SlideShare uma empresa Scribd logo
Reino Monera
Bactérias e
cianobactérias
Características
• Procariontes (sem carioteca)
• Unicelulares
• Célula formada pelos quatro componentes
fundamentais a qualquer célula: hialoplasma,
ribossomos, cromatina (DNA) e membrana
plasmática.
• Além do DNA cromossômico, a maioria das
bactérias apresentam plasmídeos (material genético
em forma de círculo) espalhados pelo hialoplasma.
• Cianobactérias contém pigmentos fotossintetizantes
(clorofila)  NÃO contém cloroplastos.
Célula bacteriana
Fímbrias
Cápsula
Parede celular
Plasmídeos
DNA associado
ao mesossomo
Nucleóide
Flagelo
Enzimas relacionadas
com a respiração,
ligadas à face
interna da membrana
plasmática
Mesossomo
Citoplasma
Ribossomos
Membrana plasmática
Morfologia da célula
 Cocos: bactérias esféricas.
Pneumococcus Meningococcus
Streptococcus
Morfologia da célula
 Bacilos: bactérias alongadas.
Bacilo de Koch
(Tuberculose)
Bacillus anthracis
(Antrax)
Morfologia da célula
 Espirilos: bactérias espiraladas.
Treponema pallidum
(Sífilis)
Morfologia da célula
 Vibriões: bactérias em forma de “vírgula”.
Helycobacter pylori
(Úlcera estomacal)
Vibrio cholerae
(Cólera)
Reprodução das
bactérias: Bipartição
Duplicação do DNA
Separação das células
Parede celular
Membrana
plasmática
Molécula de DNA
Conjugação
Transformação
Célula bacteriana
Lise celular Quebra
do DNA
Fragmentos de
DNA doador
Célula bacteriana
Fragmentos de DNA
ligam-se à superfície
da célula receptora.
O fragmento de DNA é
incorporado à célula receptora.
O fragmento de DNA é integrado
ao cromossomo da célula receptora.
Célula transformada
Molécula de DNA circular
Transdução
Fago
O DNA de
um fago penetra
na célula de
uma bactéria.
O DNA do fago
integra-se ao DNA
da bactéria como
um profago.
Quando o profago inicia o ciclo
lítico, o DNA da bactéria é
degradado e novos fagos podem
conter algum trecho do DNA
da bactéria.
A célula
bacteriana se
rompe e libera
muitos fagos,
que
podem infectar
outras células.
O fago infecta
nova bactéria.
Genes de outra bactéria
são introduzidos e
integrados ao DNA
da bactéria hospedeira.
DNA do fago
com genes da
bactéria
Esporulação
 Algumas bactérias têm a capacidade de se transformarem em esporos
(endósporos) em condições ambientais desfavoráveis.
Podem permanecer assim por anos.
FOTOSSÍNTESE BACTERIANA
SOL
CO2+H2S ---------------- C→ 6H12O6+H2O+S2
BACTERIOCLOROFILA
H2S = ácido sulfídrico e o S2 = gás enxofre
FOTOSSÍNTESE “NORMAL”
(REALIZADA PELAS ALGAS E PELAS PLANTAS):
SOL
CO2+H2O ---------------- C→ 6H12O6+H2O+O2
CLOROFILA
Importância das bactérias
Saprófitas
Parasitas
Indústria alimentícia e
farmacêutica
Importância das bactérias
Simbiontes
• No interior do intestino humano
encontra-se uma flora bacteriana
que nos auxilia na síntese de
vitamina K e do complexo B.
Cerca de 70% do peso seco das
fezes humanas é constituído por
esporos de bactérias.
• Em cada grama de solo cultivável
existem de 100.000.000 a
2.500.000.000 bactérias vivas.
• Fixação do nitrogênio
atmosférico
As cianobactérias podem ser encontradas na água doce, salgada ou
salobra, no solo úmido, sobre a casca de árvores, rochas ou até mesmo
em fontes termais com temperatura superior a 80ºC!
Nutrição (fotossíntese)
6 CO2
+ 12 H2
0 + energia da luz -> C6
H12
O6
+ 6 O2
- Como são organismos fotossintetizantes, contribuem para a
reposição de gás O2 na atmosfera;
- Algumas cianobactérias também
podem fazer a fixação do gás nitrogênio
atmosférico, contribuindo no ciclo
deste gás.
Os heterocistos são células especializadas para a fixação de nitrogênio.
Reprodução
Na assexuada, por bipartição ou cissiparidade. As colônias filamentosas de
algas podem reproduzir-se assexuadamente por um processo chamado de
hormogonia: pequenos fragmentos da colônia se separam, formando
novos filamentos coloniais. Em condições desfavoráveis as cianofíceas
formam os acinetos, semelhantes aos esporos das bactérias.
Tem extraordinária capacidade de adaptação aos mais diversos tipos de
ambientes, por isso constituem-se em excelentes colonizadores (pioneiras
na sucessão ecológica) e indicadores de poluição.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
jfquirino
 
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Pedro Souza
 
Fungos
FungosFungos
Origem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
Origem, evolução e filogenia de Chordata e CraniataOrigem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
Origem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
Guellity Marcel
 
Histórico das escolas biogeográficas
Histórico das escolas biogeográficasHistórico das escolas biogeográficas
Histórico das escolas biogeográficas
edu_bessa
 
Citologiabacteriana
CitologiabacterianaCitologiabacteriana
Citologiabacteriana
Lucas Almeida Sá
 
Introdmicolmarise1
Introdmicolmarise1Introdmicolmarise1
Introdmicolmarise1
Insituto Dom Barreto
 
Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
Matheus Bringel
 
Filo Mollusca - Moluscos
Filo Mollusca - MoluscosFilo Mollusca - Moluscos
Filo Mollusca - Moluscos
Carla Brígida
 
Classificação dos metazoa
Classificação dos metazoaClassificação dos metazoa
Classificação dos metazoa
Colégios particulares
 
Reino Monera Para Anglo
Reino Monera Para AngloReino Monera Para Anglo
Reino Monera Para Anglo
guest8fc71c
 
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
Felipe Haeberlin
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
emanuel
 
Aula 8 Trematódios
Aula 8 TrematódiosAula 8 Trematódios
Aula 8 Trematódios
Adila Trubat
 
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Jézili Dias
 
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetosEntomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
beto1956
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
emanuel
 
Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
Leonardo Ribeiro
 
Genética
GenéticaGenética
Introdução à micologia
Introdução à micologiaIntrodução à micologia
Introdução à micologia
João Monteiro
 

Mais procurados (20)

Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
Doencascausadasfungosmicose 121127093347-phpapp01
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Origem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
Origem, evolução e filogenia de Chordata e CraniataOrigem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
Origem, evolução e filogenia de Chordata e Craniata
 
Histórico das escolas biogeográficas
Histórico das escolas biogeográficasHistórico das escolas biogeográficas
Histórico das escolas biogeográficas
 
Citologiabacteriana
CitologiabacterianaCitologiabacteriana
Citologiabacteriana
 
Introdmicolmarise1
Introdmicolmarise1Introdmicolmarise1
Introdmicolmarise1
 
Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
 
Filo Mollusca - Moluscos
Filo Mollusca - MoluscosFilo Mollusca - Moluscos
Filo Mollusca - Moluscos
 
Classificação dos metazoa
Classificação dos metazoaClassificação dos metazoa
Classificação dos metazoa
 
Reino Monera Para Anglo
Reino Monera Para AngloReino Monera Para Anglo
Reino Monera Para Anglo
 
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
Evolução: seleção natural, Irradiação Adaptativa, Evolução Convergente e Coev...
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Aula 8 Trematódios
Aula 8 TrematódiosAula 8 Trematódios
Aula 8 Trematódios
 
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivosBiologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
Biologia Evolutiva - a origem dos seres vivos
 
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetosEntomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
Entomologia florestal, introducao geral ao estudo dos insetos
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Anfíbios
AnfíbiosAnfíbios
Anfíbios
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Introdução à micologia
Introdução à micologiaIntrodução à micologia
Introdução à micologia
 

Semelhante a Monera

Monera
MoneraMonera
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
biohorrores
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
NAPNE
 
Aula citoplasma
Aula citoplasmaAula citoplasma
Aula citoplasma
Marcia Bantim
 
Aula 2 e 3.pdf
Aula 2 e 3.pdfAula 2 e 3.pdf
Aula 2 e 3.pdf
BelaFortes2
 
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETCAULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
EmiliaCassia2
 
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptxAULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
IsabellaMacedo19
 
Semi virus, monera fungi e protista
Semi   virus, monera fungi e protistaSemi   virus, monera fungi e protista
Semi virus, monera fungi e protista
Marcos Albuquerque
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
Nati2011Ferrazza
 
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptxBruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
BrunaFerreira517808
 
79154 20090622032333
79154 2009062203233379154 20090622032333
79154 20090622032333
Nickolas Ramon
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
paula aragao
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
Aline Silva
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
LORRANE BRANDÃO
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
Iuri Fretta Wiggers
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
Elen Cristina
 
Memorex Biologia 1.1
Memorex Biologia  1.1Memorex Biologia  1.1
Memorex Biologia 1.1
Alice MLK
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Hamilton Nobrega
 
A5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célulaA5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célula
Simone Costa
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
Larissa Fabris
 

Semelhante a Monera (20)

Monera
MoneraMonera
Monera
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
Reino Monera (Arqueas e Bactérias)
 
Aula citoplasma
Aula citoplasmaAula citoplasma
Aula citoplasma
 
Aula 2 e 3.pdf
Aula 2 e 3.pdfAula 2 e 3.pdf
Aula 2 e 3.pdf
 
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETCAULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
AULA SOBRE FUNGOS CONCEITO CARACTERÍSTICAS BÁSICAS ETC
 
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptxAULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
AULA 02 BACTERIOLOGIA. (1).pptx
 
Semi virus, monera fungi e protista
Semi   virus, monera fungi e protistaSemi   virus, monera fungi e protista
Semi virus, monera fungi e protista
 
Reino Monera
Reino MoneraReino Monera
Reino Monera
 
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptxBruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
Bruna Eduarda Silva Ferreira - Reino Monera.pptx
 
79154 20090622032333
79154 2009062203233379154 20090622032333
79154 20090622032333
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Microbiologia de Alimentos
Microbiologia de AlimentosMicrobiologia de Alimentos
Microbiologia de Alimentos
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
 
Memorex Biologia 1.1
Memorex Biologia  1.1Memorex Biologia  1.1
Memorex Biologia 1.1
 
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidadeAula  Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
Aula Bactérias - estrutura - morfologia e patogenicidade
 
A5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célulaA5 introdução citológica.célula
A5 introdução citológica.célula
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
 

Mais de Colégios particulares

Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
Colégios particulares
 
Histologia animal
Histologia animalHistologia animal
Histologia animal
Colégios particulares
 
Virus
VirusVirus
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormoniosFisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
Colégios particulares
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Fisiologia comparada
Fisiologia comparadaFisiologia comparada
Fisiologia comparada
Colégios particulares
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
Colégios particulares
 
Organologia vegetal
Organologia vegetalOrganologia vegetal
Organologia vegetal
Colégios particulares
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
Colégios particulares
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
Colégios particulares
 
Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
Colégios particulares
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Colégios particulares
 
Reproducao plantas
Reproducao   plantasReproducao   plantas
Reproducao plantas
Colégios particulares
 
Sistema respiratorio
Sistema respiratorioSistema respiratorio
Sistema respiratorio
Colégios particulares
 
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
Colégios particulares
 
Esqueleto
EsqueletoEsqueleto
Cordados
CordadosCordados
Artropodes e equinodermos
Artropodes e equinodermosArtropodes e equinodermos
Artropodes e equinodermos
Colégios particulares
 

Mais de Colégios particulares (20)

Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
Histologia animal
Histologia animalHistologia animal
Histologia animal
 
Virus
VirusVirus
Virus
 
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormoniosFisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Fisiologia comparada
Fisiologia comparadaFisiologia comparada
Fisiologia comparada
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Organologia vegetal
Organologia vegetalOrganologia vegetal
Organologia vegetal
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Reproducao plantas
Reproducao   plantasReproducao   plantas
Reproducao plantas
 
Sistema respiratorio
Sistema respiratorioSistema respiratorio
Sistema respiratorio
 
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
 
Esqueleto
EsqueletoEsqueleto
Esqueleto
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 
Artropodes e equinodermos
Artropodes e equinodermosArtropodes e equinodermos
Artropodes e equinodermos
 

Último

759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 

Último (20)

759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 

Monera

  • 2. Características • Procariontes (sem carioteca) • Unicelulares • Célula formada pelos quatro componentes fundamentais a qualquer célula: hialoplasma, ribossomos, cromatina (DNA) e membrana plasmática. • Além do DNA cromossômico, a maioria das bactérias apresentam plasmídeos (material genético em forma de círculo) espalhados pelo hialoplasma. • Cianobactérias contém pigmentos fotossintetizantes (clorofila)  NÃO contém cloroplastos.
  • 3. Célula bacteriana Fímbrias Cápsula Parede celular Plasmídeos DNA associado ao mesossomo Nucleóide Flagelo Enzimas relacionadas com a respiração, ligadas à face interna da membrana plasmática Mesossomo Citoplasma Ribossomos Membrana plasmática
  • 4. Morfologia da célula  Cocos: bactérias esféricas. Pneumococcus Meningococcus Streptococcus
  • 5. Morfologia da célula  Bacilos: bactérias alongadas. Bacilo de Koch (Tuberculose) Bacillus anthracis (Antrax)
  • 6. Morfologia da célula  Espirilos: bactérias espiraladas. Treponema pallidum (Sífilis)
  • 7. Morfologia da célula  Vibriões: bactérias em forma de “vírgula”. Helycobacter pylori (Úlcera estomacal) Vibrio cholerae (Cólera)
  • 8. Reprodução das bactérias: Bipartição Duplicação do DNA Separação das células Parede celular Membrana plasmática Molécula de DNA
  • 10. Transformação Célula bacteriana Lise celular Quebra do DNA Fragmentos de DNA doador Célula bacteriana Fragmentos de DNA ligam-se à superfície da célula receptora. O fragmento de DNA é incorporado à célula receptora. O fragmento de DNA é integrado ao cromossomo da célula receptora. Célula transformada Molécula de DNA circular
  • 11. Transdução Fago O DNA de um fago penetra na célula de uma bactéria. O DNA do fago integra-se ao DNA da bactéria como um profago. Quando o profago inicia o ciclo lítico, o DNA da bactéria é degradado e novos fagos podem conter algum trecho do DNA da bactéria. A célula bacteriana se rompe e libera muitos fagos, que podem infectar outras células. O fago infecta nova bactéria. Genes de outra bactéria são introduzidos e integrados ao DNA da bactéria hospedeira. DNA do fago com genes da bactéria
  • 12. Esporulação  Algumas bactérias têm a capacidade de se transformarem em esporos (endósporos) em condições ambientais desfavoráveis. Podem permanecer assim por anos.
  • 13.
  • 14. FOTOSSÍNTESE BACTERIANA SOL CO2+H2S ---------------- C→ 6H12O6+H2O+S2 BACTERIOCLOROFILA H2S = ácido sulfídrico e o S2 = gás enxofre FOTOSSÍNTESE “NORMAL” (REALIZADA PELAS ALGAS E PELAS PLANTAS): SOL CO2+H2O ---------------- C→ 6H12O6+H2O+O2 CLOROFILA
  • 16. Importância das bactérias Simbiontes • No interior do intestino humano encontra-se uma flora bacteriana que nos auxilia na síntese de vitamina K e do complexo B. Cerca de 70% do peso seco das fezes humanas é constituído por esporos de bactérias. • Em cada grama de solo cultivável existem de 100.000.000 a 2.500.000.000 bactérias vivas. • Fixação do nitrogênio atmosférico
  • 17.
  • 18.
  • 19. As cianobactérias podem ser encontradas na água doce, salgada ou salobra, no solo úmido, sobre a casca de árvores, rochas ou até mesmo em fontes termais com temperatura superior a 80ºC! Nutrição (fotossíntese) 6 CO2 + 12 H2 0 + energia da luz -> C6 H12 O6 + 6 O2 - Como são organismos fotossintetizantes, contribuem para a reposição de gás O2 na atmosfera; - Algumas cianobactérias também podem fazer a fixação do gás nitrogênio atmosférico, contribuindo no ciclo deste gás. Os heterocistos são células especializadas para a fixação de nitrogênio.
  • 20. Reprodução Na assexuada, por bipartição ou cissiparidade. As colônias filamentosas de algas podem reproduzir-se assexuadamente por um processo chamado de hormogonia: pequenos fragmentos da colônia se separam, formando novos filamentos coloniais. Em condições desfavoráveis as cianofíceas formam os acinetos, semelhantes aos esporos das bactérias. Tem extraordinária capacidade de adaptação aos mais diversos tipos de ambientes, por isso constituem-se em excelentes colonizadores (pioneiras na sucessão ecológica) e indicadores de poluição.