SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Centro de Atenção
 Psicossocial
 SUICÍDIO
Causa mais Comum
 transtorno mental, que pode incluir depressão, transtorno
bipolar, esquizofrenia,
 Uso abusivo de álcool e de drogas.
 Dificuldades       financeiras   e/ou   emocionais   também
desempenham um fator significativo.


   Pode o Suicídio ser um ato racional?
   O suicídio é um ato de covardia(ou de coragem) ?
O que diz as Religiões
          sobre o Suicídio
O   Cristianismo: o suicídio é considerado um pecado
No catolicismo, o argumento é baseado no mandamento "Não
matarás" bem como a idéia de que a vida é um dom dado por Deus.
O Judaísmo, enfoca a importância da valorização da vida, e como
tal, o suicídio é o mesmo que negar a bondade de Deus no mundo.
 No Islã, o suicídio é visto como um sinal de descrença em Deus.
No Hinduísmo, o suicídio é considerado tanto pecaminoso como
matar outra pessoa. Segundo essa religião, quem comete suicídio
passará a fazer parte do espírito do mundo, vagando a terra.
Comportamento
       Suicida em Números
 No mundo, três mil pessoas suicidam-se todos os
dias, além de 60 mil tentativas,
 É terceira causa de morte em jovens entre 15 e 35
anos,
 No Brasil, a cada dia, 24 pessoas suicidam-se
 Foram 8700 suicídios registrados em 2006 no Brasil,
desses 80% eram homens.
 As regiões Sul e Sudeste têm a maior incidência de
suicídio.
• aproximadamente 60% das pessoas mortas por
suicídio nunca o haviam tentado antes;

• dos que morrem por suicídio, 50-60%, nunca
consultaram com um profissional de saúde mental
ao longo da vida;

• dois terços dos que cometem suicídio comunicaram
claramente essa intenção a parentes próximos ou amigos, na
semana anterior.
Principais métodos empregados
para cometer suicídio
  No Brasil a maioria dos suicídios é por
 enforcamento,
No mundo todo o método mais utilizados é a
      ingestão de produtos tóxicos
        ( pesticidas e herbicidas),
O envenenamento é preferido pelas
mulheres,ao passo que os homens recorrem a armas
de fogo ou enforcamento.
Fatores de Risco
 Transtornos mentais: depressão, uso de substâncias psicoativas
(ex.: alcoolismo, crack); esquizofrenia, transtorno bipolar .
Sociais: sexo masculino; faixas etárias entre 15 e 35 anos ,
extremos pobreza; desempregados (perda recente do emprego);
isolamento social; solteiros ou separados.
Psicológicos: perdas recentes; dinâmica familiar conturbada;
desespero/culpa; Vergonha/humilhação, Separação/Rejeição
Condições Clínicas Incapacitante: doenças orgânicas
incapacitantes; dor crônica; lesões desfigurantes ,epilepsia;
trauma medular; neoplasias malignas; Aids.
Depressão
    Acomete, ao longo da vida, entre 10% e 25% das mulheres
e entre 5% e 12% dos homens.
• Quanto mais precoce o tratamento, mais rápida a remissão
• Entre os gravemente deprimidos, 15% se suicidam.
•
                    Diagnóstico
• sentir-se triste,
• perder o prazer ou o interesse em atividades
rotineiras
• irritabilidade, desesperança; queda da libido; perder
peso ou ganhar peso , sentir-se inútil, culpado, um
peso para os outros
• ter pensamentos freqüentes de morte e suicídio
Transtorno afetivo
bipolar(tab)

                   Fase Maníaca
 • menor necessidade de sono, logorréia;
hipotenacidade (não consegue concentrar-se em
uma atividade); põe-se em situações de
risco,hipersexualidade, compras inadequadas.
O TAB é associado a um maior risco de suicídio,
especialmente nas fases de depressão.
Transtornos de personalidade
Atenção!
Os principais fatores de risco para o
suicídio são:
• história de tentativa de suicídio
• transtorno mental.


“Quase 95% de todas as pessoas que
tentam o suicídio têm uma doença
mental diagnosticada. Os distúrbios
depressivos são responsáveis por 80%
desses casos”.
Idéias e Atos de Suicídio
A maioria das pessoas com idéias de morte comunica
seus pensamentos e intenções suicidas.

 Comportamental: dar objetos de estimação, colocar
em ordem a situação financeira, escrever bilhete de
suicídio ou melhoras súbitas do humor.

 Indicações Verbais: “Quero morrer”, “Vou me
matar”, “Esta é a última vez que você me vê”, “Não vou
estar por aí muito mais tempo para preocupar os
médicos”, “não tenho mais nada por que valha a pena
viver”.
Fique atento às frases e
Sentimentos de alerta.
Frases de alerta
                “Eu preferia estar morto”.
               “Eu não posso fazer nada”.
                 “Eu não agüento mais”.
      “Eu sou um perdedor e um peso pros outros”.
        “Os outros vão ser mais felizes sem mim”

São quatro os sentimentos principais de quem pensa em se
matar.
               Depressão
          4D Desesperança
               Desespero
               Desamparo
Prevenção do Suicídio
    A visão predominante da medicina é que o suicídio é um
problema de saúde mental, associada a fatores psicológico tais
como, dificuldade ou impotência em lidar com a depressão, o
medo da violência, desemprego e fatores sociais inerente á vida
contemporânea.

 Identificação precoce
 Correto encaminhamento de casos de transtorno mentais
 Encaminha urgente a pessoa que tentou o suicídio ao serviço
especializado
 Informar a sociedade de que o suicídio é um problema de
saúde pública e pode ser prevenido.
Como ajudar a pessoa sob
    risco de suicídio?

      Quando as pessoas dizem “eu estou cansado da
vida”, “não há mais razão para eu viver”, “eu não agüento
mais”, elas geralmente são rejeitadas, ou então são
obrigadas a ouvir sobre outras pessoas que estiveram em
dificuldades piores.
Como ajudar a pessoa sob
risco de suicídio?
O primeiro passo: é achar um lugar adequado
O próximo passo: é reservar o tempo necessário.
A tarefa mais importante: é ouvi-la efetivamente, Trate
com respeito, dê á pessoa uma mensagem de
esperança e Cuidado com o sigilo.
  O objetivo é preencher uma lacuna criada pela
desconfiança, pelo desespero e pela perda de esperança
e dar à pessoa a esperança de que as coisas podem
mudar para melhor.
0 que não fazer
• Ignorar a situação.
• Ficar chocado ou envergonhado e em pânico.
• Tentar se livrar do problema acionando outro
serviço
• Falar que tudo vai ficar bem, sem agir para que isso
aconteça.
• Desafiar a pessoa a continuar em frente.
• Jurar segredo.
• Deixar a pessoa sozinha
Importância do Caps na
Prevenção do Suicídio
   Acompanhamento      de    pessoas   que   padecem    de   algun
transtorno mental.
 Lidar constantemente       com indivíduos em situação de crise,
quando o risco de suicídio se encontra agudizado.       Também por
estarem em contato próximo e duradouro com os pacientes,
familiares e sua comunidade, estão em posição privilegiada dos
pacientes em risco de suicídio e a criação de estratégias prevenção.
Reflexão Final

“ Nem sempre é possível curar ou resolver uma
necessidade apresentada, mas é sempre possível
cuidar, escutar e contribuir para amenizar o
sofrimento do outro.
Até porque, quem adoece, adoece como um todo e
repercute..., no corpo, na alma, na vida.
Junto com alguém que sofre, sofrem os que o
amam.                          Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam GorenderAULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
AULA ABP SETEMBRO AMARELO Miriam Gorender
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Ansiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superaçãoAnsiedade, Depressão & superação
Ansiedade, Depressão & superação
 
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro AmareloComo o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
 
Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?Como cuidar da minha saúde mental?
Como cuidar da minha saúde mental?
 
Setembro amarelo
Setembro amareloSetembro amarelo
Setembro amarelo
 
Transtornos ansiosos
Transtornos ansiososTranstornos ansiosos
Transtornos ansiosos
 
Transtorno de ansiedade
Transtorno de ansiedadeTranstorno de ansiedade
Transtorno de ansiedade
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 
Violência contra a mulher
Violência contra a mulherViolência contra a mulher
Violência contra a mulher
 
As várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídioAs várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídio
 
saude mental
saude mental saude mental
saude mental
 
Saúde Mental
Saúde MentalSaúde Mental
Saúde Mental
 
As fases do luto
As fases do luto   As fases do luto
As fases do luto
 
Depressão palestra
Depressão   palestraDepressão   palestra
Depressão palestra
 
Aula Saúde Mental
Aula Saúde MentalAula Saúde Mental
Aula Saúde Mental
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Transtornos de ansiedade
Transtornos de ansiedadeTranstornos de ansiedade
Transtornos de ansiedade
 

Destaque (10)

O suicidio
O suicidioO suicidio
O suicidio
 
Suicídio e saúde mental
Suicídio e saúde mentalSuicídio e saúde mental
Suicídio e saúde mental
 
Apresentação sobre o suicídio
Apresentação   sobre o suicídioApresentação   sobre o suicídio
Apresentação sobre o suicídio
 
Eixos norteadores do scfv
Eixos norteadores do scfvEixos norteadores do scfv
Eixos norteadores do scfv
 
Suicídio na adolescência
Suicídio na adolescência Suicídio na adolescência
Suicídio na adolescência
 
O Cristão e a Depressão
O Cristão e a DepressãoO Cristão e a Depressão
O Cristão e a Depressão
 
Perguntas e respostas Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Perguntas e respostas Serviço de Convivência e Fortalecimento de VínculosPerguntas e respostas Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
Perguntas e respostas Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos
 
Paif e scfv
Paif e scfvPaif e scfv
Paif e scfv
 
História infantil- A Amizade
História infantil- A AmizadeHistória infantil- A Amizade
História infantil- A Amizade
 
Suicidio
SuicidioSuicidio
Suicidio
 

Semelhante a Palestra sobre suicídio original

Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Telma Lima
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 

Semelhante a Palestra sobre suicídio original (20)

Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxPREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
 
Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção   Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
 
Crise e Suicídio
Crise e SuicídioCrise e Suicídio
Crise e Suicídio
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELOAESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
 
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene BeatrizPRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
 
2011 suicidio
2011 suicidio2011 suicidio
2011 suicidio
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidioCartilha de prevencao_ao_suicidio
Cartilha de prevencao_ao_suicidio
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio
Risco de suicídio Risco de suicídio
Risco de suicídio
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Prevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptxPrevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptx
 
1265454
12654541265454
1265454
 
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptxAUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
 

Mais de Alinebrauna Brauna (20)

Pnab
PnabPnab
Pnab
 
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricosOrientacoes coleta analise_dados_antropometricos
Orientacoes coleta analise_dados_antropometricos
 
Livro completo senad5
Livro completo senad5Livro completo senad5
Livro completo senad5
 
Radis 131 web
Radis 131 webRadis 131 web
Radis 131 web
 
Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013Copia de radis_129_23maio2013
Copia de radis_129_23maio2013
 
O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012O que são conferências 21.05.2012
O que são conferências 21.05.2012
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Pmaq
PmaqPmaq
Pmaq
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Todo sentimento
Todo sentimentoTodo sentimento
Todo sentimento
 
Suas os desafios da assistencia social
Suas   os desafios da assistencia socialSuas   os desafios da assistencia social
Suas os desafios da assistencia social
 
Slides infanto completo
Slides infanto completoSlides infanto completo
Slides infanto completo
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
 
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociaisO papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
O papel do cuidador e seus aspectos psicossociais
 
Mpcda
MpcdaMpcda
Mpcda
 
Histórico sobre o eca
Histórico sobre o ecaHistórico sobre o eca
Histórico sobre o eca
 
Politica de ad
Politica de adPolitica de ad
Politica de ad
 
Perguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crackPerguntas e-respostas-crack
Perguntas e-respostas-crack
 
Palestra álcool
Palestra álcoolPalestra álcool
Palestra álcool
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
 

Palestra sobre suicídio original

  • 1. Centro de Atenção Psicossocial SUICÍDIO
  • 2. Causa mais Comum  transtorno mental, que pode incluir depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia,  Uso abusivo de álcool e de drogas.  Dificuldades financeiras e/ou emocionais também desempenham um fator significativo. Pode o Suicídio ser um ato racional? O suicídio é um ato de covardia(ou de coragem) ?
  • 3. O que diz as Religiões sobre o Suicídio O Cristianismo: o suicídio é considerado um pecado No catolicismo, o argumento é baseado no mandamento "Não matarás" bem como a idéia de que a vida é um dom dado por Deus. O Judaísmo, enfoca a importância da valorização da vida, e como tal, o suicídio é o mesmo que negar a bondade de Deus no mundo.  No Islã, o suicídio é visto como um sinal de descrença em Deus. No Hinduísmo, o suicídio é considerado tanto pecaminoso como matar outra pessoa. Segundo essa religião, quem comete suicídio passará a fazer parte do espírito do mundo, vagando a terra.
  • 4. Comportamento Suicida em Números  No mundo, três mil pessoas suicidam-se todos os dias, além de 60 mil tentativas,  É terceira causa de morte em jovens entre 15 e 35 anos,  No Brasil, a cada dia, 24 pessoas suicidam-se  Foram 8700 suicídios registrados em 2006 no Brasil, desses 80% eram homens.  As regiões Sul e Sudeste têm a maior incidência de suicídio.
  • 5. • aproximadamente 60% das pessoas mortas por suicídio nunca o haviam tentado antes; • dos que morrem por suicídio, 50-60%, nunca consultaram com um profissional de saúde mental ao longo da vida; • dois terços dos que cometem suicídio comunicaram claramente essa intenção a parentes próximos ou amigos, na semana anterior.
  • 6. Principais métodos empregados para cometer suicídio  No Brasil a maioria dos suicídios é por enforcamento,
  • 7. No mundo todo o método mais utilizados é a ingestão de produtos tóxicos ( pesticidas e herbicidas),
  • 8. O envenenamento é preferido pelas mulheres,ao passo que os homens recorrem a armas de fogo ou enforcamento.
  • 9. Fatores de Risco  Transtornos mentais: depressão, uso de substâncias psicoativas (ex.: alcoolismo, crack); esquizofrenia, transtorno bipolar . Sociais: sexo masculino; faixas etárias entre 15 e 35 anos , extremos pobreza; desempregados (perda recente do emprego); isolamento social; solteiros ou separados. Psicológicos: perdas recentes; dinâmica familiar conturbada; desespero/culpa; Vergonha/humilhação, Separação/Rejeição Condições Clínicas Incapacitante: doenças orgânicas incapacitantes; dor crônica; lesões desfigurantes ,epilepsia; trauma medular; neoplasias malignas; Aids.
  • 10. Depressão Acomete, ao longo da vida, entre 10% e 25% das mulheres e entre 5% e 12% dos homens. • Quanto mais precoce o tratamento, mais rápida a remissão • Entre os gravemente deprimidos, 15% se suicidam. • Diagnóstico • sentir-se triste, • perder o prazer ou o interesse em atividades rotineiras • irritabilidade, desesperança; queda da libido; perder peso ou ganhar peso , sentir-se inútil, culpado, um peso para os outros • ter pensamentos freqüentes de morte e suicídio
  • 11. Transtorno afetivo bipolar(tab) Fase Maníaca • menor necessidade de sono, logorréia; hipotenacidade (não consegue concentrar-se em uma atividade); põe-se em situações de risco,hipersexualidade, compras inadequadas. O TAB é associado a um maior risco de suicídio, especialmente nas fases de depressão.
  • 13. Atenção! Os principais fatores de risco para o suicídio são: • história de tentativa de suicídio • transtorno mental. “Quase 95% de todas as pessoas que tentam o suicídio têm uma doença mental diagnosticada. Os distúrbios depressivos são responsáveis por 80% desses casos”.
  • 14. Idéias e Atos de Suicídio A maioria das pessoas com idéias de morte comunica seus pensamentos e intenções suicidas.  Comportamental: dar objetos de estimação, colocar em ordem a situação financeira, escrever bilhete de suicídio ou melhoras súbitas do humor.  Indicações Verbais: “Quero morrer”, “Vou me matar”, “Esta é a última vez que você me vê”, “Não vou estar por aí muito mais tempo para preocupar os médicos”, “não tenho mais nada por que valha a pena viver”.
  • 15. Fique atento às frases e Sentimentos de alerta. Frases de alerta “Eu preferia estar morto”. “Eu não posso fazer nada”. “Eu não agüento mais”. “Eu sou um perdedor e um peso pros outros”. “Os outros vão ser mais felizes sem mim” São quatro os sentimentos principais de quem pensa em se matar. Depressão 4D Desesperança Desespero Desamparo
  • 16. Prevenção do Suicídio A visão predominante da medicina é que o suicídio é um problema de saúde mental, associada a fatores psicológico tais como, dificuldade ou impotência em lidar com a depressão, o medo da violência, desemprego e fatores sociais inerente á vida contemporânea.  Identificação precoce  Correto encaminhamento de casos de transtorno mentais  Encaminha urgente a pessoa que tentou o suicídio ao serviço especializado  Informar a sociedade de que o suicídio é um problema de saúde pública e pode ser prevenido.
  • 17. Como ajudar a pessoa sob risco de suicídio? Quando as pessoas dizem “eu estou cansado da vida”, “não há mais razão para eu viver”, “eu não agüento mais”, elas geralmente são rejeitadas, ou então são obrigadas a ouvir sobre outras pessoas que estiveram em dificuldades piores.
  • 18. Como ajudar a pessoa sob risco de suicídio? O primeiro passo: é achar um lugar adequado O próximo passo: é reservar o tempo necessário. A tarefa mais importante: é ouvi-la efetivamente, Trate com respeito, dê á pessoa uma mensagem de esperança e Cuidado com o sigilo. O objetivo é preencher uma lacuna criada pela desconfiança, pelo desespero e pela perda de esperança e dar à pessoa a esperança de que as coisas podem mudar para melhor.
  • 19. 0 que não fazer • Ignorar a situação. • Ficar chocado ou envergonhado e em pânico. • Tentar se livrar do problema acionando outro serviço • Falar que tudo vai ficar bem, sem agir para que isso aconteça. • Desafiar a pessoa a continuar em frente. • Jurar segredo. • Deixar a pessoa sozinha
  • 20. Importância do Caps na Prevenção do Suicídio  Acompanhamento de pessoas que padecem de algun transtorno mental.  Lidar constantemente com indivíduos em situação de crise, quando o risco de suicídio se encontra agudizado. Também por estarem em contato próximo e duradouro com os pacientes, familiares e sua comunidade, estão em posição privilegiada dos pacientes em risco de suicídio e a criação de estratégias prevenção.
  • 21. Reflexão Final “ Nem sempre é possível curar ou resolver uma necessidade apresentada, mas é sempre possível cuidar, escutar e contribuir para amenizar o sofrimento do outro. Até porque, quem adoece, adoece como um todo e repercute..., no corpo, na alma, na vida. Junto com alguém que sofre, sofrem os que o amam. Obrigado!