SlideShare uma empresa Scribd logo
Eliseu e a sunamita
Introdução
Texto
2 Reis 4:8-17
8 Certo dia, passou Eliseu
por Suném, onde se
achava uma mulher rica,
a qual o constrangeu a
comer pão. Daí, todas as
vezes que passava por
lá, entrava para comer.
9 Ela disse a seu marido:
Vejo que este que passa
sempre por nós é santo
homem de Deus.
10 Façamos-lhe, pois, em
cima, um pequeno
quarto, obra de pedreiro,
e ponhamos-lhe nele
uma cama, uma mesa,
uma cadeira e um
candeeiro; quando ele
vier à nossa casa,
retirar-se -á para ali.
11 Um dia, vindo ele para
ali, retirou-se para o
quarto e se deitou.
12 Então, disse ao seu
moço Geazi: Chama esta
sunamita. Chamando -a
ele, ela se pôs diante do
profeta.
13 Este dissera ao seu
moço: Dize-lhe: Eis que tu
nos tens tratado com muita
abnegação; que se há de
fazer por ti? Haverá alguma
coisa de que se fale a teu
favor ao rei ou ao
comandante do exército?
Ela respondeu: Habito no
meio do meu povo.
14 Então, disse o profeta:
Que se há de fazer por
ela? Geazi respondeu:
Ora, ela não tem filho, e
seu marido é velho.
15 Disse Eliseu: Chama -a.
Chamando-a ele, ela se
pôs à porta.
16 Disse-lhe o profeta: Por
este tempo, daqui a um
ano, abraçarás um filho.
Ela disse: Não, meu
senhor, homem de Deus,
não mintas à tua serva.
17 Concebeu a mulher e
deu à luz um filho, no
tempo determinado,
quando fez um ano,
segundo Eliseu lhe
dissera.
Contexto
Após a morte de Salomão (932
a.C.), o Povo de Deus se dividiu
em dois reinos:
Os dois reinos viveram, a partir
de então, histórias separadas
e, quase sempre, antagônicas.
Israel (Norte) Judá (Sul)
O nosso texto situa-nos no reino
de Israel, em meados do séc. IX
a.C., durante o reinado de
Jorão (853-842 a.C.).
Uma época de sincretismo e
muita confusão religiosa.
As relações econômicas,
políticas e culturais que Israel
estabelece com outros países,
torna-o vulnerável às
influências religiosas
estrangeiras, favorecendo
assim a entrada de outras
religiões.
Eliseu é um profeta, discípulo de
Elias
(cf. 1 Re 19,16b.19-21).
Ele continua a obra do mestre,
lutando contra o sincretismo
religioso. Ele deseja que o seu
povo retome os caminhos da
fidelidade à aliança.
Eliseu é chamado, com muita
freqüência (29 vezes), de
“homem de Deus”
('ish Elohim).
Esse título designa-o como um
intérprete da Palavra do
SENHOR.
Alguém que prega com
autoridade e intrepidez.
Mensagem
Neste texto vemos a generosa
hospitalidade que Eliseu
encontra na casa desta mulher
sunamita.
A mulher não se limita a oferecer
a Eliseu uma refeição, sempre
que este passava por Suném,
nas suas idas e vindas ao
monte Carmelo.
Ela manda construir,
expressamente para o profeta,
um quarto no terraço da sua
casa e o mobília
adequadamente.
Mais que cumprir o mandamento
da hospitalidade, esta mulher
reconhece que Eliseu é
“homem de Deus”.
Homem a quem Deus usa para
realizar Sua missão no mundo.
Ajudando Eliseu, a sunamita se
compromete com a missão de
Deus.
Neste ato ela manifesta a sua
disponibilidade em colaborar
com a “Missão Divina”.
Por ter se comprometido com a
obra de Deus, recebeu uma
grande bênção...
... a maternidade.
Aplicação Pastoral
Dentre as várias lições
que podemos aprender
deste texto, gostaria de
destacar as seguintes:
Todos são chamados a colaborar
com a obra missionária.
Uns são chamados para “linha de
frente” (Eliseu), outros para
retaguarda (Mulher Sunamita).
1a lição
Um não é mais importante que o
outro.
Ainda que tenham diferenças na
forma de atuarem, os dois são
necessários.
O texto também nos ensina sobre
a generosidade com a obra de
Deus.
2a lição
Num mundo marcado pelo
consumismo e individualismo.
Mundo onde o que impera é a
Lei de Gerson: “Levar
vantagem em tudo”, este texto
nos desafia a investir com
generosidade na vida e obra
dos missionários.
O testemunho de Eliseu
convenceu a mulher.
3a lição
Ela reconheceu que aquele era
um “homem de Deus”
A mulher primeiro investiu na
obra, depois recebeu a sua
bênção.
4a lição
Não houve “barganha”.
Momento
de
Oração

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apocalipse
ApocalipseApocalipse
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidasSete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
E. M. Silva
 
Ativação ministerios
Ativação ministeriosAtivação ministerios
Ativação ministerios
Carlos Cirleno Neves
 
Profetas menores lição 4 - Amós
Profetas menores   lição 4 - AmósProfetas menores   lição 4 - Amós
Profetas menores lição 4 - Amós
Escola Bíblica Sem Fronteiras
 
A importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igrejaA importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igreja
Bruno Cesar Santos de Sousa
 
Livro de Joel
Livro de JoelLivro de Joel
Livro de Joel
Rogério Nunes
 
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e euLição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
mbrandao7
 
Lição 3 Hebreus
Lição 3   HebreusLição 3   Hebreus
Profetas maiores
Profetas maioresProfetas maiores
Profetas maiores
Silvio Fagundes
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
PIB Penha
 
2 Reis - Queda do Reino do Sul
2 Reis - Queda do Reino do Sul2 Reis - Queda do Reino do Sul
2 Reis - Queda do Reino do Sul
Amor pela EBD
 
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangueAula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
Andre Nascimento
 
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e euLição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Licao 11 3 t - 2018 - betel
Licao 11   3 t - 2018 - betelLicao 11   3 t - 2018 - betel
Licao 11 3 t - 2018 - betel
Éder Tomé
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
mbrandao7
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
Respirando Deus
 
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e euLição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
ellane_chaves
 

Mais procurados (20)

Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
SlideShare Lição 6, O Profeta Elias e Eliseu, seu Sucessor, 3Tr21, Pr Henriqu...
 
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidasSete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
Sete cartas de Jesus e suas mensagens esquecidas
 
Ativação ministerios
Ativação ministeriosAtivação ministerios
Ativação ministerios
 
Profetas menores lição 4 - Amós
Profetas menores   lição 4 - AmósProfetas menores   lição 4 - Amós
Profetas menores lição 4 - Amós
 
A importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igrejaA importância do estudo bíblico para a igreja
A importância do estudo bíblico para a igreja
 
Livro de Joel
Livro de JoelLivro de Joel
Livro de Joel
 
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e euLição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
Lição 4: Mulheres na Bíblia Abigail e eu
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
Lição 3 Hebreus
Lição 3   HebreusLição 3   Hebreus
Lição 3 Hebreus
 
Profetas maiores
Profetas maioresProfetas maiores
Profetas maiores
 
17 isaias
17  isaias17  isaias
17 isaias
 
2 Reis - Queda do Reino do Sul
2 Reis - Queda do Reino do Sul2 Reis - Queda do Reino do Sul
2 Reis - Queda do Reino do Sul
 
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangueAula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
Aula Jonatas 26: A mulher do fluxo de sangue
 
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e euLição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
Lição 5: Mulheres na Bíblia Miriã e eu
 
Licao 11 3 t - 2018 - betel
Licao 11   3 t - 2018 - betelLicao 11   3 t - 2018 - betel
Licao 11 3 t - 2018 - betel
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
Panorama do AT - Amós
Panorama do AT - AmósPanorama do AT - Amós
Panorama do AT - Amós
 
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e euLição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
Lição 14: Mulheres na Bíblia A Mulher Curada e eu
 
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
Aula: A Oração do Servo de Deus (Tia Jady)
 

Destaque

A Chave que Abre as Portas
A Chave que Abre as PortasA Chave que Abre as Portas
A Chave que Abre as Portas
Jucieudo Costa
 
Deus é Justo
Deus é JustoDeus é Justo
Deus é Justo
Rogério Nunes
 
Os milagres de Eliseu
Os milagres de EliseuOs milagres de Eliseu
Os milagres de Eliseu
Moisés Sampaio
 
Culto 4 leprosos
Culto 4 leprososCulto 4 leprosos
Culto 4 leprosos
Carla Machado
 
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão conversão dos olhos mãos e pés - atos 3 1-10 (sem texto)
Sermão   conversão dos olhos mãos e pés -  atos 3 1-10 (sem texto)Sermão   conversão dos olhos mãos e pés -  atos 3 1-10 (sem texto)
Sermão conversão dos olhos mãos e pés - atos 3 1-10 (sem texto)
Paulo Dias Nogueira
 
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Paulo Dias Nogueira
 
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjosSERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
Paulo Dias Nogueira
 
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjosSERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
Paulo Dias Nogueira
 
Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermãoSermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Paulo Dias Nogueira
 
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexãoJesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Paulo Dias Nogueira
 
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão   pedro - um homem em busca de compromissoSermão   pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33 Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Paulo Dias Nogueira
 

Destaque (20)

A Chave que Abre as Portas
A Chave que Abre as PortasA Chave que Abre as Portas
A Chave que Abre as Portas
 
Deus é Justo
Deus é JustoDeus é Justo
Deus é Justo
 
Os milagres de Eliseu
Os milagres de EliseuOs milagres de Eliseu
Os milagres de Eliseu
 
Culto 4 leprosos
Culto 4 leprososCulto 4 leprosos
Culto 4 leprosos
 
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
 
Sermão conversão dos olhos mãos e pés - atos 3 1-10 (sem texto)
Sermão   conversão dos olhos mãos e pés -  atos 3 1-10 (sem texto)Sermão   conversão dos olhos mãos e pés -  atos 3 1-10 (sem texto)
Sermão conversão dos olhos mãos e pés - atos 3 1-10 (sem texto)
 
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
 
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
 
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjosSERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
 
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjosSERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
 
Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015
 
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
 
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermãoSermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
 
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexãoJesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
 
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
 
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão   pedro - um homem em busca de compromissoSermão   pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
 
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
 
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33 Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
 

Mais de Paulo Dias Nogueira

Em Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraemEm Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraem
Paulo Dias Nogueira
 
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro - O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
Paulo Dias Nogueira
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Paulo Dias Nogueira
 
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa CristãLiturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Paulo Dias Nogueira
 
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAMPOV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
Paulo Dias Nogueira
 
Gaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarteGaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarte
Paulo Dias Nogueira
 
Gaivota 183
Gaivota 183Gaivota 183
Gaivota 183
Paulo Dias Nogueira
 
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Paulo Dias Nogueira
 
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermãoOuvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Paulo Dias Nogueira
 
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Pps 18   por que utilizamos o termo pastorPps 18   por que utilizamos o termo pastor
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Paulo Dias Nogueira
 
Apresentação ministério pastoral
Apresentação   ministério pastoralApresentação   ministério pastoral
Apresentação ministério pastoral
Paulo Dias Nogueira
 
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Paulo Dias Nogueira
 
História das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aulaHistória das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aula
Paulo Dias Nogueira
 
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasilUma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Paulo Dias Nogueira
 

Mais de Paulo Dias Nogueira (15)

Em Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraemEm Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraem
 
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro - O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
 
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa CristãLiturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
 
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAMPOV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
 
Gaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarteGaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarte
 
Gaivota 183
Gaivota 183Gaivota 183
Gaivota 183
 
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
 
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermãoOuvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
 
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Pps 18   por que utilizamos o termo pastorPps 18   por que utilizamos o termo pastor
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
 
Apresentação ministério pastoral
Apresentação   ministério pastoralApresentação   ministério pastoral
Apresentação ministério pastoral
 
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
 
História das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aulaHistória das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aula
 
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasilUma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
 

Sermão eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17

  • 1. Eliseu e a sunamita
  • 4. 8 Certo dia, passou Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher rica, a qual o constrangeu a comer pão. Daí, todas as vezes que passava por lá, entrava para comer.
  • 5. 9 Ela disse a seu marido: Vejo que este que passa sempre por nós é santo homem de Deus.
  • 6. 10 Façamos-lhe, pois, em cima, um pequeno quarto, obra de pedreiro, e ponhamos-lhe nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro; quando ele vier à nossa casa, retirar-se -á para ali.
  • 7. 11 Um dia, vindo ele para ali, retirou-se para o quarto e se deitou.
  • 8. 12 Então, disse ao seu moço Geazi: Chama esta sunamita. Chamando -a ele, ela se pôs diante do profeta.
  • 9. 13 Este dissera ao seu moço: Dize-lhe: Eis que tu nos tens tratado com muita abnegação; que se há de fazer por ti? Haverá alguma coisa de que se fale a teu favor ao rei ou ao comandante do exército? Ela respondeu: Habito no meio do meu povo.
  • 10. 14 Então, disse o profeta: Que se há de fazer por ela? Geazi respondeu: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho.
  • 11. 15 Disse Eliseu: Chama -a. Chamando-a ele, ela se pôs à porta.
  • 12. 16 Disse-lhe o profeta: Por este tempo, daqui a um ano, abraçarás um filho. Ela disse: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva.
  • 13. 17 Concebeu a mulher e deu à luz um filho, no tempo determinado, quando fez um ano, segundo Eliseu lhe dissera.
  • 15. Após a morte de Salomão (932 a.C.), o Povo de Deus se dividiu em dois reinos: Os dois reinos viveram, a partir de então, histórias separadas e, quase sempre, antagônicas. Israel (Norte) Judá (Sul)
  • 16. O nosso texto situa-nos no reino de Israel, em meados do séc. IX a.C., durante o reinado de Jorão (853-842 a.C.). Uma época de sincretismo e muita confusão religiosa.
  • 17. As relações econômicas, políticas e culturais que Israel estabelece com outros países, torna-o vulnerável às influências religiosas estrangeiras, favorecendo assim a entrada de outras religiões.
  • 18. Eliseu é um profeta, discípulo de Elias (cf. 1 Re 19,16b.19-21). Ele continua a obra do mestre, lutando contra o sincretismo religioso. Ele deseja que o seu povo retome os caminhos da fidelidade à aliança.
  • 19. Eliseu é chamado, com muita freqüência (29 vezes), de “homem de Deus” ('ish Elohim). Esse título designa-o como um intérprete da Palavra do SENHOR. Alguém que prega com autoridade e intrepidez.
  • 21. Neste texto vemos a generosa hospitalidade que Eliseu encontra na casa desta mulher sunamita.
  • 22. A mulher não se limita a oferecer a Eliseu uma refeição, sempre que este passava por Suném, nas suas idas e vindas ao monte Carmelo. Ela manda construir, expressamente para o profeta, um quarto no terraço da sua casa e o mobília adequadamente.
  • 23. Mais que cumprir o mandamento da hospitalidade, esta mulher reconhece que Eliseu é “homem de Deus”. Homem a quem Deus usa para realizar Sua missão no mundo.
  • 24. Ajudando Eliseu, a sunamita se compromete com a missão de Deus. Neste ato ela manifesta a sua disponibilidade em colaborar com a “Missão Divina”.
  • 25. Por ter se comprometido com a obra de Deus, recebeu uma grande bênção... ... a maternidade.
  • 27. Dentre as várias lições que podemos aprender deste texto, gostaria de destacar as seguintes:
  • 28. Todos são chamados a colaborar com a obra missionária. Uns são chamados para “linha de frente” (Eliseu), outros para retaguarda (Mulher Sunamita). 1a lição
  • 29. Um não é mais importante que o outro. Ainda que tenham diferenças na forma de atuarem, os dois são necessários.
  • 30. O texto também nos ensina sobre a generosidade com a obra de Deus. 2a lição
  • 31. Num mundo marcado pelo consumismo e individualismo. Mundo onde o que impera é a Lei de Gerson: “Levar vantagem em tudo”, este texto nos desafia a investir com generosidade na vida e obra dos missionários.
  • 32. O testemunho de Eliseu convenceu a mulher. 3a lição Ela reconheceu que aquele era um “homem de Deus”
  • 33. A mulher primeiro investiu na obra, depois recebeu a sua bênção. 4a lição Não houve “barganha”.