SlideShare uma empresa Scribd logo
Avaliação SIAATV – Português – 8ºA-D – 3º bimestre
1. Analise o cartaz e responda as questões:
1. A finalidade do anúncio publicitário é:
a. denunciar os maus-tratos aos cães.
b. procurar um dono para o cão.
c. convencer as pessoas a adotarem cães.
d. comparar os cães aos seus donos.
2. Leia esta letra da música que foi gravada pela cantora Elis Regina:
Comunicação
Sigo o anúncio e vejo
Em forma de desejo o sabonete
Em forma de sorvete acordo e durmo
Na televisão
Creme dental, saúde, vivo num sorriso o paraíso
Quase que jogado, impulsionado no comercial
Só tomava chá
Quase que forçado vou tomar café
Ligo o aparelho vejo o Rei Pelé
O objetivo dessa letra é:
Vamos então repetir o gol
E na rua sou mais um cosmonauta patrocinador
Chego atrasado, perco o meu amor
Mais um anúncio sensacional
Ponho um aditivo dentro da panela, a gasolina
Passo na janela, na cozinha tem mais um fogão
Tocam a campainha, mais uma pesquisa e eu respondo
que enlouquecendo, já sou fã do comercial.
ALENCAR, Edson; MATHEUS, Hélio. “Comunicação.” Intérprete: Elis Regina.
Objetivo dessa letra é:
a. expor o quanto os comerciais estão presentes na vida das pessoas.
b. mostrar o poder do anúncio publicitário no consumo direto da população.
c. criticar o uso do comercial, veiculado na TV, para criar necessidades e desejos no consumidor, mostrando o
quanto este é guiado pelos anúncios publicitários.
d. evidenciar que a comunicação é o ponto forte entre o produto e o consumidor, uma vez que os anúncios
publicitários influenciam diretamente no consumo.
3. Entende-se por polissemia:
a. Erro de sintaxe que torna a palavra incompreensível ou imprecisa, ou a inadequação de se levar para uma
variedade de língua a norma de outra variedade.
b. É a tendência que o falante – culto ou inculto – revela em aproximar uma palavra a um determinado significado,
com o qual verdadeiramente não se relaciona.
c. Erro no emprego de uma palavra em um contexto inapropriado de interação verbal.
d. Conjunto de significados, cada um unitário, relacionados com uma mesma forma, ou seja, a polissemia consiste
em uma palavra que apresenta vários significados.
4. Uma palavra pode ter diversos sentidos, dependendo da frase em que se encontre. Relacione as orações com o
sentido da palavra linha em cada letra.
1. Linha para costurar ou coser a. O telefone não está dando linha.
2. Rumo, direção b. Arranje outro time pra jogar com nossa linha!
3. Ligação telefônica c. Passe uma linha no final do trabalho.
4. Traço a tinta ou a lápis d. Você consegue por esta linha na agulha?
5. Os cinco atacantes em jogo de futebol e. Siga em linha reta.
Qual a sequência correta?
a. 1a-2c-3d-4b-5e
b. 1d-2b-3c-4a-5e
c. 1d-2e-3a-4c-5b
d. 1d-2c-3a-4b-5e
5. Informe em que sentido foi empregada a frase abaixo: Denotativo ou Conotativo, colocando dentro dos
parênteses D ou C respectivamente:
( ) O caçula do quarteto quis saber o que significava “amém”.
( ) Parecia feliz por ter encontrado um lar.
( ) Todas as manhãs acompanhava-me até a porta da escola, no seu trote macio e faceiro.
( ) Uma ternura agradecida lambuzava-lhe os olhos.
( ) A chuva lava minha alma.
( ) Este menino nada muito bem.
( ) Você é um anjo.
( ) Encontrei a folha de papel rasgada.
Assinale a sequência correta:
a. C-D-C-C-C-D-D-D
b. D-D-D-C-C-C-D-D
c. D-D-D-C-C-C-C-D
d. D-D-C-C-C-D-C-D
6. Complete a frase abaixo e assinale a alternativa correta:
Ele perdeu o ______ e ______ a fogueira.
a. censo – acendeu
b. senso – ascendeu
c. senso – acendeu
d. censo – ascendeu
7. Preencha as lacunas com a sequência de palavras grafadas adequadamente:
A prefeitura foi obrigada a _____ uma _____ soma para _____ o projeto.
a. dispender – vultuosa – viabilizar
b. despender – vultosa – viabilizar
c. despender – vultosa – viabilisar
d. dispender – vultuosa – viabilizar
8. Indique a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas abaixo:
I. O funcionário foi _____________ pelo gerente de recursos humanos.
II. Preciso levar a máquina de lavar roupa para o ______________.
III. Você encontra aquela geleia na _____________ de produtos dietéticos.
a. Discriminado – concerto – sessão
b. Descriminado – concerto – cessão
c. Discriminado – conserto – seção
d. Descriminado – conserto – seção
9.
O texto é uma propaganda de um adoçante que tem o
seguinte mote: “Mude sua embalagem”. A estratégia
que o autor utiliza para o convencimento do leitor
baseia-se no emprego de recursos expressivos,
verbais e não verbais, com vistas a:
a. ridicularizar a forma física do possível cliente do
produto anunciado, aconselhando-o a uma busca de
mudanças estéticas.
b. enfatizar a tendência da sociedade contemporânea e
buscar hábitos alimentares saudáveis, reforçando tal
postura.
c. criticar o consumo excessivo de produtos
industrializados por parte da população, propondo a
redução desse consumo.
d. associar o vocábulo “açúcar” à imagem do corpo fora
de forma, sugerindo a substituição desse produto pelo
adoçante.
10. Observe a charge abaixo e assinale a alternativa correta:
a. De acordo com o texto abaixo, a mulher é protagonista, atuante e independente em sua vida.
b. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada de acordo com sua maneira de ser.
c. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada de maneira igualitária com o homem torcedor.
d. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada com desigualdade em relação ao homem torcedor.
11. ESOPO
Esopo era um escravo de rara inteligência que servia à casa de um conhecido chefe militar da antiga Grécia. Certo
dia, em que seu patrão conversava com outro companheiro sobre os males e as virtudes do mundo, Esopo foi
chamado a dar a sua opinião sobre o assunto, ao que respondeu seguramente:
-- Tenho a mais absoluta certeza de que a maior virtude da Terra está á venda no mercado.
-- Como? – perguntou o amo, surpreso – Tens certeza do que estás falando? Como podes afirmar tal coisa?
-- Não só afirmo, como, se meu amo permitir, irei até lá e trarei a maior virtude da Terra.
Com a devida autorização do amo, saiu Esopo e, dali a alguns minutos, voltou carregando um pequeno embrulho. Ao
abrir o pacote, o velho chefe encontrou vários pedaços de língua e, enfurecido, deu ao escravo uma chance para se
explicar.
-- Meu amo, não vos enganei – retrucou Esopo --- A língua é, realmente, a maior das virtudes. Com ela podemos
consolar, ensinar, esclarecer, aliviar e conduzir. Pela língua os ensinos dos filósofos são divulgados, os conceitos
religiosos são espalhados, as obras dos poetas se tornam conhecidas de todos. Acaso podeis negar essas verdades,
meu amo?
-- Boa, meu caro – retrucou o amo – Já que és desembaraçado, que tal trazer-me agora o pior vício do mundo?
-- É perfeitamente possível, senhor. E com nova autorização de meu amo, irei novamente ao mercado e de lá trarei o
pior vício de toda Terra.
Concedida a permissão, Esopo saiu novamente e dali a minutos voltava com outro pacote, semelhante ao primeiro.
Ao abri-lo, o amo encontrou novamente pedaços de língua. Desapontado, interrogou o escravo e obteve dele
surpreendente resposta:
-- Por que vos admirais de minha escolha? Do mesmo modo que a língua, bem utilizada, se converte numa sublime
virtude, quando relegada a planos inferiores, se transforma no pior dos vícios. Através dela tecem-se as intrigas e as
violências verbais. Através dela, as verdades mais santas, por ela mesma ensinadas, podem ser corrompidas e
apresentadas como anedotas vulgares e sem sentido. Através da língua, estabelecem-se as discussões infrutíferas,
os desentendimentos prolongados e as confusões populares que levam ao desequilíbrio social. Acaso podeis refutar
o que digo? – indagou Esopo.
Impressionado com a inteligência invulgar do serviçal, o senhor calou-se, comovido, e, no mesmo instante,
reconhecendo o disparate que era ter um homem tão sábio como escravo, deu-lhe a liberdade.
Esopo aceitou a libertação e tornou-se, mais tarde, um contador de fábulas muito conhecido da Antiguidade, cujas
histórias até hoje se espalham por todo o mundo.
(Autor desconhecido)
Essa narrativa tem como protagonistas:
a. o amo e o patrão
b. o chefe militar e o escravo
c. o companheiro e o patrão
d. o servo e o escravo
12. A passagem “indagou Esopo” pode ser escrita, mantendo-se o mesmo sentido, como:
a. respondeu Esopo;
b. percebeu Esopo;
c. perguntou Esopo;
d.assegurou Esopo;
13. Segundo o texto, a língua tanto serve para as virtudes quanto para os vícios do mundo. Como exemplo de
virtude e vício, respectivamente, podem-se citar:
a. ensinamentos filosóficos e conceitos religiosos;
b. discussões infrutíferas e obras literárias;
c. rede de intrigas e desentendimentos;
d. ensinamento das verdades santas e criação de anedotas vulgares;
14. Em “impressionado com a inteligência invulgar do serviçal...”, o adjetivo destacado significa:
a. rara
b. medíocre
c. impopular
d. respeitosa
15. Em “por ela mesma ensinadas...”, a palavra destacada está no feminino plural em concordância com:
a.“violências”
b.“anedotas”
c. “verdades”
d. “discussões”
Concedida a permissão, Esopo saiu novamente e dali a minutos voltava com outro pacote, semelhante ao primeiro.
Ao abri-lo, o amo encontrou novamente pedaços de língua. Desapontado, interrogou o escravo e obteve dele
surpreendente resposta:
-- Por que vos admirais de minha escolha? Do mesmo modo que a língua, bem utilizada, se converte numa sublime
virtude, quando relegada a planos inferiores, se transforma no pior dos vícios. Através dela tecem-se as intrigas e as
violências verbais. Através dela, as verdades mais santas, por ela mesma ensinadas, podem ser corrompidas e
apresentadas como anedotas vulgares e sem sentido. Através da língua, estabelecem-se as discussões infrutíferas,
os desentendimentos prolongados e as confusões populares que levam ao desequilíbrio social. Acaso podeis refutar
o que digo? – indagou Esopo.
Impressionado com a inteligência invulgar do serviçal, o senhor calou-se, comovido, e, no mesmo instante,
reconhecendo o disparate que era ter um homem tão sábio como escravo, deu-lhe a liberdade.
Esopo aceitou a libertação e tornou-se, mais tarde, um contador de fábulas muito conhecido da Antiguidade, cujas
histórias até hoje se espalham por todo o mundo.
(Autor desconhecido)
Essa narrativa tem como protagonistas:
a. o amo e o patrão
b. o chefe militar e o escravo
c. o companheiro e o patrão
d. o servo e o escravo
12. A passagem “indagou Esopo” pode ser escrita, mantendo-se o mesmo sentido, como:
a. respondeu Esopo;
b. percebeu Esopo;
c. perguntou Esopo;
d.assegurou Esopo;
13. Segundo o texto, a língua tanto serve para as virtudes quanto para os vícios do mundo. Como exemplo de
virtude e vício, respectivamente, podem-se citar:
a. ensinamentos filosóficos e conceitos religiosos;
b. discussões infrutíferas e obras literárias;
c. rede de intrigas e desentendimentos;
d. ensinamento das verdades santas e criação de anedotas vulgares;
14. Em “impressionado com a inteligência invulgar do serviçal...”, o adjetivo destacado significa:
a. rara
b. medíocre
c. impopular
d. respeitosa
15. Em “por ela mesma ensinadas...”, a palavra destacada está no feminino plural em concordância com:
a.“violências”
b.“anedotas”
c. “verdades”
d. “discussões”

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Prova de recuperação greyce
Prova de recuperação greyceProva de recuperação greyce
Prova de recuperação greyce
Juliana Jardim
 
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
Susana Sobrenome
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
luisprista
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
luisprista
 
9b_2_teste_de_avaliacao
  9b_2_teste_de_avaliacao  9b_2_teste_de_avaliacao
9b_2_teste_de_avaliacao
MLPires1
 

Mais procurados (20)

Prova de recuperação greyce
Prova de recuperação greyceProva de recuperação greyce
Prova de recuperação greyce
 
Eaof 2015 - simulado 2
Eaof 2015 - simulado 2Eaof 2015 - simulado 2
Eaof 2015 - simulado 2
 
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
2009/2010_3ª ficha de avaliação_9ano
 
Eaof simulado 1 2015
Eaof  simulado 1 2015Eaof  simulado 1 2015
Eaof simulado 1 2015
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 65-66
 
Interpretaçao retrato portugues
Interpretaçao retrato portuguesInterpretaçao retrato portugues
Interpretaçao retrato portugues
 
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
2 f form_gil auto da barca do inferno 9º
 
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
Apresentação para décimo ano de 2014 5, aula 51-52
 
50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia50 1 exercícios morfologia
50 1 exercícios morfologia
 
9b_2_teste_de_avaliacao
  9b_2_teste_de_avaliacao  9b_2_teste_de_avaliacao
9b_2_teste_de_avaliacao
 
Texto ninho de cuco
Texto ninho de cucoTexto ninho de cuco
Texto ninho de cuco
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 2017 - 2º BIMESTRE - 5º ANO DO ENSINO FUNDAM...
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTREAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5º ANO - 3º BIMESTRE
 
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
Simul.port.5ºano(descirtor gabarito)
 
D9 abi 089_introdução
D9 abi 089_introduçãoD9 abi 089_introdução
D9 abi 089_introdução
 
Leitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cucoLeitura e escrita ninho de cuco
Leitura e escrita ninho de cuco
 
Teste 9 b_auto (1)
Teste 9 b_auto (1)Teste 9 b_auto (1)
Teste 9 b_auto (1)
 
Lp 7ano
Lp 7anoLp 7ano
Lp 7ano
 
03i2pdf
03i2pdf03i2pdf
03i2pdf
 
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANOAVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA - 1º BIMESTRE - 5º ANO
 

Semelhante a Português8ºanos

Ficha de trabalho 5º ano global 2 (1)
Ficha de trabalho 5º ano   global 2 (1)Ficha de trabalho 5º ano   global 2 (1)
Ficha de trabalho 5º ano global 2 (1)
Rute Almeida
 
Instrumental english
Instrumental englishInstrumental english
Instrumental english
Isabel Sousa
 
Teste Ondjaki (correção)
Teste Ondjaki (correção)Teste Ondjaki (correção)
Teste Ondjaki (correção)
Sílvia Baltazar
 
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médioOrações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
blogdoalunocefa
 
A melhor e_a_pior_comida_do_mundo
A melhor e_a_pior_comida_do_mundoA melhor e_a_pior_comida_do_mundo
A melhor e_a_pior_comida_do_mundo
Aldo Cioffi
 

Semelhante a Português8ºanos (20)

06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
06 - Estruturas com valor adjetivo + uso dos pronomes relativos
 
Ficha de trabalho 5º ano global 2 (1)
Ficha de trabalho 5º ano   global 2 (1)Ficha de trabalho 5º ano   global 2 (1)
Ficha de trabalho 5º ano global 2 (1)
 
ficha de trabalho 5º ano - global 2.docx
ficha de trabalho 5º ano - global 2.docxficha de trabalho 5º ano - global 2.docx
ficha de trabalho 5º ano - global 2.docx
 
Portugues vol4
Portugues vol4Portugues vol4
Portugues vol4
 
Instrumental english
Instrumental englishInstrumental english
Instrumental english
 
Caderno 7 ano
Caderno 7 anoCaderno 7 ano
Caderno 7 ano
 
Provão 8° ano 1ºsem2016
Provão 8° ano 1ºsem2016Provão 8° ano 1ºsem2016
Provão 8° ano 1ºsem2016
 
Provão 7° ano 1ºsem2016
Provão 7° ano 1ºsem2016Provão 7° ano 1ºsem2016
Provão 7° ano 1ºsem2016
 
Atividades de recupera o final 7_ ano
Atividades de recupera  o final 7_ anoAtividades de recupera  o final 7_ ano
Atividades de recupera o final 7_ ano
 
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
SIMULADO UNIFICADO ESCOLA CORNÉLIA. 2º ANO ENSINO MÉDIO. DOCUMENTO PÚBLICO.
 
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docxAvaliacao_Portugues_Av1.docx
Avaliacao_Portugues_Av1.docx
 
Cge 2089
Cge 2089Cge 2089
Cge 2089
 
Teste Ondjaki (correção)
Teste Ondjaki (correção)Teste Ondjaki (correção)
Teste Ondjaki (correção)
 
Avaliação de língua portuguesa
Avaliação de língua portuguesaAvaliação de língua portuguesa
Avaliação de língua portuguesa
 
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médioOrações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
Orações subordinadas adjetivas exercícios 2º ano médio
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Gramática Prof. Fernando Santos
Gramática   Prof. Fernando SantosGramática   Prof. Fernando Santos
Gramática Prof. Fernando Santos
 
A melhor e_a_pior_comida_do_mundo
A melhor e_a_pior_comida_do_mundoA melhor e_a_pior_comida_do_mundo
A melhor e_a_pior_comida_do_mundo
 
08 - Figuras de linguagem
08 - Figuras de linguagem08 - Figuras de linguagem
08 - Figuras de linguagem
 
Saresp 4ª série
Saresp 4ª sérieSaresp 4ª série
Saresp 4ª série
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
edjailmax
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
LisaneWerlang
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
ESCRIBA DE CRISTO
 

Último (20)

Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos00Certificado - MBA - Gestão de projetos
00Certificado - MBA - Gestão de projetos
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
5ca0e9_ea0307e5baa1478490e87a15cb4ee530.pdf
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkkO QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
O QUINZE.pdf livro lidokkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
INTRODUÇÃO A ARQUEOLOGIA BÍBLICA [BIBLIOLOGIA]]
 

Português8ºanos

  • 1. Avaliação SIAATV – Português – 8ºA-D – 3º bimestre 1. Analise o cartaz e responda as questões: 1. A finalidade do anúncio publicitário é: a. denunciar os maus-tratos aos cães. b. procurar um dono para o cão. c. convencer as pessoas a adotarem cães. d. comparar os cães aos seus donos. 2. Leia esta letra da música que foi gravada pela cantora Elis Regina: Comunicação Sigo o anúncio e vejo Em forma de desejo o sabonete Em forma de sorvete acordo e durmo Na televisão Creme dental, saúde, vivo num sorriso o paraíso Quase que jogado, impulsionado no comercial Só tomava chá Quase que forçado vou tomar café Ligo o aparelho vejo o Rei Pelé O objetivo dessa letra é: Vamos então repetir o gol E na rua sou mais um cosmonauta patrocinador Chego atrasado, perco o meu amor Mais um anúncio sensacional Ponho um aditivo dentro da panela, a gasolina Passo na janela, na cozinha tem mais um fogão Tocam a campainha, mais uma pesquisa e eu respondo que enlouquecendo, já sou fã do comercial. ALENCAR, Edson; MATHEUS, Hélio. “Comunicação.” Intérprete: Elis Regina. Objetivo dessa letra é: a. expor o quanto os comerciais estão presentes na vida das pessoas. b. mostrar o poder do anúncio publicitário no consumo direto da população. c. criticar o uso do comercial, veiculado na TV, para criar necessidades e desejos no consumidor, mostrando o quanto este é guiado pelos anúncios publicitários. d. evidenciar que a comunicação é o ponto forte entre o produto e o consumidor, uma vez que os anúncios publicitários influenciam diretamente no consumo. 3. Entende-se por polissemia: a. Erro de sintaxe que torna a palavra incompreensível ou imprecisa, ou a inadequação de se levar para uma variedade de língua a norma de outra variedade. b. É a tendência que o falante – culto ou inculto – revela em aproximar uma palavra a um determinado significado, com o qual verdadeiramente não se relaciona. c. Erro no emprego de uma palavra em um contexto inapropriado de interação verbal. d. Conjunto de significados, cada um unitário, relacionados com uma mesma forma, ou seja, a polissemia consiste em uma palavra que apresenta vários significados.
  • 2. 4. Uma palavra pode ter diversos sentidos, dependendo da frase em que se encontre. Relacione as orações com o sentido da palavra linha em cada letra. 1. Linha para costurar ou coser a. O telefone não está dando linha. 2. Rumo, direção b. Arranje outro time pra jogar com nossa linha! 3. Ligação telefônica c. Passe uma linha no final do trabalho. 4. Traço a tinta ou a lápis d. Você consegue por esta linha na agulha? 5. Os cinco atacantes em jogo de futebol e. Siga em linha reta. Qual a sequência correta? a. 1a-2c-3d-4b-5e b. 1d-2b-3c-4a-5e c. 1d-2e-3a-4c-5b d. 1d-2c-3a-4b-5e 5. Informe em que sentido foi empregada a frase abaixo: Denotativo ou Conotativo, colocando dentro dos parênteses D ou C respectivamente: ( ) O caçula do quarteto quis saber o que significava “amém”. ( ) Parecia feliz por ter encontrado um lar. ( ) Todas as manhãs acompanhava-me até a porta da escola, no seu trote macio e faceiro. ( ) Uma ternura agradecida lambuzava-lhe os olhos. ( ) A chuva lava minha alma. ( ) Este menino nada muito bem. ( ) Você é um anjo. ( ) Encontrei a folha de papel rasgada. Assinale a sequência correta: a. C-D-C-C-C-D-D-D b. D-D-D-C-C-C-D-D c. D-D-D-C-C-C-C-D d. D-D-C-C-C-D-C-D 6. Complete a frase abaixo e assinale a alternativa correta: Ele perdeu o ______ e ______ a fogueira. a. censo – acendeu b. senso – ascendeu c. senso – acendeu d. censo – ascendeu
  • 3. 7. Preencha as lacunas com a sequência de palavras grafadas adequadamente: A prefeitura foi obrigada a _____ uma _____ soma para _____ o projeto. a. dispender – vultuosa – viabilizar b. despender – vultosa – viabilizar c. despender – vultosa – viabilisar d. dispender – vultuosa – viabilizar 8. Indique a alternativa que completa correta e respectivamente as lacunas abaixo: I. O funcionário foi _____________ pelo gerente de recursos humanos. II. Preciso levar a máquina de lavar roupa para o ______________. III. Você encontra aquela geleia na _____________ de produtos dietéticos. a. Discriminado – concerto – sessão b. Descriminado – concerto – cessão c. Discriminado – conserto – seção d. Descriminado – conserto – seção 9. O texto é uma propaganda de um adoçante que tem o seguinte mote: “Mude sua embalagem”. A estratégia que o autor utiliza para o convencimento do leitor baseia-se no emprego de recursos expressivos, verbais e não verbais, com vistas a: a. ridicularizar a forma física do possível cliente do produto anunciado, aconselhando-o a uma busca de mudanças estéticas. b. enfatizar a tendência da sociedade contemporânea e buscar hábitos alimentares saudáveis, reforçando tal postura. c. criticar o consumo excessivo de produtos industrializados por parte da população, propondo a redução desse consumo. d. associar o vocábulo “açúcar” à imagem do corpo fora de forma, sugerindo a substituição desse produto pelo adoçante. 10. Observe a charge abaixo e assinale a alternativa correta: a. De acordo com o texto abaixo, a mulher é protagonista, atuante e independente em sua vida. b. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada de acordo com sua maneira de ser. c. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada de maneira igualitária com o homem torcedor. d. De acordo com o texto abaixo, a mulher é representada com desigualdade em relação ao homem torcedor.
  • 4. 11. ESOPO Esopo era um escravo de rara inteligência que servia à casa de um conhecido chefe militar da antiga Grécia. Certo dia, em que seu patrão conversava com outro companheiro sobre os males e as virtudes do mundo, Esopo foi chamado a dar a sua opinião sobre o assunto, ao que respondeu seguramente: -- Tenho a mais absoluta certeza de que a maior virtude da Terra está á venda no mercado. -- Como? – perguntou o amo, surpreso – Tens certeza do que estás falando? Como podes afirmar tal coisa? -- Não só afirmo, como, se meu amo permitir, irei até lá e trarei a maior virtude da Terra. Com a devida autorização do amo, saiu Esopo e, dali a alguns minutos, voltou carregando um pequeno embrulho. Ao abrir o pacote, o velho chefe encontrou vários pedaços de língua e, enfurecido, deu ao escravo uma chance para se explicar. -- Meu amo, não vos enganei – retrucou Esopo --- A língua é, realmente, a maior das virtudes. Com ela podemos consolar, ensinar, esclarecer, aliviar e conduzir. Pela língua os ensinos dos filósofos são divulgados, os conceitos religiosos são espalhados, as obras dos poetas se tornam conhecidas de todos. Acaso podeis negar essas verdades, meu amo? -- Boa, meu caro – retrucou o amo – Já que és desembaraçado, que tal trazer-me agora o pior vício do mundo? -- É perfeitamente possível, senhor. E com nova autorização de meu amo, irei novamente ao mercado e de lá trarei o pior vício de toda Terra.
  • 5. Concedida a permissão, Esopo saiu novamente e dali a minutos voltava com outro pacote, semelhante ao primeiro. Ao abri-lo, o amo encontrou novamente pedaços de língua. Desapontado, interrogou o escravo e obteve dele surpreendente resposta: -- Por que vos admirais de minha escolha? Do mesmo modo que a língua, bem utilizada, se converte numa sublime virtude, quando relegada a planos inferiores, se transforma no pior dos vícios. Através dela tecem-se as intrigas e as violências verbais. Através dela, as verdades mais santas, por ela mesma ensinadas, podem ser corrompidas e apresentadas como anedotas vulgares e sem sentido. Através da língua, estabelecem-se as discussões infrutíferas, os desentendimentos prolongados e as confusões populares que levam ao desequilíbrio social. Acaso podeis refutar o que digo? – indagou Esopo. Impressionado com a inteligência invulgar do serviçal, o senhor calou-se, comovido, e, no mesmo instante, reconhecendo o disparate que era ter um homem tão sábio como escravo, deu-lhe a liberdade. Esopo aceitou a libertação e tornou-se, mais tarde, um contador de fábulas muito conhecido da Antiguidade, cujas histórias até hoje se espalham por todo o mundo. (Autor desconhecido) Essa narrativa tem como protagonistas: a. o amo e o patrão b. o chefe militar e o escravo c. o companheiro e o patrão d. o servo e o escravo 12. A passagem “indagou Esopo” pode ser escrita, mantendo-se o mesmo sentido, como: a. respondeu Esopo; b. percebeu Esopo; c. perguntou Esopo; d.assegurou Esopo; 13. Segundo o texto, a língua tanto serve para as virtudes quanto para os vícios do mundo. Como exemplo de virtude e vício, respectivamente, podem-se citar: a. ensinamentos filosóficos e conceitos religiosos; b. discussões infrutíferas e obras literárias; c. rede de intrigas e desentendimentos; d. ensinamento das verdades santas e criação de anedotas vulgares; 14. Em “impressionado com a inteligência invulgar do serviçal...”, o adjetivo destacado significa: a. rara b. medíocre c. impopular d. respeitosa 15. Em “por ela mesma ensinadas...”, a palavra destacada está no feminino plural em concordância com: a.“violências” b.“anedotas” c. “verdades” d. “discussões”
  • 6. Concedida a permissão, Esopo saiu novamente e dali a minutos voltava com outro pacote, semelhante ao primeiro. Ao abri-lo, o amo encontrou novamente pedaços de língua. Desapontado, interrogou o escravo e obteve dele surpreendente resposta: -- Por que vos admirais de minha escolha? Do mesmo modo que a língua, bem utilizada, se converte numa sublime virtude, quando relegada a planos inferiores, se transforma no pior dos vícios. Através dela tecem-se as intrigas e as violências verbais. Através dela, as verdades mais santas, por ela mesma ensinadas, podem ser corrompidas e apresentadas como anedotas vulgares e sem sentido. Através da língua, estabelecem-se as discussões infrutíferas, os desentendimentos prolongados e as confusões populares que levam ao desequilíbrio social. Acaso podeis refutar o que digo? – indagou Esopo. Impressionado com a inteligência invulgar do serviçal, o senhor calou-se, comovido, e, no mesmo instante, reconhecendo o disparate que era ter um homem tão sábio como escravo, deu-lhe a liberdade. Esopo aceitou a libertação e tornou-se, mais tarde, um contador de fábulas muito conhecido da Antiguidade, cujas histórias até hoje se espalham por todo o mundo. (Autor desconhecido) Essa narrativa tem como protagonistas: a. o amo e o patrão b. o chefe militar e o escravo c. o companheiro e o patrão d. o servo e o escravo 12. A passagem “indagou Esopo” pode ser escrita, mantendo-se o mesmo sentido, como: a. respondeu Esopo; b. percebeu Esopo; c. perguntou Esopo; d.assegurou Esopo; 13. Segundo o texto, a língua tanto serve para as virtudes quanto para os vícios do mundo. Como exemplo de virtude e vício, respectivamente, podem-se citar: a. ensinamentos filosóficos e conceitos religiosos; b. discussões infrutíferas e obras literárias; c. rede de intrigas e desentendimentos; d. ensinamento das verdades santas e criação de anedotas vulgares; 14. Em “impressionado com a inteligência invulgar do serviçal...”, o adjetivo destacado significa: a. rara b. medíocre c. impopular d. respeitosa 15. Em “por ela mesma ensinadas...”, a palavra destacada está no feminino plural em concordância com: a.“violências” b.“anedotas” c. “verdades” d. “discussões”