
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 

Transtorno de personalidade antissocial 7° período (noturno) (1)

  • 2. Aylla Cristina Beatriz Souza Laci Ane Renata Adriana Tamires Batista Professora: Ma. Adriana Estevam
  • 3. Conceito • É um transtorno mental, também conhecido por psicopatia ou sociopatia, que se caracteriza por um padrão de comportamento de indiferença e violação dos direitos de outras pessoas. Geralmente, estas pessoas são agressivas, insensíveis e têm uma grande dificuldade em se adaptar às regras da sociedade, desrespeitando-as e violando-as.
  • 4. Psicopatia X Sociopatia Psicopatas e sociopatas sofrem de Transtorno de Personalidade Antissocial (TPAS) e a principal diferença entre os dois está no modo como eles desenvolveram a doença. A psicopatia é considerada uma condição inata do indivíduo, ou seja, a pessoa já nasce psicopata. Por outro lado, a sociopatia é desenvolvida durante a vida, por meio da educação, relações sociais ou traumas.
  • 5.
  • 6. Sinais e sintomas • Os primeiros sinais do transtorno de personalidade antissocial surgem na infância ou no início da adolescência, em que as crianças começam a mostrar comportamentos inadequados, violando os direitos básicos de outras pessoas e regras sociais relevantes e apropriadas para a idade. • São ainda comuns atos como: Roubo; furto; Destruição de propriedade; Desrespeito pelas pessoas; Mentiras compulsivas; Impulsividade; Agressividade e manipulação
  • 7. Transtorno de Personalidade Antissocial Pelo menos três dos seguintes critérios devem estar presentes: 1. Indiferença insensível pelos sentimentos alheios. 2. Atitude flagrante e persistente de irresponsabilidade e desrespeito por normas, regras e obrigações sociais. 3. Incapacidade de manter relacionamentos persistentes embora não haja dificuldade em estabelecê-los. 4. Muito baixa tolerância à frustração, e um baixo limiar para descarga de agressão, incluindo violência. 5. Incapacidade de experimentar culpa e de aprender com experiências adversas, particularmente punição. 6. Propensão marcante para culpar os outros ou para oferecer racionalizações plausíveis para o comportamento que trouxe o indivíduo a conflito com a sociedade. Castro,R.C.R.EnfermagememSaúdeMentale Psiquiátrica - Desafios ePossibilidades do NovoContextodoCuidar.[DigiteoLocal da Editora]:Grupo GEN, 2013.9788595151833.Disponívelem:https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788595151833/.Acesso em:29Mar2021
  • 8. Critérios Diagnósticos 301.7 (F60.2) Um padrão difuso de desconsideração e violação dos direitos das outras pessoas que ocorre desde os 15 anos de idade, conforme indicado por três (ou mais) dos seguintes: 1. Fracasso em ajustar-se às normas sociais relativas a comportamentos legais, conforme indicado pela repetição de atos que constituem motivos de detenção. 2. Tendência à falsidade, conforme indicado por mentiras repetidas, uso de nomes falsos ou de trapaça para ganho ou prazer pessoal. 3. Impulsividade ou fracasso em fazer planos para o futuro. 4. Irritabilidade e agressividade, conforme indicado por repetidas lutas corporais ou agressões físicas. 5. Descaso pela segurança de si ou de outros. 6. Irresponsabilidade reiterada, conforme indicado por falha repetida em manter uma conduta consistente no trabalho ou honrar obrigações financeiras. 7. Ausência de remorso, conforme indicado pela indiferença ou racionalização em relação a ter ferido, maltratado ou roubado outras pessoas. O indivíduo tem no mínimo 18 anos de idade. C. Há evidências de transtorno da conduta com surgimento anterior aos 15 anos de idade. D.A ocorrência de comportamento antissocial não se dá exclusivamente durante o curso de esquizofrenia ou transtorno bipolar.
  • 9. Como identificar o problema do paciente Em situações cotidianas, a melhor forma de identificar um possível sociopata é através da observação e análise de suas palavras e comportamento. Muitas vezes, pode ser útil ignorar as palavras e prestar mais atenção em seus comportamentos, devido a sua enorme capacidade e facilidade em mentir. • Facilidade para mentir e inventar histórias; • Um sociopata tem facilidade para manipular; • falso encanto; • Podem ser cruéis com as palavras; • Falta de empatia; • Não sente remorso; • Dificuldade para pedir desculpas; • Não sentem medo; • Comete os mesmos erros.
  • 10. Prevalência na população • O transtorno de personalidade antissocial é mais comum entre os homens do que entre as mulheres, e há um forte componente hereditário. A prevalência diminui com a idade, sugerindo que os pacientes podem aprender ao longo do tempo a mudar seus comportamentos mal adaptativos e tentar construir uma vida.
  • 11. Cleptomania Critérios Diagnósticos 312.32 (F63.2) A. Falha recorrente em resistir aos impulsos de roubar objetos que não são necessários para uso pessoal ou em razão de seu valor monetário. B. Sensação crescente de tensão imediatamente antes de cometer o furto. C. Prazer, gratificação ou alívio no momento de cometer o furto. D. O ato de furtar não é cometido para expressar raiva ou vingança e não ocorre em resposta a um delírio ou a uma alucinação. E. O ato de roubar não é mais bem explicado por transtorno da conduta, por um episódio maníaco ou por transtorno da personalidade antissocial. DSM -V Tipo Impulsive
  • 12. Piromania Critérios Diagnósticos 312.33 (F63.1) A. Incêndio provocado de forma deliberada e proposital em mais de uma ocasião. B. Tensão ou excitação afetiva antes do ato. C. Fascinação, interesse, curiosidade ou atração pelo fogo e seu contexto situacional (p. ex., equipamentos, usos, consequências). D. Prazer, gratificação ou alívio ao provocar incêndios ou quando testemunhando ou participando de suas consequências. E. O incêndio não é provocado com fins monetários, como expressão de uma ideologia sociopolítica, para ocultar atividades criminosas, para expressar raiva ou vingança, para melhorar as circunstâncias de vida de uma pessoa, em resposta a um delírio ou alucinação ou como resultado de julgamento alterado (p. ex., no transtorno neurocognitivo maior, na deficiência intelectual [transtorno do desenvolvimento intelectual], na intoxicação por substâncias). F. A provocação de incêndios não é mais bem explicada por transtorno da conduta, por um episódio maníaco ou por transtorno da personalidade antissocia. DSM -V Tipo Borderline (Limítrofre)
  • 13. PSICOPATIA NO CINEMA  OTalentoso Ripley  Laranja Mecânica  O Silêncio Dos Inocentes  Batman  LoucaObsessão  O Psicopata Americano  Onde Os Fracos NãoTemVez  Psicose
  • 14. "Perfumou-se, ofereceu água e café para o psicólogo, e na frente dele fez um coque meio bagunçado no cabelo. (...) Disse, com voz macia, 'Nossa, você é jovem!'", escreve Campbell no livro - Veja mais em https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2020/01/ 17/suzane-von-richthofen-tentou-seduzir-psicologo-para- mudar-regime-de-prisao.htm?cmpid=copiaecola