SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Já estudamos que PERÍODO é a frase constituída por uma ou mais orações,
formando um todo, com sentido completo. Quando possui apenas uma
oração, é classificado como período simples; quando possui mais de uma,
chama-se período composto.
São vários os textos escritos constituídos por períodos simples e compostos.
Leia o trecho a seguir, retirado de uma matéria feita pela Folha de São Paulo.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
19/12/2008 - 18h29
DESAJEITADO, BEETHOVEN É UM
CACHORRO CHEIO DE MIMOS
da Folha Online
Beethoven parecia desengonçado
quando nasceu. Com poucos meses de
vida, ele já era grande no tamanho e
vivia entediado.
Sua história mudou quando, numa
noite, André Barcellos soube que seu
dono não queria mais ficar com ele - e
foi buscá-lo na hora.
A carinha de piedade e a falta de
jeito do cão conquistaram André e
viraram motivo para muitos mimos.
Hoje com oito anos, o sharpei
caramelo tem mais de 40 brinquedos,
faz dois passeios por dia durante a
semana e adora dormir.
Beethoven é um sharpei mimado,
passeia pelo menos duas vezes por
dia e tem mais de 40 brinquedos.
Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u481675.shtml (adaptado).
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Observe que logo no título temos um período simples, ou seja, formado por
apenas uma oração:
Beethoven é um cachorro cheio de mimos.
Entretanto, ao lermos a descrição do cachorro feita abaixo da foto temos
um período composto:
Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes
por dia e tem mais de 40 brinquedos.
Outro período composto que podemos encontrar no texto é:
Beethoven parecia desengonçado quando nasceu.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Ainda podemos identificar no texto outros exemplos de períodos simples e
composto, mas agora vamos nos fixar nos dois últimos exemplos.
Em Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas
vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos, temos um período formado
por três orações. E mais: as três orações são independentes e poderiam ser
três orações absolutas. Ficariam assim:
Beethoven é um sharpei mimado.
É nítido perceber que no período há, então, orações que se encontram
simplesmente justapostas, coordenadas e não há dependência sintática entre
elas.
Este tipo de período é chamado de período composto por
coordenação.
Beethoven passeia pelo menos duas vezes por dia.
Beethoven tem mais de 40 brinquedos.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Agora veja o segundo exemplo. Em Beethoven parecia desengonçado
quando nasceu, temos um período formado por duas orações, mas a
segunda oração não tem sentido completo, sendo dependente da primeira.
Veja:
oração subordinada
A esse tipo de período chamamos
Aqui, a primeira oração é independente, e por isso chamada de oração
principal. Já a segunda oração é chamada de subordinada, pois não
apresenta sentido completo sozinha, e sim, quando unida à primeira.
Beethoven parecia desengonçado / quando nasceu
oração principal
período composto por
subordinação.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Nesta aula falaremos sobre o período composto por coordenação. Como
vimos, este período é formado por orações que apresentam independência sintática
entre si, ou seja, podem ser compreendidas isoladamente. A essas orações
chamamos orações coordenadas.
-> As orações coordenadas formam um período composto
por coordenação.
Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos:
1) Coordenadas Assindéticas
2) Coordenadas Sindéticas.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Orações Coordenadas Assindéticas
São orações coordenadas entre si e que não são ligadas através de nenhum
conectivo. São separadas somente por uma vírgula, ou simplesmente
justapostas:
“Será uma vida nova, começará de novo, não haverá nada para trás.”
(Augusto Abelaira, Quatro paredes nuas)
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Orações Coordenadas Sindéticas
Veja as orações destacadas no fragmento da música a seguir.
Você é linda / E sabe viver / Você me faz feliz
(Você é linda, Caetano Veloso)
Observe que a ligação entre as duas orações é estabelecida por uma conjunção. E
mais: a conjunção estabelece uma relação lógica entre elas: a mulher, além de
linda, sabe viver.
Mas essas orações podem ser transformadas em orações absolutas:
Você é linda. Você sabe viver.
Portanto, são também orações coordenadas. Por estarem ligadas por meio de
conjunção, são chamadas de
Podemos concluir, então, que as Orações Coordenadas Sindéticas são
orações coordenadas entre si e ligadas através de uma conjunção coordenativa.
Orações Coordenadas Sindéticas.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
As orações coordenadas sindéticas são classificadas em cinco tipos, de acordo
com a conjunção que as introduz: aditivas, adversativas, alternativas,
conclusivas e explicativas.
Vejamos exemplos de cada uma delas:
- Aditivas: São introduzidas pelas conjunções coordenativas aditivas, que
exprimem uma noção de acréscimo, de soma. As principais conjunções são: que,
e, nem, não só... mas também, não só... como, assim... como, tanto...como.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
No texto abaixo, a repetição da conjunção e liga as palavras e orações,
enfatizando a idéia de repetição massacrante do cotidiano.
A gaiola
e era a gaiola e era a vida era a gaiola
e era o muro a cerca e o preconceito
e era o filho a família e a aliança
e era a grade a filha e era o conceito
e era o relógio o horário o apontamento
e era o estatuto a lei e o mandamento
e a tabuleta dizendo é proibido.
Era a vida era o mundo e a gaiola
e era a casa o nome e a vestimenta
e era o imposto o aluguel a ferramenta
e era o orgulho e o coração fechado
e o sentimento trancado a cadeado.
E era o amor e o desamor e o medo de magoar
e eram os laços e o sinal de não passar.
E era a vida era a vida o mundo e a gaiola
e era a vida e a vida era a gaiola.
(Maria do Carmo B.C. de Melo)
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
A seguir temos outro exemplo de orações coordenadas sindéticas aditivas:
Ele não explica o seu ato nem negocia uma saída honrosa para a crise.
Neste caso, o que a conjunção destacada enfatiza?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Adversativas: são introduzidas por conjunções que denotam idéia de oposição,
de contraste, de compensação. As principais conjunções adversativas são: mas,
porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia.
Na tira acima, podemos perceber a presença da conjunção de oposição mas nas
orações.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Minha mãe diz que não liga; adora, entretanto, ganhar presentes.
Minha mãe diz que não liga; adora ganhar presentes, entretanto.
Observe ainda que a conjunção mas sempre é usada no início da frase,
enquanto as demais conjunções coordenativas adversativas podem ocupar
diferentes posições na oração:
Ou
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Alternativas: são introduzidas por conjunções que expressam fatos ou conceitos
que se excluem ou se alteram entre si. As principais conjunções alternativas são:
ou... ou, ora... ora, já... já, quer...quer, seja...seja.
Veja o exemplo a seguir, em que a conjunção alternativa está destacada:
Passei a me comportar mal na sala: falava muito alto,
mexia com os colegas, interrompia a lição com piadinhas, até que ele dizia,
vermelho:
-Cale-se ou expulso a senhora da sala.
Fonte: LISPECTOR, Clarice. A Legião estrangeira. São Paulo, Ática. 1977. p.11.
Observe este outro exemplo:
Inês estava muito preocupada durante a madrugada. Ora dormia, ora acordava...
Qual a diferença entre os dois exemplos?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Conclusivas: são introduzidas por conjunções que expressam uma idéia de
conclusão. As principais são: logo, pois (proposto ao verbo), portanto, por isso, de
modo que, por fim, por conseguinte, conseqüentemente. Exemplos:
Ouço música, logo ainda não me enterraram.
Tomamos várias precauções, por isso a crise pode ser contida.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Explicativas: explicam o motivo da declaração anterior. São
introduzidas pelas conjunções coordenativas: porque, que, pois
(anteposto ao verbo), isto é, ou seja, a saber, na verdade, etc.
Veja o anúncio publicitário a seguir.
Neste exemplo, a conjunção que pode ser
substituída por pois ou porque (também
conjunções coordenativas explicativas).
Mas é interessante notar que esta
conjunção pode ter outros
valores...
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Vejamos exemplos de outros tipos de orações coordenadas sindéticas com a
conjunção que:
Que = conjunção coordenativa aditiva
Ria que ria, como se a vida fosse sempre uma comédia.
Que = conjunção coordenativa adversativa:
Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo.
Por isso é tão importante estudar a organização das palavras num texto!
Quando analisamos as relações existentes entre as orações, por exemplo,
analisamos o modo como se estrutura um texto e podemos compreendê-lo
melhor!
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Finalmente, as orações coordenadas podem aparecer em um período onde
há também orações subordinadas. Ao período em que há esses dois tipos de
orações chamamos período composto por
coordenação e subordinação.
Veja:
É verdade / que você me enganou um dia, / mas adoro você/ e sempre vou adorar.
(Fábulas de Esopo, O rapaz e a moça inconstate)
Você consegue identificar as orações coordenadas?
Vamos ver...
Or.
Principal Oração Subordinada
Oração
Coordenda
Oração
Coordenada
Como são classificadas as orações coordenadas desse período?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
E agora? Você consegue identificar e classificar as orações coordenadas
presentes na tirinha?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Vejamos...
Ontem eu coloquei o pé prum garoto tropeçar, e ele caiu na lama.
Venha aqui e me dê uma mão
oração coordenada sindética aditiva
oração coordenada sindética aditiva
E numa carta? Leia o fragmento da Carta da Terra (adaptado) e procure mais
orações coordenadas, classificando-as.
As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e
incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da
vida.
Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos
eqüitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando.
A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e
uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida.
Devemos aprofundar o diálogo global gerado pela Carta da Terra,
porque temos muito que aprender a partir da busca iminente e conjunta por
verdade e sabedoria.
Viu como a organização das orações define o entendimento de um texto?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Chegamos ao final de nossa aula... Vamos esquematizar nosso estudo?
A d i t i v a
A d v e r s a t i v a
A l t e r n a t iv a
C o n c l u s i v a
E x p l i c a t iv a .
O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s s i n d é t i c a s O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s a s s in d é t ic a s
P e r í o d o c o m p o s t o p o r c o o r d e n a ç ã o .
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Orações coordenadas 8º ano
Orações coordenadas 8º anoOrações coordenadas 8º ano
Orações coordenadas 8º anoNataly Alves
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visualtita
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosLeisiane Jesus
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101) GoisBemnoEnem
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadasEdson Alves
 
Apresentação da eletiva santo antonio
Apresentação da eletiva santo antonioApresentação da eletiva santo antonio
Apresentação da eletiva santo antonioAlberto Alves Marques
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4GernciadeProduodeMat
 
Conjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasConjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasLidiane Rodrigues
 
Cronica argumentativa 9 ano
Cronica argumentativa 9 anoCronica argumentativa 9 ano
Cronica argumentativa 9 anoAllyneAlves6
 
Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicadoguest7174ad
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadasguest7174ad
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15GernciadeProduodeMat
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoMyllenne Abreu
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no BrasilCrisBiagio
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Denise
 

Mais procurados (20)

Orações coordenadas 8º ano
Orações coordenadas 8º anoOrações coordenadas 8º ano
Orações coordenadas 8º ano
 
A Poesia Visual
A  Poesia  VisualA  Poesia  Visual
A Poesia Visual
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação Adverbios
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101) LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC  (EM13LGG101)
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE BNCC (EM13LGG101)
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Texto narrativo
Texto narrativoTexto narrativo
Texto narrativo
 
Apresentação da eletiva santo antonio
Apresentação da eletiva santo antonioApresentação da eletiva santo antonio
Apresentação da eletiva santo antonio
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
LÍNGUA PORTUGUESA | 3ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP04) D4
 
Conjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativasConjunções coordenativas e subordinativas
Conjunções coordenativas e subordinativas
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
Aulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimentoAulas de Redação: desenvolvimento
Aulas de Redação: desenvolvimento
 
Cronica argumentativa 9 ano
Cronica argumentativa 9 anoCronica argumentativa 9 ano
Cronica argumentativa 9 ano
 
Sujeito E Predicado
Sujeito E PredicadoSujeito E Predicado
Sujeito E Predicado
 
Oracoes Coordenadas
Oracoes CoordenadasOracoes Coordenadas
Oracoes Coordenadas
 
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
LÍNGUA PORTUGUESA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13LP02) D15
 
Prosa e Poesia
Prosa e PoesiaProsa e Poesia
Prosa e Poesia
 
Gênero Textual: Conto
Gênero Textual: ContoGênero Textual: Conto
Gênero Textual: Conto
 
Romantismo no Brasil
Romantismo no BrasilRomantismo no Brasil
Romantismo no Brasil
 
Figuras de linguagem
Figuras de linguagem Figuras de linguagem
Figuras de linguagem
 
Redacao enem
Redacao enemRedacao enem
Redacao enem
 

Destaque

Gramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas AdverbiaisGramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas AdverbiaisMentor Concursos
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasElaine Teixeira
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadasSinara Lustosa
 
Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1Sergio Santos
 
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de SujeitoAngélica Manenti
 
O estudo do período composto
O estudo do período compostoO estudo do período composto
O estudo do período compostorobsonbertoldo
 
Introdução à sintaxe
Introdução à sintaxeIntrodução à sintaxe
Introdução à sintaxeEdson Alves
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Compostocrisveu
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Keu Oliveira
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaemanuelee
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou SintaxeVideoaulas De Português Apoio
 

Destaque (15)

Gramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas AdverbiaisGramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas Adverbiais
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadas
 
Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1
 
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
 
O estudo do período composto
O estudo do período compostoO estudo do período composto
O estudo do período composto
 
Figuras Linguagem
Figuras LinguagemFiguras Linguagem
Figuras Linguagem
 
Sintaxe 1
Sintaxe 1Sintaxe 1
Sintaxe 1
 
História de amor
História de amorHistória de amor
História de amor
 
Revisão sintaxe
Revisão   sintaxeRevisão   sintaxe
Revisão sintaxe
 
Introdução à sintaxe
Introdução à sintaxeIntrodução à sintaxe
Introdução à sintaxe
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aula
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
 

Semelhante a Orações coordenadas[1]

Interpretação de textos apostila
Interpretação de textos   apostilaInterpretação de textos   apostila
Interpretação de textos apostilaefomm2013
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de LinguagemAntonio Filho
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptxAssisTeixeira2
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptxJoannaCavalcante1
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxExercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxLidiaLerbach1
 
Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagemAndré Figundio
 
Portal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações CoordenadasPortal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações CoordenadasJonathan Azevedo
 
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01   denotação + conotação + figuras de linguagemAula 01   denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagemMiguel Luciano
 
Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1guest6e3949
 
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasFaell Vasconcelos
 
Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoCassandra Cruz
 
05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivasNAPNE
 
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...Vídeo Aulas Apoio
 

Semelhante a Orações coordenadas[1] (20)

Interpretação de textos apostila
Interpretação de textos   apostilaInterpretação de textos   apostila
Interpretação de textos apostila
 
Orações Coordenadas
Orações CoordenadasOrações Coordenadas
Orações Coordenadas
 
Descritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsxDescritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsx
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
 
FIGURAS DE SINTAXE
FIGURAS DE SINTAXEFIGURAS DE SINTAXE
FIGURAS DE SINTAXE
 
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxExercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
 
Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagem
 
Portal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações CoordenadasPortal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
 
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01   denotação + conotação + figuras de linguagemAula 01   denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
 
Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1
 
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
 
Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacao
 
05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas
 
Acentuação
AcentuaçãoAcentuação
Acentuação
 
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...
 
Conjunção coordenativa
Conjunção coordenativaConjunção coordenativa
Conjunção coordenativa
 

Mais de Renato Oliveira (20)

Atividade sistema
Atividade sistemaAtividade sistema
Atividade sistema
 
Tga
TgaTga
Tga
 
Texto e textualidade
Texto e textualidadeTexto e textualidade
Texto e textualidade
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e fala
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
3º agro literatura tipo 03 pdf
3º agro   literatura tipo 03 pdf3º agro   literatura tipo 03 pdf
3º agro literatura tipo 03 pdf
 
3º agro literatura tipo 01 pdf
3º agro   literatura tipo 01 pdf3º agro   literatura tipo 01 pdf
3º agro literatura tipo 01 pdf
 
3º agro literatura tipo 02 pdf
3º agro   literatura tipo 02 pdf3º agro   literatura tipo 02 pdf
3º agro literatura tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 01 pdf
3º agro tipo 01   pdf3º agro tipo 01   pdf
3º agro tipo 01 pdf
 
3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 03 pdf
3º agro tipo 03 pdf3º agro tipo 03 pdf
3º agro tipo 03 pdf
 
3º info redação - única pdf
3º info    redação - única pdf3º info    redação - única pdf
3º info redação - única pdf
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
3º info tipo 02 pdf
3º info tipo 02 pdf3º info tipo 02 pdf
3º info tipo 02 pdf
 
3º info tipo 03 pdf
3º info tipo 03 pdf3º info tipo 03 pdf
3º info tipo 03 pdf
 
3º info tipo 01pdf
3º info tipo 01pdf3º info tipo 01pdf
3º info tipo 01pdf
 

Último

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 

Último (20)

Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 

Orações coordenadas[1]

  • 2. Já estudamos que PERÍODO é a frase constituída por uma ou mais orações, formando um todo, com sentido completo. Quando possui apenas uma oração, é classificado como período simples; quando possui mais de uma, chama-se período composto. São vários os textos escritos constituídos por períodos simples e compostos. Leia o trecho a seguir, retirado de uma matéria feita pela Folha de São Paulo. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 3. 19/12/2008 - 18h29 DESAJEITADO, BEETHOVEN É UM CACHORRO CHEIO DE MIMOS da Folha Online Beethoven parecia desengonçado quando nasceu. Com poucos meses de vida, ele já era grande no tamanho e vivia entediado. Sua história mudou quando, numa noite, André Barcellos soube que seu dono não queria mais ficar com ele - e foi buscá-lo na hora. A carinha de piedade e a falta de jeito do cão conquistaram André e viraram motivo para muitos mimos. Hoje com oito anos, o sharpei caramelo tem mais de 40 brinquedos, faz dois passeios por dia durante a semana e adora dormir. Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u481675.shtml (adaptado). ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 4. Observe que logo no título temos um período simples, ou seja, formado por apenas uma oração: Beethoven é um cachorro cheio de mimos. Entretanto, ao lermos a descrição do cachorro feita abaixo da foto temos um período composto: Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos. Outro período composto que podemos encontrar no texto é: Beethoven parecia desengonçado quando nasceu. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 5. Ainda podemos identificar no texto outros exemplos de períodos simples e composto, mas agora vamos nos fixar nos dois últimos exemplos. Em Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos, temos um período formado por três orações. E mais: as três orações são independentes e poderiam ser três orações absolutas. Ficariam assim: Beethoven é um sharpei mimado. É nítido perceber que no período há, então, orações que se encontram simplesmente justapostas, coordenadas e não há dependência sintática entre elas. Este tipo de período é chamado de período composto por coordenação. Beethoven passeia pelo menos duas vezes por dia. Beethoven tem mais de 40 brinquedos. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 6. Agora veja o segundo exemplo. Em Beethoven parecia desengonçado quando nasceu, temos um período formado por duas orações, mas a segunda oração não tem sentido completo, sendo dependente da primeira. Veja: oração subordinada A esse tipo de período chamamos Aqui, a primeira oração é independente, e por isso chamada de oração principal. Já a segunda oração é chamada de subordinada, pois não apresenta sentido completo sozinha, e sim, quando unida à primeira. Beethoven parecia desengonçado / quando nasceu oração principal período composto por subordinação. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 7. Nesta aula falaremos sobre o período composto por coordenação. Como vimos, este período é formado por orações que apresentam independência sintática entre si, ou seja, podem ser compreendidas isoladamente. A essas orações chamamos orações coordenadas. -> As orações coordenadas formam um período composto por coordenação. Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: 1) Coordenadas Assindéticas 2) Coordenadas Sindéticas. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 8. Orações Coordenadas Assindéticas São orações coordenadas entre si e que não são ligadas através de nenhum conectivo. São separadas somente por uma vírgula, ou simplesmente justapostas: “Será uma vida nova, começará de novo, não haverá nada para trás.” (Augusto Abelaira, Quatro paredes nuas) ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 9. Orações Coordenadas Sindéticas Veja as orações destacadas no fragmento da música a seguir. Você é linda / E sabe viver / Você me faz feliz (Você é linda, Caetano Veloso) Observe que a ligação entre as duas orações é estabelecida por uma conjunção. E mais: a conjunção estabelece uma relação lógica entre elas: a mulher, além de linda, sabe viver. Mas essas orações podem ser transformadas em orações absolutas: Você é linda. Você sabe viver. Portanto, são também orações coordenadas. Por estarem ligadas por meio de conjunção, são chamadas de Podemos concluir, então, que as Orações Coordenadas Sindéticas são orações coordenadas entre si e ligadas através de uma conjunção coordenativa. Orações Coordenadas Sindéticas. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 10. As orações coordenadas sindéticas são classificadas em cinco tipos, de acordo com a conjunção que as introduz: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas. Vejamos exemplos de cada uma delas: - Aditivas: São introduzidas pelas conjunções coordenativas aditivas, que exprimem uma noção de acréscimo, de soma. As principais conjunções são: que, e, nem, não só... mas também, não só... como, assim... como, tanto...como. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 11. No texto abaixo, a repetição da conjunção e liga as palavras e orações, enfatizando a idéia de repetição massacrante do cotidiano. A gaiola e era a gaiola e era a vida era a gaiola e era o muro a cerca e o preconceito e era o filho a família e a aliança e era a grade a filha e era o conceito e era o relógio o horário o apontamento e era o estatuto a lei e o mandamento e a tabuleta dizendo é proibido. Era a vida era o mundo e a gaiola e era a casa o nome e a vestimenta e era o imposto o aluguel a ferramenta e era o orgulho e o coração fechado e o sentimento trancado a cadeado. E era o amor e o desamor e o medo de magoar e eram os laços e o sinal de não passar. E era a vida era a vida o mundo e a gaiola e era a vida e a vida era a gaiola. (Maria do Carmo B.C. de Melo) ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 12. A seguir temos outro exemplo de orações coordenadas sindéticas aditivas: Ele não explica o seu ato nem negocia uma saída honrosa para a crise. Neste caso, o que a conjunção destacada enfatiza? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 13. - Adversativas: são introduzidas por conjunções que denotam idéia de oposição, de contraste, de compensação. As principais conjunções adversativas são: mas, porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia. Na tira acima, podemos perceber a presença da conjunção de oposição mas nas orações. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 14. Minha mãe diz que não liga; adora, entretanto, ganhar presentes. Minha mãe diz que não liga; adora ganhar presentes, entretanto. Observe ainda que a conjunção mas sempre é usada no início da frase, enquanto as demais conjunções coordenativas adversativas podem ocupar diferentes posições na oração: Ou ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 15. - Alternativas: são introduzidas por conjunções que expressam fatos ou conceitos que se excluem ou se alteram entre si. As principais conjunções alternativas são: ou... ou, ora... ora, já... já, quer...quer, seja...seja. Veja o exemplo a seguir, em que a conjunção alternativa está destacada: Passei a me comportar mal na sala: falava muito alto, mexia com os colegas, interrompia a lição com piadinhas, até que ele dizia, vermelho: -Cale-se ou expulso a senhora da sala. Fonte: LISPECTOR, Clarice. A Legião estrangeira. São Paulo, Ática. 1977. p.11. Observe este outro exemplo: Inês estava muito preocupada durante a madrugada. Ora dormia, ora acordava... Qual a diferença entre os dois exemplos? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 16. - Conclusivas: são introduzidas por conjunções que expressam uma idéia de conclusão. As principais são: logo, pois (proposto ao verbo), portanto, por isso, de modo que, por fim, por conseguinte, conseqüentemente. Exemplos: Ouço música, logo ainda não me enterraram. Tomamos várias precauções, por isso a crise pode ser contida. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 17. - Explicativas: explicam o motivo da declaração anterior. São introduzidas pelas conjunções coordenativas: porque, que, pois (anteposto ao verbo), isto é, ou seja, a saber, na verdade, etc. Veja o anúncio publicitário a seguir. Neste exemplo, a conjunção que pode ser substituída por pois ou porque (também conjunções coordenativas explicativas). Mas é interessante notar que esta conjunção pode ter outros valores... ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 18. Vejamos exemplos de outros tipos de orações coordenadas sindéticas com a conjunção que: Que = conjunção coordenativa aditiva Ria que ria, como se a vida fosse sempre uma comédia. Que = conjunção coordenativa adversativa: Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo. Por isso é tão importante estudar a organização das palavras num texto! Quando analisamos as relações existentes entre as orações, por exemplo, analisamos o modo como se estrutura um texto e podemos compreendê-lo melhor! ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 19. Finalmente, as orações coordenadas podem aparecer em um período onde há também orações subordinadas. Ao período em que há esses dois tipos de orações chamamos período composto por coordenação e subordinação. Veja: É verdade / que você me enganou um dia, / mas adoro você/ e sempre vou adorar. (Fábulas de Esopo, O rapaz e a moça inconstate) Você consegue identificar as orações coordenadas? Vamos ver... Or. Principal Oração Subordinada Oração Coordenda Oração Coordenada Como são classificadas as orações coordenadas desse período? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 20. E agora? Você consegue identificar e classificar as orações coordenadas presentes na tirinha? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA Vejamos... Ontem eu coloquei o pé prum garoto tropeçar, e ele caiu na lama. Venha aqui e me dê uma mão oração coordenada sindética aditiva oração coordenada sindética aditiva
  • 21. E numa carta? Leia o fragmento da Carta da Terra (adaptado) e procure mais orações coordenadas, classificando-as. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos eqüitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando. A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida. Devemos aprofundar o diálogo global gerado pela Carta da Terra, porque temos muito que aprender a partir da busca iminente e conjunta por verdade e sabedoria. Viu como a organização das orações define o entendimento de um texto? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 22. Chegamos ao final de nossa aula... Vamos esquematizar nosso estudo? A d i t i v a A d v e r s a t i v a A l t e r n a t iv a C o n c l u s i v a E x p l i c a t iv a . O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s s i n d é t i c a s O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s a s s in d é t ic a s P e r í o d o c o m p o s t o p o r c o o r d e n a ç ã o . ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA