SlideShare uma empresa Scribd logo
Alunos: Daniel Alves
        Gabriela Lopes
        Mario Neto
        Paulo Franco
Quando uma corrente elétrica passa por um fio no estator, ela
produz um campo eletromagnético. Da mesma forma há uma
corrente elétrica passando pelo rotor, produzindo um campo
eletromagnético. Os campos magnéticos produzidos pelo estator e
pelo rotor possuem um pólo norte e um pólo sul cada um. Os pólos
norte de cada campo se repelem da mesma forma que os pólos sul
de cada campo. Assim, o pólo norte do estator é atraído pelo pólo
sul do rotor e o pólo sul do estator é atraído pelo pólo norte do rotor.
A combinação dessas forças de atração e repulsão faz com que o
rotor gire, de forma que o pólo norte do campo magnético do rotor
fique mais perto do pólo sul do campo magnético do estator, e o
pólo sul do campo magnético do rotor se aproxime do pólo norte do
campo magnético do estator. Este movimento giratório é
denominado primeira metade do ciclo da revolução de um motor
elétrico. Quando o sentido da corrente elétrica que passa pelo
estator é invertida, o campo eletromagnético do estator é
invertido, e os pólos norte e sul do campo trocam de lugar.
   Assim que isso acontece, a força de atração entre o pólo
    norte do rotor e o pólo sul do estator se transforma em uma
    força de repulsão, porque o pólo sul do estator se
    transformou no pólo norte. O rotor gira novamente, de modo
    que os pólos norte e sul do rotor e do estator se aproximem
    dos seus opostos. O rotor, então, concluiu uma revolução. A
    polaridade é invertida novamente no motor e o rotor dá uma
    meia volta outra vez. Este processo de revolução do rotor é a
    energia mecânica produzida pelo motor. O eixo fica preso a
    um dispositivo, como uma bomba, que usa a energia do rotor
    para girar o rotor da bomba. O rotor da bomba transfere a
    energia mecânica para o líquido que está sendo bombeado
    na forma de velocidade (energia cinética) e altura
    manométrica (energia potencial).
   Enrolamento de partida é sempre acrescentado aos motores
    monofásicos para assegurar a rotação de partida correta. Sem o
    enrolamento extra, o rotor poderia permanecer estacionário e
    rapidamente se superaquecer. À medida que as barras do rotor cortam
    o campo magnético, uma corrente é induzida nelas. Isto, por sua
    vez, faz com que os pólos magnéticos apareçam no
    rotor, próximos, porém separados do pólo do estator, devido à rotação.
    A formação desses pólos, quando a corrente é invertida nos
    enrolamentos do estator, se dá de tal forma que eles ficam sempre
    "procurando" o campo do estator. Os pólos norte e sul se atraem e
    mantêm a rotação. Quanto maior a carga sobre o rotor, mais o pólo
    induzido é deslocada e maior é o torque produzido pelo campo. Isto
    também resulta em uma corrente mais alta do estator sendo usada, à
    medida que se tentar estabelecer o equilíbrio. Como os pólos do
    estator invertem sua polaridade 120 vezes por segundo a 60 Hz, o
    rotor efetuará uma revolução a cada 1/60 de segundo. Isto faz com
    que a velocidade do motor seja ligeiramente inferior a 3600
    RPM, permitindo um "escorregamento" que é necessário para o
    desenvolvimento de um torque útil do motor.
   Os pólos indicados no rotor pelo fluxo de
    eletricidade nos enrolamentos do estator são
    atraídos     para    os    pólos     opostos  do
    estator, fazendo com que o rotor continue a girar
    no sentido horário. O movimento do rotor mantém
    a rotação durante a inversão da polaridade. Como
    este motor tem quatro pólos, cada inversão da
    direção da corrente no estator resulta em somente
    um quarto de volta do rotor. A velocidade deste
    motor é a metade daquela do motor com dois
    pólos, ou aproximadamente 1750 RPM a 60 Hz.
Principio de Funcionamento




Motor de Indução Monofásico, com quatro Pólos
   Identificar e determinar o objetivo dos
    seguintes componentes de um motor elétrico:
   Estator é um grupo de enrolamentos cilíndricos
    que produz um campo eletromagnético. O estator
    consiste em:
    - Carcaça do estator
    - Núcleo do estator
    - Enrolamentos do estator
    - Camisa dos mancais
   CARCAÇA DO ESTATOR
    A carcaça do estator é a maior fonte de potência mecânica de
    todo o motor. Ela suporta o núcleo do estator, oferecendo apoio
    para o rotor e o eixo, e é o ponto de união normal entre o motor
    e a sua base.

   NÚCLEO DO ESTATOR
    O núcleo do estator é formado de uma grande quantidade de
    finas laminações de aço silício nas quais os enrolamentos do
    estator estão enrolados.
    Uma laminação é uma fina chapa de aço. O núcleo do estator
    reforça o campo magnético produzido pelos enrolamentos do
    estator.
    O estator é cilíndrico, permitindo que um rotor seja colocado
    dentro dele.
Construção Básica do Motor




     Um Estator Típico
   ENROLAMENTOS DO ESTATOR
    Os enrolamentos do estator são bobinas de fio isolado
    através das quais acorrente pode passar. Os enrolamentos
    do estator criam os campos eletromagnéticos giratórios
    aos qual o rotor responde. As bobinas estão ligadas se
    formadas de modo a atender às dimensões específicas do
    estator e aos respectivos pólos do estator.

   CAMISA DOS MANCAIS
    A camisa dos mancais são placas metálicas que ficam em
    cada extremidade do motor. A camisa dos mancais abriga
    os mancais do eixo e mantém o rotor na posição correta
    dentro do estator.
   Rotor é um conjunto de enrolamentos que giram
    dentro do estator. consiste em:
    - Núcleo do rotor
    - Enrolamentos do rotor
    - Anéis de fechamento do rotor
    - Eixo do rotor
   NÚCLEO DO ROTOR
    O núcleo do rotor reforça o campo eletromagnético gerado pelos
    enrolamentos do rotor. O núcleo do rotor consiste em camadas
    (laminações) de chapas de aço ajustadas ao eixo do rotor. As
    laminações possuem fendas de forma a permitir que os enrolamentos
    do rotor se encaixem com segurança em volta do núcleo.

   ENROLAMENTOS DO ROTOR
    Os enrolamentos do rotor são barras sólidas, geralmente de cobre ou
    alumínio, sendo curtocircuitadas pelos anéis de fechamento do rotor.
    Estas barras são fundidas nas fendas dentro do núcleo do rotor
    formando assim uma gaiola, conforme mostra a Figura 15. Quando a
    corrente elétrica flui através dos enrolamentos do rotor, é gerado um
    campo eletromagnético. O campo eletromagnético interage com o
    campo eletromagnético gerado pelos enrolamentos do estator para
    produzir energia mecânica.
   Esta Figura mostra um rotor típico e seus
    componentes principais estão identificados:
    núcleo do rotor, enrolamentos do rotor, anéis
    coletores, e eixo do rotor
   ANÉIS DE FECHAMENTO
    Os anéis de fechamento são anéis lisos, que atuam como
    terminais elétricos. Estes estão localizados em cada
    extremidade dos condutores do rotor e são feitos do mesmo
    material dos condutores do rotor aos quais estão conectados. As
    barras do rotor estão ligadas aos anéis coletores para formar um
    circuito elétrico fechado. Acorrente elétrica que passa pelo
    circuito fechado gera o campo eletromagnético do rotor.

   EIXO DO ROTOR
    O eixo do rotor está localizado no centro do rotor e se estende
    além do núcleo do rotor para fora da carcaça do estator, onde
    fica apoiado por mancais nas camisas dos mancais. O eixo está
    conectado à bomba, por exemplo, através de um acoplamento.
   MANCAIS
    Um mancal é um dispositivo que fica em uma base de
    montagem fixa que sustenta o eixo e permite que ele gire.
    Os mancais evitam que o eixo do motor faça movimentos
    axiais (movimentos ao longo do eixo) ou radiais
    (movimentos laterais ao eixo). O eixo gira sobre uma
    posição fixa.

   CARCAÇAS
    A carcaça é o envoltório que envolve o motor. A carcaça
    evita a ação do tempo e a penetração de objetos
    estranhos, assegurando que nada vai atingir e danificar as
    peças girantes do motor. A carcaça também abriga o
    sistema de ventilação que resfria o motor durante o
    funcionamento
   FUNCIONAMENTO
    DO MOTOR
    ELÉTRICO:

   Um motor elétrico
    consiste em um rotor
    colocado dentro de
    um estator e apoiado
    em mancais.
   MOTORES DE INDUÇÃOTRIFÁSICOS
    Os motores da linha troncos são motores trifásicos. Um motor trifásico
    é um motor elétrico que usa corrente alternada trifásica para girar o
    campo magnético do estator. Eles possuem três conjuntos de
    enrolamentos equidistantes no estator.
    A primeira fase da corrente trifásica entra no primeiro conjunto de
    enrolamentos para criar um campo eletromagnético. Isto faz com que o
    estator gire conforme mostrado.
     À medida que a voltagem cai na primeira fase, acumula-se na
    segunda fase. Esta voltagem cria um campo eletromagnético no
    segundo conjunto de enrolamentos. O estator gira outros 60 .
    À medida que a voltagem na segunda fase cai, a voltagem se acumula
    na terceira fase, criando um campo eletromagnético no terceiro
    conjunto de enrolamentos. O estator gira outros 60 .
    À medida que a voltagem cai na terceira fase, à voltagem se acumula
    novamente na primeira fase. Acorrente alternada inverte a polaridade
    do campo eletromagnético fazendo com que o ciclo de giros continue.
   Há três conjuntos de
    enrolamentos em um
    estator de corrente
    trifásica, equidistante
    s     entre   si.    Os
    enrolamentos         da
    Figura            foram
    simplificados para dar
    uma ideia básica de
    como       o    estator
    funciona.
   Motores de corrente contínua
    Precisam de uma fonte de corrente contínua, por
    exemplo um dispositivo que converta a corrente
    alternada comum em contínua. Podem funcionar
    com velocidades ajustáveis entre amplos limites e
    se prestam a controles de grande flexibilidade e
    precisão. Por isso seu uso é restrito a casos
    especiais em que estas exigências compensam o
    custo muito mais alto da instalação, ou no caso da
    alimentação usada ser contínua, como no caso
    das pilhas em dispositivos eletrônicos.
   Motores de corrente alternada
    São os mais utilizados, porque a distribuição de
    energia elétrica é feita normalmente em corrente
    alternada. Seu princípio de funcionamento é baseado
    no campo girante, que surge quando um sistema
    de correntes alternadas trifásico é aplicada
    em pólos defasados fisicamente de 120º. Dessa
    forma, como as correntes são defasadas 120º
    elétricos, em cada instante, um par de pólos possui
    o campo de maior intensidade, cuja associação
    vetorial possui o mesmo efeito de um campo girante
    que se desloca ao longo do perímetro do estator e
    que também varia no tempo.
   Motor síncrono:
    Funciona com velocidade constante; utiliza-se de
    um induzido que possui um campo constante pré-
    definido e, com isso, aumenta a resposta ao
    processo de arraste criado pelo campo girante. É
    geralmente utilizado quando se necessita de
    velocidades estáveis sob a ação de cargas
    variáveis. Também pode ser utilizado quando se
    requer grande potência, com torque constante.
   Motor de indução:
    Funciona      normalmente     com     velocidade
    estável, que varia ligeiramente com a carga
    mecânica aplicada ao eixo. Devido a sua grande
    simplicidade, robustez e baixo custo, é o motor
    mais utilizado de todos, sendo adequado para
    quase todos os tipos de máquinas acionadas
    encontradas na prática. Atualmente é possível
    controlarmos a velocidade dos motores de
    indução com o auxílio de conversores de
    frequência.
   Motor de indução monofásico
    De modo geral os motores elétricos de indução monofásicos são
    a alternativa natural aos motores de indução trifásicos. Entre os
    vários tipos de motores elétricos monofásicos, os motores de
    indução com rotor tipo gaiola se destacam pela simplicidade de
    fabricação e, principalmente, pela robustez, confiabilidade e
    longa vida sem necessidade de manutenção. Os motores
    monofásicos, por terem somente uma fase de alimentação, não
    possuem campo girante como os motores trifásicos, e sim um
    campo magnético pulsante. Isto impede que os mesmos tenham
    conjugado para a partida, tendo em vista que no rotor se
    induzem campos magnéticos alinhados com o campo do estator.
    Para solucionar o problema da partida utilizam-se enrolamentos
    auxiliares, que são dimensionados e posicionados de forma a
    criar uma segunda fase fictícia, permitindo a formação do campo
    girante necessário para a partida.
   Motor de Indução Trifásico
    Existem dois tipos de motores trifásicos de
    indução: com Rotor Bobinado e com Rotor em
    Gaiola de Esquilo. O princípio de funcionamento é
    o mesmo para ambos, porém os motores com
    rotor tipo gaiolas são mais robustos, simples e
    confiáveis, destacam-se pela longa vida sem
    necessidade de manutenção.




                                                 Fim

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Motores elétricos
Motores elétricosMotores elétricos
Motores elétricos
Eduarts Paineis
 
Acionamentos Elétricos
Acionamentos ElétricosAcionamentos Elétricos
Acionamentos Elétricos
elliando dias
 
Máquinas elétricas rotativas
Máquinas elétricas rotativas Máquinas elétricas rotativas
Máquinas elétricas rotativas
Manuel Augusto Jr.
 
[Motores sincronos e assincronos]
[Motores sincronos e assincronos][Motores sincronos e assincronos]
[Motores sincronos e assincronos]
Daniel Santos
 
Motores elétricos
Motores elétricosMotores elétricos
Motores elétricos
Markinhos Carvalho
 
Aulas máquinas eléctricas ib
Aulas máquinas eléctricas ibAulas máquinas eléctricas ib
Aulas máquinas eléctricas ib
Renata Nascimento
 
TCC Motor Elétrico
TCC Motor Elétrico TCC Motor Elétrico
TCC Motor Elétrico
Niwton Guedes Barbosa
 
Apostila de maquinas eletricas
Apostila de maquinas eletricasApostila de maquinas eletricas
Apostila de maquinas eletricas
oeslle
 
Como funcionam os motores elétricos
Como funcionam os motores elétricosComo funcionam os motores elétricos
Como funcionam os motores elétricos
Everton Moura
 
Abc das maquinas electricas
Abc das maquinas electricasAbc das maquinas electricas
Abc das maquinas electricas
Ricardo Antunes
 
Motores Elétricos
Motores ElétricosMotores Elétricos
Motores Elétricos
vcolpo
 
Ce aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina ccCe aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina cc
Igor Fortal
 
Apresentação motores de indução
Apresentação motores de induçãoApresentação motores de indução
Apresentação motores de indução
Luiz Carlos Farkas
 
Single phase and special propose motors
Single phase and special propose motorsSingle phase and special propose motors
Single phase and special propose motors
Angelo Hafner
 
Teoria básica de máquinas rotativas
Teoria básica de máquinas rotativasTeoria básica de máquinas rotativas
Teoria básica de máquinas rotativas
Rodrigo Prado
 
Motor elétrico
Motor elétricoMotor elétrico
Motor elétrico
Estevão Antunes Júnior
 
32731 apost motores-de_inducao_cefetes
32731 apost motores-de_inducao_cefetes32731 apost motores-de_inducao_cefetes
32731 apost motores-de_inducao_cefetes
Sebastião Jorge Barroso de Souza
 
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
DeyvidDacoregio
 
Microsoft power point motores e geradores cc 2011-2a
Microsoft power point   motores e geradores cc 2011-2aMicrosoft power point   motores e geradores cc 2011-2a
Microsoft power point motores e geradores cc 2011-2a
Tiago Santiago
 
Apostila sobre motores de indução trifásicos i
Apostila sobre motores de indução trifásicos iApostila sobre motores de indução trifásicos i
Apostila sobre motores de indução trifásicos i
Paulo Cesar Diniz Bicudo
 

Mais procurados (20)

Motores elétricos
Motores elétricosMotores elétricos
Motores elétricos
 
Acionamentos Elétricos
Acionamentos ElétricosAcionamentos Elétricos
Acionamentos Elétricos
 
Máquinas elétricas rotativas
Máquinas elétricas rotativas Máquinas elétricas rotativas
Máquinas elétricas rotativas
 
[Motores sincronos e assincronos]
[Motores sincronos e assincronos][Motores sincronos e assincronos]
[Motores sincronos e assincronos]
 
Motores elétricos
Motores elétricosMotores elétricos
Motores elétricos
 
Aulas máquinas eléctricas ib
Aulas máquinas eléctricas ibAulas máquinas eléctricas ib
Aulas máquinas eléctricas ib
 
TCC Motor Elétrico
TCC Motor Elétrico TCC Motor Elétrico
TCC Motor Elétrico
 
Apostila de maquinas eletricas
Apostila de maquinas eletricasApostila de maquinas eletricas
Apostila de maquinas eletricas
 
Como funcionam os motores elétricos
Como funcionam os motores elétricosComo funcionam os motores elétricos
Como funcionam os motores elétricos
 
Abc das maquinas electricas
Abc das maquinas electricasAbc das maquinas electricas
Abc das maquinas electricas
 
Motores Elétricos
Motores ElétricosMotores Elétricos
Motores Elétricos
 
Ce aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina ccCe aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina cc
 
Apresentação motores de indução
Apresentação motores de induçãoApresentação motores de indução
Apresentação motores de indução
 
Single phase and special propose motors
Single phase and special propose motorsSingle phase and special propose motors
Single phase and special propose motors
 
Teoria básica de máquinas rotativas
Teoria básica de máquinas rotativasTeoria básica de máquinas rotativas
Teoria básica de máquinas rotativas
 
Motor elétrico
Motor elétricoMotor elétrico
Motor elétrico
 
32731 apost motores-de_inducao_cefetes
32731 apost motores-de_inducao_cefetes32731 apost motores-de_inducao_cefetes
32731 apost motores-de_inducao_cefetes
 
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
Modulo1 geradores ca 1 a 21_2007
 
Microsoft power point motores e geradores cc 2011-2a
Microsoft power point   motores e geradores cc 2011-2aMicrosoft power point   motores e geradores cc 2011-2a
Microsoft power point motores e geradores cc 2011-2a
 
Apostila sobre motores de indução trifásicos i
Apostila sobre motores de indução trifásicos iApostila sobre motores de indução trifásicos i
Apostila sobre motores de indução trifásicos i
 

Destaque

Motores elétricos de corrente alternada
Motores elétricos de corrente alternadaMotores elétricos de corrente alternada
Motores elétricos de corrente alternada
lehnner
 
Instalações elétricas prática - SENAI
Instalações elétricas   prática - SENAIInstalações elétricas   prática - SENAI
Instalações elétricas prática - SENAI
Leonardo Chaves
 
Seminário 5º C - Geradores e motores
Seminário 5º C - Geradores e motores Seminário 5º C - Geradores e motores
Seminário 5º C - Geradores e motores
Escola Santi
 
Aula sobre Geradores Elétricos
Aula sobre Geradores ElétricosAula sobre Geradores Elétricos
Aula sobre Geradores Elétricos
Matheus Barros
 
Geradores
 Geradores Geradores
Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
Marco Antonio Sanches
 
Geradores
GeradoresGeradores
Geradores
fisico.dersa
 
Apostilada instalações elétricas prediais
Apostilada instalações elétricas prediaisApostilada instalações elétricas prediais
Apostilada instalações elétricas prediais
Willyam Pinheiro Baptista
 
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
rush_br
 
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações ElétricasApostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
Fermi Xalegre
 
Acionamento de máquinas elétricas richard stephan
Acionamento de máquinas elétricas   richard stephanAcionamento de máquinas elétricas   richard stephan
Acionamento de máquinas elétricas richard stephan
Samuel Leite
 
Resistencia daniel gazelle_castella
Resistencia daniel gazelle_castellaResistencia daniel gazelle_castella
Resistencia daniel gazelle_castella
Danielgazelle
 
09 geradores e motores elétricos
09   geradores e motores elétricos09   geradores e motores elétricos
09 geradores e motores elétricos
Ricardo Pampu
 
Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4
guest9c114b
 
Synchronous motors
Synchronous motorsSynchronous motors
Synchronous motors
Angelo Hafner
 
Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4
Jim Naturesa
 

Destaque (16)

Motores elétricos de corrente alternada
Motores elétricos de corrente alternadaMotores elétricos de corrente alternada
Motores elétricos de corrente alternada
 
Instalações elétricas prática - SENAI
Instalações elétricas   prática - SENAIInstalações elétricas   prática - SENAI
Instalações elétricas prática - SENAI
 
Seminário 5º C - Geradores e motores
Seminário 5º C - Geradores e motores Seminário 5º C - Geradores e motores
Seminário 5º C - Geradores e motores
 
Aula sobre Geradores Elétricos
Aula sobre Geradores ElétricosAula sobre Geradores Elétricos
Aula sobre Geradores Elétricos
 
Geradores
 Geradores Geradores
Geradores
 
Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
 
Geradores
GeradoresGeradores
Geradores
 
Apostilada instalações elétricas prediais
Apostilada instalações elétricas prediaisApostilada instalações elétricas prediais
Apostilada instalações elétricas prediais
 
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
71318936 reles-fusiveis-localizacao-gm-fiat-ford-vw
 
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações ElétricasApostila CEFET - Instalações Elétricas
Apostila CEFET - Instalações Elétricas
 
Acionamento de máquinas elétricas richard stephan
Acionamento de máquinas elétricas   richard stephanAcionamento de máquinas elétricas   richard stephan
Acionamento de máquinas elétricas richard stephan
 
Resistencia daniel gazelle_castella
Resistencia daniel gazelle_castellaResistencia daniel gazelle_castella
Resistencia daniel gazelle_castella
 
09 geradores e motores elétricos
09   geradores e motores elétricos09   geradores e motores elétricos
09 geradores e motores elétricos
 
Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4
 
Synchronous motors
Synchronous motorsSynchronous motors
Synchronous motors
 
Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4Motores de Indução - Parte 4
Motores de Indução - Parte 4
 

Semelhante a motores e geradores

02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
DMC Engenharia e Sistemas Ibéricos Lda
 
xcxc
xcxcxcxc
xcxc
Josy Noel
 
aula_11.pdf
aula_11.pdfaula_11.pdf
SLIDE MAQUINAS II.pptx
SLIDE MAQUINAS II.pptxSLIDE MAQUINAS II.pptx
SLIDE MAQUINAS II.pptx
antoniogff
 
Motor de inducao_parte_teorica
Motor de inducao_parte_teoricaMotor de inducao_parte_teorica
Motor de inducao_parte_teorica
Daniel Ferrari
 
Clic aqui
Clic aquiClic aqui
Clic aqui
Henrique Farias
 
3.0 m quinas el tricas girantes
3.0 m quinas el tricas girantes3.0 m quinas el tricas girantes
3.0 m quinas el tricas girantes
William Andrade
 
Aula 04 eletricidade - acionamento de motores elétricos
Aula 04   eletricidade - acionamento de motores elétricosAula 04   eletricidade - acionamento de motores elétricos
Aula 04 eletricidade - acionamento de motores elétricos
Renaldo Adriano
 
Maquinas sincronas
Maquinas sincronasMaquinas sincronas
Maquinas sincronas
janderson paixão dos santos
 
Motores eletricos 14806
Motores eletricos 14806Motores eletricos 14806
Motores eletricos 14806
Renata Albuquerque
 
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente ContínuaRelatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Fernando Filho
 
1 motores de indução
1 motores de indução1 motores de indução
1 motores de indução
Dorival Brito
 
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdfSLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
antoniogff
 
Apostila maquinas eletricas_2
Apostila maquinas eletricas_2Apostila maquinas eletricas_2
Apostila maquinas eletricas_2
João Carlos Silva
 
Motores de Indução 2023.pptx
Motores de Indução 2023.pptxMotores de Indução 2023.pptx
Motores de Indução 2023.pptx
joelson37
 
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Eurides Vicente Marcondes
 
Trabalho eletro motores cc
Trabalho eletro motores ccTrabalho eletro motores cc
Trabalho eletro motores cc
Talita Medeiros
 
INSTRUMENTAÇÃO.pdf
INSTRUMENTAÇÃO.pdfINSTRUMENTAÇÃO.pdf
INSTRUMENTAÇÃO.pdf
GilsonRicardoSilva
 
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdfte039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
antoniogff
 
te344 aula 30 - motores eletricos.pdf
te344 aula 30 - motores eletricos.pdfte344 aula 30 - motores eletricos.pdf
te344 aula 30 - motores eletricos.pdf
Tomaz13
 

Semelhante a motores e geradores (20)

02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
02 Diagnóstico de Motores Eléctricos - Princípio de Funcionamento
 
xcxc
xcxcxcxc
xcxc
 
aula_11.pdf
aula_11.pdfaula_11.pdf
aula_11.pdf
 
SLIDE MAQUINAS II.pptx
SLIDE MAQUINAS II.pptxSLIDE MAQUINAS II.pptx
SLIDE MAQUINAS II.pptx
 
Motor de inducao_parte_teorica
Motor de inducao_parte_teoricaMotor de inducao_parte_teorica
Motor de inducao_parte_teorica
 
Clic aqui
Clic aquiClic aqui
Clic aqui
 
3.0 m quinas el tricas girantes
3.0 m quinas el tricas girantes3.0 m quinas el tricas girantes
3.0 m quinas el tricas girantes
 
Aula 04 eletricidade - acionamento de motores elétricos
Aula 04   eletricidade - acionamento de motores elétricosAula 04   eletricidade - acionamento de motores elétricos
Aula 04 eletricidade - acionamento de motores elétricos
 
Maquinas sincronas
Maquinas sincronasMaquinas sincronas
Maquinas sincronas
 
Motores eletricos 14806
Motores eletricos 14806Motores eletricos 14806
Motores eletricos 14806
 
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente ContínuaRelatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
Relatório Motor Casseiro de Corrente Contínua
 
1 motores de indução
1 motores de indução1 motores de indução
1 motores de indução
 
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdfSLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
SLIDE MAQUINAS ELÉTRICAS II 3º ANO.pdf
 
Apostila maquinas eletricas_2
Apostila maquinas eletricas_2Apostila maquinas eletricas_2
Apostila maquinas eletricas_2
 
Motores de Indução 2023.pptx
Motores de Indução 2023.pptxMotores de Indução 2023.pptx
Motores de Indução 2023.pptx
 
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
Bobinagem de motor trifasico meio imbricado
 
Trabalho eletro motores cc
Trabalho eletro motores ccTrabalho eletro motores cc
Trabalho eletro motores cc
 
INSTRUMENTAÇÃO.pdf
INSTRUMENTAÇÃO.pdfINSTRUMENTAÇÃO.pdf
INSTRUMENTAÇÃO.pdf
 
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdfte039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
te039 aula 19 - motores eletricos (1).pdf
 
te344 aula 30 - motores eletricos.pdf
te344 aula 30 - motores eletricos.pdfte344 aula 30 - motores eletricos.pdf
te344 aula 30 - motores eletricos.pdf
 

motores e geradores

  • 1. Alunos: Daniel Alves Gabriela Lopes Mario Neto Paulo Franco
  • 2. Quando uma corrente elétrica passa por um fio no estator, ela produz um campo eletromagnético. Da mesma forma há uma corrente elétrica passando pelo rotor, produzindo um campo eletromagnético. Os campos magnéticos produzidos pelo estator e pelo rotor possuem um pólo norte e um pólo sul cada um. Os pólos norte de cada campo se repelem da mesma forma que os pólos sul de cada campo. Assim, o pólo norte do estator é atraído pelo pólo sul do rotor e o pólo sul do estator é atraído pelo pólo norte do rotor. A combinação dessas forças de atração e repulsão faz com que o rotor gire, de forma que o pólo norte do campo magnético do rotor fique mais perto do pólo sul do campo magnético do estator, e o pólo sul do campo magnético do rotor se aproxime do pólo norte do campo magnético do estator. Este movimento giratório é denominado primeira metade do ciclo da revolução de um motor elétrico. Quando o sentido da corrente elétrica que passa pelo estator é invertida, o campo eletromagnético do estator é invertido, e os pólos norte e sul do campo trocam de lugar.
  • 3. Assim que isso acontece, a força de atração entre o pólo norte do rotor e o pólo sul do estator se transforma em uma força de repulsão, porque o pólo sul do estator se transformou no pólo norte. O rotor gira novamente, de modo que os pólos norte e sul do rotor e do estator se aproximem dos seus opostos. O rotor, então, concluiu uma revolução. A polaridade é invertida novamente no motor e o rotor dá uma meia volta outra vez. Este processo de revolução do rotor é a energia mecânica produzida pelo motor. O eixo fica preso a um dispositivo, como uma bomba, que usa a energia do rotor para girar o rotor da bomba. O rotor da bomba transfere a energia mecânica para o líquido que está sendo bombeado na forma de velocidade (energia cinética) e altura manométrica (energia potencial).
  • 4. Enrolamento de partida é sempre acrescentado aos motores monofásicos para assegurar a rotação de partida correta. Sem o enrolamento extra, o rotor poderia permanecer estacionário e rapidamente se superaquecer. À medida que as barras do rotor cortam o campo magnético, uma corrente é induzida nelas. Isto, por sua vez, faz com que os pólos magnéticos apareçam no rotor, próximos, porém separados do pólo do estator, devido à rotação. A formação desses pólos, quando a corrente é invertida nos enrolamentos do estator, se dá de tal forma que eles ficam sempre "procurando" o campo do estator. Os pólos norte e sul se atraem e mantêm a rotação. Quanto maior a carga sobre o rotor, mais o pólo induzido é deslocada e maior é o torque produzido pelo campo. Isto também resulta em uma corrente mais alta do estator sendo usada, à medida que se tentar estabelecer o equilíbrio. Como os pólos do estator invertem sua polaridade 120 vezes por segundo a 60 Hz, o rotor efetuará uma revolução a cada 1/60 de segundo. Isto faz com que a velocidade do motor seja ligeiramente inferior a 3600 RPM, permitindo um "escorregamento" que é necessário para o desenvolvimento de um torque útil do motor.
  • 5. Os pólos indicados no rotor pelo fluxo de eletricidade nos enrolamentos do estator são atraídos para os pólos opostos do estator, fazendo com que o rotor continue a girar no sentido horário. O movimento do rotor mantém a rotação durante a inversão da polaridade. Como este motor tem quatro pólos, cada inversão da direção da corrente no estator resulta em somente um quarto de volta do rotor. A velocidade deste motor é a metade daquela do motor com dois pólos, ou aproximadamente 1750 RPM a 60 Hz.
  • 6. Principio de Funcionamento Motor de Indução Monofásico, com quatro Pólos
  • 7. Identificar e determinar o objetivo dos seguintes componentes de um motor elétrico:  Estator é um grupo de enrolamentos cilíndricos que produz um campo eletromagnético. O estator consiste em: - Carcaça do estator - Núcleo do estator - Enrolamentos do estator - Camisa dos mancais
  • 8. CARCAÇA DO ESTATOR A carcaça do estator é a maior fonte de potência mecânica de todo o motor. Ela suporta o núcleo do estator, oferecendo apoio para o rotor e o eixo, e é o ponto de união normal entre o motor e a sua base.  NÚCLEO DO ESTATOR O núcleo do estator é formado de uma grande quantidade de finas laminações de aço silício nas quais os enrolamentos do estator estão enrolados. Uma laminação é uma fina chapa de aço. O núcleo do estator reforça o campo magnético produzido pelos enrolamentos do estator. O estator é cilíndrico, permitindo que um rotor seja colocado dentro dele.
  • 9. Construção Básica do Motor Um Estator Típico
  • 10. ENROLAMENTOS DO ESTATOR Os enrolamentos do estator são bobinas de fio isolado através das quais acorrente pode passar. Os enrolamentos do estator criam os campos eletromagnéticos giratórios aos qual o rotor responde. As bobinas estão ligadas se formadas de modo a atender às dimensões específicas do estator e aos respectivos pólos do estator.  CAMISA DOS MANCAIS A camisa dos mancais são placas metálicas que ficam em cada extremidade do motor. A camisa dos mancais abriga os mancais do eixo e mantém o rotor na posição correta dentro do estator.
  • 11. Rotor é um conjunto de enrolamentos que giram dentro do estator. consiste em: - Núcleo do rotor - Enrolamentos do rotor - Anéis de fechamento do rotor - Eixo do rotor
  • 12. NÚCLEO DO ROTOR O núcleo do rotor reforça o campo eletromagnético gerado pelos enrolamentos do rotor. O núcleo do rotor consiste em camadas (laminações) de chapas de aço ajustadas ao eixo do rotor. As laminações possuem fendas de forma a permitir que os enrolamentos do rotor se encaixem com segurança em volta do núcleo.  ENROLAMENTOS DO ROTOR Os enrolamentos do rotor são barras sólidas, geralmente de cobre ou alumínio, sendo curtocircuitadas pelos anéis de fechamento do rotor. Estas barras são fundidas nas fendas dentro do núcleo do rotor formando assim uma gaiola, conforme mostra a Figura 15. Quando a corrente elétrica flui através dos enrolamentos do rotor, é gerado um campo eletromagnético. O campo eletromagnético interage com o campo eletromagnético gerado pelos enrolamentos do estator para produzir energia mecânica.
  • 13. Esta Figura mostra um rotor típico e seus componentes principais estão identificados: núcleo do rotor, enrolamentos do rotor, anéis coletores, e eixo do rotor
  • 14. ANÉIS DE FECHAMENTO Os anéis de fechamento são anéis lisos, que atuam como terminais elétricos. Estes estão localizados em cada extremidade dos condutores do rotor e são feitos do mesmo material dos condutores do rotor aos quais estão conectados. As barras do rotor estão ligadas aos anéis coletores para formar um circuito elétrico fechado. Acorrente elétrica que passa pelo circuito fechado gera o campo eletromagnético do rotor.  EIXO DO ROTOR O eixo do rotor está localizado no centro do rotor e se estende além do núcleo do rotor para fora da carcaça do estator, onde fica apoiado por mancais nas camisas dos mancais. O eixo está conectado à bomba, por exemplo, através de um acoplamento.
  • 15. MANCAIS Um mancal é um dispositivo que fica em uma base de montagem fixa que sustenta o eixo e permite que ele gire. Os mancais evitam que o eixo do motor faça movimentos axiais (movimentos ao longo do eixo) ou radiais (movimentos laterais ao eixo). O eixo gira sobre uma posição fixa.  CARCAÇAS A carcaça é o envoltório que envolve o motor. A carcaça evita a ação do tempo e a penetração de objetos estranhos, assegurando que nada vai atingir e danificar as peças girantes do motor. A carcaça também abriga o sistema de ventilação que resfria o motor durante o funcionamento
  • 16. FUNCIONAMENTO DO MOTOR ELÉTRICO:  Um motor elétrico consiste em um rotor colocado dentro de um estator e apoiado em mancais.
  • 17. MOTORES DE INDUÇÃOTRIFÁSICOS Os motores da linha troncos são motores trifásicos. Um motor trifásico é um motor elétrico que usa corrente alternada trifásica para girar o campo magnético do estator. Eles possuem três conjuntos de enrolamentos equidistantes no estator. A primeira fase da corrente trifásica entra no primeiro conjunto de enrolamentos para criar um campo eletromagnético. Isto faz com que o estator gire conforme mostrado. À medida que a voltagem cai na primeira fase, acumula-se na segunda fase. Esta voltagem cria um campo eletromagnético no segundo conjunto de enrolamentos. O estator gira outros 60 . À medida que a voltagem na segunda fase cai, a voltagem se acumula na terceira fase, criando um campo eletromagnético no terceiro conjunto de enrolamentos. O estator gira outros 60 . À medida que a voltagem cai na terceira fase, à voltagem se acumula novamente na primeira fase. Acorrente alternada inverte a polaridade do campo eletromagnético fazendo com que o ciclo de giros continue.
  • 18. Há três conjuntos de enrolamentos em um estator de corrente trifásica, equidistante s entre si. Os enrolamentos da Figura foram simplificados para dar uma ideia básica de como o estator funciona.
  • 19. Motores de corrente contínua Precisam de uma fonte de corrente contínua, por exemplo um dispositivo que converta a corrente alternada comum em contínua. Podem funcionar com velocidades ajustáveis entre amplos limites e se prestam a controles de grande flexibilidade e precisão. Por isso seu uso é restrito a casos especiais em que estas exigências compensam o custo muito mais alto da instalação, ou no caso da alimentação usada ser contínua, como no caso das pilhas em dispositivos eletrônicos.
  • 20. Motores de corrente alternada São os mais utilizados, porque a distribuição de energia elétrica é feita normalmente em corrente alternada. Seu princípio de funcionamento é baseado no campo girante, que surge quando um sistema de correntes alternadas trifásico é aplicada em pólos defasados fisicamente de 120º. Dessa forma, como as correntes são defasadas 120º elétricos, em cada instante, um par de pólos possui o campo de maior intensidade, cuja associação vetorial possui o mesmo efeito de um campo girante que se desloca ao longo do perímetro do estator e que também varia no tempo.
  • 21. Motor síncrono: Funciona com velocidade constante; utiliza-se de um induzido que possui um campo constante pré- definido e, com isso, aumenta a resposta ao processo de arraste criado pelo campo girante. É geralmente utilizado quando se necessita de velocidades estáveis sob a ação de cargas variáveis. Também pode ser utilizado quando se requer grande potência, com torque constante.
  • 22. Motor de indução: Funciona normalmente com velocidade estável, que varia ligeiramente com a carga mecânica aplicada ao eixo. Devido a sua grande simplicidade, robustez e baixo custo, é o motor mais utilizado de todos, sendo adequado para quase todos os tipos de máquinas acionadas encontradas na prática. Atualmente é possível controlarmos a velocidade dos motores de indução com o auxílio de conversores de frequência.
  • 23. Motor de indução monofásico De modo geral os motores elétricos de indução monofásicos são a alternativa natural aos motores de indução trifásicos. Entre os vários tipos de motores elétricos monofásicos, os motores de indução com rotor tipo gaiola se destacam pela simplicidade de fabricação e, principalmente, pela robustez, confiabilidade e longa vida sem necessidade de manutenção. Os motores monofásicos, por terem somente uma fase de alimentação, não possuem campo girante como os motores trifásicos, e sim um campo magnético pulsante. Isto impede que os mesmos tenham conjugado para a partida, tendo em vista que no rotor se induzem campos magnéticos alinhados com o campo do estator. Para solucionar o problema da partida utilizam-se enrolamentos auxiliares, que são dimensionados e posicionados de forma a criar uma segunda fase fictícia, permitindo a formação do campo girante necessário para a partida.
  • 24. Motor de Indução Trifásico Existem dois tipos de motores trifásicos de indução: com Rotor Bobinado e com Rotor em Gaiola de Esquilo. O princípio de funcionamento é o mesmo para ambos, porém os motores com rotor tipo gaiolas são mais robustos, simples e confiáveis, destacam-se pela longa vida sem necessidade de manutenção. Fim