SlideShare uma empresa Scribd logo
9º Ano
  SÉCULO XIX NO BRASIL:
A MODERNIZAÇÃO DA ARTE


      Professora Elisa
          Herrera
                          1
Em meados do séc. XIX o Brasil passou por
um período de crescimento econômico,
estabilidade social e incentivo às letras ,
ciência e arte por parte do imperador
dom Pedro II.
A arte, entretanto, ainda refletia a
influência   da    escola    conservadora
europeia.                                     2
•A pintura acadêmica no Brasil
Desse período destacam-se, na pintura, as

obras dos brasileiros Pedro Américo, Vítor

Meireles e Almeida Junior, que estudaram

na Academia Imperial de Belas Artes.
                                             3
Pedro Américo de Figueiredo e Melo (1843-1905) nasceu na Paraíba,
foi para o Rio de Janeiro em 1854 e frequentou a Academia. De 1859 a
1864 estudou na Escola de Belas Artes de Paris. Pintou temas bíblicos e
históricos, alegorias e figuras humanas.
Pedro Américo foi a Europa na época em que começavam as primeiras
manifestações impressionistas, mas se manteve fiel à Academia: sua
pintura refletia a tradição da pintura de idealizar a realidade. Como era
um excelente desenhista, fez também caricaturas, criação que depende
bastante da capacidade de observação do artista. Nelas exagera-se com
a intenção de humor alguma característica do retratado. Seu prestigio
nesse campo lhe permitiu participar, em 1870 e 1871, de uma revista de
caricaturas chamada A Comédia social.                                 4
De sua obra destacam-
se “Rabequista árabe”,
é uma pintura muito
conhecida pelos
estudantes, esta obra
se encontra no Museu
Nacional de Belas
Artes, Rio de Janeiro.
Rabeca é um
instrumento musical,
seu nome foi usado
por muito tempo para
o que hoje chamamos
violino.                 5
.




“Independência ou morte”-1888- de Pedro Américo
     7,60 x 4,14 m. Museu Paulista, São Paulo
                                                  6
Pedro Américo e a
        caricatura
Esta imagem representa o
escritor José de Alencar (à
esquerda) e o diplomata
Visconde do Rio Branco (à
direita). Os dois estão com
uma das mãos em um
vespeiro; isso significa que, na
época, certamente eles se
envolveram em algum
assunto delicado para o
cenário político do pais.
A expressão “por a mão em
vespeiro” significa “envolver-
se em situação perigosa ou
delicada”.                         7
8
9
10
Retrato de
Candido de Almeida
      1888




                     11
Pedro II fala ao trono




                         12
13
Vitor Meireles de Lima (1832-1903), nasceu em
Santa Catarina e ainda muito jovem viajou para
o Rio de Janeiro onde se matriculou na
Academia. Visitou a França e a Itália e conheceu
melhor o trabalho dos pintores desses países.
Em Paris produziu sua obra mais famosa, A
primeira missa no Brasil, exibida com grande
sucesso no Salão de Paris.
                                               14
15
São João Batista
 no cárcere, 1852
Museu Nacional de
   Belas Artes.




                    16
A degolação de
São João Batista,
       1855
Tela realizada em
seu período como
    bolsista da
   Academia na
 Europa- Museu
 Victor Meirelles.




                     17
Juramento da Princesa Regente, 1871 -Museu Imperial.
                                                 18
Estudo para Panorama do Rio de Janeiro, c.
   1885. Museu Nacional de Belas Artes.      19
O combate naval do Riachuelo, 1882-83
     Museu Histórico Nacional.
                                        20
Batalha de Guararapes, 1879
Museu Nacional de Belas Artes.
                                 21
José Ferraz de Almeida Junior (1850-1899).
Considerado o mais brasileiro dos pintores do séc. XIX,
nasceu no interior de São Paulo. Em 1869 começou a
frequentar a Academia, no Rio de Janeiro, onde foi aluno
de Vitor Meireles. Viveu em Paris entre 1876 e 1882. de
volta ao Brasil, fez uma exposição no Rio de Janeiro e
retornou a sua cidade natal, Itú, onde produziu obras que
ficaram famosas como Saudades. Nesse quadro os
elementos que representam a simplicidade das pessoas e
das casas como são: o chapéu pendurado perto da janela;
                                                          22
A roupa da moça, as paredes e o piso da
casa. Os gestos da moça, com uma mão
segura papeis, talvez seja uma carta, que lê
atentamente, com a outra mão cobre o rosto
com um xale. Sua tristeza justifica o titulo do
quadro. Note-se ainda o jogo de luz utilizado
pelo artista, toda a claridade da cena parece
vir da janela da qual a moça está próxima.




                Saudades, 1899- 1.97 x 1.01
                Pinacoteca do Estado de São Paulo
                                                    23
Apóstolo São
 Paulo, 1869
 Igreja Matriz de
Nossa Senhora da
  Candelária,Itu




                    24
O Derrubador
Brasileiro, 1879

Museu Nacional
   de Belas
 Artes, Rio de
    Janeiro




                   25
Caipira
Picando Fumo,
    1893

Pinacoteca do
Estado de São
 Paulo, São
    Paulo



                26
O Violeiro, 1899
Pinacoteca do Estado, São Paulo   27
Leitura, 1892
Pinacoteca do Estado, São Paulo   28
Fuga para o
 Egito, 1881
Museu Nacional
de Belas Artes,
 Rio de Janeiro




                  29
Amolação
 Interrompida,
      1894
  Pinacoteca do
Estado, São Paulo



                    30
O academismo é
      superado
Belmiro Barbosa de Almeida
            e
     Benedito Calixto

                             31
Os artistas que frequentaram a Academia seguiram os
padrões trazidos pela Missão Artística Francesa: a beleza
perfeita é um conceito ideal; portanto não existe na
natureza . Assim, o artista não deve imitar a realidade,
mas tentar criar a beleza ideal por meio da imitação dos
clássicos, notadamente dos gregos, que mais se
aproximaram da perfeição criadora. Como as pinturas
originais gregas não foram encontradas, a referência de
perfeição artística é encontrada nas pinturas do
Renascimento, principalmente Rafael.
                                                      32
Os artistas da Academia seguiam, então, rígidos princípios
para o desenho, o uso das cores e a escolha dos temas –
mitológicos, religiosos e históricos.
Entretanto, os artistas brasileiros da segunda metade do
século XIX começaram a tomar outras direções. Essa
tendência se acentuou no final do século, com a influência
dos artistas que foram à Europa e conheceram o
Impressionismo e o Pontilhismo.Tal mudança já aparece
nas obras de Belmiro de Almeida e Benedito Calixto, mais
pode ser vista mais claramente na obra de Eliseu Visconti.
                                                        33
Belmiro Barbosa de Almeida (1858-1935)

Nasceu em Minas Gerais, também foi aluno da
Academia. Mais tarde foi estudar na Europa e
foi influenciado pelos pintores franceses. No
quadro Efeitos de sol podemos ver com clareza
essa influência.


                                                34
Observe nessa tela que não é
possível ver com nitidez a
paisagem e a moça que
caminha . Pois toda a cena
está tomada de sol.
Concluímos então, que o
artista conseguiu criar os
efeitos de claridade como
anuncia o título do quadro.
Observe que ele representou
a cena ao ar livre com efeitos
da luz natural,
evidentemente influenciado
pela pintura impressionista.     35
36
Benedito Calixto (1853-1927)
Nasceu no litoral de São Paulo. Provavelmente começou
seus estudos artísticos como autodidata. Em 1883 viajou
para Paris, onde estudou desenho e pintura. No ano
seguinte, voltou ao Brasil e foi morar no litoral. É assim
que podemos observar que suas obras retratam a
paisagem litorânea das cidades de Santos e São Vicente
e outras pinturas urbanas – no caso da cidade de São
Paulo. Também pintou retratos e temas históricos.
                                                             37
Inundação da Várzea do Carmo (1892)- 1,24 x 4 m –
  Museu Paulista de São Paulo – Benedito Calixto    38
Cubatão, 1826 – Benedito Calixto   39
Benedito Calixto -Proclamação da República, 1893




                                             40
•O Impressionismo chega ao Brasil:
Eliseu D´Ángelo Visconti (1866-1944) – são as
obras de Eliseu Viconti que definitivamente abrem
caminho da modernidade à arte brasileira. Foi
pintor, decorador e desenhista, ele não se
preocupa mais em seguir os renascentistas
italianos, busca sim, registrar os efeitos d luz solar
nos objetos e seres humanos que retrata em suas
telas.                                              41
Nascido na Itália, veio para o Brasil com menos de 1 ano
de idade. Em 1884 matriculou-se no Liceu de Artes e
Ofícios e no ano seguinte, na Academia onde estudou
até 1889. em 1892 viajou para Paris onde estudou na
Escola de Belas Artes e o curso de Arte Decorativa na
Escola Guérin. Durante sua permanência na França teve
contato com a obra dos Impressionistas. A influencia que
recebeu deles foi tão forte que é considerado o maior
representante dessa tendência na pintura brasileira,
como vemos em seu quadro Roupa estendida.
                                                      42
Voltou para o Brasil em 1900 e passou a realizar
diversos trabalhos: ensinou pintura histórica na
Escola Nacional de Belas Artes, criou imagens
para selos postais, pintou o pano de boca* do
Teatro Municipal do Rio de Janeiro.


*na linguagem teatral de hoje, é a cortina que
separa a plateia do palco.
                                                   43
Roupa estendida, Eliseu Visconti- 67 x 82 cm
       Coleção Agnaldo de Oliveira             44
PANO DE BOCA DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – “A INFLUÊNCIA DAS
ARTES SOBRE A CIVILIZAÇÃO” – 1908 - ÓLEO SOBRE TELA DE LONA – 12 m x 16 45
                                                                        m
46
Moça no trigal- Eliseu Visconti ( 1866-1944 ).
        Óleo sobre tela, 65 x 80 cm              47
A arquitetura
reflete a riqueza:
      O Ecletismo
           e
Art Nouveau (Arte Nova)
                      48
No final do séc. XIX a arquitetura
brasileira passou por mudanças
surgindo     duas     tendências
europeias: o Ecletismo e o Art
Nouveau ou Arte Nova.
                                     49
O Ecletismo: reunia estilos do passado,
principalmente os de finalidade decorativa.
Assim, alguns arquitetos mesclavam, num
mesmo edifício elementos greco-romanos,
góticos, renascentistas e mouriscos (refere-
se a elementos ligados aos mouros, antigo
povo árabe que habitou o norte da África).
                                             50
As casas dos mais ricos passaram a ser
ornamentadas com estuque (mistura de pó de
mármore, cal fina, gesso e areia, técnica usada
para   pintar    paredes),    também        foi   usado
platibandas     (grandes     vidraças   e     ferragens
importadas da França e da Bélgica). As cidades do
norte do país, ricas em borracha, desenvolveram
uma arquitetura requintada e de acordo com as
concepções ecléticas.                                51
Teatro Amazonas (Manaus) inaugurado em 1896, construído com
estruturas metálicas, mármores e decorado com cristais importados.
                                                               52
O Teatro Amazonas é
um teatro brasileiro
construído no centro
de Manaus, capital do
Amazonas, inaugurado
em 1896, é a expressão
mais significativa
da riqueza da região
durante o Ciclo da
Borracha, advinda
do látex da seringueira,
produto altamente
valorizado
pelas indústrias europeias
e americanas.
                             53
54
55
Mercado de Belém do Pará




                           56
Situado na região portuária de Belém, o mercado foi
     criado em 1688 com o nome de Ver o Peso.
                                                      57
O Mercado de Belém do Pará e as construções em volta
dele, sofreram diversas modificações ao longo do tempo.
No final do séc. XIX as mudanças se acentuaram porque
teve inicio o comercio da borracha da Amazônia para
atender as necessidades      da industria de pneus que
começaram a ser fabricados nos Estados Unidos e na
Europa. A riqueza promoveu novas mudanças na região: a
construção de um novo mercado com ferro trazido da
Inglaterra, construído conforme o estilo eclético.
                                                     58
O Art Nouveau ou(Arte Nova), no final do séc. XIX o
Ecletismo foi superado pelo Art Nouveau, desenvolvido
nos Estados Unidos e boa parte da Europa. É um estilo
que valoriza os elementos ornamentais e caracteriza-se
pelo uso de linhas curvas, semelhantes às linhas das
formas vegetais. Em São Paulo existe um exemplo
significativo da arquitetura Art Nouveau: a Vila
Penteado. Em 1948 passou a abrigar a Faculdade de
Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.
                                                     59
A construção foi projetada pelo arquiteto sueco
Carlos Ekman para ser a residência do Conde
Álvares Penteado.
Esse estilo persistiu por algum tempo até ser
superado, entre os anos 1920 e 1950, pelo
movimento Modernista e pela industrialização e
modernização da vida urbana.

                                              60
61
62
63
64
65
A Confeitaria Colombo, localizada no centro, do Rio de
Janeiro, fundada em 1894 pelos imigrantes
portugueses Joaquim Borges de Meireles e Manuel
José Lebrão, é hoje um dos pontos turísticos da cidade.




                                                   66
67
68
69
joias   Objetos decorativos




                              70
Linhas e formas vegetais na arte
                                   71
A fotografia
chega ao Brasil

                  72

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
Andrea Dressler
 
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Samara Coimbra
 
Op Art
Op ArtOp Art
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro  - Arte ConcretaConcretismo Brasileiro  - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Andrea Dressler
 
Pop art
Pop artPop art
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Cristiano Acosta
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
Cristiane Seibt
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
Arte Educadora
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
Raphael Lanzillotte
 
Grafite slides aula oitavas série
Grafite  slides aula oitavas sérieGrafite  slides aula oitavas série
Grafite slides aula oitavas série
cleorosa89
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
annaartes
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
Luciana Estivalet
 
Instalação Artística
Instalação ArtísticaInstalação Artística
Instalação Artística
Enzo Berger
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
CEF16
 
Concretismo e Neoconcretismo
Concretismo e NeoconcretismoConcretismo e Neoconcretismo
Concretismo e Neoconcretismo
Silmara Nogueira
 
Aula arte realista
Aula   arte realistaAula   arte realista
Aula arte realista
Abrahão Costa de Freitas
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
Maiara Giordani
 
Pop art trabalho
Pop art   trabalhoPop art   trabalho
Pop art trabalho
Mário Sérgio
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
Ana Paula Silva
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Inês Filipa
 

Mais procurados (20)

Movimento Cubismo
Movimento CubismoMovimento Cubismo
Movimento Cubismo
 
Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)Abstracionismo (Arte Abstrata)
Abstracionismo (Arte Abstrata)
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro  - Arte ConcretaConcretismo Brasileiro  - Arte Concreta
Concretismo Brasileiro - Arte Concreta
 
Pop art
Pop artPop art
Pop art
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
GRAFITE E INSTALAÇÃO
GRAFITE  E INSTALAÇÃOGRAFITE  E INSTALAÇÃO
GRAFITE E INSTALAÇÃO
 
Arte moderna brasileira
Arte moderna brasileiraArte moderna brasileira
Arte moderna brasileira
 
História da Arte: Realismo
História da Arte: RealismoHistória da Arte: Realismo
História da Arte: Realismo
 
Grafite slides aula oitavas série
Grafite  slides aula oitavas sérieGrafite  slides aula oitavas série
Grafite slides aula oitavas série
 
Arte contemporânea
Arte contemporâneaArte contemporânea
Arte contemporânea
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
 
Instalação Artística
Instalação ArtísticaInstalação Artística
Instalação Artística
 
Dadaísmo
DadaísmoDadaísmo
Dadaísmo
 
Concretismo e Neoconcretismo
Concretismo e NeoconcretismoConcretismo e Neoconcretismo
Concretismo e Neoconcretismo
 
Aula arte realista
Aula   arte realistaAula   arte realista
Aula arte realista
 
Arte - Realismo
Arte - RealismoArte - Realismo
Arte - Realismo
 
Pop art trabalho
Pop art   trabalhoPop art   trabalho
Pop art trabalho
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 

Semelhante a Século xix no brasil a modernização da arte

Século XIX no brasil (II)
Século XIX no brasil (II)Século XIX no brasil (II)
Século XIX no brasil (II)
Fabiana Alexandre
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
Walney M.F
 
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e RealismoAcademicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Andrea Dressler
 
Debret, jean baptiste
Debret, jean baptisteDebret, jean baptiste
Debret, jean baptiste
deniselugli2
 
Modernismo Modernismo
Modernismo   ModernismoModernismo   Modernismo
Modernismo Modernismo
Caroline Canales
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
Fabiana Alexandre
 
Semana de 22
Semana de 22Semana de 22
Semana de 22
Carlos Elson Cunha
 
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileiraA influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
Angeli Arte Educadora
 
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileiraA influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
Angeli Arte Educadora
 
Thiago de carvalho caique xavier
Thiago de carvalho   caique xavierThiago de carvalho   caique xavier
Thiago de carvalho caique xavier
centrodeensinoedisonlobao
 
Século xix no brasil (i)
Século xix no brasil (i)Século xix no brasil (i)
Século xix no brasil (i)
Fabiana Alexandre
 
Arte moderna principais artistas
Arte moderna   principais artistasArte moderna   principais artistas
Arte moderna principais artistas
Fátima Soares
 
missoartisticafrancesa.pptx
missoartisticafrancesa.pptxmissoartisticafrancesa.pptx
missoartisticafrancesa.pptx
LucimeireMello
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
infoeducp2
 
Artistas imp
Artistas impArtistas imp
Artistas imp
Andrea Cortelazzi
 
Artes (7)
Artes (7)Artes (7)
Dias, cícero
Dias, cíceroDias, cícero
Dias, cícero
deniselugli2
 
Vicente do rego monteiro
Vicente do rego monteiroVicente do rego monteiro
Vicente do rego monteiro
deniselugli2
 
Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2
CEF16
 
Seelinger, helios aristides
Seelinger, helios aristidesSeelinger, helios aristides
Seelinger, helios aristides
deniselugli2
 

Semelhante a Século xix no brasil a modernização da arte (20)

Século XIX no brasil (II)
Século XIX no brasil (II)Século XIX no brasil (II)
Século XIX no brasil (II)
 
Aula 3 ef - artes
Aula 3   ef - artesAula 3   ef - artes
Aula 3 ef - artes
 
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e RealismoAcademicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
Academicismo no Brasil: Romantismo e Realismo
 
Debret, jean baptiste
Debret, jean baptisteDebret, jean baptiste
Debret, jean baptiste
 
Modernismo Modernismo
Modernismo   ModernismoModernismo   Modernismo
Modernismo Modernismo
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Semana de 22
Semana de 22Semana de 22
Semana de 22
 
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileiraA influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
 
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileiraA influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
A influencia da missão artistica francesa na arte brasileira
 
Thiago de carvalho caique xavier
Thiago de carvalho   caique xavierThiago de carvalho   caique xavier
Thiago de carvalho caique xavier
 
Século xix no brasil (i)
Século xix no brasil (i)Século xix no brasil (i)
Século xix no brasil (i)
 
Arte moderna principais artistas
Arte moderna   principais artistasArte moderna   principais artistas
Arte moderna principais artistas
 
missoartisticafrancesa.pptx
missoartisticafrancesa.pptxmissoartisticafrancesa.pptx
missoartisticafrancesa.pptx
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Artistas imp
Artistas impArtistas imp
Artistas imp
 
Artes (7)
Artes (7)Artes (7)
Artes (7)
 
Dias, cícero
Dias, cíceroDias, cícero
Dias, cícero
 
Vicente do rego monteiro
Vicente do rego monteiroVicente do rego monteiro
Vicente do rego monteiro
 
Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2Modernismo brasileiro2
Modernismo brasileiro2
 
Seelinger, helios aristides
Seelinger, helios aristidesSeelinger, helios aristides
Seelinger, helios aristides
 

Mais de ArtesElisa

6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
ArtesElisa
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
ArtesElisa
 
6o. ano texto- arte na grécia -1-
6o. ano  texto- arte na grécia -1-6o. ano  texto- arte na grécia -1-
6o. ano texto- arte na grécia -1-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. ModernismoEnsino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
ArtesElisa
 
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreentexto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
ArtesElisa
 
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
ArtesElisa
 
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic  performance- textoEnsino Médio- Marina abramovic  performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
ArtesElisa
 
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- zEnsino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
ArtesElisa
 
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
ArtesElisa
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
ArtesElisa
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
ArtesElisa
 
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
ArtesElisa
 
Ensino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismoEnsino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismo
ArtesElisa
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
ArtesElisa
 
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
ArtesElisa
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
ArtesElisa
 
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
ArtesElisa
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romana
ArtesElisa
 
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
ArtesElisa
 

Mais de ArtesElisa (20)

6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...6o. ano  -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
6o. ano -A Arte no Egito- do livro Descobrindo a História da Arte de Graça P...
 
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-6o. ano  texto -Arte na Grécia- 2-
6o. ano texto -Arte na Grécia- 2-
 
6o. ano texto- arte na grécia -1-
6o. ano  texto- arte na grécia -1-6o. ano  texto- arte na grécia -1-
6o. ano texto- arte na grécia -1-
 
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. ModernismoEnsino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
Ensino Médio- Academimismo v ersus. Modernismo
 
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreentexto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
texto Ensino Médio- Gravura, litografia, xilogravura, serigrafia ou silkscreen
 
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea Ensino Médio-   As muitas linguagens da arte contemporânea
Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic  performance- textoEnsino Médio- Marina abramovic  performance- texto
Ensino Médio- Marina abramovic performance- texto
 
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- zEnsino Médio -3  pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
Ensino Médio -3 pop arte -roy lichtentein-antonio dias-rubens gerchman- z
 
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-Ensino Médio -  pop art-   andy warhol -     -23 slides-
Ensino Médio - pop art- andy warhol - -23 slides-
 
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
Ensino Médio- A segunda metade do século XX - (3o. bimestre)
 
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...Ensino médio  1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
Ensino médio 1o. bimestre- a arte da primeira metade do século xx-expression...
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
 
Ensino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismoEnsino Médio- A arte do cubismo
Ensino Médio- A arte do cubismo
 
7o. ano renascimento na itália
7o. ano  renascimento na itália7o. ano  renascimento na itália
7o. ano renascimento na itália
 
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea 2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
2- Ensino Médio- As muitas linguagens da arte contemporânea
 
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio  dadaísmo marcel duchampEnsino médio  dadaísmo marcel duchamp
Ensino médio dadaísmo marcel duchamp
 
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo8o. ano  século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
8o. ano século xix na europa- as inovações na arte- neoclassicismo
 
6o. ano a arte romana
6o. ano   a arte romana6o. ano   a arte romana
6o. ano a arte romana
 
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos
7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Século xix no brasil a modernização da arte

  • 1. 9º Ano SÉCULO XIX NO BRASIL: A MODERNIZAÇÃO DA ARTE Professora Elisa Herrera 1
  • 2. Em meados do séc. XIX o Brasil passou por um período de crescimento econômico, estabilidade social e incentivo às letras , ciência e arte por parte do imperador dom Pedro II. A arte, entretanto, ainda refletia a influência da escola conservadora europeia. 2
  • 3. •A pintura acadêmica no Brasil Desse período destacam-se, na pintura, as obras dos brasileiros Pedro Américo, Vítor Meireles e Almeida Junior, que estudaram na Academia Imperial de Belas Artes. 3
  • 4. Pedro Américo de Figueiredo e Melo (1843-1905) nasceu na Paraíba, foi para o Rio de Janeiro em 1854 e frequentou a Academia. De 1859 a 1864 estudou na Escola de Belas Artes de Paris. Pintou temas bíblicos e históricos, alegorias e figuras humanas. Pedro Américo foi a Europa na época em que começavam as primeiras manifestações impressionistas, mas se manteve fiel à Academia: sua pintura refletia a tradição da pintura de idealizar a realidade. Como era um excelente desenhista, fez também caricaturas, criação que depende bastante da capacidade de observação do artista. Nelas exagera-se com a intenção de humor alguma característica do retratado. Seu prestigio nesse campo lhe permitiu participar, em 1870 e 1871, de uma revista de caricaturas chamada A Comédia social. 4
  • 5. De sua obra destacam- se “Rabequista árabe”, é uma pintura muito conhecida pelos estudantes, esta obra se encontra no Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro. Rabeca é um instrumento musical, seu nome foi usado por muito tempo para o que hoje chamamos violino. 5
  • 6. . “Independência ou morte”-1888- de Pedro Américo 7,60 x 4,14 m. Museu Paulista, São Paulo 6
  • 7. Pedro Américo e a caricatura Esta imagem representa o escritor José de Alencar (à esquerda) e o diplomata Visconde do Rio Branco (à direita). Os dois estão com uma das mãos em um vespeiro; isso significa que, na época, certamente eles se envolveram em algum assunto delicado para o cenário político do pais. A expressão “por a mão em vespeiro” significa “envolver- se em situação perigosa ou delicada”. 7
  • 8. 8
  • 9. 9
  • 10. 10
  • 11. Retrato de Candido de Almeida 1888 11
  • 12. Pedro II fala ao trono 12
  • 13. 13
  • 14. Vitor Meireles de Lima (1832-1903), nasceu em Santa Catarina e ainda muito jovem viajou para o Rio de Janeiro onde se matriculou na Academia. Visitou a França e a Itália e conheceu melhor o trabalho dos pintores desses países. Em Paris produziu sua obra mais famosa, A primeira missa no Brasil, exibida com grande sucesso no Salão de Paris. 14
  • 15. 15
  • 16. São João Batista no cárcere, 1852 Museu Nacional de Belas Artes. 16
  • 17. A degolação de São João Batista, 1855 Tela realizada em seu período como bolsista da Academia na Europa- Museu Victor Meirelles. 17
  • 18. Juramento da Princesa Regente, 1871 -Museu Imperial. 18
  • 19. Estudo para Panorama do Rio de Janeiro, c. 1885. Museu Nacional de Belas Artes. 19
  • 20. O combate naval do Riachuelo, 1882-83 Museu Histórico Nacional. 20
  • 21. Batalha de Guararapes, 1879 Museu Nacional de Belas Artes. 21
  • 22. José Ferraz de Almeida Junior (1850-1899). Considerado o mais brasileiro dos pintores do séc. XIX, nasceu no interior de São Paulo. Em 1869 começou a frequentar a Academia, no Rio de Janeiro, onde foi aluno de Vitor Meireles. Viveu em Paris entre 1876 e 1882. de volta ao Brasil, fez uma exposição no Rio de Janeiro e retornou a sua cidade natal, Itú, onde produziu obras que ficaram famosas como Saudades. Nesse quadro os elementos que representam a simplicidade das pessoas e das casas como são: o chapéu pendurado perto da janela; 22
  • 23. A roupa da moça, as paredes e o piso da casa. Os gestos da moça, com uma mão segura papeis, talvez seja uma carta, que lê atentamente, com a outra mão cobre o rosto com um xale. Sua tristeza justifica o titulo do quadro. Note-se ainda o jogo de luz utilizado pelo artista, toda a claridade da cena parece vir da janela da qual a moça está próxima. Saudades, 1899- 1.97 x 1.01 Pinacoteca do Estado de São Paulo 23
  • 24. Apóstolo São Paulo, 1869 Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária,Itu 24
  • 25. O Derrubador Brasileiro, 1879 Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro 25
  • 26. Caipira Picando Fumo, 1893 Pinacoteca do Estado de São Paulo, São Paulo 26
  • 27. O Violeiro, 1899 Pinacoteca do Estado, São Paulo 27
  • 28. Leitura, 1892 Pinacoteca do Estado, São Paulo 28
  • 29. Fuga para o Egito, 1881 Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro 29
  • 30. Amolação Interrompida, 1894 Pinacoteca do Estado, São Paulo 30
  • 31. O academismo é superado Belmiro Barbosa de Almeida e Benedito Calixto 31
  • 32. Os artistas que frequentaram a Academia seguiram os padrões trazidos pela Missão Artística Francesa: a beleza perfeita é um conceito ideal; portanto não existe na natureza . Assim, o artista não deve imitar a realidade, mas tentar criar a beleza ideal por meio da imitação dos clássicos, notadamente dos gregos, que mais se aproximaram da perfeição criadora. Como as pinturas originais gregas não foram encontradas, a referência de perfeição artística é encontrada nas pinturas do Renascimento, principalmente Rafael. 32
  • 33. Os artistas da Academia seguiam, então, rígidos princípios para o desenho, o uso das cores e a escolha dos temas – mitológicos, religiosos e históricos. Entretanto, os artistas brasileiros da segunda metade do século XIX começaram a tomar outras direções. Essa tendência se acentuou no final do século, com a influência dos artistas que foram à Europa e conheceram o Impressionismo e o Pontilhismo.Tal mudança já aparece nas obras de Belmiro de Almeida e Benedito Calixto, mais pode ser vista mais claramente na obra de Eliseu Visconti. 33
  • 34. Belmiro Barbosa de Almeida (1858-1935) Nasceu em Minas Gerais, também foi aluno da Academia. Mais tarde foi estudar na Europa e foi influenciado pelos pintores franceses. No quadro Efeitos de sol podemos ver com clareza essa influência. 34
  • 35. Observe nessa tela que não é possível ver com nitidez a paisagem e a moça que caminha . Pois toda a cena está tomada de sol. Concluímos então, que o artista conseguiu criar os efeitos de claridade como anuncia o título do quadro. Observe que ele representou a cena ao ar livre com efeitos da luz natural, evidentemente influenciado pela pintura impressionista. 35
  • 36. 36
  • 37. Benedito Calixto (1853-1927) Nasceu no litoral de São Paulo. Provavelmente começou seus estudos artísticos como autodidata. Em 1883 viajou para Paris, onde estudou desenho e pintura. No ano seguinte, voltou ao Brasil e foi morar no litoral. É assim que podemos observar que suas obras retratam a paisagem litorânea das cidades de Santos e São Vicente e outras pinturas urbanas – no caso da cidade de São Paulo. Também pintou retratos e temas históricos. 37
  • 38. Inundação da Várzea do Carmo (1892)- 1,24 x 4 m – Museu Paulista de São Paulo – Benedito Calixto 38
  • 39. Cubatão, 1826 – Benedito Calixto 39
  • 40. Benedito Calixto -Proclamação da República, 1893 40
  • 41. •O Impressionismo chega ao Brasil: Eliseu D´Ángelo Visconti (1866-1944) – são as obras de Eliseu Viconti que definitivamente abrem caminho da modernidade à arte brasileira. Foi pintor, decorador e desenhista, ele não se preocupa mais em seguir os renascentistas italianos, busca sim, registrar os efeitos d luz solar nos objetos e seres humanos que retrata em suas telas. 41
  • 42. Nascido na Itália, veio para o Brasil com menos de 1 ano de idade. Em 1884 matriculou-se no Liceu de Artes e Ofícios e no ano seguinte, na Academia onde estudou até 1889. em 1892 viajou para Paris onde estudou na Escola de Belas Artes e o curso de Arte Decorativa na Escola Guérin. Durante sua permanência na França teve contato com a obra dos Impressionistas. A influencia que recebeu deles foi tão forte que é considerado o maior representante dessa tendência na pintura brasileira, como vemos em seu quadro Roupa estendida. 42
  • 43. Voltou para o Brasil em 1900 e passou a realizar diversos trabalhos: ensinou pintura histórica na Escola Nacional de Belas Artes, criou imagens para selos postais, pintou o pano de boca* do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. *na linguagem teatral de hoje, é a cortina que separa a plateia do palco. 43
  • 44. Roupa estendida, Eliseu Visconti- 67 x 82 cm Coleção Agnaldo de Oliveira 44
  • 45. PANO DE BOCA DO THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO – “A INFLUÊNCIA DAS ARTES SOBRE A CIVILIZAÇÃO” – 1908 - ÓLEO SOBRE TELA DE LONA – 12 m x 16 45 m
  • 46. 46
  • 47. Moça no trigal- Eliseu Visconti ( 1866-1944 ). Óleo sobre tela, 65 x 80 cm 47
  • 48. A arquitetura reflete a riqueza: O Ecletismo e Art Nouveau (Arte Nova) 48
  • 49. No final do séc. XIX a arquitetura brasileira passou por mudanças surgindo duas tendências europeias: o Ecletismo e o Art Nouveau ou Arte Nova. 49
  • 50. O Ecletismo: reunia estilos do passado, principalmente os de finalidade decorativa. Assim, alguns arquitetos mesclavam, num mesmo edifício elementos greco-romanos, góticos, renascentistas e mouriscos (refere- se a elementos ligados aos mouros, antigo povo árabe que habitou o norte da África). 50
  • 51. As casas dos mais ricos passaram a ser ornamentadas com estuque (mistura de pó de mármore, cal fina, gesso e areia, técnica usada para pintar paredes), também foi usado platibandas (grandes vidraças e ferragens importadas da França e da Bélgica). As cidades do norte do país, ricas em borracha, desenvolveram uma arquitetura requintada e de acordo com as concepções ecléticas. 51
  • 52. Teatro Amazonas (Manaus) inaugurado em 1896, construído com estruturas metálicas, mármores e decorado com cristais importados. 52
  • 53. O Teatro Amazonas é um teatro brasileiro construído no centro de Manaus, capital do Amazonas, inaugurado em 1896, é a expressão mais significativa da riqueza da região durante o Ciclo da Borracha, advinda do látex da seringueira, produto altamente valorizado pelas indústrias europeias e americanas. 53
  • 54. 54
  • 55. 55
  • 56. Mercado de Belém do Pará 56
  • 57. Situado na região portuária de Belém, o mercado foi criado em 1688 com o nome de Ver o Peso. 57
  • 58. O Mercado de Belém do Pará e as construções em volta dele, sofreram diversas modificações ao longo do tempo. No final do séc. XIX as mudanças se acentuaram porque teve inicio o comercio da borracha da Amazônia para atender as necessidades da industria de pneus que começaram a ser fabricados nos Estados Unidos e na Europa. A riqueza promoveu novas mudanças na região: a construção de um novo mercado com ferro trazido da Inglaterra, construído conforme o estilo eclético. 58
  • 59. O Art Nouveau ou(Arte Nova), no final do séc. XIX o Ecletismo foi superado pelo Art Nouveau, desenvolvido nos Estados Unidos e boa parte da Europa. É um estilo que valoriza os elementos ornamentais e caracteriza-se pelo uso de linhas curvas, semelhantes às linhas das formas vegetais. Em São Paulo existe um exemplo significativo da arquitetura Art Nouveau: a Vila Penteado. Em 1948 passou a abrigar a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. 59
  • 60. A construção foi projetada pelo arquiteto sueco Carlos Ekman para ser a residência do Conde Álvares Penteado. Esse estilo persistiu por algum tempo até ser superado, entre os anos 1920 e 1950, pelo movimento Modernista e pela industrialização e modernização da vida urbana. 60
  • 61. 61
  • 62. 62
  • 63. 63
  • 64. 64
  • 65. 65
  • 66. A Confeitaria Colombo, localizada no centro, do Rio de Janeiro, fundada em 1894 pelos imigrantes portugueses Joaquim Borges de Meireles e Manuel José Lebrão, é hoje um dos pontos turísticos da cidade. 66
  • 67. 67
  • 68. 68
  • 69. 69
  • 70. joias Objetos decorativos 70
  • 71. Linhas e formas vegetais na arte 71