SlideShare uma empresa Scribd logo
Esta cartilha foi produzida pela equipe de saúde mental do município de Encantado, com recursos
oriundos do Ministério da Saúde através do Projeto Percursos Formativos na Rede de Atenção
Psicossocial: Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional.
Percursos Formativos na Rede de Atenção
Psicossocial: Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional.
Os dados e informações contidos neste material foram adaptados dos seguintes documentos:
Prevenção do Suicídio: Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental – Ministério
da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde e Universidade Estadual de Campinas.
Prevenção do Suicídio: Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental
Prevenção do Suicídio no nível local: orientações para a formação de redes municipais de prevenção
e controle do suicídio e para os profissionais que a integram – Secretaria Estadual de Saúde do
Rio Grande do Sul.
Prevenção do Suicídio no nível local: orientações para a formação de redes municipais de prevenção
e controle do suicídio e para os profissionais que a integram
CARTILHA MUNICIPAL DE
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO
O suicídio configura- se como morte intencional autoinfligida,
isto é, quando a pessoa decide tirar sua própria vida.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 3 mil pessoas por dia cometem
suicídio em todo mundo, o que significa que a cada 40 segundos uma pessoa se mata. Os casos de
suicídio entre os jovens vem aumentando, sendo uma das três maiores causas de morte entre
pessoas de 15 a 35 anos, embora, a maioria dos casos aconteça entre pessoas com mais de 60 anos,
tendo como causa mais comum a solidão, a perda dos vínculos, os maus tratos e o abandono.
No Brasil foi observado um aumento no índice de suicídio de 43,8%, entre 1980 e 2005.
O Rio Grande do Sul é o estado do país com o
mais alto índice de suicídio, com destaque para a
região do Vale do Taquari e Rio Pardo.
O QUE É SUICÍDIO?
TRANSTORNOS MENTAIS
SOCIODEMOGRÁFICOS
• transtornos do humor (ex.: depressão);
• transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substâncias psicoativas
(ex.: alcoolismo);
• transtornos de personalidade;
• esquizofrenia;
• transtornos de ansiedade;
• a associação de dois ou mais fatores aumentam o risco (ex.: alcoolismo + depressão).
• sexo masculino;
• faixas etárias entre 15 e 35 anos e acima de 75 anos;
• camada da população em extrema pobreza;
• residentes em áreas urbanas;
• desempregados (principalmente perda recente do emprego);
• aposentados;
• isolamento social;
• solteiros ou separados;
• migrantes (pessoas que saem do seu local
de origem)
FATORES DE RISCO
PSICOLÓGICOS
CONDIÇÕES CLÍNICAS INCAPACITANTES
• perdas recentes;
• perdas dos pais na infância;
• problemas familiares intensos;
• datas importantes (ex. datas festivas);
• personalidade com traços significativos de impulsividade, agressividade, alterações de humor.
• doenças orgânicas incapacitantes (ex.: lúpus, insuficiência renal);
• dor crônica;
• lesões desfigurantes permanentes (ex.: amputações e queimaduras);
• epilepsia;
• trauma medular (ex.: paralisias);
• câncer;
• AIDS.
Os principais fatores de risco para o suicídio são
história de tentativa de suicídio e transtorno mental.
O uso de drogas, principalmente do álcool, aumenta a impulsividade
e, com isso, o risco de suicídio.
ATENÇÃO!
05
Existem estágios no desenvolvimento da intenção suicida, iniciando-se geralmente com
pensamentos/ideação de morte, após com um plano e finalizando com o ato de morte. É importante
considerar que para cada suicídio cometido existiram em média, de 10 a 20 tentativas anteriores.
É preciso ficar atento aos sinais, aquilo que a pessoa fala ou faz que indique desejo de morrer, ou seja,
fique atento às frases de alerta:
Portanto, é falso afirmar que “quem fala não faz”.
06
Como você
se sente?
Eu preciso
de ajuda!!
“EU PODERIA ESTAR MORTO”
“EU NÃO POSSO FAZER NADA”
“EU NÃO AGUENTO MAIS”
“EU SOU UM PERDEDOR E UM PESO PARA OS OUTROS”
“OS OUTROS VÃO SER
MAIS FELIZES SEM MIM”
“EU NÃO SIRVO PARA NADA”
“EU TENHO VONTADE DE SUMIR”
“MINHAVIDA NÃO TEM MAIS SENTIDO”
E associados aos sentimentos de
Depressão, Desesperança,
Desamparo e Desespero. 07
08
Estima-se que de 15 a 25% das pessoas que tentam suicídio cometem nova tentativa no ano
seguinte, 10% conseguem consumar o ato em algum momento no período de 10 anos, compreendido
entre a tentativa anterior e o suicídio consumado.
Ao longo da vida, de cada 100 pessoas, 17 chegam a pensar em suicídio, cinco a planejar, três
tentam e apenas uma pessoa chega a ser atendida em um pronto-socorro.
Entre todos estes grupos, o de maior risco é o das pessoas que já tentaram o suicídio.Apenas uma
em cada três delas chega aos serviços de pronto-socorro (urgência e emergência), recebe o primeiro
atendimento, mas nem sempre é encaminhada para serviços de saúde mental onde pode receber
cuidados adequados. Sem tais cuidados, a maioria dessas pessoas pode voltar a tentar o suicídio.
Contudo, não podemos esquecer que o ato suicida nem sempre envolve planejamento, a pessoa
pode cometer suicídio sem ter demonstrado previamente esta intenção, porém, estes casos são
minorias. Na grande maioria dos casos de suicídio, as pessoas dão sinais de sua intenção.
09
Uma conversa calma e sem julgamento é fundamental.
Deve-se ficar atento aos sinais que indicam que determinada pessoa tem risco para o
comportamento suicida:
1. comportamento retraído, dificuldade de relacionamento pessoal;
2. doença psiquiátrica;
3. alcoolismo;
4. ansiedade ou pânico;
5. mudança na personalidade, irritabilidade, pessimismo, depressão ou apatia;
6. mudança no hábito alimentar e de sono;
7. tentativa de suicídio anterior;
8. odiar-se, sentimento de culpa, de se sentir sem valor ou com vergonha;
9. uma perda recente importante – morte, divórcio, separação, etc;
10. história familiar de suicídio.
10
• Ignorar a situação.
• Ficar chocado ou envergonhado e em pânico.
• Falar que tudo vai ficar bem, sem agir para que isso aconteça.
• Desafiar a pessoa a cometer o suicídio.
• Fazer o problema parecer sem importância.
• Dar falsas garantias.
• Jurar segredo.
• Deixar a pessoa sozinha.
• Comparações com outros casos (ex.: fulano está pior do que você e não se matou)
• Impedir o acesso aos meios para cometer suicídio. Exemplos: esconder armas, facas, cordas, deixar
medicamentos em local que a pessoa não tenha acesso, de preferência trancados, e com alguém
responsável em administrá-los.
• Realizar vigilância 24 horas, não deixando a pessoa sozinha, sob nenhuma hipótese.
• Sempre procurar atendimento nos serviços de saúde.
• Medicações (as medicações prescritas pelo médico devem ficar com o familiar e serem dadas ao
paciente somente em horário e dose prescritas) OBS: Não dar nenhuma medicação que não esteja
prescrita pelo médico.
Medidas de prevenção ao suicídio que poderão ser realizadas pelos
familiares/ amigos/colegas, como:
O que não fazer:
Escute a pessoa e busque ajuda capacitada em um local especializado.
No nosso município, existem os seguintes locais:
CAPS
Centro de Atenção Psicossocial
Rua Monsenhor Scalabrini, 1178
(51) 3751-3290
Horário de funcionamento
8:00hs às 18:00hs
de segunda à sexta-feira
PRONTO SOCORRO
SAMU
Hospital Beneficente Santa Teresinha
funciona 24 horas
disque
192
Posto de Saúde do seu bairro
11
APOIO:
Gráfica
Lajeadense
-
3714-5500

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
GabriellaDias35
 
Suicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenirSuicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenir
Abel Sidney Souza
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Luciana França Cescon
 
Apresentação sobre o suicídio
Apresentação   sobre o suicídioApresentação   sobre o suicídio
Apresentação sobre o suicídio
Tássia Oliveira
 
Apresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de EnfermagemApresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de Enfermagem
Luciana França Cescon
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidio
Robson Peixoto
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
Ministério Público de Santa Catarina
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
Instituto de Saúde Social - ISSO
 
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro AmareloComo o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Natália Ribeiro
 
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevençãoSuicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Washington Costa
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
MariaClaraFernandes25
 
Palestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro AmareloPalestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro Amarelo
Psicologia Conexão
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Crise e Suicídio
Crise e SuicídioCrise e Suicídio
Crise e Suicídio
Espaço da Mente
 
setembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptxsetembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptx
JosimeiredeOliveiraG
 
Slides suicício (2)
Slides suicício (2)Slides suicício (2)
Slides suicício (2)
Catiane HENZ
 
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELOAESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
Daniel de Melo
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
Rafael Almeida
 
Setembro Amarelo.pptx
Setembro Amarelo.pptxSetembro Amarelo.pptx
Setembro Amarelo.pptx
sara jane matos bezerra
 

Mais procurados (20)

Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Suicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenirSuicídio conhecer para prevenir
Suicídio conhecer para prevenir
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
 
Apresentação sobre o suicídio
Apresentação   sobre o suicídioApresentação   sobre o suicídio
Apresentação sobre o suicídio
 
Apresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de EnfermagemApresentação Curso de Enfermagem
Apresentação Curso de Enfermagem
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidio
 
Mitos e verdades - setembro amarelo
Mitos e verdades  -  setembro amareloMitos e verdades  -  setembro amarelo
Mitos e verdades - setembro amarelo
 
Prevenção de suicídio
Prevenção de suicídioPrevenção de suicídio
Prevenção de suicídio
 
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro AmareloComo o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
Como o suicídio é visto pela sociedade - Campanha Setembro Amarelo
 
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevençãoSuicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
Suicídio: aspectos gerais e o papel da psicologia na sua compreensão e prevenção
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
Palestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro AmareloPalestra Setembro Amarelo
Palestra Setembro Amarelo
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?Como prevenir o suicídio?
Como prevenir o suicídio?
 
Crise e Suicídio
Crise e SuicídioCrise e Suicídio
Crise e Suicídio
 
setembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptxsetembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptx
 
Slides suicício (2)
Slides suicício (2)Slides suicício (2)
Slides suicício (2)
 
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELOAESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
AESP01 EPA DM - SUICIDIO INFANTIL SETEMBRO AMARELO
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
 
Setembro Amarelo.pptx
Setembro Amarelo.pptxSetembro Amarelo.pptx
Setembro Amarelo.pptx
 

Semelhante a Cartilha de prevencao_ao_suicidio

Apresentação soi
Apresentação   soiApresentação   soi
Apresentação soi
Janeide de Gois
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
Rafael Almeida
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
Telma Lima
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
Alinebrauna Brauna
 
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptxAUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
josefaveloso1
 
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptxsetembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
Reverendo Celiomar Tiago Freitas
 
Perguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídioPerguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídio
MANOELJOSEDEARAUJONE
 
2011 suicidio
2011 suicidio2011 suicidio
2011 suicidio
Cristina Tristacci
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Telma Lima
 
SUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptxSUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptx
GislaineRaposo
 
Abordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdfAbordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdf
JooPauloBTom
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
Inaiara Bragante
 
Risco de suicídio
Risco de suicídio Risco de suicídio
Risco de suicídio
Inaiara Bragante
 
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdfPNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
acondoricassocial
 
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxPREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
Hugo Silva
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
LourdesGomes14
 

Semelhante a Cartilha de prevencao_ao_suicidio (20)

Apresentação soi
Apresentação   soiApresentação   soi
Apresentação soi
 
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRERPRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
PRONTOS PARA MATAR E PARA MORRER
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptxAUTOMUTILAÇÃO.pptx
AUTOMUTILAÇÃO.pptx
 
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptxsetembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
 
Perguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídioPerguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídio
 
2011 suicidio
2011 suicidio2011 suicidio
2011 suicidio
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
 
SUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptxSUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptx
 
Abordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdfAbordagem suicídio CA.pdf
Abordagem suicídio CA.pdf
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rochaRisco de suicídio helio rocha
Risco de suicídio helio rocha
 
Risco de suicídio
Risco de suicídio Risco de suicídio
Risco de suicídio
 
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdfPNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
PNAISARI PREVENÇAO AO SUICIDIO 13.07- CAROL.pdf
 
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptxPREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
PREVENÇÃO AO SUICÍDIO.pptx
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 

Último

Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Fabiano Pessanha
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
AdrianoPompiroCarval
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
ClarissaNiederuaer
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
ozielgvsantos1
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 

Último (9)

Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
Tecnicas-de-Instrumentacao-Cirurgica-Em-Cirurgia-Geral-e-Em-Videolaparoscopia...
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdfmapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
mapas-mentais---calculo-de-medicacoes_1-3.pdf
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasivaPrevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
Prevenção/tratamento de Intercorrências na estética minimamente invasiva
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdfTCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
TCC - ALINE PEREIRA BENITES - ABSENTEISMO-E-COVID-19.pdf
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 

Cartilha de prevencao_ao_suicidio

  • 1.
  • 2. Esta cartilha foi produzida pela equipe de saúde mental do município de Encantado, com recursos oriundos do Ministério da Saúde através do Projeto Percursos Formativos na Rede de Atenção Psicossocial: Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional. Percursos Formativos na Rede de Atenção Psicossocial: Intercâmbio entre Experiências e Supervisão Clínico-Institucional. Os dados e informações contidos neste material foram adaptados dos seguintes documentos: Prevenção do Suicídio: Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental – Ministério da Saúde, Organização Pan-Americana de Saúde e Universidade Estadual de Campinas. Prevenção do Suicídio: Manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental Prevenção do Suicídio no nível local: orientações para a formação de redes municipais de prevenção e controle do suicídio e para os profissionais que a integram – Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Prevenção do Suicídio no nível local: orientações para a formação de redes municipais de prevenção e controle do suicídio e para os profissionais que a integram CARTILHA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO AO SUICÍDIO
  • 3. O suicídio configura- se como morte intencional autoinfligida, isto é, quando a pessoa decide tirar sua própria vida. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 3 mil pessoas por dia cometem suicídio em todo mundo, o que significa que a cada 40 segundos uma pessoa se mata. Os casos de suicídio entre os jovens vem aumentando, sendo uma das três maiores causas de morte entre pessoas de 15 a 35 anos, embora, a maioria dos casos aconteça entre pessoas com mais de 60 anos, tendo como causa mais comum a solidão, a perda dos vínculos, os maus tratos e o abandono. No Brasil foi observado um aumento no índice de suicídio de 43,8%, entre 1980 e 2005. O Rio Grande do Sul é o estado do país com o mais alto índice de suicídio, com destaque para a região do Vale do Taquari e Rio Pardo. O QUE É SUICÍDIO?
  • 4. TRANSTORNOS MENTAIS SOCIODEMOGRÁFICOS • transtornos do humor (ex.: depressão); • transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substâncias psicoativas (ex.: alcoolismo); • transtornos de personalidade; • esquizofrenia; • transtornos de ansiedade; • a associação de dois ou mais fatores aumentam o risco (ex.: alcoolismo + depressão). • sexo masculino; • faixas etárias entre 15 e 35 anos e acima de 75 anos; • camada da população em extrema pobreza; • residentes em áreas urbanas; • desempregados (principalmente perda recente do emprego); • aposentados; • isolamento social; • solteiros ou separados; • migrantes (pessoas que saem do seu local de origem) FATORES DE RISCO
  • 5. PSICOLÓGICOS CONDIÇÕES CLÍNICAS INCAPACITANTES • perdas recentes; • perdas dos pais na infância; • problemas familiares intensos; • datas importantes (ex. datas festivas); • personalidade com traços significativos de impulsividade, agressividade, alterações de humor. • doenças orgânicas incapacitantes (ex.: lúpus, insuficiência renal); • dor crônica; • lesões desfigurantes permanentes (ex.: amputações e queimaduras); • epilepsia; • trauma medular (ex.: paralisias); • câncer; • AIDS. Os principais fatores de risco para o suicídio são história de tentativa de suicídio e transtorno mental. O uso de drogas, principalmente do álcool, aumenta a impulsividade e, com isso, o risco de suicídio. ATENÇÃO! 05
  • 6. Existem estágios no desenvolvimento da intenção suicida, iniciando-se geralmente com pensamentos/ideação de morte, após com um plano e finalizando com o ato de morte. É importante considerar que para cada suicídio cometido existiram em média, de 10 a 20 tentativas anteriores. É preciso ficar atento aos sinais, aquilo que a pessoa fala ou faz que indique desejo de morrer, ou seja, fique atento às frases de alerta: Portanto, é falso afirmar que “quem fala não faz”. 06 Como você se sente? Eu preciso de ajuda!!
  • 7. “EU PODERIA ESTAR MORTO” “EU NÃO POSSO FAZER NADA” “EU NÃO AGUENTO MAIS” “EU SOU UM PERDEDOR E UM PESO PARA OS OUTROS” “OS OUTROS VÃO SER MAIS FELIZES SEM MIM” “EU NÃO SIRVO PARA NADA” “EU TENHO VONTADE DE SUMIR” “MINHAVIDA NÃO TEM MAIS SENTIDO” E associados aos sentimentos de Depressão, Desesperança, Desamparo e Desespero. 07
  • 8. 08 Estima-se que de 15 a 25% das pessoas que tentam suicídio cometem nova tentativa no ano seguinte, 10% conseguem consumar o ato em algum momento no período de 10 anos, compreendido entre a tentativa anterior e o suicídio consumado. Ao longo da vida, de cada 100 pessoas, 17 chegam a pensar em suicídio, cinco a planejar, três tentam e apenas uma pessoa chega a ser atendida em um pronto-socorro. Entre todos estes grupos, o de maior risco é o das pessoas que já tentaram o suicídio.Apenas uma em cada três delas chega aos serviços de pronto-socorro (urgência e emergência), recebe o primeiro atendimento, mas nem sempre é encaminhada para serviços de saúde mental onde pode receber cuidados adequados. Sem tais cuidados, a maioria dessas pessoas pode voltar a tentar o suicídio. Contudo, não podemos esquecer que o ato suicida nem sempre envolve planejamento, a pessoa pode cometer suicídio sem ter demonstrado previamente esta intenção, porém, estes casos são minorias. Na grande maioria dos casos de suicídio, as pessoas dão sinais de sua intenção.
  • 9. 09 Uma conversa calma e sem julgamento é fundamental. Deve-se ficar atento aos sinais que indicam que determinada pessoa tem risco para o comportamento suicida: 1. comportamento retraído, dificuldade de relacionamento pessoal; 2. doença psiquiátrica; 3. alcoolismo; 4. ansiedade ou pânico; 5. mudança na personalidade, irritabilidade, pessimismo, depressão ou apatia; 6. mudança no hábito alimentar e de sono; 7. tentativa de suicídio anterior; 8. odiar-se, sentimento de culpa, de se sentir sem valor ou com vergonha; 9. uma perda recente importante – morte, divórcio, separação, etc; 10. história familiar de suicídio.
  • 10. 10 • Ignorar a situação. • Ficar chocado ou envergonhado e em pânico. • Falar que tudo vai ficar bem, sem agir para que isso aconteça. • Desafiar a pessoa a cometer o suicídio. • Fazer o problema parecer sem importância. • Dar falsas garantias. • Jurar segredo. • Deixar a pessoa sozinha. • Comparações com outros casos (ex.: fulano está pior do que você e não se matou) • Impedir o acesso aos meios para cometer suicídio. Exemplos: esconder armas, facas, cordas, deixar medicamentos em local que a pessoa não tenha acesso, de preferência trancados, e com alguém responsável em administrá-los. • Realizar vigilância 24 horas, não deixando a pessoa sozinha, sob nenhuma hipótese. • Sempre procurar atendimento nos serviços de saúde. • Medicações (as medicações prescritas pelo médico devem ficar com o familiar e serem dadas ao paciente somente em horário e dose prescritas) OBS: Não dar nenhuma medicação que não esteja prescrita pelo médico. Medidas de prevenção ao suicídio que poderão ser realizadas pelos familiares/ amigos/colegas, como: O que não fazer:
  • 11. Escute a pessoa e busque ajuda capacitada em um local especializado. No nosso município, existem os seguintes locais: CAPS Centro de Atenção Psicossocial Rua Monsenhor Scalabrini, 1178 (51) 3751-3290 Horário de funcionamento 8:00hs às 18:00hs de segunda à sexta-feira PRONTO SOCORRO SAMU Hospital Beneficente Santa Teresinha funciona 24 horas disque 192 Posto de Saúde do seu bairro 11