SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Tema C: A formação da cristandade ocidental e a expansão islâmica<br />Subtema C3: Península Ibérica: dois mundos em presença<br />41268656350711 - os Muçulmanos invadiram a Península Ibérica. Os Visigodos, que então dominavam a Península foram derrotados e empurrados para a zona montanhosa das Astúrias.<br />De uma maneira geral, os Muçulmanos foram tolerantes com as populações conquistadas. Os cristãos que permaneceram em território muçulmano e adoptaram formas de vida dos vencedores, conservando, porém, a religião cristã, são chamados moçárabes. Na Península Ibérica notava-se o contraste entre o Sul islâmico e Norte Cristão.<br />Na Península Ibérica, a civilização muçulmana deixou muitas marcas da sua presença nas ciências, nas técnicas, na arte e na cultura e até mesmo no vocabulário. <br />Alguns vestígiosAgriculturaArroz,Cana-de-açúcar,Laranjeiras, AmendoeirasetcMoinhos de água, nora.NavegaçãoAstrolábioBússolaLínguaAlgarveAlcofaEtcArteAzulejoMosaicoArcos em ferradura<br />A partir das Astúrias e dos Pirenéus, os cristãos iniciaram a ofensiva militar contra os Muçulmanos e ao alargamento do seu território para sul. Ao conjunto destas acções chama-se Reconquista.<br />A Europa cristã auxiliou os reinos cristãos da Península Ibérica no processo de Reconquista, que considerou ser uma luta cruzada contra os Infiéis.<br />Entre os cavaleiros franceses que vieram para a Península no final do século XI para ajudar Afonso VI, rei de Leão e Castela, destacaram-se D. Raimundo e D. Henrique que, como recompensa pelos serviços prestados, casaram, respectivamente com D. Urraca (filha legítima do rei) e D. Teresa (filha ilegítima do rei).<br />D. Raimundo recebeu do sogro o governo da Galiza e D. Henrique o Condado Portucalense (território entre os rios Minho e Douro).<br />Embora cumprindo os seus deveres de vassalagem para com o rei de Leão e Castela, o conde D. Henrique tentou ganhar uma maior autonomia. À sua morte (1112) D. Teresa continuou a política de independência iniciada pelo marido.<br />A sua aliança a alguns nobres galegos, não agradou à nobreza portucalense. Estes nobres opuseram-se, então, a D. Teresa e uniram-se em volta do seu filho, D. Afonso Henriques. Em 1128, o exército de D. Afonso Henriques vence o exército de sua mãe, na batalha de S. Mamede, passando D. Afonso Henriques a governar o condado.<br />D. Afonso Henriques tinha agora um duplo objectivo:<br />alargar o território para Sul, conquistando terras aos Mouros<br />conseguir a independência do condado e tornar-se rei<br />D. Afonso VII, rei de Leão e Castela, concede-lhe o título de rei e autonomia do condado em 1143, no Tratado de Zamora. A Santa Sé só viria a reconhecer esta independência em 1179, com a Bula Manifestis Probatum.<br />A conquista definitiva do Algarve, só acontecerá em 1249, no reinado de D. Afonso III. Mas as nossas fronteiras só serão fixadas com Castela, no reinado de D. Dinis, com o Tratado de Alcanises (1279).<br />Ver site: Reconquista Cristã e formação de Portugal http://www.cercifaf.org.pt/mosaico.edu/ca/swf/fund_info.swf<br />Tema D: Portugal no contexto europeu dos séculos XII a XIV<br />D1: Desenvolvimento económico. Relações sociais e poder político. Lisboa nos circuitos do comércio europeu<br />Europa, séculos XII e XIIIPazFim das invasõesAlterações favoráveis no climaAperfeiçoamentos técnicos na agricultura e nos transportesExemplos:Utilização crescente do ferro nos instrumentos agrícolasAfolhamento trienalAdubação das terrasFerradura e coelheira nos cavalosAtrelagem em fila dos cavalosJugo frontal nos boisArroteias e drenagem de pântanosAcumulação de excedentesAumento da produçãoCrescimento demográficoOcupação de novos espaçosCentros do Comércio Europeu: Cidades italianas (Veneza, Génova Florença), Flandres, Liga Hanseática (Lubeque, Hamburgo e Colónia) e LisboaDesenvolvimento do comércio interno e externo(mercados e feiras)Ex: Feiras da ChampagnePovoadores nos concelhos (cartas de foral)Animação e crescimento das cidadesA sua subordinação ao poder real provocou o enfraquecimento da autoridade dos grandes senhores da nobreza e do cleroFormação e afirmação da burguesiaMedidas da Coroa contra os abusos da Nobreza e do Clero:inquirições, confirmações, leis de desamortização, organização da administração centralCrescente desenvolvimento económicoRessurgimento urbanoFortalecimento do poder régio<br />
Subtema c3 e_d1
Subtema c3 e_d1

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A cultura medieval
A cultura medievalA cultura medieval
A cultura medievalcattonia
 
A queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidenteA queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidente222050sandro
 
O espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do territórioO espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do territórioSusana Simões
 
Invasões Barbaras
Invasões BarbarasInvasões Barbaras
Invasões Barbarasluisaprof
 
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade média
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade médiaSemi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade média
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade médiaLú Carvalho
 
A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.Joemille Leal
 
Alta Idade Média ocidental
Alta Idade Média ocidentalAlta Idade Média ocidental
Alta Idade Média ocidentalElton Zanoni
 
Formação de portugal
Formação de portugalFormação de portugal
Formação de portugalAlda Santos
 
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e FeudalismoIdade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e FeudalismoPaulo Alexandre
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaFatima Freitas
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medievalcattonia
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francosCarlos Zaranza
 
Linha conceptual 7º ano 2012-13
Linha conceptual   7º ano 2012-13Linha conceptual   7º ano 2012-13
Linha conceptual 7º ano 2012-13Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 
A cultura medieval
A cultura medievalA cultura medieval
A cultura medieval
 
Medieval
MedievalMedieval
Medieval
 
A queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidenteA queda do imperio romano do ocidente
A queda do imperio romano do ocidente
 
A Reconquista Cristã Pp
A Reconquista Cristã PpA Reconquista Cristã Pp
A Reconquista Cristã Pp
 
O espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do territórioO espaço português: da formação à fixação do território
O espaço português: da formação à fixação do território
 
Invasões Barbaras
Invasões BarbarasInvasões Barbaras
Invasões Barbaras
 
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade média
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade médiaSemi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade média
Semi extensivo - frente 2 módulo 6-baixa idade média
 
As Navegações Portuguesas
As Navegações PortuguesasAs Navegações Portuguesas
As Navegações Portuguesas
 
A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.A expansão dos francos e o império carolíngio.
A expansão dos francos e o império carolíngio.
 
Alta Idade Média ocidental
Alta Idade Média ocidentalAlta Idade Média ocidental
Alta Idade Média ocidental
 
Violência na História
Violência na HistóriaViolência na História
Violência na História
 
Reino franco
Reino francoReino franco
Reino franco
 
Formação de portugal
Formação de portugalFormação de portugal
Formação de portugal
 
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e FeudalismoIdade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
Idade Média - Reinos Bárbaros e Feudalismo
 
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa modernaInvasões bárbaras e formação da europa moderna
Invasões bárbaras e formação da europa moderna
 
Portugal medieval
Portugal medievalPortugal medieval
Portugal medieval
 
Império franco tmp1
Império franco tmp1Império franco tmp1
Império franco tmp1
 
Império Carolíngio - os francos
Império Carolíngio -  os francosImpério Carolíngio -  os francos
Império Carolíngio - os francos
 
Linha conceptual 7º ano 2012-13
Linha conceptual   7º ano 2012-13Linha conceptual   7º ano 2012-13
Linha conceptual 7º ano 2012-13
 

Destaque

Destaque (6)

Empresa economia
Empresa economiaEmpresa economia
Empresa economia
 
Noções de economia
Noções de economiaNoções de economia
Noções de economia
 
Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014Catc3a1logo geral-03-2014
Catc3a1logo geral-03-2014
 
aula-01-economia
aula-01-economiaaula-01-economia
aula-01-economia
 
Noções de economia 1
Noções de economia 1Noções de economia 1
Noções de economia 1
 
Romanos
RomanosRomanos
Romanos
 

Semelhante a Subtema c3 e_d1

Estudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugalEstudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugalSílvia Rocha
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugalgracindacasais
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdfVítor Santos
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaNumeric Contadores
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1Vítor Santos
 
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismoKerol Brombal
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVICatarina Sequeira
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalHugo Ferreira
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugalbelinhas
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristãcattonia
 
Preparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaPreparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaAna Barreiros
 
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..pptPower P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..pptPaulaAlexandraAlves1
 

Semelhante a Subtema c3 e_d1 (20)

Estudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugalEstudo meio 2_historiaportugal
Estudo meio 2_historiaportugal
 
História resumos
História resumosHistória resumos
História resumos
 
A historia de portugal
A historia de portugalA historia de portugal
A historia de portugal
 
Um Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de PortugalUm Pouco de História de Portugal
Um Pouco de História de Portugal
 
Hgp 5
Hgp 5Hgp 5
Hgp 5
 
02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf02_02_o espaço português.pdf
02_02_o espaço português.pdf
 
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templariaEubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
Eubiose 2 mar-2013 portugal a primeira nação templaria
 
O espaço português 1
O espaço português 1O espaço português 1
O espaço português 1
 
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo
3 transicaodofeudalismoparaocapitalismo
 
Século XIV até século XVI
Século XIV até século XVISéculo XIV até século XVI
Século XIV até século XVI
 
Primeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugalPrimeiros povos e formação de portugal
Primeiros povos e formação de portugal
 
A+história+de+portugal
A+história+de+portugalA+história+de+portugal
A+história+de+portugal
 
Reconquista Cristã
Reconquista CristãReconquista Cristã
Reconquista Cristã
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
Trovadorismo
TrovadorismoTrovadorismo
Trovadorismo
 
2ª dinastia trabalho marco2012
2ª dinastia   trabalho marco20122ª dinastia   trabalho marco2012
2ª dinastia trabalho marco2012
 
A Reconquista
A ReconquistaA Reconquista
A Reconquista
 
Preparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédiaPreparação para a prova intermédia
Preparação para a prova intermédia
 
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..pptPower P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
Power P. Hist.Portugal até descobrim..ppt
 
1.ª Dinastia
1.ª Dinastia1.ª Dinastia
1.ª Dinastia
 

Mais de Teresa Maia

Relatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunosRelatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunosTeresa Maia
 
Guiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografiaGuiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografiaTeresa Maia
 
Guiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodoGuiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodoTeresa Maia
 
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaiaCommunicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaiaTeresa Maia
 
Trabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugalTrabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugalTeresa Maia
 
O mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império iO mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império iTeresa Maia
 
As sociedades recolectoras
As sociedades recolectorasAs sociedades recolectoras
As sociedades recolectorasTeresa Maia
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaTeresa Maia
 
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróisHolocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróisTeresa Maia
 
As consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra MundialAs consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra MundialTeresa Maia
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugalTeresa Maia
 
Estaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacriseEstaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacriseTeresa Maia
 
Transformações socioculturais dos inícios do século XX
Transformações socioculturais dos inícios do século XXTransformações socioculturais dos inícios do século XX
Transformações socioculturais dos inícios do século XXTeresa Maia
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviéticaTeresa Maia
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialTeresa Maia
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra MundialTeresa Maia
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx Teresa Maia
 

Mais de Teresa Maia (20)

Relatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunosRelatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunos
 
Guiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografiaGuiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografia
 
Guiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodoGuiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodo
 
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaiaCommunicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
 
Trabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugalTrabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugal
 
O mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império iO mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império i
 
As sociedades recolectoras
As sociedades recolectorasAs sociedades recolectoras
As sociedades recolectoras
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
 
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróisHolocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
As consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra MundialAs consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra Mundial
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugal
 
Estaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacriseEstaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacrise
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
 
Transformações socioculturais dos inícios do século XX
Transformações socioculturais dos inícios do século XXTransformações socioculturais dos inícios do século XX
Transformações socioculturais dos inícios do século XX
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviética
 
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra MundialAs transformações provocadas pela I Guerra Mundial
As transformações provocadas pela I Guerra Mundial
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx
 

Último

ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfInocencioHoracio3
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoMarcio Venturelli
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 

Último (8)

ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor SucroenergéticoConvergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético
 
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Subtema c3 e_d1

  • 1. Tema C: A formação da cristandade ocidental e a expansão islâmica<br />Subtema C3: Península Ibérica: dois mundos em presença<br />41268656350711 - os Muçulmanos invadiram a Península Ibérica. Os Visigodos, que então dominavam a Península foram derrotados e empurrados para a zona montanhosa das Astúrias.<br />De uma maneira geral, os Muçulmanos foram tolerantes com as populações conquistadas. Os cristãos que permaneceram em território muçulmano e adoptaram formas de vida dos vencedores, conservando, porém, a religião cristã, são chamados moçárabes. Na Península Ibérica notava-se o contraste entre o Sul islâmico e Norte Cristão.<br />Na Península Ibérica, a civilização muçulmana deixou muitas marcas da sua presença nas ciências, nas técnicas, na arte e na cultura e até mesmo no vocabulário. <br />Alguns vestígiosAgriculturaArroz,Cana-de-açúcar,Laranjeiras, AmendoeirasetcMoinhos de água, nora.NavegaçãoAstrolábioBússolaLínguaAlgarveAlcofaEtcArteAzulejoMosaicoArcos em ferradura<br />A partir das Astúrias e dos Pirenéus, os cristãos iniciaram a ofensiva militar contra os Muçulmanos e ao alargamento do seu território para sul. Ao conjunto destas acções chama-se Reconquista.<br />A Europa cristã auxiliou os reinos cristãos da Península Ibérica no processo de Reconquista, que considerou ser uma luta cruzada contra os Infiéis.<br />Entre os cavaleiros franceses que vieram para a Península no final do século XI para ajudar Afonso VI, rei de Leão e Castela, destacaram-se D. Raimundo e D. Henrique que, como recompensa pelos serviços prestados, casaram, respectivamente com D. Urraca (filha legítima do rei) e D. Teresa (filha ilegítima do rei).<br />D. Raimundo recebeu do sogro o governo da Galiza e D. Henrique o Condado Portucalense (território entre os rios Minho e Douro).<br />Embora cumprindo os seus deveres de vassalagem para com o rei de Leão e Castela, o conde D. Henrique tentou ganhar uma maior autonomia. À sua morte (1112) D. Teresa continuou a política de independência iniciada pelo marido.<br />A sua aliança a alguns nobres galegos, não agradou à nobreza portucalense. Estes nobres opuseram-se, então, a D. Teresa e uniram-se em volta do seu filho, D. Afonso Henriques. Em 1128, o exército de D. Afonso Henriques vence o exército de sua mãe, na batalha de S. Mamede, passando D. Afonso Henriques a governar o condado.<br />D. Afonso Henriques tinha agora um duplo objectivo:<br />alargar o território para Sul, conquistando terras aos Mouros<br />conseguir a independência do condado e tornar-se rei<br />D. Afonso VII, rei de Leão e Castela, concede-lhe o título de rei e autonomia do condado em 1143, no Tratado de Zamora. A Santa Sé só viria a reconhecer esta independência em 1179, com a Bula Manifestis Probatum.<br />A conquista definitiva do Algarve, só acontecerá em 1249, no reinado de D. Afonso III. Mas as nossas fronteiras só serão fixadas com Castela, no reinado de D. Dinis, com o Tratado de Alcanises (1279).<br />Ver site: Reconquista Cristã e formação de Portugal http://www.cercifaf.org.pt/mosaico.edu/ca/swf/fund_info.swf<br />Tema D: Portugal no contexto europeu dos séculos XII a XIV<br />D1: Desenvolvimento económico. Relações sociais e poder político. Lisboa nos circuitos do comércio europeu<br />Europa, séculos XII e XIIIPazFim das invasõesAlterações favoráveis no climaAperfeiçoamentos técnicos na agricultura e nos transportesExemplos:Utilização crescente do ferro nos instrumentos agrícolasAfolhamento trienalAdubação das terrasFerradura e coelheira nos cavalosAtrelagem em fila dos cavalosJugo frontal nos boisArroteias e drenagem de pântanosAcumulação de excedentesAumento da produçãoCrescimento demográficoOcupação de novos espaçosCentros do Comércio Europeu: Cidades italianas (Veneza, Génova Florença), Flandres, Liga Hanseática (Lubeque, Hamburgo e Colónia) e LisboaDesenvolvimento do comércio interno e externo(mercados e feiras)Ex: Feiras da ChampagnePovoadores nos concelhos (cartas de foral)Animação e crescimento das cidadesA sua subordinação ao poder real provocou o enfraquecimento da autoridade dos grandes senhores da nobreza e do cleroFormação e afirmação da burguesiaMedidas da Coroa contra os abusos da Nobreza e do Clero:inquirições, confirmações, leis de desamortização, organização da administração centralCrescente desenvolvimento económicoRessurgimento urbanoFortalecimento do poder régio<br />