SlideShare uma empresa Scribd logo
Tempos, pesos e medidas no Velho Testamento
1. Apêndice
Conhecer corretamente os tempos, pesos e medidas
empregados no texto bíblico do Velho Testamento são bem
mais que satisfazer uma curiosidade, pois pode significar o
enriquecimento ou até mesmo a simples compreensão das
           lições propostas no texto estudado.
                (Ver Mt. 18.23-35 e Ez. 40)

                Pesos e Moedas

         O siclo era a moeda padrão, e as moedas eram
     avaliadas por pesos. Assim, pagar e pesar eram
     praticamente sinônimos. (Gn. 23.15; Jr. 23.9-10)
Os siclos eram de ouro, prata e bronze.
       1 siclo = 11,4g               1 beca = 6g
       1 gera = 0,5g                 1 mina = 0, kg
       1 talento = 30kg              1 siclo = 2 becas (Êx. 38.26)
       1 beca = 10 geras (Êx. 30.13)
               1 mina = 50 siclos (Ez. 45.12)
       1 talento = 3.000 siclos (II Rs. 5.5)

 Circulam juntas no Novo Testamento, moedas judaicas,
romanas (estáter, denário) e gregas (dracma), com a
seguinte equivalência:

       1 denário = 1 dracma = o salário de um dia de um
trabalhador comum
       4 denários = 4 dracmas = 1 siclo = 1 estáter (Mt. 17.24-27)
Medidas de comprimento

      As medidas de comprimento menores usavam
referências do corpo humano:
     1 dedo = 2cm (Jr. 52.21)
     4 dedos = 1 palmo menor = 8cm (Êx. 25.25)
     3 palmos menores = 1 palmo maior = 24cm (Êx. 28.16)
     2 palmos = 1 côvado = 48cm (Jr. 52.21)
     4 côvados = 1 braça = 1,85m (At. 27.28)
     6 côvados = 1 cana = 2,88m (Ez. 40.5)
     15 canas = 1 cordel = 43,2m (Ez. 40.3)
As medidas de comprimento maiores
  aparecem no Novo Testamento:

   1 estádio = 185m (Lc. 24.13)
   O caminho de um sábado = 1 km (At. 1.12)
   1 milha = 1.478Km (Mt. 5.41)
   Jornada de um dia = 35.472 km (Lc. 2.44)
Medidas para líquidos

  1 bato = 1 efa = 22 litros (I Rs. 7.38)
  1 almude ou metreta = 1 bato

  Medidas para secos
   1 efa = 22 litros (Ez. 45.10)
1 ômer = 10 efas = 220 litros (Ez. 45.11)
Divisões do tempo
      Dia
      Nós chamamos “um dia” ao espaço de tempo
compreendido entre duas meias-noites. Os judeus, no
entanto, contavam o dia civil a partir das seis horas da
tarde, até as seis horas da tarde do dia seguinte. O “dia
normal” era contado do nascer do sol até o pôr do sol
(nossos 6 ás 18h), com doze horas de duração, e a noite era
dividida antigamente em três vigílias:

            A primeira (das 18 às 24h) – Lm. 2.19)
               A média (das 24 às 3h) – Jz. 7.19
            A da manhã (das 3 às 6h) – Êx. 14.24
Já notamos pequenas mudanças no tempo do Novo
Testamento, onde o dia continuava dividido em doze horas
e a noite em quatro vigílias. Assim:

                        1ª hora do dia = 6h
                        3ª hora do dia = 9h
          6ª hora do dia = 12h (Lc. 23.44) e Mt. 27.45)
                  12ª hora do dia = 18 (Mt. 20.6)
      A primeira vigília (“da tarde”) – 18 – 21h (Mc. 13.35)
          A segunda vigília (“da meia-noite) – 21 – 24h
   A terceira vigília (“o cantar do galo”) – 24 – 3h (Mt. 26.34)
        A quarta vigília (“da manhã”) – 3 – 6h (Mc. 6.48)
MÊS
       O mês dos hebreus era lunar, contando-se seus dias
segundo as fases da lua. O mês, portanto, duravam 29,5
dias, alternando-se durante o ano meses de 29 e 30 dias
sucessivamente.
       O ano tinha a duração de 354 dias e para que ele
correspondesse ao ano solar de 365 dias, intercalava-se
um mês extra (chamado Adar segundo) a cada 3 anos,
um ano de 13 meses.
ANO


       Havia duas formas de contar os anos: o sagrado e o
civil. O ano sagrado começava em Nisã ou Abibe (Abril),
recordando a saída dos hebreus do Egito e
correspondendo ao sétimo mês do ano civil. Era usado
pelos profetas e para a marcação das festas sagradas.
       O ano civil regia a agricultura e os assentos civis,
começando em Tisri (Outubro). Desta forma temos:
Nisã ou Abibe – (Abril) – Êx. 23.15 – 1º mês do ano sagrado
(30)
Zive (Maio) – I Rs. 6.1      (29)
Sivã (Junho) – Et. 8.9       (30)
Tamuz (Julho) – Ez. 8.14 (29)
Abe (Agosto) – Ed. 7.9       (30)
Elul (Setembro) – Ne. 6.15 (29)
Etenim ou Tisri (Outubro) – I Rs. 8.2 – 1º mês do ano civil.
(30)
Bul (Novembro) – I Rs. 6.38 (29)
Chiseleu (Dezembro) – Zc. 7.1 (30)
Tebete (Janeiro) – Et. 2.16 (29)
Sebate (Fevereiro) - Zc. 1.7 (30)
Adar (Março) – Et. 3.7       (29)
Adar II

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Instrumentos de medição do tempo
Instrumentos de medição do tempoInstrumentos de medição do tempo
Instrumentos de medição do tempo
Kelly Delfino
 
Calendário da 504 - 2014
Calendário da 504 - 2014Calendário da 504 - 2014
Calendário da 504 - 2014
informaticapedrinhosc1
 
At pentateuco e históricos (apostila 1)
At pentateuco e históricos (apostila 1)At pentateuco e históricos (apostila 1)
At pentateuco e históricos (apostila 1)
Paulo César dos Santos
 
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
Anderson Paola
 
Aula 1 de teologia
Aula 1 de teologiaAula 1 de teologia
Aula 1 de teologia
andre querubim
 
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunarO verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
ASD Remanescentes
 
Calendário 505 - 2014
Calendário 505  - 2014Calendário 505  - 2014
Calendário 505 - 2014
informaticapedrinhosc1
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
Ana Selma Sena Santos
 
Biblia
BibliaBiblia
A profecia das 70 semanas de daniel-PDF
A profecia das 70 semanas de daniel-PDFA profecia das 70 semanas de daniel-PDF
A profecia das 70 semanas de daniel-PDF
ELIAS OMEGA
 
Introdução a história
Introdução a históriaIntrodução a história
Introdução a história
jfernandesaquino
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula de introdução a pentateuco
Aula de introdução a pentateucoAula de introdução a pentateuco
Aula de introdução a pentateuco
Dyogo E Cris
 
Origem das medidas de tempo
Origem das medidas de tempoOrigem das medidas de tempo
Origem das medidas de tempo
cassiadcarvalho
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
Alex Gotardi
 
Aula de introdução a pentateuco II
Aula de introdução a pentateuco IIAula de introdução a pentateuco II
Aula de introdução a pentateuco II
Dyogo E Cris
 
O TEMPO
O TEMPOO TEMPO
O TEMPO
ana salema
 
Calendario judaico
Calendario judaicoCalendario judaico
Calendario judaico
Luiz Andre N Farias
 
Obreiro aprovado aula 6
Obreiro aprovado aula 6Obreiro aprovado aula 6
Obreiro aprovado aula 6
Bispo Eleilson Ferreira
 
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
Anderson Paola
 

Mais procurados (20)

Instrumentos de medição do tempo
Instrumentos de medição do tempoInstrumentos de medição do tempo
Instrumentos de medição do tempo
 
Calendário da 504 - 2014
Calendário da 504 - 2014Calendário da 504 - 2014
Calendário da 504 - 2014
 
At pentateuco e históricos (apostila 1)
At pentateuco e históricos (apostila 1)At pentateuco e históricos (apostila 1)
At pentateuco e históricos (apostila 1)
 
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
Pentateuco - Êxodo - Eetad Aula 5 e 6
 
Aula 1 de teologia
Aula 1 de teologiaAula 1 de teologia
Aula 1 de teologia
 
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunarO verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
O verdadeiro sabado é o do setimo dia e não o sabado lunar
 
Calendário 505 - 2014
Calendário 505  - 2014Calendário 505  - 2014
Calendário 505 - 2014
 
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇOO TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
O TEMPO NA HISTÓRIA - HISTÓRIA TEMPO E ESPAÇO
 
Biblia
BibliaBiblia
Biblia
 
A profecia das 70 semanas de daniel-PDF
A profecia das 70 semanas de daniel-PDFA profecia das 70 semanas de daniel-PDF
A profecia das 70 semanas de daniel-PDF
 
Introdução a história
Introdução a históriaIntrodução a história
Introdução a história
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula 9 e 10
 
Aula de introdução a pentateuco
Aula de introdução a pentateucoAula de introdução a pentateuco
Aula de introdução a pentateuco
 
Origem das medidas de tempo
Origem das medidas de tempoOrigem das medidas de tempo
Origem das medidas de tempo
 
Pentateuco
PentateucoPentateuco
Pentateuco
 
Aula de introdução a pentateuco II
Aula de introdução a pentateuco IIAula de introdução a pentateuco II
Aula de introdução a pentateuco II
 
O TEMPO
O TEMPOO TEMPO
O TEMPO
 
Calendario judaico
Calendario judaicoCalendario judaico
Calendario judaico
 
Obreiro aprovado aula 6
Obreiro aprovado aula 6Obreiro aprovado aula 6
Obreiro aprovado aula 6
 
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
Pentateuco - Genesis - EPOS - Aula 1
 

Destaque

Mares e-rios-de-israel
Mares e-rios-de-israelMares e-rios-de-israel
Mares e-rios-de-israel
sergio_chumbinho
 
Viagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de PauloViagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de Paulo
Julio Cesar
 
Atlas Bíblico
Atlas BíblicoAtlas Bíblico
Atlas Bíblico
Fátima da História
 
Geografia biblica
Geografia biblicaGeografia biblica
Geografia biblica
Adejovane Junior
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
Natan Silva
 
Geografia bíblica = rev. hélio
Geografia bíblica = rev. hélioGeografia bíblica = rev. hélio
Geografia bíblica = rev. hélio
hos67
 
A geografia do Egito na história bíblica
A geografia do Egito na história bíblicaA geografia do Egito na história bíblica
A geografia do Egito na história bíblica
Cleber Olympio
 
Geografia Bíblica - Antigo Egito
Geografia Bíblica - Antigo EgitoGeografia Bíblica - Antigo Egito
Geografia Bíblica - Antigo Egito
Andre Nascimento
 
Viagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De TarsoViagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De Tarso
Ana Cristina Freitas
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
danlon
 
Geografia de israel
Geografia de israelGeografia de israel
Geografia de israel
Adejovane Junior
 
Mapas biblia geografia_
Mapas biblia geografia_Mapas biblia geografia_
Mapas biblia geografia_
Pedro Felipe
 
31
3131
Geografía bíblica
Geografía bíblicaGeografía bíblica
Geografía bíblica
Gonzalo Rendon
 
Aula 1-geogr-biblica-introducao
Aula 1-geogr-biblica-introducaoAula 1-geogr-biblica-introducao
Aula 1-geogr-biblica-introducao
irene1952
 
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICAINTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
Antonio Marcos
 
Terceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçaoTerceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçao
LUCAS CANAVARRO
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
sergio_chumbinho
 
IGB 4 - Arqueologia Bíblica
IGB 4  - Arqueologia BíblicaIGB 4  - Arqueologia Bíblica
IGB 4 - Arqueologia Bíblica
José Santos
 
Lingua hebraica 01
Lingua hebraica 01Lingua hebraica 01
Lingua hebraica 01
Aldenei Barros
 

Destaque (20)

Mares e-rios-de-israel
Mares e-rios-de-israelMares e-rios-de-israel
Mares e-rios-de-israel
 
Viagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de PauloViagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de Paulo
 
Atlas Bíblico
Atlas BíblicoAtlas Bíblico
Atlas Bíblico
 
Geografia biblica
Geografia biblicaGeografia biblica
Geografia biblica
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
 
Geografia bíblica = rev. hélio
Geografia bíblica = rev. hélioGeografia bíblica = rev. hélio
Geografia bíblica = rev. hélio
 
A geografia do Egito na história bíblica
A geografia do Egito na história bíblicaA geografia do Egito na história bíblica
A geografia do Egito na história bíblica
 
Geografia Bíblica - Antigo Egito
Geografia Bíblica - Antigo EgitoGeografia Bíblica - Antigo Egito
Geografia Bíblica - Antigo Egito
 
Viagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De TarsoViagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De Tarso
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
 
Geografia de israel
Geografia de israelGeografia de israel
Geografia de israel
 
Mapas biblia geografia_
Mapas biblia geografia_Mapas biblia geografia_
Mapas biblia geografia_
 
31
3131
31
 
Geografía bíblica
Geografía bíblicaGeografía bíblica
Geografía bíblica
 
Aula 1-geogr-biblica-introducao
Aula 1-geogr-biblica-introducaoAula 1-geogr-biblica-introducao
Aula 1-geogr-biblica-introducao
 
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICAINTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA BÍBLICA
 
Terceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçaoTerceira viagem Paulo apresentaçao
Terceira viagem Paulo apresentaçao
 
Geografia bíblica
Geografia bíblicaGeografia bíblica
Geografia bíblica
 
IGB 4 - Arqueologia Bíblica
IGB 4  - Arqueologia BíblicaIGB 4  - Arqueologia Bíblica
IGB 4 - Arqueologia Bíblica
 
Lingua hebraica 01
Lingua hebraica 01Lingua hebraica 01
Lingua hebraica 01
 

Semelhante a 1. Apêndice

As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
As Horas do Dia e o inicio do Sábado.As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
ASD Remanescentes
 
2300 t m.pptx
2300 t m.pptx2300 t m.pptx
2300 t m.pptx
joaofelisbertodasilv
 
panorama-do-novo-testamento.ppt
panorama-do-novo-testamento.pptpanorama-do-novo-testamento.ppt
panorama-do-novo-testamento.ppt
ThyagoSouza20
 
Historia de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoaHistoria de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoa
RICARDO CARDOSO
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
Alípio Vallim
 
2 conceito de tempo, datacao e calendarios
2  conceito de tempo, datacao e calendarios2  conceito de tempo, datacao e calendarios
2 conceito de tempo, datacao e calendarios
PIB Penha
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Gesiel Oliveira
 
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
Álvaro José Marques do Rêgo
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - IntroduçãoEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
ibrenjtijuca
 
Lição 1 a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
Lição 1   a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...Lição 1   a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
Lição 1 a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
Sergio Silva
 
A Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
A Divisão das horas do dia nos tempos BíblicosA Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
A Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
ASD Remanescentes
 
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
Tiago Silva
 
Palestra arqueologia
Palestra arqueologiaPalestra arqueologia
Palestra arqueologia
Ad Junior
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
Danillo Lucas
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
nyllolucas
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
Danillo Lucas
 
Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)
Congresso celebrando a bíblia   pentateuco (manual)Congresso celebrando a bíblia   pentateuco (manual)
Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)
Davi Carvalho
 
EEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - PentateucoEEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - Pentateuco
Jamerson Maia
 
Panorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdfPanorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdf
Priscila Puga
 
Introdução à bíblia
Introdução à bíbliaIntrodução à bíblia
Introdução à bíblia
Marcos Antonio da Silva
 

Semelhante a 1. Apêndice (20)

As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
As Horas do Dia e o inicio do Sábado.As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
As Horas do Dia e o inicio do Sábado.
 
2300 t m.pptx
2300 t m.pptx2300 t m.pptx
2300 t m.pptx
 
panorama-do-novo-testamento.ppt
panorama-do-novo-testamento.pptpanorama-do-novo-testamento.ppt
panorama-do-novo-testamento.ppt
 
Historia de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoaHistoria de israel aula 10 páscoa
Historia de israel aula 10 páscoa
 
Introdução bíblica
Introdução bíblicaIntrodução bíblica
Introdução bíblica
 
2 conceito de tempo, datacao e calendarios
2  conceito de tempo, datacao e calendarios2  conceito de tempo, datacao e calendarios
2 conceito de tempo, datacao e calendarios
 
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
15 A Profecia Que Revela a Hora do Juízo
 
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - IntroduçãoEstudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
Estudo da Bíblia Livro de Êxodo - Introdução
 
Lição 1 a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
Lição 1   a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...Lição 1   a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
Lição 1 a biblioteca de deus - examinai as escrituras - ed. cristã evangéli...
 
A Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
A Divisão das horas do dia nos tempos BíblicosA Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
A Divisão das horas do dia nos tempos Bíblicos
 
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
1-pentateucolies1e2-151027193716-lva1-app6892.pptx
 
Palestra arqueologia
Palestra arqueologiaPalestra arqueologia
Palestra arqueologia
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
 
Apostila biblia
Apostila bibliaApostila biblia
Apostila biblia
 
Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)
Congresso celebrando a bíblia   pentateuco (manual)Congresso celebrando a bíblia   pentateuco (manual)
Congresso celebrando a bíblia pentateuco (manual)
 
EEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - PentateucoEEPOAD - Pentateuco
EEPOAD - Pentateuco
 
Panorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdfPanorama-do-A.T.pdf
Panorama-do-A.T.pdf
 
Introdução à bíblia
Introdução à bíbliaIntrodução à bíblia
Introdução à bíblia
 

Mais de mbrandao7

Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
mbrandao7
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
mbrandao7
 
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
mbrandao7
 
Os livros de samuel
Os livros de samuelOs livros de samuel
Os livros de samuel
mbrandao7
 
OS LIVROS DE SAMUEL
OS LIVROS DE SAMUELOS LIVROS DE SAMUEL
OS LIVROS DE SAMUEL
mbrandao7
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
mbrandao7
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
mbrandao7
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
mbrandao7
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
mbrandao7
 
Introd. livros historicos
Introd. livros historicosIntrod. livros historicos
Introd. livros historicos
mbrandao7
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
mbrandao7
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
mbrandao7
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
mbrandao7
 
2. apresentação
2. apresentação2. apresentação
2. apresentação
mbrandao7
 

Mais de mbrandao7 (16)

Os livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e NeemiasOs livros de Esdras e Neemias
Os livros de Esdras e Neemias
 
Os livros de crônicas
Os livros de crônicasOs livros de crônicas
Os livros de crônicas
 
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno2012   a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
2012 a relevância da bíblia no contexto pós-moderno
 
Os livros de samuel
Os livros de samuelOs livros de samuel
Os livros de samuel
 
OS LIVROS DE SAMUEL
OS LIVROS DE SAMUELOS LIVROS DE SAMUEL
OS LIVROS DE SAMUEL
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
 
O livro de rute
O livro de ruteO livro de rute
O livro de rute
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
O livro de josué
O livro de josuéO livro de josué
O livro de josué
 
O livro de deuteronômio
O livro de deuteronômioO livro de deuteronômio
O livro de deuteronômio
 
Introd. livros historicos
Introd. livros historicosIntrod. livros historicos
Introd. livros historicos
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
4. êxodo
4. êxodo4. êxodo
4. êxodo
 
3. gênesis
3. gênesis3. gênesis
3. gênesis
 
2. apresentação
2. apresentação2. apresentação
2. apresentação
 

Último

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 

Último (14)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 

1. Apêndice

  • 1. Tempos, pesos e medidas no Velho Testamento
  • 3. Conhecer corretamente os tempos, pesos e medidas empregados no texto bíblico do Velho Testamento são bem mais que satisfazer uma curiosidade, pois pode significar o enriquecimento ou até mesmo a simples compreensão das lições propostas no texto estudado. (Ver Mt. 18.23-35 e Ez. 40) Pesos e Moedas O siclo era a moeda padrão, e as moedas eram avaliadas por pesos. Assim, pagar e pesar eram praticamente sinônimos. (Gn. 23.15; Jr. 23.9-10)
  • 4. Os siclos eram de ouro, prata e bronze. 1 siclo = 11,4g 1 beca = 6g 1 gera = 0,5g 1 mina = 0, kg 1 talento = 30kg 1 siclo = 2 becas (Êx. 38.26) 1 beca = 10 geras (Êx. 30.13) 1 mina = 50 siclos (Ez. 45.12) 1 talento = 3.000 siclos (II Rs. 5.5) Circulam juntas no Novo Testamento, moedas judaicas, romanas (estáter, denário) e gregas (dracma), com a seguinte equivalência: 1 denário = 1 dracma = o salário de um dia de um trabalhador comum 4 denários = 4 dracmas = 1 siclo = 1 estáter (Mt. 17.24-27)
  • 5. Medidas de comprimento As medidas de comprimento menores usavam referências do corpo humano: 1 dedo = 2cm (Jr. 52.21) 4 dedos = 1 palmo menor = 8cm (Êx. 25.25) 3 palmos menores = 1 palmo maior = 24cm (Êx. 28.16) 2 palmos = 1 côvado = 48cm (Jr. 52.21) 4 côvados = 1 braça = 1,85m (At. 27.28) 6 côvados = 1 cana = 2,88m (Ez. 40.5) 15 canas = 1 cordel = 43,2m (Ez. 40.3)
  • 6. As medidas de comprimento maiores aparecem no Novo Testamento: 1 estádio = 185m (Lc. 24.13) O caminho de um sábado = 1 km (At. 1.12) 1 milha = 1.478Km (Mt. 5.41) Jornada de um dia = 35.472 km (Lc. 2.44)
  • 7. Medidas para líquidos 1 bato = 1 efa = 22 litros (I Rs. 7.38) 1 almude ou metreta = 1 bato Medidas para secos 1 efa = 22 litros (Ez. 45.10) 1 ômer = 10 efas = 220 litros (Ez. 45.11)
  • 8. Divisões do tempo Dia Nós chamamos “um dia” ao espaço de tempo compreendido entre duas meias-noites. Os judeus, no entanto, contavam o dia civil a partir das seis horas da tarde, até as seis horas da tarde do dia seguinte. O “dia normal” era contado do nascer do sol até o pôr do sol (nossos 6 ás 18h), com doze horas de duração, e a noite era dividida antigamente em três vigílias: A primeira (das 18 às 24h) – Lm. 2.19) A média (das 24 às 3h) – Jz. 7.19 A da manhã (das 3 às 6h) – Êx. 14.24
  • 9. Já notamos pequenas mudanças no tempo do Novo Testamento, onde o dia continuava dividido em doze horas e a noite em quatro vigílias. Assim: 1ª hora do dia = 6h 3ª hora do dia = 9h 6ª hora do dia = 12h (Lc. 23.44) e Mt. 27.45) 12ª hora do dia = 18 (Mt. 20.6) A primeira vigília (“da tarde”) – 18 – 21h (Mc. 13.35) A segunda vigília (“da meia-noite) – 21 – 24h A terceira vigília (“o cantar do galo”) – 24 – 3h (Mt. 26.34) A quarta vigília (“da manhã”) – 3 – 6h (Mc. 6.48)
  • 10. MÊS O mês dos hebreus era lunar, contando-se seus dias segundo as fases da lua. O mês, portanto, duravam 29,5 dias, alternando-se durante o ano meses de 29 e 30 dias sucessivamente. O ano tinha a duração de 354 dias e para que ele correspondesse ao ano solar de 365 dias, intercalava-se um mês extra (chamado Adar segundo) a cada 3 anos, um ano de 13 meses.
  • 11. ANO Havia duas formas de contar os anos: o sagrado e o civil. O ano sagrado começava em Nisã ou Abibe (Abril), recordando a saída dos hebreus do Egito e correspondendo ao sétimo mês do ano civil. Era usado pelos profetas e para a marcação das festas sagradas. O ano civil regia a agricultura e os assentos civis, começando em Tisri (Outubro). Desta forma temos:
  • 12. Nisã ou Abibe – (Abril) – Êx. 23.15 – 1º mês do ano sagrado (30) Zive (Maio) – I Rs. 6.1 (29) Sivã (Junho) – Et. 8.9 (30) Tamuz (Julho) – Ez. 8.14 (29) Abe (Agosto) – Ed. 7.9 (30) Elul (Setembro) – Ne. 6.15 (29) Etenim ou Tisri (Outubro) – I Rs. 8.2 – 1º mês do ano civil. (30) Bul (Novembro) – I Rs. 6.38 (29) Chiseleu (Dezembro) – Zc. 7.1 (30) Tebete (Janeiro) – Et. 2.16 (29) Sebate (Fevereiro) - Zc. 1.7 (30) Adar (Março) – Et. 3.7 (29) Adar II