SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 68
TRANSFORMADORES
UM     TRANSFORMADOR       É    UM
EQUIPAMENTO UTILIZADO PARA REDUÇÃO
E AUMENTO DE TENSÃO
Um transformador consiste de duas ou
mais bobinas acopladas através de um
      campo magnético mútuo.
O Transformador Ideal
• As resistências das bobinas são
  desprezíveis.
• Todo o fluxo está confinado no núcleo
  e se concatena com as bobinas. Isto é,
  não existem fluxos de dispersão.
• A permeabilidade do núcleo é infinita.
  Isto implica em dizer que a força
  magneto     motriz    requerida  para
  estabelecer o fluxo é zero.
O Transformador Real
No transformador real a resistência de
condução      dos    condutores      é
considerada, existem fluxos de
dispersão, a permeabilidade do núcleo
não é infinita e as perdas no núcleo
ocorrem quando o material está
submetido a um fluxo variável no
tempo.
SÃO EQUIPAMENTOS MUITO
IMPORTANTES NA TRANSMISSÃO DA
       ENERGIA ELÉTRICA


COM ELES, PODEMOS TRANSPORTAR
  A MESMA POTÊNCIA COM UMA
CORRENTE MAIS BAIXA, DIMINUINDO
           AS PERDAS
PODEMOS AINDA BAIXAR A TENSÃO
PARA VALORES MAIS SEGUROS PARA
QUE POSSA SER UTILIZADA


    COM ELES, PODEMOS
   TRANSPORTAR A MESMA
POTÊNCIA COM UMA CORRENTE
MENOR, DIMINUINDO AS PERDAS
OS TRANSFORMADORES SÓ
     FUNCIONAM COM
 CORRENTE ALTERNADA

NOS TRANSFORMADORES
   OBSERVAMOS FIOS
 DE ENTRADA E DE SAÍDA
OS FIOS DE ENTRADA : PRIMÁRIO




OS FIOS DE SAÍDA : SECUNDÁRIA
OS TRANSFORMADORES

TRANSFORMAM VALORES

DE TENSÃO E CORRENTE
ELEVAR A TENSÃO

        E

ABAIXAR A CORRENTE
10 A                       5A


 110 V     TRANSFORMADOR    220 V


PRIMÁRIO                   SECUNDÁRIO
ABAIXAR A TENSÃO

       E

ELEVAR A CORRENTE
5A                        10 A


   220 V   TRANSFORMADOR    110 V


PRIMÁRIO                   SECUNDÁRIO
TRANSFORMADOR
 MONOFÁSICO
OS TRANSFORMADORES
   MONOFÁSICOS POSSUEM

• UM NÚCLEO DE FERRO


  • ENROLAMENTOS (PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO)


     • ISOLAMENTO ENTRE OS ENROLAMENTOS
       E NÚCLEO
Enrolamento   Núcleo   Enrolamento
  Primário              Secundário




                        Isolamento
NÚCLEO DE FERRO

Os dois tipios de núcleo mais utilizados
em transformadores monofásicos são:

- NÚCLEO     ENVOLVENTE      EM   ANEL
“CORE”
NÚCLEO DE FERRO
- NÚCLEO ENVOLVIDO “SHELL”
Prim.                 Sec.




ALIMENTANDO A BOBINA PRIMÁRIA COM C.A.,
PRODUZ UM CAMPO MAGNÉTICO ALTERNADO
AS LINHAS DE FORÇA SÃO CONDUZIDAS PELO
NÚCLEO
QUE SUBMETE A BOBINA SECUNDÁRIA A AÇÃO
DESTE CAMPO
Prim.          Sec.




 O CAMPO MAGNÉTICO VARIÁVEL
INDUZ UMA CORRENTE ELÉTRICA
    NA BOBINA SECUNDÁRIA
ELEVADOR DE TENSÃO

  MAIS ESPIRAS NO SECUNDÁRIO
        QUE NO PRIMÁRIO
  PRIMÁRIO           SECUNDÁRIO



V1 = 50 V              V1 = 100 V


    600 Esp           1.200 Esp
ABAIXADOR DE TENSÃO

    MAIS ESPIRAS NO PRIMÁRIO
      QUE NO SECUNDÁRIO
 PRIMÁRIO             SECUNDÁRIO


V1 = 100 V              V1 = 50 V



   1.200 Esp           600 Esp
VERIFICAMOS
VERIFICAMOS

            V1  V1    N1 N
         V1         =      1

     V1         V2    N2
             V2            N1
V1       V2          N2 N1
      V2         NN1
V2            N1   2

     N1   N1 N2
N1
          N2
N2    N2
VERIFICAMOS
                   V1   N1
                      =
                   V2   N2
V1   = Tensão primária

V2   = Tensão secundária

N1   = Número de espiras do primário

N2   = Número de espiras do secundário
EXEMPLO
UM TRAFO COM:


550 Espiras no primário       V1   N1
                                 =
1.100 Espiras no secundário   V2   N2
Tensão no secundário – 110V

Tensão no primário – ?
V1       N1
      =
 V2       V1
          N2       N1
                =
          V2       N2 V1   N1
550 Espiras no primário  =
                      V2   N2
1.100 Espiras no secundário
Tensão no secundário – 110V

Tensão no primário – ? V1
V1   N1                 V1     550
   =                        =
V2   N2                110    1.100
                              550
                               V1
             550       550 1.100
                         110
     550                              V1
550 Espiras no primário 1.100 N1
                          110
    1.100 1.100      1.100                 V1
1.100 Espiras no secundário 110N2
Tensão no secundário – 110V     V2     V1

Tensão no primário –            V1
V1   N1               V1      550
   =              V1 110
                           =
V2   N2           110 1.100
                             1.100 550
                                550
               V1
           V1= 110 x 550 550
V1 x V1 1.100
      1.100
               1.100

V1 x 1.100 = 60.500
     60.500
V1 =
     1.100
V1 =   55      Tensão do primário = 55 V
Relação de Transformação



        N1
     a=
        N2
TRANSFORMADOR TRIFÁSICO


COM TRÊS TRAFOS MONOFÁSICOS



CONSTRUIMOS 1 TRAFO TRIFÁSICO
Aspectos construtivos:
        transformadores trifásicos
Catálogos comerciales

                        Transformadores
                        em banho de óleo
4.3 Aspectos construtivos:
 transformadores trifásicos II
                     Catálogos comerciales




OFAF




                    Transformador
                        seco
Aspectos constructivos:
transformadores trifásicos
                                2500 kVA        1250 kVA
   5000 kVA
                                Banho de óleo   Banho de óleo
   Banho de óleo




                Catálogos comerciales




10 MVA                                          10 MVA
Selado com N2                                   Selado com N2
Aspectos construtivos:
transformadores trifásicos
  Catálogos comerciales
                                                           Seco




                                   Catálogos comerciales


                            Cortes de transformadores em
                  Em óleo           óleo e secos
Classes de Proteção
É importante salientar que, além das
características elétricas, os transformadores
devem ser projetados ou escolhidos de
acordo com uma classe de proteção.

GRAU DE PROTEÇÃO (IP)
A norma NBR 6146 define os graus de
proteção dos equipamentos elétricos por
meio de letras características IP seguidos
por dois algarismos
Classes de Proteção
1º) algarismo : indica o grau de proteção contra penetração de
corpos sólidos estranhos e contato acidental :

0 – sem proteção;
1 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 50
mm;
2 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 12
mm;
4 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 1
mm;
5 – proteção contra o acúmulo de poeiras prejudicial ao
equipamento;
6 – proteção total contra a poeira.
Classes de Proteção
2º) algarismo : indica o grau de proteção
contra penetração de água no interior do
equipamento:

0 – sem proteção;
1 – pingos d’água na vertical;
2 – pingos d’água até a inclinação de 15º com a
vertical;
3 – água da chuva até a inclinação de 60º com
a vertical;
4 – respingos d’água de todas as direções;
5 – jatos d’água de todas as direções;
6 – água de vagalhões.
Transf. trifásicos
                                           A soma dos três fluxos é zero:
  3 transformadores                        podem unir-se as três colunas
  monofásicos       ϕ2                         numa coluna central
                 ϕ1                                               ϕ2
 Enrolamento                                      ϕ1
com N2 espiras
                         ϕ3                                          ϕ3
        Isolamento
                                                         ϕ =0
 Enrolamento
com N1 espiras
                          ϕ1            ϕ2         ϕ3
  Eliminando a coluna                                        Pode suprimir-
    central poupa-se                                              se
   material e peso do                                          a coluna
     transformador                                              central

                              Estrutura básica de um
                              transformador trifásico
Ligações em transformadores
R     S    T  trifásicos I
                                      R                                                       R’


                                           N1                                           N2
    N1            N1            N1    N                                                       N’
                                                               N1   N2

    N2            N2            N2         N1                                           N2
                                      S                                                      S’
                                      T                                                      T’

                                            Liação estrela – estrela: Y
R         S                 T
    R’            S’            T´
                        N             R                                                      R’



    N1            N1            N1
                                                N1        N1             N2        N2
              T
                                                     N1                       N2

                                      S                                                      S’
    N2            N2            N2    T                                                      T’
                                          Ligação triângulo – triângulo: ∆


     R’            S’            T´
Ligações em transformadores
             trifásicos
R        S        T
                           R
                                                                    R’

                                 N1
                           N
                                                     N2        N2
                                           N1
                                                          N2

                                 N1                                 S’
                           S
                           T                                        T’

                               Ligação estrela – triângulo: Y∆


    R’       S’       T´
OBSERVEM AS LIGAÇÕES

F1                     F1


                       F2
F2


                       F3
F3
JUNTANDO OS TRÊS

F1                      F1


                        F2
F2


                        F3
F3
JUNTANDO OS TRÊS
     TEMOS UM TRIFÁSICO
F1                        F1

                          F2
F2


                          F3
F3
NA DISTRIBUIÇÃO SÃO LIGADOS

             F1                 F1
PRIMÁRIO
             F2
TRIÂNGULO                       F2

SECUNDÁRIO   F3
                                F3
ESTRELA
Autotransformadores
                                      Se utilizan cuando se necesita una relación
                                      Se utilizan cuando se necesita una relación
                                      de transformación de 1,25 a 2. En ese caso
                                           SÍMBOLOS
                                       de transformación de 1,25 a 2. En ese caso
                                      son más rentables que los transformadores
                                      son más rentables que los transformadores
           Ponto do enrolamento que
      N1           está a V2 volts
V1                                     VANTAGENS
                                           Economia de conductor: uilizam-se menos
                                           N2 espiras.
     V2               N2        V2
                                           Circuito magnético (janela) de menores
                                           dimensões.
                                           Diminuição de perdas eléctricas e
                                           magnéticas.
                 Prescind                  Melhor refrigeração (cuva mais pequena).
                 indo de                   Menor fluxo de dispersão e corrente em
           Ponto do enrolamento que        vazio. (Menor ucc).
      N1         Nestáe V volts
                    2
                        a   2

V1                                     INCONVENIENTES
                 ligando                   Perda do isolamento galvânico.
                 directam
                       V2                  Maior corrente de curto-circuito (Menor
                        AUTOTRANS
                 ente   FORMADOR
                                           ucc).
                                           Necessárias mais protecções.
Autotransformadores

                                VARIAC:
AUTOTRANS                       AUTOTRANS
FORMADOR                        FORMADOR
SECO DE BT                      REGULÁVEL
               Catálogos comerciaIs




                                            VARIAC COM
                                            INSTRUMENTOS
                                            DE MEDIDA

  AUTOTRANS
  FORMADOR
  SECO DE BT
TRANSFORMADOR DE POTENCIAL (TP)

           FUNÇÃO
  REDUZIR A TENSÃO A VALORES
      CONVENIENTES PARA

   • MEDIÇÃO
   • PROTEÇÃO
LIGAÇÃO
                           TP

               V = 100 V    RTP = 120
PARALELO COM
  O CIRCUITO

                  v
A LEITURA DO VOLTÍMETRO
   DEVERÁ SER MULTIPLICADA
   PELA RELAÇÃO DO TP (RTP)


V = 100 V   RTP = 120
       V = 100 V RTP = 120
                    V = 100 V   RTP = 120
PRIMÁRIO
             PRIMÁRIO




SECUNDÁRIO
SECUNDÁRIO
V = 100 X 120       12.000 V
                     12.000 V




LIGAÇÃO
                             TP

                 V = 100 V    RTP = 120
PARALELO COM
  O CIRCUITO

                    v
TRANSFORMADOR DE CORRENTE (TC)

           FUNÇÃO
 REDUZIR A CORRENTE A VALORES
      CONVENIENTES PARA

   • MEDIÇÃO
   • PROTEÇÃO
EXEMPLO DE TC

ALICATE VOLT-AMPERÍMETRO

• O PRIMÁRIO É O PRÓPRIO
  CONDUTOR

• O SECUNDÁRIO ESTÁ ENROLADO EM
  TORNO DA GARRA
LIGAÇÃO                         TC
                                RTC = 40
 SÉRIE COM               I=5A
O CONDUTOR


O SECUNDÁRIO DO TC
SEMPRE DEVERÁ
                          A
ESTAR CURTO-CIRCUITADO
A LEITURA DO AMPERÍMETRO
DEVERÁ SER MULTIPLICADA
 PELA RELAÇÃO DO TC (RTC)


I=5A    RTC = 40
       I = 5 A RTC = 40
                   I = 200 A   RTC = 40
PRIMÁRIO
             PRIMÁRIO




SECUNDÁRIO
SECUNDÁRIO
PRIMÁRIO
             PRIMÁRIO




SECUNDÁRIO
SECUNDÁRIO
Transformadores de
                  corrente
                              © M. F. Cabanas: Técnicas para el mantenimiento y
                                diagnóstico de máquinas eléctricas rotativas



                                                                                            Pinça
                                                                                           amperi-
                                                                                           métrica
                                                                                           1 – 10 –
                                                                                            100 A
                                                                                      © M. F. Cabanas:
                                                                                      Técnicas para el
                                                                                      mantenimiento y
                                                                                  diagnóstico de máquinas
                                                                                     eléctricas rotativas
  Núcleos magnéticos para
transformadores de corrente



                         Transformador de
                          corrente 1250A                                 Transformadores de
                                                                            corrente 100 A
EXERCICIO
Transformadores
Transformadores

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ce aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina ccCe aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina cc
Igor Fortal
 
eletrônica de potência
eletrônica de potênciaeletrônica de potência
eletrônica de potência
John Kennedy
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
fisicaatual
 

Mais procurados (20)

Ce aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina ccCe aula 05 máquina cc
Ce aula 05 máquina cc
 
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardoEletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo
 
Aula 3 corrente contínua e corrente alternada
Aula 3 corrente contínua e corrente alternadaAula 3 corrente contínua e corrente alternada
Aula 3 corrente contínua e corrente alternada
 
eletrônica de potência
eletrônica de potênciaeletrônica de potência
eletrônica de potência
 
inversor de frequencia
inversor de frequenciainversor de frequencia
inversor de frequencia
 
Principios de Eletronica
Principios de EletronicaPrincipios de Eletronica
Principios de Eletronica
 
Máquina indução
Máquina induçãoMáquina indução
Máquina indução
 
Motores cc
Motores ccMotores cc
Motores cc
 
Eletrica.ppt 2
Eletrica.ppt 2Eletrica.ppt 2
Eletrica.ppt 2
 
Transformadores
Transformadores Transformadores
Transformadores
 
Diodo
DiodoDiodo
Diodo
 
Motores de inducao
Motores de inducaoMotores de inducao
Motores de inducao
 
Aula 2 eletrônica industrial
Aula 2 eletrônica industrialAula 2 eletrônica industrial
Aula 2 eletrônica industrial
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Primeira lei de ohm
Primeira lei de ohmPrimeira lei de ohm
Primeira lei de ohm
 
Dispositivos Utilizados em Comandos Elétricos
Dispositivos Utilizados em Comandos ElétricosDispositivos Utilizados em Comandos Elétricos
Dispositivos Utilizados em Comandos Elétricos
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaica
 
Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1
 
Elementos de subestação
Elementos de subestaçãoElementos de subestação
Elementos de subestação
 
Comandos elétricos 2002
Comandos elétricos 2002Comandos elétricos 2002
Comandos elétricos 2002
 

Semelhante a Transformadores

Semelhante a Transformadores (20)

Transformadores
Transformadores  Transformadores
Transformadores
 
5_Transformadores_Parte01.ppt
5_Transformadores_Parte01.ppt5_Transformadores_Parte01.ppt
5_Transformadores_Parte01.ppt
 
Transformadores
TransformadoresTransformadores
Transformadores
 
60 transformadores cap6
60 transformadores cap660 transformadores cap6
60 transformadores cap6
 
Transformadores teori pratica_dicas
Transformadores teori pratica_dicasTransformadores teori pratica_dicas
Transformadores teori pratica_dicas
 
Ins rel wheath_stone.v2
Ins rel wheath_stone.v2Ins rel wheath_stone.v2
Ins rel wheath_stone.v2
 
AULA 8 TRAFOS.pptx
AULA 8 TRAFOS.pptxAULA 8 TRAFOS.pptx
AULA 8 TRAFOS.pptx
 
Bifalc
BifalcBifalc
Bifalc
 
Aula08_Transformadores_Parte02.pptx
Aula08_Transformadores_Parte02.pptxAula08_Transformadores_Parte02.pptx
Aula08_Transformadores_Parte02.pptx
 
Treinamento_TCs.ppt
Treinamento_TCs.pptTreinamento_TCs.ppt
Treinamento_TCs.ppt
 
Corrente alternada
Corrente alternadaCorrente alternada
Corrente alternada
 
Curso de comandos elétricos
Curso de comandos elétricosCurso de comandos elétricos
Curso de comandos elétricos
 
Ci rel 555
Ci rel 555Ci rel 555
Ci rel 555
 
Lista geral 1 - n2
Lista geral 1 - n2Lista geral 1 - n2
Lista geral 1 - n2
 
Transformadores - Proteção de Equipamentos e Sistemas Elétricos.
Transformadores - Proteção de Equipamentos e Sistemas Elétricos.Transformadores - Proteção de Equipamentos e Sistemas Elétricos.
Transformadores - Proteção de Equipamentos e Sistemas Elétricos.
 
Transformadores 1
Transformadores 1Transformadores 1
Transformadores 1
 
Resumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 vResumo stilo 2.4 16 v
Resumo stilo 2.4 16 v
 
13 análise nodal em cc
13 análise nodal em cc13 análise nodal em cc
13 análise nodal em cc
 
3 - Diodo Zener.ppt
3 - Diodo Zener.ppt3 - Diodo Zener.ppt
3 - Diodo Zener.ppt
 
Exercicios de bjt
Exercicios de bjtExercicios de bjt
Exercicios de bjt
 

Transformadores

  • 2. UM TRANSFORMADOR É UM EQUIPAMENTO UTILIZADO PARA REDUÇÃO E AUMENTO DE TENSÃO
  • 3. Um transformador consiste de duas ou mais bobinas acopladas através de um campo magnético mútuo.
  • 4. O Transformador Ideal • As resistências das bobinas são desprezíveis. • Todo o fluxo está confinado no núcleo e se concatena com as bobinas. Isto é, não existem fluxos de dispersão. • A permeabilidade do núcleo é infinita. Isto implica em dizer que a força magneto motriz requerida para estabelecer o fluxo é zero.
  • 5. O Transformador Real No transformador real a resistência de condução dos condutores é considerada, existem fluxos de dispersão, a permeabilidade do núcleo não é infinita e as perdas no núcleo ocorrem quando o material está submetido a um fluxo variável no tempo.
  • 6.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. SÃO EQUIPAMENTOS MUITO IMPORTANTES NA TRANSMISSÃO DA ENERGIA ELÉTRICA COM ELES, PODEMOS TRANSPORTAR A MESMA POTÊNCIA COM UMA CORRENTE MAIS BAIXA, DIMINUINDO AS PERDAS
  • 12. PODEMOS AINDA BAIXAR A TENSÃO PARA VALORES MAIS SEGUROS PARA QUE POSSA SER UTILIZADA COM ELES, PODEMOS TRANSPORTAR A MESMA POTÊNCIA COM UMA CORRENTE MENOR, DIMINUINDO AS PERDAS
  • 13. OS TRANSFORMADORES SÓ FUNCIONAM COM CORRENTE ALTERNADA NOS TRANSFORMADORES OBSERVAMOS FIOS DE ENTRADA E DE SAÍDA
  • 14. OS FIOS DE ENTRADA : PRIMÁRIO OS FIOS DE SAÍDA : SECUNDÁRIA
  • 16. ELEVAR A TENSÃO E ABAIXAR A CORRENTE
  • 17. 10 A 5A 110 V TRANSFORMADOR 220 V PRIMÁRIO SECUNDÁRIO
  • 18. ABAIXAR A TENSÃO E ELEVAR A CORRENTE
  • 19. 5A 10 A 220 V TRANSFORMADOR 110 V PRIMÁRIO SECUNDÁRIO
  • 21. OS TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS POSSUEM • UM NÚCLEO DE FERRO • ENROLAMENTOS (PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO) • ISOLAMENTO ENTRE OS ENROLAMENTOS E NÚCLEO
  • 22. Enrolamento Núcleo Enrolamento Primário Secundário Isolamento
  • 23. NÚCLEO DE FERRO Os dois tipios de núcleo mais utilizados em transformadores monofásicos são: - NÚCLEO ENVOLVENTE EM ANEL “CORE”
  • 24. NÚCLEO DE FERRO - NÚCLEO ENVOLVIDO “SHELL”
  • 25. Prim. Sec. ALIMENTANDO A BOBINA PRIMÁRIA COM C.A., PRODUZ UM CAMPO MAGNÉTICO ALTERNADO AS LINHAS DE FORÇA SÃO CONDUZIDAS PELO NÚCLEO QUE SUBMETE A BOBINA SECUNDÁRIA A AÇÃO DESTE CAMPO
  • 26. Prim. Sec. O CAMPO MAGNÉTICO VARIÁVEL INDUZ UMA CORRENTE ELÉTRICA NA BOBINA SECUNDÁRIA
  • 27. ELEVADOR DE TENSÃO MAIS ESPIRAS NO SECUNDÁRIO QUE NO PRIMÁRIO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO V1 = 50 V V1 = 100 V 600 Esp 1.200 Esp
  • 28. ABAIXADOR DE TENSÃO MAIS ESPIRAS NO PRIMÁRIO QUE NO SECUNDÁRIO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO V1 = 100 V V1 = 50 V 1.200 Esp 600 Esp
  • 30. VERIFICAMOS V1 V1 N1 N V1 = 1 V1 V2 N2 V2 N1 V1 V2 N2 N1 V2 NN1 V2 N1 2 N1 N1 N2 N1 N2 N2 N2
  • 31. VERIFICAMOS V1 N1 = V2 N2 V1 = Tensão primária V2 = Tensão secundária N1 = Número de espiras do primário N2 = Número de espiras do secundário
  • 32. EXEMPLO UM TRAFO COM: 550 Espiras no primário V1 N1 = 1.100 Espiras no secundário V2 N2 Tensão no secundário – 110V Tensão no primário – ?
  • 33. V1 N1 = V2 V1 N2 N1 = V2 N2 V1 N1 550 Espiras no primário = V2 N2 1.100 Espiras no secundário Tensão no secundário – 110V Tensão no primário – ? V1
  • 34. V1 N1 V1 550 = = V2 N2 110 1.100 550 V1 550 550 1.100 110 550 V1 550 Espiras no primário 1.100 N1 110 1.100 1.100 1.100 V1 1.100 Espiras no secundário 110N2 Tensão no secundário – 110V V2 V1 Tensão no primário – V1
  • 35. V1 N1 V1 550 = V1 110 = V2 N2 110 1.100 1.100 550 550 V1 V1= 110 x 550 550 V1 x V1 1.100 1.100 1.100 V1 x 1.100 = 60.500 60.500 V1 = 1.100 V1 = 55 Tensão do primário = 55 V
  • 37. TRANSFORMADOR TRIFÁSICO COM TRÊS TRAFOS MONOFÁSICOS CONSTRUIMOS 1 TRAFO TRIFÁSICO
  • 38. Aspectos construtivos: transformadores trifásicos Catálogos comerciales Transformadores em banho de óleo
  • 39. 4.3 Aspectos construtivos: transformadores trifásicos II Catálogos comerciales OFAF Transformador seco
  • 40. Aspectos constructivos: transformadores trifásicos 2500 kVA 1250 kVA 5000 kVA Banho de óleo Banho de óleo Banho de óleo Catálogos comerciales 10 MVA 10 MVA Selado com N2 Selado com N2
  • 41. Aspectos construtivos: transformadores trifásicos Catálogos comerciales Seco Catálogos comerciales Cortes de transformadores em Em óleo óleo e secos
  • 42. Classes de Proteção É importante salientar que, além das características elétricas, os transformadores devem ser projetados ou escolhidos de acordo com uma classe de proteção. GRAU DE PROTEÇÃO (IP) A norma NBR 6146 define os graus de proteção dos equipamentos elétricos por meio de letras características IP seguidos por dois algarismos
  • 43. Classes de Proteção 1º) algarismo : indica o grau de proteção contra penetração de corpos sólidos estranhos e contato acidental : 0 – sem proteção; 1 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 50 mm; 2 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 12 mm; 4 – proteção contra corpos estranhos de dimensões acima de 1 mm; 5 – proteção contra o acúmulo de poeiras prejudicial ao equipamento; 6 – proteção total contra a poeira.
  • 44. Classes de Proteção 2º) algarismo : indica o grau de proteção contra penetração de água no interior do equipamento: 0 – sem proteção; 1 – pingos d’água na vertical; 2 – pingos d’água até a inclinação de 15º com a vertical; 3 – água da chuva até a inclinação de 60º com a vertical; 4 – respingos d’água de todas as direções; 5 – jatos d’água de todas as direções; 6 – água de vagalhões.
  • 45. Transf. trifásicos A soma dos três fluxos é zero: 3 transformadores podem unir-se as três colunas monofásicos ϕ2 numa coluna central ϕ1 ϕ2 Enrolamento ϕ1 com N2 espiras ϕ3 ϕ3 Isolamento ϕ =0 Enrolamento com N1 espiras ϕ1 ϕ2 ϕ3 Eliminando a coluna Pode suprimir- central poupa-se se material e peso do a coluna transformador central Estrutura básica de um transformador trifásico
  • 46. Ligações em transformadores R S T trifásicos I R R’ N1 N2 N1 N1 N1 N N’ N1 N2 N2 N2 N2 N1 N2 S S’ T T’ Liação estrela – estrela: Y R S T R’ S’ T´ N R R’ N1 N1 N1 N1 N1 N2 N2 T N1 N2 S S’ N2 N2 N2 T T’ Ligação triângulo – triângulo: ∆ R’ S’ T´
  • 47. Ligações em transformadores trifásicos R S T R R’ N1 N N2 N2 N1 N2 N1 S’ S T T’ Ligação estrela – triângulo: Y∆ R’ S’ T´
  • 48. OBSERVEM AS LIGAÇÕES F1 F1 F2 F2 F3 F3
  • 49. JUNTANDO OS TRÊS F1 F1 F2 F2 F3 F3
  • 50. JUNTANDO OS TRÊS TEMOS UM TRIFÁSICO F1 F1 F2 F2 F3 F3
  • 51. NA DISTRIBUIÇÃO SÃO LIGADOS F1 F1 PRIMÁRIO F2 TRIÂNGULO F2 SECUNDÁRIO F3 F3 ESTRELA
  • 52. Autotransformadores Se utilizan cuando se necesita una relación Se utilizan cuando se necesita una relación de transformación de 1,25 a 2. En ese caso SÍMBOLOS de transformación de 1,25 a 2. En ese caso son más rentables que los transformadores son más rentables que los transformadores Ponto do enrolamento que N1 está a V2 volts V1 VANTAGENS Economia de conductor: uilizam-se menos N2 espiras. V2 N2 V2 Circuito magnético (janela) de menores dimensões. Diminuição de perdas eléctricas e magnéticas. Prescind Melhor refrigeração (cuva mais pequena). indo de Menor fluxo de dispersão e corrente em Ponto do enrolamento que vazio. (Menor ucc). N1 Nestáe V volts 2 a 2 V1 INCONVENIENTES ligando Perda do isolamento galvânico. directam V2 Maior corrente de curto-circuito (Menor AUTOTRANS ente FORMADOR ucc). Necessárias mais protecções.
  • 53. Autotransformadores VARIAC: AUTOTRANS AUTOTRANS FORMADOR FORMADOR SECO DE BT REGULÁVEL Catálogos comerciaIs VARIAC COM INSTRUMENTOS DE MEDIDA AUTOTRANS FORMADOR SECO DE BT
  • 54. TRANSFORMADOR DE POTENCIAL (TP) FUNÇÃO REDUZIR A TENSÃO A VALORES CONVENIENTES PARA • MEDIÇÃO • PROTEÇÃO
  • 55. LIGAÇÃO TP V = 100 V RTP = 120 PARALELO COM O CIRCUITO v
  • 56. A LEITURA DO VOLTÍMETRO DEVERÁ SER MULTIPLICADA PELA RELAÇÃO DO TP (RTP) V = 100 V RTP = 120 V = 100 V RTP = 120 V = 100 V RTP = 120
  • 57. PRIMÁRIO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO SECUNDÁRIO
  • 58. V = 100 X 120 12.000 V 12.000 V LIGAÇÃO TP V = 100 V RTP = 120 PARALELO COM O CIRCUITO v
  • 59. TRANSFORMADOR DE CORRENTE (TC) FUNÇÃO REDUZIR A CORRENTE A VALORES CONVENIENTES PARA • MEDIÇÃO • PROTEÇÃO
  • 60. EXEMPLO DE TC ALICATE VOLT-AMPERÍMETRO • O PRIMÁRIO É O PRÓPRIO CONDUTOR • O SECUNDÁRIO ESTÁ ENROLADO EM TORNO DA GARRA
  • 61. LIGAÇÃO TC RTC = 40 SÉRIE COM I=5A O CONDUTOR O SECUNDÁRIO DO TC SEMPRE DEVERÁ A ESTAR CURTO-CIRCUITADO
  • 62. A LEITURA DO AMPERÍMETRO DEVERÁ SER MULTIPLICADA PELA RELAÇÃO DO TC (RTC) I=5A RTC = 40 I = 5 A RTC = 40 I = 200 A RTC = 40
  • 63. PRIMÁRIO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO SECUNDÁRIO
  • 64. PRIMÁRIO PRIMÁRIO SECUNDÁRIO SECUNDÁRIO
  • 65. Transformadores de corrente © M. F. Cabanas: Técnicas para el mantenimiento y diagnóstico de máquinas eléctricas rotativas Pinça amperi- métrica 1 – 10 – 100 A © M. F. Cabanas: Técnicas para el mantenimiento y diagnóstico de máquinas eléctricas rotativas Núcleos magnéticos para transformadores de corrente Transformador de corrente 1250A Transformadores de corrente 100 A