SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Sistema Nervoso
SNC e SNP
Evolução do sistema nervoso
periférico(SNP) nos Cnidarios
No reino animal, podemos
encontrar um sistema
nervoso pela primeira vez
nos celenterados (ou
cnidários) na forma de um
sistema nervoso difuso
(rede nervosa), com células
nervosas sem
diferenciações ou
especializações.
Evolução do SNP nos Platelmintos
Nos platelmintos, encontramos pela primeira vez células
nervosas agrupadas, formando um gânglio nervoso
anterior (os primeiros a apresentarem cefalização) de
onde partem de 2 a 8 cordões nervosos
longitudinalmente para o resto do corpo (sistema nervoso
ganglionar ventral).
Evolução do SNP nos Anelídeos
Os anelídeos apresentam gânglios cerebróides na
região anterior do corpo (2 pares supraesofágicos e 2
pares subesofágicos) e um ou dois cordões nervosos
ventrais, com gânglios para cada segmento do corpo
(gânglios ventrais).
Evolução do SNP nos Moluscos
Nos moluscos encontramos gânglios cerebrais desenvolvidos,
comunicados com gânglios viscerais (controle das vísceras) e
gânglios pedais ou pediais (controle dos movimentos).
Sistema Nervoso Humano
• A comunicação entre os diversos órgãos
e células do organismo ocorre graças a
dois eficientes sistemas de integração
corporal:
• O sistema nervoso
• O sistema endócrino
Organização
do sistema nervoso humano
• Sistema nervoso central
(SNC) Encéfalo
Medula espinhal
• Sistema nervoso periférico
(SNP) Nervos
e gânglios
• Processamento e
integração de
informações
• Condução de
informações entre órgãos
receptores, o SNC e
órgãos efetuadores
(músculos).
Sistema nervoso central (SNC)
O encéfalo
• O encéfalo humano tem cerca de 1,4 kg nas
pessoas adultas e preenche totalmente a caixa
craniana. O encéfalo forma-se no inicio do
desenvolvimento embrionário. As principais partes
do encéfalo humano:
• Cérebro
• Cerebelo -meninges
• Ponte tronco -líquido cérebro
• Bulbo raquidiano encefálico espinhal
Cérebro
• É a parte mais desenvolvida
do encéfalo humano,
constituindo entre 85% e
90% da massa encefálica
do crânio.
• Sua superfície é
intensamente pregueada,
marcada por sulcos e
depressões, que definem os
giros, ou circunvoluções
cerebrais.
• Um profundo sulco
longitudinal divide quase
que completamente o
cérebro em pela metade,
formando os hemisférios
cerebrais direito e esquerdo.
Circunvoluções
Cérebro
• A camada mais externa dos hemisférios cerebrais, é o
córtex cerebral, constituído por mais de 20 bilhões de
corpos celulares de neurônios; o córtex, por sua
aparência, recebeu no passado o nome de substância
cinzenta.
• A região mais interna dos hemisférios cerebrais é
constituída por dendritos e axônio (neurofibras) que
levam informações ao córtex e trazem dele instruções
para o funcionamento corporal; por sua aparência mais
clara que a do córtex, recebeu o nome de substância
branca.
Córtex cerebral  massa cinzenta
 presença de corpos de neurônios
Medula cerebral
 massa branca
 presença de
axônios
• Cerebelo: manutenção das funções
motoras, como a locomoção, o equilíbrio
corporal e do tônus e o vigor muscular
• Ponte: onde ocorre o cruzamento das vias
motoras, que passam a ocupar, na medula
espinhal, o lado contrário do que ocupam no
cérebro.
• Bulbo: presença de centro nervosos
relacionados com batimentos cardíacos,
movimentos respiratórios e do tubo digestivo
Medula espinhal
• Liga o encéfalo aos nervos
espinhais
• Fio de aproximadamente 40
cm de comprimento.
• Protegido pelas vértebras,
meninges e líquido
raquidiano.
• Relacionada com os atos
reflexos – respostas rápidas
sem participação do encéfalo.
Sistema Nervoso Periférico
SNP é formado pelas vias que conduzem os estímulos
ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores as
ordens emanadas da porção central. SNP compreende
os nervos cranianos (12) e espinhais (33), os gânglios e
as terminações nervosas.
- Nervos: feixes de fibras nervosas
envoltas por tecido conjuntivo
- Gânglios: aglomerados de corpos
de neurônios fora do SNC
Sistema Nervoso Periférico
• Nervos sensitivos são os que contêm somente fibras
sensitivas, que conduzem impulsos dos órgãos
sensitivos para o sistema nervoso central.
• Nervos motores são os que contêm somente fibras
motoras, que conduzem impulsos do sistema nervoso
central até os órgãos efetuadores (músculos ou
glândulas).
• Nervos mistos contêm tanto fibras sensitivas quanto
motoras.
SNP: Voluntário e Autônomo
• SNP Voluntário : tem como função reagir a estímulos
provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por
fibras motoras que conduzem impulsos do sistema
nervoso central aos músculos esqueléticos
• SNP Autônomo: tem por função regular o ambiente
interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas
digestivos, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele
contém fibras nervosas que conduzem impulsos do
sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras
e à musculatura do coração
Sistema Nervoso Periférico
Autônomo (SNPA)
O SNP autônomo (SNPA) é dividido em dois ramos:
simpático e parassimpático, que se distinguem tanto pela
estrutura quanto pela função.
• SNPA simpático: os gânglios localizam-se ao lado da
medula espinal, distantes do órgão efetuador. Estimula
ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo
responder a situações de estresse.
• SNPA parassimpático: os gânglios das vias
parassimpáticas estão longe do sistema nervoso central e
próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador. Estimula
principalmente atividades relaxantes, como a redução do
ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
SNPA: Parassimpático e Simpático
Tecido nervoso
• Tipos celulares:
- Neurônios – condução de impulsos nervosos
- Células da Neuróglia/Glia – manutenção dos
neurônios
Neurônio
• Neurônio é a unidade morfológica e fisiológica do
sistema nervoso. É uma célula composta de um corpo
celular, onde está o núcleo, e de finos prolongamentos
celulares, que podem ser dendritos ou axônios.
• dendritos são prolongamentos geralmente muito
ramificados e que atuam como receptores de estímulos.
• axônios atuam como condutores dos impulsos nervosos
e só possuem ramificações na extremidade.
Morfologia do neurônio
O axônio é envolvido por um tipo celular denominado célula
de Schwann.
• Células de Schwann: determinam a formação da bainha
de mielina (invólucro lipídico), que atua como isolante
elétrico e facilita a transmissão do impulso nervoso.
• Nódulo de Ranvier: região de descontinuidade da
bainha de mielina, localizada entre uma célula de
Schwann e outra, que acarreta a existência de uma
constrição (estrangulamento).
• Neurilema: A parte celular da bainha de mielina, onde
estão o citoplasma e o núcleo da célula de Schwann.
NEURÔNIO
Tipos de Neurônios
• Neurônios aferentes (sensitivo): normalmente situados no epitélio
da superfície do animal, apresentando a característica de
irritabilidade, detectando as modificações do meio ambiente, tanto
interno como externo, ou seja, são sensíveis aos estímulos externos
ou internos.
• Neurônios eferentes ou motores: são especializados na condução
do impulso nervoso ao órgão efetuador, que pode ser um músculo ou
uma glândula, no caso dos mamíferos.
• Neurônio de associação: faz sinapse com o axônio do neurônio
aferente de um determinado segmento do animal, passando pela
corda ventral do animal e fazendo sinapse com o neurônio motor do
segmento vizinho, permitindo que um estímulo recebido em um
segmento provoque resposta em outro. A concentração dos neurônios
de associação aumentou consideravelmente o número de sinapses,
permitindo a formação dos gânglios cerebróides nos invertebrados e
do encéfalo nos vertebrados.
Tipos de Neurônios
Condução do impulso nervoso
Sentido: dendrito  corpo celular 
axônio
Estado de repouso: neurônio polarizado
Alta [ ] de Na+ e baixa [ ] de k+ no meio extracelular
Baixa [ ] de Na+ e alta [ ] de k+ dentro do axônio
Na+
K+
Condução do impulso nervoso
O percurso do impulso nervoso no neurônio é sempre no
sentido dendrito --> corpo celular --> axônio.
Sinapses
• Interneuronais: neurônio – neurônio
• Neuromusculares: neurônio – músculo
• Neuroglandulares: neurônio – célula
glandular
Neurotransmissores
estão presentes em
vesículas na
terminação do axônio.
Chegada do impulso na
terminação resulta na
liberação dos
neurotransmissores na
fenda sináptica
Os neurotransmissores
atingem o outro neurônio
desencadeando impulso
nervoso
SINAPSE
Células da Glia
• Também chamadas de neuróglia
• Menores que os neurônios
• Mais numerosas
• Várias funções: • Sustentação do tecido
• Produção de mielina
• Remoção de excretas
• Fornecimento de substâncias
nutritivas aos neurônios
• Fagocitose de restos celulares
• Isolamento dos neurônios
Células da Neuróglia
Neuróglia Central (SNC)
- Gliócitos livres
a - Macróglia
. Astrócitos
- Protoplasmáticos
- Fibrosos
. Oligodendrócitos
b - Micróglia
Ato reflexo
• Permitem a reação rápido do organismo em
casos de emergência
• Resposta rápida sem a participação do encéfalo
• Participam o nervo sensorial, medula (nervoso
associativo) e nervo motor.
Tálamo e Hipotálamo
• O tálamo e o hipotálamo,
estão localizados
embaixo do cérebro.O
tálamo atua como uma
estação integradora e
retransmissora de
impulsos nervosos para o
córtex cerebral; é um
papel importante na
regulação do estado de
consciência, alerta e
atenção.
• O hipotálamo é um
estrutura do tamanho de
um grão de ervilha.Ele
regula a homeostase
corporal; controla a
temperatura, o apetite e o
equilíbrio hídrico, centro
de expressão emocional
e do comportamento
sexual. Faz integração
com os sistemas nervoso
e endócrino.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - FamaAula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
Aula 8 - anatomia I - sistema nervoso - Fama
 
03 sistema articular
03   sistema articular03   sistema articular
03 sistema articular
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
Sistema nervoso periférico
Sistema nervoso periféricoSistema nervoso periférico
Sistema nervoso periférico
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Fisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema NervosoFisiologia - Organização do Sistema Nervoso
Fisiologia - Organização do Sistema Nervoso
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!Célula nervosa pronto mesmo!
Célula nervosa pronto mesmo!
 
Histologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervosoHistologia do tecido nervoso
Histologia do tecido nervoso
 
Aula sistema-nervoso
Aula sistema-nervosoAula sistema-nervoso
Aula sistema-nervoso
 
Sistema óSseo
Sistema óSseoSistema óSseo
Sistema óSseo
 
Tecido conjuntivo
Tecido conjuntivoTecido conjuntivo
Tecido conjuntivo
 
Sistema sensorial
Sistema sensorialSistema sensorial
Sistema sensorial
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Sistema nervoso parte i
Sistema nervoso parte iSistema nervoso parte i
Sistema nervoso parte i
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologiaAula 06   sistema nervoso - anatomia e fisiologia
Aula 06 sistema nervoso - anatomia e fisiologia
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 

Destaque

Órgãos dos sentidos e o sistema nervoso
Órgãos dos sentidos e o sistema nervosoÓrgãos dos sentidos e o sistema nervoso
Órgãos dos sentidos e o sistema nervosoGeo
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCaio Maximino
 
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervosoIntrodução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervosoCaio Maximino
 
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAndrea Barreto
 
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)rejanecardsouza
 
SISTEMA NERVOSO HUMANO
SISTEMA NERVOSO HUMANOSISTEMA NERVOSO HUMANO
SISTEMA NERVOSO HUMANOcarreiralopes
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º anoescolabeatriz
 
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscularFisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscularRaul Tomé
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervosoCatir
 

Destaque (15)

Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Órgãos dos sentidos e o sistema nervoso
Órgãos dos sentidos e o sistema nervosoÓrgãos dos sentidos e o sistema nervoso
Órgãos dos sentidos e o sistema nervoso
 
Cérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e EvoluçãoCérebro, Comportamento e Evolução
Cérebro, Comportamento e Evolução
 
Origens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervosoOrigens e organização geral do sistema nervoso
Origens e organização geral do sistema nervoso
 
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervosoIntrodução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
Introdução à morfofisiologia comparada do sistema nervoso
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
Filogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema NervosoFilogenese do Sistema Nervoso
Filogenese do Sistema Nervoso
 
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
Sistemanervoso 120618081852-phpapp01
 
Animais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- PoríferosAnimais invertebrados- Poríferos
Animais invertebrados- Poríferos
 
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
Anatomia comparada (evolução dos invertebrados)
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
 
SISTEMA NERVOSO HUMANO
SISTEMA NERVOSO HUMANOSISTEMA NERVOSO HUMANO
SISTEMA NERVOSO HUMANO
 
Caracteristicas dos animais 3º ano
Caracteristicas dos animais  3º anoCaracteristicas dos animais  3º ano
Caracteristicas dos animais 3º ano
 
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscularFisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular
Fisiologia do sistema_nervoso_e_sistema_neuromuscular
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Semelhante a Sistema nervoso

Semelhante a Sistema nervoso (20)

11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso11 ¬ aula slides sistema nervoso
11 ¬ aula slides sistema nervoso
 
Est.mov. m3 - sistema nervoso
Est.mov.   m3 - sistema nervosoEst.mov.   m3 - sistema nervoso
Est.mov. m3 - sistema nervoso
 
06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc06 sistema nervoso central-snc
06 sistema nervoso central-snc
 
Sistema Neurológico
Sistema NeurológicoSistema Neurológico
Sistema Neurológico
 
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptxVet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
Vet Aula 6 Introducao a Fisiologia do Sistema Nervoso Animal PPT.pptx
 
Sist nervoso
Sist nervosoSist nervoso
Sist nervoso
 
Sistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humanaSistema nervoso - anatomia humana
Sistema nervoso - anatomia humana
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 
02 SN Neuronio Tc 0809
02 SN Neuronio Tc 080902 SN Neuronio Tc 0809
02 SN Neuronio Tc 0809
 
Aula 20 sistema nervoso
Aula 20   sistema nervosoAula 20   sistema nervoso
Aula 20 sistema nervoso
 
Fisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SNFisiologia1 - SN
Fisiologia1 - SN
 
Tecido nervoso
Tecido nervosoTecido nervoso
Tecido nervoso
 
Histo II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. NervosoHisto II - Sist. Nervoso
Histo II - Sist. Nervoso
 
SISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptxSISTEMA NERVOSO.pptx
SISTEMA NERVOSO.pptx
 
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptxAULA SISTEMA NERVOSO  slide sha.pptx
AULA SISTEMA NERVOSO slide sha.pptx
 
Sistema Nervoso.
Sistema Nervoso.Sistema Nervoso.
Sistema Nervoso.
 
M5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptxM5-nervoso.pptx
M5-nervoso.pptx
 
Sistema Nervoso
Sistema NervosoSistema Nervoso
Sistema Nervoso
 
693153
693153693153
693153
 
sistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptxsistema-nervoso-1.pptx
sistema-nervoso-1.pptx
 

Mais de Colégios particulares (20)

Sistema imunologico
Sistema imunologicoSistema imunologico
Sistema imunologico
 
Histologia animal
Histologia animalHistologia animal
Histologia animal
 
Classificacao e nomenclatura
Classificacao e nomenclaturaClassificacao e nomenclatura
Classificacao e nomenclatura
 
Virus
VirusVirus
Virus
 
Monera
MoneraMonera
Monera
 
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormoniosFisiologia vegetal movimentos e hormonios
Fisiologia vegetal movimentos e hormonios
 
Embriologia
EmbriologiaEmbriologia
Embriologia
 
Fisiologia comparada
Fisiologia comparadaFisiologia comparada
Fisiologia comparada
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Organologia vegetal
Organologia vegetalOrganologia vegetal
Organologia vegetal
 
Gametogenese
GametogeneseGametogenese
Gametogenese
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Histologia vegetal
Histologia vegetalHistologia vegetal
Histologia vegetal
 
Sistema urinario
Sistema urinarioSistema urinario
Sistema urinario
 
Reproducao plantas
Reproducao   plantasReproducao   plantas
Reproducao plantas
 
Sistema respiratorio
Sistema respiratorioSistema respiratorio
Sistema respiratorio
 
Sistema digestorio
Sistema digestorioSistema digestorio
Sistema digestorio
 
Esqueleto
EsqueletoEsqueleto
Esqueleto
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 

Último

Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfbragamoysesaline
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreLeandroLima265595
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivararambomarcos
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................mariagrave
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...WelitaDiaz1
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdfVIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
VIDA E OBRA , PRINCIPAIS ESTUDOS ARISTOTELES.pdf
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestreFilosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
Filosofia - 1º ano - Ensino Médio do ensino médio para primeiro bimestre
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João EudesNovena de Pentecostes com textos de São João Eudes
Novena de Pentecostes com textos de São João Eudes
 
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da CapivaraPré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
Pré-História do Brasil, Luzia e Serra da Capivara
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................12_mch9_nervoso.pptx...........................
12_mch9_nervoso.pptx...........................
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 

Sistema nervoso

  • 2. Evolução do sistema nervoso periférico(SNP) nos Cnidarios No reino animal, podemos encontrar um sistema nervoso pela primeira vez nos celenterados (ou cnidários) na forma de um sistema nervoso difuso (rede nervosa), com células nervosas sem diferenciações ou especializações.
  • 3. Evolução do SNP nos Platelmintos Nos platelmintos, encontramos pela primeira vez células nervosas agrupadas, formando um gânglio nervoso anterior (os primeiros a apresentarem cefalização) de onde partem de 2 a 8 cordões nervosos longitudinalmente para o resto do corpo (sistema nervoso ganglionar ventral).
  • 4. Evolução do SNP nos Anelídeos Os anelídeos apresentam gânglios cerebróides na região anterior do corpo (2 pares supraesofágicos e 2 pares subesofágicos) e um ou dois cordões nervosos ventrais, com gânglios para cada segmento do corpo (gânglios ventrais).
  • 5. Evolução do SNP nos Moluscos Nos moluscos encontramos gânglios cerebrais desenvolvidos, comunicados com gânglios viscerais (controle das vísceras) e gânglios pedais ou pediais (controle dos movimentos).
  • 6. Sistema Nervoso Humano • A comunicação entre os diversos órgãos e células do organismo ocorre graças a dois eficientes sistemas de integração corporal: • O sistema nervoso • O sistema endócrino
  • 7. Organização do sistema nervoso humano • Sistema nervoso central (SNC) Encéfalo Medula espinhal • Sistema nervoso periférico (SNP) Nervos e gânglios • Processamento e integração de informações • Condução de informações entre órgãos receptores, o SNC e órgãos efetuadores (músculos).
  • 8. Sistema nervoso central (SNC) O encéfalo • O encéfalo humano tem cerca de 1,4 kg nas pessoas adultas e preenche totalmente a caixa craniana. O encéfalo forma-se no inicio do desenvolvimento embrionário. As principais partes do encéfalo humano: • Cérebro • Cerebelo -meninges • Ponte tronco -líquido cérebro • Bulbo raquidiano encefálico espinhal
  • 9.
  • 10. Cérebro • É a parte mais desenvolvida do encéfalo humano, constituindo entre 85% e 90% da massa encefálica do crânio. • Sua superfície é intensamente pregueada, marcada por sulcos e depressões, que definem os giros, ou circunvoluções cerebrais. • Um profundo sulco longitudinal divide quase que completamente o cérebro em pela metade, formando os hemisférios cerebrais direito e esquerdo. Circunvoluções
  • 11. Cérebro • A camada mais externa dos hemisférios cerebrais, é o córtex cerebral, constituído por mais de 20 bilhões de corpos celulares de neurônios; o córtex, por sua aparência, recebeu no passado o nome de substância cinzenta. • A região mais interna dos hemisférios cerebrais é constituída por dendritos e axônio (neurofibras) que levam informações ao córtex e trazem dele instruções para o funcionamento corporal; por sua aparência mais clara que a do córtex, recebeu o nome de substância branca.
  • 12. Córtex cerebral  massa cinzenta  presença de corpos de neurônios Medula cerebral  massa branca  presença de axônios
  • 13. • Cerebelo: manutenção das funções motoras, como a locomoção, o equilíbrio corporal e do tônus e o vigor muscular • Ponte: onde ocorre o cruzamento das vias motoras, que passam a ocupar, na medula espinhal, o lado contrário do que ocupam no cérebro. • Bulbo: presença de centro nervosos relacionados com batimentos cardíacos, movimentos respiratórios e do tubo digestivo
  • 14. Medula espinhal • Liga o encéfalo aos nervos espinhais • Fio de aproximadamente 40 cm de comprimento. • Protegido pelas vértebras, meninges e líquido raquidiano. • Relacionada com os atos reflexos – respostas rápidas sem participação do encéfalo.
  • 15. Sistema Nervoso Periférico SNP é formado pelas vias que conduzem os estímulos ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores as ordens emanadas da porção central. SNP compreende os nervos cranianos (12) e espinhais (33), os gânglios e as terminações nervosas. - Nervos: feixes de fibras nervosas envoltas por tecido conjuntivo - Gânglios: aglomerados de corpos de neurônios fora do SNC
  • 16. Sistema Nervoso Periférico • Nervos sensitivos são os que contêm somente fibras sensitivas, que conduzem impulsos dos órgãos sensitivos para o sistema nervoso central. • Nervos motores são os que contêm somente fibras motoras, que conduzem impulsos do sistema nervoso central até os órgãos efetuadores (músculos ou glândulas). • Nervos mistos contêm tanto fibras sensitivas quanto motoras.
  • 17. SNP: Voluntário e Autônomo • SNP Voluntário : tem como função reagir a estímulos provenientes do ambiente externo. Ele é constituído por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos esqueléticos • SNP Autônomo: tem por função regular o ambiente interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas digestivos, cardiovascular, excretor e endócrino. Ele contém fibras nervosas que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos músculos lisos das vísceras e à musculatura do coração
  • 18. Sistema Nervoso Periférico Autônomo (SNPA) O SNP autônomo (SNPA) é dividido em dois ramos: simpático e parassimpático, que se distinguem tanto pela estrutura quanto pela função. • SNPA simpático: os gânglios localizam-se ao lado da medula espinal, distantes do órgão efetuador. Estimula ações que mobilizam energia, permitindo ao organismo responder a situações de estresse. • SNPA parassimpático: os gânglios das vias parassimpáticas estão longe do sistema nervoso central e próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador. Estimula principalmente atividades relaxantes, como a redução do ritmo cardíaco e da pressão sanguínea, entre outras.
  • 20. Tecido nervoso • Tipos celulares: - Neurônios – condução de impulsos nervosos - Células da Neuróglia/Glia – manutenção dos neurônios
  • 21. Neurônio • Neurônio é a unidade morfológica e fisiológica do sistema nervoso. É uma célula composta de um corpo celular, onde está o núcleo, e de finos prolongamentos celulares, que podem ser dendritos ou axônios. • dendritos são prolongamentos geralmente muito ramificados e que atuam como receptores de estímulos. • axônios atuam como condutores dos impulsos nervosos e só possuem ramificações na extremidade.
  • 22. Morfologia do neurônio O axônio é envolvido por um tipo celular denominado célula de Schwann. • Células de Schwann: determinam a formação da bainha de mielina (invólucro lipídico), que atua como isolante elétrico e facilita a transmissão do impulso nervoso. • Nódulo de Ranvier: região de descontinuidade da bainha de mielina, localizada entre uma célula de Schwann e outra, que acarreta a existência de uma constrição (estrangulamento). • Neurilema: A parte celular da bainha de mielina, onde estão o citoplasma e o núcleo da célula de Schwann.
  • 24. Tipos de Neurônios • Neurônios aferentes (sensitivo): normalmente situados no epitélio da superfície do animal, apresentando a característica de irritabilidade, detectando as modificações do meio ambiente, tanto interno como externo, ou seja, são sensíveis aos estímulos externos ou internos. • Neurônios eferentes ou motores: são especializados na condução do impulso nervoso ao órgão efetuador, que pode ser um músculo ou uma glândula, no caso dos mamíferos. • Neurônio de associação: faz sinapse com o axônio do neurônio aferente de um determinado segmento do animal, passando pela corda ventral do animal e fazendo sinapse com o neurônio motor do segmento vizinho, permitindo que um estímulo recebido em um segmento provoque resposta em outro. A concentração dos neurônios de associação aumentou consideravelmente o número de sinapses, permitindo a formação dos gânglios cerebróides nos invertebrados e do encéfalo nos vertebrados.
  • 26. Condução do impulso nervoso Sentido: dendrito  corpo celular  axônio Estado de repouso: neurônio polarizado Alta [ ] de Na+ e baixa [ ] de k+ no meio extracelular Baixa [ ] de Na+ e alta [ ] de k+ dentro do axônio Na+ K+
  • 27. Condução do impulso nervoso O percurso do impulso nervoso no neurônio é sempre no sentido dendrito --> corpo celular --> axônio.
  • 28. Sinapses • Interneuronais: neurônio – neurônio • Neuromusculares: neurônio – músculo • Neuroglandulares: neurônio – célula glandular
  • 29. Neurotransmissores estão presentes em vesículas na terminação do axônio. Chegada do impulso na terminação resulta na liberação dos neurotransmissores na fenda sináptica Os neurotransmissores atingem o outro neurônio desencadeando impulso nervoso SINAPSE
  • 30. Células da Glia • Também chamadas de neuróglia • Menores que os neurônios • Mais numerosas • Várias funções: • Sustentação do tecido • Produção de mielina • Remoção de excretas • Fornecimento de substâncias nutritivas aos neurônios • Fagocitose de restos celulares • Isolamento dos neurônios
  • 31. Células da Neuróglia Neuróglia Central (SNC) - Gliócitos livres a - Macróglia . Astrócitos - Protoplasmáticos - Fibrosos . Oligodendrócitos b - Micróglia
  • 32. Ato reflexo • Permitem a reação rápido do organismo em casos de emergência • Resposta rápida sem a participação do encéfalo • Participam o nervo sensorial, medula (nervoso associativo) e nervo motor.
  • 33. Tálamo e Hipotálamo • O tálamo e o hipotálamo, estão localizados embaixo do cérebro.O tálamo atua como uma estação integradora e retransmissora de impulsos nervosos para o córtex cerebral; é um papel importante na regulação do estado de consciência, alerta e atenção. • O hipotálamo é um estrutura do tamanho de um grão de ervilha.Ele regula a homeostase corporal; controla a temperatura, o apetite e o equilíbrio hídrico, centro de expressão emocional e do comportamento sexual. Faz integração com os sistemas nervoso e endócrino.