SlideShare uma empresa Scribd logo
Os livros de Samuel Estabelecimento de Israel como reino Teocrático
Autoria Título Devido à 1ª figura humana de destaque neles, Samuel, palavra que significa “nome de Deus” ou possivelmente uma abreviatura de “pedido a Deus”. Originalmente, no cânon hebraico, os dois livros formavam um só volume, “O Livro de Samuel”, mas foram divididos em dois pelos tradutores gregos (Septuaginta) que os chamaram de “1 e 2 Reis”. Os livro que chamamos de 1 e 2 Reis tinham o nome de 3 e 4 Reis.
Autor Estes livros, como a maioria dos livros históricos, são anônimos. O profeta Samuel é geralmente considerado o autor de 1 Samuel 1-24, e Natã e Gade os autores da parte restante. As descrições sugerem que os autores foram testemunhas oculares dos acontecimentos.  1 Crônicas 29.29 .
Cenário Histórico Data envolvidas  – 1100 a 970 a.C., aproximadamente. Os acontecimentos relatados nos dois livros cobrem o período do nascimento de Samuel até o fim do reinado de Davi. Supondo que Samuel tivesse 30 anos aproximadamente quando começou a sua liderança em 1070  (5 anos após a morte de Eli). O período de tempo para os livros é de cerca de 130 anos. Antes da liderança de Samuel, diversos juízes governaram Israel. Sansão, a sudeste governou Judá e Dã; Jefté governou Manassés e Efraim Oriental; Ibsão, Elom e Abdom, jugaram outras partes de Israel, enquanto Samuel crescia em Silo.
Diversos períodos sobrepostos estão envolvidos na história: 40 anos – opressão dos filisteus 1095 -1055 (juízes 13.1) 40 anos – magistratura de Eli – 1115 – 1075 (1 Sm. 4.18) 75 anos – arca em Quiriate-Jearim – 1075 – 1000  (1 Sm. 7.2; 1 Cr. 15.25) 40 anos – magistratura de Samuel – 1055 – 1015 (1 Sm. 7.14-16) 40 anos – Reinado de Saul – 1050 – 1010 (At.13.21) 40 anos – Reinado de Davi – 1010 – 970 (2 Sm. 5,4)
Cenário Religioso em que se achava a nação O período começou com a idolatria e a imoralidade ainda predominante em Israel (1 Sm. 7.3). Embora Eli fosse fiel como sacerdote, ele deixou de honrar a Deus por não disciplinar seus filhos (1 Sm. 2.29) que serviam no tabernáculo de Silo com flagrante de imoralidade e cobiça. Por este motivo, o Senhor proferiu julgamento contra a casa de Eli, dizendo que seria afastado do sacerdócio. (1 Sm. 2.33).
O Tabernáculo e a arca tinham estado em Silo (14km ao norte de Betel) desde os tempos de Josué até os de Eli. Quando na ocasião da morte de Eli a arca foi roubada, esses dois itens principais do sistema religioso de Israel ficaram separados e assim permaneceram durante 75 anos até que Davi fez com que a arca voltasse em 1000 a.C. Tabernáculo Arca Em Gilgal  1405 – 1398 Em Gilgal 1405 – 1398 Em Silo 1398 – 1075 Em Silo 1398 – 1075 Em Nobe 1075 – 1015 Em Filístia 1075 Em Gilbeom 1015 – 1000 Em Quiriate-Jearim 1015 – 1000 Em Jerusalém 1000 - 960 Em Jerusalém 1000 - 960 Templo terminado, 960 Em Jerusalém 960 - 586
Cenário político da união Divisões internas. Foi um época de lideranças divididas e anarquia geral. Desde a morte de Josué, a nação vinha sem liderança central, mas na emegerncias as tribos eram julgadas por juízes indicados por Deus e, às vezes, por governantes sacerdotes (Finéias e Eli). Opressões externas. Os filisteus do sudeste fizeram nessa época a maior oposição a Israel, embora outros povos fizessem ataques esporádicos. Os filisteus tormaram-lhe não somente a arca; toda a Jordânia ocidental foi várias vezes quase toda tomada por eles.
Sob o reinado de Davi, os problemas de anarquia interna e opressão externa foram resolvidos aos poucos. Sob sua liderança os filisteus foram expulsos; Edom, Moabe, Amom e Síria tornaram-se vassalos de Israel, e conclui-se um tratado de paz com a Fenícia.
Objetivo do Livro Apresentar a história do desenvolvimento de Israel desde um estado de anarquia até um estado de monarquia teocrática. O motivo dominante é a glória e o poder de uma nação que corresponde ao Senhor soberano.
Esboço de 1 Samuel ASCENSÃO E GOVERNO DE SAMUEL   ............... 1-8 Samuel preparado para o serviço  .................... 1-3 Nascimento e consagração .................................. 1  Crescimento e chamada para o serviço ............ 2-3 Israel unificado por Samuel  ............................. 4-7 A Arca de Deus julga os filisteus ....................... 4-5 A Arca de Deus julga Israel .................................. 6 O Senhor derrota os filisteus ............................... 7 Samuel rejeitado como líder de Israel  ..................8 Israel rejeita os filhos de Samuel  Israel pede um rei como as nações
ASCENSÃO E GOVERNO DE SAUL  .................... 9-15 Saul escolhido pelo povo ....... ......................... 9-10 Bela aparência ..................................................... 9 Unção do rei de Israel ....................................... 10 Saul confirmado por uma vitória nacional  ......... 11 Amonitas ameaçam a Transjordânia Amonitas vencidos por Saul Saul proclamado rei Saul rejeitado por Deus  ................................ 12-15 Discurso final e censura de Samuel .................... 12 Conduta insensata de Saul ............................ 13-14 Presunção fatal de Saul ...................................... 15
ASCENSÃO E FUNÇÃO ANTECIPADA DE DAVI  . 16-31 Treinamento de Davi como pastor ....... ......... 16-17 Ungido como futuro rei ..................................... 16 Aclamado como futuro rei ................................ 17 Serviço de Davi como cortesão  ..................... 18-19 Desavença com o invejoso Saul ......................... 18 Fuga da face do conspirador Saul ...................... 19 Provações de Davi como fugitivo  ................. 20-31 Fuga para longe de Saul ................................ 20-23 Davi poupa a vida de Saul ............................. 24-26 Na terra dos filisteus ..................................... 27-30 Morte de Saul .................................................... 31
Contribuições singulares de  1 e 2 Samuel Samuel, o unge reis. A história do A.T. apresenta-nos 3 levitas notáveis do começo, meio e fim do periodo de Isarel: Moisés, Samuel e Esdras. Todos contribuiram de grande forma à Palavra de Deus:  Moisés escreveu 5 livros; Esdras escreveu os últimos 4 ou 5 livros históricos e organizou o cânon. Samuel é o provável autor de 3 livros do meio deste período.
A importância de Samuel, entretanto, vem do fato de que ele ungiu os dois primeiros reis de Israel a mandado do Senhor. Essa continuou a ser uma função especial dos profetas de Israel até a ocasião em que João Batista apresentou a Jesus. Famosa oração de Ana e considerações  (1 Sm 2.1-10). Uma das orações mais notáveis da bíblia. Ana regozija-se na grandeza de Deus e na sua graça de levantar os humildes e insignificantes para confundir os sábios e poderosos.
Nas suas orações ela introduziu o uso de dois importantes nomes do Senhor:  O 1º é “Senhor dos Exércitos”(1 Sm. 1.3,11), designação usada aproximadamente 300 vezes na parte restante  do A.T. A oração de Ana afirma : “O Senhor é o que tira a vida a e dá”(1 Sm. 2.6) aludindo ao seu poder. Também se refere ao rei divino como “Seu Ungido” (1 Sm. 2.10), um termo interpretado como o “Messias” em Daniel 9.25-26, e como a origem do nome de “Cristo” no N.T.
Figura trágica de Eli (1 Sm. 2.12-36) Eli, o sumo sacerdote, simbolizou a condição em que se achava Israel naquela época: vivia uma forma de piedade sem poder ou disciplina pessoal.  Eli perdeu o sacerdócio por 2 motivos: Por sua soberania Deus tinha dado o sumo sacerdócio a Finéias – filho de Eleazar – como sacerdote perpétuo, e não a casa de Itamar à qual pertencia Eli (Nm. 25.11-13). Foi a falha de Eli em disciplinar seus filhos  (1 Sm. 3.13), que tiraram proveito do sacerdócio para seu próprio lucro; o Senhor atribuiu a Eli parte da culpa (1 Sm. 2.29).
A Arca perdida: “ICABODE” (1 Sm 4-6) Eli e seus filhos trouxeram grande vergonha a Israel pelo uso supersticioso da arca no combate. Não somente perderam a batalha como a arca foi levada pelos filisteus. O nome dado ao neto de Eli, “ Icabode ” (“Foi-se a glória de Israel”, 1 Sm. 4.21) caracterizou muito bom a nação. Durante 75 anos a arca esteve separada do tabernáculo. Durante 7 meses em que ficou na Filístia, foi usada para ensinar aos filisteus algumas profundas lições sobre o Deus de Israel. Quando colocada no templo de Dagom, o deus filisteus caiu 2 vezes por terra perante a arca, quase destruindo-se na 2ª vez. Quando foi mandada as 5 cidades da Filístia, a enfermidade devastou o povo e o temor tomou conta da nação.
Saul, a escolha israelita de um rei “alto”  (1 Sm. 9-15). A indicação de Saul como rei foi uma característica ou consentimento interessante do Senhor, visto que a cidade e tribo de Saul (Gibeá de Benjamim) tinha sido destruída quase toda 3 séculos antes por causa da imoralidade. A escolha de Saul feita pelo povo, refletia a sua confiança mais na aparência física do que na força espiritual. Os fracassos de Saul foram devidos a fraquezas espirituais:
Ao defrontar-se com os poderosos invasores filisteus, ele impacientou-se com Samuel e imprudentemente usurpou a função sacerdotal do sacrifício; Sedento por vitória, tornou-se egoísta nas exigências com as tropas; Depois de uma vitória parcial sobre os amalequitas, deixou de obedecer à ordem de Deus para destruir a todos (supondo que um sacrifício posterior compensaria a desobedienci); Quando Davi foi bem sucedido onde Saul faltara, teve ciúmes; Quando  castigo por Deus em virtude de seus erros, tornou-se amargo em vez de humilde.  O trágico fim de Saul, ao suicidar-se, demonstrou a futilidade da mera aparência na execução da obra de Deus.
Davi e Golias (1 Sm. 16-17). O grande contraste entre o “alto” Saul e o “pequeno” Davi está na escolha divina do jovem pastor, a quem a sua própria família não considerava um candidato a rei (1 Sm. 16). Tão grande era a fé de Davi, que respondeu ao desafio de Golias dizendo que daria todo o exercito dos filisteus asa aves e as bestas-feras  (17.45-46). Davi sempre perguntava ao Senhor antes de entrar em combate, diferentemente de Saul que tinha a ambição pelas vitórias (1 Sm. 22.10; 23.2,4,10; 30.8; 2 Sm. 2.1; 5.19,23). Ao derrotar Golias, o maio problema de Davi não foi o gigante ou os filisteus, mas a duvida e descrença de Israel.
Extraordinário Davi. Talvez não haja na Bíblia um homem estimado em tão alto grau  por Deus e pelos homens. Foi ele  que estabeleceu o padrão pelo  qual Deus avaliou todos os reis  posteriores de Israel. O Senhor o  usou também para instruir a nação quanto à adoração e o louvor que lhe são devidos. Seus salmos tem inspirado mais pessoas do que qualquer outras composições literárias. Quais eram as chaves da grandeza de Davi?
Tinha um profundo amor por Deus e dedicou-se à sua obra.  Tinha confiança nas suas convicções e não se atemorizava com a descrença e o negativismo ao seu redor. Assumiu o trono real como um “servo do seu povo”, e não como senhor (como Saul havia feito). No seu longo período de provação, aprendeu a esperar no Senhor e a deixar por sua conta quaisquer vinganças pessoais. Aprendeu a delegar responsabilidades e a dar  crédito àqueles que serviram bem. Apesar de não ser perfeito em muitas coisas, mostrou uma capacidade notável de aceitar a própria culpa e reagir positivamente ao castigo de Deus.
Aliança Davídica  (2 Sm. 7). A aliança Davídica foi dada para elaborar o aspecto nacional com referência ao rei. Esta aliança prometeu  que os seus descendentes teriam os direitos do trono de Israel para sempre, e que a linhagem seria através de Salomão, o construtor do templo.
O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra. A poderosa palavra do profeta Natã expôs o sórdido acontecimento.
Quatro foram as consequências  desse pecado, duas condenatórias e duas compassivas: O julgamento que atingiu o coração de Davi e a perda do filho recém-nascido O perdão do Senhor quando Davi confessou seu pecado (2 Sm. 12.13) As consequências em sua família. Seu filho mais velho Amnom seduziu sua filha Tamar. A morte de 2 filhos assassinados por outros 2. Absalão usurpou seu reinado e envergonhou as suas concubinas. A graça de Deus para com ele depois de seu profundo arrependimento, permitindo-lhe que Bate-Seba tivesse outro filho a quem o trono seria dado.  Salmos 32; 51.
O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra.
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
47 Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
47   Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)47   Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
47 Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
Robson Tavares Fernandes
 
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetasJuízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
emilsonribeiro
 
Daniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneoDaniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneo
Moisés Sampaio
 
Panorama do AT - Daniel
Panorama do AT - DanielPanorama do AT - Daniel
Panorama do AT - Daniel
Respirando Deus
 
1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas
Amor pela EBD
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
21. o livro de neemias
21. o livro de neemias21. o livro de neemias
21. o livro de neemias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
94 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
94   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 194   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
94 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
Robson Tavares Fernandes
 
Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
Respirando Deus
 
11. o livro dos juízes
11. o livro dos juízes11. o livro dos juízes
11. o livro dos juízes
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
Rubens Sohn
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
RODRIGO FERREIRA
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbios
Pastor W. Costa
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
Ricardo Gondim
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Respirando Deus
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Panorama do AT - Provérbios
Panorama do AT - ProvérbiosPanorama do AT - Provérbios
Panorama do AT - Provérbios
Respirando Deus
 
39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Mais procurados (20)

14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel14. o livro de ii samuel
14. o livro de ii samuel
 
47 Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
47   Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)47   Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
47 Estudo Panorâmico da Bíblia (I Samuel)
 
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetasJuízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
Juízes, os reinos de Israel, divisão, reunificação e os profetas
 
Daniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneoDaniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneo
 
Panorama do AT - Daniel
Panorama do AT - DanielPanorama do AT - Daniel
Panorama do AT - Daniel
 
1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas1 e 2 livro das Crônicas
1 e 2 livro das Crônicas
 
15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis15. O Livro de I Reis
15. O Livro de I Reis
 
16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis16. O Livro de II Reis
16. O Livro de II Reis
 
21. o livro de neemias
21. o livro de neemias21. o livro de neemias
21. o livro de neemias
 
94 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
94   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 194   estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
94 estudo panorâmico da bíblia - o livro de naum - parte 1
 
Panorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e EsterPanorama do AT - Neemias e Ester
Panorama do AT - Neemias e Ester
 
11. o livro dos juízes
11. o livro dos juízes11. o livro dos juízes
11. o livro dos juízes
 
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptxIBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
IBADEP BÁSICO PROFETAS MENORES - AULA 2 - OBADIAS E JONAS.pptx
 
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
5 aula profetas menores, Zacarias e Malaquias
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbios
 
Históricos I
Históricos IHistóricos I
Históricos I
 
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
Estudo Panorâmico do AT - Crônicas 1 e 2
 
41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque41. O Profeta Habacuque
41. O Profeta Habacuque
 
Panorama do AT - Provérbios
Panorama do AT - ProvérbiosPanorama do AT - Provérbios
Panorama do AT - Provérbios
 
39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias39. O Profeta Miquéias
39. O Profeta Miquéias
 

Destaque

Panorama 1 samuel
Panorama 1 samuelPanorama 1 samuel
Panorama 1 samuel
Fabio Miranda
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
Robson Tavares Fernandes
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
mbrandao7
 
Teologia do livro de Samuel
Teologia do livro de SamuelTeologia do livro de Samuel
Teologia do livro de Samuel
Jean Francesco
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
mbrandao7
 
comentario biblico-1 samuel (moody)
comentario biblico-1 samuel (moody)comentario biblico-1 samuel (moody)
comentario biblico-1 samuel (moody)
leniogravacoes
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Respirando Deus
 
Livros Históricos
Livros  HistóricosLivros  Históricos
Livros Históricos
Moisés Sampaio
 
A MONARQUIA EM ISRAEL
A MONARQUIA EM ISRAELA MONARQUIA EM ISRAEL
A MONARQUIA EM ISRAEL
Antonio Marcos
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
Alberto Simonton
 
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
Ping Ponga
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
Moisés Sampaio
 
História de israel
História de israelHistória de israel
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Patricia Farias
 
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuelCatequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
Maria Thereza Tosta Camillo
 
2 Samuel (Presentación)
2 Samuel (Presentación)2 Samuel (Presentación)
2 Samuel (Presentación)
SinaiAlbareda
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
Alberto Simonton
 
Calendário ministério jovem
Calendário ministério jovemCalendário ministério jovem
Calendário ministério jovem
userbeta
 
Inocencia - slide
Inocencia - slideInocencia - slide
Inocencia - slide
Bernadete Carrijo Oliveira
 

Destaque (20)

Panorama 1 samuel
Panorama 1 samuelPanorama 1 samuel
Panorama 1 samuel
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
 
Teologia do livro de Samuel
Teologia do livro de SamuelTeologia do livro de Samuel
Teologia do livro de Samuel
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
comentario biblico-1 samuel (moody)
comentario biblico-1 samuel (moody)comentario biblico-1 samuel (moody)
comentario biblico-1 samuel (moody)
 
Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2Panorama do AT - Reis 1 e 2
Panorama do AT - Reis 1 e 2
 
Livros Históricos
Livros  HistóricosLivros  Históricos
Livros Históricos
 
A MONARQUIA EM ISRAEL
A MONARQUIA EM ISRAELA MONARQUIA EM ISRAEL
A MONARQUIA EM ISRAEL
 
Os livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 ReisOs livros de 1 e 2 Reis
Os livros de 1 e 2 Reis
 
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
17 Samuel, o menino servo de DEUS / 17 samuel gods boy servant portuguese
 
Livros históricos aula 2
Livros  históricos aula 2Livros  históricos aula 2
Livros históricos aula 2
 
História de israel
História de israelHistória de israel
História de israel
 
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
Livro dos Espiritos Questão 351 ESE cap28 item8
 
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuelCatequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
Catequese bíblica (vi) 1 e 2 samuel
 
2 Samuel (Presentación)
2 Samuel (Presentación)2 Samuel (Presentación)
2 Samuel (Presentación)
 
O livro dos Juízes
O livro dos JuízesO livro dos Juízes
O livro dos Juízes
 
Calendário ministério jovem
Calendário ministério jovemCalendário ministério jovem
Calendário ministério jovem
 
Inocencia - slide
Inocencia - slideInocencia - slide
Inocencia - slide
 

Semelhante a OS LIVROS DE SAMUEL

I samuel
I samuelI samuel
I samuel
Élida Rolim
 
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptxEBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
DouglasMoraes54
 
Licao 1 4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
Licao 1   4 t - 2019 - [salvo automaticamente]Licao 1   4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
Licao 1 4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
Vilma Longuini
 
Reis e profetas - aula 1
Reis e profetas  - aula 1Reis e profetas  - aula 1
Reis e profetas - aula 1
Moisés Sampaio
 
2 o juizado de samuel
2  o juizado de samuel2  o juizado de samuel
2 o juizado de samuel
PIB Penha - SP
 
Romanos 11 o futuro de israel
Romanos 11   o futuro de israelRomanos 11   o futuro de israel
Romanos 11 o futuro de israel
Vilma Longuini
 
I & II Samuel.ppt
I & II Samuel.pptI & II Samuel.ppt
I & II Samuel.ppt
DouglasMoraes54
 
Vida de Samuel
Vida de SamuelVida de Samuel
Vida de Samuel
Dilean Melo
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de SamuelLição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Éder Tomé
 
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
deivissondossantosre
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
PIB Penha
 
Reis e cronicas.ppt
Reis e cronicas.pptReis e cronicas.ppt
Reis e cronicas.ppt
GardLages
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
PIB Penha
 
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuelLIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
Marina de Morais
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Hamilton Souza
 
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
Rubens Sohn
 
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptxEBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
DouglasMoraes54
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Marina de Morais
 
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptxApresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
DouglasMoraes54
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
Lisanro Cronje
 

Semelhante a OS LIVROS DE SAMUEL (20)

I samuel
I samuelI samuel
I samuel
 
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptxEBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
EBD - 1 SAMUEL - Aula 3 - 11.06.2023.pptx
 
Licao 1 4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
Licao 1   4 t - 2019 - [salvo automaticamente]Licao 1   4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
Licao 1 4 t - 2019 - [salvo automaticamente]
 
Reis e profetas - aula 1
Reis e profetas  - aula 1Reis e profetas  - aula 1
Reis e profetas - aula 1
 
2 o juizado de samuel
2  o juizado de samuel2  o juizado de samuel
2 o juizado de samuel
 
Romanos 11 o futuro de israel
Romanos 11   o futuro de israelRomanos 11   o futuro de israel
Romanos 11 o futuro de israel
 
I & II Samuel.ppt
I & II Samuel.pptI & II Samuel.ppt
I & II Samuel.ppt
 
Vida de Samuel
Vida de SamuelVida de Samuel
Vida de Samuel
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de SamuelLição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
 
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
Licao1 4t-2019-cpad-190928023113
 
9 1 e 2 samuel
9   1 e 2 samuel9   1 e 2 samuel
9 1 e 2 samuel
 
Reis e cronicas.ppt
Reis e cronicas.pptReis e cronicas.ppt
Reis e cronicas.ppt
 
10 1 e 2 reis
10   1 e 2 reis10   1 e 2 reis
10 1 e 2 reis
 
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuelLIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
LIÇÃO 1: Conhecendo os dois livros de samuel
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
 
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 3
 
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptxEBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
EBD - SAMUEL - Aula 2 - 04.06.2023.pptx
 
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
Lição 1 - Conhecendo os Dois Livros de Samuel
 
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptxApresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
Apresentação - Livros Históricos - Samuel.pptx
 
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.pptPANORAMA_DO_AT_2.ppt
PANORAMA_DO_AT_2.ppt
 

Mais de mbrandao7

Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
mbrandao7
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
mbrandao7
 
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
mbrandao7
 
Os livros de samuel
Os livros de samuelOs livros de samuel
Os livros de samuel
mbrandao7
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
mbrandao7
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
mbrandao7
 
Introd. livros historicos
Introd. livros historicosIntrod. livros historicos
Introd. livros historicos
mbrandao7
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
mbrandao7
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
mbrandao7
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
mbrandao7
 
2. apresentação
2. apresentação2. apresentação
2. apresentação
mbrandao7
 
1. Apêndice
1. Apêndice1. Apêndice
1. Apêndice
mbrandao7
 

Mais de mbrandao7 (13)

Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
 
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
 
Os livros de samuel
Os livros de samuelOs livros de samuel
Os livros de samuel
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
 
Introd. livros historicos
Introd. livros historicosIntrod. livros historicos
Introd. livros historicos
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
 
2. apresentação
2. apresentação2. apresentação
2. apresentação
 
1. Apêndice
1. Apêndice1. Apêndice
1. Apêndice
 

Último

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptxQualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
MariaJooSilva58
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptxQualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 

OS LIVROS DE SAMUEL

  • 1. Os livros de Samuel Estabelecimento de Israel como reino Teocrático
  • 2. Autoria Título Devido à 1ª figura humana de destaque neles, Samuel, palavra que significa “nome de Deus” ou possivelmente uma abreviatura de “pedido a Deus”. Originalmente, no cânon hebraico, os dois livros formavam um só volume, “O Livro de Samuel”, mas foram divididos em dois pelos tradutores gregos (Septuaginta) que os chamaram de “1 e 2 Reis”. Os livro que chamamos de 1 e 2 Reis tinham o nome de 3 e 4 Reis.
  • 3. Autor Estes livros, como a maioria dos livros históricos, são anônimos. O profeta Samuel é geralmente considerado o autor de 1 Samuel 1-24, e Natã e Gade os autores da parte restante. As descrições sugerem que os autores foram testemunhas oculares dos acontecimentos. 1 Crônicas 29.29 .
  • 4. Cenário Histórico Data envolvidas – 1100 a 970 a.C., aproximadamente. Os acontecimentos relatados nos dois livros cobrem o período do nascimento de Samuel até o fim do reinado de Davi. Supondo que Samuel tivesse 30 anos aproximadamente quando começou a sua liderança em 1070 (5 anos após a morte de Eli). O período de tempo para os livros é de cerca de 130 anos. Antes da liderança de Samuel, diversos juízes governaram Israel. Sansão, a sudeste governou Judá e Dã; Jefté governou Manassés e Efraim Oriental; Ibsão, Elom e Abdom, jugaram outras partes de Israel, enquanto Samuel crescia em Silo.
  • 5. Diversos períodos sobrepostos estão envolvidos na história: 40 anos – opressão dos filisteus 1095 -1055 (juízes 13.1) 40 anos – magistratura de Eli – 1115 – 1075 (1 Sm. 4.18) 75 anos – arca em Quiriate-Jearim – 1075 – 1000 (1 Sm. 7.2; 1 Cr. 15.25) 40 anos – magistratura de Samuel – 1055 – 1015 (1 Sm. 7.14-16) 40 anos – Reinado de Saul – 1050 – 1010 (At.13.21) 40 anos – Reinado de Davi – 1010 – 970 (2 Sm. 5,4)
  • 6. Cenário Religioso em que se achava a nação O período começou com a idolatria e a imoralidade ainda predominante em Israel (1 Sm. 7.3). Embora Eli fosse fiel como sacerdote, ele deixou de honrar a Deus por não disciplinar seus filhos (1 Sm. 2.29) que serviam no tabernáculo de Silo com flagrante de imoralidade e cobiça. Por este motivo, o Senhor proferiu julgamento contra a casa de Eli, dizendo que seria afastado do sacerdócio. (1 Sm. 2.33).
  • 7. O Tabernáculo e a arca tinham estado em Silo (14km ao norte de Betel) desde os tempos de Josué até os de Eli. Quando na ocasião da morte de Eli a arca foi roubada, esses dois itens principais do sistema religioso de Israel ficaram separados e assim permaneceram durante 75 anos até que Davi fez com que a arca voltasse em 1000 a.C. Tabernáculo Arca Em Gilgal 1405 – 1398 Em Gilgal 1405 – 1398 Em Silo 1398 – 1075 Em Silo 1398 – 1075 Em Nobe 1075 – 1015 Em Filístia 1075 Em Gilbeom 1015 – 1000 Em Quiriate-Jearim 1015 – 1000 Em Jerusalém 1000 - 960 Em Jerusalém 1000 - 960 Templo terminado, 960 Em Jerusalém 960 - 586
  • 8. Cenário político da união Divisões internas. Foi um época de lideranças divididas e anarquia geral. Desde a morte de Josué, a nação vinha sem liderança central, mas na emegerncias as tribos eram julgadas por juízes indicados por Deus e, às vezes, por governantes sacerdotes (Finéias e Eli). Opressões externas. Os filisteus do sudeste fizeram nessa época a maior oposição a Israel, embora outros povos fizessem ataques esporádicos. Os filisteus tormaram-lhe não somente a arca; toda a Jordânia ocidental foi várias vezes quase toda tomada por eles.
  • 9. Sob o reinado de Davi, os problemas de anarquia interna e opressão externa foram resolvidos aos poucos. Sob sua liderança os filisteus foram expulsos; Edom, Moabe, Amom e Síria tornaram-se vassalos de Israel, e conclui-se um tratado de paz com a Fenícia.
  • 10. Objetivo do Livro Apresentar a história do desenvolvimento de Israel desde um estado de anarquia até um estado de monarquia teocrática. O motivo dominante é a glória e o poder de uma nação que corresponde ao Senhor soberano.
  • 11. Esboço de 1 Samuel ASCENSÃO E GOVERNO DE SAMUEL ............... 1-8 Samuel preparado para o serviço .................... 1-3 Nascimento e consagração .................................. 1 Crescimento e chamada para o serviço ............ 2-3 Israel unificado por Samuel ............................. 4-7 A Arca de Deus julga os filisteus ....................... 4-5 A Arca de Deus julga Israel .................................. 6 O Senhor derrota os filisteus ............................... 7 Samuel rejeitado como líder de Israel ..................8 Israel rejeita os filhos de Samuel Israel pede um rei como as nações
  • 12. ASCENSÃO E GOVERNO DE SAUL .................... 9-15 Saul escolhido pelo povo ....... ......................... 9-10 Bela aparência ..................................................... 9 Unção do rei de Israel ....................................... 10 Saul confirmado por uma vitória nacional ......... 11 Amonitas ameaçam a Transjordânia Amonitas vencidos por Saul Saul proclamado rei Saul rejeitado por Deus ................................ 12-15 Discurso final e censura de Samuel .................... 12 Conduta insensata de Saul ............................ 13-14 Presunção fatal de Saul ...................................... 15
  • 13. ASCENSÃO E FUNÇÃO ANTECIPADA DE DAVI . 16-31 Treinamento de Davi como pastor ....... ......... 16-17 Ungido como futuro rei ..................................... 16 Aclamado como futuro rei ................................ 17 Serviço de Davi como cortesão ..................... 18-19 Desavença com o invejoso Saul ......................... 18 Fuga da face do conspirador Saul ...................... 19 Provações de Davi como fugitivo ................. 20-31 Fuga para longe de Saul ................................ 20-23 Davi poupa a vida de Saul ............................. 24-26 Na terra dos filisteus ..................................... 27-30 Morte de Saul .................................................... 31
  • 14. Contribuições singulares de 1 e 2 Samuel Samuel, o unge reis. A história do A.T. apresenta-nos 3 levitas notáveis do começo, meio e fim do periodo de Isarel: Moisés, Samuel e Esdras. Todos contribuiram de grande forma à Palavra de Deus: Moisés escreveu 5 livros; Esdras escreveu os últimos 4 ou 5 livros históricos e organizou o cânon. Samuel é o provável autor de 3 livros do meio deste período.
  • 15. A importância de Samuel, entretanto, vem do fato de que ele ungiu os dois primeiros reis de Israel a mandado do Senhor. Essa continuou a ser uma função especial dos profetas de Israel até a ocasião em que João Batista apresentou a Jesus. Famosa oração de Ana e considerações (1 Sm 2.1-10). Uma das orações mais notáveis da bíblia. Ana regozija-se na grandeza de Deus e na sua graça de levantar os humildes e insignificantes para confundir os sábios e poderosos.
  • 16. Nas suas orações ela introduziu o uso de dois importantes nomes do Senhor: O 1º é “Senhor dos Exércitos”(1 Sm. 1.3,11), designação usada aproximadamente 300 vezes na parte restante do A.T. A oração de Ana afirma : “O Senhor é o que tira a vida a e dá”(1 Sm. 2.6) aludindo ao seu poder. Também se refere ao rei divino como “Seu Ungido” (1 Sm. 2.10), um termo interpretado como o “Messias” em Daniel 9.25-26, e como a origem do nome de “Cristo” no N.T.
  • 17. Figura trágica de Eli (1 Sm. 2.12-36) Eli, o sumo sacerdote, simbolizou a condição em que se achava Israel naquela época: vivia uma forma de piedade sem poder ou disciplina pessoal. Eli perdeu o sacerdócio por 2 motivos: Por sua soberania Deus tinha dado o sumo sacerdócio a Finéias – filho de Eleazar – como sacerdote perpétuo, e não a casa de Itamar à qual pertencia Eli (Nm. 25.11-13). Foi a falha de Eli em disciplinar seus filhos (1 Sm. 3.13), que tiraram proveito do sacerdócio para seu próprio lucro; o Senhor atribuiu a Eli parte da culpa (1 Sm. 2.29).
  • 18. A Arca perdida: “ICABODE” (1 Sm 4-6) Eli e seus filhos trouxeram grande vergonha a Israel pelo uso supersticioso da arca no combate. Não somente perderam a batalha como a arca foi levada pelos filisteus. O nome dado ao neto de Eli, “ Icabode ” (“Foi-se a glória de Israel”, 1 Sm. 4.21) caracterizou muito bom a nação. Durante 75 anos a arca esteve separada do tabernáculo. Durante 7 meses em que ficou na Filístia, foi usada para ensinar aos filisteus algumas profundas lições sobre o Deus de Israel. Quando colocada no templo de Dagom, o deus filisteus caiu 2 vezes por terra perante a arca, quase destruindo-se na 2ª vez. Quando foi mandada as 5 cidades da Filístia, a enfermidade devastou o povo e o temor tomou conta da nação.
  • 19. Saul, a escolha israelita de um rei “alto” (1 Sm. 9-15). A indicação de Saul como rei foi uma característica ou consentimento interessante do Senhor, visto que a cidade e tribo de Saul (Gibeá de Benjamim) tinha sido destruída quase toda 3 séculos antes por causa da imoralidade. A escolha de Saul feita pelo povo, refletia a sua confiança mais na aparência física do que na força espiritual. Os fracassos de Saul foram devidos a fraquezas espirituais:
  • 20. Ao defrontar-se com os poderosos invasores filisteus, ele impacientou-se com Samuel e imprudentemente usurpou a função sacerdotal do sacrifício; Sedento por vitória, tornou-se egoísta nas exigências com as tropas; Depois de uma vitória parcial sobre os amalequitas, deixou de obedecer à ordem de Deus para destruir a todos (supondo que um sacrifício posterior compensaria a desobedienci); Quando Davi foi bem sucedido onde Saul faltara, teve ciúmes; Quando castigo por Deus em virtude de seus erros, tornou-se amargo em vez de humilde. O trágico fim de Saul, ao suicidar-se, demonstrou a futilidade da mera aparência na execução da obra de Deus.
  • 21. Davi e Golias (1 Sm. 16-17). O grande contraste entre o “alto” Saul e o “pequeno” Davi está na escolha divina do jovem pastor, a quem a sua própria família não considerava um candidato a rei (1 Sm. 16). Tão grande era a fé de Davi, que respondeu ao desafio de Golias dizendo que daria todo o exercito dos filisteus asa aves e as bestas-feras (17.45-46). Davi sempre perguntava ao Senhor antes de entrar em combate, diferentemente de Saul que tinha a ambição pelas vitórias (1 Sm. 22.10; 23.2,4,10; 30.8; 2 Sm. 2.1; 5.19,23). Ao derrotar Golias, o maio problema de Davi não foi o gigante ou os filisteus, mas a duvida e descrença de Israel.
  • 22. Extraordinário Davi. Talvez não haja na Bíblia um homem estimado em tão alto grau por Deus e pelos homens. Foi ele que estabeleceu o padrão pelo qual Deus avaliou todos os reis posteriores de Israel. O Senhor o usou também para instruir a nação quanto à adoração e o louvor que lhe são devidos. Seus salmos tem inspirado mais pessoas do que qualquer outras composições literárias. Quais eram as chaves da grandeza de Davi?
  • 23. Tinha um profundo amor por Deus e dedicou-se à sua obra. Tinha confiança nas suas convicções e não se atemorizava com a descrença e o negativismo ao seu redor. Assumiu o trono real como um “servo do seu povo”, e não como senhor (como Saul havia feito). No seu longo período de provação, aprendeu a esperar no Senhor e a deixar por sua conta quaisquer vinganças pessoais. Aprendeu a delegar responsabilidades e a dar crédito àqueles que serviram bem. Apesar de não ser perfeito em muitas coisas, mostrou uma capacidade notável de aceitar a própria culpa e reagir positivamente ao castigo de Deus.
  • 24. Aliança Davídica (2 Sm. 7). A aliança Davídica foi dada para elaborar o aspecto nacional com referência ao rei. Esta aliança prometeu que os seus descendentes teriam os direitos do trono de Israel para sempre, e que a linhagem seria através de Salomão, o construtor do templo.
  • 25. O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra. A poderosa palavra do profeta Natã expôs o sórdido acontecimento.
  • 26. Quatro foram as consequências desse pecado, duas condenatórias e duas compassivas: O julgamento que atingiu o coração de Davi e a perda do filho recém-nascido O perdão do Senhor quando Davi confessou seu pecado (2 Sm. 12.13) As consequências em sua família. Seu filho mais velho Amnom seduziu sua filha Tamar. A morte de 2 filhos assassinados por outros 2. Absalão usurpou seu reinado e envergonhou as suas concubinas. A graça de Deus para com ele depois de seu profundo arrependimento, permitindo-lhe que Bate-Seba tivesse outro filho a quem o trono seria dado. Salmos 32; 51.
  • 27. O pecado de Davi (2 Sm. 11-12). O “caso” no auge do reinado de Davi que se tornou o divisor de águas em sua vida. O ponto onde fez a divisão das suas vitórias e suas dificuldades. O fato de olhar para a esposa do vizinho conduziu-o à cobiça e o arrastou ao adultério. Isso levou-o a falsidade e ao disfarce, ao roubo da esposa de um dos seus oficiais, e ao assassinato, num conspiração contra um dos homens mais nobres de seu exército. Este assassinato foi disfarçado elegantemente como uma consequência de guerra.
  • 28.