SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 1
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL No 1
PETROBRAS/PSP
RH 2018.1 DE 07/02/2018
Resolução da prova
ENGENHEIRO(A) DE PETRÓLEO JÚNIOR
Professor: Victor Augusto Sousa e Silva
Disciplina: Termodinâmica e transferência de calor
Q47. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Um bloco plano de espessura ΔL0 é composto por um material
homogêneo e isotrópico. Se a diferença de temperatura entre duas
superfícies paralelas do bloco é ΔT0, tem-se um fluxo de calor entre essas
superfícies dado por Q’0.
Se o material que forma o bloco for substituído por outro com as
mesmas dimensões, mas com apenas 40% de sua condutividade térmica, ao
observar-se o mesmo fluxo de calor, a nova diferença de temperatura entre
as superfícies do bloco será
(A) 0,4 ΔT0
(B) 0,6 ΔT0
(C) 1,0 ΔT0
(D) 1,4 ΔT0
(E) 2,5 ΔT0
Resolução:
A taxa de calor conduzido em uma placa plana é:
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑, 𝑝𝑙𝑎𝑐𝑎 = 𝑘 𝐴
(𝑇1 − 𝑇2)
𝐿
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 2
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
Vamos então escrever essa expressão para as condições do primeiro
bloco descrito:
𝑄0
′
= 𝑘 𝐴
∆𝑇0
∆𝐿0
Para o novo bloco:
𝑄1
′
= (0,4𝑘) 𝐴
∆𝑇1
∆𝐿0
Como o fluxo de calor observado é o mesmo (𝑄0
′
= 𝑄1
′
):
(0,4𝑘) 𝐴
∆𝑇1
∆𝐿0
= 𝑘 𝐴
∆𝑇0
∆𝐿0
O bloco tem as mesmas dimensões, por isso a área e o comprimento
são iguais:
0,4 ∆𝑇1 = ∆𝑇0
∆𝑇1 = 2,5 ∆𝑇0
GABARITO: E
Q48. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Ao colocarmos 100 mL de água quente à temperatura 2T0 Celsius em
100 mL de água fria, observamos que, após algum tempo, a mistura atinge
a temperatura de equilíbrio 3T0/2 Celsius.
Se colocarmos os mesmos 100 ml de água quente no dobro da
quantidade de água fria, a nova temperatura de equilíbrio será?
(A) T0/2
(B) T0
(C) 5T0/4
(D) 7T0/4
(E) 2T0
Resolução:
Trata-se de um problema de equilíbrio térmico. Podemos usar o
primeiro caso relatado para calcular a temperatura inicial da água fria,
sabendo que o calor fornecido pela água quente é o absorvido pela água fria:
𝑄1 + 𝑄2 = 0
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 3
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
𝑚1 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇1 = − 𝑚2 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇2
Podemos considerar a densidade igual para a água nas duas
temperaturas (𝜌 = 1 𝑔/𝑚𝐿). Logo:
100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (
3
2
𝑇0 − 2𝑇0) = −100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (
3
2
𝑇0 − 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎)
3
2
𝑇0 − 2𝑇0 = −
3
2
𝑇0 + 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎
𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎 = 3𝑇0 − 2𝑇0
𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎 = 𝑇0
Agora podemos determinar a temperatura de equilíbrio quando
usarmos o dobro de água fria no processo:
𝑚1 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇1 = − 𝑚2 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇2
100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (𝑇𝑒𝑞 − 2𝑇0) = −200 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (𝑇𝑒𝑞 − 𝑇0)
𝑇𝑒𝑞 − 2𝑇0 = −2 𝑇𝑒𝑞 + 2𝑇0
𝑇𝑒𝑞 =
4
3
𝑇0
Como não constava essa alternativa na prova, a questão foi anulada.
GABARITO: ANULADA
Q49. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Um motor, quando não está devidamente lubrificado, possui um
rendimento η =1/3, liberando uma certa quantidade de calor Q0 quando em
funcionamento. Quando corretamente lubrificado, seu rendimento aumenta
em 30%.
Nessas condições, a nova quantidade de calor liberada pelo motor será
(A) 1,7Q0/2
(B) 2,1Q0/2
(C) 2,3Q0/2
(D) 3,3Q0/2
(E) 3,9Q0/2
Resolução:
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 4
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
A eficiência térmica da máquina é definida como a razão entre o
trabalho líquido produzido e o calor absorvido. Logo:
𝜂 ≡
|𝑊|
|𝑄 𝑄|
=
|𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹|
|𝑄 𝑄|
= 1 −
|𝑄 𝐹|
|𝑄 𝑄|
O calor liberado na fonte fria (𝑄 𝐹) é o calor Q0 mencionado no
enunciado. Para uma eficiência de 1/3, temos:
𝜂 𝑛ã𝑜 𝑙𝑢𝑏𝑟𝑖𝑓𝑖𝑐𝑎𝑑𝑜 = 1 −
𝑄0
𝑄 𝑄
1
3
= 1 −
𝑄0
𝑄 𝑄
𝑄0 =
2
3
𝑄 𝑄
Ou seja, dois terços da energia fornecida (𝑄 𝑄) sob a forma de calor é
“desperdiçada”.
Se a eficiência aumenta em 30%, teremos uma nova quantidade de
calor Q1 sendo liberada:
𝜂𝑙𝑢𝑏𝑟𝑖𝑓𝑖𝑐𝑎𝑑𝑜 = (1 −
𝑄1
𝑄 𝑄
)
1
3
∗ 1,30 = (1 −
𝑄1
𝑄 𝑄
)
𝑄1
𝑄 𝑄
= 1 −
1,3
3
𝑄1 =
1,7
3
𝑄 𝑄
Com este aumento na eficiência, desperdiçamos menos energia. Vamos
substituir então 𝑄 𝑄 por Q0 para chegar na resposta:
𝑄1 =
1,7
3
(
3
2
𝑄0)
𝑄1 =
1,7
2
𝑄0
GABARITO: A
Q50. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 5
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
Uma placa de cerâmica, com emissividade térmica ε0, é aquecida a
temperatura T0 apresentando uma taxa de emissão de calor de Q’0.
Se a emissividade térmica for reduzida em 20%, e a temperatura for
dobrada, a nova taxa de emissão de calor será
(A) 0,8 Q’0
(B) 1,6 Q’0
(C) 3,2 Q’0
(D) 12,8 Q’0
(E) 16,0 Q’0
Resolução:
O calor emitido por radiação pode ser calculado fazendo uso da lei de
Stefan-Boltzman. Para a placa de cerâmica descrita:
𝑄0′ = 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 𝑇0
4
Agora escrevemos para o segundo caso, com emissividade térmica
reduzida em 20%, ou seja, 80% do valor anterior, e a temperatura dobrada:
𝑄1
′
= (0,8 𝜀0) 𝜎 𝐴 𝑠 (2 𝑇0)4
𝑄1
′
= 0,8 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 16 𝑇0
4
𝑄1
′
= 12,8 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 𝑇0
4
𝑄1
′
= 12,8 𝑄0′
GABARITO: D
Q53. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Um cilindro metálico, de comprimento L e de seção reta circular de raio
R, está submetido em suas extremidades circulares a temperaturas T e
T+ΔT. A superfície lateral do cilindro está isolada termicamente. O cilindro,
então, conduz calor de modo que o fluxo entra pela superfície a temperatura
T +ΔT e sai pela superfície a temperatura T, a uma distância L da primeira.
A condutividade térmica do material que constitui o cilindro é k. Um outro
cilindro é construído com um material diferente, de modo que sua
condutividade térmica é k’, seu raio é R’ = 2R, e seu comprimento é L’ = 2L,
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 6
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
mas esse outro cilindro conduz exatamente a mesma quantidade de calor por
unidade de tempo que o primeiro cilindro, quando submetido à mesma
diferença de temperatura ΔT.
Nessas condições, o valor da razão k’/k é
(A) 1/2
(B) 1/4
(C) 1/8
(D) 1
(E) 2
Resolução:
Taxa de calor por condução é dada por:
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘𝐴
∆𝑇
∆𝑥
Para o primeiro cilindro:
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘 (𝜋 𝑅2
)
∆𝑇
𝐿
Para o segundo cilindro (que tem a mesma taxa de calor):
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′ (𝜋 𝑅′2
)
∆𝑇
𝐿′
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′ (𝜋 4 𝑅2
)
∆𝑇
2 𝐿
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′
2 (𝜋 𝑅2
)
∆𝑇
𝐿
𝑘′
/ 𝑘 é então:
𝑘′
𝑘
=
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑
2 (𝜋 𝑅2)
∆𝑇
𝐿
𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑
(𝜋 𝑅2)
∆𝑇
𝐿
𝑘′
𝑘
=
1
2
GABARITO: A
Q54. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 7
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
Uma máquina térmica opera em ciclos retirando calor
Q1300 J de uma fonte térmica quente, T1 600 K, e
rejeitando Q2 200 J em uma fonte fria T2 = 300 K, a cada
ciclo, em que a diferença entre esses valores corresponde
ao trabalho produzido por ciclo.
Dado que as únicas trocas de calor da substância de trabalho da
máquina com as fontes externas são essas duas
descritas acima, qual é o rendimento térmico da máquina?
(A) 0
(B) 1
(C) 1/2
(D) 1/3
(E) 2/3
Resolução:
A eficiência térmica da máquina é definida como a razão entre o
trabalho líquido produzido e o calor absorvido. Logo:
𝜂 ≡
|𝑊|
|𝑄 𝑄|
=
|𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹|
|𝑄 𝑄|
Assim:
𝜂 =
|𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹|
|𝑄 𝑄|
=
300 𝐽 − 200 𝐽
300 𝐽
𝜂 =
100
300
=
1
3
GABARITO: D
Q55. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
Durante um processo termodinâmico de expansão em um gás,
observa-se que TV2 = constante, onde T é a temperatura, e V é o volume do
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 8
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
gás. O trabalho realizado na expansão entre V0 e 2V0 é W1, e o trabalho
realizado na expansão entre 2V0 e 3V0 é W2.
Se é válida a relação dos gases ideais, pV = nRT, qual a razão W2/W1?
(A) 1
(B) 2
(C) 1/9
(D) 2/3
(E) 5/27
Resolução:
Dados do problema:
𝑇 𝑉2
= 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑊1 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉
2𝑉0
𝑉0
𝑊2 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉
3𝑉0
2𝑉0
Precisamos então resolver a integral, começando pelo primeiro caso:
𝑊1 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉
2𝑉0
𝑉0
= ∫
𝑛𝑅𝑇
𝑉
𝑑𝑉
2𝑉0
𝑉0
Mas sabemos que:
𝑇
𝑉
=
𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒
𝑉3
Logo:
𝑊1 = 𝑛𝑅 (𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ∫
1
𝑉3
𝑑𝑉
2𝑉0
𝑉0
𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) [
𝑉−2
−2
]
𝑉0
2𝑉0
𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
1
−2 . (2𝑉0)2
−
1
−2 . (𝑉0)2
)
𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (−
1
2. 4 . (𝑉0)2
+
1
2 . (𝑉0)2
)
𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
3
8 . (𝑉0)2
)
Fazendo o mesmo para o trabalho 2:
Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 9
PETROBRAS 2018
RESOLUÇÃO DE QUESTÕES
Prof. Victor Augusto
𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) [
𝑉−2
−2
]
2𝑉0
3𝑉0
𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
1
−2. (3𝑉0)2
−
1
−2 . (2𝑉0)2
)
𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (−
1
2 . 9 (𝑉0)2
+
1
2. 4 . (𝑉0)2
)
𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
9 − 4
2 . 9 . 4 . (𝑉0)2
)
𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
5
8 . 9 . (𝑉0)2
)
Finalmente:
𝑊2
𝑊1
=
𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
5
8 . 9 . (𝑉0)2)
𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (
3
8 . (𝑉0)2)
𝑊2
𝑊1
=
(
5
9
)
(3)
=
5
27
GABARITO: E
Abraço,
Prof. Victor Augusto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FunçãO QuadráTica
FunçãO QuadráTicaFunçãO QuadráTica
FunçãO QuadráTica
alunosderoberto
 
Equação do 1º e 2º grau
Equação do 1º e 2º grauEquação do 1º e 2º grau
Equação do 1º e 2º grau
Zaqueu Oliveira
 
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterleRespostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
samuelsaocristovao
 
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grauLista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Manoel Silva
 
Sistema de equações
Sistema de equaçõesSistema de equações
Sistema de equações
jtturmina
 
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionada
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionadaExercícios Resolvidos: Taxa relacionada
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionada
Diego Oliveira
 
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEIDLISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
Criativa Niterói
 
Equações diferenciais ordinárias
Equações diferenciais ordináriasEquações diferenciais ordinárias
Equações diferenciais ordinárias
Herlan Ribeiro de Souza
 
Congruência de triângulos
Congruência de triângulos Congruência de triângulos
Congruência de triângulos
Helena Borralho
 
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
Luiz Antonio Claro NT
 
Lista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afimLista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afim
ProfessoraIve
 
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.pptResolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
Cleiton Melo
 
Funcao Exponencial 1
Funcao Exponencial 1Funcao Exponencial 1
Funcao Exponencial 1
tioheraclito
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
Concursando Persistente
 
Geometria Plana - Exercícios
Geometria Plana - ExercíciosGeometria Plana - Exercícios
Geometria Plana - Exercícios
Everton Moraes
 
Mat pa pg exercicios gabarito
Mat pa  pg exercicios gabaritoMat pa  pg exercicios gabarito
Mat pa pg exercicios gabarito
trigono_metrico
 
P.a. e p.g.
P.a. e p.g.P.a. e p.g.
P.a. e p.g.
Rodrigo Carvalho
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
Neil Azevedo
 
Equação do 2º grau
Equação do 2º grauEquação do 2º grau
Equação do 2º grau
demervalm
 
Atividade resolvida teorema de tales
Atividade resolvida teorema de talesAtividade resolvida teorema de tales
Atividade resolvida teorema de tales
Karen Paz
 

Mais procurados (20)

FunçãO QuadráTica
FunçãO QuadráTicaFunçãO QuadráTica
FunçãO QuadráTica
 
Equação do 1º e 2º grau
Equação do 1º e 2º grauEquação do 1º e 2º grau
Equação do 1º e 2º grau
 
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterleRespostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
Respostas do-livro-geometria-analitica-alfredo-steinbruch-e-paulo-winterle
 
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grauLista 01 exercícios de função do 1º grau
Lista 01 exercícios de função do 1º grau
 
Sistema de equações
Sistema de equaçõesSistema de equações
Sistema de equações
 
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionada
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionadaExercícios Resolvidos: Taxa relacionada
Exercícios Resolvidos: Taxa relacionada
 
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEIDLISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
LISTA 02 E 03 - EXERCÍCIOS DE MATEMÁTICA 1º ANO - PROFª NEID
 
Equações diferenciais ordinárias
Equações diferenciais ordináriasEquações diferenciais ordinárias
Equações diferenciais ordinárias
 
Congruência de triângulos
Congruência de triângulos Congruência de triângulos
Congruência de triângulos
 
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
Plano de Aula Progressão Geométrica - 1a. Parte.
 
Lista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afimLista de exercícios de função afim
Lista de exercícios de função afim
 
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.pptResolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
Resolução de problemas envolvendo equações do 2º grau.ppt
 
Funcao Exponencial 1
Funcao Exponencial 1Funcao Exponencial 1
Funcao Exponencial 1
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
 
Geometria Plana - Exercícios
Geometria Plana - ExercíciosGeometria Plana - Exercícios
Geometria Plana - Exercícios
 
Mat pa pg exercicios gabarito
Mat pa  pg exercicios gabaritoMat pa  pg exercicios gabarito
Mat pa pg exercicios gabarito
 
P.a. e p.g.
P.a. e p.g.P.a. e p.g.
P.a. e p.g.
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 
Equação do 2º grau
Equação do 2º grauEquação do 2º grau
Equação do 2º grau
 
Atividade resolvida teorema de tales
Atividade resolvida teorema de talesAtividade resolvida teorema de tales
Atividade resolvida teorema de tales
 

Semelhante a Resolução Petrobras 2018 - Engenheiro de Petróleo

www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetriawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
AulasEnsinoMedio
 
Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012
Douglas Almeida
 
Ficha 3 ng1 dr2
Ficha 3 ng1 dr2Ficha 3 ng1 dr2
Ficha 3 ng1 dr2
Luis Pedro
 
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calorCapítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
Jorge Almeida
 
Termologiaresumo
TermologiaresumoTermologiaresumo
Termologiaresumo
AulasParticulares
 
www.TutoresEscolares.Com.Br - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
www.TutoresEscolares.Com.Br  - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetriawww.TutoresEscolares.Com.Br  - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
www.TutoresEscolares.Com.Br - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
Tuotes Escolares
 
Física - Exercício Complementares de Calorimetria
Física - Exercício Complementares de CalorimetriaFísica - Exercício Complementares de Calorimetria
Física - Exercício Complementares de Calorimetria
Joana Figueredo
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício Resolvidos Calorimetria
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício  Resolvidos Calorimetriawww.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício  Resolvidos Calorimetria
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício Resolvidos Calorimetria
Videoaulas De Física Apoio
 
Absorção brometo de lítio
Absorção brometo de lítioAbsorção brometo de lítio
Absorção brometo de lítio
Juan Castro
 
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
twolipa
 
Apostila ex termo
Apostila ex termoApostila ex termo
Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13
Ednilsom Orestes
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
bonesea
 
Apostila tcl 2010_parte_3
Apostila tcl 2010_parte_3Apostila tcl 2010_parte_3
Apostila tcl 2010_parte_3
Willian Santana Quirino
 
Fisica 2 exercicios gabarito 09
Fisica 2 exercicios gabarito 09Fisica 2 exercicios gabarito 09
Fisica 2 exercicios gabarito 09
comentada
 
Trabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calorTrabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calor
Igor de Mello
 
Trocadores de calor
Trocadores de calorTrocadores de calor
Trocadores de calor
Gabriella Procópio
 
Ap 06 termodinamica-cap - 2017
Ap 06   termodinamica-cap - 2017Ap 06   termodinamica-cap - 2017
Ap 06 termodinamica-cap - 2017
Ronaldo Da Costa Cunha
 
Física 2 Ramalho (testes propostos)
Física 2 Ramalho (testes propostos)Física 2 Ramalho (testes propostos)
Física 2 Ramalho (testes propostos)
Guilherme Fernando
 
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
Marcia Marcia.Cristina2
 

Semelhante a Resolução Petrobras 2018 - Engenheiro de Petróleo (20)

www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetriawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Exercício calorimetria
 
Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012Prova de física resolvida escola naval 2012
Prova de física resolvida escola naval 2012
 
Ficha 3 ng1 dr2
Ficha 3 ng1 dr2Ficha 3 ng1 dr2
Ficha 3 ng1 dr2
 
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calorCapítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
Capítulo 3 projeto térmico de trocadores de calor
 
Termologiaresumo
TermologiaresumoTermologiaresumo
Termologiaresumo
 
www.TutoresEscolares.Com.Br - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
www.TutoresEscolares.Com.Br  - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetriawww.TutoresEscolares.Com.Br  - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
www.TutoresEscolares.Com.Br - Física - Exercícios Resolvidos de Calorimetria
 
Física - Exercício Complementares de Calorimetria
Física - Exercício Complementares de CalorimetriaFísica - Exercício Complementares de Calorimetria
Física - Exercício Complementares de Calorimetria
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício Resolvidos Calorimetria
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício  Resolvidos Calorimetriawww.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício  Resolvidos Calorimetria
www.aulasdefisicaapoio.com - Física - Exercício Resolvidos Calorimetria
 
Absorção brometo de lítio
Absorção brometo de lítioAbsorção brometo de lítio
Absorção brometo de lítio
 
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
111272491 exercicios-resolvidos-termo-ii
 
Apostila ex termo
Apostila ex termoApostila ex termo
Apostila ex termo
 
Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13Química Geral Aula 13
Química Geral Aula 13
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Apostila tcl 2010_parte_3
Apostila tcl 2010_parte_3Apostila tcl 2010_parte_3
Apostila tcl 2010_parte_3
 
Fisica 2 exercicios gabarito 09
Fisica 2 exercicios gabarito 09Fisica 2 exercicios gabarito 09
Fisica 2 exercicios gabarito 09
 
Trabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calorTrabalho de trocadores de calor
Trabalho de trocadores de calor
 
Trocadores de calor
Trocadores de calorTrocadores de calor
Trocadores de calor
 
Ap 06 termodinamica-cap - 2017
Ap 06   termodinamica-cap - 2017Ap 06   termodinamica-cap - 2017
Ap 06 termodinamica-cap - 2017
 
Física 2 Ramalho (testes propostos)
Física 2 Ramalho (testes propostos)Física 2 Ramalho (testes propostos)
Física 2 Ramalho (testes propostos)
 
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
1ª lista-de-exercícios-–-2º-ano-do-ensino-médio-–-3º-bimestre-–-trabalho isob...
 

Último

CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
IslanderAndrade
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 

Último (20)

CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
.Template .padrao .slides .TCC .2024 ppt
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 

Resolução Petrobras 2018 - Engenheiro de Petróleo

  • 1. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 1 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto PROCESSO SELETIVO PÚBLICO - EDITAL No 1 PETROBRAS/PSP RH 2018.1 DE 07/02/2018 Resolução da prova ENGENHEIRO(A) DE PETRÓLEO JÚNIOR Professor: Victor Augusto Sousa e Silva Disciplina: Termodinâmica e transferência de calor Q47. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras) Um bloco plano de espessura ΔL0 é composto por um material homogêneo e isotrópico. Se a diferença de temperatura entre duas superfícies paralelas do bloco é ΔT0, tem-se um fluxo de calor entre essas superfícies dado por Q’0. Se o material que forma o bloco for substituído por outro com as mesmas dimensões, mas com apenas 40% de sua condutividade térmica, ao observar-se o mesmo fluxo de calor, a nova diferença de temperatura entre as superfícies do bloco será (A) 0,4 ΔT0 (B) 0,6 ΔT0 (C) 1,0 ΔT0 (D) 1,4 ΔT0 (E) 2,5 ΔT0 Resolução: A taxa de calor conduzido em uma placa plana é: 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑, 𝑝𝑙𝑎𝑐𝑎 = 𝑘 𝐴 (𝑇1 − 𝑇2) 𝐿
  • 2. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 2 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto Vamos então escrever essa expressão para as condições do primeiro bloco descrito: 𝑄0 ′ = 𝑘 𝐴 ∆𝑇0 ∆𝐿0 Para o novo bloco: 𝑄1 ′ = (0,4𝑘) 𝐴 ∆𝑇1 ∆𝐿0 Como o fluxo de calor observado é o mesmo (𝑄0 ′ = 𝑄1 ′ ): (0,4𝑘) 𝐴 ∆𝑇1 ∆𝐿0 = 𝑘 𝐴 ∆𝑇0 ∆𝐿0 O bloco tem as mesmas dimensões, por isso a área e o comprimento são iguais: 0,4 ∆𝑇1 = ∆𝑇0 ∆𝑇1 = 2,5 ∆𝑇0 GABARITO: E Q48. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras) Ao colocarmos 100 mL de água quente à temperatura 2T0 Celsius em 100 mL de água fria, observamos que, após algum tempo, a mistura atinge a temperatura de equilíbrio 3T0/2 Celsius. Se colocarmos os mesmos 100 ml de água quente no dobro da quantidade de água fria, a nova temperatura de equilíbrio será? (A) T0/2 (B) T0 (C) 5T0/4 (D) 7T0/4 (E) 2T0 Resolução: Trata-se de um problema de equilíbrio térmico. Podemos usar o primeiro caso relatado para calcular a temperatura inicial da água fria, sabendo que o calor fornecido pela água quente é o absorvido pela água fria: 𝑄1 + 𝑄2 = 0
  • 3. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 3 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto 𝑚1 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇1 = − 𝑚2 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇2 Podemos considerar a densidade igual para a água nas duas temperaturas (𝜌 = 1 𝑔/𝑚𝐿). Logo: 100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . ( 3 2 𝑇0 − 2𝑇0) = −100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . ( 3 2 𝑇0 − 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎) 3 2 𝑇0 − 2𝑇0 = − 3 2 𝑇0 + 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎 = 3𝑇0 − 2𝑇0 𝑇𝑖𝑛𝑖𝑐𝑖𝑎𝑙 𝐻2𝑂 𝑓𝑟𝑖𝑎 = 𝑇0 Agora podemos determinar a temperatura de equilíbrio quando usarmos o dobro de água fria no processo: 𝑚1 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇1 = − 𝑚2 . 𝑐 𝑀 . ∆𝑇2 100 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (𝑇𝑒𝑞 − 2𝑇0) = −200 𝑔 . 𝑐 𝑀 . (𝑇𝑒𝑞 − 𝑇0) 𝑇𝑒𝑞 − 2𝑇0 = −2 𝑇𝑒𝑞 + 2𝑇0 𝑇𝑒𝑞 = 4 3 𝑇0 Como não constava essa alternativa na prova, a questão foi anulada. GABARITO: ANULADA Q49. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras) Um motor, quando não está devidamente lubrificado, possui um rendimento η =1/3, liberando uma certa quantidade de calor Q0 quando em funcionamento. Quando corretamente lubrificado, seu rendimento aumenta em 30%. Nessas condições, a nova quantidade de calor liberada pelo motor será (A) 1,7Q0/2 (B) 2,1Q0/2 (C) 2,3Q0/2 (D) 3,3Q0/2 (E) 3,9Q0/2 Resolução:
  • 4. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 4 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto A eficiência térmica da máquina é definida como a razão entre o trabalho líquido produzido e o calor absorvido. Logo: 𝜂 ≡ |𝑊| |𝑄 𝑄| = |𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹| |𝑄 𝑄| = 1 − |𝑄 𝐹| |𝑄 𝑄| O calor liberado na fonte fria (𝑄 𝐹) é o calor Q0 mencionado no enunciado. Para uma eficiência de 1/3, temos: 𝜂 𝑛ã𝑜 𝑙𝑢𝑏𝑟𝑖𝑓𝑖𝑐𝑎𝑑𝑜 = 1 − 𝑄0 𝑄 𝑄 1 3 = 1 − 𝑄0 𝑄 𝑄 𝑄0 = 2 3 𝑄 𝑄 Ou seja, dois terços da energia fornecida (𝑄 𝑄) sob a forma de calor é “desperdiçada”. Se a eficiência aumenta em 30%, teremos uma nova quantidade de calor Q1 sendo liberada: 𝜂𝑙𝑢𝑏𝑟𝑖𝑓𝑖𝑐𝑎𝑑𝑜 = (1 − 𝑄1 𝑄 𝑄 ) 1 3 ∗ 1,30 = (1 − 𝑄1 𝑄 𝑄 ) 𝑄1 𝑄 𝑄 = 1 − 1,3 3 𝑄1 = 1,7 3 𝑄 𝑄 Com este aumento na eficiência, desperdiçamos menos energia. Vamos substituir então 𝑄 𝑄 por Q0 para chegar na resposta: 𝑄1 = 1,7 3 ( 3 2 𝑄0) 𝑄1 = 1,7 2 𝑄0 GABARITO: A Q50. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
  • 5. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 5 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto Uma placa de cerâmica, com emissividade térmica ε0, é aquecida a temperatura T0 apresentando uma taxa de emissão de calor de Q’0. Se a emissividade térmica for reduzida em 20%, e a temperatura for dobrada, a nova taxa de emissão de calor será (A) 0,8 Q’0 (B) 1,6 Q’0 (C) 3,2 Q’0 (D) 12,8 Q’0 (E) 16,0 Q’0 Resolução: O calor emitido por radiação pode ser calculado fazendo uso da lei de Stefan-Boltzman. Para a placa de cerâmica descrita: 𝑄0′ = 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 𝑇0 4 Agora escrevemos para o segundo caso, com emissividade térmica reduzida em 20%, ou seja, 80% do valor anterior, e a temperatura dobrada: 𝑄1 ′ = (0,8 𝜀0) 𝜎 𝐴 𝑠 (2 𝑇0)4 𝑄1 ′ = 0,8 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 16 𝑇0 4 𝑄1 ′ = 12,8 𝜀0 𝜎 𝐴 𝑠 𝑇0 4 𝑄1 ′ = 12,8 𝑄0′ GABARITO: D Q53. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras) Um cilindro metálico, de comprimento L e de seção reta circular de raio R, está submetido em suas extremidades circulares a temperaturas T e T+ΔT. A superfície lateral do cilindro está isolada termicamente. O cilindro, então, conduz calor de modo que o fluxo entra pela superfície a temperatura T +ΔT e sai pela superfície a temperatura T, a uma distância L da primeira. A condutividade térmica do material que constitui o cilindro é k. Um outro cilindro é construído com um material diferente, de modo que sua condutividade térmica é k’, seu raio é R’ = 2R, e seu comprimento é L’ = 2L,
  • 6. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 6 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto mas esse outro cilindro conduz exatamente a mesma quantidade de calor por unidade de tempo que o primeiro cilindro, quando submetido à mesma diferença de temperatura ΔT. Nessas condições, o valor da razão k’/k é (A) 1/2 (B) 1/4 (C) 1/8 (D) 1 (E) 2 Resolução: Taxa de calor por condução é dada por: 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘𝐴 ∆𝑇 ∆𝑥 Para o primeiro cilindro: 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘 (𝜋 𝑅2 ) ∆𝑇 𝐿 Para o segundo cilindro (que tem a mesma taxa de calor): 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′ (𝜋 𝑅′2 ) ∆𝑇 𝐿′ 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′ (𝜋 4 𝑅2 ) ∆𝑇 2 𝐿 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 = −𝑘′ 2 (𝜋 𝑅2 ) ∆𝑇 𝐿 𝑘′ / 𝑘 é então: 𝑘′ 𝑘 = 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 2 (𝜋 𝑅2) ∆𝑇 𝐿 𝑄̇ 𝑐𝑜𝑛𝑑 (𝜋 𝑅2) ∆𝑇 𝐿 𝑘′ 𝑘 = 1 2 GABARITO: A Q54. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras)
  • 7. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 7 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto Uma máquina térmica opera em ciclos retirando calor Q1300 J de uma fonte térmica quente, T1 600 K, e rejeitando Q2 200 J em uma fonte fria T2 = 300 K, a cada ciclo, em que a diferença entre esses valores corresponde ao trabalho produzido por ciclo. Dado que as únicas trocas de calor da substância de trabalho da máquina com as fontes externas são essas duas descritas acima, qual é o rendimento térmico da máquina? (A) 0 (B) 1 (C) 1/2 (D) 1/3 (E) 2/3 Resolução: A eficiência térmica da máquina é definida como a razão entre o trabalho líquido produzido e o calor absorvido. Logo: 𝜂 ≡ |𝑊| |𝑄 𝑄| = |𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹| |𝑄 𝑄| Assim: 𝜂 = |𝑄 𝑄| − |𝑄 𝐹| |𝑄 𝑄| = 300 𝐽 − 200 𝐽 300 𝐽 𝜂 = 100 300 = 1 3 GABARITO: D Q55. (CESGRANRIO 2018 – Engenheiro de Petróleo Júnior / Petrobras) Durante um processo termodinâmico de expansão em um gás, observa-se que TV2 = constante, onde T é a temperatura, e V é o volume do
  • 8. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 8 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto gás. O trabalho realizado na expansão entre V0 e 2V0 é W1, e o trabalho realizado na expansão entre 2V0 e 3V0 é W2. Se é válida a relação dos gases ideais, pV = nRT, qual a razão W2/W1? (A) 1 (B) 2 (C) 1/9 (D) 2/3 (E) 5/27 Resolução: Dados do problema: 𝑇 𝑉2 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑊1 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉 2𝑉0 𝑉0 𝑊2 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉 3𝑉0 2𝑉0 Precisamos então resolver a integral, começando pelo primeiro caso: 𝑊1 = ∫ 𝑃 𝑑𝑉 2𝑉0 𝑉0 = ∫ 𝑛𝑅𝑇 𝑉 𝑑𝑉 2𝑉0 𝑉0 Mas sabemos que: 𝑇 𝑉 = 𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒 𝑉3 Logo: 𝑊1 = 𝑛𝑅 (𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ∫ 1 𝑉3 𝑑𝑉 2𝑉0 𝑉0 𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) [ 𝑉−2 −2 ] 𝑉0 2𝑉0 𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 1 −2 . (2𝑉0)2 − 1 −2 . (𝑉0)2 ) 𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (− 1 2. 4 . (𝑉0)2 + 1 2 . (𝑉0)2 ) 𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 3 8 . (𝑉0)2 ) Fazendo o mesmo para o trabalho 2:
  • 9. Prof. Victor Augusto www.estrategiaconcursos.com.br 9 PETROBRAS 2018 RESOLUÇÃO DE QUESTÕES Prof. Victor Augusto 𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) [ 𝑉−2 −2 ] 2𝑉0 3𝑉0 𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 1 −2. (3𝑉0)2 − 1 −2 . (2𝑉0)2 ) 𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) (− 1 2 . 9 (𝑉0)2 + 1 2. 4 . (𝑉0)2 ) 𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 9 − 4 2 . 9 . 4 . (𝑉0)2 ) 𝑊2 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 5 8 . 9 . (𝑉0)2 ) Finalmente: 𝑊2 𝑊1 = 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 5 8 . 9 . (𝑉0)2) 𝑛𝑅(𝑐𝑜𝑛𝑠𝑡𝑎𝑛𝑡𝑒) ( 3 8 . (𝑉0)2) 𝑊2 𝑊1 = ( 5 9 ) (3) = 5 27 GABARITO: E Abraço, Prof. Victor Augusto