SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Já estudamos que PERÍODO é a frase constituída por uma ou mais orações,
formando um todo, com sentido completo. Quando possui apenas uma
oração, é classificado como período simples; quando possui mais de uma,
chama-se período composto.
São vários os textos escritos constituídos por períodos simples e compostos.
Leia o trecho a seguir, retirado de uma matéria feita pela Folha de São Paulo.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
19/12/2008 - 18h29
DESAJEITADO, BEETHOVEN É UM
CACHORRO CHEIO DE MIMOS
da Folha Online
Beethoven parecia desengonçado
quando nasceu. Com poucos meses de
vida, ele já era grande no tamanho e
vivia entediado.
Sua história mudou quando, numa
noite, André Barcellos soube que seu
dono não queria mais ficar com ele - e
foi buscá-lo na hora.
A carinha de piedade e a falta de
jeito do cão conquistaram André e
viraram motivo para muitos mimos.
Hoje com oito anos, o sharpei
caramelo tem mais de 40 brinquedos,
faz dois passeios por dia durante a
semana e adora dormir.
Beethoven é um sharpei mimado,
passeia pelo menos duas vezes por
dia e tem mais de 40 brinquedos.
Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u481675.shtml (adaptado).
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Observe que logo no título temos um período simples, ou seja, formado por
apenas uma oração:
Beethoven é um cachorro cheio de mimos.
Entretanto, ao lermos a descrição do cachorro feita abaixo da foto temos
um período composto:
Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes
por dia e tem mais de 40 brinquedos.
Outro período composto que podemos encontrar no texto é:
Beethoven parecia desengonçado quando nasceu.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Ainda podemos identificar no texto outros exemplos de períodos simples e
composto, mas agora vamos nos fixar nos dois últimos exemplos.
Em Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas
vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos, temos um período formado
por três orações. E mais: as três orações são independentes e poderiam ser
três orações absolutas. Ficariam assim:
Beethoven é um sharpei mimado.
É nítido perceber que no período há, então, orações que se encontram
simplesmente justapostas, coordenadas e não há dependência sintática entre
elas.
Este tipo de período é chamado de período composto por
coordenação.
Beethoven passeia pelo menos duas vezes por dia.
Beethoven tem mais de 40 brinquedos.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Agora veja o segundo exemplo. Em Beethoven parecia desengonçado
quando nasceu, temos um período formado por duas orações, mas a
segunda oração não tem sentido completo, sendo dependente da primeira.
Veja:
oração subordinada
A esse tipo de período chamamos
Aqui, a primeira oração é independente, e por isso chamada de oração
principal. Já a segunda oração é chamada de subordinada, pois não
apresenta sentido completo sozinha, e sim, quando unida à primeira.
Beethoven parecia desengonçado / quando nasceu
oração principal
período composto por
subordinação.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Nesta aula falaremos sobre o período composto por coordenação. Como
vimos, este período é formado por orações que apresentam independência sintática
entre si, ou seja, podem ser compreendidas isoladamente. A essas orações
chamamos orações coordenadas.
-> As orações coordenadas formam um período composto
por coordenação.
Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos:
1) Coordenadas Assindéticas
2) Coordenadas Sindéticas.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Orações Coordenadas Assindéticas
São orações coordenadas entre si e que não são ligadas através de nenhum
conectivo. São separadas somente por uma vírgula, ou simplesmente
justapostas:
“Será uma vida nova, começará de novo, não haverá nada para trás.”
(Augusto Abelaira, Quatro paredes nuas)
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Orações Coordenadas Sindéticas
Veja as orações destacadas no fragmento da música a seguir.
Você é linda / E sabe viver / Você me faz feliz
(Você é linda, Caetano Veloso)
Observe que a ligação entre as duas orações é estabelecida por uma conjunção. E
mais: a conjunção estabelece uma relação lógica entre elas: a mulher, além de
linda, sabe viver.
Mas essas orações podem ser transformadas em orações absolutas:
Você é linda. Você sabe viver.
Portanto, são também orações coordenadas. Por estarem ligadas por meio de
conjunção, são chamadas de
Podemos concluir, então, que as Orações Coordenadas Sindéticas são
orações coordenadas entre si e ligadas através de uma conjunção coordenativa.
Orações Coordenadas Sindéticas.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
As orações coordenadas sindéticas são classificadas em cinco tipos, de acordo
com a conjunção que as introduz: aditivas, adversativas, alternativas,
conclusivas e explicativas.
Vejamos exemplos de cada uma delas:
- Aditivas: São introduzidas pelas conjunções coordenativas aditivas, que
exprimem uma noção de acréscimo, de soma. As principais conjunções são: que,
e, nem, não só... mas também, não só... como, assim... como, tanto...como.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
No texto abaixo, a repetição da conjunção e liga as palavras e orações,
enfatizando a idéia de repetição massacrante do cotidiano.
A gaiola
e era a gaiola e era a vida era a gaiola
e era o muro a cerca e o preconceito
e era o filho a família e a aliança
e era a grade a filha e era o conceito
e era o relógio o horário o apontamento
e era o estatuto a lei e o mandamento
e a tabuleta dizendo é proibido.
Era a vida era o mundo e a gaiola
e era a casa o nome e a vestimenta
e era o imposto o aluguel a ferramenta
e era o orgulho e o coração fechado
e o sentimento trancado a cadeado.
E era o amor e o desamor e o medo de magoar
e eram os laços e o sinal de não passar.
E era a vida era a vida o mundo e a gaiola
e era a vida e a vida era a gaiola.
(Maria do Carmo B.C. de Melo)
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
A seguir temos outro exemplo de orações coordenadas sindéticas aditivas:
Ele não explica o seu ato nem negocia uma saída honrosa para a crise.
Neste caso, o que a conjunção destacada enfatiza?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Adversativas: são introduzidas por conjunções que denotam idéia de oposição,
de contraste, de compensação. As principais conjunções adversativas são: mas,
porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia.
Na tira acima, podemos perceber a presença da conjunção de oposição mas nas
orações.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Minha mãe diz que não liga; adora, entretanto, ganhar presentes.
Minha mãe diz que não liga; adora ganhar presentes, entretanto.
Observe ainda que a conjunção mas sempre é usada no início da frase,
enquanto as demais conjunções coordenativas adversativas podem ocupar
diferentes posições na oração:
Ou
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Alternativas: são introduzidas por conjunções que expressam fatos ou conceitos
que se excluem ou se alteram entre si. As principais conjunções alternativas são:
ou... ou, ora... ora, já... já, quer...quer, seja...seja.
Veja o exemplo a seguir, em que a conjunção alternativa está destacada:
Passei a me comportar mal na sala: falava muito alto,
mexia com os colegas, interrompia a lição com piadinhas, até que ele dizia,
vermelho:
-Cale-se ou expulso a senhora da sala.
Fonte: LISPECTOR, Clarice. A Legião estrangeira. São Paulo, Ática. 1977. p.11.
Observe este outro exemplo:
Inês estava muito preocupada durante a madrugada. Ora dormia, ora acordava...
Qual a diferença entre os dois exemplos?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Conclusivas: são introduzidas por conjunções que expressam uma idéia de
conclusão. As principais são: logo, pois (proposto ao verbo), portanto, por isso, de
modo que, por fim, por conseguinte, conseqüentemente. Exemplos:
Ouço música, logo ainda não me enterraram.
Tomamos várias precauções, por isso a crise pode ser contida.
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
- Explicativas: explicam o motivo da declaração anterior. São
introduzidas pelas conjunções coordenativas: porque, que, pois
(anteposto ao verbo), isto é, ou seja, a saber, na verdade, etc.
Veja o anúncio publicitário a seguir.
Neste exemplo, a conjunção que pode ser
substituída por pois ou porque (também
conjunções coordenativas explicativas).
Mas é interessante notar que esta
conjunção pode ter outros
valores...
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Vejamos exemplos de outros tipos de orações coordenadas sindéticas com a
conjunção que:
Que = conjunção coordenativa aditiva
Ria que ria, como se a vida fosse sempre uma comédia.
Que = conjunção coordenativa adversativa:
Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo.
Por isso é tão importante estudar a organização das palavras num texto!
Quando analisamos as relações existentes entre as orações, por exemplo,
analisamos o modo como se estrutura um texto e podemos compreendê-lo
melhor!
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Finalmente, as orações coordenadas podem aparecer em um período onde
há também orações subordinadas. Ao período em que há esses dois tipos de
orações chamamos período composto por
coordenação e subordinação.
Veja:
É verdade / que você me enganou um dia, / mas adoro você/ e sempre vou adorar.
(Fábulas de Esopo, O rapaz e a moça inconstate)
Você consegue identificar as orações coordenadas?
Vamos ver...
Or.
Principal Oração Subordinada
Oração
Coordenda
Oração
Coordenada
Como são classificadas as orações coordenadas desse período?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
E agora? Você consegue identificar e classificar as orações coordenadas
presentes na tirinha?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Vejamos...
Ontem eu coloquei o pé prum garoto tropeçar, e ele caiu na lama.
Venha aqui e me dê uma mão
oração coordenada sindética aditiva
oração coordenada sindética aditiva
E numa carta? Leia o fragmento da Carta da Terra (adaptado) e procure mais
orações coordenadas, classificando-as.
As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e
incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da
vida.
Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos
eqüitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando.
A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e
uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida.
Devemos aprofundar o diálogo global gerado pela Carta da Terra,
porque temos muito que aprender a partir da busca iminente e conjunta por
verdade e sabedoria.
Viu como a organização das orações define o entendimento de um texto?
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
Chegamos ao final de nossa aula... Vamos esquematizar nosso estudo?
A d i t i v a
A d v e r s a t i v a
A l t e r n a t iv a
C o n c l u s i v a
E x p l i c a t iv a .
O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s s i n d é t i c a s O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s a s s in d é t ic a s
P e r í o d o c o m p o s t o p o r c o o r d e n a ç ã o .
ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
PaolaLins
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
guest0cbfe
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
Lucilene Barcelos
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
ISJ
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
Marcia Simone
 

Mais procurados (20)

Trovadorismo I
Trovadorismo ITrovadorismo I
Trovadorismo I
 
Discurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livreDiscurso direto, indireto e indireto livre
Discurso direto, indireto e indireto livre
 
Conjunções coordenadas
Conjunções coordenadasConjunções coordenadas
Conjunções coordenadas
 
Pressuposto e subentendido
Pressuposto e subentendidoPressuposto e subentendido
Pressuposto e subentendido
 
Semântica
SemânticaSemântica
Semântica
 
Transitividade verbal
Transitividade verbalTransitividade verbal
Transitividade verbal
 
ColocaçãO Pronominal
ColocaçãO PronominalColocaçãO Pronominal
ColocaçãO Pronominal
 
Concordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adrianaConcordancia verbal-slide-adriana
Concordancia verbal-slide-adriana
 
Adjunto Adnominal
Adjunto AdnominalAdjunto Adnominal
Adjunto Adnominal
 
Coerência e coesão textual
Coerência e coesão textualCoerência e coesão textual
Coerência e coesão textual
 
Termos da oração
Termos da oraçãoTermos da oração
Termos da oração
 
Aula 04 variacao linguistica
Aula 04   variacao linguisticaAula 04   variacao linguistica
Aula 04 variacao linguistica
 
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
 
Adjetivos
AdjetivosAdjetivos
Adjetivos
 
Apresentação Adverbios
Apresentação AdverbiosApresentação Adverbios
Apresentação Adverbios
 
Mas, mais e más
Mas, mais e másMas, mais e más
Mas, mais e más
 
Portugês
Portugês Portugês
Portugês
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Aula intertextualidade
Aula intertextualidadeAula intertextualidade
Aula intertextualidade
 

Destaque

7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
Angélica Manenti
 
O estudo do período composto
O estudo do período compostoO estudo do período composto
O estudo do período composto
robsonbertoldo
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
crisveu
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aula
emanuelee
 

Destaque (15)

Gramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas AdverbiaisGramática - Orações Subordinadas Adverbiais
Gramática - Orações Subordinadas Adverbiais
 
Orações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas SubstantivasOrações Subordinadas Substantivas
Orações Subordinadas Substantivas
 
Frase, oração e período - Orações coordenadas
Frase, oração e período  - Orações coordenadasFrase, oração e período  - Orações coordenadas
Frase, oração e período - Orações coordenadas
 
Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1Frase,oração e período 1
Frase,oração e período 1
 
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
7º ano E. F. II - Período Simples e Composto, Tipos de Sujeito
 
O estudo do período composto
O estudo do período compostoO estudo do período composto
O estudo do período composto
 
Figuras Linguagem
Figuras LinguagemFiguras Linguagem
Figuras Linguagem
 
Sintaxe 1
Sintaxe 1Sintaxe 1
Sintaxe 1
 
História de amor
História de amorHistória de amor
História de amor
 
Revisão sintaxe
Revisão   sintaxeRevisão   sintaxe
Revisão sintaxe
 
Introdução à sintaxe
Introdução à sintaxeIntrodução à sintaxe
Introdução à sintaxe
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
 
Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.Frase, Oração e Periodo.
Frase, Oração e Periodo.
 
Frase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aulaFrase oracao-periodo-aula
Frase oracao-periodo-aula
 
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxewww.AulasDePortuguesApoio.com  -  Português -  Figuras de Construção ou Sintaxe
www.AulasDePortuguesApoio.com - Português - Figuras de Construção ou Sintaxe
 

Semelhante a Orações coordenadas[1]

Interpretação de textos apostila
Interpretação de textos   apostilaInterpretação de textos   apostila
Interpretação de textos apostila
efomm2013
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
AssisTeixeira2
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Homero Alves de Lima
 
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01   denotação + conotação + figuras de linguagemAula 01   denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
Miguel Luciano
 
Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1
guest6e3949
 
Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacao
Cassandra Cruz
 

Semelhante a Orações coordenadas[1] (20)

Interpretação de textos apostila
Interpretação de textos   apostilaInterpretação de textos   apostila
Interpretação de textos apostila
 
Orações Coordenadas
Orações CoordenadasOrações Coordenadas
Orações Coordenadas
 
Descritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsxDescritor 15.ppsx
Descritor 15.ppsx
 
Figuras de Linguagem
Figuras de LinguagemFiguras de Linguagem
Figuras de Linguagem
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-e posiçõesD15.pptx
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptxCONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
CONJUNÇÕES-E-ADVERBIOS-D15.pptx
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
 
FIGURAS DE SINTAXE
FIGURAS DE SINTAXEFIGURAS DE SINTAXE
FIGURAS DE SINTAXE
 
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptxExercícios figuras de linguagemmm.pptx
Exercícios figuras de linguagemmm.pptx
 
Aula13 figuras de linguagem
Aula13  figuras de linguagemAula13  figuras de linguagem
Aula13 figuras de linguagem
 
Portal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações CoordenadasPortal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
Portal - Prof. Jorge: Orações Coordenadas
 
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01   denotação + conotação + figuras de linguagemAula 01   denotação + conotação + figuras de linguagem
Aula 01 denotação + conotação + figuras de linguagem
 
Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1Or. Coordenadas1
Or. Coordenadas1
 
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações CoordenadasGramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
Gramática - Adjunto Adnominal e Orações Coordenadas
 
Periodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacaoPeriodo composto por_coordenacao
Periodo composto por_coordenacao
 
05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas05 - Orações subordinadas substantivas
05 - Orações subordinadas substantivas
 
Acentuação
AcentuaçãoAcentuação
Acentuação
 
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...www.CentroApoio.com -Espanhol  - Regras de Acentuação Em Espanhol  - Parte 2 ...
www.CentroApoio.com -Espanhol - Regras de Acentuação Em Espanhol - Parte 2 ...
 
Conjunção coordenativa
Conjunção coordenativaConjunção coordenativa
Conjunção coordenativa
 

Mais de Renato Oliveira (20)

Atividade sistema
Atividade sistemaAtividade sistema
Atividade sistema
 
Tga
TgaTga
Tga
 
Texto e textualidade
Texto e textualidadeTexto e textualidade
Texto e textualidade
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Intertextualidade
IntertextualidadeIntertextualidade
Intertextualidade
 
Aula de imersão linguagem, língua e fala
Aula  de  imersão  linguagem, língua e falaAula  de  imersão  linguagem, língua e fala
Aula de imersão linguagem, língua e fala
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
3º agro literatura tipo 03 pdf
3º agro   literatura tipo 03 pdf3º agro   literatura tipo 03 pdf
3º agro literatura tipo 03 pdf
 
3º agro literatura tipo 01 pdf
3º agro   literatura tipo 01 pdf3º agro   literatura tipo 01 pdf
3º agro literatura tipo 01 pdf
 
3º agro literatura tipo 02 pdf
3º agro   literatura tipo 02 pdf3º agro   literatura tipo 02 pdf
3º agro literatura tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 01 pdf
3º agro tipo 01   pdf3º agro tipo 01   pdf
3º agro tipo 01 pdf
 
3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf3º agro tipo 02 pdf
3º agro tipo 02 pdf
 
3º agro tipo 03 pdf
3º agro tipo 03 pdf3º agro tipo 03 pdf
3º agro tipo 03 pdf
 
3º info redação - única pdf
3º info    redação - única pdf3º info    redação - única pdf
3º info redação - única pdf
 
Gabaritos
GabaritosGabaritos
Gabaritos
 
3º info tipo 02 pdf
3º info tipo 02 pdf3º info tipo 02 pdf
3º info tipo 02 pdf
 
3º info tipo 03 pdf
3º info tipo 03 pdf3º info tipo 03 pdf
3º info tipo 03 pdf
 
3º info tipo 01pdf
3º info tipo 01pdf3º info tipo 01pdf
3º info tipo 01pdf
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
GisellySobral
 

Último (20)

nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.pptnocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
nocoes-basicas-de-hereditariedade 9º ano.ppt
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................13_mch9_hormonal.pptx............................
13_mch9_hormonal.pptx............................
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptxSão Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
São Damião, missionário entre os leprosos de Molokai, Havaí.pptx
 

Orações coordenadas[1]

  • 2. Já estudamos que PERÍODO é a frase constituída por uma ou mais orações, formando um todo, com sentido completo. Quando possui apenas uma oração, é classificado como período simples; quando possui mais de uma, chama-se período composto. São vários os textos escritos constituídos por períodos simples e compostos. Leia o trecho a seguir, retirado de uma matéria feita pela Folha de São Paulo. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 3. 19/12/2008 - 18h29 DESAJEITADO, BEETHOVEN É UM CACHORRO CHEIO DE MIMOS da Folha Online Beethoven parecia desengonçado quando nasceu. Com poucos meses de vida, ele já era grande no tamanho e vivia entediado. Sua história mudou quando, numa noite, André Barcellos soube que seu dono não queria mais ficar com ele - e foi buscá-lo na hora. A carinha de piedade e a falta de jeito do cão conquistaram André e viraram motivo para muitos mimos. Hoje com oito anos, o sharpei caramelo tem mais de 40 brinquedos, faz dois passeios por dia durante a semana e adora dormir. Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos. Disponível em http://www1.folha.uol.com.br/folha/bichos/ult10006u481675.shtml (adaptado). ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 4. Observe que logo no título temos um período simples, ou seja, formado por apenas uma oração: Beethoven é um cachorro cheio de mimos. Entretanto, ao lermos a descrição do cachorro feita abaixo da foto temos um período composto: Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos. Outro período composto que podemos encontrar no texto é: Beethoven parecia desengonçado quando nasceu. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 5. Ainda podemos identificar no texto outros exemplos de períodos simples e composto, mas agora vamos nos fixar nos dois últimos exemplos. Em Beethoven é um sharpei mimado, passeia pelo menos duas vezes por dia e tem mais de 40 brinquedos, temos um período formado por três orações. E mais: as três orações são independentes e poderiam ser três orações absolutas. Ficariam assim: Beethoven é um sharpei mimado. É nítido perceber que no período há, então, orações que se encontram simplesmente justapostas, coordenadas e não há dependência sintática entre elas. Este tipo de período é chamado de período composto por coordenação. Beethoven passeia pelo menos duas vezes por dia. Beethoven tem mais de 40 brinquedos. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 6. Agora veja o segundo exemplo. Em Beethoven parecia desengonçado quando nasceu, temos um período formado por duas orações, mas a segunda oração não tem sentido completo, sendo dependente da primeira. Veja: oração subordinada A esse tipo de período chamamos Aqui, a primeira oração é independente, e por isso chamada de oração principal. Já a segunda oração é chamada de subordinada, pois não apresenta sentido completo sozinha, e sim, quando unida à primeira. Beethoven parecia desengonçado / quando nasceu oração principal período composto por subordinação. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 7. Nesta aula falaremos sobre o período composto por coordenação. Como vimos, este período é formado por orações que apresentam independência sintática entre si, ou seja, podem ser compreendidas isoladamente. A essas orações chamamos orações coordenadas. -> As orações coordenadas formam um período composto por coordenação. Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: 1) Coordenadas Assindéticas 2) Coordenadas Sindéticas. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 8. Orações Coordenadas Assindéticas São orações coordenadas entre si e que não são ligadas através de nenhum conectivo. São separadas somente por uma vírgula, ou simplesmente justapostas: “Será uma vida nova, começará de novo, não haverá nada para trás.” (Augusto Abelaira, Quatro paredes nuas) ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 9. Orações Coordenadas Sindéticas Veja as orações destacadas no fragmento da música a seguir. Você é linda / E sabe viver / Você me faz feliz (Você é linda, Caetano Veloso) Observe que a ligação entre as duas orações é estabelecida por uma conjunção. E mais: a conjunção estabelece uma relação lógica entre elas: a mulher, além de linda, sabe viver. Mas essas orações podem ser transformadas em orações absolutas: Você é linda. Você sabe viver. Portanto, são também orações coordenadas. Por estarem ligadas por meio de conjunção, são chamadas de Podemos concluir, então, que as Orações Coordenadas Sindéticas são orações coordenadas entre si e ligadas através de uma conjunção coordenativa. Orações Coordenadas Sindéticas. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 10. As orações coordenadas sindéticas são classificadas em cinco tipos, de acordo com a conjunção que as introduz: aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas. Vejamos exemplos de cada uma delas: - Aditivas: São introduzidas pelas conjunções coordenativas aditivas, que exprimem uma noção de acréscimo, de soma. As principais conjunções são: que, e, nem, não só... mas também, não só... como, assim... como, tanto...como. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 11. No texto abaixo, a repetição da conjunção e liga as palavras e orações, enfatizando a idéia de repetição massacrante do cotidiano. A gaiola e era a gaiola e era a vida era a gaiola e era o muro a cerca e o preconceito e era o filho a família e a aliança e era a grade a filha e era o conceito e era o relógio o horário o apontamento e era o estatuto a lei e o mandamento e a tabuleta dizendo é proibido. Era a vida era o mundo e a gaiola e era a casa o nome e a vestimenta e era o imposto o aluguel a ferramenta e era o orgulho e o coração fechado e o sentimento trancado a cadeado. E era o amor e o desamor e o medo de magoar e eram os laços e o sinal de não passar. E era a vida era a vida o mundo e a gaiola e era a vida e a vida era a gaiola. (Maria do Carmo B.C. de Melo) ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 12. A seguir temos outro exemplo de orações coordenadas sindéticas aditivas: Ele não explica o seu ato nem negocia uma saída honrosa para a crise. Neste caso, o que a conjunção destacada enfatiza? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 13. - Adversativas: são introduzidas por conjunções que denotam idéia de oposição, de contraste, de compensação. As principais conjunções adversativas são: mas, porém, contudo, no entanto, entretanto, todavia. Na tira acima, podemos perceber a presença da conjunção de oposição mas nas orações. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 14. Minha mãe diz que não liga; adora, entretanto, ganhar presentes. Minha mãe diz que não liga; adora ganhar presentes, entretanto. Observe ainda que a conjunção mas sempre é usada no início da frase, enquanto as demais conjunções coordenativas adversativas podem ocupar diferentes posições na oração: Ou ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 15. - Alternativas: são introduzidas por conjunções que expressam fatos ou conceitos que se excluem ou se alteram entre si. As principais conjunções alternativas são: ou... ou, ora... ora, já... já, quer...quer, seja...seja. Veja o exemplo a seguir, em que a conjunção alternativa está destacada: Passei a me comportar mal na sala: falava muito alto, mexia com os colegas, interrompia a lição com piadinhas, até que ele dizia, vermelho: -Cale-se ou expulso a senhora da sala. Fonte: LISPECTOR, Clarice. A Legião estrangeira. São Paulo, Ática. 1977. p.11. Observe este outro exemplo: Inês estava muito preocupada durante a madrugada. Ora dormia, ora acordava... Qual a diferença entre os dois exemplos? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 16. - Conclusivas: são introduzidas por conjunções que expressam uma idéia de conclusão. As principais são: logo, pois (proposto ao verbo), portanto, por isso, de modo que, por fim, por conseguinte, conseqüentemente. Exemplos: Ouço música, logo ainda não me enterraram. Tomamos várias precauções, por isso a crise pode ser contida. ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 17. - Explicativas: explicam o motivo da declaração anterior. São introduzidas pelas conjunções coordenativas: porque, que, pois (anteposto ao verbo), isto é, ou seja, a saber, na verdade, etc. Veja o anúncio publicitário a seguir. Neste exemplo, a conjunção que pode ser substituída por pois ou porque (também conjunções coordenativas explicativas). Mas é interessante notar que esta conjunção pode ter outros valores... ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 18. Vejamos exemplos de outros tipos de orações coordenadas sindéticas com a conjunção que: Que = conjunção coordenativa aditiva Ria que ria, como se a vida fosse sempre uma comédia. Que = conjunção coordenativa adversativa: Você pode chorar bem alto, que ninguém virá socorrê-lo. Por isso é tão importante estudar a organização das palavras num texto! Quando analisamos as relações existentes entre as orações, por exemplo, analisamos o modo como se estrutura um texto e podemos compreendê-lo melhor! ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 19. Finalmente, as orações coordenadas podem aparecer em um período onde há também orações subordinadas. Ao período em que há esses dois tipos de orações chamamos período composto por coordenação e subordinação. Veja: É verdade / que você me enganou um dia, / mas adoro você/ e sempre vou adorar. (Fábulas de Esopo, O rapaz e a moça inconstate) Você consegue identificar as orações coordenadas? Vamos ver... Or. Principal Oração Subordinada Oração Coordenda Oração Coordenada Como são classificadas as orações coordenadas desse período? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 20. E agora? Você consegue identificar e classificar as orações coordenadas presentes na tirinha? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA Vejamos... Ontem eu coloquei o pé prum garoto tropeçar, e ele caiu na lama. Venha aqui e me dê uma mão oração coordenada sindética aditiva oração coordenada sindética aditiva
  • 21. E numa carta? Leia o fragmento da Carta da Terra (adaptado) e procure mais orações coordenadas, classificando-as. As forças da natureza fazem da existência uma aventura exigente e incerta, mas a Terra providenciou as condições essenciais para a evolução da vida. Os benefícios do desenvolvimento não estão sendo divididos eqüitativamente e o fosso entre ricos e pobres está aumentando. A escolha é nossa: formar uma aliança global para cuidar da Terra e uns dos outros, ou arriscar a nossa destruição e a da diversidade da vida. Devemos aprofundar o diálogo global gerado pela Carta da Terra, porque temos muito que aprender a partir da busca iminente e conjunta por verdade e sabedoria. Viu como a organização das orações define o entendimento de um texto? ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA
  • 22. Chegamos ao final de nossa aula... Vamos esquematizar nosso estudo? A d i t i v a A d v e r s a t i v a A l t e r n a t iv a C o n c l u s i v a E x p l i c a t iv a . O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s s i n d é t i c a s O r a ç õ e s c o o r d e n a d a s a s s in d é t ic a s P e r í o d o c o m p o s t o p o r c o o r d e n a ç ã o . ORAÇÕES COORDENADAS LÍNGUA PORTUGUESA