SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
TEORIA DO
AUTOCUIDADO
DOROTHEA OREM (1971)
AUTOCUIDADO POR OREM
• Enfoca as necessidades de AUTOCUIDADO do cliente;
• AUTOCUIDADO: é uma atividade aprendida , orientada por
metas, direcionada para o próprio indivíduo manter a vida, a
saúde, o desenvolvimento e o bem-estar;
• META: ajudar o cliente a desempenhar o autocuidado;
• A necessidade do cuidado de enfermagem surge quando o
cliente é incapaz de satisfazer suas necessidades;
• Objetivo é aumentar a capacidade de o cliente satisfazer de
maneira independente essas necessidades;
• Autocuidado da enfermagem é necessário quando o cliente é incapaz
de satisfazer as necessidades: biológicas, psicológicas, de
desenvolvimento ou sociais;
• A enfermeira cabe determinar o fator pelo qual o paciente é incapaz
de satizfaer p autocuidado....
• Foco:
• autocuidado;
• Homem:
• Individuo que utiliza o autocuidado de para manter a vida e a
saúde, recupera-se da doença e consegue enfrentar seus defeitos;
• Saúde:
• resultado das práticas aprendidas pelos indivíduos para manterá vida e o bem
estar;
• Ambiente:
• os elementos externos com os quais o homem interage em sua luta para
manter o cuidado;
• Enfermagem:
• auxilia o individuo a maximizar, progressivamente, seu potencial para o
autocuidado.
TEORIA DE SISTEMAS DE ENFERMAGEM
• O sistema de enfermagem, planejado pelo profissional, baseia - se
nas necessidades de autocuidado e nas capacidades do paciente para
a execução de atividades de autocuidado. Que tem três classificações
que são:
• 1 - sistema totalmente compensatório →e quando o paciente esta
proibido por fazer certos movimentos e precisa de ajuda para isso.
• 2 – sistemas parcialmente compensatórios→e quando o paciente tem
condições de fazer alguns movimentos, mas precisa de ajuda para se
locomover.
• 3 – sistema de apoio – educação → processo de ensinamento ao
paciente de aplicar o autocuidado.
VISÃO DE OREM SOBRE O
AUTOCUIDADO
• Na visão de Orem, após o enfermeiro identificar o déficit de AC, ele
estabelece o plano de ação junto ao paciente, delegando a sua
responsabilidade, a do paciente e a de outros profissionais, para que
a demanda terapêutica do AC sejam atendidas.
• O grau e o tipo de intervenção de enfermagem ira variar em
proporção ao poder ou as limitações na capacidade de AC do
paciente. Orem diferencia três tipos de sistemas de enfermagem, que
vão desenvolver a assistência sistematizada com a finalidade de trazer
o cliente à situação de (re) assumir seu próprio cuidado ou cuidado
dependente.
Estes três tipos de sistemas são:
 Totalmente compensatório: O indivíduo não tem
recursos necessários para alcançar a demanda terapêutica
de AC, e a satisfação desta demanda é de responsabilidade
do profissional de enfermagem;
 Parcialmente compensatório: O paciente compartilha a
responsabilidade do AC com o enfermeiro, assumindo os
recursos que estão dentro de sua capacidade, ficando os
demais a cargo do profissional de enfermagem;
•Sistema educativo de apoio: O paciente tem
recursos para se auto cuidar, mas necessita da
enfermagem para apoio, orientação e instrução;
Na prática de enfermagem, é necessário uma
avaliação contínua e atualizada do paciente, a
fim de adequar o plano de assistência às
necessidades e habilidades individuais.
• Se o agente de auto cuidado não for avaliado adequadamente, as
enfermeiras não tem nenhuma base racional para fazer julgamento
sobre os déficits de AC, selecionar métodos de ajuda válidos e
confiáveis e prescrever e designar sistemas de enfermagem. O que
também é afirmado pôr Orem que diz que a não que a enfermeira
estabeleça a capacidade para o AC previamente, ela não tem base
racional para fazer julgamento para o déficit de AC. Portanto, o
primeiro passo na operacionalização de um processo de enfermagem
segundo Orem é a identificação das limitações e/ou habilidades para
o AC, determinando a capacidade de AC.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
resenfe2013
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Amanda Moura
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
Fernando Dias
 

Mais procurados (20)

Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem Teorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de EnfermagemTeorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Importância do Uso dos Termos Técnicos em Enfermagem.ppt
Importância do Uso dos Termos Técnicos em Enfermagem.pptImportância do Uso dos Termos Técnicos em Enfermagem.ppt
Importância do Uso dos Termos Técnicos em Enfermagem.ppt
 
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
Diagnósticos de Enfermagem: Uso das Taxonomias (NANDA, NIC, NOC e CIPE)
 
Higiene e profilaxia
Higiene e profilaxiaHigiene e profilaxia
Higiene e profilaxia
 
Humanização na Saúde
Humanização na SaúdeHumanização na Saúde
Humanização na Saúde
 
Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem Aula anotação de enfermagem
Aula anotação de enfermagem
 
LIDERANÇA EM ENFERMAGEM
LIDERANÇA EM ENFERMAGEMLIDERANÇA EM ENFERMAGEM
LIDERANÇA EM ENFERMAGEM
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagemGerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
Gerenciamento de enfermagem: supervisão de enfermagem
 
Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Aula 01 O Hospital
Aula 01 O HospitalAula 01 O Hospital
Aula 01 O Hospital
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
Humanização Na Assistencia de  EnfermagemHumanização Na Assistencia de  Enfermagem
Humanização Na Assistencia de Enfermagem
 
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
Teoria das 14 necessidades fundamentais, de Virginia Henderson - No Caminho d...
 
Teoria da adaptação (Callista Roy)
Teoria da adaptação (Callista Roy)Teoria da adaptação (Callista Roy)
Teoria da adaptação (Callista Roy)
 
HistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No BrasilHistóRia Da Enfermagem No Brasil
HistóRia Da Enfermagem No Brasil
 
Assistencia domiciliar
Assistencia domiciliarAssistencia domiciliar
Assistencia domiciliar
 

Semelhante a Teoria do autocuidado orem

AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptxAULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
PedroRobertoCostaLob
 
Ida jean orlando pelletier
Ida jean orlando pelletierIda jean orlando pelletier
Ida jean orlando pelletier
Amanda Amate
 
Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica
Jackson Silva
 

Semelhante a Teoria do autocuidado orem (20)

DOROTHEA E.OREM.pdf
DOROTHEA E.OREM.pdfDOROTHEA E.OREM.pdf
DOROTHEA E.OREM.pdf
 
Dorothea E Orem(pronto).pptx
Dorothea E Orem(pronto).pptxDorothea E Orem(pronto).pptx
Dorothea E Orem(pronto).pptx
 
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptxteoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
teoria autocuidado, ADAPTAÇÃO E interpessoal.pptx
 
Seminário dorothea elizabeth orem
Seminário dorothea elizabeth oremSeminário dorothea elizabeth orem
Seminário dorothea elizabeth orem
 
Joana_Autocuidado
Joana_AutocuidadoJoana_Autocuidado
Joana_Autocuidado
 
AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptxAULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
AULA 1 (2) FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM.pptx
 
Teoria de Enfermagem - Dorothea Orem
Teoria de Enfermagem - Dorothea OremTeoria de Enfermagem - Dorothea Orem
Teoria de Enfermagem - Dorothea Orem
 
Ida jean orlando pelletier
Ida jean orlando pelletierIda jean orlando pelletier
Ida jean orlando pelletier
 
Sistematização de enfermagem
Sistematização de enfermagemSistematização de enfermagem
Sistematização de enfermagem
 
Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)Sae aula .. (1)
Sae aula .. (1)
 
Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica Enferagem em clinica médica em clínica médica
Enferagem em clinica médica em clínica médica
 
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
Enfermagememclnicamdicai 140822172753-phpapp01
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Sae
SaeSae
Sae
 
Seminári..
 Seminári.. Seminári..
Seminári..
 
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e EmergênciaGerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
Gerenciamento de enfermagem em unidade de Urgência e Emergência
 
Etica_Bioetica.pptx
 Etica_Bioetica.pptx Etica_Bioetica.pptx
Etica_Bioetica.pptx
 
2533-6728-1-PB DOROTHEA.pdf
2533-6728-1-PB DOROTHEA.pdf2533-6728-1-PB DOROTHEA.pdf
2533-6728-1-PB DOROTHEA.pdf
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagem
 
Teorias de enfermagem
Teorias de enfermagemTeorias de enfermagem
Teorias de enfermagem
 

Mais de Anhanguera Enfermagem A/B (11)

Teoria das relações interpessoais em enfermagem
Teoria das relações interpessoais em enfermagemTeoria das relações interpessoais em enfermagem
Teoria das relações interpessoais em enfermagem
 
Apostilas completas.doc patologia (1)
Apostilas completas.doc patologia (1)Apostilas completas.doc patologia (1)
Apostilas completas.doc patologia (1)
 
Cicatrização e reparo 2
Cicatrização e reparo 2Cicatrização e reparo 2
Cicatrização e reparo 2
 
Adaptações celulares
Adaptações celularesAdaptações celulares
Adaptações celulares
 
Patologia 4
Patologia 4Patologia 4
Patologia 4
 
Patologia aula 2
Patologia aula 2Patologia aula 2
Patologia aula 2
 
Hemorragia med7002 2004_2
Hemorragia med7002 2004_2Hemorragia med7002 2004_2
Hemorragia med7002 2004_2
 
Inflama o aguda
Inflama  o  agudaInflama  o  aguda
Inflama o aguda
 
Patologia3
Patologia3Patologia3
Patologia3
 
Patologia aula 1
Patologia aula 1Patologia aula 1
Patologia aula 1
 
Teorias de enfermagem
Teorias de enfermagemTeorias de enfermagem
Teorias de enfermagem
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

Teoria do autocuidado orem

  • 2. AUTOCUIDADO POR OREM • Enfoca as necessidades de AUTOCUIDADO do cliente; • AUTOCUIDADO: é uma atividade aprendida , orientada por metas, direcionada para o próprio indivíduo manter a vida, a saúde, o desenvolvimento e o bem-estar; • META: ajudar o cliente a desempenhar o autocuidado; • A necessidade do cuidado de enfermagem surge quando o cliente é incapaz de satisfazer suas necessidades; • Objetivo é aumentar a capacidade de o cliente satisfazer de maneira independente essas necessidades;
  • 3. • Autocuidado da enfermagem é necessário quando o cliente é incapaz de satisfazer as necessidades: biológicas, psicológicas, de desenvolvimento ou sociais;
  • 4. • A enfermeira cabe determinar o fator pelo qual o paciente é incapaz de satizfaer p autocuidado....
  • 5. • Foco: • autocuidado; • Homem: • Individuo que utiliza o autocuidado de para manter a vida e a saúde, recupera-se da doença e consegue enfrentar seus defeitos; • Saúde: • resultado das práticas aprendidas pelos indivíduos para manterá vida e o bem estar; • Ambiente: • os elementos externos com os quais o homem interage em sua luta para manter o cuidado; • Enfermagem: • auxilia o individuo a maximizar, progressivamente, seu potencial para o autocuidado.
  • 6. TEORIA DE SISTEMAS DE ENFERMAGEM • O sistema de enfermagem, planejado pelo profissional, baseia - se nas necessidades de autocuidado e nas capacidades do paciente para a execução de atividades de autocuidado. Que tem três classificações que são: • 1 - sistema totalmente compensatório →e quando o paciente esta proibido por fazer certos movimentos e precisa de ajuda para isso. • 2 – sistemas parcialmente compensatórios→e quando o paciente tem condições de fazer alguns movimentos, mas precisa de ajuda para se locomover. • 3 – sistema de apoio – educação → processo de ensinamento ao paciente de aplicar o autocuidado.
  • 7. VISÃO DE OREM SOBRE O AUTOCUIDADO • Na visão de Orem, após o enfermeiro identificar o déficit de AC, ele estabelece o plano de ação junto ao paciente, delegando a sua responsabilidade, a do paciente e a de outros profissionais, para que a demanda terapêutica do AC sejam atendidas. • O grau e o tipo de intervenção de enfermagem ira variar em proporção ao poder ou as limitações na capacidade de AC do paciente. Orem diferencia três tipos de sistemas de enfermagem, que vão desenvolver a assistência sistematizada com a finalidade de trazer o cliente à situação de (re) assumir seu próprio cuidado ou cuidado dependente.
  • 8. Estes três tipos de sistemas são:  Totalmente compensatório: O indivíduo não tem recursos necessários para alcançar a demanda terapêutica de AC, e a satisfação desta demanda é de responsabilidade do profissional de enfermagem;  Parcialmente compensatório: O paciente compartilha a responsabilidade do AC com o enfermeiro, assumindo os recursos que estão dentro de sua capacidade, ficando os demais a cargo do profissional de enfermagem;
  • 9. •Sistema educativo de apoio: O paciente tem recursos para se auto cuidar, mas necessita da enfermagem para apoio, orientação e instrução; Na prática de enfermagem, é necessário uma avaliação contínua e atualizada do paciente, a fim de adequar o plano de assistência às necessidades e habilidades individuais.
  • 10. • Se o agente de auto cuidado não for avaliado adequadamente, as enfermeiras não tem nenhuma base racional para fazer julgamento sobre os déficits de AC, selecionar métodos de ajuda válidos e confiáveis e prescrever e designar sistemas de enfermagem. O que também é afirmado pôr Orem que diz que a não que a enfermeira estabeleça a capacidade para o AC previamente, ela não tem base racional para fazer julgamento para o déficit de AC. Portanto, o primeiro passo na operacionalização de um processo de enfermagem segundo Orem é a identificação das limitações e/ou habilidades para o AC, determinando a capacidade de AC.