Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.

3.230 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
185
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
91
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.

  1. 1.  Mudança da família real para o Brasil D. João VI e sua comitiva desembarcou no Brasil em 1808 na cidade de Salvador (BA) Em 1816 chega ao Brasil a Missão Artística Francesa Organizou a Escola Real das Ciências, Artes e Ofícios em 1826 transformada na Academia Imperial de Belas Artes.
  2. 2.  Joachin Lebreton (líder) Nicolas Antoine Taunay Jean Baptiste Debret Auguste Henri Victor Grandjean de Montigny
  3. 3. Taunay (1755-1830), pintor cenas de batalhas napoleônicas, paisagens do Rio de Janeiro e regiões próximas Sala de BilharÓleo sobre tela de Taunay para estudo dodesembarque de D. Leopoldina no Brasil
  4. 4.  Debret (1768-1948) "a alma da Missão Francesa". Temas históricos. Foi professor de Pintura Histórica na Academia Imperial de Belas Artes
  5. 5.  A Missão Francesa adotou o estilo neoclássico Destacou-se o arquiteto Grandjean de Montigny (1772-1850) José Maria Jacinto Rebelo aluno de Montigny
  6. 6.  Solar Grandjean de Montigny – fachada anterior e posterior
  7. 7. Museu Imperial em Petrópolis - RJ Projeto de José Maria Jacinto Rebelo
  8. 8. Santa Casa de Misericórdia RJPalácio Itamaraty – RJ Palácio de Cristal em Petrópolis Projeto de José Maria Jacinto Rebelo
  9. 9.  Manuel de Araújo Porto Alegre (1806-1879), pintor paisagista, desenhista, cartunista, professor de pintura, crítico de arte, poeta, escritor e teatrólogo. Tornou-se diretor da Academia. August Muller, alemão, (1815-1878) pinturas históricas, retratos e paisagens Agostinho José da Mota (1824-1878), pintor de paisagens e da natureza morta, primeiro artista brasileiro premiado com uma viagem a Europa, em 1850.
  10. 10.  Atraídos pela luminosidade dos trópicos e pela burguesia rica. Thomas Ender (1793-1875) chegou ao Brasil em 1817 com a comitiva da princesa Leopoldina, retratou paisagens e cenas do cotidiano de São Paulo e Rio Janeiro, desenhos e aquarelas, expostos no Museu Brasileiro de Viena. Johann Mortiz Rugendas, alemão(1802-1868) desenhista, documentarista da expedição científica que o Barão Langsdorf organizou pelo interior do Brasil, deixou o livro Viagem pitoresca através do Brasil.
  11. 11.  Deixou registros da fauna, da flora,, dos costumes brasileiros. 1. A Flora 2. Aldeia dos Tapuios 3. Mercado de escravos
  12. 12. Thomas Ender, Igreja e Seminário Lapa, SãoPaulo
  13. 13. Rugendas, Navio Negreiro
  14. 14. Retrato da Baronesa de Vassouras, MuseuImperial, de August Muller
  15. 15.  Absorvendo estéticas românticas, realistas e simbolistas. Liberdade de imitar a realidade, mas recriar a beleza idealizada. Todo acontecimento, histórico ou não, deveria ser expresso de forma grandiosa e épica. Os principais artistas acadêmicos são: Pedro Américo de Figueiredo e Melo "O Grito do Ipiranga". Vítor Meireles de Lima "A Primeira Missa no Brasil“ "Moema", temas preferidos históricos, os bíblicos e os retratos.
  16. 16.  José Ferraz de Almeida Júnior é considerado por alguns críticos o mais brasileiro dos pintores nacionais do século 19. Retrata temas históricos, religiosos e regionalistas. “Caipira Picando Fumo", "O Violeiro" e "Leitura".

×