SlideShare uma empresa Scribd logo
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A formação da Espécie Humana durante a Pré-História
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
Preparação para o Reino Hominal
Períodos da Matéria Planetária
Primeira Raça
Segunda Raça
Terceira raça
Quarta Raça
Quinta Raça
2
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PREPARAÇÃO PARA
O
REINO HOMINAL
3
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“O reino animal experimenta as
mais estranhas transições no
período terciário, sob as
influências do meio e em face dos
imperativos da lei de seleção.
(…) vamos encontrar os primeiros
antepassados do homem sofrendo
os processos de aperfeiçoamento
da Natureza. No período terciário
a que nos reportamos, sob a
orientação das esferas espirituais
notavam-se algumas raças de
antropóides, no Plioceno inferior.”
A Caminho da Luz
PRIMEIROS HOMINIDEOS
4
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
DATAÇÃO
Os últimos dados científicos indicam que terão
surgido à aproximadamente 5 Milhões de anos
(Ma), estendendo-se até a 1.6 Ma atrás.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
A ciência assume o Sahelanthropus tchadensis,
como a primeira de todas as sub-espécies dos
Australopithecus até ao Australopithecus
robustus. As alterações genéticas operadas
pelos mentores do globo são constantes, de
modo a atingir-se a espécie certa para as raças
vindouras. Já bípedes, assemelhavam-se na
estatura mais aos símios do que ao homem
actual. Possuíam um crânio com 440 cm3; os
maxilares estavam adiantados, com
mandíbulas, dentes e músculos mastigatórios
fortes, ausência de testa, saliências nas
têmporas e na nuca.
PRIMEIROS HOMINIDEOS
5
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
DATAÇÃO Entre os 2.2 Ma e os 400.000
anos.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
Compreende as primeiras espécies que a
Ciência considera Humanas: o Homo habilis e
o Homo erectus (Pitecantropus e Sinantropus).
A primeira tem uma capacidade craniana de
630 cm3, enquanto a segunda detém já uma
capacidade de 900 cm3. Detêm um porte
sucessivamente mais avantajado e uma
posição cada vez mais erecta. As feições são
menos grotescas, com um aumento da
dimensão da testa, alargamento da face, uma
diminuição do tamanho dos dentes e
subsequente recuo dos maxilares.
PRIMEIROS HOMINIDEOS
6
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PROGRESSO CIENTÍFICO
Levam existências rudimentares, pouco
diferentes das dos restantes animais.
PROGRESSO MORAL e RELIGIOSO
Limitam a sua existência a responder a
estímulos instintivos (alimentação, descanso e
reprodução), não tendo noção da vida espiritual.
PRIMEIROS HOMINIDEOS
7
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Os antropóides das cavernas
espalharam-se, então, aos grupos,
pela superfície do globo, no curso
vagaroso dos séculos, sofrendo as
influências do meio e formando
os pródromos das raças futuras
em seus tipos diversificados; a
realidade, porém, é que as
entidades espirituais auxiliaram o
homem do sílex, imprimindo-lhe
novas expressões biológicas.”
A Caminho da Luz
PRIMEIROS HOMINIDEOS
8
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PERÍODOS
DA
MATÉRIA PLANETÁRIA
9
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“…a Terra, em sua constituição física (…) possui os seus
grandes períodos de atividade e de repouso. Cada período de
atividade e cada período de repouso da Matéria Planetária (…)
pode ser calculado, cada um, em 260.000 anos.”
“…desses 260.000 anos de atividade, 60 a 64 mil anos são
empregados na reorganização (…) da vida organizada. Logo em
seguida, surge o desenvolvimento das grandes raças que
(enquadram) a evolução do espírito domiciliado na Terra.
Assim, depois desses 60 a 64 mil anos de reorganização de
nossa Casa Planetária, temos sempre grandes transformações, de
28 em 28 mil anos.”
In Entrevista Chico Xavier - Revista Boa Vontade - Outubro/1956
10
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A astronomia demonstra hoje a
existência dos movimentos de
Precessão (23 Ma) e de Nutação (18,6
Ma).
11
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A PRIMEIRA RAÇA
12
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Os séculos correram o seu velário de experiências penosas
sobre a fronte dessas criaturas de braços alongados e de pelos
densos, até que um dia as hostes do invisível operaram uma
definitiva transição no corpo perispiritual preexistente, dos
homens primitivos, nas regiões siderais e em certos intervalos de
suas reencarnações. Surgem os primeiros selvagens de
compleição melhorada, tendendo à elegância dos tempos do
porvir.
Uma transformação visceral verificara-se na estrutura dos
antepassados das raças humanas.”
A Caminho da Luz
1.ª RAÇA
13
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“O homem, para atingir o complexo de suas perfeições biológicas
na Terra, teve o concurso de Espíritos exilados de um mundo
melhor para o orbe terráqueo (…) que foram em tempos
remotíssimos desterrados para as sombras e para as regiões
selvagens da Terra (…).O vosso mundo era então povoado pelos
tipos do "Primata hominus ", dentro das eras da caverna e do
sílex, e essas legiões (…) se aproximavam bastante do
"Pithecanthropus erectus " (…)
Foram, portanto, as entidades espirituais a que me referi que,
(…) imprimiram um novo fator de organização às raças
primigénias, dotando-as de novas combinações biológicas,
objetivando o aperfeiçoamento do organismo humano..”
Emmanuel, in comunicação recebida, em 1937, por Francisco Xavier
1.ª RAÇA
14
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
LOCALIZAÇÃO Concebida no Plano Espiritual.
ORIGEM Acompanhando a evolução do Reino Animal, a individualização do
Princípio Inteligente começa a abandonar a exclusividade do instinto e da
inteligência material, para se preparar para a aquisição da inteligência moral e da
consciência de si próprio.
CARACTERÍSTICAS
Físicas: Os seus corpos começam por ser essencialmente étereos,
proporcionando-lhes o primeiro contacto consciente com a matéria. Mais tarde
adquirem propriedades mais densas, a ponto de poderem ser já perceptíveis pelos
nossos sentidos, mas ainda assim distantes dos componentes materiais que hoje
formam os corpos humanos.
Pseudo-Morais: Progridem lentamente através do contacto com a matéria e da
sujeição às suas leis, conforme o direcionamento das experiências da
espiritualidade mais elevada, que geria o globo.
DATAÇÃO Desenvolveu-se à aproximadamente 140 Ma.
1.ª RAÇA
15
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“… a promoção do princípio espiritual do animal à
racionalidade humana se processa fora da Terra, dentro de
condições e aspectos que não posso vos descrever, dada a
ausência de elementos analógicos para as minhas comparações. E
que Jesus nos inspire, esclarecendo as nossas mentes em face de
todas as grandiosidades das leis divinas, imperantes na Criação. "
Assim, pois, quando essa operação transformadora se consumou
fora da Terra, no astral planetário ou em algum mundo vizinho,
estava “ipso facto” criada a raça humana, com todas as suas
características e atributos iniciais, a Primeira Raça-Mãe, que a
tradição espiritual oriental definiu da seguinte maneira:
“espíritos ainda inconscientes, habitando corpos fluídicos, pouco
consistentes””
Emmanuel, in comunicação recebida, em 1937, por Francisco Xavier
16
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A SEGUNDA RAÇA
17
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
25.000aC
53.000aC
81.000aC
109.000aC
137.000aC
201.000aC
“Os homens dessa Segunda Raça em quase nada se distinguiam
dos seus antecessores símios; eram grotescos, animalizados,
inteiramente peludos, enormes cabeças pendentes para a frente,
braços longos que quase tocavam os joelhos; ferozes, de andar
trôpego e vacilante e em cujo olhar, inexpressivo e esquivo,
predominavam a desconfiança e o medo.”
2.ª RAÇA
18
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
2.ª RAÇA
LOCALIZAÇÃO
Surge no grande continente da Lemúria.
DATAÇÃO
Foi dominante entre 110 Ma e 80 Ma.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
As alterações genéticas operadas pelos
mentores do globo são constantes, de
modo a atingir-se a espécie certa para as
raças vindouras.
19
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“… as falanges do Cristo operavam ainda as últimas experiências sobre
os fluidos renovadores da vida, aperfeiçoando os caracteres biológicos
das raças humanas. A Natureza ainda era, para os trabalhadores da
espiritualidade, um campo vasto de experiências infinitas; tanto assim
que, se as observações do mendelismo fossem transferidas àqueles
milénios distantes, não se encontraria nenhuma equação definitiva nos
seus estudos de biologia. A moderna genética não poderia fixar, como
hoje, as expressões dos "genes", porquanto, no laboratório das forças
invisíveis, as células ainda sofriam longos processos de acrisolamento,
imprimindo-se-lhes elementos de astralidade, consolidando-se-lhes as
expressões definitivas, com vistas às organizações do porvir.
Se a génese do planeta se processara com a cooperação dos milénios, a
génese das raças humanas requeria a contribuição do tempo, até que se
abandonasse a penosa e longa tarefa da sua fixação.”
A Caminho da Luz
20
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Os homens dessa Segunda Raça em quase nada se distinguiam
dos seus antecessores símios; eram grotescos, animalizados,
inteiramente peludos, enormes cabeças pendentes para a frente,
braços longos que quase tocavam os joelhos; ferozes, de andar
trôpego e vacilante e em cujo olhar, inexpressivo e esquivo,
predominavam a desconfiança e o medo.
Alimentavam-se de frutos e raízes; viviam isolados, escondidos nas
matas e nas rochas, fugindo uns dos outros, vendo nas feras que os
rodeavam por toda parte seres semelhantes a eles mesmos, e
procriando-se instintivamente, sem preocupação de estabelecerem
entre si laços de afeto ou de intimidade permanente. Quem olhasse
então o mundo não diria que ele já era habitado por seres
humanos.”
2.ª RAÇA
21
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Essa Segunda Raça evoluiu por muitos milénios, dando tempo a
que se procedesse a necessária adaptação ao meio ambiente até
que, por fim, como desabrochar lento e custoso da inteligência,
surgiu entre seus componentes o desejo de vida comum que, nessa
primeira etapa evolutiva, era visceralmente brutal e violento.
Os ímpetos do sexo nasceram de forma terrivelmente bárbara e os
homens saíam furtivamente de seus antros escuros para se
apoderarem pela força de companheiras inconscientes e indefesas,
com as quais geravam filhos que se criavam por si mesmos, ao
redor do núcleo familiar, como feras.”
2.ª RAÇA
22
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A TERCEIRA RAÇA
23
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“…Depois do período dos 64 mil anos, tivemos duas raças na Terra,
cujos traços se perderam, por causa de seu primitivismo. Logo em
seguida, podemos considerar a grande raça Lemuriana, como portadora
de uma inteligência algo mais avançada, detentora de valores mais altos,
nos domínios do espírito.”
25.000aC
53.000aC
81.000aC
109.000aC
137.000aC
201.000aC 3.ª RAÇA
24
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Com o correr do tempo, entretanto, essa proliferação
desordenada e o agrupamento forçado de seres do mesmo
sangue, obrigaram os homens a procurar habitações mais amplas
e cómodas, que encontraram em grutas e cavernas naturais, nas
bases das colinas ou nas anfratuosidades das montanhas.
Sua inteligência ainda não bastava para a idealização de
construções mais apropriadas e assim surgiram os trogloditas da
Idade da Pedra, em cujos olhos, porém, já a esse tempo, luziam os
primeiros fulgores do entendimento e cujos corações já de
alguma forma se abrandavam ao calor dos primeiros sentimentos
humanos.”
João o Evangelista; Roma e o Evangelho – Pellincer.
3.ª RAÇA
25
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Depois do primeiro dia da humanidade, o corpo do homem
aparece menos feio, menos repugnante à contemplação de minha
alma. Sua fronte começa a debuxar-se na parte superior do rosto,
quando o vento açoita e levanta as ásperas melenas que a
cobrem. Os seus olhos são mais vivos e transparentes; o seu nariz
é mais afilado e levantado e a sua boca é menos proeminente.
Seus braços são menos longos e esquálidos, suas carnes menos
secas, suas mãos menos volumosas e com dedos mais
prolongados; os ossos do esqueleto mais arredondados, mais bem
dispostos aos movimentos das articulações; maior elasticidade
existe nos músculos e mais transparência na pele que cobre todo
o corpo.
3.ª RAÇA
26
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“No seu olhar se reflete o primeiro raio de luz intelectual, como
um primeiro despertar do seu espírito adormecido. No seu
caminhar, já menos lerdo e vacilante, adivinha-se a ação inicial
da vontade, o princípio das manifestações espontâneas. Procura a
mulher e não mais a abandona; assiste-lhe no nascimento dos
filhos, com quem reparte o calor e o alimento. O sentimento
começa a despertar-lhe. ”
João o Evangelista; Roma e o Evangelho – Pellincer.
“A faculdade de pensar, adquirida há aproximadamente 60.000
anos, quando lhe surgiram as primeiras emoções.”
Divaldo Franco
3.ª RAÇA
27
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
O surgimento das emoções
1.º Medo
Começa a temer a morte. Promove uma fissão no cortex. Do confronto morte
vs vida, desponta o raciocínio. Terror, pavor e receio dão origem à …
2.º Ira
É a exteriorização da agressividade para defender a vida. Da ira surgem a
mágoa, ódio, ciúme e vingança. A reação hormonal das glândulas supra-renais
descarregam a adrenalina. O cortisol reequilibra. Confronto entre o impulso de
fazer e o estímulo de recuar (Livre Arbítrio).
3.º Amor
A necessidade de proteger o clã desponta o Amor, fraternidade, amizade,
abnegação e altruísmo.
3.ª RAÇA
28
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
DATAÇÃO
Terá existido entre os 80
Mil anos e os 45 mil anos.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
Compreende as espécies Homo,
maioritariamente o sapiens archaic e o Homo
sapiens neandertalensis. O primeiro tem uma
capacidade craniana de 1200 cm3, enquanto a
segunda detém uma capacidade de 1500 cm3,
superior ao Homem actual. Possui um corpo
mais robusto e muito semelhante ao actual.
Apuramento gradual de sentidos. Últimas
alterações cranianas aumentam a capacidade
de penetração nos mundos etéreos,
desenvolvendo novas faculdades psíquicas.
3.ª RAÇA
29
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Extraordinárias experiências
foram realizadas pelos
mensageiros do invisível. As
pesquisas recentes da Ciência
sobre o tipo de Neanderthal,
reconhecendo nele uma
espécie de homem
bestializado, e outras
descobertas interessantes da
Paleontologia, quanto ao
homem fóssil, são um atestado dos experimentos biológicos a que
procederam os prepostos de Jesus, até fixarem no "primata" os
característicos aproximados do homem futuro.”
A Caminho da Luz
3.ª RAÇA
30
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
3.ª RAÇA
LOCALIZAÇÃO
Surge na Lemúria e na Ásia. Mais tarde os
Mongóis partem para a África (os primeiros)
e Atlântida (os segundos).
DATAÇÃO
Terá dominado de à 80 Ma a 50 Ma.
SUB-RAÇAS
Rutas (aborígenes) – pele escura;
Mongóis – pele amarela;
Atlantes (índios) – pele vermelhada;
Vestígios em tribos indianas e africanas.
31
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
3.ª RAÇA
PROGRESSO CIENTÍFICO
Começam a fazer uso dos primeiros utensílios, ainda muito rudimentares.
Constroem habitações rudimentares. Dão início à pecuária. Formam os primeiros
agrupamentos sociais estáveis com definições hierárquicas baseadas na força.
PROGRESSO MORAL
De início, predominam a desconfiança e o medo nas suas relações, e os seus
encontros ocorrem somente para satisfação dos seus instintos básicos (sexual e de
sobrevivência). As lutas são constantes. A centelha individualizada que anima estes
seres vai evoluindo e proporcionando-lhes uma maior consciência de si mesmos,
desenvolvendo a inteligência moral (para além da material), tornando-se um
Espírito. Com o desabrochar lento da inteligência moral, vão surgindo os primeiros
agrupamentos familiares; Adivinha-se a acção da vontade e o despertar do
sentimento.
PROGRESSO RELIGIOSO Ignorantes espiritual e religiosamente.
.
32
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A QUARTA RAÇA
33
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“… Após a raça Lemuriana - em seguida aos 28.000 anos de
trabalho lemuriano (…) - chegamos ao grande período da raça
Atlântida, (…).”
25.000aC
53.000aC
81.000aC
109.000aC
137.000aC
201.000aC4.ª RAÇA
34
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Extinta dessa forma, em sua grande massa, a Terceira Raça
habitante do Oriente, levantou-se, então, no Ocidente, o campo
da nova civilização terrestre, com o incremento das encarnações
dos exilados na Grande Atlântida, o "hábitat" da Quarta Raça,
onde prepostos do Cristo já haviam, antecipadamente, preparado
o terreno para esses novos surtos de vida planetária.
Assim, pois, deslocava-se para essa nova região o progresso do
mundo, enquanto os remanescentes da Terceira Raça, inclusive
os tipos primitivos, continuariam a renascer nos povos retardados
de todo o globo, os quais não pudessem acompanhar a marcha
evolutiva da humanidade em geral, como até hoje se pode
verificar.”
4.ª RAÇA
35
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“E, da mesma forma como sucedera em outras partes, na
Atlântida, os exilados, a partir dessa deslocação de massas,
seguiram lentamente sua rota evolutiva e, apesar de mais
evoluídos e menos selvagens que os Rutas do Oriente, nem, por
isso, primavam por uma conduta mais perfeita.
"Os atlantes primitivos da Quarta Raça-Mãe, que vieram em
seguida, eram homens de elevada estatura, com a testa muito
recuada; tinham cabelo solto e negro, de secção redonda, e nisto
diferiam dos homens que vieram mais tarde, que possuíam
secção ovalada; suas orelhas eram situadas bem mais para trás e
para cima, no crânio”.
4.ª RAÇA
36
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“A cabeça do perispírito ainda estava um tanto para fora, em
relação ao corpo físico, o que indicava que ainda não havia
integração perfeita; na raiz do nariz havia um "ponto (…),
separado como nos animais, [que] nos homens atuais coincide no
etéreo e no denso, perfeitamente integrados no conjunto psico-
físico e essa separação dava aos atlantes uma capacidade singular
de penetração nos mundos etéreos, e permitiu que
desenvolvessem amplos poderes psíquicos que, por fim,
degeneraram e levaram à destruição do continente.
Nos atlantes dos últimos tempos, entretanto, (…) esses dois
"pontos" já se haviam aproximado, dando a eles plena visão física
e desenvolvimento dos sentidos.”
4.ª RAÇA
37
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
4.ª RAÇA
LOCALIZAÇÃO
Surge predominantemente na
Atlântida, mas irradia para todo o globo.
DATAÇÃO
Terá dominado entre 50 e 30 Ma atrás.
SUB-RAÇAS
Rmoahals (índios A. Norte) – gigantes / v.-escuro; Travlatis – montanheses /
vermelho-escuro; Turanianos (mongóis) – colonizadores / amarelos; Mongóis
(mongóis) – agricultores / amarelos; Toltecas (índios A. Sul) – administradores / v.-
cobre; Semitas – guerreiros / pele escura; Acadios – comerciantes e navegadores.
38
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PROGRESSO MORAL
Predomina a materialidade inferior
(egoísmo, avareza,etc).
Evoluem de sociedades basedas na
força, para governações com
sentido de liderança.
Desenvolvem a linguagem e
memória a (Rmoahals).
Aprimoramento da personalidade
(Travlatis).
PROGRESSO RELIGIOSO
Começam a ser prestados os primeiros cultos
aos antepassados (Travlatis) e organizam-se
as primeiras cerimónias fúnebres.
4.ª RAÇA
39
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
A QUINTA RAÇA
40
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Achamo-nos, agora, nos últimos períodos da grande raça
Ariana.”
A Caminho da Luz
25.000aC
53.000aC
81.000aC
109.000aC
137.000aC
201.000aC
5.ª RAÇA
41
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Eis como E. Schuré, o inspirado autor de tantas e tão belas obras
de fundo espiritualista, descreve esse êxodo:
- ”Se o sol da África incubou a raça negra, direi que os gelos do
pólo ártico viram a eclosão da raça branca. Estes são os
Hiperbóreos dos quais fala a mitologia grega.
Esses homens de cabelos vermelhos, olhos azuis, vieram do norte,
através de florestas iluminadas por auroras boreais,
acompanhados de cães e de renas, comandados por chefes
temerários e impulsionados por mulheres videntes.
Raça que deveria inventar o culto do sol e do fogo sagrado e
trazer para o mundo a nostalgia do céu, umas vezes se revoltando
contra ele e tentando escalá-lo de assalto e outras se
prosternando ante seus esplendores em uma adoração absoluta.”
Os Exilados de Capela
5.ª RAÇA
42
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
Momentos marcantes do atual ciclo de 28.000 anos,
ocorrendo a cada ciclo de 7.000.
43
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram,
proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se
haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes
dos "primatas" (…). Com a sua reencarnação no mundo terreno,
estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos
seres.
Um grande acontecimento se verificara no planeta. É que, com
essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças
brancas. Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde
atravessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egipto,
encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que
várias regiões da América guardam assinalados vestígios.”
5.ª RAÇA
44
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
“Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do
Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados
compromissos.
Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas
exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de
muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém,
infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que
correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado
passivo de débitos clamorosos.”
A Caminho da Luz
5.ª RAÇA
45
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
5.ª RAÇA
LOCALIZAÇÃO
Aperfeiçoa-se no Hiperbóreo, mas também irradia para todo o globo.
DATAÇÃO
Terá surgido à 25 Ma e vigora actualmente.
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS
Compreende a espécie Homo sapiens sapiens, a mais evoluída espécie humana. Tem
uma capacidade craniana de 1450 cm3. Forma craniana mais delicada, tal como o
corpo, com cada vez menos pêlos. Desenvolve a linguagem. Pele muito branca,
cabelos ruivos e olhos claros.
SUB-RAÇAS
. Indo-Arianos – Índia;
. Acádios – M. Oriente;
. Caldeus – M. Oriente;
. Egípcios – Egipto;
. Europeus – Europa.
Raça Amarela e Negra;
. Indianos – Índia;
. Israelitas – M. Oriente;
. Egípcios – Egipto;
. Árias – Europeus.
Continuação da descida dos capelinos
46
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PROGRESSO CIENTÍFICO
Ocorre um despertar intelectual
enorme;
Fabrica-se uma variedade extensa de
utensílios e cada vez mais perfeitos
(ferramentas agrícolas, armas,
utensílios de pesca e pecuária);
Descobrem técnicas agrícolas
aumentando a população e a
esperança de vida;
Domesticam mais animais;
Especializam tarefas;
Fabricam tecidos e costuram-nos;
Melhoram a organização Político-
Económica;
Dominam o manuseamento dos
metais.
5.ª RAÇA Início da descida dos capelinos
47
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
PROGRESSO MORAL
Começam por ser fabricadas jóias (com ovos de
avesruz, pedras e metais), estatuetas (em argila)
e instrumentos musicais, que depois vão sendo
aperfeiçoados;
Surgem as primeiras pinturas (que são somente
datadas entre os 18.000 e os 11.000 anos atrás);
Transmitem o conhecimento fruto de uma
melhoria na comunicação entre eles.
PROGRESSO RELIGIOSO
Nas cerimónias fúnebres os corpos são enterrados
com os utensílios que os acompanharam na vida
terrena;
É prestado culto a divindades naturais como o Sol,
a chuva, o trovão, o vento, etc.
5.ª RAÇA Continuação da migração dos capelinos
48
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
EXILADOS DE CAPELA
RAÇA AMARELA / CHINESESRAÇA NEGRA / AFRICANOS
MIGRAÇÕES DOS POVOS
SUMÉRIOS
EGÍPCIOS
BABILÓNIOS
PERSAS
FENÍCIOS
ISRAELITAS
GREGOS
ROMANOS
EGÍPCIOS
ISRAELITASINDIANOS
ARIANOS PUROS
ARIANOS
EUROPEUS HINDUS
IBEROS
SAXÓNIOS
GAULESES
GERMANOS
ESLAVOS
LATINOS
49
Rebelva, 25 de julho, 2014
REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO
A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA
DEBATE
50

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Denise Aguiar
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispírito
bonattinho
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
Wagner Júnior
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Sergio Lima Dias Junior
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
Victor Passos
 
Sono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão EspíritaSono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão Espírita
ARMAZÉM DE ARTES TANIA PAUPITZ
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
Denise Aguiar
 
090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3
Carlos Alberto Freire De Souza
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
Daniel de Melo
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13
Roseli Lemes
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
EHMANA
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
contatodoutrina2013
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
home
 
Ação dos espíritos sobre os fluidos
Ação dos espíritos sobre os fluidosAção dos espíritos sobre os fluidos
Ação dos espíritos sobre os fluidos
Renato Assef
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
contatodoutrina2013
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de forçaPrimeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
CeiClarencio
 
Mediunidade conceitos e tipos - n.16
Mediunidade conceitos  e tipos - n.16Mediunidade conceitos  e tipos - n.16
Mediunidade conceitos e tipos - n.16
Graça Maciel
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
Leonardo Pereira
 

Mais procurados (20)

Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.
 
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª ParteProgressão dos Espíritos - 1ª Parte
Progressão dos Espíritos - 1ª Parte
 
Slide perispírito
Slide  perispíritoSlide  perispírito
Slide perispírito
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
 
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - DesdobramentoMocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
Mocidade Espírita Chico Xavier - Desdobramento
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
 
Sono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão EspíritaSono e Sonhos na visão Espírita
Sono e Sonhos na visão Espírita
 
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSALFLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
FLUIDO CÓSMICO UNIVERSAL
 
090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3090520 da criação – livro i, cap 3
090520 da criação – livro i, cap 3
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
 
Ação dos espíritos sobre os fluidos
Ação dos espíritos sobre os fluidosAção dos espíritos sobre os fluidos
Ação dos espíritos sobre os fluidos
 
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos EspíritosAula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
Aula 06 - Introdução do Livro dos Espíritos
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de forçaPrimeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
 
Mediunidade conceitos e tipos - n.16
Mediunidade conceitos  e tipos - n.16Mediunidade conceitos  e tipos - n.16
Mediunidade conceitos e tipos - n.16
 
Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!Médiuns e mediunidade!
Médiuns e mediunidade!
 

Destaque

Anjos da Guarda
Anjos da GuardaAnjos da Guarda
Anjos da Guarda
Ponte de Luz ASEC
 
Reforma íntima para o progresso moral
Reforma íntima para o progresso moralReforma íntima para o progresso moral
Reforma íntima para o progresso moral
Ponte de Luz ASEC
 
Estudo Espírita
Estudo EspíritaEstudo Espírita
Estudo Espírita
Fórum Espírita
 
O médico Jesus
O médico JesusO médico Jesus
O médico Jesus
Irene Muttoni Rabaiolli
 
Estudo mensal amais os vossos inimigos
Estudo mensal amais os vossos inimigosEstudo mensal amais os vossos inimigos
Estudo mensal amais os vossos inimigos
Fórum Espírita
 
Sentimentos a força do espírito
Sentimentos   a força do espíritoSentimentos   a força do espírito
Sentimentos a força do espírito
Ponte de Luz ASEC
 
Os sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médicoOs sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médico
nelmarvoc
 
O médico jesus (josé carlos de lucca)
O médico jesus (josé carlos de lucca)O médico jesus (josé carlos de lucca)
O médico jesus (josé carlos de lucca)
mateusjardim
 
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Denise Tofoli
 
+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais
Fórum Espírita
 
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistasIntrodução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
Denise Aguiar
 
Primeiro Módulo - Aula 4 - Criação
Primeiro Módulo - Aula 4 - CriaçãoPrimeiro Módulo - Aula 4 - Criação
Primeiro Módulo - Aula 4 - Criação
CeiClarencio
 
Origem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humanoOrigem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humano
Rodolfo Ferreira de Oliveira
 
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objetoIntrodução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Denise Aguiar
 
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europaPalestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Jose Ferreira Almeida
 

Destaque (15)

Anjos da Guarda
Anjos da GuardaAnjos da Guarda
Anjos da Guarda
 
Reforma íntima para o progresso moral
Reforma íntima para o progresso moralReforma íntima para o progresso moral
Reforma íntima para o progresso moral
 
Estudo Espírita
Estudo EspíritaEstudo Espírita
Estudo Espírita
 
O médico Jesus
O médico JesusO médico Jesus
O médico Jesus
 
Estudo mensal amais os vossos inimigos
Estudo mensal amais os vossos inimigosEstudo mensal amais os vossos inimigos
Estudo mensal amais os vossos inimigos
 
Sentimentos a força do espírito
Sentimentos   a força do espíritoSentimentos   a força do espírito
Sentimentos a força do espírito
 
Os sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médicoOs sãos não precisam de médico
Os sãos não precisam de médico
 
O médico jesus (josé carlos de lucca)
O médico jesus (josé carlos de lucca)O médico jesus (josé carlos de lucca)
O médico jesus (josé carlos de lucca)
 
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
 
+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais+Amor.um pedido dosanimais
+Amor.um pedido dosanimais
 
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistasIntrodução ao estudo do espiritismo - cientistas
Introdução ao estudo do espiritismo - cientistas
 
Primeiro Módulo - Aula 4 - Criação
Primeiro Módulo - Aula 4 - CriaçãoPrimeiro Módulo - Aula 4 - Criação
Primeiro Módulo - Aula 4 - Criação
 
Origem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humanoOrigem e evolução do ser humano
Origem e evolução do ser humano
 
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objetoIntrodução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
Introdução ao estudo do espiritismo: conceito e objeto
 
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europaPalestra 01 contexto histórico do século xix na europa
Palestra 01 contexto histórico do século xix na europa
 

Semelhante a Reencarnação e Evolução

Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
Paulo Alexandre
 
A vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolíticoA vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolítico
amgmrodrigues
 
Origem do homem
Origem do homemOrigem do homem
Origem do homem
Maksud Rangel
 
As origens da humanidade
As origens da humanidadeAs origens da humanidade
As origens da humanidade
André Luiz Macieira
 
Criação x evolução
Criação x evoluçãoCriação x evolução
Criação x evolução
Orlando Fermino Cardoso Junior
 
Historia vol 2
Historia vol 2Historia vol 2
Historia vol 2
Blaunier Matheus
 
Cap 16 a herança cultural
Cap 16 a herança culturalCap 16 a herança cultural
Cap 16 a herança cultural
Joao Balbi
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
Denis Gasco
 
1.a longa marcha do Homem
1.a longa marcha do Homem1.a longa marcha do Homem
1.a longa marcha do Homem
Ana Gonçalves
 
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
deizealmagro1
 
Pré História
Pré HistóriaPré História
Pré História
Josefa Libório
 
Pré história
Pré históriaPré história
O Paleolítico
O PaleolíticoO Paleolítico
O Paleolítico
HistN
 
Evolução das espécies.
Evolução das espécies.Evolução das espécies.
Evolução das espécies.
Brenno Miranda
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
Prevupe - Pré-História Geral
Prevupe - Pré-História GeralPrevupe - Pré-História Geral
Prevupe - Pré-História Geral
Rodrigo Ferreira
 
Aula em slide sobre a origem do homem.ppt
Aula  em slide sobre a origem do homem.pptAula  em slide sobre a origem do homem.ppt
Aula em slide sobre a origem do homem.ppt
JULIA911569
 
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerraHistoria geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Sandra Helena
 
O surgimento do homem
O surgimento do homemO surgimento do homem
O surgimento do homem
direitounimonte
 
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
Daniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeireDaniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeire
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
NeticiaMatos
 

Semelhante a Reencarnação e Evolução (20)

Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
 
A vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolíticoA vida do homem no paleolítico
A vida do homem no paleolítico
 
Origem do homem
Origem do homemOrigem do homem
Origem do homem
 
As origens da humanidade
As origens da humanidadeAs origens da humanidade
As origens da humanidade
 
Criação x evolução
Criação x evoluçãoCriação x evolução
Criação x evolução
 
Historia vol 2
Historia vol 2Historia vol 2
Historia vol 2
 
Cap 16 a herança cultural
Cap 16 a herança culturalCap 16 a herança cultural
Cap 16 a herança cultural
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
 
1.a longa marcha do Homem
1.a longa marcha do Homem1.a longa marcha do Homem
1.a longa marcha do Homem
 
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
Aula introduo-histriajack-1207757692843510-8
 
Pré História
Pré HistóriaPré História
Pré História
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
O Paleolítico
O PaleolíticoO Paleolítico
O Paleolítico
 
Evolução das espécies.
Evolução das espécies.Evolução das espécies.
Evolução das espécies.
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
 
Prevupe - Pré-História Geral
Prevupe - Pré-História GeralPrevupe - Pré-História Geral
Prevupe - Pré-História Geral
 
Aula em slide sobre a origem do homem.ppt
Aula  em slide sobre a origem do homem.pptAula  em slide sobre a origem do homem.ppt
Aula em slide sobre a origem do homem.ppt
 
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerraHistoria geral-das-religioes-karina-bezerra
Historia geral-das-religioes-karina-bezerra
 
O surgimento do homem
O surgimento do homemO surgimento do homem
O surgimento do homem
 
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
Daniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeireDaniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeire
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
 

Mais de Ponte de Luz ASEC

Vencendo os vícios
Vencendo os víciosVencendo os vícios
Vencendo os vícios
Ponte de Luz ASEC
 
Transcomunicação instrumental
Transcomunicação instrumentalTranscomunicação instrumental
Transcomunicação instrumental
Ponte de Luz ASEC
 
As experiências do Grupo de Scole
As experiências do Grupo de ScoleAs experiências do Grupo de Scole
As experiências do Grupo de Scole
Ponte de Luz ASEC
 
Pluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitadosPluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitados
Ponte de Luz ASEC
 
Períspirito - Diferentes corpos e funções
Períspirito - Diferentes corpos e funçõesPeríspirito - Diferentes corpos e funções
Períspirito - Diferentes corpos e funções
Ponte de Luz ASEC
 
Pai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
Pai Nosso e outras orações deixadas por JesusPai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
Pai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
Ponte de Luz ASEC
 
A oração no jardim das Oliveiras
A oração no jardim das OliveirasA oração no jardim das Oliveiras
A oração no jardim das Oliveiras
Ponte de Luz ASEC
 
O milagre do sol e o espiritismo
O milagre do sol e o espiritismoO milagre do sol e o espiritismo
O milagre do sol e o espiritismo
Ponte de Luz ASEC
 
Jesus e Nicodemos - o novo Nascimento
Jesus e Nicodemos - o novo NascimentoJesus e Nicodemos - o novo Nascimento
Jesus e Nicodemos - o novo Nascimento
Ponte de Luz ASEC
 
O nascimento de Cristo - desvendando questões
O nascimento de Cristo - desvendando questõesO nascimento de Cristo - desvendando questões
O nascimento de Cristo - desvendando questões
Ponte de Luz ASEC
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
Ponte de Luz ASEC
 
Mediunidade e Justiça
Mediunidade e JustiçaMediunidade e Justiça
Mediunidade e Justiça
Ponte de Luz ASEC
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
Ponte de Luz ASEC
 
Conversas com Jesus - Tolerância
Conversas com Jesus - TolerânciaConversas com Jesus - Tolerância
Conversas com Jesus - Tolerância
Ponte de Luz ASEC
 
Jesus e Simão - o primeiro encontro
Jesus e Simão - o primeiro encontroJesus e Simão - o primeiro encontro
Jesus e Simão - o primeiro encontro
Ponte de Luz ASEC
 
Conversas com Jesus - Justiça
Conversas com Jesus - JustiçaConversas com Jesus - Justiça
Conversas com Jesus - Justiça
Ponte de Luz ASEC
 
Jesus e o primeiro Evangelho no Lar
Jesus e o primeiro Evangelho no LarJesus e o primeiro Evangelho no Lar
Jesus e o primeiro Evangelho no Lar
Ponte de Luz ASEC
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
Ponte de Luz ASEC
 
Engenharia Genética
Engenharia GenéticaEngenharia Genética
Engenharia Genética
Ponte de Luz ASEC
 
Experiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo FísicoExperiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo Físico
Ponte de Luz ASEC
 

Mais de Ponte de Luz ASEC (20)

Vencendo os vícios
Vencendo os víciosVencendo os vícios
Vencendo os vícios
 
Transcomunicação instrumental
Transcomunicação instrumentalTranscomunicação instrumental
Transcomunicação instrumental
 
As experiências do Grupo de Scole
As experiências do Grupo de ScoleAs experiências do Grupo de Scole
As experiências do Grupo de Scole
 
Pluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitadosPluralidade de mundos habitados
Pluralidade de mundos habitados
 
Períspirito - Diferentes corpos e funções
Períspirito - Diferentes corpos e funçõesPeríspirito - Diferentes corpos e funções
Períspirito - Diferentes corpos e funções
 
Pai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
Pai Nosso e outras orações deixadas por JesusPai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
Pai Nosso e outras orações deixadas por Jesus
 
A oração no jardim das Oliveiras
A oração no jardim das OliveirasA oração no jardim das Oliveiras
A oração no jardim das Oliveiras
 
O milagre do sol e o espiritismo
O milagre do sol e o espiritismoO milagre do sol e o espiritismo
O milagre do sol e o espiritismo
 
Jesus e Nicodemos - o novo Nascimento
Jesus e Nicodemos - o novo NascimentoJesus e Nicodemos - o novo Nascimento
Jesus e Nicodemos - o novo Nascimento
 
O nascimento de Cristo - desvendando questões
O nascimento de Cristo - desvendando questõesO nascimento de Cristo - desvendando questões
O nascimento de Cristo - desvendando questões
 
Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
Mediunidade e Justiça
Mediunidade e JustiçaMediunidade e Justiça
Mediunidade e Justiça
 
Maledicência
MaledicênciaMaledicência
Maledicência
 
Conversas com Jesus - Tolerância
Conversas com Jesus - TolerânciaConversas com Jesus - Tolerância
Conversas com Jesus - Tolerância
 
Jesus e Simão - o primeiro encontro
Jesus e Simão - o primeiro encontroJesus e Simão - o primeiro encontro
Jesus e Simão - o primeiro encontro
 
Conversas com Jesus - Justiça
Conversas com Jesus - JustiçaConversas com Jesus - Justiça
Conversas com Jesus - Justiça
 
Jesus e o primeiro Evangelho no Lar
Jesus e o primeiro Evangelho no LarJesus e o primeiro Evangelho no Lar
Jesus e o primeiro Evangelho no Lar
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
Engenharia Genética
Engenharia GenéticaEngenharia Genética
Engenharia Genética
 
Experiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo FísicoExperiências Fora do Corpo Físico
Experiências Fora do Corpo Físico
 

Último

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 

Último (14)

9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 

Reencarnação e Evolução

  • 1. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A formação da Espécie Humana durante a Pré-História
  • 2. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA Preparação para o Reino Hominal Períodos da Matéria Planetária Primeira Raça Segunda Raça Terceira raça Quarta Raça Quinta Raça 2
  • 3. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PREPARAÇÃO PARA O REINO HOMINAL 3
  • 4. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “O reino animal experimenta as mais estranhas transições no período terciário, sob as influências do meio e em face dos imperativos da lei de seleção. (…) vamos encontrar os primeiros antepassados do homem sofrendo os processos de aperfeiçoamento da Natureza. No período terciário a que nos reportamos, sob a orientação das esferas espirituais notavam-se algumas raças de antropóides, no Plioceno inferior.” A Caminho da Luz PRIMEIROS HOMINIDEOS 4
  • 5. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA DATAÇÃO Os últimos dados científicos indicam que terão surgido à aproximadamente 5 Milhões de anos (Ma), estendendo-se até a 1.6 Ma atrás. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS A ciência assume o Sahelanthropus tchadensis, como a primeira de todas as sub-espécies dos Australopithecus até ao Australopithecus robustus. As alterações genéticas operadas pelos mentores do globo são constantes, de modo a atingir-se a espécie certa para as raças vindouras. Já bípedes, assemelhavam-se na estatura mais aos símios do que ao homem actual. Possuíam um crânio com 440 cm3; os maxilares estavam adiantados, com mandíbulas, dentes e músculos mastigatórios fortes, ausência de testa, saliências nas têmporas e na nuca. PRIMEIROS HOMINIDEOS 5
  • 6. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA DATAÇÃO Entre os 2.2 Ma e os 400.000 anos. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS Compreende as primeiras espécies que a Ciência considera Humanas: o Homo habilis e o Homo erectus (Pitecantropus e Sinantropus). A primeira tem uma capacidade craniana de 630 cm3, enquanto a segunda detém já uma capacidade de 900 cm3. Detêm um porte sucessivamente mais avantajado e uma posição cada vez mais erecta. As feições são menos grotescas, com um aumento da dimensão da testa, alargamento da face, uma diminuição do tamanho dos dentes e subsequente recuo dos maxilares. PRIMEIROS HOMINIDEOS 6
  • 7. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PROGRESSO CIENTÍFICO Levam existências rudimentares, pouco diferentes das dos restantes animais. PROGRESSO MORAL e RELIGIOSO Limitam a sua existência a responder a estímulos instintivos (alimentação, descanso e reprodução), não tendo noção da vida espiritual. PRIMEIROS HOMINIDEOS 7
  • 8. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Os antropóides das cavernas espalharam-se, então, aos grupos, pela superfície do globo, no curso vagaroso dos séculos, sofrendo as influências do meio e formando os pródromos das raças futuras em seus tipos diversificados; a realidade, porém, é que as entidades espirituais auxiliaram o homem do sílex, imprimindo-lhe novas expressões biológicas.” A Caminho da Luz PRIMEIROS HOMINIDEOS 8
  • 9. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PERÍODOS DA MATÉRIA PLANETÁRIA 9
  • 10. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “…a Terra, em sua constituição física (…) possui os seus grandes períodos de atividade e de repouso. Cada período de atividade e cada período de repouso da Matéria Planetária (…) pode ser calculado, cada um, em 260.000 anos.” “…desses 260.000 anos de atividade, 60 a 64 mil anos são empregados na reorganização (…) da vida organizada. Logo em seguida, surge o desenvolvimento das grandes raças que (enquadram) a evolução do espírito domiciliado na Terra. Assim, depois desses 60 a 64 mil anos de reorganização de nossa Casa Planetária, temos sempre grandes transformações, de 28 em 28 mil anos.” In Entrevista Chico Xavier - Revista Boa Vontade - Outubro/1956 10
  • 11. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A astronomia demonstra hoje a existência dos movimentos de Precessão (23 Ma) e de Nutação (18,6 Ma). 11
  • 12. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A PRIMEIRA RAÇA 12
  • 13. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Os séculos correram o seu velário de experiências penosas sobre a fronte dessas criaturas de braços alongados e de pelos densos, até que um dia as hostes do invisível operaram uma definitiva transição no corpo perispiritual preexistente, dos homens primitivos, nas regiões siderais e em certos intervalos de suas reencarnações. Surgem os primeiros selvagens de compleição melhorada, tendendo à elegância dos tempos do porvir. Uma transformação visceral verificara-se na estrutura dos antepassados das raças humanas.” A Caminho da Luz 1.ª RAÇA 13
  • 14. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “O homem, para atingir o complexo de suas perfeições biológicas na Terra, teve o concurso de Espíritos exilados de um mundo melhor para o orbe terráqueo (…) que foram em tempos remotíssimos desterrados para as sombras e para as regiões selvagens da Terra (…).O vosso mundo era então povoado pelos tipos do "Primata hominus ", dentro das eras da caverna e do sílex, e essas legiões (…) se aproximavam bastante do "Pithecanthropus erectus " (…) Foram, portanto, as entidades espirituais a que me referi que, (…) imprimiram um novo fator de organização às raças primigénias, dotando-as de novas combinações biológicas, objetivando o aperfeiçoamento do organismo humano..” Emmanuel, in comunicação recebida, em 1937, por Francisco Xavier 1.ª RAÇA 14
  • 15. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA LOCALIZAÇÃO Concebida no Plano Espiritual. ORIGEM Acompanhando a evolução do Reino Animal, a individualização do Princípio Inteligente começa a abandonar a exclusividade do instinto e da inteligência material, para se preparar para a aquisição da inteligência moral e da consciência de si próprio. CARACTERÍSTICAS Físicas: Os seus corpos começam por ser essencialmente étereos, proporcionando-lhes o primeiro contacto consciente com a matéria. Mais tarde adquirem propriedades mais densas, a ponto de poderem ser já perceptíveis pelos nossos sentidos, mas ainda assim distantes dos componentes materiais que hoje formam os corpos humanos. Pseudo-Morais: Progridem lentamente através do contacto com a matéria e da sujeição às suas leis, conforme o direcionamento das experiências da espiritualidade mais elevada, que geria o globo. DATAÇÃO Desenvolveu-se à aproximadamente 140 Ma. 1.ª RAÇA 15
  • 16. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “… a promoção do princípio espiritual do animal à racionalidade humana se processa fora da Terra, dentro de condições e aspectos que não posso vos descrever, dada a ausência de elementos analógicos para as minhas comparações. E que Jesus nos inspire, esclarecendo as nossas mentes em face de todas as grandiosidades das leis divinas, imperantes na Criação. " Assim, pois, quando essa operação transformadora se consumou fora da Terra, no astral planetário ou em algum mundo vizinho, estava “ipso facto” criada a raça humana, com todas as suas características e atributos iniciais, a Primeira Raça-Mãe, que a tradição espiritual oriental definiu da seguinte maneira: “espíritos ainda inconscientes, habitando corpos fluídicos, pouco consistentes”” Emmanuel, in comunicação recebida, em 1937, por Francisco Xavier 16
  • 17. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A SEGUNDA RAÇA 17
  • 18. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 25.000aC 53.000aC 81.000aC 109.000aC 137.000aC 201.000aC “Os homens dessa Segunda Raça em quase nada se distinguiam dos seus antecessores símios; eram grotescos, animalizados, inteiramente peludos, enormes cabeças pendentes para a frente, braços longos que quase tocavam os joelhos; ferozes, de andar trôpego e vacilante e em cujo olhar, inexpressivo e esquivo, predominavam a desconfiança e o medo.” 2.ª RAÇA 18
  • 19. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 2.ª RAÇA LOCALIZAÇÃO Surge no grande continente da Lemúria. DATAÇÃO Foi dominante entre 110 Ma e 80 Ma. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS As alterações genéticas operadas pelos mentores do globo são constantes, de modo a atingir-se a espécie certa para as raças vindouras. 19
  • 20. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “… as falanges do Cristo operavam ainda as últimas experiências sobre os fluidos renovadores da vida, aperfeiçoando os caracteres biológicos das raças humanas. A Natureza ainda era, para os trabalhadores da espiritualidade, um campo vasto de experiências infinitas; tanto assim que, se as observações do mendelismo fossem transferidas àqueles milénios distantes, não se encontraria nenhuma equação definitiva nos seus estudos de biologia. A moderna genética não poderia fixar, como hoje, as expressões dos "genes", porquanto, no laboratório das forças invisíveis, as células ainda sofriam longos processos de acrisolamento, imprimindo-se-lhes elementos de astralidade, consolidando-se-lhes as expressões definitivas, com vistas às organizações do porvir. Se a génese do planeta se processara com a cooperação dos milénios, a génese das raças humanas requeria a contribuição do tempo, até que se abandonasse a penosa e longa tarefa da sua fixação.” A Caminho da Luz 20
  • 21. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Os homens dessa Segunda Raça em quase nada se distinguiam dos seus antecessores símios; eram grotescos, animalizados, inteiramente peludos, enormes cabeças pendentes para a frente, braços longos que quase tocavam os joelhos; ferozes, de andar trôpego e vacilante e em cujo olhar, inexpressivo e esquivo, predominavam a desconfiança e o medo. Alimentavam-se de frutos e raízes; viviam isolados, escondidos nas matas e nas rochas, fugindo uns dos outros, vendo nas feras que os rodeavam por toda parte seres semelhantes a eles mesmos, e procriando-se instintivamente, sem preocupação de estabelecerem entre si laços de afeto ou de intimidade permanente. Quem olhasse então o mundo não diria que ele já era habitado por seres humanos.” 2.ª RAÇA 21
  • 22. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Essa Segunda Raça evoluiu por muitos milénios, dando tempo a que se procedesse a necessária adaptação ao meio ambiente até que, por fim, como desabrochar lento e custoso da inteligência, surgiu entre seus componentes o desejo de vida comum que, nessa primeira etapa evolutiva, era visceralmente brutal e violento. Os ímpetos do sexo nasceram de forma terrivelmente bárbara e os homens saíam furtivamente de seus antros escuros para se apoderarem pela força de companheiras inconscientes e indefesas, com as quais geravam filhos que se criavam por si mesmos, ao redor do núcleo familiar, como feras.” 2.ª RAÇA 22
  • 23. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A TERCEIRA RAÇA 23
  • 24. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “…Depois do período dos 64 mil anos, tivemos duas raças na Terra, cujos traços se perderam, por causa de seu primitivismo. Logo em seguida, podemos considerar a grande raça Lemuriana, como portadora de uma inteligência algo mais avançada, detentora de valores mais altos, nos domínios do espírito.” 25.000aC 53.000aC 81.000aC 109.000aC 137.000aC 201.000aC 3.ª RAÇA 24
  • 25. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Com o correr do tempo, entretanto, essa proliferação desordenada e o agrupamento forçado de seres do mesmo sangue, obrigaram os homens a procurar habitações mais amplas e cómodas, que encontraram em grutas e cavernas naturais, nas bases das colinas ou nas anfratuosidades das montanhas. Sua inteligência ainda não bastava para a idealização de construções mais apropriadas e assim surgiram os trogloditas da Idade da Pedra, em cujos olhos, porém, já a esse tempo, luziam os primeiros fulgores do entendimento e cujos corações já de alguma forma se abrandavam ao calor dos primeiros sentimentos humanos.” João o Evangelista; Roma e o Evangelho – Pellincer. 3.ª RAÇA 25
  • 26. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Depois do primeiro dia da humanidade, o corpo do homem aparece menos feio, menos repugnante à contemplação de minha alma. Sua fronte começa a debuxar-se na parte superior do rosto, quando o vento açoita e levanta as ásperas melenas que a cobrem. Os seus olhos são mais vivos e transparentes; o seu nariz é mais afilado e levantado e a sua boca é menos proeminente. Seus braços são menos longos e esquálidos, suas carnes menos secas, suas mãos menos volumosas e com dedos mais prolongados; os ossos do esqueleto mais arredondados, mais bem dispostos aos movimentos das articulações; maior elasticidade existe nos músculos e mais transparência na pele que cobre todo o corpo. 3.ª RAÇA 26
  • 27. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “No seu olhar se reflete o primeiro raio de luz intelectual, como um primeiro despertar do seu espírito adormecido. No seu caminhar, já menos lerdo e vacilante, adivinha-se a ação inicial da vontade, o princípio das manifestações espontâneas. Procura a mulher e não mais a abandona; assiste-lhe no nascimento dos filhos, com quem reparte o calor e o alimento. O sentimento começa a despertar-lhe. ” João o Evangelista; Roma e o Evangelho – Pellincer. “A faculdade de pensar, adquirida há aproximadamente 60.000 anos, quando lhe surgiram as primeiras emoções.” Divaldo Franco 3.ª RAÇA 27
  • 28. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA O surgimento das emoções 1.º Medo Começa a temer a morte. Promove uma fissão no cortex. Do confronto morte vs vida, desponta o raciocínio. Terror, pavor e receio dão origem à … 2.º Ira É a exteriorização da agressividade para defender a vida. Da ira surgem a mágoa, ódio, ciúme e vingança. A reação hormonal das glândulas supra-renais descarregam a adrenalina. O cortisol reequilibra. Confronto entre o impulso de fazer e o estímulo de recuar (Livre Arbítrio). 3.º Amor A necessidade de proteger o clã desponta o Amor, fraternidade, amizade, abnegação e altruísmo. 3.ª RAÇA 28
  • 29. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA DATAÇÃO Terá existido entre os 80 Mil anos e os 45 mil anos. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS Compreende as espécies Homo, maioritariamente o sapiens archaic e o Homo sapiens neandertalensis. O primeiro tem uma capacidade craniana de 1200 cm3, enquanto a segunda detém uma capacidade de 1500 cm3, superior ao Homem actual. Possui um corpo mais robusto e muito semelhante ao actual. Apuramento gradual de sentidos. Últimas alterações cranianas aumentam a capacidade de penetração nos mundos etéreos, desenvolvendo novas faculdades psíquicas. 3.ª RAÇA 29
  • 30. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Extraordinárias experiências foram realizadas pelos mensageiros do invisível. As pesquisas recentes da Ciência sobre o tipo de Neanderthal, reconhecendo nele uma espécie de homem bestializado, e outras descobertas interessantes da Paleontologia, quanto ao homem fóssil, são um atestado dos experimentos biológicos a que procederam os prepostos de Jesus, até fixarem no "primata" os característicos aproximados do homem futuro.” A Caminho da Luz 3.ª RAÇA 30
  • 31. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 3.ª RAÇA LOCALIZAÇÃO Surge na Lemúria e na Ásia. Mais tarde os Mongóis partem para a África (os primeiros) e Atlântida (os segundos). DATAÇÃO Terá dominado de à 80 Ma a 50 Ma. SUB-RAÇAS Rutas (aborígenes) – pele escura; Mongóis – pele amarela; Atlantes (índios) – pele vermelhada; Vestígios em tribos indianas e africanas. 31
  • 32. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 3.ª RAÇA PROGRESSO CIENTÍFICO Começam a fazer uso dos primeiros utensílios, ainda muito rudimentares. Constroem habitações rudimentares. Dão início à pecuária. Formam os primeiros agrupamentos sociais estáveis com definições hierárquicas baseadas na força. PROGRESSO MORAL De início, predominam a desconfiança e o medo nas suas relações, e os seus encontros ocorrem somente para satisfação dos seus instintos básicos (sexual e de sobrevivência). As lutas são constantes. A centelha individualizada que anima estes seres vai evoluindo e proporcionando-lhes uma maior consciência de si mesmos, desenvolvendo a inteligência moral (para além da material), tornando-se um Espírito. Com o desabrochar lento da inteligência moral, vão surgindo os primeiros agrupamentos familiares; Adivinha-se a acção da vontade e o despertar do sentimento. PROGRESSO RELIGIOSO Ignorantes espiritual e religiosamente. . 32
  • 33. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A QUARTA RAÇA 33
  • 34. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “… Após a raça Lemuriana - em seguida aos 28.000 anos de trabalho lemuriano (…) - chegamos ao grande período da raça Atlântida, (…).” 25.000aC 53.000aC 81.000aC 109.000aC 137.000aC 201.000aC4.ª RAÇA 34
  • 35. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Extinta dessa forma, em sua grande massa, a Terceira Raça habitante do Oriente, levantou-se, então, no Ocidente, o campo da nova civilização terrestre, com o incremento das encarnações dos exilados na Grande Atlântida, o "hábitat" da Quarta Raça, onde prepostos do Cristo já haviam, antecipadamente, preparado o terreno para esses novos surtos de vida planetária. Assim, pois, deslocava-se para essa nova região o progresso do mundo, enquanto os remanescentes da Terceira Raça, inclusive os tipos primitivos, continuariam a renascer nos povos retardados de todo o globo, os quais não pudessem acompanhar a marcha evolutiva da humanidade em geral, como até hoje se pode verificar.” 4.ª RAÇA 35
  • 36. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “E, da mesma forma como sucedera em outras partes, na Atlântida, os exilados, a partir dessa deslocação de massas, seguiram lentamente sua rota evolutiva e, apesar de mais evoluídos e menos selvagens que os Rutas do Oriente, nem, por isso, primavam por uma conduta mais perfeita. "Os atlantes primitivos da Quarta Raça-Mãe, que vieram em seguida, eram homens de elevada estatura, com a testa muito recuada; tinham cabelo solto e negro, de secção redonda, e nisto diferiam dos homens que vieram mais tarde, que possuíam secção ovalada; suas orelhas eram situadas bem mais para trás e para cima, no crânio”. 4.ª RAÇA 36
  • 37. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “A cabeça do perispírito ainda estava um tanto para fora, em relação ao corpo físico, o que indicava que ainda não havia integração perfeita; na raiz do nariz havia um "ponto (…), separado como nos animais, [que] nos homens atuais coincide no etéreo e no denso, perfeitamente integrados no conjunto psico- físico e essa separação dava aos atlantes uma capacidade singular de penetração nos mundos etéreos, e permitiu que desenvolvessem amplos poderes psíquicos que, por fim, degeneraram e levaram à destruição do continente. Nos atlantes dos últimos tempos, entretanto, (…) esses dois "pontos" já se haviam aproximado, dando a eles plena visão física e desenvolvimento dos sentidos.” 4.ª RAÇA 37
  • 38. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 4.ª RAÇA LOCALIZAÇÃO Surge predominantemente na Atlântida, mas irradia para todo o globo. DATAÇÃO Terá dominado entre 50 e 30 Ma atrás. SUB-RAÇAS Rmoahals (índios A. Norte) – gigantes / v.-escuro; Travlatis – montanheses / vermelho-escuro; Turanianos (mongóis) – colonizadores / amarelos; Mongóis (mongóis) – agricultores / amarelos; Toltecas (índios A. Sul) – administradores / v.- cobre; Semitas – guerreiros / pele escura; Acadios – comerciantes e navegadores. 38
  • 39. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PROGRESSO MORAL Predomina a materialidade inferior (egoísmo, avareza,etc). Evoluem de sociedades basedas na força, para governações com sentido de liderança. Desenvolvem a linguagem e memória a (Rmoahals). Aprimoramento da personalidade (Travlatis). PROGRESSO RELIGIOSO Começam a ser prestados os primeiros cultos aos antepassados (Travlatis) e organizam-se as primeiras cerimónias fúnebres. 4.ª RAÇA 39
  • 40. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA A QUINTA RAÇA 40
  • 41. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Achamo-nos, agora, nos últimos períodos da grande raça Ariana.” A Caminho da Luz 25.000aC 53.000aC 81.000aC 109.000aC 137.000aC 201.000aC 5.ª RAÇA 41
  • 42. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Eis como E. Schuré, o inspirado autor de tantas e tão belas obras de fundo espiritualista, descreve esse êxodo: - ”Se o sol da África incubou a raça negra, direi que os gelos do pólo ártico viram a eclosão da raça branca. Estes são os Hiperbóreos dos quais fala a mitologia grega. Esses homens de cabelos vermelhos, olhos azuis, vieram do norte, através de florestas iluminadas por auroras boreais, acompanhados de cães e de renas, comandados por chefes temerários e impulsionados por mulheres videntes. Raça que deveria inventar o culto do sol e do fogo sagrado e trazer para o mundo a nostalgia do céu, umas vezes se revoltando contra ele e tentando escalá-lo de assalto e outras se prosternando ante seus esplendores em uma adoração absoluta.” Os Exilados de Capela 5.ª RAÇA 42
  • 43. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA Momentos marcantes do atual ciclo de 28.000 anos, ocorrendo a cada ciclo de 7.000. 43
  • 44. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Aquelas almas aflitas e atormentadas reencarnaram, proporcionalmente, nas regiões mais importantes, onde se haviam localizado as tribos e famílias primitivas, descendentes dos "primatas" (…). Com a sua reencarnação no mundo terreno, estabeleciam-se fatores definitivos na história etnológica dos seres. Um grande acontecimento se verificara no planeta. É que, com essas entidades, nasceram no orbe os ascendentes das raças brancas. Em sua maioria, estabeleceram-se na Ásia, de onde atravessaram o istmo de Suez para a África, na região do Egipto, encaminhando-se igualmente para a longínqua Atlântida, de que várias regiões da América guardam assinalados vestígios.” 5.ª RAÇA 44
  • 45. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA “Não obstante as lições recebidas da palavra sábia e mansa do Cristo, os homens brancos olvidaram os seus sagrados compromissos. Grande percentagem daqueles Espíritos rebeldes, com muitas exceções, só puderam voltar ao país da luz e da verdade depois de muitos séculos de sofrimentos expiatórios; outros, porém, infelizes e retrógrados, permanecem ainda na Terra, nos dias que correm, contrariando a regra geral, em virtude do seu elevado passivo de débitos clamorosos.” A Caminho da Luz 5.ª RAÇA 45
  • 46. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA 5.ª RAÇA LOCALIZAÇÃO Aperfeiçoa-se no Hiperbóreo, mas também irradia para todo o globo. DATAÇÃO Terá surgido à 25 Ma e vigora actualmente. CARACTERÍSTICAS FÍSICAS Compreende a espécie Homo sapiens sapiens, a mais evoluída espécie humana. Tem uma capacidade craniana de 1450 cm3. Forma craniana mais delicada, tal como o corpo, com cada vez menos pêlos. Desenvolve a linguagem. Pele muito branca, cabelos ruivos e olhos claros. SUB-RAÇAS . Indo-Arianos – Índia; . Acádios – M. Oriente; . Caldeus – M. Oriente; . Egípcios – Egipto; . Europeus – Europa. Raça Amarela e Negra; . Indianos – Índia; . Israelitas – M. Oriente; . Egípcios – Egipto; . Árias – Europeus. Continuação da descida dos capelinos 46
  • 47. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PROGRESSO CIENTÍFICO Ocorre um despertar intelectual enorme; Fabrica-se uma variedade extensa de utensílios e cada vez mais perfeitos (ferramentas agrícolas, armas, utensílios de pesca e pecuária); Descobrem técnicas agrícolas aumentando a população e a esperança de vida; Domesticam mais animais; Especializam tarefas; Fabricam tecidos e costuram-nos; Melhoram a organização Político- Económica; Dominam o manuseamento dos metais. 5.ª RAÇA Início da descida dos capelinos 47
  • 48. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA PROGRESSO MORAL Começam por ser fabricadas jóias (com ovos de avesruz, pedras e metais), estatuetas (em argila) e instrumentos musicais, que depois vão sendo aperfeiçoados; Surgem as primeiras pinturas (que são somente datadas entre os 18.000 e os 11.000 anos atrás); Transmitem o conhecimento fruto de uma melhoria na comunicação entre eles. PROGRESSO RELIGIOSO Nas cerimónias fúnebres os corpos são enterrados com os utensílios que os acompanharam na vida terrena; É prestado culto a divindades naturais como o Sol, a chuva, o trovão, o vento, etc. 5.ª RAÇA Continuação da migração dos capelinos 48
  • 49. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA EXILADOS DE CAPELA RAÇA AMARELA / CHINESESRAÇA NEGRA / AFRICANOS MIGRAÇÕES DOS POVOS SUMÉRIOS EGÍPCIOS BABILÓNIOS PERSAS FENÍCIOS ISRAELITAS GREGOS ROMANOS EGÍPCIOS ISRAELITASINDIANOS ARIANOS PUROS ARIANOS EUROPEUS HINDUS IBEROS SAXÓNIOS GAULESES GERMANOS ESLAVOS LATINOS 49
  • 50. Rebelva, 25 de julho, 2014 REENCARNAÇÃO E EVOLUÇÃO A FORMAÇÃO DA ESPÉCIE HUMANA DURANTE A PRÉ-HISTÓRIA DEBATE 50