SlideShare uma empresa Scribd logo
4. Conhecer e compreender as transformações
socioculturais das primeiras décadas do século XX
1. Caracterizar a sociedade europeia nas duas primeiras décadas do
século XX, salientando o peso crescente das classes médias e a
melhoria das condições de vida do operariado, apesar da
manutenção de grandes desequilíbrios sociais.
2. Relacionar os efeitos da guerra com a alteração de mentalidades e
costumes nos “loucos anos 20”.
3. Avaliar os efeitos da guerra ao nível da emancipação feminina,
problematizando temáticas atuais relativas à igualdade de género.
4. Caracterizar sucintamente a cultura de massas, salientando a sua
relação com a melhoria das condições de vida nas décadas de 20 e 30
do século XX.
5. Distinguir as principais correntes estéticas que marcaram a evolução
nas artes.
6. Indicar alguns dos principais vultos e obras de referência do
modernismo português.
Transformações sociais nas duas primeiras décadas
do século XX
► O peso das classes médias
O desenvolvimento do setor terciário e o alargamento
da escolaridade provocaram o crescimento das
classes médias.
As classes médias eram constituídas pelos
pequenos e médios empresários comerciais e
industriais (pequena e média burguesia), pelos
membros das profissões liberais (médicos,
juristas, arquitetos, etc.) e pelos “colarinhos
brancos” (funcionalismo público, empregados de
escritório, etc.).
As classes médias criaram um novo código social e
moral, novos modelos e novas modas que
marcaram o século XX, constituíram a base de
apoio dos novos partidos políticos.
A burguesia passeando no jardim público em Viana do Castelo
Fonte: http://c2.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/N0c01a120/15530787_dkdhI.jpeg
 Os contrastes sociais
Nos centros urbanos existiam grandes
desequilíbrios sociais.
Ao lado dos bairros ricos, nas periferias
das cidades, encontravam-se os
bairros de lata, habitados pelos
operários.
Através de greves e manifestações os
operários lutaram para melhorarem as
suas condições de vida e de trabalho.
Transformações sociais nas duas primeiras décadas
do século XX
Greve das varinas, início do século XX
Fonte: http://fotos.sapo.pt/jJVRV1QVNZafosnNGbs4/s320x240
Palácio Foz, início do século XX
Fonte: http://revelarlx.cm-
lisboa.pt/fotos/gca/1134647250foza14444.jpg
Transformações sociais nas duas primeiras décadas
do século XX
Fonte: http://barreiroweb.com/images/resistencia/IMG_44902p.jpg
►O movimento sindical
O movimento sindical foi-se
desenvolvendo, conseguindo a
publicação de legislação
protetora dos operários:
•melhoria nos seu salário real;
•consagração em muitos países
do direito de greve;
•estabelecimento de um horário
de trabalho semanal;
• leis de proteção no trabalho;
•direitos sociais de reforma,
pensão de invalidez;
No início do século XX, surgiram
as grandes organizações
sindicais.
►A emancipação feminina
Gravura de uma revista americana dos anos 20
Fonte:
http://www.ricsartshop.com/mm5/graphics/00000001/jud
ge062.jpg
A luta das sufragistas
Fonte: http://www.glossariofashion.com.br/site/wp-
content/uploads/2014/01/glossario-fashion-sufragistas4.jpg
Nos anos 20 as mulheres conservaram muitos dos postos de trabalho que tinham
assegurado durante a 1ª Guerra Mundial, começando a libertar-se da sua situação
de dependência em relação ao homem, quer na família quer na sociedade.
As mulheres apoiadas pelos movimentos feministas:
• lutaram pela igualdade de direitos, conseguindo em alguns países o direito ao
voto (movimento das sufragistas);
• adotaram novos hábitos de vida (mudaram o seu vestuário e começaram a usar
os cabelos curtos, passaram a trabalhar fora de casa em maior número, a
frequentar os cafés e outros locais públicos, começam a fumar e a praticar
desporto);
• começaram a frequentar o ensino universitário e a terem profissões até agora
apenas exercidas por homens.
(ver pp.48 e 49 do manual “A condição das mulheres”)
Transformações sociais nas duas primeiras décadas do
século XX
A emancipação feminina
Muitas mulheres começam a destacar-se nos domínios da cultura, da
arte, da ciência, da moda e do desporto.
Ana de Castro Osório (1872-1935)
•Foi a pioneira na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher. Escreveu
Mulheres Portuguesas, o primeiro manifesto feminista português.
•Colaborou com o ministro da Justiça, Afonso Costa, na elaboração da Lei do Divórcio.
•Fundou a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas e o Grupo de Estudos
Feministas.
•É considerada a criadora da literatura infantil em Portugal.
Aviadora norte-americana
Amelia Mary Earhart (1897-
1937)
Fonte: https://s-media-cache-
ak0.pinimg.com/236x/e6/76/1c/e6761cf0b2431
e8cc29455d498d080f4.jpg
Coco Chanel –
estilista francesa
(1883-1971)
Fonte:
http://www.polyvore.com/cgi/img-
thing?.out=jpg&size=l&tid=71798
416
Florbela Espanca
poetisa Portuguesa
1894 – 1930
Fonte:
http://www.escritas.org/autores/m
ultimedia/florbela-espanca6.jpg
A revolução nos costumes e nos valores morais
► Os “loucos anos 20”
Painel do tríptico Metrópole pintado por Otto Dix, (1927-28)
Fonte: https://d32dm0rphc51dk.cloudfront.net/hz4MPAFjkunSXcpb39fgVQ/large.jpg
No após-guerra os costumes e a
mentalidade da sociedade sofrem
uma grande mudança: procura-se
desesperadamente gozar a vida,
esquecer o pesadelo da guerra e as
contrariedades do dia-a-dia.
Sobretudo, nas cidades, existia uma
busca desenfreada de prazeres e
divertimentos – são os “Loucos
Anos 20” ou Roaring Twenties.
O entusiasmo pela vida noturna
aumenta: os cabarés animam-se com
novos ritmos como o jazz e danças
animadas como o foxtrot, o
charleston e o tango.
O desenvolvimento dos transportes e comunicações, o
crescimento das classes médias e a maior
participação dos cidadãos na sociedade, fizeram
surgir um novo tipo de cultura virada para a
satisfação dos gostos do grande público, das
grandes massas de população - a cultura de
massas.
A cultura de massas tinha as seguintes
características:
• variedade;
• facilidade de assimilação e compreensão;
• mais do que reflexão, ou pensamento,
procurava o divertimento, o sonho , a evasão;
• era transmitida através dos meios de
comunicação.
Cultura de massas
Fonte: https://russiaxxcentury.files.wordpress.com/2013/03/sb.jpg
 Cultura de massas
A cultura de massas era difundida através dos meios
de comunicação de massas (os mass media):
imprensa, rádio e cinema.
Os livros tornaram-se cada vez mais populares, com
destaque para os romances cor-de-rosa, de aventuras
ou policiais.
A publicidade em cartazes nas ruas ou nos meios de
comunicação de grande divulgação, estimulou o
consumo.
Fonte:http://www65.statcan.gc.ca/acyb05/acyb05-
06/img/acyb05-06_0001.jpg
Fonte:http://erslibrary.tcoe.org/images/default-
source/TeenPortal/socstudies/charlie_chaplin.jpg?sfvrsn=
0
Fonte:
http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/8/1678203/6241
483.gif?308
Fonte: http://hemerotecadigital.cm-
lisboa.pt/OBRAS/DOMINGOILUSTRA
DO/miniaturas/N34.jpg
Fonte: http://hemerotecadigital.cm-
lisboa.pt/OBRAS/IlustracaoPort/1922
/Miniaturas/N866.jpg
Cinema
O cinema era a grande atração da
época.
Os filmes proporcionavam emoções,
fantasias, notícias, reflexão, etc.
Distinguiram-se atores como Charles
Chaplin (Charlot), Rudolfo Valentino e
Greta Garbo.
Walt Disney através do cinema
animado criou personagens que ainda
hoje permanecem (ex: o rato Mickey).
The Jazz Singer
Fonte:
http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/8/1678203/4867024
09.jpg?319
Steamboat Willie
Fonte:http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/
8/1678203/5881078.jpg?244
Greta Garbo
Fonte: http://ia.media-
imdb.com/images/M/M
V5BMTk5MDc1NTkzMV5
BMl5BanBnXkFtZTYwMT
A4MTI2._V1_UY98_CR5,
0,67,98_AL_.jpg
Rudolph Valentino
Fonte:
http://roaring20scbohstedt.weebly.co
m/uploads/1/0/8/9/10899280/971874
6.jpg
Música
Surgem novos ritmos, novas
harmonias, e a música clássica
teve um impulso. No Jazz, com
Louis Armstrong, na Clássica,
com Stravinsky, Ravel,
Schönberg e Bartok, ou na
música mais ligeira de teatro
(Music-Hall) com George
Gershwin,ou Cole Porter, A
música ganha uma nova vida.
Os artistas tornam-se famosos,
a indústria fonográfica floresce,
divulga-se o gramofone.
Fonte:
http://www.d.umn.edu/cla/fac
ulty/tbacig/studproj/is3099/jaz
zcult/20sjazz/Armstrong_Poster
.jpg
Fonte: https://s-media-cache-
ak0.pinimg.com/236x/f0/01/9
5/f00195e41d994407b3ce5dd
009d7bbca.jpg
Fonte:
http://images.delcampe.com/img_large/auction/000/157/81
5/700_001.jpg
Fonte:
http://www.larousse.
fr/encyclopedie/data
/images/1310333-
B%C3%A9la_Bart%C3
%B3k.jpg
Maurice Ravel
Fonte:
http://www.audiospar
x.com/sa/tzamp/20090
509033152/zdbpath/c
omposerpix/94.jpg
Arnold Schönberg
Fonte:
http://www.gramopho
ne.co.uk/sites/default/
files/styles/4_columns
_wide/public/artist/Ar
nold%20Schoenberg.jp
g?itok=-JoZ3fof
Fonte: http://4.bp.blogspot.com/-
zn03NDY01wI/UE9Y3ahBSAI/AAAAAAAA
BW4/yrBSL7GBkWc/s1600/george-
gershwin.jpg
Fonte: https://s-media-cache-
ak0.pinimg.com/236x/bb/79/21/bb792134ad5d69
087df5cf56236c366f.jpg
Desporto
Fonte:
http://i.ebayimg.com/images/i/36044765308
1-0-1/s-l1000.jpg
Fonte: http://cacellain.com.br/blog/wp-
content/uploads/2012/08/Vanguarda-FC.png
O Desporto, incentivado a partir do
século XIX, tornou-se rapidamente um
fenómeno de massas, com o
renascimento dos Jogos Olímpicos em
1896 e a popularização de modalidades
como o futebol, o ténis, o atletismo, o
boxe, o râguebi, o basebol e o
automobilismo.
Johnny Weissmuller, nadador, mais
conhecido como Tarzan
Fonte:
http://www.doctormacro.com/Images/
Weissmuller,%20Johnny/Annex/Annex%
20-
%20Weissmuller,%20Johnny%20(Tarzan
%20and%20the%20Amazons)_13.jpg
Fonte:
http://img01.ibnlive.in/ibnlive/uploads/610x407/jpg/2011/06/le
nglennew1906_630.jpg
Progressos científicos
Formulou em 1900, a Teoria quântica
Fonte:
http://micro.magnet.fsu.edu/optics/timeline/people/antiqueimages/planck.jpg
O relativismo substituiu o positivismo, recusando a existência de verdades absolutas.
Novas descobertas e teorias explicam esta mudança.
(1879 – 1955)
Fonte: http://clikaki.com.br/wp-
content/uploads/2011/10/einstein.jpg
Georges Lemaître (1894-1966)
Formulou a teoria Big-bang
Fonte: http://www.planetastronomy.com/special/2005-special/saf-BL-lemaitre-
sept2005_fichiers/image007.jpg
Sigmund Freud (1856-1939)
Criou a Psicanálise
Fonte: http://www.alternet.org/files/story_images/sigmund_freud.jpg
Revolução na arte e na literatura
Expressionismo
Noite Estrelada – Van Gogh
Fonte: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTRE4CSS3GUOzgQo6TfnMOeXCSTr-
UQilJwuw6tiPKDMetQZqTieQ
Grito – Edvard Munch
Fonte: http://www.edvardmunch.org/images/paintings/the-scream.jpg
Pretendia-se revelar sentimentos íntimos através da violência
das cores, das pinceladas largas e dramáticas e das imagens
deformadas.
RUPTURA E INOVAÇÃO CULTURAL
Expressionismo
O Paraíso, Emil Nolde
Fonte: http://www.artnet.fr/Images/magazine/expositions/NOLDE/nolde16-10-08-3.jpg
Faz, por norma,
uma crítica social.
Revolução na arte e na literatura
Fauvismo
Srª Matisse com Linha Verde – Henri Matisse
Fonte: http://uploads1.wikiart.org/images/henri-matisse/portrait-of-
madame-matisse-green-stripe-1905.jpg
Mª Matisse com Chapéu - Henri Matisse
Fonte: http://livialima.com.br/wp-
content/uploads/2015/08/Mulher-.jpg
Fauvismo
Retrato de Matisse – Andre Derain
Fonte: http://www.fineart-china.com/upload1/file-
admin/images/new4/Andre%20Derain%20Prints-653937.jpg
Mulher em Vestido – Andre Derain
Fonte: http://36.media.tumblr.com/tumblr_lbbfrdAqqA1qep93so1_500.jpg
Fauvismo
Estrada Amarela - Maurice de Vlaminck
Fonte: https://analogvelo.files.wordpress.com/2014/06/the-road1.jpg
Caracteriza-se pela utilização de
cores vivas e contrastantes,
independentemente da cor
natural do objeto retratado. As
cores passam a corresponder às
necessidades emotivas do pintor.
A cor prevalece sobre a definição
das formas, que se tornam
sumárias (essenciais) e quase
grosseiras. As formas passam a
ser apenas a base de um
esquema cromático.
Cubismo
As Meninas de Avignon – Picasso
Fonte:
http://pt.wahooart.com/Art.nsf/O/8XYNQ2/$File/Pablo-
Picasso-The-girls-of-Avignon.JPG
Cubismo
Guernica – Picasso
Fonte: http://www.seuhistory.com/files/10-09-guernica-de-picasso-
volta-espanha-hoje-na-historia-history-channel.jpg
Cubismo
É uma corrente em que as figuras são
decompostas em planos geométricos
que representam vários campos de
visão que se sobrepõem e confundem
na superfície do quadro, valoriza o
volume dos objetos, dispensando os
elementos acessórios.
O cubismo leva a novas técnicas de
leitura e compreensão das obras.
Mulher com uma guitarra – Georges Braque
Fonte: http://www.meloteca.com/imagens/paintaings/braque_wmn-guitar.jpg
RUPTURA E INOVAÇÃO CULTURAL
Abstracionismo
Composição VII – Kandinsky
Fonte: http://virusdaarte.net/wp-content/uploads/2014/08/Kan12.png
Abstracionismo
Composição com vermelho, azul e amarelo – Piet Mondrian
Fonte: http://www.theartstory.org/images20/works/mondrian_piet_4.jpg
Abstracionismo
Lonely Flower – Paul Klee
Fonte:
http://www.aworldtowin.net/msf/21stcenturyart/images/Klee%20Lonely%20Flower.jpg
Corrente em que se deixam de representar
figuras concretas (não-figurativa) passando
a obra a ser uma combinação de linhas, de
formas, de cores, abstraídas da realidade.
As formas geométricas, as linhas e as cores
adquirem um valor independente da
realidade.
As pinturas limitam-se a sugerir, quando
muito, emoções ou estados de espírito..
Futurismo
Brut 300 TSF – Amadeo de Sousa Cardoso
Fonte:
http://www.jokerartgallery.com/fotos/pin/souza/Pintura_Brut%20300%20TSF_1
917.jpg
Movimento artístico, influenciado pelo
cubismo e pelo abstracionismo, que
procura retratar a civilização industrial do
futuro.
O futurismo exalta como elementos
fundamentais a velocidade, o movimento,
as máquinas, em suma, pretende celebrar
o dinamismo da vida moderna e do
futuro..
Surrealismo
Persistência da Memória – Dali
Fonte: http://www.infopedia.pt/apoio/recursos/53e3015.jpg
Corrente influenciada pela
psicanálise de Freud. Os
surrealistas procuraram
representar o surreal, o
que está para além da
realidade e do racional,
ou seja, o mundo do
inconsciente, que se
manifesta nos sonhos e
delírios, o mundo da
imaginação e da
alucinação.
Surrealismo
Falso espelho - René Magritte
Fonte: http://pt.wahooart.com/Art.nsf/O/8XYU7V/$File/Rene-Magritte-The-false-mirror.JPG
Escultura
Formas únicas de continuidade no espaço – Umberto Boccioni
Fonte:
http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo1/construti
vismo/cubismo/futurismo/boccioni/images/boccioni2.jpg
Mademoiselle Pogany – Constantino Brancusi
Fonte:
http://static01.nyt.com/images/2009/08/08/nyregion/08branc
usi.large1.jpg
Escultura
Torso – Alberto Giacometti
Fonte: http://www.giacometti-
stiftung.ch/images/Giacometti_To
rse.jpg
Muitas das correntes surgidas na pintura estendem-se a outras
manifestações como a escultura e a arquitetura, como é o caso do
expressionismo, do cubismo e do futurismo.
Na escultura destacaram-se, nesta época, Brancusi, Umberto
Boccioni e Alberto Giacometti.
Arquitetura
Gaudí aliou o seu
gosto pelo gótico
com algumas
sugestões da Arte
Nova, sendo muito
original.
Casa Millá – Gaudí
Fonte:
https://www.lapedrera.com/sites/default/files/Pedrera_visor1_22.jpg
Arquitetura e Design
Na arquitetura Gropius impôs o gosto pelas
formas retilíneas e as superfícies planas, sem
ornamentos e procurou tirar partido da luz e
do jogo de diferentes materiais, como
podemos observar no edifício da Bauhaus .
A arquitetura da Bauhaus iniciou o funcionalismo.
Edifício da Bauhaus – Walter Gropius
Fonte:
http://wikiarquitectura.com/es/images/thumb/8/8b/Bauhause_Dessau_9.jpg/
420px-Bauhause_Dessau_9.jpg
Cadeira Barcelona desenhada por Mies Van der Rohe
Fonte: http://www.bestofbauhaus.com/Media/Shop/sessel_barcelona.jpg
A “Escola de Chicago” nos EUA e a Bauhaus, na
Europa impulsionaram o modernismo arquitetónico.
Arquitetura
Vivenda Sabóia – Le Corbusier
Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/3/3c/VillaSavoye.jpg
O funcionalismo defende
que as formas arquitetónicas
devem obedecer unicamente
às exigências impostas pela
função do edifício.
Arquitetura
Casa da Cascata – Frank Lloyd Wright
Fonte: http://44arquitetura.com.br/wp-content/uploads/fallingwater.jpg
F. L. Wright procurava inserir os
edifícios na paisagem natural com
formas geométricas – a
arquitetura funcional orgânica.
Novas correntes Literárias
Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wiki
pedia/commons/thumb/a/ab/Joy
ceUlysses2.jpg/200px-
JoyceUlysses2.jpg
Fonte:
http://lounge.obviousmag.org
/o_arteiro/2013/07/03/jpg
Fonte: http://mlb-s2-
p.mlstatic.com/em-busca-do-
tempo-perdido-7-o-tempo-
redescoberto-proust-13826-
MLB65421831_4463-O.jpg
Fonte:
http://images.portoeditora.pt/ge
tresourcesservlet/image?EBbDj3
QnkSUjgBOkfaUbsI8xBp%2F033
q5Xpv56y8baM6t0EfuLmZk%2BJ
jYSjKWsFRf&width=440
A literatura conheceu uma grande quantidade de
movimentos inovadores, globalmente designados de
modernismo.
A criação literária caracteriza-se por uma procura interior do
autor, por uma visão pessimista do mundo e por tentar intervir
na sociedade, denunciando as injustiças.
Fonte:https://clubedeleitura.files
.wordpress.com/2012/04/as_vinh
as_da_ira_1231102152p.jpg
Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipe
dia/commons/thumb/1/13/Romancer
o_gitano.djvu/page3-2741px-
Romancero_gitano.djvu.jpg
O Modernismo Português
Retrato de Fernando Pessoa – Almada Negreiros
Fonte:
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/d/d0/Almada_Negreiros,_Retrato_de_Fernando_P
essoa,_1964.jpg
Em Portugal, em 1915, um grupo de escritores e
artistas veio revolucionar o meio cultural
português com a publicação da revista Orpheu
entre esses jovens destacam-se os poetas
Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, e o
pintor, poeta e dramaturgo Almada Negreiros.
Os escritores Raul Brandão (que dirigiu a revista
Presença) e Aquilino Ribeiro destacam-se no
romance.
Fonte:
https://upload.wikimedia.org
/wikipedia/commons/thumb/
0/05/Orpheu1915.jpg/300px
-Orpheu1915.jpg
Fonte:
https://upload.wikimedia.org
/wikipedia/commons/thumb/
7/72/Presen%C3%A7a.jpg/2
20px-Presen%C3%A7a.jpg

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
Susana Simões
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
home
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
home
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
A emancipação feminina trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
A emancipação feminina   trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.A emancipação feminina   trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
A emancipação feminina trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
Iva Leão
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
Loucos Anos 20
Loucos Anos 20Loucos Anos 20
Loucos Anos 20
Jorge Almeida
 
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
Vítor Santos
 
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
Vítor Santos
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
home
 
Sociedade e cultura num mundo em mudança
Sociedade e cultura num mundo em mudançaSociedade e cultura num mundo em mudança
Sociedade e cultura num mundo em mudança
Jorge Almeida
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
Becre Celorico de Basto
 
Geografia - transportes
Geografia - transportesGeografia - transportes
Geografia - transportes
kyzinha
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
Ana Arminda Moreira
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
João Pedro Rodrigues
 
RevoluçãO Russa
RevoluçãO RussaRevoluçãO Russa
RevoluçãO Russa
Maria Flora Sousa Douteiro
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
nando_reis
 
MODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGALMODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGAL
luisant
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
António Fernandes
 
Globalização t2
Globalização t2Globalização t2
Globalização t2
Anabelafernandes
 

Mais procurados (20)

Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
 
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na RússiaImplantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
Implantação do Marxismo-Leninismo na Rússia
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
A emancipação feminina trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
A emancipação feminina   trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.A emancipação feminina   trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
A emancipação feminina trabalho para história- iva leão, 9ºg, nº9.
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Loucos Anos 20
Loucos Anos 20Loucos Anos 20
Loucos Anos 20
 
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
 
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
9 ano 9_2_as transformações do após-guerra
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
Sociedade e cultura num mundo em mudança
Sociedade e cultura num mundo em mudançaSociedade e cultura num mundo em mudança
Sociedade e cultura num mundo em mudança
 
A queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª repúblicaA queda da monarquia e a 1ª república
A queda da monarquia e a 1ª república
 
Geografia - transportes
Geografia - transportesGeografia - transportes
Geografia - transportes
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
RevoluçãO Russa
RevoluçãO RussaRevoluçãO Russa
RevoluçãO Russa
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
MODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGALMODERNISMO EM PORTUGAL
MODERNISMO EM PORTUGAL
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Globalização t2
Globalização t2Globalização t2
Globalização t2
 

Semelhante a Transformações socioculturais dos inícios do século XX

Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
Rui Oliveira
 
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptxAs sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
CarlosAraujo428034
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
Teresa Ramos
 
Sociologia apresentacao
Sociologia apresentacaoSociologia apresentacao
Sociologia apresentacao
1980261531
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
ANA CLÁUDIA OLIVEIRA
 
Sociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
Sociedade e Cultura Num Mundo Em MudançaSociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
Sociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
CPH
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ana Barreiros
 
Os loucos anos 20
Os loucos anos 20Os loucos anos 20
Os loucos anos 20
angelamoliveira
 
Aula 1 módulo 8
Aula 1 módulo 8Aula 1 módulo 8
Aula 1 módulo 8
Emanuel Vieira
 
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)] atualidades
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)]   atualidadesApostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)]   atualidades
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)] atualidades
Andre Benjamim
 
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptxslide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
ssuserad6c92
 
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponesesUnidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Vítor Santos
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Allan Almeida de Araújo
 
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-hoLista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
jose silva
 
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
António Luís Catarino
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
Adriana Gomes Messias
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
RAFAELASCARI1
 
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp011fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
E.E. Mario Martins Pereira
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
Annalu Jannuzzi
 
A evolução do operariado
A evolução do operariadoA evolução do operariado
A evolução do operariado
João Grego
 

Semelhante a Transformações socioculturais dos inícios do século XX (20)

Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
 
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptxAs sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
As sociedades europeia e dos EUA no após-guerra. A cultura de massas.pptx
 
Historia
HistoriaHistoria
Historia
 
Sociologia apresentacao
Sociologia apresentacaoSociologia apresentacao
Sociologia apresentacao
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
 
Sociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
Sociedade e Cultura Num Mundo Em MudançaSociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
Sociedade e Cultura Num Mundo Em Mudança
 
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
Ficha formativa "A Cultura da Gare 1"
 
Os loucos anos 20
Os loucos anos 20Os loucos anos 20
Os loucos anos 20
 
Aula 1 módulo 8
Aula 1 módulo 8Aula 1 módulo 8
Aula 1 módulo 8
 
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)] atualidades
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)]   atualidadesApostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)]   atualidades
Apostila de conhecimentos gerais para concursos[prf)] atualidades
 
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptxslide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
slide 1 serie revolucoes da modernidade.pptx
 
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponesesUnidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
Unidade 8 burgueses proletários classes medias e camponeses
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-hoLista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
Lista teorias-do-sc3a9c-xix-ho
 
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
A sociedade industrial_e_urbana,_ppt[1]
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
 
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp011fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
1fasemodernismoequar 140802112350-phpapp01
 
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismowww.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
www.EquarparaEnsinoMedio.com.br - Literatura - Primeira fase do Modernismo
 
A evolução do operariado
A evolução do operariadoA evolução do operariado
A evolução do operariado
 

Mais de Teresa Maia

Relatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunosRelatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunos
Teresa Maia
 
Guiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografiaGuiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografia
Teresa Maia
 
Guiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodoGuiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodo
Teresa Maia
 
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaiaCommunicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Teresa Maia
 
Trabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugalTrabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugal
Teresa Maia
 
O mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império iO mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império i
Teresa Maia
 
As sociedades recolectoras
As sociedades recolectorasAs sociedades recolectoras
As sociedades recolectoras
Teresa Maia
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
Teresa Maia
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
Teresa Maia
 
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróisHolocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
Teresa Maia
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Teresa Maia
 
As consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra MundialAs consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra Mundial
Teresa Maia
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugal
Teresa Maia
 
Estaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacriseEstaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacrise
Teresa Maia
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
Teresa Maia
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviética
Teresa Maia
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
Teresa Maia
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx
Teresa Maia
 
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
Teresa Maia
 
Revoluções liberais
Revoluções liberaisRevoluções liberais
Revoluções liberais
Teresa Maia
 

Mais de Teresa Maia (20)

Relatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunosRelatório visita de estudo alunos
Relatório visita de estudo alunos
 
Guiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografiaGuiao pesquisa biografia
Guiao pesquisa biografia
 
Guiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodoGuiaodotrabalho3periodo
Guiaodotrabalho3periodo
 
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaiaCommunicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
Communicatingand sharingwithparents actionplan_teresamaia
 
Trabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugalTrabalho sobre a formacao portugal
Trabalho sobre a formacao portugal
 
O mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império iO mundo romano no apogeu do império i
O mundo romano no apogeu do império i
 
As sociedades recolectoras
As sociedades recolectorasAs sociedades recolectoras
As sociedades recolectoras
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
 
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróisHolocausto: espaços, vítimas e heróis
Holocausto: espaços, vítimas e heróis
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
As consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra MundialAs consequências da 2ª Guerra Mundial
As consequências da 2ª Guerra Mundial
 
Estado novo portugal
Estado novo portugalEstado novo portugal
Estado novo portugal
 
Estaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacriseEstaline a respostadospaisessacrise
Estaline a respostadospaisessacrise
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
 
Revolução soviética
Revolução soviéticaRevolução soviética
Revolução soviética
 
I Guerra Mundial
I Guerra MundialI Guerra Mundial
I Guerra Mundial
 
A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx A Europa e o mundo no limiar do século xx
A Europa e o mundo no limiar do século xx
 
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
O mundo industrializado (recuperação 8ºano)
 
Revoluções liberais
Revoluções liberaisRevoluções liberais
Revoluções liberais
 

Último

1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

Transformações socioculturais dos inícios do século XX

  • 1. 4. Conhecer e compreender as transformações socioculturais das primeiras décadas do século XX 1. Caracterizar a sociedade europeia nas duas primeiras décadas do século XX, salientando o peso crescente das classes médias e a melhoria das condições de vida do operariado, apesar da manutenção de grandes desequilíbrios sociais. 2. Relacionar os efeitos da guerra com a alteração de mentalidades e costumes nos “loucos anos 20”. 3. Avaliar os efeitos da guerra ao nível da emancipação feminina, problematizando temáticas atuais relativas à igualdade de género. 4. Caracterizar sucintamente a cultura de massas, salientando a sua relação com a melhoria das condições de vida nas décadas de 20 e 30 do século XX. 5. Distinguir as principais correntes estéticas que marcaram a evolução nas artes. 6. Indicar alguns dos principais vultos e obras de referência do modernismo português.
  • 2. Transformações sociais nas duas primeiras décadas do século XX ► O peso das classes médias O desenvolvimento do setor terciário e o alargamento da escolaridade provocaram o crescimento das classes médias. As classes médias eram constituídas pelos pequenos e médios empresários comerciais e industriais (pequena e média burguesia), pelos membros das profissões liberais (médicos, juristas, arquitetos, etc.) e pelos “colarinhos brancos” (funcionalismo público, empregados de escritório, etc.). As classes médias criaram um novo código social e moral, novos modelos e novas modas que marcaram o século XX, constituíram a base de apoio dos novos partidos políticos. A burguesia passeando no jardim público em Viana do Castelo Fonte: http://c2.quickcachr.fotos.sapo.pt/i/N0c01a120/15530787_dkdhI.jpeg
  • 3.  Os contrastes sociais Nos centros urbanos existiam grandes desequilíbrios sociais. Ao lado dos bairros ricos, nas periferias das cidades, encontravam-se os bairros de lata, habitados pelos operários. Através de greves e manifestações os operários lutaram para melhorarem as suas condições de vida e de trabalho. Transformações sociais nas duas primeiras décadas do século XX Greve das varinas, início do século XX Fonte: http://fotos.sapo.pt/jJVRV1QVNZafosnNGbs4/s320x240 Palácio Foz, início do século XX Fonte: http://revelarlx.cm- lisboa.pt/fotos/gca/1134647250foza14444.jpg
  • 4. Transformações sociais nas duas primeiras décadas do século XX Fonte: http://barreiroweb.com/images/resistencia/IMG_44902p.jpg ►O movimento sindical O movimento sindical foi-se desenvolvendo, conseguindo a publicação de legislação protetora dos operários: •melhoria nos seu salário real; •consagração em muitos países do direito de greve; •estabelecimento de um horário de trabalho semanal; • leis de proteção no trabalho; •direitos sociais de reforma, pensão de invalidez; No início do século XX, surgiram as grandes organizações sindicais.
  • 5. ►A emancipação feminina Gravura de uma revista americana dos anos 20 Fonte: http://www.ricsartshop.com/mm5/graphics/00000001/jud ge062.jpg A luta das sufragistas Fonte: http://www.glossariofashion.com.br/site/wp- content/uploads/2014/01/glossario-fashion-sufragistas4.jpg Nos anos 20 as mulheres conservaram muitos dos postos de trabalho que tinham assegurado durante a 1ª Guerra Mundial, começando a libertar-se da sua situação de dependência em relação ao homem, quer na família quer na sociedade. As mulheres apoiadas pelos movimentos feministas: • lutaram pela igualdade de direitos, conseguindo em alguns países o direito ao voto (movimento das sufragistas); • adotaram novos hábitos de vida (mudaram o seu vestuário e começaram a usar os cabelos curtos, passaram a trabalhar fora de casa em maior número, a frequentar os cafés e outros locais públicos, começam a fumar e a praticar desporto); • começaram a frequentar o ensino universitário e a terem profissões até agora apenas exercidas por homens. (ver pp.48 e 49 do manual “A condição das mulheres”) Transformações sociais nas duas primeiras décadas do século XX
  • 6. A emancipação feminina Muitas mulheres começam a destacar-se nos domínios da cultura, da arte, da ciência, da moda e do desporto. Ana de Castro Osório (1872-1935) •Foi a pioneira na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher. Escreveu Mulheres Portuguesas, o primeiro manifesto feminista português. •Colaborou com o ministro da Justiça, Afonso Costa, na elaboração da Lei do Divórcio. •Fundou a Liga Republicana das Mulheres Portuguesas e o Grupo de Estudos Feministas. •É considerada a criadora da literatura infantil em Portugal. Aviadora norte-americana Amelia Mary Earhart (1897- 1937) Fonte: https://s-media-cache- ak0.pinimg.com/236x/e6/76/1c/e6761cf0b2431 e8cc29455d498d080f4.jpg Coco Chanel – estilista francesa (1883-1971) Fonte: http://www.polyvore.com/cgi/img- thing?.out=jpg&size=l&tid=71798 416 Florbela Espanca poetisa Portuguesa 1894 – 1930 Fonte: http://www.escritas.org/autores/m ultimedia/florbela-espanca6.jpg
  • 7. A revolução nos costumes e nos valores morais ► Os “loucos anos 20” Painel do tríptico Metrópole pintado por Otto Dix, (1927-28) Fonte: https://d32dm0rphc51dk.cloudfront.net/hz4MPAFjkunSXcpb39fgVQ/large.jpg No após-guerra os costumes e a mentalidade da sociedade sofrem uma grande mudança: procura-se desesperadamente gozar a vida, esquecer o pesadelo da guerra e as contrariedades do dia-a-dia. Sobretudo, nas cidades, existia uma busca desenfreada de prazeres e divertimentos – são os “Loucos Anos 20” ou Roaring Twenties. O entusiasmo pela vida noturna aumenta: os cabarés animam-se com novos ritmos como o jazz e danças animadas como o foxtrot, o charleston e o tango.
  • 8. O desenvolvimento dos transportes e comunicações, o crescimento das classes médias e a maior participação dos cidadãos na sociedade, fizeram surgir um novo tipo de cultura virada para a satisfação dos gostos do grande público, das grandes massas de população - a cultura de massas. A cultura de massas tinha as seguintes características: • variedade; • facilidade de assimilação e compreensão; • mais do que reflexão, ou pensamento, procurava o divertimento, o sonho , a evasão; • era transmitida através dos meios de comunicação. Cultura de massas Fonte: https://russiaxxcentury.files.wordpress.com/2013/03/sb.jpg
  • 9.  Cultura de massas A cultura de massas era difundida através dos meios de comunicação de massas (os mass media): imprensa, rádio e cinema. Os livros tornaram-se cada vez mais populares, com destaque para os romances cor-de-rosa, de aventuras ou policiais. A publicidade em cartazes nas ruas ou nos meios de comunicação de grande divulgação, estimulou o consumo. Fonte:http://www65.statcan.gc.ca/acyb05/acyb05- 06/img/acyb05-06_0001.jpg Fonte:http://erslibrary.tcoe.org/images/default- source/TeenPortal/socstudies/charlie_chaplin.jpg?sfvrsn= 0 Fonte: http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/8/1678203/6241 483.gif?308 Fonte: http://hemerotecadigital.cm- lisboa.pt/OBRAS/DOMINGOILUSTRA DO/miniaturas/N34.jpg Fonte: http://hemerotecadigital.cm- lisboa.pt/OBRAS/IlustracaoPort/1922 /Miniaturas/N866.jpg
  • 10. Cinema O cinema era a grande atração da época. Os filmes proporcionavam emoções, fantasias, notícias, reflexão, etc. Distinguiram-se atores como Charles Chaplin (Charlot), Rudolfo Valentino e Greta Garbo. Walt Disney através do cinema animado criou personagens que ainda hoje permanecem (ex: o rato Mickey). The Jazz Singer Fonte: http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/8/1678203/4867024 09.jpg?319 Steamboat Willie Fonte:http://heritage20s.weebly.com/uploads/1/6/7/ 8/1678203/5881078.jpg?244 Greta Garbo Fonte: http://ia.media- imdb.com/images/M/M V5BMTk5MDc1NTkzMV5 BMl5BanBnXkFtZTYwMT A4MTI2._V1_UY98_CR5, 0,67,98_AL_.jpg Rudolph Valentino Fonte: http://roaring20scbohstedt.weebly.co m/uploads/1/0/8/9/10899280/971874 6.jpg
  • 11. Música Surgem novos ritmos, novas harmonias, e a música clássica teve um impulso. No Jazz, com Louis Armstrong, na Clássica, com Stravinsky, Ravel, Schönberg e Bartok, ou na música mais ligeira de teatro (Music-Hall) com George Gershwin,ou Cole Porter, A música ganha uma nova vida. Os artistas tornam-se famosos, a indústria fonográfica floresce, divulga-se o gramofone. Fonte: http://www.d.umn.edu/cla/fac ulty/tbacig/studproj/is3099/jaz zcult/20sjazz/Armstrong_Poster .jpg Fonte: https://s-media-cache- ak0.pinimg.com/236x/f0/01/9 5/f00195e41d994407b3ce5dd 009d7bbca.jpg Fonte: http://images.delcampe.com/img_large/auction/000/157/81 5/700_001.jpg Fonte: http://www.larousse. fr/encyclopedie/data /images/1310333- B%C3%A9la_Bart%C3 %B3k.jpg Maurice Ravel Fonte: http://www.audiospar x.com/sa/tzamp/20090 509033152/zdbpath/c omposerpix/94.jpg Arnold Schönberg Fonte: http://www.gramopho ne.co.uk/sites/default/ files/styles/4_columns _wide/public/artist/Ar nold%20Schoenberg.jp g?itok=-JoZ3fof Fonte: http://4.bp.blogspot.com/- zn03NDY01wI/UE9Y3ahBSAI/AAAAAAAA BW4/yrBSL7GBkWc/s1600/george- gershwin.jpg Fonte: https://s-media-cache- ak0.pinimg.com/236x/bb/79/21/bb792134ad5d69 087df5cf56236c366f.jpg
  • 12. Desporto Fonte: http://i.ebayimg.com/images/i/36044765308 1-0-1/s-l1000.jpg Fonte: http://cacellain.com.br/blog/wp- content/uploads/2012/08/Vanguarda-FC.png O Desporto, incentivado a partir do século XIX, tornou-se rapidamente um fenómeno de massas, com o renascimento dos Jogos Olímpicos em 1896 e a popularização de modalidades como o futebol, o ténis, o atletismo, o boxe, o râguebi, o basebol e o automobilismo. Johnny Weissmuller, nadador, mais conhecido como Tarzan Fonte: http://www.doctormacro.com/Images/ Weissmuller,%20Johnny/Annex/Annex% 20- %20Weissmuller,%20Johnny%20(Tarzan %20and%20the%20Amazons)_13.jpg Fonte: http://img01.ibnlive.in/ibnlive/uploads/610x407/jpg/2011/06/le nglennew1906_630.jpg
  • 13. Progressos científicos Formulou em 1900, a Teoria quântica Fonte: http://micro.magnet.fsu.edu/optics/timeline/people/antiqueimages/planck.jpg O relativismo substituiu o positivismo, recusando a existência de verdades absolutas. Novas descobertas e teorias explicam esta mudança. (1879 – 1955) Fonte: http://clikaki.com.br/wp- content/uploads/2011/10/einstein.jpg Georges Lemaître (1894-1966) Formulou a teoria Big-bang Fonte: http://www.planetastronomy.com/special/2005-special/saf-BL-lemaitre- sept2005_fichiers/image007.jpg Sigmund Freud (1856-1939) Criou a Psicanálise Fonte: http://www.alternet.org/files/story_images/sigmund_freud.jpg
  • 14. Revolução na arte e na literatura Expressionismo Noite Estrelada – Van Gogh Fonte: http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTRE4CSS3GUOzgQo6TfnMOeXCSTr- UQilJwuw6tiPKDMetQZqTieQ Grito – Edvard Munch Fonte: http://www.edvardmunch.org/images/paintings/the-scream.jpg Pretendia-se revelar sentimentos íntimos através da violência das cores, das pinceladas largas e dramáticas e das imagens deformadas.
  • 15. RUPTURA E INOVAÇÃO CULTURAL Expressionismo O Paraíso, Emil Nolde Fonte: http://www.artnet.fr/Images/magazine/expositions/NOLDE/nolde16-10-08-3.jpg Faz, por norma, uma crítica social.
  • 16. Revolução na arte e na literatura Fauvismo Srª Matisse com Linha Verde – Henri Matisse Fonte: http://uploads1.wikiart.org/images/henri-matisse/portrait-of- madame-matisse-green-stripe-1905.jpg Mª Matisse com Chapéu - Henri Matisse Fonte: http://livialima.com.br/wp- content/uploads/2015/08/Mulher-.jpg
  • 17. Fauvismo Retrato de Matisse – Andre Derain Fonte: http://www.fineart-china.com/upload1/file- admin/images/new4/Andre%20Derain%20Prints-653937.jpg Mulher em Vestido – Andre Derain Fonte: http://36.media.tumblr.com/tumblr_lbbfrdAqqA1qep93so1_500.jpg
  • 18. Fauvismo Estrada Amarela - Maurice de Vlaminck Fonte: https://analogvelo.files.wordpress.com/2014/06/the-road1.jpg Caracteriza-se pela utilização de cores vivas e contrastantes, independentemente da cor natural do objeto retratado. As cores passam a corresponder às necessidades emotivas do pintor. A cor prevalece sobre a definição das formas, que se tornam sumárias (essenciais) e quase grosseiras. As formas passam a ser apenas a base de um esquema cromático.
  • 19. Cubismo As Meninas de Avignon – Picasso Fonte: http://pt.wahooart.com/Art.nsf/O/8XYNQ2/$File/Pablo- Picasso-The-girls-of-Avignon.JPG
  • 20. Cubismo Guernica – Picasso Fonte: http://www.seuhistory.com/files/10-09-guernica-de-picasso- volta-espanha-hoje-na-historia-history-channel.jpg
  • 21. Cubismo É uma corrente em que as figuras são decompostas em planos geométricos que representam vários campos de visão que se sobrepõem e confundem na superfície do quadro, valoriza o volume dos objetos, dispensando os elementos acessórios. O cubismo leva a novas técnicas de leitura e compreensão das obras. Mulher com uma guitarra – Georges Braque Fonte: http://www.meloteca.com/imagens/paintaings/braque_wmn-guitar.jpg
  • 22. RUPTURA E INOVAÇÃO CULTURAL Abstracionismo Composição VII – Kandinsky Fonte: http://virusdaarte.net/wp-content/uploads/2014/08/Kan12.png
  • 23. Abstracionismo Composição com vermelho, azul e amarelo – Piet Mondrian Fonte: http://www.theartstory.org/images20/works/mondrian_piet_4.jpg
  • 24. Abstracionismo Lonely Flower – Paul Klee Fonte: http://www.aworldtowin.net/msf/21stcenturyart/images/Klee%20Lonely%20Flower.jpg Corrente em que se deixam de representar figuras concretas (não-figurativa) passando a obra a ser uma combinação de linhas, de formas, de cores, abstraídas da realidade. As formas geométricas, as linhas e as cores adquirem um valor independente da realidade. As pinturas limitam-se a sugerir, quando muito, emoções ou estados de espírito..
  • 25. Futurismo Brut 300 TSF – Amadeo de Sousa Cardoso Fonte: http://www.jokerartgallery.com/fotos/pin/souza/Pintura_Brut%20300%20TSF_1 917.jpg Movimento artístico, influenciado pelo cubismo e pelo abstracionismo, que procura retratar a civilização industrial do futuro. O futurismo exalta como elementos fundamentais a velocidade, o movimento, as máquinas, em suma, pretende celebrar o dinamismo da vida moderna e do futuro..
  • 26. Surrealismo Persistência da Memória – Dali Fonte: http://www.infopedia.pt/apoio/recursos/53e3015.jpg Corrente influenciada pela psicanálise de Freud. Os surrealistas procuraram representar o surreal, o que está para além da realidade e do racional, ou seja, o mundo do inconsciente, que se manifesta nos sonhos e delírios, o mundo da imaginação e da alucinação.
  • 27. Surrealismo Falso espelho - René Magritte Fonte: http://pt.wahooart.com/Art.nsf/O/8XYU7V/$File/Rene-Magritte-The-false-mirror.JPG
  • 28. Escultura Formas únicas de continuidade no espaço – Umberto Boccioni Fonte: http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo1/construti vismo/cubismo/futurismo/boccioni/images/boccioni2.jpg Mademoiselle Pogany – Constantino Brancusi Fonte: http://static01.nyt.com/images/2009/08/08/nyregion/08branc usi.large1.jpg
  • 29. Escultura Torso – Alberto Giacometti Fonte: http://www.giacometti- stiftung.ch/images/Giacometti_To rse.jpg Muitas das correntes surgidas na pintura estendem-se a outras manifestações como a escultura e a arquitetura, como é o caso do expressionismo, do cubismo e do futurismo. Na escultura destacaram-se, nesta época, Brancusi, Umberto Boccioni e Alberto Giacometti.
  • 30. Arquitetura Gaudí aliou o seu gosto pelo gótico com algumas sugestões da Arte Nova, sendo muito original. Casa Millá – Gaudí Fonte: https://www.lapedrera.com/sites/default/files/Pedrera_visor1_22.jpg
  • 31. Arquitetura e Design Na arquitetura Gropius impôs o gosto pelas formas retilíneas e as superfícies planas, sem ornamentos e procurou tirar partido da luz e do jogo de diferentes materiais, como podemos observar no edifício da Bauhaus . A arquitetura da Bauhaus iniciou o funcionalismo. Edifício da Bauhaus – Walter Gropius Fonte: http://wikiarquitectura.com/es/images/thumb/8/8b/Bauhause_Dessau_9.jpg/ 420px-Bauhause_Dessau_9.jpg Cadeira Barcelona desenhada por Mies Van der Rohe Fonte: http://www.bestofbauhaus.com/Media/Shop/sessel_barcelona.jpg A “Escola de Chicago” nos EUA e a Bauhaus, na Europa impulsionaram o modernismo arquitetónico.
  • 32. Arquitetura Vivenda Sabóia – Le Corbusier Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/en/3/3c/VillaSavoye.jpg O funcionalismo defende que as formas arquitetónicas devem obedecer unicamente às exigências impostas pela função do edifício.
  • 33. Arquitetura Casa da Cascata – Frank Lloyd Wright Fonte: http://44arquitetura.com.br/wp-content/uploads/fallingwater.jpg F. L. Wright procurava inserir os edifícios na paisagem natural com formas geométricas – a arquitetura funcional orgânica.
  • 34. Novas correntes Literárias Fonte: https://upload.wikimedia.org/wiki pedia/commons/thumb/a/ab/Joy ceUlysses2.jpg/200px- JoyceUlysses2.jpg Fonte: http://lounge.obviousmag.org /o_arteiro/2013/07/03/jpg Fonte: http://mlb-s2- p.mlstatic.com/em-busca-do- tempo-perdido-7-o-tempo- redescoberto-proust-13826- MLB65421831_4463-O.jpg Fonte: http://images.portoeditora.pt/ge tresourcesservlet/image?EBbDj3 QnkSUjgBOkfaUbsI8xBp%2F033 q5Xpv56y8baM6t0EfuLmZk%2BJ jYSjKWsFRf&width=440 A literatura conheceu uma grande quantidade de movimentos inovadores, globalmente designados de modernismo. A criação literária caracteriza-se por uma procura interior do autor, por uma visão pessimista do mundo e por tentar intervir na sociedade, denunciando as injustiças. Fonte:https://clubedeleitura.files .wordpress.com/2012/04/as_vinh as_da_ira_1231102152p.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipe dia/commons/thumb/1/13/Romancer o_gitano.djvu/page3-2741px- Romancero_gitano.djvu.jpg
  • 35. O Modernismo Português Retrato de Fernando Pessoa – Almada Negreiros Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/d/d0/Almada_Negreiros,_Retrato_de_Fernando_P essoa,_1964.jpg Em Portugal, em 1915, um grupo de escritores e artistas veio revolucionar o meio cultural português com a publicação da revista Orpheu entre esses jovens destacam-se os poetas Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro, e o pintor, poeta e dramaturgo Almada Negreiros. Os escritores Raul Brandão (que dirigiu a revista Presença) e Aquilino Ribeiro destacam-se no romance. Fonte: https://upload.wikimedia.org /wikipedia/commons/thumb/ 0/05/Orpheu1915.jpg/300px -Orpheu1915.jpg Fonte: https://upload.wikimedia.org /wikipedia/commons/thumb/ 7/72/Presen%C3%A7a.jpg/2 20px-Presen%C3%A7a.jpg