SlideShare uma empresa Scribd logo
CENTROS DE FORÇA
Centros Vitais ou Centros de Força
• Segundo André Luiz os “Centros Vitais ou
Centros de Força” estão situados no “Corpo
Espiritual ou Psicossoma” e funcionam como
terminais através dos quais a energia é
transferida de planos superiores para o corpo
físico.
• Os centros de força captam, metabolizam e
transferem essa energia para o corpo físico.
• O “Psicossoma está intimamente regido por sete
Centros de Força”, que se conjugam nas
ramificações dos plexos, vibrando em sintonia
uns com os outros, ao influxo do poder diretriz da
mente.
• A ciência, por enquanto, não tem condições de
identificar e reconhecer.
Os centros de força se
conectam com o corpo
físico através dos
plexos, zonas de maior
concentração de
terminações nervosas
situados no corpo físico,
são agrupamentos de
músculos, nervos e
vasos sanguíneos do
organismo humano.
Pensamentos viciados implica em desarmonias dos
centros de força e, consequentemente do corpo físico
diminuindo suas secreções glandulares e outras
substância essenciais à saúde, levando o indivíduo ao
adoecimento.
Centro de Força Coronário
https://www.cristaisaquarius.com.br/blog/chakras/
Centro de Força Cerebral
Centro de Força Laríngeo
Centro de Força Cardíaco
Centro de Força Esplênico
Centro de Força Gástrico
Centro de Força Genésico
Centros de força.pptx
Centro de Força Coronário
• Localiza-se no alto da cabeça, na região
central do cérebro (sede da mente).
• É o grande receptor e distribuidor das
energias espirituais e das energias
solares;
• Orienta a forma, o movimento, a
estabilidade, o metabolismo orgânico e
a vida consciencial da alma encarnada e
desencarnada;
• Dele emanam as energias de
sustentação do sistema nervoso;
• Alimenta as células do pensamento;
• Plasma em nós mesmos os efeitos
agradáveis ou desagradáveis de nossa
consciência e conduta;
• Favorece a sublimação da alma.
Relaciona-se com a
glândula pineal ou
epífise
CENTRO DE FORÇA CORONÁRIO
• Recebe, em primeiro lugar, os estímulos do espírito,
comandando os demais centros, vibrando com eles
em regime de interdependência;
• Supervisiona os demais centros de força vital;
• Liga os planos espiritual e material.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Como se a cabeça crescesse ou uma certa pressão
sobre ela; ou uma espécie de redemoinho, tontura; ou
mesmo ideias diferentes.
• Localiza-se na região da fronte, da
testa, entre os olhos, contíguo ao
coronário.
• Trabalha em sintonia com o centro
coronário. O coronário fornece as
energias e ele administra.
• Coordena os sentidos como a visão,
a audição, o tato, e os processos de
inteligência que estão ligados à
palavra, à cultura, à arte, ao saber.
• Comanda também o núcleo
endócrino referente aos poderes
psíquicos, assim administrando todo
o sistema nervoso.
Relaciona-se com os
lobos frontais e a
hipófise pituitária
Centro de Força Cerebral ou Frontal
CENTRO DE FORÇA CEREBRAL OU FRONTAL
• Exerce influência decisiva sobre os demais centros de força vital,
sendo responsável pelo funcionamento do sistema nervoso central
(sentidos físicos) e dos centros superiores do processo intelectivo.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR:
Influenciação nos sentidos:
• Ouvidos sensíveis demais;
• Olhos com muita claridade ou sombras, turvação, cores, lágrimas;
• No olfato, odores desagradáveis ou perfumes;
• No tato, mãos e pés frios ou suarentos;
• Impulsos para escrever;
• No paladar, salivação excessiva, gosto diferente na boca ou boca
seca.
• Localiza-se na garganta.
• Controla a respiração e a
fonação.
• Preside os fenômenos vocais, as
atividades das glândulas do timo,
da tireoide e da paratireoide.
Relaciona-se com a
glândula tireoide e o
plexo cervical
Centro de Força Laríngeo
CENTRO DE FORÇA LARÍNGEO
• Regula os fenômenos vocais (a emissão da voz),
inclusive as atividades das glândulas timo e tiroide.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Língua dormente;
• Saliva grossa ou excessiva;
• Dormência nos lábios ou em todo o aparelho fonador.
• Localiza-se na altura do coração.
• Dirige a emotividade e a
circulação das forças de base.
• Responsável pelo funcionamento
do aparelho circulatório.
• Sustenta o serviço da emoção e
o equilíbrio geral.
Relaciona-se com a
glândula timo e plexo
cardíaco
Centro de Força Cardíaco
CENTRO DE FORÇA CARDÍACO
• Responsável pelo funcionamento do aparelho
circulatório e pelo controle da emotividade.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Taquicardia;
• Pressão no peito;
• Respiração profunda e rápida;
• Falta de ar;
• Sensação de doação fluídica nesse centro de força.
• Localiza-se na região do baço.
• regula a distribuição e a circulação
adequada aos recursos vitais em
todos os caminhos do corpo
(produção de sangue)
• Responsável pelo funcionamento
do baço, pela formação e
reposição das defesas orgânicas
através do sangue. Como é o
principal transmissor de energia
vital para o corpo físico, sua função
mais importante repousa em sua
habilidade de absorver e distribuir
vitalidade.
Relaciona-se com o
plexo mesentérico e
o baço
Centro de Força Esplênico
CENTRO DE FORÇA ESPLÊNICO
• Regula a distribuição e a circulação dos recursos vitais
e a formação e reposição das defesas orgânicas pelo
sangue.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Mal-estar na barriga;
• Tremor e arrepios;
• Pernas enfraquecidas e doloridas.
• Localiza-se na região do umbigo.
• Controla a digestão e absorção
dos alimentos, pesados ou não,
que representam concentrados
fluídicos penetrando na
organização física.
Relaciona-se com o
pâncreas e o plexo
gástrico (solar)
Centro de Força Gástrico
CENTRO DE FORÇA GÁSTRICO
• Responsável pelo funcionamento do aparelho
digestivo, pela assimilação de elementos nutritivos e
reposição de fluidos em nossa organização física.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Enjoo ou náusea;
• Dores;
• Gases que provocam arroto;
• Quenturas ou friagens.
• Localiza-se na região do baixo
ventre.
• Guiando a modelagem de novas
formas entre os homens ou o
estabelecimento de estímulos
criadores, com vistas ao trabalho,
à associação e à realização entre
as almas.
Relaciona-se com os plexos
hipogástrico e sacral
Centro de Força Genésico
CENTRO DE FORÇA GENÉSICO
• Responsável pelo funcionamento dos órgãos de
reprodução e das emoções sexuais.
O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ
SENTIR:
• Vibração no baixo ventre;
• Dores nos membros inferiores.
CLASSIFICAÇÃO DOS CENTROS DE FORÇA EM
RELAÇÃO À FUNÇÃO NA MEDIUNIDADE:
ESPIRITUAIS:
O coronário e o frontal
PASSIONAIS (sentimentos):
Laríngeo e cardíaco
FISIOLÓGICOS (funcionamento
do organismo):
Gástrico, esplênico e genésico
De que maneira os Centros de força
influenciam em nossa vida
Nosso padrão vibratório determina a saúde dos
nossos centros de força. Se um desses centros
diminui há desequilíbrio no fluxo de energia.
Ter pensamentos ruins causa desarmonia nos
centros de força, reagindo diretamente no nosso
corpo material, fazendo surgir as doenças e o
envelhecimento.
Ao contrário, se temos pensamentos bons, se
fazemos o bem, os centros de força se harmonizam,
são estimulados, desbloqueados e, as energias vão
fluindo sem embaraços, nos causando bem estar,
saúde e jovialidade
Efeitos de bloqueio dos centros de força:
Coronário: a pessoa se anula para a vida, perde o contato com a realidade e não
consegue idealizar mais nada.
Cerebral ou frontal: a pessoa fica sem objetivos; perda de perspectiva e
direcionamento.
Laríngeo: a pessoa se fecha, não consegue se livrar da angústia; falta de criatividade;
dificuldade de expressão.
Cardíaco: a pessoa fica sem controle e não consegue separar a razão da emoção;
sente palpitação, angústia, desespero, medo, pânico.
Esplênico: a pessoa perde o amor próprio, não acredita em mais nada; perde o
apetite; sente ódio, raiva, rancor e medo;
Gástrico: a pessoa fica sem estrutura para se identificar; se fecha para o mundo;
vive no passado, sem alegria, sem satisfação.
Genésico: a pessoa fica aérea; falta de equilíbrio emocional; falta de ânimo e força;
desgaste físico.
Rearmonizando os centros de força
A prece, a irradiação, a água fluidificada e os passes são veículos
mediadores úteis, mas não é a base real para o reequilíbrio e
rearmonização dos centros de força. É necessário reformar-se
moralmente, agindo de maneira cristã em todos os momentos da
vida.
O tratamento não deve ter como foco apenas o corpo, pois desta
forma não se obterá a cura, apenas a melhora dos sintomas.
Cabe-nos exercitar atitudes sadias pelo autoconhecimento,
autoeducação, pelo perdão, pela fraternidade, pela compreensão,
ajudando, socorrendo e, principalmente, orando por nós e pelo
nosso próximo.
Dessa forma vibraremos em ondas de mais alto teor moral,
fazendo valer nosso centro coronário como captador das boas
energias espirituais para distribuir o equilíbrio aos demais centros.
Aura produzida
pela energia que
circula pelos
centros de força –
circuito fechado.
https://myloview.com.br/fotomural-energia-de-cura-aura-mulher-e-homem-silhueta-no-23A94C3
CRÉDITOS
Formatação: Marta Gomes P. Miranda
Referências Bibliográficas:
OLIVEIRA, Terezinha. Mediunidade – Coleção Estudos e Cursos
2. 15ª ed. Campinas: Allan Kardec, 2019. vol.2, cap. 10.
XAVIER, Chico. Entre a Terra e o Céu. 27ª ed. Brasília: FEB, 2018.
Pelo Espírito André Luiz. Cap. 20.
XAVIER, Chico & VIEIRA, Waldo. Evolução em dois Mundos. 27ª
ed. Brasília: FEB, 2017, Pelo Espírito André Luiz. Cap. 2.
https://slideplayer.com.br/slide/11622063/
Imagens:
www.google.com.br
CENTRO ESPÍRITA
“JOANA D’ARC”
Rua Ormindo Pires Amorim,
nº 1.516
Bairro: Jardim Marajó
Rondonópolis - MT
Centros de força.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
Wagner Quadros
 
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas expOlm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Carlos Alberto Freire De Souza
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuaisMediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
Aula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espiritaAula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espirita
Carlos Alberto Freire De Souza
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
EHMANA
 
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
Lar Irmã Zarabatana
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
09 duplo etérico
09 duplo etérico09 duplo etérico
09 duplo etérico
Antonio SSantos
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
jcevadro
 
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúdeOs sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Marcel Jefferson Gonçalves
 
apresentação do Magnetismo espirita natal
apresentação do Magnetismo espirita  natalapresentação do Magnetismo espirita  natal
apresentação do Magnetismo espirita natal
Wagner Marques
 
07 propriedades do perespirito
07   propriedades do perespirito07   propriedades do perespirito
07 propriedades do perespirito
carlos freire
 
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Edna Costa
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
Ricardo Azevedo
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
paikachambi
 
Ondas e Percepções
Ondas e PercepçõesOndas e Percepções
Ondas e Percepções
hamletcrs
 
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritual
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritualEducação dos sentimentos e psicosfera espiritual
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritual
Sandra Cecília Rocha
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
marjoriestavismeyer
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasma
jcevadro
 

Mais procurados (20)

11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade   coem
11ª aula – perigos e inconvenientes da mediunidade coem
 
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas expOlm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuaisMediunidade efeitos físicos e intelectuais
Mediunidade efeitos físicos e intelectuais
 
Aula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espiritaAula sobre o passe espirita
Aula sobre o passe espirita
 
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6   Mecanismo das Comunicações MediúnicasAula 6   Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
Aula 6 Mecanismo das Comunicações Mediúnicas
 
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
26/02/14 Cap 4 Parte 2 Livro Missionários da Luz
 
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
Influência dos Espíritos em nossos pensamentos e atos (Palestra Espírita)
 
09 duplo etérico
09 duplo etérico09 duplo etérico
09 duplo etérico
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúdeOs sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
Os sete chakras no espiritismo e em nossa saúde
 
apresentação do Magnetismo espirita natal
apresentação do Magnetismo espirita  natalapresentação do Magnetismo espirita  natal
apresentação do Magnetismo espirita natal
 
07 propriedades do perespirito
07   propriedades do perespirito07   propriedades do perespirito
07 propriedades do perespirito
 
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1Curso de Passe 2016 - Módulo 1
Curso de Passe 2016 - Módulo 1
 
O Poder do Pensamento
O Poder do PensamentoO Poder do Pensamento
O Poder do Pensamento
 
Obsessão
ObsessãoObsessão
Obsessão
 
Ondas e Percepções
Ondas e PercepçõesOndas e Percepções
Ondas e Percepções
 
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritual
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritualEducação dos sentimentos e psicosfera espiritual
Educação dos sentimentos e psicosfera espiritual
 
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan KardecSonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Sonambulismo, êxtase e dupla vista - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
08 o ectoplasma
08   o ectoplasma08   o ectoplasma
08 o ectoplasma
 

Semelhante a Centros de força.pptx

Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
Sergio Luiz , Palestrante Espírita - Professor, Cientista Social e Jornalista
 
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE PiracicabaSeminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
Alan Diniz Souza
 
Parte ii chacras principais
Parte ii   chacras principaisParte ii   chacras principais
Parte ii chacras principais
Lívia Maria Pereira
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Antonino Silva
 
Guia essencial-dos-chacras
Guia essencial-dos-chacrasGuia essencial-dos-chacras
Guia essencial-dos-chacras
Dirce Bussoloto
 
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
Sueli Marques
 
Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a PinealOs Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
Instituto Espírita de Educação
 
Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a  PinealOs Centros de Força e a  Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
Apometria Bauru
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
siaromjo
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
Ademilson Figueiredo
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
Ademilson Figueiredo
 
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
PatySilva82
 
Aspectos espirituais de saúde e doenças1
Aspectos espirituais de saúde e doenças1Aspectos espirituais de saúde e doenças1
Aspectos espirituais de saúde e doenças1
Dr. Walter Cury
 
Os chakras
Os chakras  Os chakras
Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)
Fatima Carvalho
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
Grupo Espírita Cristão
 
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins SoaresPalestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
Dra. Myrian Marino
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeo
jcevadro
 
Medicina da alma
Medicina da almaMedicina da alma
Medicina da alma
Ana Paula Mendes Silva
 
Parte 1 cláudia campos
Parte 1   cláudia camposParte 1   cláudia campos
Parte 1 cláudia campos
Claudia Barbosa Campos
 

Semelhante a Centros de força.pptx (20)

Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
Centros de Força do Perispírito (plexos, chacras)
 
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE PiracicabaSeminário Perispírito II USE Piracicaba
Seminário Perispírito II USE Piracicaba
 
Parte ii chacras principais
Parte ii   chacras principaisParte ii   chacras principais
Parte ii chacras principais
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
 
Guia essencial-dos-chacras
Guia essencial-dos-chacrasGuia essencial-dos-chacras
Guia essencial-dos-chacras
 
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
A importância de restabelecer o equilíbrio psíquico do paciente... dra sueli ...
 
Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a PinealOs Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
 
Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a  PinealOs Centros de Força e a  Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
 
Medicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismoMedicina e o espiritismo
Medicina e o espiritismo
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
 
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
_CROMOTERAPIA AULA 2 (2) (1).pdf
 
Aspectos espirituais de saúde e doenças1
Aspectos espirituais de saúde e doenças1Aspectos espirituais de saúde e doenças1
Aspectos espirituais de saúde e doenças1
 
Os chakras
Os chakras  Os chakras
Os chakras
 
Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)Espiritualidade e saúde (fatima)
Espiritualidade e saúde (fatima)
 
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M OM E D I C I N A  E  E S P I R I T I S M O
M E D I C I N A E E S P I R I T I S M O
 
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins SoaresPalestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
Palestra "A Cura Através das Emoções" Dra. Myrian Marino Martins Soares
 
11 centros vitais frontal e laríngeo
11   centros vitais frontal e laríngeo11   centros vitais frontal e laríngeo
11 centros vitais frontal e laríngeo
 
Medicina da alma
Medicina da almaMedicina da alma
Medicina da alma
 
Parte 1 cláudia campos
Parte 1   cláudia camposParte 1   cláudia campos
Parte 1 cláudia campos
 

Mais de Marta Gomes

Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Marta Gomes
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docxCapitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Marta Gomes
 
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
Marta Gomes
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Marta Gomes
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Marta Gomes
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Marta Gomes
 
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docxCapítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Marta Gomes
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
Marta Gomes
 
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
Marta Gomes
 
4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx
Marta Gomes
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Marta Gomes
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
Marta Gomes
 
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
Marta Gomes
 
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
Marta Gomes
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
Marta Gomes
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
Marta Gomes
 
O Homem de bem.docx
O Homem de bem.docxO Homem de bem.docx
O Homem de bem.docx
Marta Gomes
 
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
Marta Gomes
 

Mais de Marta Gomes (20)

Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
Capitulo III - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à c...
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docxCapitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
Capitulo II - Elementos Gerais do Universo.docx
 
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx1.2 - Elementos Gerais do  Universo.pptx
1.2 - Elementos Gerais do Universo.pptx
 
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. PanteísmoCapitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
Capitulo I - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
1.1 - Deus. Deus e o infinito. Panteísmo
 
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docxApresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
Apresentação da doutrina espírita e do Livro dos Espíritos.docx
 
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptxApresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
Apresentação da Doutrina Espírita e do Livro dos Espíritos.pptx
 
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docxCapítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
Capítulo II - Penas e Gozos Futuros.docx
 
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
4.2.3 - Ressurreição da carne - Paraíso - Inferno - Pugatório.pptx
 
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
4.2.2 - Penas e gozos futuros.pptx
 
4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx4.2.1 - Vida futura.pptx
4.2.1 - Vida futura.pptx
 
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docxCapítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
Capítulo I - Penas e Gozos Terrestres.docx
 
4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx4.1.3 - Suicídio.pptx
4.1.3 - Suicídio.pptx
 
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
4.1.2 - Perda de pessoas amadas.pptx
 
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
4.1.1 - Felicidade e infelicidade relativas.pptx
 
Inveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docxInveja e Ciúme.docx
Inveja e Ciúme.docx
 
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx0.5 - Inveja e ciúme.pptx
0.5 - Inveja e ciúme.pptx
 
O Homem de bem.docx
O Homem de bem.docxO Homem de bem.docx
O Homem de bem.docx
 
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx3.12.1 - O Homem de bem.pptx
3.12.1 - O Homem de bem.pptx
 

Último

7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 

Último (20)

7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 

Centros de força.pptx

  • 2. Centros Vitais ou Centros de Força • Segundo André Luiz os “Centros Vitais ou Centros de Força” estão situados no “Corpo Espiritual ou Psicossoma” e funcionam como terminais através dos quais a energia é transferida de planos superiores para o corpo físico. • Os centros de força captam, metabolizam e transferem essa energia para o corpo físico. • O “Psicossoma está intimamente regido por sete Centros de Força”, que se conjugam nas ramificações dos plexos, vibrando em sintonia uns com os outros, ao influxo do poder diretriz da mente. • A ciência, por enquanto, não tem condições de identificar e reconhecer.
  • 3. Os centros de força se conectam com o corpo físico através dos plexos, zonas de maior concentração de terminações nervosas situados no corpo físico, são agrupamentos de músculos, nervos e vasos sanguíneos do organismo humano. Pensamentos viciados implica em desarmonias dos centros de força e, consequentemente do corpo físico diminuindo suas secreções glandulares e outras substância essenciais à saúde, levando o indivíduo ao adoecimento.
  • 4. Centro de Força Coronário https://www.cristaisaquarius.com.br/blog/chakras/ Centro de Força Cerebral Centro de Força Laríngeo Centro de Força Cardíaco Centro de Força Esplênico Centro de Força Gástrico Centro de Força Genésico
  • 6. Centro de Força Coronário • Localiza-se no alto da cabeça, na região central do cérebro (sede da mente). • É o grande receptor e distribuidor das energias espirituais e das energias solares; • Orienta a forma, o movimento, a estabilidade, o metabolismo orgânico e a vida consciencial da alma encarnada e desencarnada; • Dele emanam as energias de sustentação do sistema nervoso; • Alimenta as células do pensamento; • Plasma em nós mesmos os efeitos agradáveis ou desagradáveis de nossa consciência e conduta; • Favorece a sublimação da alma. Relaciona-se com a glândula pineal ou epífise
  • 7. CENTRO DE FORÇA CORONÁRIO • Recebe, em primeiro lugar, os estímulos do espírito, comandando os demais centros, vibrando com eles em regime de interdependência; • Supervisiona os demais centros de força vital; • Liga os planos espiritual e material. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Como se a cabeça crescesse ou uma certa pressão sobre ela; ou uma espécie de redemoinho, tontura; ou mesmo ideias diferentes.
  • 8. • Localiza-se na região da fronte, da testa, entre os olhos, contíguo ao coronário. • Trabalha em sintonia com o centro coronário. O coronário fornece as energias e ele administra. • Coordena os sentidos como a visão, a audição, o tato, e os processos de inteligência que estão ligados à palavra, à cultura, à arte, ao saber. • Comanda também o núcleo endócrino referente aos poderes psíquicos, assim administrando todo o sistema nervoso. Relaciona-se com os lobos frontais e a hipófise pituitária Centro de Força Cerebral ou Frontal
  • 9. CENTRO DE FORÇA CEREBRAL OU FRONTAL • Exerce influência decisiva sobre os demais centros de força vital, sendo responsável pelo funcionamento do sistema nervoso central (sentidos físicos) e dos centros superiores do processo intelectivo. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: Influenciação nos sentidos: • Ouvidos sensíveis demais; • Olhos com muita claridade ou sombras, turvação, cores, lágrimas; • No olfato, odores desagradáveis ou perfumes; • No tato, mãos e pés frios ou suarentos; • Impulsos para escrever; • No paladar, salivação excessiva, gosto diferente na boca ou boca seca.
  • 10. • Localiza-se na garganta. • Controla a respiração e a fonação. • Preside os fenômenos vocais, as atividades das glândulas do timo, da tireoide e da paratireoide. Relaciona-se com a glândula tireoide e o plexo cervical Centro de Força Laríngeo
  • 11. CENTRO DE FORÇA LARÍNGEO • Regula os fenômenos vocais (a emissão da voz), inclusive as atividades das glândulas timo e tiroide. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Língua dormente; • Saliva grossa ou excessiva; • Dormência nos lábios ou em todo o aparelho fonador.
  • 12. • Localiza-se na altura do coração. • Dirige a emotividade e a circulação das forças de base. • Responsável pelo funcionamento do aparelho circulatório. • Sustenta o serviço da emoção e o equilíbrio geral. Relaciona-se com a glândula timo e plexo cardíaco Centro de Força Cardíaco
  • 13. CENTRO DE FORÇA CARDÍACO • Responsável pelo funcionamento do aparelho circulatório e pelo controle da emotividade. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Taquicardia; • Pressão no peito; • Respiração profunda e rápida; • Falta de ar; • Sensação de doação fluídica nesse centro de força.
  • 14. • Localiza-se na região do baço. • regula a distribuição e a circulação adequada aos recursos vitais em todos os caminhos do corpo (produção de sangue) • Responsável pelo funcionamento do baço, pela formação e reposição das defesas orgânicas através do sangue. Como é o principal transmissor de energia vital para o corpo físico, sua função mais importante repousa em sua habilidade de absorver e distribuir vitalidade. Relaciona-se com o plexo mesentérico e o baço Centro de Força Esplênico
  • 15. CENTRO DE FORÇA ESPLÊNICO • Regula a distribuição e a circulação dos recursos vitais e a formação e reposição das defesas orgânicas pelo sangue. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Mal-estar na barriga; • Tremor e arrepios; • Pernas enfraquecidas e doloridas.
  • 16. • Localiza-se na região do umbigo. • Controla a digestão e absorção dos alimentos, pesados ou não, que representam concentrados fluídicos penetrando na organização física. Relaciona-se com o pâncreas e o plexo gástrico (solar) Centro de Força Gástrico
  • 17. CENTRO DE FORÇA GÁSTRICO • Responsável pelo funcionamento do aparelho digestivo, pela assimilação de elementos nutritivos e reposição de fluidos em nossa organização física. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Enjoo ou náusea; • Dores; • Gases que provocam arroto; • Quenturas ou friagens.
  • 18. • Localiza-se na região do baixo ventre. • Guiando a modelagem de novas formas entre os homens ou o estabelecimento de estímulos criadores, com vistas ao trabalho, à associação e à realização entre as almas. Relaciona-se com os plexos hipogástrico e sacral Centro de Força Genésico
  • 19. CENTRO DE FORÇA GENÉSICO • Responsável pelo funcionamento dos órgãos de reprodução e das emoções sexuais. O QUE O MÉDIUM EM DESENVOLVIMENTO PODERÁ SENTIR: • Vibração no baixo ventre; • Dores nos membros inferiores.
  • 20. CLASSIFICAÇÃO DOS CENTROS DE FORÇA EM RELAÇÃO À FUNÇÃO NA MEDIUNIDADE: ESPIRITUAIS: O coronário e o frontal PASSIONAIS (sentimentos): Laríngeo e cardíaco FISIOLÓGICOS (funcionamento do organismo): Gástrico, esplênico e genésico
  • 21. De que maneira os Centros de força influenciam em nossa vida Nosso padrão vibratório determina a saúde dos nossos centros de força. Se um desses centros diminui há desequilíbrio no fluxo de energia. Ter pensamentos ruins causa desarmonia nos centros de força, reagindo diretamente no nosso corpo material, fazendo surgir as doenças e o envelhecimento. Ao contrário, se temos pensamentos bons, se fazemos o bem, os centros de força se harmonizam, são estimulados, desbloqueados e, as energias vão fluindo sem embaraços, nos causando bem estar, saúde e jovialidade
  • 22. Efeitos de bloqueio dos centros de força: Coronário: a pessoa se anula para a vida, perde o contato com a realidade e não consegue idealizar mais nada. Cerebral ou frontal: a pessoa fica sem objetivos; perda de perspectiva e direcionamento. Laríngeo: a pessoa se fecha, não consegue se livrar da angústia; falta de criatividade; dificuldade de expressão. Cardíaco: a pessoa fica sem controle e não consegue separar a razão da emoção; sente palpitação, angústia, desespero, medo, pânico. Esplênico: a pessoa perde o amor próprio, não acredita em mais nada; perde o apetite; sente ódio, raiva, rancor e medo; Gástrico: a pessoa fica sem estrutura para se identificar; se fecha para o mundo; vive no passado, sem alegria, sem satisfação. Genésico: a pessoa fica aérea; falta de equilíbrio emocional; falta de ânimo e força; desgaste físico.
  • 23. Rearmonizando os centros de força A prece, a irradiação, a água fluidificada e os passes são veículos mediadores úteis, mas não é a base real para o reequilíbrio e rearmonização dos centros de força. É necessário reformar-se moralmente, agindo de maneira cristã em todos os momentos da vida. O tratamento não deve ter como foco apenas o corpo, pois desta forma não se obterá a cura, apenas a melhora dos sintomas. Cabe-nos exercitar atitudes sadias pelo autoconhecimento, autoeducação, pelo perdão, pela fraternidade, pela compreensão, ajudando, socorrendo e, principalmente, orando por nós e pelo nosso próximo. Dessa forma vibraremos em ondas de mais alto teor moral, fazendo valer nosso centro coronário como captador das boas energias espirituais para distribuir o equilíbrio aos demais centros.
  • 24. Aura produzida pela energia que circula pelos centros de força – circuito fechado. https://myloview.com.br/fotomural-energia-de-cura-aura-mulher-e-homem-silhueta-no-23A94C3
  • 25. CRÉDITOS Formatação: Marta Gomes P. Miranda Referências Bibliográficas: OLIVEIRA, Terezinha. Mediunidade – Coleção Estudos e Cursos 2. 15ª ed. Campinas: Allan Kardec, 2019. vol.2, cap. 10. XAVIER, Chico. Entre a Terra e o Céu. 27ª ed. Brasília: FEB, 2018. Pelo Espírito André Luiz. Cap. 20. XAVIER, Chico & VIEIRA, Waldo. Evolução em dois Mundos. 27ª ed. Brasília: FEB, 2017, Pelo Espírito André Luiz. Cap. 2. https://slideplayer.com.br/slide/11622063/ Imagens: www.google.com.br
  • 26. CENTRO ESPÍRITA “JOANA D’ARC” Rua Ormindo Pires Amorim, nº 1.516 Bairro: Jardim Marajó Rondonópolis - MT