SlideShare uma empresa Scribd logo
Rev. Paulo Dias Nogueira
Sermão
TEXTO
ATOS 3.1-10
1. Pedro e João estavam subindo ao Templo
na hora da oração, a hora nona.
2. Estava sendo carregado para a porta do
Templo, chamada Formosa, um aleijado de
nascença que ali era colocado todos os dias
para pedir esmolas aos que entravam no
templo.
3. Vendo que Pedro e João estavam para
entrar pediu-lhes esmola.
4. Pedro e João olharam bem para ele, e
então Pedro disse: -Olhe para nós!
5. O homem olhou para eles, com atenção
esperando receber deles alguma coisa.
6. Disse Pedro: -Não tenho prata, nem ouro,
mas o que tenho isto lhe dou: em nome de
Jesus Cristo, o nazareno, ande.
7. Segurando-o pela mão direita ajudou-o a
levantar-se. Imediatamente os pés e os
tornozelos do homem ficaram firmes.
8. E de um salto, pôs se de pe e começou a
andar. Depois entrou com eles no pátio do
Templo, andando, saltando e louvando a
Deus.
9. Quando todo o povo o viu andando e
louvando a Deus.
10. Reconheceu ser ele o mesmo homem
que costumava mendigar sentado a porta
do Templo, chamada Formosa. Todos
ficaram perplexos e muito admirados com o
que lhe tinha acontecido.
A CURA DO COXO
Atos 3.1-10
Sermão   conversão dos olhos mãos e pés -  atos 3 1-10 (sem texto)
CONVERSÃO
OLHOS
MÃOS
PÉS
1 Pedro e João subiam
ao templo para a
oração da hora nona.
Homens piedosos...
Homens de oração.
Três horas da tarde...
Já haviam ido ao templo várias vezes e
naquele dia era a terceira vez.
2 Era levado um
homem, coxo de
nascença, o qual
punham diariamente à
porta do templo
chamada Formosa,
para pedir esmola aos
que entravam.O coxo poderia ficar apenas
na porta, não tinha direito
de entrar... Era impuro
segundo a Lei e a Teologia
da época.
Vivia à margem da sociedade,
por isso dependia de esmola
3 Vendo ele a Pedro
e João, que iam entrar
no templo, implorava
que lhe dessem uma
esmola.
Este verbo no original é um
ver sem enxergar.
O olhar o mendigo não era
para Pedro e João, mas
sim, para aquilo que eles
poderiam proporcionar.
OLHAR INTERESSEIRO.
Esta também era a maneira
que Pedro e João olhavam
para ele...
Olhar, sem enxergar.
4 Pedro, fitando-o,
juntamente com João,
disse: Olha para nós.
Este verbo é diferente... Ele
é um olhar
verdadeiramente... Olhar
para dentro... Um conhecer.
Por terem olhado com
profundidade para o coxo,
foi que eles tiveram ousadia
para convidá-lo a olhar para
eles... Não mais um olhar
interesseiro... Um olhar sem
enxergar, mas sim um ver
com profundidade... Um
enxergar o interior e ver
quem realmente eles eram.
5 Ele os olhava
atentamente,
esperando receber
alguma coisa.
No começo o coxo não entendeu a proposta de Pedro e
João, foi lhe necessário explicar.
A força do hábito... A lógica do mundo... A nossa educação...
Tudo isso pode dificultar nossa compreensão do verdadeiro
projeto de Deus... Nos restaurar completamente e não
apenas nos dar uma “ ESMOLA”.
6 Pedro, porém, lhe
disse: Não possuo nem
prata nem ouro, mas o
que tenho, isso te dou:
em nome de Jesus
Cristo, o Nazareno,
anda!
Pedro apresenta sua verdadeira identidade... Restaurar
vidas no poder de Jesus Cristo, o Nazareno.
7 E, tomando-o pela
mão direita, o levantou;
imediatamente, os
seus pés e tornozelos
se firmaram;
Mais do que discurso...
Houve ação... Atitude...
Conversão das mãos.
Estender das mãos de
quem quer ajudar...
Estender das mãos de
quem quer ser ajudado.
Em contra partida, os pés
que estavam estagnados...
Imobilizados...
Marginalizados... Se
converteram em pés que
caminham para dentro do
templo para louvar e
engrandecer a Deus.
8 de um salto se pôs
em pé, passou a andar
e entrou com eles no
templo, saltando e
louvando a Deus.
9 Viu-o todo o povo
a andar e a louvar a
Deus,
10 e reconheceram
ser ele o mesmo que
esmolava, assentado à
Porta Formosa do
templo; e se encheram
de admiração e
assombro por isso que
lhe acontecera.
APLICAÇÃO PASTORAL
Atos3.1-10
MOMENTO DE ORAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
Pastor Marcello Rocha
 
O filho de deus evangelho de João PARA CRIANÇAS
O filho de deus  evangelho de João PARA CRIANÇASO filho de deus  evangelho de João PARA CRIANÇAS
O filho de deus evangelho de João PARA CRIANÇAS
Marilene Rangel Rangel
 
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus EfeitosLição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
Éder Tomé
 
Discipulado Avançado III
Discipulado Avançado IIIDiscipulado Avançado III
Discipulado Avançado III
Roberto Trindade
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10
Paulo Dias Nogueira
 
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte IITreinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Ana Paula Baptista
 
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxSlides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdfApostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
JooAlbertoSoaresdaSi
 
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
A obra do espirito santo na igreja
A obra do espirito santo na igrejaA obra do espirito santo na igreja
A obra do espirito santo na igreja
Marconi Pacheco
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
Christian Lepelletier
 
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertidoDiscipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
Joary Jossué Carlesso
 
Projeto de Pequenos Grupos - IBS
Projeto de Pequenos Grupos - IBSProjeto de Pequenos Grupos - IBS
Projeto de Pequenos Grupos - IBS
Rodrigo Branco
 
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Igreja Evangélica Assembleia de Deus Celebrando o Rei
 
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
Joel Silva
 
1 l4 a caminho da maturidade
1 l4   a caminho da maturidade1 l4   a caminho da maturidade
1 l4 a caminho da maturidade
Claudinei Dias
 
Disciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética IDisciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética I
faculdadeteologica
 
Escala de professores 2014 primeiro trimestre
Escala de professores 2014 primeiro trimestreEscala de professores 2014 primeiro trimestre
Escala de professores 2014 primeiro trimestre
ebdcrispim
 
Curso de obreiro aprovado (final2020)
Curso de obreiro aprovado (final2020)Curso de obreiro aprovado (final2020)
Curso de obreiro aprovado (final2020)
Cristiano Jose Matias
 

Mais procurados (20)

Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
 
A oração muda as coisas r. c. sproul
A oração muda as coisas    r. c. sproulA oração muda as coisas    r. c. sproul
A oração muda as coisas r. c. sproul
 
O filho de deus evangelho de João PARA CRIANÇAS
O filho de deus  evangelho de João PARA CRIANÇASO filho de deus  evangelho de João PARA CRIANÇAS
O filho de deus evangelho de João PARA CRIANÇAS
 
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus EfeitosLição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
Lição 3 - A Cura do Coxo e seus Efeitos
 
Discipulado Avançado III
Discipulado Avançado IIIDiscipulado Avançado III
Discipulado Avançado III
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10
 
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte IITreinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
Treinamento de professores Escola Bíblica Dominical -parte II
 
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptxSlides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
Slides Lição 7, CPAD, A Desconstrução da Feminilidade Bíblica.pptx
 
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdfApostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
Apostila de Batismo - Igreja Batista da Lagoinha.pdf
 
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
HISTÓRIA DA IGREJA (AULA 02 - BÁSICO - IBADEP)
 
A obra do espirito santo na igreja
A obra do espirito santo na igrejaA obra do espirito santo na igreja
A obra do espirito santo na igreja
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
 
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertidoDiscipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
Discipulado de Cristo e o cuidado do novo convertido
 
Projeto de Pequenos Grupos - IBS
Projeto de Pequenos Grupos - IBSProjeto de Pequenos Grupos - IBS
Projeto de Pequenos Grupos - IBS
 
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Licao 1, O Avivamento Espiritual, 1Tr23, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
2023 2º Trimestre Adulto Lição 04.pptx
 
1 l4 a caminho da maturidade
1 l4   a caminho da maturidade1 l4   a caminho da maturidade
1 l4 a caminho da maturidade
 
Disciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética IDisciplina de Homilética I
Disciplina de Homilética I
 
Escala de professores 2014 primeiro trimestre
Escala de professores 2014 primeiro trimestreEscala de professores 2014 primeiro trimestre
Escala de professores 2014 primeiro trimestre
 
Curso de obreiro aprovado (final2020)
Curso de obreiro aprovado (final2020)Curso de obreiro aprovado (final2020)
Curso de obreiro aprovado (final2020)
 

Destaque

SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjosSERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
Paulo Dias Nogueira
 
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjosSERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
Paulo Dias Nogueira
 
Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015
Paulo Dias Nogueira
 
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermãoSermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Paulo Dias Nogueira
 
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexãoJesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Paulo Dias Nogueira
 
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão   pedro - um homem em busca de compromissoSermão   pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33 Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Paulo Dias Nogueira
 
Sermão eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
Sermão   eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17Sermão   eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
Sermão eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
Paulo Dias Nogueira
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Paulo Dias Nogueira
 
Gaivota 183
Gaivota 183Gaivota 183
Gaivota 183
Paulo Dias Nogueira
 
Ao povo metodista john wesley
Ao povo metodista   john wesleyAo povo metodista   john wesley
Ao povo metodista john wesley
Paulo Dias Nogueira
 
Ministério de wesley na savannah
Ministério de wesley na savannahMinistério de wesley na savannah
Ministério de wesley na savannah
Paulo Dias Nogueira
 
Expositor Cristão Abril de 2014
Expositor Cristão Abril de 2014Expositor Cristão Abril de 2014
Expositor Cristão Abril de 2014
Paulo Dias Nogueira
 

Destaque (20)

SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjosSERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
SERMÃO - Natal: as mensagens dos anjos
 
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)O senhor é meu pastor e hospedeiro   salmo 23 (2012)
O senhor é meu pastor e hospedeiro salmo 23 (2012)
 
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjosSERMÃO: Natal  - as mensagens dos anjos
SERMÃO: Natal - as mensagens dos anjos
 
Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015Apresentação do pov 2015
Apresentação do pov 2015
 
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016Boletim Mensageiro - 05 06 2016
Boletim Mensageiro - 05 06 2016
 
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)Sermão   o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
Sermão o senhor é meu pastor e hospedeiro - salmo 23 (2012)
 
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermãoSermão   ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
Sermão ouvir a deus ou aos homens - 2 cr 18 1-27 - sermão
 
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
Sermão - O maior Mandamento - Mt 22 34-40
 
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexãoJesus nos chama ao compromisso   lucas 14 25-33 - reflexão
Jesus nos chama ao compromisso lucas 14 25-33 - reflexão
 
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)Jesus o bom pastor   joão 10 11-18 (2012)
Jesus o bom pastor joão 10 11-18 (2012)
 
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão   pedro - um homem em busca de compromissoSermão   pedro - um homem em busca de compromisso
Sermão pedro - um homem em busca de compromisso
 
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)Sermão   jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
Sermão jesus o bom pastor - joão 10 11-18 (2012)
 
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33 Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
Sermão - Não Temais... Sou Eu - Mt 14:22-33
 
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexãoSermão   jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
Sermão jesus nos chama ao compromisso - lucas 14 25-33 - reflexão
 
Sermão eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
Sermão   eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17Sermão   eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
Sermão eliseu e a mulher sunamita - 2 reis 4 8-17
 
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemploPlano de Ação Pastoral - aula e exemplo
Plano de Ação Pastoral - aula e exemplo
 
Gaivota 183
Gaivota 183Gaivota 183
Gaivota 183
 
Ao povo metodista john wesley
Ao povo metodista   john wesleyAo povo metodista   john wesley
Ao povo metodista john wesley
 
Ministério de wesley na savannah
Ministério de wesley na savannahMinistério de wesley na savannah
Ministério de wesley na savannah
 
Expositor Cristão Abril de 2014
Expositor Cristão Abril de 2014Expositor Cristão Abril de 2014
Expositor Cristão Abril de 2014
 

Mais de Paulo Dias Nogueira

Em Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraemEm Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraem
Paulo Dias Nogueira
 
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro - O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
Paulo Dias Nogueira
 
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa CristãLiturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Paulo Dias Nogueira
 
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAMPOV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
Paulo Dias Nogueira
 
Gaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarteGaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarte
Paulo Dias Nogueira
 
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Paulo Dias Nogueira
 
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermãoOuvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Paulo Dias Nogueira
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Paulo Dias Nogueira
 
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Pps 18   por que utilizamos o termo pastorPps 18   por que utilizamos o termo pastor
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Paulo Dias Nogueira
 
Apresentação ministério pastoral
Apresentação   ministério pastoralApresentação   ministério pastoral
Apresentação ministério pastoral
Paulo Dias Nogueira
 
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Paulo Dias Nogueira
 
História das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aulaHistória das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aula
Paulo Dias Nogueira
 
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasilUma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Paulo Dias Nogueira
 

Mais de Paulo Dias Nogueira (13)

Em Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraemEm Jesus os opostos se atraem
Em Jesus os opostos se atraem
 
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro - O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
O Senhor é meu Pastor e Hospedeiro -
 
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa CristãLiturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
Liturgia - Da Páscoa Judaica à Páscoa Cristã
 
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAMPOV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
POV 2016 - Carta de orientação e ficha da CLAM
 
Gaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarteGaivota 183 encarte
Gaivota 183 encarte
 
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
Liturgia - da páscoa judaica à páscoa cristã - grupo de comunhão do campos el...
 
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermãoOuvir a deus ou aos homens   2 cr 18 1-27 - sermão
Ouvir a deus ou aos homens 2 cr 18 1-27 - sermão
 
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)Conversão dos olhos mãos e pés    atos 3 1-10 (sem texto)
Conversão dos olhos mãos e pés atos 3 1-10 (sem texto)
 
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
Pps 18   por que utilizamos o termo pastorPps 18   por que utilizamos o termo pastor
Pps 18 por que utilizamos o termo pastor
 
Apresentação ministério pastoral
Apresentação   ministério pastoralApresentação   ministério pastoral
Apresentação ministério pastoral
 
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015Carta de orientação e ficha da CLAM   POV 2015
Carta de orientação e ficha da CLAM POV 2015
 
História das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aulaHistória das Missões - ppt da aula
História das Missões - ppt da aula
 
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasilUma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
Uma breve análise da inserção do protestantismo no brasil
 

Sermão conversão dos olhos mãos e pés - atos 3 1-10 (sem texto)

  • 1. Rev. Paulo Dias Nogueira Sermão
  • 3. 1. Pedro e João estavam subindo ao Templo na hora da oração, a hora nona. 2. Estava sendo carregado para a porta do Templo, chamada Formosa, um aleijado de nascença que ali era colocado todos os dias para pedir esmolas aos que entravam no templo. 3. Vendo que Pedro e João estavam para entrar pediu-lhes esmola. 4. Pedro e João olharam bem para ele, e então Pedro disse: -Olhe para nós! 5. O homem olhou para eles, com atenção esperando receber deles alguma coisa. 6. Disse Pedro: -Não tenho prata, nem ouro, mas o que tenho isto lhe dou: em nome de Jesus Cristo, o nazareno, ande. 7. Segurando-o pela mão direita ajudou-o a levantar-se. Imediatamente os pés e os tornozelos do homem ficaram firmes. 8. E de um salto, pôs se de pe e começou a andar. Depois entrou com eles no pátio do Templo, andando, saltando e louvando a Deus. 9. Quando todo o povo o viu andando e louvando a Deus. 10. Reconheceu ser ele o mesmo homem que costumava mendigar sentado a porta do Templo, chamada Formosa. Todos ficaram perplexos e muito admirados com o que lhe tinha acontecido. A CURA DO COXO Atos 3.1-10
  • 6. 1 Pedro e João subiam ao templo para a oração da hora nona. Homens piedosos... Homens de oração. Três horas da tarde... Já haviam ido ao templo várias vezes e naquele dia era a terceira vez.
  • 7. 2 Era levado um homem, coxo de nascença, o qual punham diariamente à porta do templo chamada Formosa, para pedir esmola aos que entravam.O coxo poderia ficar apenas na porta, não tinha direito de entrar... Era impuro segundo a Lei e a Teologia da época. Vivia à margem da sociedade, por isso dependia de esmola
  • 8. 3 Vendo ele a Pedro e João, que iam entrar no templo, implorava que lhe dessem uma esmola. Este verbo no original é um ver sem enxergar. O olhar o mendigo não era para Pedro e João, mas sim, para aquilo que eles poderiam proporcionar. OLHAR INTERESSEIRO. Esta também era a maneira que Pedro e João olhavam para ele... Olhar, sem enxergar.
  • 9. 4 Pedro, fitando-o, juntamente com João, disse: Olha para nós. Este verbo é diferente... Ele é um olhar verdadeiramente... Olhar para dentro... Um conhecer. Por terem olhado com profundidade para o coxo, foi que eles tiveram ousadia para convidá-lo a olhar para eles... Não mais um olhar interesseiro... Um olhar sem enxergar, mas sim um ver com profundidade... Um enxergar o interior e ver quem realmente eles eram.
  • 10. 5 Ele os olhava atentamente, esperando receber alguma coisa. No começo o coxo não entendeu a proposta de Pedro e João, foi lhe necessário explicar. A força do hábito... A lógica do mundo... A nossa educação... Tudo isso pode dificultar nossa compreensão do verdadeiro projeto de Deus... Nos restaurar completamente e não apenas nos dar uma “ ESMOLA”.
  • 11. 6 Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! Pedro apresenta sua verdadeira identidade... Restaurar vidas no poder de Jesus Cristo, o Nazareno.
  • 12. 7 E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram; Mais do que discurso... Houve ação... Atitude... Conversão das mãos. Estender das mãos de quem quer ajudar... Estender das mãos de quem quer ser ajudado. Em contra partida, os pés que estavam estagnados... Imobilizados... Marginalizados... Se converteram em pés que caminham para dentro do templo para louvar e engrandecer a Deus.
  • 13. 8 de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus.
  • 14. 9 Viu-o todo o povo a andar e a louvar a Deus,
  • 15. 10 e reconheceram ser ele o mesmo que esmolava, assentado à Porta Formosa do templo; e se encheram de admiração e assombro por isso que lhe acontecera.