SlideShare uma empresa Scribd logo
Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 1
Profª Leonor Vaz Pereira
BIOLOGIA – Módulo A3 – Utilização da Matéria
1. Transporte nas plantas
Plantas não vasculares: São pouco diferenciadas e não apresentam sistemas de transporte de
seivas nem tecidos condutores. Vivem em zonas húmidas, o movimento da água efetua-se por
osmose e a matéria movimenta-se por difusão de célula a célula.
Ex: musgos.
Plantas vasculares: Dividem-se em dois grupos: as plantas sem
sementes e as plantas com sementes. Têm um duplo sistema de
condução de água e solutos, constituído por tecidos especializados
(xilema e floema) que estão organizados em feixes condutores e
existem em todos os órgãos da planta.
Ex: fetos, angiospérmicas e gimnospérmicas.
Seiva Bruta ou Xilémica → Água e substâncias minerais dissolvidas → Xilema → Sentido Ascendente
Seiva Elaborada ou Floémica → Compostos orgânicos → Floema → Sentido Descendente
Localização dos Sistemas de Transporte
Folhas: Os feixes condutores de xilema e floema
localizam-se ao nível das nervuras das folhas. Estas
são mais salientes na página inferior da folha. Os
feixes condutores são duplos e colaterais, isto é,
cada feixe tem xilema e floema, estando colocados
lado a lado. O xilema está mais próximo da página
superior e o floema está mais próximo da página
inferior.
Caule: Nos caules os feixes também são
duplos e colaterais. O xilema está voltado
para o centro do órgão e o floema está
voltado para fora.
Raiz: Na raiz os feixes condutores são
simples e alternos, isto é, cada feixe
tem somente xilema ou floema, os
quais alternam.
Estrutura dos Tecidos Condutores
Xilema: Os seus elementos condutores são os vasos xilémicos, constituídos por células mortas,
cujas paredes laterais possuem anéis de lenhina (substância impermeável).
Floema: Os seus elementos condutores são os tubos crivosos, constituídos por células vivas, cujas
paredes transversais, providas de orifícios, constituem as placas crivosas. Existem ainda, no
floema, células de companhia, células vivas com a função de fornecer energia aos tubos crivosos.
Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 2
Profª Leonor Vaz Pereira
Absorção de água e de solutos pelas plantas
A maior parte da água e dos solutos necessários para as atividades da planta são absorvidos pelo
sistema radicular da planta. A eficiência deste processo deve-se à presença de pelos radiculares que
aumentam a área da superfície da raiz em contacto com o solo.
A absorção de água é feita por osmose: Solo (meio hipotónico) → Raiz (meio hipertónico)
A absorção de solutos (iões) é feita por transporte ativo: Solo (meio hipotónico) → Raiz (meio
hipertónico)
Transporte no Xilema
Hipótese da pressão radicular
A pressão que se exerce na raiz (pressão radicular) pode explicar a ascensão de água no xilema em
algumas situações uma vez que se trata do fenómeno causado pela acumulação de iões nas células
da raiz que aumenta a concentração de soluto e provoca a entrada de água por osmose para o
interior da planta.
Gutação: Quando a pressão radicular é muito
elevada e faz com que a água ascenda até às
folhas onde é libertada nas margens sob a forma
de gotas.
Exsudação: Quando se procede a uma poda
tardia de certas plantas e a água sai através do
caule.
Experimentalmente: Quando é possível
observar a subida de água num tubo colocado no
corte de uma planta envasada.
Porém, os valores de pressão radicular não são suficientes para explicar a ascensão da água até ao
cimo de certas árvores e por vezes nem se verificam e, por isso, é possível afirmar que existem
outros fatores responsáveis pela ascensão de água no xilema.
Hipótese da tensão-adesão-coesão
Transpiração: A água chega às folhas através dos vasos de xilema, depois sai destes vasos por
osmose para as células do mesofilo e posteriormente difunde-se para os espaços intercelulares e
para a câmara estomática. Através da transpiração o vapor de água é libertado pelo ostíolo para o
exterior, também por difusão. Este fenómeno cria uma tensão (pressão negativa) e a água passa do
xilema para o mesófilo, onde a pressão osmótica aumentou, por osmose.
Coesão e Adesão no xilema: As moléculas de água mantêm-se unidas devido a forças de coesão e
aderem às paredes dos vasos devido a forças de adesão, formando uma coluna contínua ascendente
(corrente de transpiração).
Absorção de água do solo: A ascensão de água cria um défice da mesma no xilema da raiz fazendo
com que novas moléculas de água passem para o xilema, o que determina a absorção ao nível da
raiz por osmose uma vez que o potencial de água no solo é elevado.
A transpiração acaba por ser o “motor” que faz ascender a seiva xilémica e por isso quando a
transpiração aumenta, a absorção também aumenta e a ascensão de seiva torna-se mais rápida.
Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 3
Profª Leonor Vaz Pereira
Controlo da Transpiração: Os estomas são responsáveis por controlar a quantidade de água perdida
por transpiração.
Estrutura do Estoma
Nas células-guarda as paredes celulares que rodeiam o ostíolo são mais espessas do que as paredes
que contactam com as outras células da epiderme. As zonas mais finas das paredes celulares têm
maior elasticidade do que as zonas de maior espessura.
Quando há entrada de água, esta exerce uma pressão de turgescência sobre a parede celular o que
provoca a deformação da região mais fina da mesma e leva à abertura dos estomas (meio pobre em
iões K+
).
Quando a célula perde água e a pressão de turgescência diminui, o estoma volta à sua forma
normal, aproximando-se das células-guarda, o que provoca o fecho dos estomas (obscuridade).
Fatores que fazem variar a pressão de turgescência das células-guarda:
 Intensidade Luminosa;
 Concentração em CO2;
 Valores de pH;
 Concentração de iões.
Transporte no Floema
Hipótese do Fluxo de Massa
1. A glicose elaborada nos órgãos fotossintéticos é convertida em sacarose e passa para o
floema por transporte ativo.
2. À medida que aumenta a concentração de sacarose nos tubos crivosos, a pressão osmótica
aumenta e a água sai do xilema para o floema por osmose.
3. Aumenta a pressão de turgescência, o que faz com que o conteúdo dos tubos crivosos
atravesse as placas crivosas por difusão simples.
4. A sacarose passa do floema para locais de consumo ou reserva por transporte ativo.
5. À medida que diminui a concentração de sacarose nos tubos crivosos, a pressão osmótica
diminui e a água sai do floema para o xilema por osmose.
Evidências
• A saída de seiva sob pressão quando se corta pelo estilete
um afídio inserido no floema.
• Os diferentes gradientes de concentração de sacarose ao
longo do floema.
Células-Guarda
Ostíolo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mod.a3.4. trocas gasosas
Mod.a3.4. trocas gasosasMod.a3.4. trocas gasosas
Mod.a3.4. trocas gasosas
Leonor Vaz Pereira
 
Transporte nos animais
Transporte nos animaisTransporte nos animais
Transporte nos animais
margaridabt
 
Bg 10 superfícies respiratórias
Bg 10   superfícies respiratóriasBg 10   superfícies respiratórias
Bg 10 superfícies respiratórias
Nuno Correia
 
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
Hugo Martins
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
spondias
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
margaridabt
 
PPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animaisPPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animais
Isabel Henriques
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificação
Nuno Correia
 
Transporte Nas Plantas
Transporte Nas PlantasTransporte Nas Plantas
Transporte Nas Plantas
Tânia Reis
 
B8 Sistemas Endomembranares
B8    Sistemas EndomembranaresB8    Sistemas Endomembranares
B8 Sistemas Endomembranares
Nuno Correia
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
InesTeixeiraDuarte
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
margaridabt
 
Abertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomasAbertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomas
Dina do Céu Lopes Araújo
 
Xilema e floema
Xilema e floemaXilema e floema
Xilema e floema
00367p
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
spondias
 
Transporte nos animais
Transporte nos animaisTransporte nos animais
Transporte nos animais
margaridabt
 
Módulo 2 - biologia- obtenção de matéria
Módulo 2 - biologia-  obtenção de matériaMódulo 2 - biologia-  obtenção de matéria
Módulo 2 - biologia- obtenção de matéria
Raquel Rodrigues
 
Trocas gasosas nos animais
Trocas gasosas nos animaisTrocas gasosas nos animais
Trocas gasosas nos animaisAna Castro
 
4.1.1.mod.a4.1. dna
4.1.1.mod.a4.1. dna4.1.1.mod.a4.1. dna
4.1.1.mod.a4.1. dna
Leonor Vaz Pereira
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
margaridabt
 

Mais procurados (20)

Mod.a3.4. trocas gasosas
Mod.a3.4. trocas gasosasMod.a3.4. trocas gasosas
Mod.a3.4. trocas gasosas
 
Transporte nos animais
Transporte nos animaisTransporte nos animais
Transporte nos animais
 
Bg 10 superfícies respiratórias
Bg 10   superfícies respiratóriasBg 10   superfícies respiratórias
Bg 10 superfícies respiratórias
 
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais(7) biologia e geologia   10º ano - o transporte nos animais
(7) biologia e geologia 10º ano - o transporte nos animais
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
 
PPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animaisPPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animais
 
Biologia 11 sistemas de classificação
Biologia 11   sistemas de classificaçãoBiologia 11   sistemas de classificação
Biologia 11 sistemas de classificação
 
Transporte Nas Plantas
Transporte Nas PlantasTransporte Nas Plantas
Transporte Nas Plantas
 
B8 Sistemas Endomembranares
B8    Sistemas EndomembranaresB8    Sistemas Endomembranares
B8 Sistemas Endomembranares
 
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
Biologia 10º Ano - Obtenção de Matéria (Unidade 1)
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
 
Abertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomasAbertura e fecho dos estomas
Abertura e fecho dos estomas
 
Xilema e floema
Xilema e floemaXilema e floema
Xilema e floema
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Transporte nos animais
Transporte nos animaisTransporte nos animais
Transporte nos animais
 
Módulo 2 - biologia- obtenção de matéria
Módulo 2 - biologia-  obtenção de matériaMódulo 2 - biologia-  obtenção de matéria
Módulo 2 - biologia- obtenção de matéria
 
Trocas gasosas nos animais
Trocas gasosas nos animaisTrocas gasosas nos animais
Trocas gasosas nos animais
 
4.1.1.mod.a4.1. dna
4.1.1.mod.a4.1. dna4.1.1.mod.a4.1. dna
4.1.1.mod.a4.1. dna
 
Digestão
DigestãoDigestão
Digestão
 

Destaque

Módulo a3.2 transporte nos animais
Módulo a3.2   transporte nos animaisMódulo a3.2   transporte nos animais
Módulo a3.2 transporte nos animais
Leonor Vaz Pereira
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energia
Leonor Vaz Pereira
 
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
Módulo a2.1 membrana.resumo
Módulo a2.1   membrana.resumoMódulo a2.1   membrana.resumo
Módulo a2.1 membrana.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
4.2.mod.a4.2. ciclocelular
4.2.mod.a4.2. ciclocelular4.2.mod.a4.2. ciclocelular
4.2.mod.a4.2. ciclocelular
Leonor Vaz Pereira
 
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Módulo a1.3.   biomoléculas.resumoMódulo a1.3.   biomoléculas.resumo
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Leonor Vaz Pereira
 
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
Leonor Vaz Pereira
 
Módulo a3.4 trocas gasosas
Módulo a3.4   trocas gasosasMódulo a3.4   trocas gasosas
Módulo a3.4 trocas gasosas
Leonor Vaz Pereira
 
Módulo a2.1 digestão.resumo
Módulo a2.1   digestão.resumoMódulo a2.1   digestão.resumo
Módulo a2.1 digestão.resumo
Leonor Vaz Pereira
 

Destaque (10)

Módulo a3.2 transporte nos animais
Módulo a3.2   transporte nos animaisMódulo a3.2   transporte nos animais
Módulo a3.2 transporte nos animais
 
Módulo a3.3 obtenção de energia
Módulo a3.3   obtenção de energiaMódulo a3.3   obtenção de energia
Módulo a3.3 obtenção de energia
 
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
1.1. modulo a1.1 divers.organ.resumo
 
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
1.2. modulo a1.2 a célula.resumo
 
Módulo a2.1 membrana.resumo
Módulo a2.1   membrana.resumoMódulo a2.1   membrana.resumo
Módulo a2.1 membrana.resumo
 
4.2.mod.a4.2. ciclocelular
4.2.mod.a4.2. ciclocelular4.2.mod.a4.2. ciclocelular
4.2.mod.a4.2. ciclocelular
 
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
Módulo a1.3.   biomoléculas.resumoMódulo a1.3.   biomoléculas.resumo
Módulo a1.3. biomoléculas.resumo
 
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
4.1.2.mod.a4.1. sintese proteica
 
Módulo a3.4 trocas gasosas
Módulo a3.4   trocas gasosasMódulo a3.4   trocas gasosas
Módulo a3.4 trocas gasosas
 
Módulo a2.1 digestão.resumo
Módulo a2.1   digestão.resumoMódulo a2.1   digestão.resumo
Módulo a2.1 digestão.resumo
 

Semelhante a Módulo a3.1 transporte nas plantas

Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
margaridabt
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
margaridabt
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
margaridabt
 
Ppt transporte plantas
Ppt transporte plantasPpt transporte plantas
Ppt transporte plantas
Helena Alves
 
plantas e transporte de seivas 10 ano pdf
plantas e transporte de seivas 10 ano pdfplantas e transporte de seivas 10 ano pdf
plantas e transporte de seivas 10 ano pdf
MikeMicas
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
Robervania Nadja
 
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
Colégio Batista de Mantena
 
transportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptxtransportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptx
IsauraSilva13
 
Transporte Nas Plantas
Transporte Nas PlantasTransporte Nas Plantas
Transporte Nas Plantas
Isabelpessoa
 
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdfTransporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
Luis736092
 
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e ElaboradaFrente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
Colégio Batista de Mantena
 
Transporte no xilema
Transporte no xilemaTransporte no xilema
Transporte no xilema
Rita Pereira
 
Apostila fisiologia vegetal
Apostila fisiologia vegetalApostila fisiologia vegetal
Apostila fisiologia vegetal
Rafael Soapprice
 
Mod.a3.1.transporte nas plantas
Mod.a3.1.transporte nas plantasMod.a3.1.transporte nas plantas
Mod.a3.1.transporte nas plantas
Leonor Vaz Pereira
 
5.Transporte_Plantas.pdf
5.Transporte_Plantas.pdf5.Transporte_Plantas.pdf
5.Transporte_Plantas.pdf
SelmaFerreira24
 
Biologia 1EM 2BIM
Biologia 1EM 2BIM Biologia 1EM 2BIM
Biologia 1EM 2BIM
Alice MLK
 
Matéria e Seres Vivos
Matéria e Seres VivosMatéria e Seres Vivos
Matéria e Seres Vivos
guest57e587
 
Distribuição de matéria
Distribuição de matériaDistribuição de matéria
Distribuição de matéria
Rita Pereira
 
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
Escola Modelo de Iguatu
 
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.pptFisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
AndrFerraz20
 

Semelhante a Módulo a3.1 transporte nas plantas (20)

Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Transporte nas plantas
Transporte nas plantasTransporte nas plantas
Transporte nas plantas
 
Transporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas pptTransporte nas plantas ppt
Transporte nas plantas ppt
 
Ppt transporte plantas
Ppt transporte plantasPpt transporte plantas
Ppt transporte plantas
 
plantas e transporte de seivas 10 ano pdf
plantas e transporte de seivas 10 ano pdfplantas e transporte de seivas 10 ano pdf
plantas e transporte de seivas 10 ano pdf
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
2016 Frente 3 módulo 9b transporte seiva bruta
 
transportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptxtransportenasplantas-profissional.pptx
transportenasplantas-profissional.pptx
 
Transporte Nas Plantas
Transporte Nas PlantasTransporte Nas Plantas
Transporte Nas Plantas
 
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdfTransporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
Transporte nas plantas Biologia 10º ano.pdf
 
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e ElaboradaFrente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
Frente 3 módulo 11 Transporte de Seiva Bruta e Elaborada
 
Transporte no xilema
Transporte no xilemaTransporte no xilema
Transporte no xilema
 
Apostila fisiologia vegetal
Apostila fisiologia vegetalApostila fisiologia vegetal
Apostila fisiologia vegetal
 
Mod.a3.1.transporte nas plantas
Mod.a3.1.transporte nas plantasMod.a3.1.transporte nas plantas
Mod.a3.1.transporte nas plantas
 
5.Transporte_Plantas.pdf
5.Transporte_Plantas.pdf5.Transporte_Plantas.pdf
5.Transporte_Plantas.pdf
 
Biologia 1EM 2BIM
Biologia 1EM 2BIM Biologia 1EM 2BIM
Biologia 1EM 2BIM
 
Matéria e Seres Vivos
Matéria e Seres VivosMatéria e Seres Vivos
Matéria e Seres Vivos
 
Distribuição de matéria
Distribuição de matériaDistribuição de matéria
Distribuição de matéria
 
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
2º Ano - Fisiologia vegetal - Condução e Transpiração I
 
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.pptFisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
Fisiologia Vegetal - aula de conceitos.ppt
 

Mais de Leonor Vaz Pereira

52.crescimento populacional.13
52.crescimento populacional.1352.crescimento populacional.13
52.crescimento populacional.13
Leonor Vaz Pereira
 
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
Leonor Vaz Pereira
 
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
Leonor Vaz Pereira
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
Leonor Vaz Pereira
 
51.1.poluição e degradação de recursos2013 parte 1
51.1.poluição e degradação de recursos2013  parte 151.1.poluição e degradação de recursos2013  parte 1
51.1.poluição e degradação de recursos2013 parte 1
Leonor Vaz Pereira
 
45.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas201345.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas2013
Leonor Vaz Pereira
 
44.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais201344.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais2013
Leonor Vaz Pereira
 
43.conservaçãoalimentos2013
43.conservaçãoalimentos201343.conservaçãoalimentos2013
43.conservaçãoalimentos2013
Leonor Vaz Pereira
 
42.prod.alim.fermentação2013
42.prod.alim.fermentação201342.prod.alim.fermentação2013
42.prod.alim.fermentação2013
Leonor Vaz Pereira
 
41.act.enzimas13
41.act.enzimas1341.act.enzimas13
41.act.enzimas13
Leonor Vaz Pereira
 
Mod.a3.3. processos de produção de energia
Mod.a3.3. processos de produção de energiaMod.a3.3. processos de produção de energia
Mod.a3.3. processos de produção de energia
Leonor Vaz Pereira
 
Mod.a3.2.transporte nos animais
Mod.a3.2.transporte nos animaisMod.a3.2.transporte nos animais
Mod.a3.2.transporte nos animais
Leonor Vaz Pereira
 
Modulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossínteseModulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossíntese
Leonor Vaz Pereira
 
Modulo a2.2 sistemas digestivos
Modulo a2.2 sistemas digestivosModulo a2.2 sistemas digestivos
Modulo a2.2 sistemas digestivos
Leonor Vaz Pereira
 
Modulo a2. heterotrofia membrana
Modulo a2. heterotrofia membranaModulo a2. heterotrofia membrana
Modulo a2. heterotrofia membrana
Leonor Vaz Pereira
 
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
Leonor Vaz Pereira
 
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
Leonor Vaz Pereira
 

Mais de Leonor Vaz Pereira (17)

52.crescimento populacional.13
52.crescimento populacional.1352.crescimento populacional.13
52.crescimento populacional.13
 
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
51.4.poluição e degradação de recursos2011.ivp.solos.trata.residuos
 
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
51.3.poluição e degradação de recursos2011.iiip.aqua.trata.residuos
 
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
51.2.poluição e degradação de recursos2013.pol atmosférica
 
51.1.poluição e degradação de recursos2013 parte 1
51.1.poluição e degradação de recursos2013  parte 151.1.poluição e degradação de recursos2013  parte 1
51.1.poluição e degradação de recursos2013 parte 1
 
45.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas201345.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas2013
 
44.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais201344.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais2013
 
43.conservaçãoalimentos2013
43.conservaçãoalimentos201343.conservaçãoalimentos2013
43.conservaçãoalimentos2013
 
42.prod.alim.fermentação2013
42.prod.alim.fermentação201342.prod.alim.fermentação2013
42.prod.alim.fermentação2013
 
41.act.enzimas13
41.act.enzimas1341.act.enzimas13
41.act.enzimas13
 
Mod.a3.3. processos de produção de energia
Mod.a3.3. processos de produção de energiaMod.a3.3. processos de produção de energia
Mod.a3.3. processos de produção de energia
 
Mod.a3.2.transporte nos animais
Mod.a3.2.transporte nos animaisMod.a3.2.transporte nos animais
Mod.a3.2.transporte nos animais
 
Modulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossínteseModulo a2.3 fotossíntese
Modulo a2.3 fotossíntese
 
Modulo a2.2 sistemas digestivos
Modulo a2.2 sistemas digestivosModulo a2.2 sistemas digestivos
Modulo a2.2 sistemas digestivos
 
Modulo a2. heterotrofia membrana
Modulo a2. heterotrofia membranaModulo a2. heterotrofia membrana
Modulo a2. heterotrofia membrana
 
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
1.3. modulo a1.3 compostos quimicos.ppt
 
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
1.2. modulo a1.2 a célula.ppt
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 

Módulo a3.1 transporte nas plantas

  • 1. Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 1 Profª Leonor Vaz Pereira BIOLOGIA – Módulo A3 – Utilização da Matéria 1. Transporte nas plantas Plantas não vasculares: São pouco diferenciadas e não apresentam sistemas de transporte de seivas nem tecidos condutores. Vivem em zonas húmidas, o movimento da água efetua-se por osmose e a matéria movimenta-se por difusão de célula a célula. Ex: musgos. Plantas vasculares: Dividem-se em dois grupos: as plantas sem sementes e as plantas com sementes. Têm um duplo sistema de condução de água e solutos, constituído por tecidos especializados (xilema e floema) que estão organizados em feixes condutores e existem em todos os órgãos da planta. Ex: fetos, angiospérmicas e gimnospérmicas. Seiva Bruta ou Xilémica → Água e substâncias minerais dissolvidas → Xilema → Sentido Ascendente Seiva Elaborada ou Floémica → Compostos orgânicos → Floema → Sentido Descendente Localização dos Sistemas de Transporte Folhas: Os feixes condutores de xilema e floema localizam-se ao nível das nervuras das folhas. Estas são mais salientes na página inferior da folha. Os feixes condutores são duplos e colaterais, isto é, cada feixe tem xilema e floema, estando colocados lado a lado. O xilema está mais próximo da página superior e o floema está mais próximo da página inferior. Caule: Nos caules os feixes também são duplos e colaterais. O xilema está voltado para o centro do órgão e o floema está voltado para fora. Raiz: Na raiz os feixes condutores são simples e alternos, isto é, cada feixe tem somente xilema ou floema, os quais alternam. Estrutura dos Tecidos Condutores Xilema: Os seus elementos condutores são os vasos xilémicos, constituídos por células mortas, cujas paredes laterais possuem anéis de lenhina (substância impermeável). Floema: Os seus elementos condutores são os tubos crivosos, constituídos por células vivas, cujas paredes transversais, providas de orifícios, constituem as placas crivosas. Existem ainda, no floema, células de companhia, células vivas com a função de fornecer energia aos tubos crivosos.
  • 2. Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 2 Profª Leonor Vaz Pereira Absorção de água e de solutos pelas plantas A maior parte da água e dos solutos necessários para as atividades da planta são absorvidos pelo sistema radicular da planta. A eficiência deste processo deve-se à presença de pelos radiculares que aumentam a área da superfície da raiz em contacto com o solo. A absorção de água é feita por osmose: Solo (meio hipotónico) → Raiz (meio hipertónico) A absorção de solutos (iões) é feita por transporte ativo: Solo (meio hipotónico) → Raiz (meio hipertónico) Transporte no Xilema Hipótese da pressão radicular A pressão que se exerce na raiz (pressão radicular) pode explicar a ascensão de água no xilema em algumas situações uma vez que se trata do fenómeno causado pela acumulação de iões nas células da raiz que aumenta a concentração de soluto e provoca a entrada de água por osmose para o interior da planta. Gutação: Quando a pressão radicular é muito elevada e faz com que a água ascenda até às folhas onde é libertada nas margens sob a forma de gotas. Exsudação: Quando se procede a uma poda tardia de certas plantas e a água sai através do caule. Experimentalmente: Quando é possível observar a subida de água num tubo colocado no corte de uma planta envasada. Porém, os valores de pressão radicular não são suficientes para explicar a ascensão da água até ao cimo de certas árvores e por vezes nem se verificam e, por isso, é possível afirmar que existem outros fatores responsáveis pela ascensão de água no xilema. Hipótese da tensão-adesão-coesão Transpiração: A água chega às folhas através dos vasos de xilema, depois sai destes vasos por osmose para as células do mesofilo e posteriormente difunde-se para os espaços intercelulares e para a câmara estomática. Através da transpiração o vapor de água é libertado pelo ostíolo para o exterior, também por difusão. Este fenómeno cria uma tensão (pressão negativa) e a água passa do xilema para o mesófilo, onde a pressão osmótica aumentou, por osmose. Coesão e Adesão no xilema: As moléculas de água mantêm-se unidas devido a forças de coesão e aderem às paredes dos vasos devido a forças de adesão, formando uma coluna contínua ascendente (corrente de transpiração). Absorção de água do solo: A ascensão de água cria um défice da mesma no xilema da raiz fazendo com que novas moléculas de água passem para o xilema, o que determina a absorção ao nível da raiz por osmose uma vez que o potencial de água no solo é elevado. A transpiração acaba por ser o “motor” que faz ascender a seiva xilémica e por isso quando a transpiração aumenta, a absorção também aumenta e a ascensão de seiva torna-se mais rápida.
  • 3. Biologia – módulo A3 – Transporte nas plantas Página 3 Profª Leonor Vaz Pereira Controlo da Transpiração: Os estomas são responsáveis por controlar a quantidade de água perdida por transpiração. Estrutura do Estoma Nas células-guarda as paredes celulares que rodeiam o ostíolo são mais espessas do que as paredes que contactam com as outras células da epiderme. As zonas mais finas das paredes celulares têm maior elasticidade do que as zonas de maior espessura. Quando há entrada de água, esta exerce uma pressão de turgescência sobre a parede celular o que provoca a deformação da região mais fina da mesma e leva à abertura dos estomas (meio pobre em iões K+ ). Quando a célula perde água e a pressão de turgescência diminui, o estoma volta à sua forma normal, aproximando-se das células-guarda, o que provoca o fecho dos estomas (obscuridade). Fatores que fazem variar a pressão de turgescência das células-guarda:  Intensidade Luminosa;  Concentração em CO2;  Valores de pH;  Concentração de iões. Transporte no Floema Hipótese do Fluxo de Massa 1. A glicose elaborada nos órgãos fotossintéticos é convertida em sacarose e passa para o floema por transporte ativo. 2. À medida que aumenta a concentração de sacarose nos tubos crivosos, a pressão osmótica aumenta e a água sai do xilema para o floema por osmose. 3. Aumenta a pressão de turgescência, o que faz com que o conteúdo dos tubos crivosos atravesse as placas crivosas por difusão simples. 4. A sacarose passa do floema para locais de consumo ou reserva por transporte ativo. 5. À medida que diminui a concentração de sacarose nos tubos crivosos, a pressão osmótica diminui e a água sai do floema para o xilema por osmose. Evidências • A saída de seiva sob pressão quando se corta pelo estilete um afídio inserido no floema. • Os diferentes gradientes de concentração de sacarose ao longo do floema. Células-Guarda Ostíolo