SlideShare uma empresa Scribd logo
Cadernos de apoio
e aprendizagem
CadernosdeapoioeaprendizagemNATUREZAESOCIEDADE•2ºano
NATUREZA E SOCIEDADE
PROGRAMA . d e   o r i e n t a ç Õ e s  cu r r i cu l a r e s
2o
ano
2o
ano
PREFEITURA DE SÃO PAULO
Prefeito
Gilberto Kassab
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO
Secretário
Alexandre Alves Schneider
Secretária Adjunta
Célia Regina Guidon Falótico
Chefe de Gabinete
Lilian Dal Molin
Diretora de Assessoria Técnica de Planejamento
Sueli Aparecida de Paula Mondini
DIRETORIA DE ORIENTAÇÃO TÉCNICA
Diretora
Regina Célia Lico Suzuki
DIVISÃO DE ORIENTAÇÃO TÉCNICA ENSINO
FUNDAMENTAL E MÉDIO
Diretora
Suzete de Souza Borelli
Equipe de DOT Ensino Fundamental e Médio
Ana Maria Rodrigues Jordão Massa, Clodoaldo Gomes de Alencar
Júnior, Cristhiane de Souza, Delma Aparecida da Silva, Fábio Luiz
Villani, Hugo Luiz de Menezes Montenegro, Humberto Luis de
Jesus, Ione Aparecida Cardoso de Oliveira, Leika Watabe, Leila de
Cássia José Mendes da Silva, Margareth Aparecida Ballesteros
Buzinaro, Maria Emília de Lima, Priscila dos Santos Teixeira, Silvia
Moretti Rosa Ferrari, Tania Nardi de Pádua, Tereza Regina Mazzoni
Vivas, Viviane de Camargo Valadares
DIRETORES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO
Eliane Serafhim Abrantes, Elizabeth Oliveira Dias, Hatsue Ito,
Isaias Pereira de Souza, José Waldir Gregio, Leila Barbosa Oliva,
Leila Portella Ferreira, Maria Angela Gianetti, Maria Antonieta
Carneiro, Marcelo Rinaldi, Silvana Ribeiro de Faria, Sueli Chaves
Eguchi, Waldecir Navarrete Pelissoni
EQUIPE DE AUTORIA
Coordenação
Suzete de Souza Borelli
Autores
Antonia Terra de Calazans Fernandes, Antonio Aparecido Primo
(Nico), Clodoaldo Gomes Alencar Junior, Hugo Luiz de Menezes
Montenegro, Maria de Lourdes da Cunha Montezano, Sonia Maria
Vanzella Castellar, Viviane de Camargo Valadares
Colaboradores
Adriana Eneas Pereira Arena, Alcir Vanderlei Ferreira, Ana Maria
Gonçalves Pravadelli, Ana Rita da Costa, Claudia Abrahão Hamada,
Claudio Maroja, Denise Yurie Yamamoto de Moraes, Edilaine
Sic Vieira Pereira, Edmilson Nazareno Brito, Estela Vanessa de
Menezes, Jayne Maria dos Santos Cruz Lazzarini, José Antonio
Favaron, Leika Watabe, Marcia Bellandi Vital Rodrigues, Margareth
Aparecida Ballestelos Buzinaro, Maria do Socorro Ferreira Gomes,
Marilia Groke Marques, Paulo Sérgio Rocato, Ronilde Rocha
Machado (Rona), Silvia Aparecida Lacerda Papa.
Leitura Crítica
Adriana Eneas Pereira Arena, Alcir Vanderlei Ferreira, Ana Maria
Goncalves Pravadelli, Claudia Abrahão Hamada, Denise Yurie
Yamamoto de Moraes, Edilaine Sic Vieira Pereira, Edmilson
Nazareno Brito, Estela Vanessa de Menezes, Jayne Maria dos
Santos Cruz Lazzarini, José Antonio Favaron, Maria do Socorro
Ferreira Gomes, Marilia Groke Marques, Paulo Sérgio Rocato,
Silvia Aparecida Lacerda Papa.
EQUIPE EDITORIAL
Coordenação Centro de Multimeios / SME
Magaly Ivanov
Direitos Autorais
Lilian Lotufo Pereira P. Rodrigues e Patricia Martins da Silva Rede
Seleção de Imagens - Memorial do Ensino Municipal
Eliete Carminhotto e Valquíria Martins Pereira
Projeto Gráfico
Fundação Padre Anchieta
Editoração
Ana Rita da Costa e Antonio Carvalho de Faria Neto
Ilustrações
Ana Rita da Costa
Revisão
Cristhiane de Souza, Ione Aparecida Cardoso Oliveira e Leila de
Cássia José Mendes da Silva
2o
ano
2012
Cadernos de apoio
e aprendizagem
NATUREZA E SOCIEDADE
P R O G R A M A . d e   or i e n t a ç Õ e s   c u rr i c u l ar e s
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
São Paulo (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de
Orientação Técnica.
Cadernos de apoio e aprendizagem: Natureza e Sociedade – 2º ano /
Secretaria Municipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2012.
88p. : il.
ISBN Eletrônico / Internet: 978-85-60686-44-5
ISBN Eletrônico / Publicação Digitalizada: 978-85-60686-45-2
1.Ensino Fundamental I.Título
CDD 372
Código da Memória Técnica: SME24/2012
Querido aluno,
Esta publicação foi produzida exclusivamente para você e – com
seus outros materiais de estudo – vem para colaborar em sua
aprendizagem.
Neste Caderno de Apoio e Aprendizagem – Natureza e Sociedade,
você terá oportunidade de conhecer outros aspectos da vida em
sociedade e o conjunto de relações com a Natureza envolvendo a
História, a Geografia e as Ciências Naturais.
Nas atividades propostas, você pode levantar hipóteses, realizar
experimentos, fazer pesquisas, coletar e organizar informações
diversas para verificar o que foi aprendido e o que ainda precisa ser
conhecido.
Há um detalhe importante: as atividades poderão ser realizadas
diretamente nas páginas do Caderno de Apoio e Aprendizagem de
Natureza e Sociedade, sem que você precise copiar os enunciados.
O importante é resolver todas as atividades da melhor forma e
participar expondo suas ideias, perguntando, permanecendo atento
às explicações dos colegas e do professor e também solicitando
ajuda quando tiver dúvidas...
Esperamos que, assim, você construa cada vez melhor seus
conhecimentos e, com isso, tenha o desejo de continuar aprendendo
sempre mais.
Bom estudo para você!
Alexandre Alves Schneider
Secretário Municipal de Educação de São Paulo
Livro 2 Ano Ciencias da Natureza SESP
Índice
Unidade 1 - Alimentação, cultura e saúde.  .  .  .  .  .  . 7
   Atividade 1 A CONVERSA É ... .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  7
   Atividade 2 A QUESTÃO É... AS PESSOAS SE ALIMENTAM DAS MESMAS COISAS?.  .  .  .  .  .  .  8
   Atividade 3 A ORIGEM DOS ALIMENTOS .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  11
   Atividade 4 QUAL O PERCURSO DO ALIMENTO ATÉ CHEGAR A NOSSA MESA? .  .  .  .  .  .  . 14
Atividade 5 	 COMO OS ALIMENTOS SAEM DO CAMPO PARA A MESA?.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  16
Atividade 6 	 PARA CONHECER UM POUCO MAIS.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  21
Atividade 7 	 OBTER ALIMENTO É A GRANDE QUESTÃO .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  23
Atividade 8 	 O QUE APRENDEMOS NESSA UNIDADE .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 26
Unidade 2 - hábitos culturais .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 29
ATIVIDADE 1 	 A CONVERSA É....  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 30
ATIVIDADE 2 	 A QUESTÃO É...O QUE FAZ PARTE DA SUA ALIMENTAÇÃO?.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  30
ATIVIDADE 3 	 A QUESTÃO É...COMO AS PESSOAS E OS ANIMAIS FAZEM PARA SE ALIMENTAR?.  34
ATIVIDADE 4	 A QUESTÃO É...COMO OS ALIMENTOS CHEGAM ATÉ NÓS? .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 40
ATIVIDADE 5	 HÁBITOS E COSTUMES ALIMENTARES .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 44
ATIVIDADE  6	 A QUESTÃO É... OS NOSSOS ALIMENTOS DE HOJE SÃO OS MESMOS DE .  .  .  .  .
	 ANTIGAMENTE?.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  46
ATIVIDADE  7	 A QUESTÃO É... HÁ ALIMENTOS PARA DETERMINADA ÉPOCA DO ANO? .  .  .  . 48
ATIVIDADE  8 	 O QUE APRENDEMOS NESTA UNIDADE.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  50
Unidade 3 - locais de convívio.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 51
ATIVIDADE  1 	 A CONVERSA É ....  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  52
ATIVIDADE  2 	 A QUESTÃO É... SERÁ QUE OS NOSSOS COSTUMES
	 CONTRIBUEM PARA A NOSSA SAÚDE? .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 52
ATIVIDADE  3 	 O PERCURSO DOS DEJETOS NAS RUAS DO CENTRO ANTIGO.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  54
ATIVIDADE  4 	 AS RESPONSABILIDADES PARA A MANUTENÇÃO DE UM AMBIENTE SAUDÁVEL.  .  58
ATIVIDADE  5 	 CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 62
ATIVIDADE  6 	 O QUE APRENDEMOS NESSA UNIDADE.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  64
  Unidade 4 - percepção do corpo e do ambiente. .  .  .  . 65
ATIVIDADE  1 	 A CONVERSA É... .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 65
ATIVIDADE  2 	 A QUESTÃO É... COMO PERCEBEMOS O AMBIENTE EM QUE VIVEMOS?.  .  .  .  66
ATIVIDADE  3 	 VOCÊ SABIA?.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  71
ATIVIDADE  4 	 A QUESTÃO É... COMO RECONHECEMOS AS CONDIÇÕES DO TEMPO
	 ATMOSFÉRICO NO DIA A DIA?. .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 76
ATIVIDADE  5 	 QUESTÃO É... QUAIS OS MATERIAIS QUE ESCOLHEMOS PARA A NOSSA .  .  .  .  .
	 PROTEÇÃO? .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  79
ATIVIDADE  6 	 AGORA É COM VOCÊ.  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  83
ATIVIDADE  7	 O QUE APRENDEMOS NESTA UNIDADE .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  .  . 84
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      7  
Unidade 1
alimentação,
cultura e saúde
PARA começo DE CONVERSA...
FOTOsAntoniaTerra
NESSA UNIDADE VAMOS
ESTUDAR SOBRE OS ALIMENTOS:
ORIGEM, PREPARO E HÁBITOS
ALIMENTARES DE PESSOAS E
OUTROS SERES VIVOS.
Atividade 1 	 A CONVERSA É ...
1.	 VAMOS CONVERSAR SOBRE As IMAGEns acima.
	 • QUE LUGARES SÃO ESSES?
	 • O QUE ESSAS PESSOAS ESTÃO FAZENDO?
	 • VOCÊS COSTUMAM VIVER SITUAÇÕES COMO ESSAS? COMO?
  8      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
2.	 AGORA, CADA UM DA TURMA FALA O NOME DE UM ELEMENTO
DIFERENTE QUE OBSERVOU NAs imagens.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
Atividade 2 	 A QUESTÃO É... aS PESSOAS SE ALIMENTAM
DAS MESMAS COISAS?
1.	VAMOS CONVERSAR SOBRE OS ALIMENTOS QUE ESTAVAM
PRESENTES NAS NOSSAS REFEIÇÕES DE ONTEM.
2.	 escreva uma LISTA DESSES ALIMENTOS.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
3.	 pinte NOS QUADROS A SEGUIR OS ALIMENTOS QUE VOCÊ
COMEU OU BEBEU NAS REFEIÇÕES DA SEMANA PASSADA,
CONFORME A LEGENDA.
COMEU NÃO COMEU
BEBEU NÃO BEBEU
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      9  
CAFÉ DA MANHÃ
SUCO LEITE
PÃO SALGADINHO
BISCOITO OVOS
CHÁ FRUTAS
ALMOÇO E JANTAR
ARROZ FEIJÃO
SALSICHA cenoura
MACARRÃO carne moída
PEIXE LINGUIÇA
BIFE BATATA
ALFACE TOMATE
REPOLHO ABOBRINHA
LANCHES
SORVETE BOLO
PUDIM GELATINA
BALA CHOCOLATE
BANANA LARANJA
MELANCIA MAÇÃ
  10      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
5.	HOUVE ALGUM ALIMENTO NA LISTA QUE VOCÊS NÃO
AGRUPARAM?
	
QUAL?________________________________________________________
POR QUÊ?_____________________________________________________
4.	EM DUPLA, OLHEM NOVAMENTE PARA OS ALIMENTOS DOS
QUADROS E ORGANIZE-os em GRUPOS, SEGUNDO seus CRITÉRIOs.
NÃO SE ESQUEÇAM DE DAR NOME PARA CADA AGRUPAMENTO
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      11  
6.	APRESENTE PARA A TURMA OS AGRUPAMENTOS FEITOS PELA
SUA DUPLA.
7.	COMO VIMOS, CADA DUPLA CRIOU UM MODELO DIFERENTE DE
AGRUPAMENTO. TODOS ELES SÃO VÁLIDOS E INTERESSANTES.
LISTe ESSES ALIMENTOS, CONFORME A ORGANIZAÇÃO EM UM
SUPERMERCADO.
Atividade 3 	 A ORIGEM DOS ALIMENTOS
OS ALIMENTOS SÃO TODAS AS SUBSTÂNCIAS UTILIZADAS PELOS
SERES VIVOS PARA A CONSTRUÇÃO DO CORPO, OU SEJA, PARA O
CRESCIMENTO, MOVIMENTO, REPRODUÇÃO E PARA OUTRAS TANTAS
COISAS QUE O CORPO FAZ?
1.	 escreva os nomes dos alimentos que compõem esta
refeição.
VERDURAS FRUTAS	 CARNES	 LEITE E	 OUTROS
E LEGUMES		 			 DERIVADOS	
FotoVivianeValadares
  12      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
2.	 IDENTIFIque O QUE É DE ORIGEM VEGETAL, ANIMAL E MINERAL
NESTA REFEIÇÃO. EM SEGUIDA, ANOTe NA TABELA ABAIXO:
VEGETAL			 ANIMAL		 MINERAL
V O C ê S A B I A . . .
...QUE OS ALIMENTOS QUE VêM DA TERRA, COMO OS LEGUMES, AS
FRUTAS, OS CEREAIS, OS TEMPEROS SÃO DE ORIGEM VEGETAL?
...QUE OS ALIMENTOS QUE VêM DOS ANIMAIS, COMO A CARNE, O
LEITE, OS OVOS, O MEL, O QUEIJO, A MANTEIGA, IOGURTE SÃO DE
ORIGEM ANIMAl?
...QUE A ÁGUA E O SAL SÃO ALIMENTOS DE ORIGEM MINERAL?
3.	 É HORA DE PESQUISAR. CONVERSe COM A PESSOA RESPONSÁVEL
PELA MERENDA DA sua ESCOLA PARA DESCOBRIR:
	 A) COMO É ESCOLHIDO o CARDÁPIO DE cada DIA.
		 1) QUEM ESCOLHE A MERENDA?
		 2) A MERENDA É TODO DIA IGUAL?
		 3) QUEM PREPARA A MERENDA?
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      13  
4.		ESCOLHA UMA SEMANA DO MÊS E REGISTRE O CARDÁPIO DA SUA
ESCOLA.
DATA:__________ 			 NOMES DOS ALIMENTOS
MÊS DE:________
SEGUNDA-FEIRA
TERÇA-FEIRA
QUARTA-FEIRA
QUINTA-FEIRA
SEXTA-FEIRA
  14      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 C) CIRCULE COM LÁPIS DE COR VERDE OS NOMES DOS
	 ALIMENTOS DESSE CARDÁPIO QUE VOCÊ TAMBÉM COME
	em CASA.
	 D) CIRCULE COM LÁPIS DE COR VERMELHA O QUE TEM NA
	 MERENDA QUE VOCÊ NUNCA COME EM SUA CASA.
Atividade 4 	 A QUESTÃO É... QUAL O PERCURSO DO
ALIMENTO ATÉ CHEGAR A NOSSA MESA?
1.	 OBSERVE A IMAGEM.
FOTOsdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      15  
A) O QUE ESSA PESSOA ESTÁ VENDENDO?
B) VOCÊ JÁ VIU PESSOAS VENDENDO ESSE PRODUTO? ONDE?
C) ESSE PRODUTO É USADO NA SUA ALIMENTAÇÃO?
D) QUAL O NOME DESSE ALIMENTO?
2.	 observe as informações relacionadas com a origem e o
consumo da mandioca.
3.	 organize as informações representadas numa 			
sequência, desde a origem até o consumo.
Colheita
Plantação
Transporte
ceasa
feira/
quitanDa/
mercado
4.	 VAMOS DESCOBRIR OS PONTOS DE VENDA DE ALIMENTOS
PRÓXIMOS DA ESCOLA.
	a) NO CAMINHO DA ESCOLA, OBSERVe ONDE HÁ VENDA DE 		
	 PRODUTOS QUE ENTRAM NA NOSSA ALIMENTAÇÃO:
	 MERCEARIAS, SUPERMERCADOS, PADARIAS, QUITANDAS,
	 FEIRAS...
  16      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	b) ANOTe O NOME DAS RUAS ONDE ESTÃO ESSES LUGARES
	 DE VENDA.
TIPO DE COMÉRCIO	 RUA / AVENIDA / PRAÇA
	c) NO QUADRO A SEGUIR FAÇA UM DESENHO DOS LOCAIS DE
	 VENDA DE ALIMENTOS, TENDO COMO PONTO DE REFERÊNCIA
	 A ESCOLA.
Atividade 5 	 COMO OS ALIMENTOS SAEM DO CAMPO PARA A
MESA?
VOCÊ SABIA QUE A MANDIOCA É UMA RAIZ?
VAMOS, ENTÃO, CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A MANDIOCA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      17  
( )
( )
FOTOsdivulgação
1.	 OBSERVE ESSAS IMAGENS, MARQUE COM UM x QUAL delas VOCÊ
IMAGINA QUE É A MANDIOCA. FALE SOBRE SUA ESCOLHA.
( )
Fotos:SuzeteBorelli
FotoDivulgação
  18      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
2.	VAMOS CONHECER COMO A MANDIOCA SE TRANSFORMA EM
ALIMENTAÇÃO OBSERVANDO O ESQUEMA ABAIXO.
COMO NASCEU A MANDIOCA
(LENDA DOS PARECIS, INDÍGENAS BRASILEIROS)
ZATINARÉ E SUA MULHER, KOKOTERÔ, TIVERAM DOIS FILHOS: ATIOLÔ
E ZOKOOIÊ. ATIOLÔ ERA MENINA. POR
ESTA RAZÃO O PAI NÃO LHE DAVA A
MENOR IMPORTÂNCIA; TRATAVA—A
DISPLICENTEMENTE E, SE ELA DIZIA ALGUMA
COISA, RESPONDIA-LHE ASSOBIANDO. A
POBREZINHA NÃO SE LEMBRAVA DE UMA
SÓ VEZ QUE TIVESSE OBTIDO DELE UMA
RESPOSTA EM PALAVRAS. POR ISSO, VIVIA
TRISTE E ACABRUNHADA PELOS CANTOS DA
OCARA; NÃO SORRIA, NÃO BRINCAVA...
3.	A MANDIOCA É UMA PLANTA MUITO ANTIGA UTILIZADA NA
ALIMENTAÇÃO DOS BRASILEIROS. É CULTIVADA HÁ SÉCULOS PELAS
POPULAÇÕES INDÍGENAS. A IDeIA HOJE É CONHECER COMO O
POVO “PARECI” CONTA A LENDA DA ORIGEM DA MANDIOCA.
ouça a leitura dessa lenda.
PUBLICADA NA REVISTA HORIZONTE GEOGRÁFICO;
sp; EDITORA HORIZONTE, ANO23-ED.128/2010 - P.32
AUTOR SERGIO ADEODATO
WWW.HORIZONTEGEOGRAFICO.COM.BR
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      19  
UM DIA, TOMOU UMA RESOLUÇÃO. FOI A SUA MÃE E PEDIU-LHE QUE A
ENTERRASSE VIVA: “TALVEZ DESSE MODO, MAMÃE, EU POSSA FAZER ALGO
DE BOM POR NOSSO POVO”. “NÃO FALES ASSIM!”, REPLICOU A MÃE,
ATERRORIZADA COM A IDEIA.
FINALMENTE, APÓS VÁRIOS DIAS DE INSISTÊNCIA, ATIOLÔ CONSEGUIU
CONVENCÊ-LA. A MÃE TOMOU A FILHA E LEVOU-A ATÉ UM CERRADO.
SEPULTOU-A ALI. MAS O SOL ESTAVA MUITO QUENTE. A MENINA SENTIA
MUITO CALOR. QUERIA OUTRO LUGAR.
NOVAMENTE, TOMOU-A KOKOTERÔ; DESTA VEZ, ESCOLHEU O CAMPO,
ABERTO E DE CAPIM VERDE E MACIO. ENTERROU-A. O CALOR, PORÉM,
ERA AINDA MAIOR. ATIOLÔ NÃO QUIS FICAR ALI.
ENFIM, ACHARAM UM BOM LOCAL. ERA O BOSQUE, ESCURO, SILENCIOSO,
CALMO. LÁ, A MENININHA NÃO SOFRERIA; LÁ PODERIA DESCANSAR
SOSSEGADA.
ATIOLÔ ROGOU À MÃE QUE SE AFASTASSE. ATENDENDO-A, A MULHER
FOI SE RETIRANDO. CONTUDO, NÃO PÔDE RESISTIR E VOLTOU-SE DO
TÚMULO, SAÍA UMA PLANTINHA QUE IA CRESCENDO VAGAROSAMENTE.
CORREU PARA A SEPULTURA; A PLANTINHA DIMINUIU.
DESDE ESSE DIA, COMEÇOU A TRATÁ-LA. TODAS AS TARDES, REGAVA-A
COM ÁGUA FRESCA. A ARVOREZINHA DESENVOLVEU-SE. PASSARAM-SE
VÁRIAS LUAS. QUANDO NINGUÉM ESPERAVA, UM GRITO IRROMPEU DO
SOLO. A ÍNDIA TREMEU DE MEDO. AGARROU O ARBUSTO PELO CAULE E
ARRANCOU-O. QUE SURPRESA! A RAIZ ERA GRANDE E GROSSA; A CASCA
ERA MORENA, DA COR DA PELE DAS JOVENS DA TABA; A POLPA ERA
BRANCA E GOSTOSA.
KOKOTERÔ COLOCOU-A NAS COSTAS E CARREGOU-A PARA CASA.
MOSTROU-A AOS ÍNDIOS. ESTAVAM TODOS ESPANTADOS. “NUNCA
VIMOS ISSO ANTES!”, DIZIAM UNS PARA OS OUTROS. PROVARAM-NA E
GOSTARAM.
ERA A MANDIOCA, UM DOS MELHORES ALIMENTOS QUE TÊM OS ÍNDIOS
ATÉ HOJE. EIS POR QUE A MANDIOCA NÃO CRESCE BEM NO CAMPO OU
NO CERRADO. PREFERE SEMPRE A SOMBRA DA FLORESTA.
WWW.LENDORELENDOGABI.COM/LENDAS_DE_PLANTAS1.HTM
  20      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
4.	A MANDIOCA TEM SIDO PREPARADA PELOS DIFERENTES POVOS
INDÍGENAS PARA SUA ALIMENTAÇÃO. VAMOS agora CONHECER
O PREPARO DO BEIJU.
PARA FAZER O BEIJU, AS ÍNDIAS MISTURAM FARINHA DE
MANDIOCA COM ÁGUA, E SOCAM EM UM PILÃOZINHO. QUANDO
A ASSADEIRA (DE BARRO) ESTÁ SUFICIENTEMENTE QUENTE,
COLOCAM SOBRE ELA ALGUNS BOCADOS DE MANDIOCA,
ESPALHANDO-OS E DANDO-LHES FORMA ARREDONDADA, DEPOIS,
ALISAM-NO COM A PAZINHA DE MADEIRA. QUANDO UM LADO
ESTÁ ASSADO, VIRAM-NO DO OUTRO ATÉ DOURAR. O BEIJU NADA
MAIS É QUE MANDIOCA e ÁGUA.
ALGUMAS ÍNDIAS ACRESCENTAM À FARINHA UM POUCO DE
POLVILHO (TAMBÉM MANDIOCA). DIZEM OS SERTANISTAS QUE
COMERAM BEIJU QUE, AINDA QUENTES, ELES SÃO BASTANTES
GOSTOSOS.
ALGUMAS TRIBOS QUANDO FAZEM OS BEIJUS, ABREM UM
BURACO NAS CINZAS DE UMA FOGUEIRA E ALI COLOCAM OS
BOLOS, ATIÇANDO-OS COM UM PAU. COBREM DEPOIS TUDO
COM CINZAS E BRASAS; NO FIM DE ALGUM TEMPO, DESCOBREM
UM GRANDE BOLO TOSTADO E CHEIROSO, UM TANTO AZEDO
QUE DIZEM OS SERTANISTAS, NÃO SERIA DESAGRADÁVEL, SE
NÃO TIVESSE TANTA CINZA E NÃO FOSSE PREPARADO POR TÃO
DESASSEADO PROCESSO.
ALGUMAS VARIAÇÕES DE BEIJU SÃO MUITO USADAS NO NORTE
DO BRASIL ONDE ELE TEM DIFERENTES NOMES BEIJURAÇU,
CURADÁ, BEIJU-CICA ETC.
O PREPARO DA MANDIOCA É TRABALHO FEMININO.
ALIMENTAÇÃO INDÍGENA VERA LÚCIA MATHIASI
(Mathiasi, Vera Lúcia. “Alimentação indígena”. Gazeta Comercial, 30 de março de 1969)
http://www.jangadabrasil.com.br/revista/outubro117/cp11710.asp
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      21  
Atividade 6 	 Para conhecer um pouco mais...
DAS ALDEIAS INDÍGENAS PARA O MUNDO. FORAM AS POPULAÇÕES
INDÍGENAS QUE PRIMEIRO UTILIZARAM A MANDIOCA PARA SUA
ALIMENTAÇÃO. MAS, COM O TEMPO E O ENCONTRO ENTRE MUITOS
POVOS DO MUNDO, A MANDIOCA SE ESPALHOU. ATUALMENTE, MAIS
DE UM BILHÃO DE PESSOAS ALIMENTAM-SE DA MANDIOCA PREPARADA
DE DIFERENTES MANEIRAS.
1.	 AGORA VAMOS LER UMA RECEITA ANTIGA DE BISCOITO
FEITO COM GOMA DE MANDIOCA. REPARE QUE O MODO
	 DE FAZER TAMBÉM É MUITO ANTIGO E QUE AS MEDIDAS NÃO SÃO
TÃO EXATAS PARA OS DIAS DE HOJE.
BISCOITO DE POLVILHO
INGREDIENTES
3 TIGELAS DE POLVILHO
1 XÍCARA DE FUBÁ DE MILHO
7 OVOS
1 XÍCARA E MEIA DE GORDURA DERRETIDA
1 PRATO E MEIO DE LEITE
SALMOURA
UM POUCO DE AÇÚCAR REFINADO
MODO DE FAZER:
JUNTAR TODOS OS INGREDIENTES EM UMA TIGELA GRANDE
AMASSAR COM LEITE ATÉ FICAR EM CONSISTÊNCIA DE
ENROLAR. O FORNO DEVE SER UM POUCO ESPERTO.
FotoDivulgação
  22      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
TÍTULO DA RECEITA:
INGREDIENTES:
MODO DE FAZER:
2.	IDENTIFIQUE E ANOTE ABAIXO OS OBJETOS UTILIZADOS PARA
MEDIR OS INGREDIENTES.
3.	 O DESAFIO AGORA É PESQUISAR NA SUA FAMÍLIA UMA RECEITA
QUE UTILIZA A MANDIOCA. ESCREVa A RECEITA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      23  
4.	 CONVERSE COM SEUS COLEGAS COMPARANDO A RECEITA ATUAL
COM A RECEITA ANTIGA, AS MEDIDAS, O MODO DE FAZER, OS
UTENSÍLIOS UTILIZADOS.
5.	 VAMOS EXPERIMENTAR? É HORA DE ESCOLHER UMA DAS
RECEITAS PARA PREPARÁ-LA NA ESCOLA. MÃOS À OBRA.
6.	 DESENHE OS OBJETOS UTILIZADOS NO PREPARO DA RECEITA.
A) ESCOLHA UM DOS OBJETOS E COMPARE O DESENHO
DESSE OBJETO COM O DO SEU COLEGA.
B) ELES SE PARECEM?
C) ESTão NA MESMA POSIÇÃO?
D) SÃO DO MESMO TAMANHO?
E) A FORMA É A MESMA?
Atividade 7 	 obter alimento é a grande questão
1.	 ATÉ AQUI ESTUDAMOS COMO AS PESSOAS OBTêM E CONSOMEM
OS ALIMENTOS. OBSERVE AS IMAGENS ABAIXO PARA CONHECER
OS HÁBITOS ALIMENTARES DOS SERES VIVOS.
  24      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
FOTOdivulgação
bugio
garça
MENINa
vaca
FOTOHUGOMONTENEGROFOTOlilianborges
FOTOdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      25  
2.	 EM SEGUIDA, REUNA-SE COM UM COLEGA E CONVERSEM SOBRE
O NOME DE ALGUNS ALIMENTOS QUE NORMALMENTE FAZEM
PARTE DA ALIMENTAÇÃO:
Do bugio_____________________________________________________
Da MENINa ___________________________________________________
Da Garça ____________________________________________________
Da vaca ______________________________________________________
3.	 AGORA É SÓ CLASSIFICá-LOS. faça UMA LINHA LIGANDO OS
SERES VIVOS À SUA ALIMENTAÇÃO MAIS FREQUENTE.
TIPOS DE ALIMENTAÇÃO
MAIS FREQUENTES
SERES VIVOS
VEGETAIS
(HERBÍVOROs)
CARNES
(CARNÍVOROS)
TANTO CARNE COMO
VEGETAIS
(ONÍVOROS)	
FOTOlilianborges
FOTOdivulgaçãoFOTOdivulgação
  26      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
4.	 O QUE VOCÊ SABE SOBRE A ALIMENTAÇÃO DE OUTROS
ANIMAIS? O QUE SERÁ QUE COMEM OS GATOS, PASSARINHOS,
CACHORROS, COELHOS? EM DUPLA, CONVERSEM , ESCOLHAM
UM ANIMAL E ESCREVAM UM TEXTO informativo SOBRE SUA
ALIMENTAÇÃO.
Atividade 8 	 o que Aprendemos nessa unidade
5.	 OBSERVE AS IMAGENS. VAMOS CONVERSAR SOBRE O QUE VOCÊ
APRENDEU NESSA UNIDADE.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      27  
FOTOANTONIATERRA
FOTOVIVIANEVALADARES
  28      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
6.	 AGORA, É HORA DO NOSSO MURAL. PENSANDO NO QUE
APRENDEMOS SOBRE ALIMENTOS PESQUISe NA sua CASA UMA
RECEITA PREFERIDA PARA COMPARTILHAR NO MURAL COM seuS
COLEGAS DA CLASSE.
FOTOdivulgação
FOTOdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      29  
Unidade 2
Hábitos culturais
PARA COMEÇO DE CONVERSA...
NESTA UNIDADE VAMOS ESTUDAR HÁBITOS CULTURAIS
DAS PESSOAS QUANDO SE ALIMENTAM, VAMOS CONHECER
COMO ALGUNS ALIMENTOS SÃO OBTIDOS, TRANSPORTADOS,
COMERCIALIZADOS E CONSUMIDOS. NO FINAL Da UNIDADE
FARemos UMA FESTA na qual TODOS poderão preparar OS
ALIMENTOS que serão servidos.
FOTOaNTONIaterra
  30      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 1 	 A CONVERSA É...
A FOTO da página 29 é DE UMA FEIRA na cidade de SÃO PAULO.
1) O QUE CHAMA SUA ATENÇÃO NA FOTO?
2) VOCÊ RECONHECE ALGUM ALIMENTO PRESENTE NESSA
FOTO? QUAL?
Atividade 2 	 A qUESTÃO É...O QUE FAZ PARTE DA SUA
ALIMENTAÇÃO?
1.	OBSERVE AS IMAGENS E ESCREVA O NOME DO QUE FAZ PARTE DA
SUA ALIMENTAÇÃO.
FOTOaNTONIaterra
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      31  
FOTOantoniaterraFOTOantoniaterra
  32      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
2.	O MILHO É UM ALIMENTO PRESENTE NA ALIMENTAÇÃO DE
PESSOAS E ANIMAIS DE VÁRIOS LUGARES DO MUNDO. CONHEça
ALGUNS EXEMPLOS DE ALIMENTOS FEITOS DE MILHO.
ESCREVA AO LADO o NOME DESSES ALIMENTOS (peça ajuda para
sua família, se precisar):
3.	O TRIGO TAMBÉM É UM GRÃO EXTRAÍDO DE UMA PLANTA E
TRANSFORMADO EM FARINHA QUE USAMOS MUITO NA NOSSA
ALIMENTAÇÃO. PESQUISE UMA RECEITA DE ALIMENTO QUE
TENHA FARINHA DE TRIGO NA SUA COMPOSIÇÃO. ESCREVA
ABAIXO A RECEITA:
FOTOdivulgaçãoFOTOdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      33  
4.	NESSA RECEITA OBSERVAMOS QUE UM DOS INGREDIENTES É A
FARINHA DE TRIGO. O DESAFIO AGORA É PENSAR E ESCREVER
O NOME DE QUATRO ALIMENTOS, QUE VOCÊ CONHEÇA QUE
CONTENHAM FARINHA DE TRIGO NA SUA COMPOSIÇÃO. PEÇA
AJUDA A UM ADULTO, SE PRECISAR.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
NOME
INGREDIENTES
MODO DE FAZER
  34      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 3 	a questão é...como as pessoas e os
animais fazem para se alimentar?
1.	 VAMOS OBSERVAR AS IMAGENS A SEGUIR IDENTIFICANDO
AS DIFERENÇAS NOS COMPORTAMENTOS ALIMENTARES
APRESENTADOS:
2.	DIFERENCIe COMPORTAMENTOS EM RELAÇÃO À ALIMENTAÇÃO,
CONFORME A LEGENDA.
COMPORTAMENTO HUMANO COMPORTAMENTO ANIMAL
PLANTAR CISCAR
COZINHAR COMPRAR ALIMENTOS
SENTAR À MESA PASTAR
comer pendurado CONSERVAR COMIDA
em galhos
FOTOdivulgação
FOTOMEMORIALsme-sp
FOTOdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      35  
COMO VOCÊ JÁ SABE OS ANIMAIS, DIFERENTEMENTE DAS PESSOAS
CONSEGUEM SEUS ALIMENTOS DIRETAMENTE DA NATUREZA. ELES
NÃO PRODUZEM SEUS ALIMENTOS COMO AS PESSOAS FAZEM.
3.	CONHEça AGORA OS HÁBITOS ALIMENTARES DE ALGUNS ANIMAIS
COMO O GOLFINHO, TARTARUGA MARINHA E CARANGUEJO.
EM DUPLA, LEIA COM MUITA ATENÇÃO CADA TEXTO, GRIFANDO AS
PARTES QUE INFORMAM OS HÁBITOS ALIMENTARES DESSES ANIMAIS.
INVESTIGUE TAMBÉM OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE
ONDE VIVEM, O SEU PESO, COMPRIMENTO, NÚMERO DE FILHOTES.”
VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR
GOLFINHO
todo mundo pensa que o golfinho é um peixe, mas não é. ele é um mamífero,
assim como a baleia. vive nos oceanos e mares de todo o mundo, perto ou
longe dos continentes. no brasil pode ser visto ao longo de todo o litoral,
do nordeste ao rio grande do sul.
Sua alimentação consiste principalmente de peixes e lulas. mede de 1,5 a 3,5
metros de comprimento e pode pesar até 110 kg. o período de gestação é
de dez a onze meses. os filhotes nascem com pouco menos de 1 metro e são
amamentados durante cerca de 14 meses. a fêmea tem um filhote a cada três
anos. Esse animal vive em média 20 a 35 anos.
os golfinhos vivem em grupos que podem chegar a milhares de animais, entre
os que vivem no oceano. é possível ver até 500 golfinhos juntos.
São ágeis, velozes e acrobatas. saltam e nadam na proa de embarcações. as
vocalizações incluem vários estalos e assobios. sabe-se que o golfinho-
comum pode megulhar até 280 metros, ficando embaixo d´água por cerca de
oito minutos. depois ele tem de subir para respirar.
fonte: www.terra.com.br/criancas/bichos/golfinhos.htm
4.	AGORA, PREENCHA A FICHA TÉCNICA INFORMANDO OS HÁBITOS
ALIMENTARES E AS CARACTERÍSTICAS DO GOLFINHO, da
tartaruga marinha e do caranguejo
  36      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Ficha do Golfinho
NOME: ________________________________________________________________
PESO:_________________________________________________________________
COMPRIMENTO:________________________________________________________
ONDE VIVE:____________________________________________________________
ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________
FILHOTES:_____________________________________________________________
TARTARUGA MARINHA
As tartarugas marinhas existem há mais de 150 milhões de anos.
Seu casco é coberto de escamas de queratina, o mesmo material
das nossas unhas. São encontradas em todos os oceanos do
mundo e se alimentam de algas, peixes, água vivas, moluscos,
ouriços e caranguejos.
Existem sete espécies de tartarugas marinha: tartaruga-verde,
tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente, tartaruga-oliva,
tartaruga-gigante, tartaruga-australiana e tartaruga-kemp. A
maior do mundo é a tartaruga-de-couro, também chamada de
tartaruga-gigante. Ela pode pesar cerca de 700 quilos e chega a
ter 2 metros de comprimento. A menor é a tartaruga-oliva. Ela
mede cerca de 60 centímetros.
somente as fêmeas saem da água. elas voltam ao local onde
nasceram, cavam um buraco e depositam seus ovos. uma
tartaruga fêmea coloca em média 130 ovos por vez.
Assim que os filhotes nascem, correm para o mar. a corrida
pela areia da praia até o mar é o momento mais perigoso na
vida da tartaruguinha. pequena e frágil, são alvos fáceis para
caranguejos, aves e outros bichos. de cada mil tartarugas que
saem dos ovos, apenas uma ou duas sobrevivem.
as tartarugas podem ficar fora da água por quanto tempo
quiserem, desde que não se exponham ao sol e ao calor.
adaptado de www.recreioonline.abril.com.br
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      37  
Ficha da tartaruga marinha
caranguejo
o caranguejo é um crustáceo. ele tem uma carapaça que é uma espécie de
casco que protege a cabeça e o corpo. vive em todas as regiões do planeta,
especialmente perto da água. no brasil, muitas espécies habitam regiões
de mangue. é comum encontrarmos nessas áreas os caranguejos como
guaiamu, nagoa, siri-baú e siri-candeis.
em geral são animais pequenos, que medem cerca de 9 centímetros. sua
alimentação inclui moluscos, tatuíras, vegetais e restos de animais mortos.
na ilha trindade, no espírito santo, há carangueijos que levam máquinas
fotográficas e outros objetos dos turistas para o mar.
os machos costumam lutar entre si para conquistar a fêmea. eles usam as
pinças na briga. os caranguejos machos de espécie uçá têm uma das patas da
frente transformada em garra. com ela, defendem o território. a outra pata
do par, que é menor, é usada para cavar.
o caranguejo-fantasma é todo branco e sai à noite. ele corre bastante, de
lado. o siri é chamado de caranguejo do mar, porque tem as duas últimas
patas achatadas em forma de remo e é ótimo nadador. 	
	
adaptado de www.recreioonline.abril.com.br
NOME: ________________________________________________________________
PESO:_________________________________________________________________
COMPRIMENTO:________________________________________________________
ONDE VIVE:____________________________________________________________
ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________
FILHOTES:_____________________________________________________________
  38      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Ficha do caranguejo
NOME: ________________________________________________________________
PESO:_________________________________________________________________
COMPRIMENTO:________________________________________________________
ONDE VIVE:____________________________________________________________
ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________
5.	ESCOLHa UM DOS ANIMAIS ESTUDADOS E ESCREVa UM texto
“VOCÊ SABIA...” SOBRE COMO ELE CONSEGUE SEU ALIMENTO.
você sabia...
6.	VAMOS PENSAR AGORA SOBRE COMO AS PESSOAS CONSEGUEM
OS SEUS ALIMENTOS.
AS PESSOAS APRENDERAM A CONSEGUIR ALIMENTOS OBSERVANDO
A NATUREZA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      39  
APRENDERAM A COLHER FRUTOS, A CAÇAR, A PESCAR,
A DOMESTICAR E CRIAR ANIMAIS, A PLANTAR E A FAZER
INSTRUMENTOS QUE FACILITASSEM TAMBÉM O PREPARO E O
ARMAZENAMENTO DE SUA COMIDA.
OBSERVE ESSA IMAGEM DE UM HOMEM NO EGITO ANTIGO,
CHAMADO NEBAMUM, DA CIDADE DE TEBAS, QUE ESTÁ CAÇANDO E
PESCANDO, PINTADA APROXIMADAMENTE 3600 ANOS ATRÁS.
NESSA OUTRA IMAGEM, IDENTIFIQUE E ESCREVA COMO NEBAMUM
ESTÁ OBTENDO ALIMENTO.
__________________________________
__________________________________
__________________________________
__________________________________
__________________________________
__________________________________
FOTOsdivulgação
  40      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 4 	a questão é...como os alimentos chegam
até nós?
1.	 QUAIS AS FRUTAS QUE RECONHECEMOS NESSA IMAGEM?
2.	 FAça UMA LISTA DAS FRUTAS QUE SÃO VENDIDAS NA BANCA
DESSE MERCADO.
FOTOAntoniAterra
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      41  
3.	 dê NOMES ÀS FRUTAS DAS IMAGENS A SEGUIR:
FOTOSDIVULGAÇÃO
FOTOAntoniAterra
  42      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
4.	 EScolha uma fruta e pesquise sobre sua origem. E
registre as informações que você encontrou.
Fruta escolhida:
informações pesquisadas:
5.	converse com seus colegas para conhecer que
frutas foram pesquisadas e quais informações foram
apresentadas.
6.	registre sobre o que mais chamou sua atenção durante a
conversa com seus colegas.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      43  
AS PESSOAS DESENVOLVEM DIFERENTES TRABALHOS na produção
das frutas e outros tipos de alimentos.
7.	 VAMOS ESCOLHER UMA PESSOA QUE ENTENDA SOBRE A
PRODUÇÃO OU DISTRIBUIÇÃO DE frutas, verduras e outros
ALIMENTOS, PARA SER ENTREVISTADA NA SALA DE AULA. DÊ
PREFERÊNCIA A ALGUÉM QUE JÁ TENHA TRABALHADO NA
PRODUÇÃO DEsses ALIMENTOS.
AGORA LEIA O ROTEIRO ABAIXO E ESTUDE AS PERGUNTAS 		
PARA FAZÊ-LAS AO ENTREVISTADO.
DATA DA ENTREVISTA: __________________________________________
NOMEDOENTREVISTADO:_______________________________________
NOME DO ENTREVISTADOR:_____________________________________
LOCAL DA ENTREVISTA: _________________________________________
SUGESTÕES DE PERGUNTAS:
	 A) QUAL O SEU TRABALHO?
	 B) VOCÊ JÁ PRODUZIU ALIMENTO OU CONHECE ALGUÉM QUE
	 PRODUZA OU DISTRIBUA ALIMENTOS? QUEM?
	 C) HÁ RELAÇÃO ENTRE O TRABALHO NA AGRICULTURA E
	 AS ÉPOCAS DO ANO? POR EXEMPLO, PERÍODO DE COLHEITA
	 DO ALIMENTO? OU DE CHUVA?
	 D) O QUE VOCÊ ACHA MAIS INTERESSANTE E MENOS
	 INTERESSANTE NESSA ATIVIDADE?	
	 E) O QUE É MAIS FÁCIL E O MAIS DIFÍCIL PARA DESENVOLVÊ-LA?
	 F) QUAIS OS CUIDADOS NECESSÁRIOS PARA CONSERVAR OS
	 ALIMENTOS?
  44      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 G) DE QUE FORMA OS ALIMENTOS SÃO TRANSPORTADOS?
	 H) DE QUE FORMA OS ALIMENTOS SÃO COMERCIALIZADOS
	 ATÉ CHEGAR À NOSSA CASA?
8.	ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE A RESPOSTA QUE MAIS
CHAMOU SUA ATENÇÃO NA ENTREVISTA.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
9.	VAMOS ESCREVER UM “VOCÊ SABIA...” SOBRE COMO AS PESSOAS
CONSEGUEM SEU ALIMENTO.
você sabia...
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
Atividade 5 	hábitos e costumes alimentares
1.	 observe os hábitos e costumes alimentares das pessoas
que aparecem nas imagens.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      45  
FOTOhugomontenegro
FOTOsdivulgação
2.	 converse com seus colegas
	 A) que alimentos as pessoas estão consumindo?
	 B) quais deles vocês também consomem?
	c) classifique os alimentos representados na lista
	a seguir.
Alimentos que foram	 alimentos que não foram
industrializados 		 industrializados
  46      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 6 	A questão é... os nossos alimentos de
hoje são os mesmos de antigamente?
1.	 leia O TEXTO A SEGUIR.
Vimos que alguns alimentos usados pelas pessoas podem
ser consumidos diretamente a partir da própria fruta
como os sucos naturais, ou como no tacacá, feito com a
goma da mandioca.
outros alimentos precisam ser beneficiados
(industrializados) antes de serem consumidos pelas
pessoas, como por exemplo: os sucos industrializados, os
refrigerantes e salgadinhos.
A mudança nos hábitos alimentares dos brasileiros
O que os brasileiros comem está diferente. O arroz,
feijão, a feijoada que antes ocupava a mesa do brasileiro
agora são substituídos pelas comidas congeladas,
semiprontas, pedidas por telefone.
Falta de tempo para cozinhar, famílias menores,
muitos solteiros aumentou a oferta de alimentos de
preparo rápido, principalmente nas áreas urbanas de
grande concentração segundo várias pesquisas sobre
os hábitos alimentares do Brasil.
Os alimentos da cesta básica, como arroz, feijão,
açúcar, farinha de mandioca, café e carnes perdem
para os biscoitos, massas, pães, leite. As mudanças nos
alimentos consumidos surgem com as mudanças na
sociedade.
Cozinhar feijão, fazer um bolo, comprar leite e
pão todas as manhãs foi substituído por alimentos já
prontos, que só necessitam ir ao micro-ondas ou ao
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      47  
forno, mistura para bolos e pelo pão de forma e caixas
de leite longa vida compradas nos supermercados e
que podem ser armazenados em casa, pois sua validade
é maior.
A compra de alimentos
como hamburguers, presuntos,
refrigerantes, suco de frutas e
bebidas a base de leite prontos
para beber, balas, chicletes,
salgadinhos, macarrão entre
outros alimentos prontos ou de fácil preparo
aumentou 60% nos carrinhos de supermercados das
famílias atualmente.
Fonte: Artigo de jornal As mudanças nos hábitos alimentares dos
brasileiros – Jornal Aqui de Fato, 03 de janeiro de 2012.
FOTOdivulgação
2.	ORGANIZe, A PARTIR DO TEXTO, ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE
OS HÁBITOS ALIMENTARES DOS BRASILEIROS. A PARTIR DOS
EXEMPLOS ASSINALE COM X COMPLETANDO A TABELA (PEÇA
AJUDA PARA SUA FAMÍLIA, SE PRECISAR)
ALIMENTO NATURAl INDUSTRIALIZAdo CONSUMIDO CONSUMIDO
						 ATUALMENTE ANTIGAMENTE
FEIJÃO 	 X		 X	 X
BISCOITO				
IOGURTE				
MACARRÃO				
MISTURA
PARA BOLO				
HAMBURGUER				
ARROZ				
PÃO
  48      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
3.	AGORA, VAMOS CONVERSAR UM POUCO MAIS SOBRE O TEXTO “A
mudança dos HÁBITOS ALIMENTARES dos brasileiros”
	 a) QUAIS OS ALIMENTOS MAIS FREQUENTES NA ALIMENTAÇÃO
	 DOS BRASILEIROS ANTIGAMENTE?
	 B) QUAIS ALIMENTOS ESTÃO CADA VEZ MAIS FREQUENTES
	 ENTRE OS BRASILEIROS HOJE EM DIA?
	c) POR QUE OS BRASILEIROS ESTÃO COMPRANDO MAIS
	 ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS NOS DIAS DE HOJE?
	 D) VOCÊ ACHA QUE A ALIMENTAÇÃO NOS DIAS DE HOJE É MAIS
	 SAUDÁVEL DO QUE A DE ANTIGAMENTE? EXPLIQUE POR QUÊ?	
Atividade 7 	A questão é... há alimentos para
determinada época do ano?
1.	 VAMOS OBSERVAR E CONVERSAR SOBRE AS FOTOS A SEGUIR.
FOTOsdivulgação
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      49  
2.	 AS FOTOS REPRESENTAM O DESENVOLVIMENTO DOS FRUTOS DE
UMA PEREIRA AO LONGO DE UM ANO. OBSERVE NOVAMENTE AS
FOTOS E ESCREVA UMA LEGENDA PARA CADA UMA DELAS.
3.	 AGORA É A sua VEZ. PESQUISe NA SALA DE LEITURA OU NO
LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA SUA ESCOLA, A ÉPOCA
DO ANO EM QUE AS FRUTAS PODEM SER ENCONTRADAS PARA
CONSUMO MAIS FACILMENTE. 	
FRUTA				 ÉPOCA DO ANO QUE PODE SER 		
					 MAIS ENCONTRADA
LARANJA	
UVA	
JABUTICABA	
MORANGO	
MANGA	
PESSÊGO	
CAQUI
4.	 ASSIM COMO AS FRUTAS, AS FESTAS QUE GOSTAMOS MUITO
TAMBÉM SÃO TÍPICAS DE CADA ÉPOCA DO ANO. OBSERVE AS
FOTOS A SEGUIR.
FOTOsclodoaldoJr.
  50      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
5.	 ESCREVA O NOME DE CADA UMA DESSAS FESTAS E A ÉPOCA
DO ANO QUE ELA OCORRE. PESQUISE TAMBÉM QUAIS SÃO AS
COMIDAS TÍPICAS DE CADA UMA.
FESTA			 ÉPOCA DO ANO COMIDAS TÍPICAS	
Atividade 8 	 0 que aprendemos nessa unidade
	 1) VAMOS CONVERSAR SOBRE O QUE ACHARAM MAIS
	 INTERESSANTE NESSA UNIDADE. e organizar um mural 		
	com imagens e informações
	 2) AGORA, É HORA DA FESTA. sua turma escolherá 	o 		
	 TEMA. PODE SER UMA FESTA DAS FRUTAS, FESTA JUNINA, 		
	 FESTA	Do sorvete, festa do folclore... O IMPORTANTE 		
	 É QUE TODOS SE ENVOLVAM NO PREPARO DOS ALIMENTOS, 		
	 DOS ENFEITES E PARTICIPEM DA FESTA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      51  
Unidade 3
locais de convívio
PARA começo DE CONVERSA...
NESSA UNIDADE VOCÊ VAI ESTUDAR OS CUIDADOS COM O MEIO
AMBIENTE, PRESTANDO ATENÇÃO AOS COSTUMES LIGADOS
À LIMPEZA, HIGIENE E SAÚDE FREQUENTES NO SEU GRUPO DE
CONVIVÊNCIA.
FOTOAntoniAterraFotoNeilaGomes
  52      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 1 	a conversa é...
VAMOS CONVERSAR SOBRE AS IMAGENS.
	 • O QUE VOCÊS OBSERVAM NESSAS IMAGENS?
	 • O QUE VOCÊS SENTEM AO OBSERVAr ESSES AMBIENTES?
	 • QUAL DELES VOCÊ GOSTARIA DE VISITAR? POR QUê?
	 • QUAL DELES VOCÊ CONSIDERA MAIS AGRADÁVEL? POR QUE?
Atividade 2 	a questão é... será que os nossos
costumes contribuem para a nossa saúde?
1.	 OBSERVE A IMAGEM A SEGUIR.
2.	 ESSE LUGAR DA FOTO não FOI SEMPRE ASSIM. VAMOS LER UM
TEXTO CONTANDO A HISTÓRIA DESSE LUGAR.
FOTOSDIVULGAÇÃO
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      53  
BECO DO COLÉGIO
O BECO DO PINTO, CONHECIDO TAMBÉM COMO BECO DO COLÉGIO,
TEM ESSE NOME POR CONTA DE UM ANTIGO PROPRIETÁRIO,
CHAMADO BRIGADEIRO JOSÉ JOAQUIM PINTO DE MORAIS LEME. O
BECO ERA UMA PASSAGEM UTILIZADA NA SÃO PAULO ANTIGA PARA
O TRÂNSITO DE PESSOAS E ANIMAIS, QUE LIGAVA A ANTIGA RUA DO
CARMO À VÁRZEA DO RIO TAMANDUATEÍ.
POR ESSA PASSAGEM, AS PESSOAS TINHAM O COSTUME DE LEVAR OS
DEJETOS (URINA, FEZES, RESTO DE COMIDA...) PARA DESPEJAR NO RIO, JÁ
QUE NAQUELA ÉPOCA NÃO EXISTIA SISTEMA DE ESGOTO E NEM COLETA
DE LIXO. NO ENTANTO, AS PESSOAS LARGAVAM OS DEJETOS NO PRÓPRIO
BECO, EM VEZ DE DESCER E SUBIR A LADEIRA QUE LEVAVA ATÉ O RIO. COM
O TEMPO O BECO FOI REDUZIDO A UM DEPÓSITO DE SUJEIRA.
ATUALMENTE, A PREFEITURA REALIZOU PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS
NO BECO, LOCALIZANDO VESTÍGIOS DE CALÇADAS DE PEDRAS, TIJOLO
E PARALELEPÍPEDO, ASSIM COMO FRAGMENTOS DE LOUÇA, VIDRO,
CERÂMICA E OSSOS. REFORMOU E RESTAUROU O BECO DO PINTO,
COLOCANDO ESCADAS, GRADES E PORTÕES.
O BECO DO PINTO AGORA FAZ PARTE DA HISTÓRIA DA CIDADE DE
SÃO PAULO.
3.	AGORA, VAMOS RELER UM TRECHO DO TEXTO:
(...) AS PESSOAS TINHAM O COSTUME DE LEVAR OS DEJETOS (URINA,
FEZES, RESTO DE COMIDA...) PARA DESPEJAR NO RIO (...). NO ENTANTO,
FotoDivulgação
  54      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
AS PESSOAS LARGAVAM OS DEjEtOS NO PRÓPRIO BECO (...).
4.	O QUE AS PESSOAS FAZIAM COM SEUS DEJETOS ANTIGAMENTE?
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
Atividade 3 	o percurso dos dejetos nas ruas do centro
antigo
1.	 OBSERVE ao lado O MAPA DE ALGUMAS RUAS DA CIDADE DE
SÃO PAULO ANTIGAMENTE, POR VOLTA DE 1880, ORGANIZADO
PELO HISTORIADOR AFFONSO DE FREITAS. NELE FOI DESENHADO
O PERCURSO QUE UM MORADOR DA ÉPOCA FAZIA PARA
DESCARTAR OS DEJETOS DE SUA CASA.
2.	AGORA, IDENTIFIQUE O TRAJETO E ESCREVA:
	 A) LOCAL DE ONDE O MORADOR SAIU.
	 _________________________________________________________
	 B) O NOME DOS LUGARES QUE ELE PERCORREU.
	 LARGO __________________________________________________
	 RUA _____________________________________________________
	 RUA _____________________________________________________
	 RUA _____________________________________________________
	 RUA _____________________________________________________
	 PÁTIO ___________________________________________________
	 RUA _____________________________________________________
BECO ___________________________________________________
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      55  
Fonte: Mapa adaptado, acessado em 13/08/2012. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro: Afonso de Freitas - Mapa da Cidade de
S%C3%A3o Paulo.jpg
  56      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
					 COMO DESCARTAMOS?
URINA	
FEZES	
RESTOS DE COMIDA	
OUTROS TIPOS DE LIXO
(RESÍDUOS)
	c) LOCAL ONDE ELE LANÇOU OS DEJETOS.
	 _________________________________________________________
	d) ANTIGAMENTE, QUEM FAZIA O TRABALHO PESADO ERA O
	 ESCRAVO DA CASA, QUE TAMBÉM FICAVA ENCARREGADO
	 DE LEVAR OS DEJETOS NO FINAL DIA. EM SÃO PAULO, HAVIA
	 ALI PERTO DO LARGO SÃO BENTO A IGREJA DO ROSÁRIO DOS
	 HOMENS PRETOS. ESSA IGREJA ERA UM PONTO DE REFERÊNCIA
	 DOS ESCRAVOS. LOCALIZE E PINTE NO MAPA, ESSE PONTO
	 DE REFERÊNCIA.
3.	HOJE, OS COSTUMES SÃO DIFERENTES. faça UMA PESQUISA PARA
DESCOBRIR O QUE ACONTECE COM OS DEJETOS E O LIXO DE HOJE
EM DIA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      57  
4.	OBSERVE A SEQuÊNCIA DE IMAGENS A SEGUIR.
	 A) AGORA, JUNTO COM SEUS COLEGAS, ESCREVA UMA LISTA
	 INDICANDO o CAMINHO DO LIXO DEPOIS QUE SAI DA CASA 		
	 DE VOCÊS.
1._____________________________	 2.____________________________
3.______________________________ 4.____________________________
OU
http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/07/
noticias/a_gazeta/dia_a_dia/906347-coleta-seletiva-sera-
a-regra.html - acesso 31 de outubro – adaptado
  58      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
5.______________________________ 6.____________________________
7.______________________________	 8.____________________________
Atividade 4 	as responsabilidades para a manutenção
de um ambiente saudável
1.	 com um colega, leia o texto a seguir.
Ambiente
UM AMBIENTE SAUDÁVEL SEMPRE FOI UMA PREOCUPAÇÃO
DAS PESSOAS E DAS SOCIEDADES. SEMPRE SE QUIS VIVER
EM UM ESPAÇO SEM DOENÇAS, COM ÁGUA DE QUALIDADE,
BOA ALIMENTAÇÃO, AR PURO, SOLO RICO E MUITA
VEGETAÇÃO. DESSA PREOCUPAÇÃO VEIO A NECESSIDADE DE
OBRAS DO GOVERNO PARA CRIAR NAS CIDADES REDES DE
ÁGUA ENCANADA, COLETA DE ESGOTO E REGRAS PARA AS
CONSTRUÇÕES DE MORADIAS E ESPAÇOS DE TRABALHO.
ALÉM DISSO, OS AMBIENTES, COMO AS CASAS, AS RUAS, AS
CIDADES, AS FÁBRICAS, AS LOJAS, AS ESCOLAS, OS HOSPITAIS
DEVERIAM SER BEM ILUMINADOS, BEM VENTILADOS, COM
AMPLOS ESPAÇOS DE CIRCULAÇÃO PARA AS PESSOAS. OS
BANHEIROS DEVERIAM SER DENTRO DAS CASAS, COM REDES
DE ESGOTO QUE AFASTASSEM AS IMUNDÍCIES PARA LONGE
DA CIDADE. A ÁGUA DEVERIA SER CANALIZADA, NOVAS ÁREAS
VERDES CRIADAS, JARDINS POR TODA A CIDADE E AS CASAS
DECORADAS COM FLORES E PLANTAS. ASSIM, POR CONTA
DESSAS PREOCUPAÇÕES, E AO LONGO DO TEMPO, FOI
DESENVOLVIDA TODA UMA CULTURA DE HÁBITOS INDIVIDUAIS E
DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE HIGIENE.
antonia terra
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      59  
	 2) A PARTIR DO TEXTO, IDENTIFIque AÇÕES QUE TORNAM
	 UM AMBIENTE SAUDÁVEL.
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
	 3) AGORA, IDENTIFIQUE NA REGIÃO ONDE VOCÊ VIVE AS
	 AÇÕES QUE TORNAM O AMBIENTE SAUDÁVEL.
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
	
	 4) E IDENTIFIQUE AS AÇÕES QUE FALTAM SER CRIADAS PARA
	 SUA REGIÃO SE TORNAR UM AMBIENTE SAUDÁVEL.
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
_______________________________ _____________________________
  60      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 5) OBSERVE A imagem.
	 A) IDENTIFIQUE A FALTA DE CUIDADOS DE HIGIENE NO
	 AMBIENTE nesta imagem.
	 B) AGORA, PREENCHA A TABELA ABAIXO.
AÇÕES INDIVIDUAIS PARA 			 AÇÕES DO GOVERNO PARA
TORNAR ESSE AMBIENTE SAUDÁVEL		 TORNAR ESSE AMBIENTE SAUDÁVEL	
	
	
	
FOTOsantoniaterra
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      61  
	 6) OBSERVE A IMAGEM.
	 A) ESCREVA O QUE MAIS CHAMOU SUA ATENÇÃO.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
	 B) OBSERVE O DESENHO ABAIXO FEITO A PARTIR da imagem.
ilustraçãolailaterra
FotoAntoniaTerra
  62      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 C) AGORA É SUA VEZ. SOBRE O DESENHO ANTERIOR, USE SUA 	
	 CRIATIVIDADE E CRIE UM AMBIENTE QUE VOCÊ IMAGINA QUE 	
	 SEJA SAUDÁVEL NA CIDADE DE SÃO PAULO.
Atividade 5 	cuidados com a alimentação
1.	 VIMOS NAS ATIVIDADES ANTERIORES QUE É IMPORTANTE
MANTER O AMBIENTE SEM SUJEIRA, COLOCAR O LIXO EM LOCAL
ADEQUADO E USAR ÁGUA LIMPA. NA NOSSA ALIMENTAÇÃO,
ESSAS AÇÕES TAMBÉM SÃO IMPORTANTES. VAMOS ENTÃO
COMPLETAR A LISTA DESSAS BOAS SITUAÇÕES.
	 • LAVAR OS ALIMENTOS
	 • CONSUMIR ALIMENTOS FRESCOS
	 • CONSERVAR ALIMENTOS EM LOCAIS ADEQUADOS
	 • LAVAR SEMPRE AS MÃOS
	 • COMER EM HORÁRIOS ADEQUADOS
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      63  
	 • FAZER AS REFEIÇÕES EM LOCAIS LIMPOS E VENTILADOS
	 COLOCAR OS DEJETOS NO LIXO
	 • __________________________________________________
	 • __________________________________________________
	 • __________________________________________________
	 • __________________________________________________
2.	É SAUDÁVEL UMA ALIMENTAÇÃO EM COMPANHIA DE OUTRAS
PESSOAS (FAMÍLIA, AMIGOS, ESCOLA...) E NAS HORAS
COMBINADAS. FAÇA, ENTÃO, UMA LISTA DOS HORÁRIOS DE SUAS
PRINCIPAIS REFEIÇÕES.
HORÁRIOS		 REFEIÇÃO (CAFÉ DA	 COM QUEM
			 MANHÃ, ALMOÇO, 	 (AMIGOS, FAMILIARES, 	
			 JANTAR, LANCHE...)	 ESCOLA...)
			
3.	EXISTEM OUTRAS SITUAÇÕES
EM QUE AS PESSOAS SE
ALIMENTAM. OBSERVE ESSA
IMAGEM A SEGUIR.
FOTOantoniaterra
  64      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
4.	NUMA SITUAÇÃO DE ALIMENTAÇÃO COMO ESSA DA imagem,
REGISTRE OS CUIDADOS QUE DEVEMOS TER QUANDO nos
ALIMENTAMOS NA RUA.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
Atividade 6 	 o que aprendemos nessa unidade
1.	 PESQUISe EM REVISTAS E EM JORNAIS SITUAÇÕES
ADEQUADAS E INADEQUADAS DE HIGIENE NOS LUGARES
DE VIVÊNCIA.
2.	ELABORE CARTAZES COM AS INFORMAÇÕES DA PESQUISA PARA
MONTAR UMA EXPOSIÇÃO NA ESCOLA, CHAMANDO ATENÇÃO
PARA A IMPORTÂNCIA DE se VIVER EM UM AMBIENTE SAUDÁVEL E
MANTER COSTUMES DE HIGIENE E DE SAÚDE.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      65  
NESSA UNIDADE VOCÊ VAI ESTUDAR A PERCEPÇÃO DO CORPO E
DO AMBIENTE, AS MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS DO QUE OCORRE
NA NATUREZA E NOS LUGARES DE CONVIVÊNCIA DAS PESSOAS. NO
FINAL, VAMOS ESCREVER UM TEXTO E FAZER UMA EXPOSIÇÃO PARA
MOSTRAR NOSSOS TRABALHOS.
Atividade 1 	 A conversa É...
1.	 VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR.
A VISÃO PARA VER
SOL, CHUVA E FLORES
A AUDIÇÃO PARA OUVIR
SUSSURRO, CANTIGA, ASSOBIO
APITO DE FUTEBOL
O PALADAR DE ONDE VEM?
Unidade 4
PERCEPÇÃO DO CORPO
E DO AMBIENTE
PARA começo DE CONVERSA...
  66      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
DO GELADO DO PICOLÉ,
DO AZEDO DO LIMÃO,
DO ARDIDO DA PIMENTA
DO DOCE DOCE DO MEL.
O OLFATO LEMBRA O CHULÉ DO PÉ.
FLORES DE ALFAZEMA, MEXERICA
COZINHA, BIFE COM CEBOLA, ARROZ E FEIJÃO.
E QUAL O SENTIDO DO BELISCÃO?
DO ABRAÇO, DO FRIO E DO QUE DÁ ARREPIO?
Maria Montezano e Antonia Terra
2.	converse com sua turma SOBRE O TEXTO.
	 • O QUE VOCÊ MAIS GOSTOU DE LER NESSE TEXTO?
	 • VOCÊ se LEMBRA de UM GOSTO GOSTOSO? E DE UM
	 GOSTO RUIM?
	 • QUAIS OS SONS que se ouve?
	 • VOCÊ SABE IMITAR O SOM DO SEU CORAÇÃO?
	 • E O QUE lhe CAUSA ARREPIO?
	 • VOCÊ se LEMBRA de algum LUGAR QUE TEM CHEIRO
	 DE DOCE?
	 • E COISAS ANTIGAS TÊM CHEIRO DE QUE?
Atividade 2 	 A questão É... como percebemos o ambiente
em que vivemos?
1.	 PODEMOS SENTIR OS AMBIENTES ATRAVÉS DOS NOSSOS
SENTIDOS. ANOTE O QUE PERCEBEmos USANDO
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      67  
	 A) OS OLHOS
	 ___________________________________
	 ___________________________________
	 B) OS OUVIDOS
	 ___________________________________
	 ___________________________________
	 C) O NARIZ
	 ___________________________________
	 ___________________________________
	 D) A LÍNGUA
	 ___________________________________
	 ___________________________________
	 E) A PELE
	 ___________________________________
	 ___________________________________
2.	NO PÁTIO DA ESCOLA OU NA QUADRA DE ESPORTES FAça UMA
RODA com sua turma, TODOS SENTADOS NO CHÃO, PERCEBa O
AMBIENTE em silêncio.
	 DE OLHOS FECHADOS
	 .... OS CHEIROS....
FotoNeilaGomes
  68      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
O QUE PERCEBEMOS NO AMBIENTE A NOSSA VOLTA
CHEIROS	 BARULHOS		 SENSAÇÕES		 O QUE FOI VISTO
					 DO CORPO			
			
			
			
	 .... OS BARULHOS, OS SONS, OS RUÍDOS, OS CANTOS,
	 AS VOZES....
	 ... AS SENSAÇÕES DO CORPO... FRIO, CALOR, VENTO,
	 TEXTURA DO CHÃO... BATIMENTOS DO CORAÇÃO,
	 TRANSPIRAÇÃO (SUOR), SEDE, COCEIRA, SONO, CANSAÇO...
	 DE OLHOS ABERTOS
	 AS CORES, OS TAMANHOS, AS COISAS, AS CONSTRUÇÕES,
	 OS MATERIAIS..., AS NUVENS, CHUVA, SOL... A PAISAGEM.
3.	AGORA, NA SALA DE AULA, COMPLETe OS QUADROS A SEGUIR.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      69  
4.	OBSERVE A IMAGEM A SEGUIR.
(O JOGO DE CABRA-CEGA, DESENHADO EM 1803)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Blind_mans_bluff_1803.PNG - ACESSO NOV. 2011
O QUE PERCEBEMOS NO AMBIENTE A NOSSA VOLTA
O QUE É DA NATUREZA	 O QUE É PRODUZIDO PELAS PESSOAS
  70      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 A) O QUE AS PESSOAS ESTÃO FAZENDO?
	 B) POR QUE VOCÊ ACHA QUE UMA PESSOA ESTÁ COM
	 UM LENÇO NOS OLHOS?
	 C) ESSA É UMA BRINCADEIRA. QUE BRINCADEIRA É ESSA?
	 D) ENTENDa MELHOR A IMAGEM LENDO O TEXTO
	 A SEGUIR.
A CABRA-CEGA É UMA BRINCADEIRA, EM QUE UM DOS
PARTICIPANTES, DE OLHOS VENDADOS, PROCURA ADIVINHAR E
AGARRAR OS OUTROS. AQUELE QUE FOR AGARRADO, PASSARÁ
A FICAR COM OS OLHOS VENDADOS. HOJE EM DIA É UM JOGO
INFANTIL, MAS ANTIGAMENTE FOI UM PASSATEMPO DAS PESSOAS
QUE VIVIAM NOS PALÁCIOS NA EUROPA.
5.	QUE TAL BRINCARMOS COMO AS PESSOAS DA IMAGEM? E VOCÊ
JÁ BRINCOU DE CABRA-CEGA? O TEXTO A SEGUIR EXPLICA COMO
É O JOGO.
	 AS CRIANÇAS FAZEM UMA RODA À VOLTA DA CABRA-CEGA,
	 QUE FICA DE JOELHOS E DE OLHOS TAPADOS COM UMA	
	 VENDA. A PROPOSTA É QUE A CABRA-CEGA ENCONTRE AS
	 OUTRAS A PARTIR DAS DICAS POR ELAS FORNECIDAS, ATRAVÉS
	 DE PERGUNTAS:
	 CABRA-CEGA, PERGUNTA:
	 “DE ONDE VENS?”
	 “VENHO DE UM JARDIM.”
	 “O QUE ME TRAZES?”
	 “TRAGO FOLHINHAS DE HORTELÃ.”
	 “DÁ-ME UMA!”
	 “NÃO DOU.”
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      71  
	 DEPOIS, COMEÇAM TODAS A FUGIR ATÉ QUE ELA APANHE
	 ALGUÉM, E ADIVINHE QUEM É. SE ELA ADIVINHAR, A PESSOA
	 PASSA A SER A CABRA-CEGA.
O JOGO RECOMEÇA E AS CRIANÇAS SAEM CANTANDO:
	 “CABRA-CEGA! CABRA-CEGA! TUDO RI, MÃOS NO AR, A
	 APALPAR, TATEAR, POR AQUI, POR ALI. TUDO RI! CABRA
	 CEGA!”
	 AGORA, UMA OUTRA CRIANÇA, COM UM OUTRO OBJETO 		
	 NA MÃO, PERGUNTA:
	 - “CABRA-CEGA ADIVINHE O QUE EU TENHO NA MÃO?”
	 - “ONDE VOCÊ PEGOU?”
	 - “A PROFESSORA ME EMPRESTOU”.
	 - “OUÇA O BARULHINHO”
	 - “EU QUERO TAMBÉM”.
	 - “VENHA PEGAR”
	 TODAS COMEÇAM A FUGIR ATÉ QUE ELA APANHE ALGUÉM,
	 E ADIVINHE O QUE É. SE ELA ADIVINHAR, A PESSOA PASSA 		
	 A SER A CABRA-CEGA.
E ASSIM O JOGO CONTINUA COM OUTROS OBJETOS, EXPLORANDO A
PERCEPÇÃO DOS SENTIDOS DAS CRIANÇAS.
Atividade 3 	 VOCÊ SABIA?
1.	 VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA DESCOBRIR COMO OS
ANIMAIS PERCEBEM OS AMBIENTES.
  72      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
A) O QUE VOCÊ DESCOBRIU LENDO O TEXTO?
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
FOTOdivulgação
VOCÊ SABIA
QUE OS TUBARÕES SÃO CAPAZES DE SENTIR CHEIRO DE
SANGUE A QUILÔMETROS DE DISTÂNCIA. ESTA É UMA
HISTÓRIA VERDADEIRA.
TUBARÕES PODEM SENTIR CHEIRO DE SANGUE A
QUILÔMETRO DE DISTÂNCIA. SÃO CAPAZES DE DETERMINAR
SE O CHEIRO VEIO PELA ESQUERDA OU PELA DIREITA, O
QUE OS AJUDAM A DECIDIR EM QUE DIREÇÃO IR PARA
CAPTURAR A PRESA. ISSO INDICA QUE ELES TEM UMA GRANDE
SENSIBILIDADE OLFATIVA, OU SEJA, UM NARIZ CAPAZ DE
SENTIR MUITO MAIS CHEIROS DO QUE NÓS HUMANOS
DENTRO DA ÁGUA.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      73  
2.	VAMOS OBSERVAR A IMAGEM SEGUIR.
	 A) CONVERSE SOBRE O QUE VEMOS NA IMAGEM. EM
	 SEGUIDA, ANOTE ALGUMAS COISAS OBSERVADAS POR VOCÊ.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
B) PENSE E RESPONDA: OS PASSARINHOS TAMBÉM USAM OS
ÓRGÃOS DOS SENTIDOS PARA ENCONTRAR SEUS ALIMENTOS?
QUAIS DELES? SE VOCÊ NÃO SOUBER, PESQUISE E ANOTE.
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
FOTOantoniaterra
  74      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
_____________________________________________________________
4.	O DESAFIO AGORA É PESQUISAR COMO OUTROS ANIMAIS
PERCEBEM O AMBIENTE A SUA VOLTA E COMPLETE:
	 A) NA SEGUNDA COLUNA DA TABELA ESCREVA SUAS
	 HIPÓTESES PARA A QUESTÃO FEITA EM RELAÇÃO A
	 CADA ANIMAL.
3.	 LEIA O TEXTO A SEGUIR E IDENTIFIQUE O SENTIDO QUE
O GATO UTILIZA NESSE POEMA PARA SE RELACIONAR COM
O AMBIENTE.
O GATO QUE VIVIA
PELOS CANTOS DO QUINTAL,
QUANDO ESCUTAVA SUA DONA NA COZINHA,
RONRONAVA QUE QUERIA MINGAU.
ROOM...ROOM...ROOM..
MAS SE A DONA RESMUGANVA,
O GATINHO MIAVA.
MINGAU AUUUUUUUUUUUUUUUU.....
LETICIA OLIVEIRA E MARIA MONTEZANO
A) Escreva sobre o sentido que o gato utilizou:
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      75  
	 B) NA SEGUNDA COLUNA, ESCREVA O QUE VOCÊ
	 DESCOBRIU COM SUA PESQUISA	
ANIMAIS 			 HIPÓTESE			 CONCLUSÃO 		
								 APÓS 	A 			
								 PESQUISA
				 POR ONDE A
				 BORBOLETA
				 SENTE O GOSTO?
				 POR QUAL PARTE
				 DO CORPO?
	
				 ATRAVÉS DE
				 QUAL SENTIDO
				 A ESTRELA DO MAR
				 ENCONTRA SEU
				 ALIMENTO?QUAL
				 PARTE DO CORPO?	
				 ATRAVÉS DE QUAIS
				 SENTIDOS O
				 CACHORRO SE
				 RELACIONA COM
				 O AMBIENTE? POR
				 QUAIS PArTES
				 DO CORPO?
FOTOhAROLDOPALOjR.FOTOdivulgação
FOTOANTONIATERRA
  76      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
Atividade 4 	 A questão É... COMO RECONHECEMOS AS
CONDIÇÕES DO TEMPO ATMOSFÉRICO NO DIA A DIA?
1.	 LEIA O POEMA A SEGUIR.
A LUZ DO SOL É QUE ANUNCIA:
QUE LINDO DIA, ANA MARIA!
_ACENDEM-SE, NO MUNDO, ZILHÕES DE CORES...
_ENTÃO, MAIS VERDE, TODAS AS ÁRVORES
_MULTICOLORIDAS TODAS AS FLORES.
E, GRAÇAS À LUZ,
VAI VENDO A VIDA
DIA A DIA, ANA MARIA.
TÁ FRIO, TÁ QUENTE
“QUE BLUSA É ESSA, SEU VICENTE?”
AH, COMO MUDA O TEMPO!
MUDA A ROUPA, E SE LASTIMA
SE ABANA?... COBERTA POR CIMA?...
A TEMPERATURA, VARIA:
UI... E A PELE SENTE
A DE ANA MARIA E A DE SEU VICENTE.
MARGARETH APARECIDA BALLESTEROS BUZINARO
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      77  
	 A) A PARTIR DA LEITURA DO POEMA PREENCHA A TABELA A
	 SEGUIR CONFORME O QUE SE PEDE. OBSERVE O MODELO.
VERSOS COM PALAVRAS			 COMPORTAMENTO /
RELACIONADAS AO 			 SENSAÇÕES
TEMPO ATMOSFÉRICO	
A LUZ DO SOL É QUE ANUNCIA	 QUE LINDO DIA, ANA MARIA!
TÁ FRIO, TÁ QUENTE	
						
						 MUDA A ROUPA, E SE LASTIMA
						 SE ABANA?... COBERTA
						 POR CIMA?...
	
						
						 UI... E A PELE SENTE
						 A DE ANA MARIA E DE
						 SEU VICENTE
  78      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 B) AGORA É COM VOCÊ. OBSERVE AS MUDANÇAS NO TEMPO
	 ATMOSFÉRICO E CONSTRUA UMA TABELA COM O QUE VOCÊ
	 VÊ, SENTE E FAZ DIANTE DE CADA SITUAÇÃO DO TEMPO.
SITUAÇÃO DO 	 O QUE VÊ	 O QUE SENTE	 O QUE FAZ
TEMPO
ATMOSFÉRICO			
CHUVOSO				 VENTO		 usa GUARDA 		
								 CHUVA
		 MUITO SOL		
					 FRIO	 VESTE CASACO
	 C) A PARTIR DOS VERSOS A SEGUIR DE CECÍLIA MEIRELES
	 (OU ISTO OU AQUILO), CONTINUE A ESCREVER NOVOS VERSOS
	 PARA O POEMA UTILIZANDO ALGUMAS SITUAÇÕES DO TEMPO
	 ATMOSFÉRICO QUE VOCÊ COLOCOU NO QUADRO ACIMA.
	 OU SE TEM CHUVA E NÃO SE TEM SOL,
	 OU SE TEM SOL E NÃO SE TEM CHUVA!
	 OU SE___________________________________________________
	 OU SE___________________________________________________
	 OU SE___________________________________________________
	 OU SE___________________________________________________
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      79  
Atividade 5 	 A questão É... QUAIS OS MATERIAIS QUE
ESCOLHEMOS PARA A NOSSA PROTEÇÃO?
1.	 VOCÊ CONHECE A HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS? ouça
a leitura dessa HISTÓRIA PARA DESCOBRIR OS MATERIAIS
UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POR ELES?
2.	DESENHE AS TRÊS CASAS CONFORME OS MATERIAIS UTILIZADOS
PELOS TRÊS PORQUINHOS.
MATERIAL UTILIZADO			 DESENHO DAS CASAS
PALHA
MADEIRA
TIJOLO
  80      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
3.	AGORA É sua VEZ DE PESQUISAR.
	 A) CONVERSE COM UMA PESSOA MAIS VELHA E DESCUBRA
	 QUAIS OS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO DE
	 SUA MORADIA. ASSINALE OS MATERIAIS A PARTIR DAS
	 IMAGENS A SEGUIR.
FOTOdivulgação
FOTOSlilianborges
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      81  
VOCÊ SABIA?
MUITAS CASAS ANTIGAMENTE ERAM CONSTRUÍDAS COM BARRO
SOCADO. ERA UMA TÉCNICA CHAMADA TAIPA DE PILÃO SE DÁ O
NOME DE TAIPA AO BARRO SOCADO E MISTURADO COM CAPIM
E OUTROS MATERIAIS.
OUTRAS CASAS ERAM
FEITAS DE PAU-A-PIQUE.
O “PAU-A-PIQUE”
ERAm MADEIRAS
ENTRECRUZADAS E
AMARRADAS POR
TIRAS DE CIPÓ E
POSTERIORMENTE CHEIAS
DE TERRA UMEDECIDA.
AS ANTIGAS CASAS DE
MINAS GERAIS ERAM (E
AINDA SÃO EM MUITOS
LUGARES DO BRASIL)
GERALMENTE FEITAS COM
ESSA TÉCNICA.
FOTOSantoniaterra
  82      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
4.	OBSERVE AS IMAGENS A SEGUIR.
IMAGEM 1
CASAS NO BAIRRO DE SÃO MIGUEL PAULISTA– 2011
FOTOANTONIATERAA
IMAGEM 2
João Batista da Costa (1865-1926) – Casa e capela de Antonio Raposo Tavares
– pintura do séc. XIX
www.wikipedia.org-acessadoem13/08/2012.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      83  
	 A) converse com sEUS COLEGAS SOBRE AS INFORMAÇÕES 		
	 QUE PODEM SER OBTIDAS NAS IMAGENS QUE AJUDAM A
	 DESCOBRIR QUAL É A MAIS ANTIGA E QUAL É A MAIS ATUAL.
Atividade 6 	 Agora é com você...
1.	 OBSERVE A FOTO A SEGUIR E IMAGINE UMA CONSTRUÇÃO QUE
VOCÊ FARIA NESSE LOCAL. VOCÊ PODE DESENHAR SOBRE ELA OU
FAZER UMA COLAGEM A PARTIR DE PAPÉIS COLORIDOS.
FOTOANTONIATERAA
  84      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
	 7) DEPOIS ELABORE CARTAZES PARA MONTAR UMA EXPOSIÇÃO
	 COM AS CONSTRUÇÕES QUE VOCÊ E SEUS COLEGAS CRIARAM.
	 A PARTIR DOS CARTAZES VOCÊS PODEM CONVERSAR SOBRE
	 OS TIPOS DE CONSTRUÇÃO, OS MATERIAIS, AS TÉCNICAS...
Atividade 7 	 o que aprendemos nessa unidade
1.	 CONVERSe com sua turma e aponte SOBRE DUAS COISAS QUE
GOSTou DE APRENDER NESSA UNIDADE.
2.	 É HORA DO NOSSO MURAL. EM FOLHAS AVULSAS COPIE A
ATIVIDADE QUE VOCÊ MAIS GOSTOU DE FAZER NESSA UNIDADE E
COLE-AS NO MURAL DA CLASSE.
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      85  
ANOTAÇõES
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
____________________________________________
____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
  86      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
ANOTAÇõES
 NATUREZA E SOCIEDADE • 2O
ANO      87  
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
ANOTAÇõES
  88      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP 
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
_____________________________________________
ANOTAÇõES
Cadernos de apoio
e aprendizagem
CadernosdeapoioeaprendizagemNATUREZAESOCIEDADE•2ºano
NATUREZA E SOCIEDADE
PROGRAMA . d e   o r i e n t a ç Õ e s  cu r r i cu l a r e s
2o
ano
2o
ano

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Som e Luz
Som e LuzSom e Luz
Som e Luz
Fábio Simões
 
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 34 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
Milton Henrique do Couto Neto
 
Trabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - OndasTrabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - Ondas
guest64e0de
 
Plano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferrazPlano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferraz
Sandra Regina Clemente
 
Equação do 2º grau
Equação do 2º grauEquação do 2º grau
Equação do 2º grau
João Paulo Luna
 
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º anoSequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
andrezafariam
 
Principais
afecções da cavidade oral de pequenos animais
Principais
afecções da cavidade oral  de pequenos animais Principais
afecções da cavidade oral  de pequenos animais
Principais
afecções da cavidade oral de pequenos animais
Daniel Ferro
 
Divisores e múltiplos de números naturais
Divisores e múltiplos de números naturaisDivisores e múltiplos de números naturais
Divisores e múltiplos de números naturais
Antonio Magno Ferreira
 
Grandezas diretamente e inversamente proporcionais
Grandezas diretamente e inversamente proporcionaisGrandezas diretamente e inversamente proporcionais
Grandezas diretamente e inversamente proporcionais
Homailson Lopes
 
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Ângulos
 www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática -  Ângulos www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática -  Ângulos
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Ângulos
Aulas De Matemática Apoio
 
Regra de três simples e composta
Regra de três simples e compostaRegra de três simples e composta
Regra de três simples e composta
Marcelo Pinheiro
 
Aula de fração
Aula de fraçãoAula de fração
Aula de fração
Neilor
 
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
Colégio Santíssima Trindade
 
Operações com Números Naturais
Operações com Números NaturaisOperações com Números Naturais
Operações com Números Naturais
rubensdiasjr07
 
Conversão de Unidades
Conversão de UnidadesConversão de Unidades
Conversão de Unidades
Ubirajara Neves
 
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantesProjeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
Wesley Freitas
 
Operações com números naturais potenciação.ppt
Operações com números naturais potenciação.pptOperações com números naturais potenciação.ppt
Operações com números naturais potenciação.ppt
Francisco Márcio Bezerra Oliveira
 
Aula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
Aula de estatística - Professor Rodrigo CordeiroAula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
Aula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
Instituto Yes
 
Palestra Sustentabilidade na Construção
Palestra Sustentabilidade na ConstruçãoPalestra Sustentabilidade na Construção
Palestra Sustentabilidade na Construção
LCP Engenharia e Construções
 
Plano de Acao 5w2h-apresentação
Plano de Acao 5w2h-apresentaçãoPlano de Acao 5w2h-apresentação
Plano de Acao 5w2h-apresentação
Luciene Secco
 

Mais procurados (20)

Som e Luz
Som e LuzSom e Luz
Som e Luz
 
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 34 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
4 - 2014 razão proporção porcentagem e regra de 3
 
Trabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - OndasTrabalho De Física - Ondas
Trabalho De Física - Ondas
 
Plano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferrazPlano de ação 6º ano ferraz
Plano de ação 6º ano ferraz
 
Equação do 2º grau
Equação do 2º grauEquação do 2º grau
Equação do 2º grau
 
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º anoSequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
Sequencia didatica - Sistema de numeracao - 6º ano
 
Principais
afecções da cavidade oral de pequenos animais
Principais
afecções da cavidade oral  de pequenos animais Principais
afecções da cavidade oral  de pequenos animais
Principais
afecções da cavidade oral de pequenos animais
 
Divisores e múltiplos de números naturais
Divisores e múltiplos de números naturaisDivisores e múltiplos de números naturais
Divisores e múltiplos de números naturais
 
Grandezas diretamente e inversamente proporcionais
Grandezas diretamente e inversamente proporcionaisGrandezas diretamente e inversamente proporcionais
Grandezas diretamente e inversamente proporcionais
 
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Ângulos
 www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática -  Ângulos www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática -  Ângulos
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Ângulos
 
Regra de três simples e composta
Regra de três simples e compostaRegra de três simples e composta
Regra de três simples e composta
 
Aula de fração
Aula de fraçãoAula de fração
Aula de fração
 
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
Jogos matemc3a1ticos-3c2ba-a-5c2ba-ano-vol-2
 
Operações com Números Naturais
Operações com Números NaturaisOperações com Números Naturais
Operações com Números Naturais
 
Conversão de Unidades
Conversão de UnidadesConversão de Unidades
Conversão de Unidades
 
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantesProjeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
Projeto de pesquisa: Jogando dominó de matrizes e determinantes
 
Operações com números naturais potenciação.ppt
Operações com números naturais potenciação.pptOperações com números naturais potenciação.ppt
Operações com números naturais potenciação.ppt
 
Aula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
Aula de estatística - Professor Rodrigo CordeiroAula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
Aula de estatística - Professor Rodrigo Cordeiro
 
Palestra Sustentabilidade na Construção
Palestra Sustentabilidade na ConstruçãoPalestra Sustentabilidade na Construção
Palestra Sustentabilidade na Construção
 
Plano de Acao 5w2h-apresentação
Plano de Acao 5w2h-apresentaçãoPlano de Acao 5w2h-apresentação
Plano de Acao 5w2h-apresentação
 

Destaque

Atividades sobre alimetação 1
Atividades sobre alimetação 1Atividades sobre alimetação 1
Atividades sobre alimetação 1
andearam
 
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Lorena Lopes
 
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Angela Maria
 
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-anoTeste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
ffthebest
 
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
Janete Guedes
 
Avaliação de ciências 2º trimestre
Avaliação de ciências   2º trimestreAvaliação de ciências   2º trimestre
Avaliação de ciências 2º trimestre
Andreia De Negri
 
Ciencias naturales 2 año
Ciencias naturales 2 añoCiencias naturales 2 año
Ciencias naturales 2 año
javiera silva segura
 
Cdu sequencia didatica
Cdu sequencia didaticaCdu sequencia didatica
Cdu sequencia didatica
Elaine Rocha
 
5. teste diagnóstico importância da água para os seres vivos (2)
5. teste diagnóstico    importância da água para os seres vivos (2)5. teste diagnóstico    importância da água para os seres vivos (2)
5. teste diagnóstico importância da água para os seres vivos (2)
Susana Ferrão
 
8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-
silvia_lfr
 
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bimProva.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
Giselda morais rodrigues do
 
Teste de Ciências Edite Porto 2014
Teste de Ciências Edite Porto 2014 Teste de Ciências Edite Porto 2014
Teste de Ciências Edite Porto 2014
Angela Maria
 
Avaliação 9 ano 2011
Avaliação 9 ano 2011Avaliação 9 ano 2011
Avaliação 9 ano 2011
maritese
 
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º anoFichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Crescendo EAprendendo
 
Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar
Delziene Jesus
 
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdfIII Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
André Moraes
 
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
Raquel Becker
 
Atividades mat 2º ano b
Atividades mat 2º ano bAtividades mat 2º ano b
Atividades mat 2º ano b
Roseli Aparecida Tavares
 
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 anoAvaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Katia Lopes
 
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
André Moraes
 

Destaque (20)

Atividades sobre alimetação 1
Atividades sobre alimetação 1Atividades sobre alimetação 1
Atividades sobre alimetação 1
 
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
Leitura e interpretação de texto na alfabetização (alimentação saudável)
 
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
Avaliação de Ciências Escola Edite Porto 2013
 
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-anoTeste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
Teste avaliacao-alimentacao-digestao-e-respiracao-6-ano
 
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
C5. 2.bim 2.0.1.3._aluno (1)
 
Avaliação de ciências 2º trimestre
Avaliação de ciências   2º trimestreAvaliação de ciências   2º trimestre
Avaliação de ciências 2º trimestre
 
Ciencias naturales 2 año
Ciencias naturales 2 añoCiencias naturales 2 año
Ciencias naturales 2 año
 
Cdu sequencia didatica
Cdu sequencia didaticaCdu sequencia didatica
Cdu sequencia didatica
 
5. teste diagnóstico importância da água para os seres vivos (2)
5. teste diagnóstico    importância da água para os seres vivos (2)5. teste diagnóstico    importância da água para os seres vivos (2)
5. teste diagnóstico importância da água para os seres vivos (2)
 
8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-8ºano ciencias naturais-teste 1-
8ºano ciencias naturais-teste 1-
 
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bimProva.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
Prova.pb.geografia.3ano.tarde.2bim
 
Teste de Ciências Edite Porto 2014
Teste de Ciências Edite Porto 2014 Teste de Ciências Edite Porto 2014
Teste de Ciências Edite Porto 2014
 
Avaliação 9 ano 2011
Avaliação 9 ano 2011Avaliação 9 ano 2011
Avaliação 9 ano 2011
 
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º anoFichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
Fichas de avaliação mensal de estudo do meio do 2º ano
 
Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar
 
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdfIII Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
III Atividade Avaliatíva de Geofgrafia e História 3º ano pdf
 
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
Coletânea de ciências 4º ano do aluno anual 2015 (1)
 
Atividades mat 2º ano b
Atividades mat 2º ano bAtividades mat 2º ano b
Atividades mat 2º ano b
 
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 anoAvaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
Avaliação de ciências 4° bimestre do 1 ano
 
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
3ª atividade avaliativa de ciências 4º ano pdf
 

Semelhante a Livro 2 Ano Ciencias da Natureza SESP

1ano natureza 16out12_web
1ano natureza 16out12_web1ano natureza 16out12_web
1ano natureza 16out12_web
Luciane Santos
 
4ano natureza 16out12_web
4ano natureza 16out12_web4ano natureza 16out12_web
4ano natureza 16out12_web
Cinthya Valadares
 
Saber e fazer 7º ano aluno
Saber e fazer 7º ano   alunoSaber e fazer 7º ano   aluno
Saber e fazer 7º ano aluno
Caroline Barbosa
 
Cuidar sem-violencia
Cuidar sem-violenciaCuidar sem-violencia
Cuidar sem-violencia
Cre Educação
 
Autismo guia pratico
Autismo guia praticoAutismo guia pratico
Autismo guia pratico
Jana
 
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosasManual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
Ci Zanoni
 
6 sab a
6 sab a6 sab a
6saba 140415110654-phpapp01
6saba 140415110654-phpapp016saba 140415110654-phpapp01
6saba 140415110654-phpapp01
Diogo Dias
 
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar HumanoMATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
Fabio Pedrazzi
 
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHLPPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
Lúcia Maia
 
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Biblioteca Campus VII
 
redesaci_educ_incl
redesaci_educ_inclredesaci_educ_incl
redesaci_educ_incl
Fatima Costa
 
Inclusão o que o professor tem com isso
Inclusão o que o professor tem com issoInclusão o que o professor tem com isso
Inclusão o que o professor tem com isso
Sandrastos
 
Monografia Jeane Pedagogia 2010
Monografia Jeane Pedagogia 2010Monografia Jeane Pedagogia 2010
Monografia Jeane Pedagogia 2010
Biblioteca Campus VII
 
Fam abrigadas miolo baixa 1
Fam abrigadas miolo baixa  1Fam abrigadas miolo baixa  1
Fam abrigadas miolo baixa 1
Andréa Dalcin
 
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, euniceLivro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
Andréa Dalcin
 
Receitas Hortas Caseiras Pastoral Criança
Receitas  Hortas  Caseiras  Pastoral  CriançaReceitas  Hortas  Caseiras  Pastoral  Criança
Receitas Hortas Caseiras Pastoral Criança
TomateVerdeFrito
 
86145644 apostila-sobre-aloe-vera
86145644 apostila-sobre-aloe-vera86145644 apostila-sobre-aloe-vera
86145644 apostila-sobre-aloe-vera
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Educação saúde e acolhimento
Educação saúde e acolhimentoEducação saúde e acolhimento
Educação saúde e acolhimento
Elis Santiago
 
Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010
Biblioteca Campus VII
 

Semelhante a Livro 2 Ano Ciencias da Natureza SESP (20)

1ano natureza 16out12_web
1ano natureza 16out12_web1ano natureza 16out12_web
1ano natureza 16out12_web
 
4ano natureza 16out12_web
4ano natureza 16out12_web4ano natureza 16out12_web
4ano natureza 16out12_web
 
Saber e fazer 7º ano aluno
Saber e fazer 7º ano   alunoSaber e fazer 7º ano   aluno
Saber e fazer 7º ano aluno
 
Cuidar sem-violencia
Cuidar sem-violenciaCuidar sem-violencia
Cuidar sem-violencia
 
Autismo guia pratico
Autismo guia praticoAutismo guia pratico
Autismo guia pratico
 
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosasManual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
Manual dos formadores de cuidadores de pessoas idosas
 
6 sab a
6 sab a6 sab a
6 sab a
 
6saba 140415110654-phpapp01
6saba 140415110654-phpapp016saba 140415110654-phpapp01
6saba 140415110654-phpapp01
 
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar HumanoMATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
MATURANA, Humberto - Matriz Etica do Habitar Humano
 
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHLPPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
PPP -ESCOLA IRMÃ LEODGARD GAUSEPOHL
 
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudinete Pedagogia Itiúba 2012
 
redesaci_educ_incl
redesaci_educ_inclredesaci_educ_incl
redesaci_educ_incl
 
Inclusão o que o professor tem com isso
Inclusão o que o professor tem com issoInclusão o que o professor tem com isso
Inclusão o que o professor tem com isso
 
Monografia Jeane Pedagogia 2010
Monografia Jeane Pedagogia 2010Monografia Jeane Pedagogia 2010
Monografia Jeane Pedagogia 2010
 
Fam abrigadas miolo baixa 1
Fam abrigadas miolo baixa  1Fam abrigadas miolo baixa  1
Fam abrigadas miolo baixa 1
 
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, euniceLivro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
Livro familias de criancas e adolescentes abrigados fávero, eunice
 
Receitas Hortas Caseiras Pastoral Criança
Receitas  Hortas  Caseiras  Pastoral  CriançaReceitas  Hortas  Caseiras  Pastoral  Criança
Receitas Hortas Caseiras Pastoral Criança
 
86145644 apostila-sobre-aloe-vera
86145644 apostila-sobre-aloe-vera86145644 apostila-sobre-aloe-vera
86145644 apostila-sobre-aloe-vera
 
Educação saúde e acolhimento
Educação saúde e acolhimentoEducação saúde e acolhimento
Educação saúde e acolhimento
 
Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010Monografia Eloa Pedagogia 2010
Monografia Eloa Pedagogia 2010
 

Último

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 

Livro 2 Ano Ciencias da Natureza SESP

  • 1. Cadernos de apoio e aprendizagem CadernosdeapoioeaprendizagemNATUREZAESOCIEDADE•2ºano NATUREZA E SOCIEDADE PROGRAMA . d e   o r i e n t a ç Õ e s  cu r r i cu l a r e s 2o ano 2o ano
  • 2. PREFEITURA DE SÃO PAULO Prefeito Gilberto Kassab SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Secretário Alexandre Alves Schneider Secretária Adjunta Célia Regina Guidon Falótico Chefe de Gabinete Lilian Dal Molin Diretora de Assessoria Técnica de Planejamento Sueli Aparecida de Paula Mondini DIRETORIA DE ORIENTAÇÃO TÉCNICA Diretora Regina Célia Lico Suzuki DIVISÃO DE ORIENTAÇÃO TÉCNICA ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Diretora Suzete de Souza Borelli Equipe de DOT Ensino Fundamental e Médio Ana Maria Rodrigues Jordão Massa, Clodoaldo Gomes de Alencar Júnior, Cristhiane de Souza, Delma Aparecida da Silva, Fábio Luiz Villani, Hugo Luiz de Menezes Montenegro, Humberto Luis de Jesus, Ione Aparecida Cardoso de Oliveira, Leika Watabe, Leila de Cássia José Mendes da Silva, Margareth Aparecida Ballesteros Buzinaro, Maria Emília de Lima, Priscila dos Santos Teixeira, Silvia Moretti Rosa Ferrari, Tania Nardi de Pádua, Tereza Regina Mazzoni Vivas, Viviane de Camargo Valadares DIRETORES REGIONAIS DE EDUCAÇÃO Eliane Serafhim Abrantes, Elizabeth Oliveira Dias, Hatsue Ito, Isaias Pereira de Souza, José Waldir Gregio, Leila Barbosa Oliva, Leila Portella Ferreira, Maria Angela Gianetti, Maria Antonieta Carneiro, Marcelo Rinaldi, Silvana Ribeiro de Faria, Sueli Chaves Eguchi, Waldecir Navarrete Pelissoni EQUIPE DE AUTORIA Coordenação Suzete de Souza Borelli Autores Antonia Terra de Calazans Fernandes, Antonio Aparecido Primo (Nico), Clodoaldo Gomes Alencar Junior, Hugo Luiz de Menezes Montenegro, Maria de Lourdes da Cunha Montezano, Sonia Maria Vanzella Castellar, Viviane de Camargo Valadares Colaboradores Adriana Eneas Pereira Arena, Alcir Vanderlei Ferreira, Ana Maria Gonçalves Pravadelli, Ana Rita da Costa, Claudia Abrahão Hamada, Claudio Maroja, Denise Yurie Yamamoto de Moraes, Edilaine Sic Vieira Pereira, Edmilson Nazareno Brito, Estela Vanessa de Menezes, Jayne Maria dos Santos Cruz Lazzarini, José Antonio Favaron, Leika Watabe, Marcia Bellandi Vital Rodrigues, Margareth Aparecida Ballestelos Buzinaro, Maria do Socorro Ferreira Gomes, Marilia Groke Marques, Paulo Sérgio Rocato, Ronilde Rocha Machado (Rona), Silvia Aparecida Lacerda Papa. Leitura Crítica Adriana Eneas Pereira Arena, Alcir Vanderlei Ferreira, Ana Maria Goncalves Pravadelli, Claudia Abrahão Hamada, Denise Yurie Yamamoto de Moraes, Edilaine Sic Vieira Pereira, Edmilson Nazareno Brito, Estela Vanessa de Menezes, Jayne Maria dos Santos Cruz Lazzarini, José Antonio Favaron, Maria do Socorro Ferreira Gomes, Marilia Groke Marques, Paulo Sérgio Rocato, Silvia Aparecida Lacerda Papa. EQUIPE EDITORIAL Coordenação Centro de Multimeios / SME Magaly Ivanov Direitos Autorais Lilian Lotufo Pereira P. Rodrigues e Patricia Martins da Silva Rede Seleção de Imagens - Memorial do Ensino Municipal Eliete Carminhotto e Valquíria Martins Pereira Projeto Gráfico Fundação Padre Anchieta Editoração Ana Rita da Costa e Antonio Carvalho de Faria Neto Ilustrações Ana Rita da Costa Revisão Cristhiane de Souza, Ione Aparecida Cardoso Oliveira e Leila de Cássia José Mendes da Silva
  • 3. 2o ano 2012 Cadernos de apoio e aprendizagem NATUREZA E SOCIEDADE P R O G R A M A . d e   or i e n t a ç Õ e s   c u rr i c u l ar e s
  • 4. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) São Paulo (SP). Secretaria Municipal de Educação. Diretoria de Orientação Técnica. Cadernos de apoio e aprendizagem: Natureza e Sociedade – 2º ano / Secretaria Municipal de Educação – São Paulo : SME / DOT, 2012. 88p. : il. ISBN Eletrônico / Internet: 978-85-60686-44-5 ISBN Eletrônico / Publicação Digitalizada: 978-85-60686-45-2 1.Ensino Fundamental I.Título CDD 372 Código da Memória Técnica: SME24/2012
  • 5. Querido aluno, Esta publicação foi produzida exclusivamente para você e – com seus outros materiais de estudo – vem para colaborar em sua aprendizagem. Neste Caderno de Apoio e Aprendizagem – Natureza e Sociedade, você terá oportunidade de conhecer outros aspectos da vida em sociedade e o conjunto de relações com a Natureza envolvendo a História, a Geografia e as Ciências Naturais. Nas atividades propostas, você pode levantar hipóteses, realizar experimentos, fazer pesquisas, coletar e organizar informações diversas para verificar o que foi aprendido e o que ainda precisa ser conhecido. Há um detalhe importante: as atividades poderão ser realizadas diretamente nas páginas do Caderno de Apoio e Aprendizagem de Natureza e Sociedade, sem que você precise copiar os enunciados. O importante é resolver todas as atividades da melhor forma e participar expondo suas ideias, perguntando, permanecendo atento às explicações dos colegas e do professor e também solicitando ajuda quando tiver dúvidas... Esperamos que, assim, você construa cada vez melhor seus conhecimentos e, com isso, tenha o desejo de continuar aprendendo sempre mais. Bom estudo para você! Alexandre Alves Schneider Secretário Municipal de Educação de São Paulo
  • 7. Índice Unidade 1 - Alimentação, cultura e saúde. . . . . . . 7 Atividade 1 A CONVERSA É ... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7 Atividade 2 A QUESTÃO É... AS PESSOAS SE ALIMENTAM DAS MESMAS COISAS?. . . . . . . 8 Atividade 3 A ORIGEM DOS ALIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 Atividade 4 QUAL O PERCURSO DO ALIMENTO ATÉ CHEGAR A NOSSA MESA? . . . . . . . 14 Atividade 5 COMO OS ALIMENTOS SAEM DO CAMPO PARA A MESA?. . . . . . . . . . . . 16 Atividade 6 PARA CONHECER UM POUCO MAIS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Atividade 7 OBTER ALIMENTO É A GRANDE QUESTÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Atividade 8 O QUE APRENDEMOS NESSA UNIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Unidade 2 - hábitos culturais . . . . . . . . . . . . 29 ATIVIDADE 1 A CONVERSA É.... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30 ATIVIDADE 2 A QUESTÃO É...O QUE FAZ PARTE DA SUA ALIMENTAÇÃO?. . . . . . . . . . . 30 ATIVIDADE 3 A QUESTÃO É...COMO AS PESSOAS E OS ANIMAIS FAZEM PARA SE ALIMENTAR?. 34 ATIVIDADE 4 A QUESTÃO É...COMO OS ALIMENTOS CHEGAM ATÉ NÓS? . . . . . . . . . . . 40 ATIVIDADE 5 HÁBITOS E COSTUMES ALIMENTARES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 ATIVIDADE 6 A QUESTÃO É... OS NOSSOS ALIMENTOS DE HOJE SÃO OS MESMOS DE . . . . . ANTIGAMENTE?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46 ATIVIDADE 7 A QUESTÃO É... HÁ ALIMENTOS PARA DETERMINADA ÉPOCA DO ANO? . . . . 48 ATIVIDADE 8 O QUE APRENDEMOS NESTA UNIDADE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50
  • 8. Unidade 3 - locais de convívio. . . . . . . . . . . . 51 ATIVIDADE 1 A CONVERSA É .... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52 ATIVIDADE 2 A QUESTÃO É... SERÁ QUE OS NOSSOS COSTUMES CONTRIBUEM PARA A NOSSA SAÚDE? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 52 ATIVIDADE 3 O PERCURSO DOS DEJETOS NAS RUAS DO CENTRO ANTIGO. . . . . . . . . . 54 ATIVIDADE 4 AS RESPONSABILIDADES PARA A MANUTENÇÃO DE UM AMBIENTE SAUDÁVEL. . 58 ATIVIDADE 5 CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 62 ATIVIDADE 6 O QUE APRENDEMOS NESSA UNIDADE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 Unidade 4 - percepção do corpo e do ambiente. . . . . 65 ATIVIDADE 1 A CONVERSA É... . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 65 ATIVIDADE 2 A QUESTÃO É... COMO PERCEBEMOS O AMBIENTE EM QUE VIVEMOS?. . . . 66 ATIVIDADE 3 VOCÊ SABIA?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71 ATIVIDADE 4 A QUESTÃO É... COMO RECONHECEMOS AS CONDIÇÕES DO TEMPO ATMOSFÉRICO NO DIA A DIA?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76 ATIVIDADE 5 QUESTÃO É... QUAIS OS MATERIAIS QUE ESCOLHEMOS PARA A NOSSA . . . . . PROTEÇÃO? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79 ATIVIDADE 6 AGORA É COM VOCÊ. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83 ATIVIDADE 7 O QUE APRENDEMOS NESTA UNIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84
  • 9.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      7   Unidade 1 alimentação, cultura e saúde PARA começo DE CONVERSA... FOTOsAntoniaTerra NESSA UNIDADE VAMOS ESTUDAR SOBRE OS ALIMENTOS: ORIGEM, PREPARO E HÁBITOS ALIMENTARES DE PESSOAS E OUTROS SERES VIVOS. Atividade 1 A CONVERSA É ... 1. VAMOS CONVERSAR SOBRE As IMAGEns acima. • QUE LUGARES SÃO ESSES? • O QUE ESSAS PESSOAS ESTÃO FAZENDO? • VOCÊS COSTUMAM VIVER SITUAÇÕES COMO ESSAS? COMO?
  • 10.   8      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  2. AGORA, CADA UM DA TURMA FALA O NOME DE UM ELEMENTO DIFERENTE QUE OBSERVOU NAs imagens. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ Atividade 2 A QUESTÃO É... aS PESSOAS SE ALIMENTAM DAS MESMAS COISAS? 1. VAMOS CONVERSAR SOBRE OS ALIMENTOS QUE ESTAVAM PRESENTES NAS NOSSAS REFEIÇÕES DE ONTEM. 2. escreva uma LISTA DESSES ALIMENTOS. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ 3. pinte NOS QUADROS A SEGUIR OS ALIMENTOS QUE VOCÊ COMEU OU BEBEU NAS REFEIÇÕES DA SEMANA PASSADA, CONFORME A LEGENDA. COMEU NÃO COMEU BEBEU NÃO BEBEU
  • 11.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      9   CAFÉ DA MANHÃ SUCO LEITE PÃO SALGADINHO BISCOITO OVOS CHÁ FRUTAS ALMOÇO E JANTAR ARROZ FEIJÃO SALSICHA cenoura MACARRÃO carne moída PEIXE LINGUIÇA BIFE BATATA ALFACE TOMATE REPOLHO ABOBRINHA LANCHES SORVETE BOLO PUDIM GELATINA BALA CHOCOLATE BANANA LARANJA MELANCIA MAÇÃ
  • 12.   10      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  5. HOUVE ALGUM ALIMENTO NA LISTA QUE VOCÊS NÃO AGRUPARAM? QUAL?________________________________________________________ POR QUÊ?_____________________________________________________ 4. EM DUPLA, OLHEM NOVAMENTE PARA OS ALIMENTOS DOS QUADROS E ORGANIZE-os em GRUPOS, SEGUNDO seus CRITÉRIOs. NÃO SE ESQUEÇAM DE DAR NOME PARA CADA AGRUPAMENTO
  • 13.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      11   6. APRESENTE PARA A TURMA OS AGRUPAMENTOS FEITOS PELA SUA DUPLA. 7. COMO VIMOS, CADA DUPLA CRIOU UM MODELO DIFERENTE DE AGRUPAMENTO. TODOS ELES SÃO VÁLIDOS E INTERESSANTES. LISTe ESSES ALIMENTOS, CONFORME A ORGANIZAÇÃO EM UM SUPERMERCADO. Atividade 3 A ORIGEM DOS ALIMENTOS OS ALIMENTOS SÃO TODAS AS SUBSTÂNCIAS UTILIZADAS PELOS SERES VIVOS PARA A CONSTRUÇÃO DO CORPO, OU SEJA, PARA O CRESCIMENTO, MOVIMENTO, REPRODUÇÃO E PARA OUTRAS TANTAS COISAS QUE O CORPO FAZ? 1. escreva os nomes dos alimentos que compõem esta refeição. VERDURAS FRUTAS CARNES LEITE E OUTROS E LEGUMES DERIVADOS FotoVivianeValadares
  • 14.   12      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  2. IDENTIFIque O QUE É DE ORIGEM VEGETAL, ANIMAL E MINERAL NESTA REFEIÇÃO. EM SEGUIDA, ANOTe NA TABELA ABAIXO: VEGETAL ANIMAL MINERAL V O C ê S A B I A . . . ...QUE OS ALIMENTOS QUE VêM DA TERRA, COMO OS LEGUMES, AS FRUTAS, OS CEREAIS, OS TEMPEROS SÃO DE ORIGEM VEGETAL? ...QUE OS ALIMENTOS QUE VêM DOS ANIMAIS, COMO A CARNE, O LEITE, OS OVOS, O MEL, O QUEIJO, A MANTEIGA, IOGURTE SÃO DE ORIGEM ANIMAl? ...QUE A ÁGUA E O SAL SÃO ALIMENTOS DE ORIGEM MINERAL? 3. É HORA DE PESQUISAR. CONVERSe COM A PESSOA RESPONSÁVEL PELA MERENDA DA sua ESCOLA PARA DESCOBRIR: A) COMO É ESCOLHIDO o CARDÁPIO DE cada DIA. 1) QUEM ESCOLHE A MERENDA? 2) A MERENDA É TODO DIA IGUAL? 3) QUEM PREPARA A MERENDA?
  • 15.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      13   4. ESCOLHA UMA SEMANA DO MÊS E REGISTRE O CARDÁPIO DA SUA ESCOLA. DATA:__________ NOMES DOS ALIMENTOS MÊS DE:________ SEGUNDA-FEIRA TERÇA-FEIRA QUARTA-FEIRA QUINTA-FEIRA SEXTA-FEIRA
  • 16.   14      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  C) CIRCULE COM LÁPIS DE COR VERDE OS NOMES DOS ALIMENTOS DESSE CARDÁPIO QUE VOCÊ TAMBÉM COME em CASA. D) CIRCULE COM LÁPIS DE COR VERMELHA O QUE TEM NA MERENDA QUE VOCÊ NUNCA COME EM SUA CASA. Atividade 4 A QUESTÃO É... QUAL O PERCURSO DO ALIMENTO ATÉ CHEGAR A NOSSA MESA? 1. OBSERVE A IMAGEM. FOTOsdivulgação
  • 17.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      15   A) O QUE ESSA PESSOA ESTÁ VENDENDO? B) VOCÊ JÁ VIU PESSOAS VENDENDO ESSE PRODUTO? ONDE? C) ESSE PRODUTO É USADO NA SUA ALIMENTAÇÃO? D) QUAL O NOME DESSE ALIMENTO? 2. observe as informações relacionadas com a origem e o consumo da mandioca. 3. organize as informações representadas numa sequência, desde a origem até o consumo. Colheita Plantação Transporte ceasa feira/ quitanDa/ mercado 4. VAMOS DESCOBRIR OS PONTOS DE VENDA DE ALIMENTOS PRÓXIMOS DA ESCOLA. a) NO CAMINHO DA ESCOLA, OBSERVe ONDE HÁ VENDA DE PRODUTOS QUE ENTRAM NA NOSSA ALIMENTAÇÃO: MERCEARIAS, SUPERMERCADOS, PADARIAS, QUITANDAS, FEIRAS...
  • 18.   16      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  b) ANOTe O NOME DAS RUAS ONDE ESTÃO ESSES LUGARES DE VENDA. TIPO DE COMÉRCIO RUA / AVENIDA / PRAÇA c) NO QUADRO A SEGUIR FAÇA UM DESENHO DOS LOCAIS DE VENDA DE ALIMENTOS, TENDO COMO PONTO DE REFERÊNCIA A ESCOLA. Atividade 5 COMO OS ALIMENTOS SAEM DO CAMPO PARA A MESA? VOCÊ SABIA QUE A MANDIOCA É UMA RAIZ? VAMOS, ENTÃO, CONHECER UM POUCO MAIS SOBRE A MANDIOCA.
  • 19.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      17   ( ) ( ) FOTOsdivulgação 1. OBSERVE ESSAS IMAGENS, MARQUE COM UM x QUAL delas VOCÊ IMAGINA QUE É A MANDIOCA. FALE SOBRE SUA ESCOLHA. ( ) Fotos:SuzeteBorelli FotoDivulgação
  • 20.   18      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  2. VAMOS CONHECER COMO A MANDIOCA SE TRANSFORMA EM ALIMENTAÇÃO OBSERVANDO O ESQUEMA ABAIXO. COMO NASCEU A MANDIOCA (LENDA DOS PARECIS, INDÍGENAS BRASILEIROS) ZATINARÉ E SUA MULHER, KOKOTERÔ, TIVERAM DOIS FILHOS: ATIOLÔ E ZOKOOIÊ. ATIOLÔ ERA MENINA. POR ESTA RAZÃO O PAI NÃO LHE DAVA A MENOR IMPORTÂNCIA; TRATAVA—A DISPLICENTEMENTE E, SE ELA DIZIA ALGUMA COISA, RESPONDIA-LHE ASSOBIANDO. A POBREZINHA NÃO SE LEMBRAVA DE UMA SÓ VEZ QUE TIVESSE OBTIDO DELE UMA RESPOSTA EM PALAVRAS. POR ISSO, VIVIA TRISTE E ACABRUNHADA PELOS CANTOS DA OCARA; NÃO SORRIA, NÃO BRINCAVA... 3. A MANDIOCA É UMA PLANTA MUITO ANTIGA UTILIZADA NA ALIMENTAÇÃO DOS BRASILEIROS. É CULTIVADA HÁ SÉCULOS PELAS POPULAÇÕES INDÍGENAS. A IDeIA HOJE É CONHECER COMO O POVO “PARECI” CONTA A LENDA DA ORIGEM DA MANDIOCA. ouça a leitura dessa lenda. PUBLICADA NA REVISTA HORIZONTE GEOGRÁFICO; sp; EDITORA HORIZONTE, ANO23-ED.128/2010 - P.32 AUTOR SERGIO ADEODATO WWW.HORIZONTEGEOGRAFICO.COM.BR
  • 21.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      19   UM DIA, TOMOU UMA RESOLUÇÃO. FOI A SUA MÃE E PEDIU-LHE QUE A ENTERRASSE VIVA: “TALVEZ DESSE MODO, MAMÃE, EU POSSA FAZER ALGO DE BOM POR NOSSO POVO”. “NÃO FALES ASSIM!”, REPLICOU A MÃE, ATERRORIZADA COM A IDEIA. FINALMENTE, APÓS VÁRIOS DIAS DE INSISTÊNCIA, ATIOLÔ CONSEGUIU CONVENCÊ-LA. A MÃE TOMOU A FILHA E LEVOU-A ATÉ UM CERRADO. SEPULTOU-A ALI. MAS O SOL ESTAVA MUITO QUENTE. A MENINA SENTIA MUITO CALOR. QUERIA OUTRO LUGAR. NOVAMENTE, TOMOU-A KOKOTERÔ; DESTA VEZ, ESCOLHEU O CAMPO, ABERTO E DE CAPIM VERDE E MACIO. ENTERROU-A. O CALOR, PORÉM, ERA AINDA MAIOR. ATIOLÔ NÃO QUIS FICAR ALI. ENFIM, ACHARAM UM BOM LOCAL. ERA O BOSQUE, ESCURO, SILENCIOSO, CALMO. LÁ, A MENININHA NÃO SOFRERIA; LÁ PODERIA DESCANSAR SOSSEGADA. ATIOLÔ ROGOU À MÃE QUE SE AFASTASSE. ATENDENDO-A, A MULHER FOI SE RETIRANDO. CONTUDO, NÃO PÔDE RESISTIR E VOLTOU-SE DO TÚMULO, SAÍA UMA PLANTINHA QUE IA CRESCENDO VAGAROSAMENTE. CORREU PARA A SEPULTURA; A PLANTINHA DIMINUIU. DESDE ESSE DIA, COMEÇOU A TRATÁ-LA. TODAS AS TARDES, REGAVA-A COM ÁGUA FRESCA. A ARVOREZINHA DESENVOLVEU-SE. PASSARAM-SE VÁRIAS LUAS. QUANDO NINGUÉM ESPERAVA, UM GRITO IRROMPEU DO SOLO. A ÍNDIA TREMEU DE MEDO. AGARROU O ARBUSTO PELO CAULE E ARRANCOU-O. QUE SURPRESA! A RAIZ ERA GRANDE E GROSSA; A CASCA ERA MORENA, DA COR DA PELE DAS JOVENS DA TABA; A POLPA ERA BRANCA E GOSTOSA. KOKOTERÔ COLOCOU-A NAS COSTAS E CARREGOU-A PARA CASA. MOSTROU-A AOS ÍNDIOS. ESTAVAM TODOS ESPANTADOS. “NUNCA VIMOS ISSO ANTES!”, DIZIAM UNS PARA OS OUTROS. PROVARAM-NA E GOSTARAM. ERA A MANDIOCA, UM DOS MELHORES ALIMENTOS QUE TÊM OS ÍNDIOS ATÉ HOJE. EIS POR QUE A MANDIOCA NÃO CRESCE BEM NO CAMPO OU NO CERRADO. PREFERE SEMPRE A SOMBRA DA FLORESTA. WWW.LENDORELENDOGABI.COM/LENDAS_DE_PLANTAS1.HTM
  • 22.   20      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  4. A MANDIOCA TEM SIDO PREPARADA PELOS DIFERENTES POVOS INDÍGENAS PARA SUA ALIMENTAÇÃO. VAMOS agora CONHECER O PREPARO DO BEIJU. PARA FAZER O BEIJU, AS ÍNDIAS MISTURAM FARINHA DE MANDIOCA COM ÁGUA, E SOCAM EM UM PILÃOZINHO. QUANDO A ASSADEIRA (DE BARRO) ESTÁ SUFICIENTEMENTE QUENTE, COLOCAM SOBRE ELA ALGUNS BOCADOS DE MANDIOCA, ESPALHANDO-OS E DANDO-LHES FORMA ARREDONDADA, DEPOIS, ALISAM-NO COM A PAZINHA DE MADEIRA. QUANDO UM LADO ESTÁ ASSADO, VIRAM-NO DO OUTRO ATÉ DOURAR. O BEIJU NADA MAIS É QUE MANDIOCA e ÁGUA. ALGUMAS ÍNDIAS ACRESCENTAM À FARINHA UM POUCO DE POLVILHO (TAMBÉM MANDIOCA). DIZEM OS SERTANISTAS QUE COMERAM BEIJU QUE, AINDA QUENTES, ELES SÃO BASTANTES GOSTOSOS. ALGUMAS TRIBOS QUANDO FAZEM OS BEIJUS, ABREM UM BURACO NAS CINZAS DE UMA FOGUEIRA E ALI COLOCAM OS BOLOS, ATIÇANDO-OS COM UM PAU. COBREM DEPOIS TUDO COM CINZAS E BRASAS; NO FIM DE ALGUM TEMPO, DESCOBREM UM GRANDE BOLO TOSTADO E CHEIROSO, UM TANTO AZEDO QUE DIZEM OS SERTANISTAS, NÃO SERIA DESAGRADÁVEL, SE NÃO TIVESSE TANTA CINZA E NÃO FOSSE PREPARADO POR TÃO DESASSEADO PROCESSO. ALGUMAS VARIAÇÕES DE BEIJU SÃO MUITO USADAS NO NORTE DO BRASIL ONDE ELE TEM DIFERENTES NOMES BEIJURAÇU, CURADÁ, BEIJU-CICA ETC. O PREPARO DA MANDIOCA É TRABALHO FEMININO. ALIMENTAÇÃO INDÍGENA VERA LÚCIA MATHIASI (Mathiasi, Vera Lúcia. “Alimentação indígena”. Gazeta Comercial, 30 de março de 1969) http://www.jangadabrasil.com.br/revista/outubro117/cp11710.asp
  • 23.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      21   Atividade 6 Para conhecer um pouco mais... DAS ALDEIAS INDÍGENAS PARA O MUNDO. FORAM AS POPULAÇÕES INDÍGENAS QUE PRIMEIRO UTILIZARAM A MANDIOCA PARA SUA ALIMENTAÇÃO. MAS, COM O TEMPO E O ENCONTRO ENTRE MUITOS POVOS DO MUNDO, A MANDIOCA SE ESPALHOU. ATUALMENTE, MAIS DE UM BILHÃO DE PESSOAS ALIMENTAM-SE DA MANDIOCA PREPARADA DE DIFERENTES MANEIRAS. 1. AGORA VAMOS LER UMA RECEITA ANTIGA DE BISCOITO FEITO COM GOMA DE MANDIOCA. REPARE QUE O MODO DE FAZER TAMBÉM É MUITO ANTIGO E QUE AS MEDIDAS NÃO SÃO TÃO EXATAS PARA OS DIAS DE HOJE. BISCOITO DE POLVILHO INGREDIENTES 3 TIGELAS DE POLVILHO 1 XÍCARA DE FUBÁ DE MILHO 7 OVOS 1 XÍCARA E MEIA DE GORDURA DERRETIDA 1 PRATO E MEIO DE LEITE SALMOURA UM POUCO DE AÇÚCAR REFINADO MODO DE FAZER: JUNTAR TODOS OS INGREDIENTES EM UMA TIGELA GRANDE AMASSAR COM LEITE ATÉ FICAR EM CONSISTÊNCIA DE ENROLAR. O FORNO DEVE SER UM POUCO ESPERTO. FotoDivulgação
  • 24.   22      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  TÍTULO DA RECEITA: INGREDIENTES: MODO DE FAZER: 2. IDENTIFIQUE E ANOTE ABAIXO OS OBJETOS UTILIZADOS PARA MEDIR OS INGREDIENTES. 3. O DESAFIO AGORA É PESQUISAR NA SUA FAMÍLIA UMA RECEITA QUE UTILIZA A MANDIOCA. ESCREVa A RECEITA.
  • 25.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      23   4. CONVERSE COM SEUS COLEGAS COMPARANDO A RECEITA ATUAL COM A RECEITA ANTIGA, AS MEDIDAS, O MODO DE FAZER, OS UTENSÍLIOS UTILIZADOS. 5. VAMOS EXPERIMENTAR? É HORA DE ESCOLHER UMA DAS RECEITAS PARA PREPARÁ-LA NA ESCOLA. MÃOS À OBRA. 6. DESENHE OS OBJETOS UTILIZADOS NO PREPARO DA RECEITA. A) ESCOLHA UM DOS OBJETOS E COMPARE O DESENHO DESSE OBJETO COM O DO SEU COLEGA. B) ELES SE PARECEM? C) ESTão NA MESMA POSIÇÃO? D) SÃO DO MESMO TAMANHO? E) A FORMA É A MESMA? Atividade 7 obter alimento é a grande questão 1. ATÉ AQUI ESTUDAMOS COMO AS PESSOAS OBTêM E CONSOMEM OS ALIMENTOS. OBSERVE AS IMAGENS ABAIXO PARA CONHECER OS HÁBITOS ALIMENTARES DOS SERES VIVOS.
  • 26.   24      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  FOTOdivulgação bugio garça MENINa vaca FOTOHUGOMONTENEGROFOTOlilianborges FOTOdivulgação
  • 27.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      25   2. EM SEGUIDA, REUNA-SE COM UM COLEGA E CONVERSEM SOBRE O NOME DE ALGUNS ALIMENTOS QUE NORMALMENTE FAZEM PARTE DA ALIMENTAÇÃO: Do bugio_____________________________________________________ Da MENINa ___________________________________________________ Da Garça ____________________________________________________ Da vaca ______________________________________________________ 3. AGORA É SÓ CLASSIFICá-LOS. faça UMA LINHA LIGANDO OS SERES VIVOS À SUA ALIMENTAÇÃO MAIS FREQUENTE. TIPOS DE ALIMENTAÇÃO MAIS FREQUENTES SERES VIVOS VEGETAIS (HERBÍVOROs) CARNES (CARNÍVOROS) TANTO CARNE COMO VEGETAIS (ONÍVOROS) FOTOlilianborges FOTOdivulgaçãoFOTOdivulgação
  • 28.   26      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  4. O QUE VOCÊ SABE SOBRE A ALIMENTAÇÃO DE OUTROS ANIMAIS? O QUE SERÁ QUE COMEM OS GATOS, PASSARINHOS, CACHORROS, COELHOS? EM DUPLA, CONVERSEM , ESCOLHAM UM ANIMAL E ESCREVAM UM TEXTO informativo SOBRE SUA ALIMENTAÇÃO. Atividade 8 o que Aprendemos nessa unidade 5. OBSERVE AS IMAGENS. VAMOS CONVERSAR SOBRE O QUE VOCÊ APRENDEU NESSA UNIDADE.
  • 29.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      27   FOTOANTONIATERRA FOTOVIVIANEVALADARES
  • 30.   28      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  6. AGORA, É HORA DO NOSSO MURAL. PENSANDO NO QUE APRENDEMOS SOBRE ALIMENTOS PESQUISe NA sua CASA UMA RECEITA PREFERIDA PARA COMPARTILHAR NO MURAL COM seuS COLEGAS DA CLASSE. FOTOdivulgação FOTOdivulgação
  • 31.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      29   Unidade 2 Hábitos culturais PARA COMEÇO DE CONVERSA... NESTA UNIDADE VAMOS ESTUDAR HÁBITOS CULTURAIS DAS PESSOAS QUANDO SE ALIMENTAM, VAMOS CONHECER COMO ALGUNS ALIMENTOS SÃO OBTIDOS, TRANSPORTADOS, COMERCIALIZADOS E CONSUMIDOS. NO FINAL Da UNIDADE FARemos UMA FESTA na qual TODOS poderão preparar OS ALIMENTOS que serão servidos. FOTOaNTONIaterra
  • 32.   30      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 1 A CONVERSA É... A FOTO da página 29 é DE UMA FEIRA na cidade de SÃO PAULO. 1) O QUE CHAMA SUA ATENÇÃO NA FOTO? 2) VOCÊ RECONHECE ALGUM ALIMENTO PRESENTE NESSA FOTO? QUAL? Atividade 2 A qUESTÃO É...O QUE FAZ PARTE DA SUA ALIMENTAÇÃO? 1. OBSERVE AS IMAGENS E ESCREVA O NOME DO QUE FAZ PARTE DA SUA ALIMENTAÇÃO. FOTOaNTONIaterra
  • 33.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      31   FOTOantoniaterraFOTOantoniaterra
  • 34.   32      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  2. O MILHO É UM ALIMENTO PRESENTE NA ALIMENTAÇÃO DE PESSOAS E ANIMAIS DE VÁRIOS LUGARES DO MUNDO. CONHEça ALGUNS EXEMPLOS DE ALIMENTOS FEITOS DE MILHO. ESCREVA AO LADO o NOME DESSES ALIMENTOS (peça ajuda para sua família, se precisar): 3. O TRIGO TAMBÉM É UM GRÃO EXTRAÍDO DE UMA PLANTA E TRANSFORMADO EM FARINHA QUE USAMOS MUITO NA NOSSA ALIMENTAÇÃO. PESQUISE UMA RECEITA DE ALIMENTO QUE TENHA FARINHA DE TRIGO NA SUA COMPOSIÇÃO. ESCREVA ABAIXO A RECEITA: FOTOdivulgaçãoFOTOdivulgação
  • 35.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      33   4. NESSA RECEITA OBSERVAMOS QUE UM DOS INGREDIENTES É A FARINHA DE TRIGO. O DESAFIO AGORA É PENSAR E ESCREVER O NOME DE QUATRO ALIMENTOS, QUE VOCÊ CONHEÇA QUE CONTENHAM FARINHA DE TRIGO NA SUA COMPOSIÇÃO. PEÇA AJUDA A UM ADULTO, SE PRECISAR. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ NOME INGREDIENTES MODO DE FAZER
  • 36.   34      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 3 a questão é...como as pessoas e os animais fazem para se alimentar? 1. VAMOS OBSERVAR AS IMAGENS A SEGUIR IDENTIFICANDO AS DIFERENÇAS NOS COMPORTAMENTOS ALIMENTARES APRESENTADOS: 2. DIFERENCIe COMPORTAMENTOS EM RELAÇÃO À ALIMENTAÇÃO, CONFORME A LEGENDA. COMPORTAMENTO HUMANO COMPORTAMENTO ANIMAL PLANTAR CISCAR COZINHAR COMPRAR ALIMENTOS SENTAR À MESA PASTAR comer pendurado CONSERVAR COMIDA em galhos FOTOdivulgação FOTOMEMORIALsme-sp FOTOdivulgação
  • 37.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      35   COMO VOCÊ JÁ SABE OS ANIMAIS, DIFERENTEMENTE DAS PESSOAS CONSEGUEM SEUS ALIMENTOS DIRETAMENTE DA NATUREZA. ELES NÃO PRODUZEM SEUS ALIMENTOS COMO AS PESSOAS FAZEM. 3. CONHEça AGORA OS HÁBITOS ALIMENTARES DE ALGUNS ANIMAIS COMO O GOLFINHO, TARTARUGA MARINHA E CARANGUEJO. EM DUPLA, LEIA COM MUITA ATENÇÃO CADA TEXTO, GRIFANDO AS PARTES QUE INFORMAM OS HÁBITOS ALIMENTARES DESSES ANIMAIS. INVESTIGUE TAMBÉM OUTRAS INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE ONDE VIVEM, O SEU PESO, COMPRIMENTO, NÚMERO DE FILHOTES.” VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR GOLFINHO todo mundo pensa que o golfinho é um peixe, mas não é. ele é um mamífero, assim como a baleia. vive nos oceanos e mares de todo o mundo, perto ou longe dos continentes. no brasil pode ser visto ao longo de todo o litoral, do nordeste ao rio grande do sul. Sua alimentação consiste principalmente de peixes e lulas. mede de 1,5 a 3,5 metros de comprimento e pode pesar até 110 kg. o período de gestação é de dez a onze meses. os filhotes nascem com pouco menos de 1 metro e são amamentados durante cerca de 14 meses. a fêmea tem um filhote a cada três anos. Esse animal vive em média 20 a 35 anos. os golfinhos vivem em grupos que podem chegar a milhares de animais, entre os que vivem no oceano. é possível ver até 500 golfinhos juntos. São ágeis, velozes e acrobatas. saltam e nadam na proa de embarcações. as vocalizações incluem vários estalos e assobios. sabe-se que o golfinho- comum pode megulhar até 280 metros, ficando embaixo d´água por cerca de oito minutos. depois ele tem de subir para respirar. fonte: www.terra.com.br/criancas/bichos/golfinhos.htm 4. AGORA, PREENCHA A FICHA TÉCNICA INFORMANDO OS HÁBITOS ALIMENTARES E AS CARACTERÍSTICAS DO GOLFINHO, da tartaruga marinha e do caranguejo
  • 38.   36      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Ficha do Golfinho NOME: ________________________________________________________________ PESO:_________________________________________________________________ COMPRIMENTO:________________________________________________________ ONDE VIVE:____________________________________________________________ ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________ FILHOTES:_____________________________________________________________ TARTARUGA MARINHA As tartarugas marinhas existem há mais de 150 milhões de anos. Seu casco é coberto de escamas de queratina, o mesmo material das nossas unhas. São encontradas em todos os oceanos do mundo e se alimentam de algas, peixes, água vivas, moluscos, ouriços e caranguejos. Existem sete espécies de tartarugas marinha: tartaruga-verde, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente, tartaruga-oliva, tartaruga-gigante, tartaruga-australiana e tartaruga-kemp. A maior do mundo é a tartaruga-de-couro, também chamada de tartaruga-gigante. Ela pode pesar cerca de 700 quilos e chega a ter 2 metros de comprimento. A menor é a tartaruga-oliva. Ela mede cerca de 60 centímetros. somente as fêmeas saem da água. elas voltam ao local onde nasceram, cavam um buraco e depositam seus ovos. uma tartaruga fêmea coloca em média 130 ovos por vez. Assim que os filhotes nascem, correm para o mar. a corrida pela areia da praia até o mar é o momento mais perigoso na vida da tartaruguinha. pequena e frágil, são alvos fáceis para caranguejos, aves e outros bichos. de cada mil tartarugas que saem dos ovos, apenas uma ou duas sobrevivem. as tartarugas podem ficar fora da água por quanto tempo quiserem, desde que não se exponham ao sol e ao calor. adaptado de www.recreioonline.abril.com.br
  • 39.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      37   Ficha da tartaruga marinha caranguejo o caranguejo é um crustáceo. ele tem uma carapaça que é uma espécie de casco que protege a cabeça e o corpo. vive em todas as regiões do planeta, especialmente perto da água. no brasil, muitas espécies habitam regiões de mangue. é comum encontrarmos nessas áreas os caranguejos como guaiamu, nagoa, siri-baú e siri-candeis. em geral são animais pequenos, que medem cerca de 9 centímetros. sua alimentação inclui moluscos, tatuíras, vegetais e restos de animais mortos. na ilha trindade, no espírito santo, há carangueijos que levam máquinas fotográficas e outros objetos dos turistas para o mar. os machos costumam lutar entre si para conquistar a fêmea. eles usam as pinças na briga. os caranguejos machos de espécie uçá têm uma das patas da frente transformada em garra. com ela, defendem o território. a outra pata do par, que é menor, é usada para cavar. o caranguejo-fantasma é todo branco e sai à noite. ele corre bastante, de lado. o siri é chamado de caranguejo do mar, porque tem as duas últimas patas achatadas em forma de remo e é ótimo nadador. adaptado de www.recreioonline.abril.com.br NOME: ________________________________________________________________ PESO:_________________________________________________________________ COMPRIMENTO:________________________________________________________ ONDE VIVE:____________________________________________________________ ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________ FILHOTES:_____________________________________________________________
  • 40.   38      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Ficha do caranguejo NOME: ________________________________________________________________ PESO:_________________________________________________________________ COMPRIMENTO:________________________________________________________ ONDE VIVE:____________________________________________________________ ALIMENTAÇÃO:_________________________________________________________ 5. ESCOLHa UM DOS ANIMAIS ESTUDADOS E ESCREVa UM texto “VOCÊ SABIA...” SOBRE COMO ELE CONSEGUE SEU ALIMENTO. você sabia... 6. VAMOS PENSAR AGORA SOBRE COMO AS PESSOAS CONSEGUEM OS SEUS ALIMENTOS. AS PESSOAS APRENDERAM A CONSEGUIR ALIMENTOS OBSERVANDO A NATUREZA.
  • 41.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      39   APRENDERAM A COLHER FRUTOS, A CAÇAR, A PESCAR, A DOMESTICAR E CRIAR ANIMAIS, A PLANTAR E A FAZER INSTRUMENTOS QUE FACILITASSEM TAMBÉM O PREPARO E O ARMAZENAMENTO DE SUA COMIDA. OBSERVE ESSA IMAGEM DE UM HOMEM NO EGITO ANTIGO, CHAMADO NEBAMUM, DA CIDADE DE TEBAS, QUE ESTÁ CAÇANDO E PESCANDO, PINTADA APROXIMADAMENTE 3600 ANOS ATRÁS. NESSA OUTRA IMAGEM, IDENTIFIQUE E ESCREVA COMO NEBAMUM ESTÁ OBTENDO ALIMENTO. __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ __________________________________ FOTOsdivulgação
  • 42.   40      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 4 a questão é...como os alimentos chegam até nós? 1. QUAIS AS FRUTAS QUE RECONHECEMOS NESSA IMAGEM? 2. FAça UMA LISTA DAS FRUTAS QUE SÃO VENDIDAS NA BANCA DESSE MERCADO. FOTOAntoniAterra
  • 43.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      41   3. dê NOMES ÀS FRUTAS DAS IMAGENS A SEGUIR: FOTOSDIVULGAÇÃO FOTOAntoniAterra
  • 44.   42      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  4. EScolha uma fruta e pesquise sobre sua origem. E registre as informações que você encontrou. Fruta escolhida: informações pesquisadas: 5. converse com seus colegas para conhecer que frutas foram pesquisadas e quais informações foram apresentadas. 6. registre sobre o que mais chamou sua atenção durante a conversa com seus colegas.
  • 45.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      43   AS PESSOAS DESENVOLVEM DIFERENTES TRABALHOS na produção das frutas e outros tipos de alimentos. 7. VAMOS ESCOLHER UMA PESSOA QUE ENTENDA SOBRE A PRODUÇÃO OU DISTRIBUIÇÃO DE frutas, verduras e outros ALIMENTOS, PARA SER ENTREVISTADA NA SALA DE AULA. DÊ PREFERÊNCIA A ALGUÉM QUE JÁ TENHA TRABALHADO NA PRODUÇÃO DEsses ALIMENTOS. AGORA LEIA O ROTEIRO ABAIXO E ESTUDE AS PERGUNTAS PARA FAZÊ-LAS AO ENTREVISTADO. DATA DA ENTREVISTA: __________________________________________ NOMEDOENTREVISTADO:_______________________________________ NOME DO ENTREVISTADOR:_____________________________________ LOCAL DA ENTREVISTA: _________________________________________ SUGESTÕES DE PERGUNTAS: A) QUAL O SEU TRABALHO? B) VOCÊ JÁ PRODUZIU ALIMENTO OU CONHECE ALGUÉM QUE PRODUZA OU DISTRIBUA ALIMENTOS? QUEM? C) HÁ RELAÇÃO ENTRE O TRABALHO NA AGRICULTURA E AS ÉPOCAS DO ANO? POR EXEMPLO, PERÍODO DE COLHEITA DO ALIMENTO? OU DE CHUVA? D) O QUE VOCÊ ACHA MAIS INTERESSANTE E MENOS INTERESSANTE NESSA ATIVIDADE? E) O QUE É MAIS FÁCIL E O MAIS DIFÍCIL PARA DESENVOLVÊ-LA? F) QUAIS OS CUIDADOS NECESSÁRIOS PARA CONSERVAR OS ALIMENTOS?
  • 46.   44      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  G) DE QUE FORMA OS ALIMENTOS SÃO TRANSPORTADOS? H) DE QUE FORMA OS ALIMENTOS SÃO COMERCIALIZADOS ATÉ CHEGAR À NOSSA CASA? 8. ESCREVA UM COMENTÁRIO SOBRE A RESPOSTA QUE MAIS CHAMOU SUA ATENÇÃO NA ENTREVISTA. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ 9. VAMOS ESCREVER UM “VOCÊ SABIA...” SOBRE COMO AS PESSOAS CONSEGUEM SEU ALIMENTO. você sabia... ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ Atividade 5 hábitos e costumes alimentares 1. observe os hábitos e costumes alimentares das pessoas que aparecem nas imagens.
  • 47.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      45   FOTOhugomontenegro FOTOsdivulgação 2. converse com seus colegas A) que alimentos as pessoas estão consumindo? B) quais deles vocês também consomem? c) classifique os alimentos representados na lista a seguir. Alimentos que foram alimentos que não foram industrializados industrializados
  • 48.   46      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 6 A questão é... os nossos alimentos de hoje são os mesmos de antigamente? 1. leia O TEXTO A SEGUIR. Vimos que alguns alimentos usados pelas pessoas podem ser consumidos diretamente a partir da própria fruta como os sucos naturais, ou como no tacacá, feito com a goma da mandioca. outros alimentos precisam ser beneficiados (industrializados) antes de serem consumidos pelas pessoas, como por exemplo: os sucos industrializados, os refrigerantes e salgadinhos. A mudança nos hábitos alimentares dos brasileiros O que os brasileiros comem está diferente. O arroz, feijão, a feijoada que antes ocupava a mesa do brasileiro agora são substituídos pelas comidas congeladas, semiprontas, pedidas por telefone. Falta de tempo para cozinhar, famílias menores, muitos solteiros aumentou a oferta de alimentos de preparo rápido, principalmente nas áreas urbanas de grande concentração segundo várias pesquisas sobre os hábitos alimentares do Brasil. Os alimentos da cesta básica, como arroz, feijão, açúcar, farinha de mandioca, café e carnes perdem para os biscoitos, massas, pães, leite. As mudanças nos alimentos consumidos surgem com as mudanças na sociedade. Cozinhar feijão, fazer um bolo, comprar leite e pão todas as manhãs foi substituído por alimentos já prontos, que só necessitam ir ao micro-ondas ou ao
  • 49.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      47   forno, mistura para bolos e pelo pão de forma e caixas de leite longa vida compradas nos supermercados e que podem ser armazenados em casa, pois sua validade é maior. A compra de alimentos como hamburguers, presuntos, refrigerantes, suco de frutas e bebidas a base de leite prontos para beber, balas, chicletes, salgadinhos, macarrão entre outros alimentos prontos ou de fácil preparo aumentou 60% nos carrinhos de supermercados das famílias atualmente. Fonte: Artigo de jornal As mudanças nos hábitos alimentares dos brasileiros – Jornal Aqui de Fato, 03 de janeiro de 2012. FOTOdivulgação 2. ORGANIZe, A PARTIR DO TEXTO, ALGUMAS INFORMAÇÕES SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES DOS BRASILEIROS. A PARTIR DOS EXEMPLOS ASSINALE COM X COMPLETANDO A TABELA (PEÇA AJUDA PARA SUA FAMÍLIA, SE PRECISAR) ALIMENTO NATURAl INDUSTRIALIZAdo CONSUMIDO CONSUMIDO ATUALMENTE ANTIGAMENTE FEIJÃO X X X BISCOITO IOGURTE MACARRÃO MISTURA PARA BOLO HAMBURGUER ARROZ PÃO
  • 50.   48      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  3. AGORA, VAMOS CONVERSAR UM POUCO MAIS SOBRE O TEXTO “A mudança dos HÁBITOS ALIMENTARES dos brasileiros” a) QUAIS OS ALIMENTOS MAIS FREQUENTES NA ALIMENTAÇÃO DOS BRASILEIROS ANTIGAMENTE? B) QUAIS ALIMENTOS ESTÃO CADA VEZ MAIS FREQUENTES ENTRE OS BRASILEIROS HOJE EM DIA? c) POR QUE OS BRASILEIROS ESTÃO COMPRANDO MAIS ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS NOS DIAS DE HOJE? D) VOCÊ ACHA QUE A ALIMENTAÇÃO NOS DIAS DE HOJE É MAIS SAUDÁVEL DO QUE A DE ANTIGAMENTE? EXPLIQUE POR QUÊ? Atividade 7 A questão é... há alimentos para determinada época do ano? 1. VAMOS OBSERVAR E CONVERSAR SOBRE AS FOTOS A SEGUIR. FOTOsdivulgação
  • 51.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      49   2. AS FOTOS REPRESENTAM O DESENVOLVIMENTO DOS FRUTOS DE UMA PEREIRA AO LONGO DE UM ANO. OBSERVE NOVAMENTE AS FOTOS E ESCREVA UMA LEGENDA PARA CADA UMA DELAS. 3. AGORA É A sua VEZ. PESQUISe NA SALA DE LEITURA OU NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA DA SUA ESCOLA, A ÉPOCA DO ANO EM QUE AS FRUTAS PODEM SER ENCONTRADAS PARA CONSUMO MAIS FACILMENTE. FRUTA ÉPOCA DO ANO QUE PODE SER MAIS ENCONTRADA LARANJA UVA JABUTICABA MORANGO MANGA PESSÊGO CAQUI 4. ASSIM COMO AS FRUTAS, AS FESTAS QUE GOSTAMOS MUITO TAMBÉM SÃO TÍPICAS DE CADA ÉPOCA DO ANO. OBSERVE AS FOTOS A SEGUIR. FOTOsclodoaldoJr.
  • 52.   50      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  5. ESCREVA O NOME DE CADA UMA DESSAS FESTAS E A ÉPOCA DO ANO QUE ELA OCORRE. PESQUISE TAMBÉM QUAIS SÃO AS COMIDAS TÍPICAS DE CADA UMA. FESTA ÉPOCA DO ANO COMIDAS TÍPICAS Atividade 8 0 que aprendemos nessa unidade 1) VAMOS CONVERSAR SOBRE O QUE ACHARAM MAIS INTERESSANTE NESSA UNIDADE. e organizar um mural com imagens e informações 2) AGORA, É HORA DA FESTA. sua turma escolherá o TEMA. PODE SER UMA FESTA DAS FRUTAS, FESTA JUNINA, FESTA Do sorvete, festa do folclore... O IMPORTANTE É QUE TODOS SE ENVOLVAM NO PREPARO DOS ALIMENTOS, DOS ENFEITES E PARTICIPEM DA FESTA.
  • 53.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      51   Unidade 3 locais de convívio PARA começo DE CONVERSA... NESSA UNIDADE VOCÊ VAI ESTUDAR OS CUIDADOS COM O MEIO AMBIENTE, PRESTANDO ATENÇÃO AOS COSTUMES LIGADOS À LIMPEZA, HIGIENE E SAÚDE FREQUENTES NO SEU GRUPO DE CONVIVÊNCIA. FOTOAntoniAterraFotoNeilaGomes
  • 54.   52      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 1 a conversa é... VAMOS CONVERSAR SOBRE AS IMAGENS. • O QUE VOCÊS OBSERVAM NESSAS IMAGENS? • O QUE VOCÊS SENTEM AO OBSERVAr ESSES AMBIENTES? • QUAL DELES VOCÊ GOSTARIA DE VISITAR? POR QUê? • QUAL DELES VOCÊ CONSIDERA MAIS AGRADÁVEL? POR QUE? Atividade 2 a questão é... será que os nossos costumes contribuem para a nossa saúde? 1. OBSERVE A IMAGEM A SEGUIR. 2. ESSE LUGAR DA FOTO não FOI SEMPRE ASSIM. VAMOS LER UM TEXTO CONTANDO A HISTÓRIA DESSE LUGAR. FOTOSDIVULGAÇÃO
  • 55.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      53   BECO DO COLÉGIO O BECO DO PINTO, CONHECIDO TAMBÉM COMO BECO DO COLÉGIO, TEM ESSE NOME POR CONTA DE UM ANTIGO PROPRIETÁRIO, CHAMADO BRIGADEIRO JOSÉ JOAQUIM PINTO DE MORAIS LEME. O BECO ERA UMA PASSAGEM UTILIZADA NA SÃO PAULO ANTIGA PARA O TRÂNSITO DE PESSOAS E ANIMAIS, QUE LIGAVA A ANTIGA RUA DO CARMO À VÁRZEA DO RIO TAMANDUATEÍ. POR ESSA PASSAGEM, AS PESSOAS TINHAM O COSTUME DE LEVAR OS DEJETOS (URINA, FEZES, RESTO DE COMIDA...) PARA DESPEJAR NO RIO, JÁ QUE NAQUELA ÉPOCA NÃO EXISTIA SISTEMA DE ESGOTO E NEM COLETA DE LIXO. NO ENTANTO, AS PESSOAS LARGAVAM OS DEJETOS NO PRÓPRIO BECO, EM VEZ DE DESCER E SUBIR A LADEIRA QUE LEVAVA ATÉ O RIO. COM O TEMPO O BECO FOI REDUZIDO A UM DEPÓSITO DE SUJEIRA. ATUALMENTE, A PREFEITURA REALIZOU PESQUISAS ARQUEOLÓGICAS NO BECO, LOCALIZANDO VESTÍGIOS DE CALÇADAS DE PEDRAS, TIJOLO E PARALELEPÍPEDO, ASSIM COMO FRAGMENTOS DE LOUÇA, VIDRO, CERÂMICA E OSSOS. REFORMOU E RESTAUROU O BECO DO PINTO, COLOCANDO ESCADAS, GRADES E PORTÕES. O BECO DO PINTO AGORA FAZ PARTE DA HISTÓRIA DA CIDADE DE SÃO PAULO. 3. AGORA, VAMOS RELER UM TRECHO DO TEXTO: (...) AS PESSOAS TINHAM O COSTUME DE LEVAR OS DEJETOS (URINA, FEZES, RESTO DE COMIDA...) PARA DESPEJAR NO RIO (...). NO ENTANTO, FotoDivulgação
  • 56.   54      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  AS PESSOAS LARGAVAM OS DEjEtOS NO PRÓPRIO BECO (...). 4. O QUE AS PESSOAS FAZIAM COM SEUS DEJETOS ANTIGAMENTE? ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ Atividade 3 o percurso dos dejetos nas ruas do centro antigo 1. OBSERVE ao lado O MAPA DE ALGUMAS RUAS DA CIDADE DE SÃO PAULO ANTIGAMENTE, POR VOLTA DE 1880, ORGANIZADO PELO HISTORIADOR AFFONSO DE FREITAS. NELE FOI DESENHADO O PERCURSO QUE UM MORADOR DA ÉPOCA FAZIA PARA DESCARTAR OS DEJETOS DE SUA CASA. 2. AGORA, IDENTIFIQUE O TRAJETO E ESCREVA: A) LOCAL DE ONDE O MORADOR SAIU. _________________________________________________________ B) O NOME DOS LUGARES QUE ELE PERCORREU. LARGO __________________________________________________ RUA _____________________________________________________ RUA _____________________________________________________ RUA _____________________________________________________ RUA _____________________________________________________ PÁTIO ___________________________________________________ RUA _____________________________________________________ BECO ___________________________________________________
  • 57.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      55   Fonte: Mapa adaptado, acessado em 13/08/2012. http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro: Afonso de Freitas - Mapa da Cidade de S%C3%A3o Paulo.jpg
  • 58.   56      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  COMO DESCARTAMOS? URINA FEZES RESTOS DE COMIDA OUTROS TIPOS DE LIXO (RESÍDUOS) c) LOCAL ONDE ELE LANÇOU OS DEJETOS. _________________________________________________________ d) ANTIGAMENTE, QUEM FAZIA O TRABALHO PESADO ERA O ESCRAVO DA CASA, QUE TAMBÉM FICAVA ENCARREGADO DE LEVAR OS DEJETOS NO FINAL DIA. EM SÃO PAULO, HAVIA ALI PERTO DO LARGO SÃO BENTO A IGREJA DO ROSÁRIO DOS HOMENS PRETOS. ESSA IGREJA ERA UM PONTO DE REFERÊNCIA DOS ESCRAVOS. LOCALIZE E PINTE NO MAPA, ESSE PONTO DE REFERÊNCIA. 3. HOJE, OS COSTUMES SÃO DIFERENTES. faça UMA PESQUISA PARA DESCOBRIR O QUE ACONTECE COM OS DEJETOS E O LIXO DE HOJE EM DIA.
  • 59.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      57   4. OBSERVE A SEQuÊNCIA DE IMAGENS A SEGUIR. A) AGORA, JUNTO COM SEUS COLEGAS, ESCREVA UMA LISTA INDICANDO o CAMINHO DO LIXO DEPOIS QUE SAI DA CASA DE VOCÊS. 1._____________________________ 2.____________________________ 3.______________________________ 4.____________________________ OU http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2011/07/ noticias/a_gazeta/dia_a_dia/906347-coleta-seletiva-sera- a-regra.html - acesso 31 de outubro – adaptado
  • 60.   58      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  5.______________________________ 6.____________________________ 7.______________________________ 8.____________________________ Atividade 4 as responsabilidades para a manutenção de um ambiente saudável 1. com um colega, leia o texto a seguir. Ambiente UM AMBIENTE SAUDÁVEL SEMPRE FOI UMA PREOCUPAÇÃO DAS PESSOAS E DAS SOCIEDADES. SEMPRE SE QUIS VIVER EM UM ESPAÇO SEM DOENÇAS, COM ÁGUA DE QUALIDADE, BOA ALIMENTAÇÃO, AR PURO, SOLO RICO E MUITA VEGETAÇÃO. DESSA PREOCUPAÇÃO VEIO A NECESSIDADE DE OBRAS DO GOVERNO PARA CRIAR NAS CIDADES REDES DE ÁGUA ENCANADA, COLETA DE ESGOTO E REGRAS PARA AS CONSTRUÇÕES DE MORADIAS E ESPAÇOS DE TRABALHO. ALÉM DISSO, OS AMBIENTES, COMO AS CASAS, AS RUAS, AS CIDADES, AS FÁBRICAS, AS LOJAS, AS ESCOLAS, OS HOSPITAIS DEVERIAM SER BEM ILUMINADOS, BEM VENTILADOS, COM AMPLOS ESPAÇOS DE CIRCULAÇÃO PARA AS PESSOAS. OS BANHEIROS DEVERIAM SER DENTRO DAS CASAS, COM REDES DE ESGOTO QUE AFASTASSEM AS IMUNDÍCIES PARA LONGE DA CIDADE. A ÁGUA DEVERIA SER CANALIZADA, NOVAS ÁREAS VERDES CRIADAS, JARDINS POR TODA A CIDADE E AS CASAS DECORADAS COM FLORES E PLANTAS. ASSIM, POR CONTA DESSAS PREOCUPAÇÕES, E AO LONGO DO TEMPO, FOI DESENVOLVIDA TODA UMA CULTURA DE HÁBITOS INDIVIDUAIS E DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE HIGIENE. antonia terra
  • 61.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      59   2) A PARTIR DO TEXTO, IDENTIFIque AÇÕES QUE TORNAM UM AMBIENTE SAUDÁVEL. _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ 3) AGORA, IDENTIFIQUE NA REGIÃO ONDE VOCÊ VIVE AS AÇÕES QUE TORNAM O AMBIENTE SAUDÁVEL. _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ 4) E IDENTIFIQUE AS AÇÕES QUE FALTAM SER CRIADAS PARA SUA REGIÃO SE TORNAR UM AMBIENTE SAUDÁVEL. _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________ _______________________________ _____________________________
  • 62.   60      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  5) OBSERVE A imagem. A) IDENTIFIQUE A FALTA DE CUIDADOS DE HIGIENE NO AMBIENTE nesta imagem. B) AGORA, PREENCHA A TABELA ABAIXO. AÇÕES INDIVIDUAIS PARA AÇÕES DO GOVERNO PARA TORNAR ESSE AMBIENTE SAUDÁVEL TORNAR ESSE AMBIENTE SAUDÁVEL FOTOsantoniaterra
  • 63.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      61   6) OBSERVE A IMAGEM. A) ESCREVA O QUE MAIS CHAMOU SUA ATENÇÃO. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ B) OBSERVE O DESENHO ABAIXO FEITO A PARTIR da imagem. ilustraçãolailaterra FotoAntoniaTerra
  • 64.   62      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  C) AGORA É SUA VEZ. SOBRE O DESENHO ANTERIOR, USE SUA CRIATIVIDADE E CRIE UM AMBIENTE QUE VOCÊ IMAGINA QUE SEJA SAUDÁVEL NA CIDADE DE SÃO PAULO. Atividade 5 cuidados com a alimentação 1. VIMOS NAS ATIVIDADES ANTERIORES QUE É IMPORTANTE MANTER O AMBIENTE SEM SUJEIRA, COLOCAR O LIXO EM LOCAL ADEQUADO E USAR ÁGUA LIMPA. NA NOSSA ALIMENTAÇÃO, ESSAS AÇÕES TAMBÉM SÃO IMPORTANTES. VAMOS ENTÃO COMPLETAR A LISTA DESSAS BOAS SITUAÇÕES. • LAVAR OS ALIMENTOS • CONSUMIR ALIMENTOS FRESCOS • CONSERVAR ALIMENTOS EM LOCAIS ADEQUADOS • LAVAR SEMPRE AS MÃOS • COMER EM HORÁRIOS ADEQUADOS
  • 65.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      63   • FAZER AS REFEIÇÕES EM LOCAIS LIMPOS E VENTILADOS COLOCAR OS DEJETOS NO LIXO • __________________________________________________ • __________________________________________________ • __________________________________________________ • __________________________________________________ 2. É SAUDÁVEL UMA ALIMENTAÇÃO EM COMPANHIA DE OUTRAS PESSOAS (FAMÍLIA, AMIGOS, ESCOLA...) E NAS HORAS COMBINADAS. FAÇA, ENTÃO, UMA LISTA DOS HORÁRIOS DE SUAS PRINCIPAIS REFEIÇÕES. HORÁRIOS REFEIÇÃO (CAFÉ DA COM QUEM MANHÃ, ALMOÇO, (AMIGOS, FAMILIARES, JANTAR, LANCHE...) ESCOLA...) 3. EXISTEM OUTRAS SITUAÇÕES EM QUE AS PESSOAS SE ALIMENTAM. OBSERVE ESSA IMAGEM A SEGUIR. FOTOantoniaterra
  • 66.   64      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  4. NUMA SITUAÇÃO DE ALIMENTAÇÃO COMO ESSA DA imagem, REGISTRE OS CUIDADOS QUE DEVEMOS TER QUANDO nos ALIMENTAMOS NA RUA. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ Atividade 6 o que aprendemos nessa unidade 1. PESQUISe EM REVISTAS E EM JORNAIS SITUAÇÕES ADEQUADAS E INADEQUADAS DE HIGIENE NOS LUGARES DE VIVÊNCIA. 2. ELABORE CARTAZES COM AS INFORMAÇÕES DA PESQUISA PARA MONTAR UMA EXPOSIÇÃO NA ESCOLA, CHAMANDO ATENÇÃO PARA A IMPORTÂNCIA DE se VIVER EM UM AMBIENTE SAUDÁVEL E MANTER COSTUMES DE HIGIENE E DE SAÚDE.
  • 67.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      65   NESSA UNIDADE VOCÊ VAI ESTUDAR A PERCEPÇÃO DO CORPO E DO AMBIENTE, AS MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS DO QUE OCORRE NA NATUREZA E NOS LUGARES DE CONVIVÊNCIA DAS PESSOAS. NO FINAL, VAMOS ESCREVER UM TEXTO E FAZER UMA EXPOSIÇÃO PARA MOSTRAR NOSSOS TRABALHOS. Atividade 1 A conversa É... 1. VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR. A VISÃO PARA VER SOL, CHUVA E FLORES A AUDIÇÃO PARA OUVIR SUSSURRO, CANTIGA, ASSOBIO APITO DE FUTEBOL O PALADAR DE ONDE VEM? Unidade 4 PERCEPÇÃO DO CORPO E DO AMBIENTE PARA começo DE CONVERSA...
  • 68.   66      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  DO GELADO DO PICOLÉ, DO AZEDO DO LIMÃO, DO ARDIDO DA PIMENTA DO DOCE DOCE DO MEL. O OLFATO LEMBRA O CHULÉ DO PÉ. FLORES DE ALFAZEMA, MEXERICA COZINHA, BIFE COM CEBOLA, ARROZ E FEIJÃO. E QUAL O SENTIDO DO BELISCÃO? DO ABRAÇO, DO FRIO E DO QUE DÁ ARREPIO? Maria Montezano e Antonia Terra 2. converse com sua turma SOBRE O TEXTO. • O QUE VOCÊ MAIS GOSTOU DE LER NESSE TEXTO? • VOCÊ se LEMBRA de UM GOSTO GOSTOSO? E DE UM GOSTO RUIM? • QUAIS OS SONS que se ouve? • VOCÊ SABE IMITAR O SOM DO SEU CORAÇÃO? • E O QUE lhe CAUSA ARREPIO? • VOCÊ se LEMBRA de algum LUGAR QUE TEM CHEIRO DE DOCE? • E COISAS ANTIGAS TÊM CHEIRO DE QUE? Atividade 2 A questão É... como percebemos o ambiente em que vivemos? 1. PODEMOS SENTIR OS AMBIENTES ATRAVÉS DOS NOSSOS SENTIDOS. ANOTE O QUE PERCEBEmos USANDO
  • 69.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      67   A) OS OLHOS ___________________________________ ___________________________________ B) OS OUVIDOS ___________________________________ ___________________________________ C) O NARIZ ___________________________________ ___________________________________ D) A LÍNGUA ___________________________________ ___________________________________ E) A PELE ___________________________________ ___________________________________ 2. NO PÁTIO DA ESCOLA OU NA QUADRA DE ESPORTES FAça UMA RODA com sua turma, TODOS SENTADOS NO CHÃO, PERCEBa O AMBIENTE em silêncio. DE OLHOS FECHADOS .... OS CHEIROS.... FotoNeilaGomes
  • 70.   68      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  O QUE PERCEBEMOS NO AMBIENTE A NOSSA VOLTA CHEIROS BARULHOS SENSAÇÕES O QUE FOI VISTO DO CORPO .... OS BARULHOS, OS SONS, OS RUÍDOS, OS CANTOS, AS VOZES.... ... AS SENSAÇÕES DO CORPO... FRIO, CALOR, VENTO, TEXTURA DO CHÃO... BATIMENTOS DO CORAÇÃO, TRANSPIRAÇÃO (SUOR), SEDE, COCEIRA, SONO, CANSAÇO... DE OLHOS ABERTOS AS CORES, OS TAMANHOS, AS COISAS, AS CONSTRUÇÕES, OS MATERIAIS..., AS NUVENS, CHUVA, SOL... A PAISAGEM. 3. AGORA, NA SALA DE AULA, COMPLETe OS QUADROS A SEGUIR.
  • 71.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      69   4. OBSERVE A IMAGEM A SEGUIR. (O JOGO DE CABRA-CEGA, DESENHADO EM 1803) http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Blind_mans_bluff_1803.PNG - ACESSO NOV. 2011 O QUE PERCEBEMOS NO AMBIENTE A NOSSA VOLTA O QUE É DA NATUREZA O QUE É PRODUZIDO PELAS PESSOAS
  • 72.   70      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  A) O QUE AS PESSOAS ESTÃO FAZENDO? B) POR QUE VOCÊ ACHA QUE UMA PESSOA ESTÁ COM UM LENÇO NOS OLHOS? C) ESSA É UMA BRINCADEIRA. QUE BRINCADEIRA É ESSA? D) ENTENDa MELHOR A IMAGEM LENDO O TEXTO A SEGUIR. A CABRA-CEGA É UMA BRINCADEIRA, EM QUE UM DOS PARTICIPANTES, DE OLHOS VENDADOS, PROCURA ADIVINHAR E AGARRAR OS OUTROS. AQUELE QUE FOR AGARRADO, PASSARÁ A FICAR COM OS OLHOS VENDADOS. HOJE EM DIA É UM JOGO INFANTIL, MAS ANTIGAMENTE FOI UM PASSATEMPO DAS PESSOAS QUE VIVIAM NOS PALÁCIOS NA EUROPA. 5. QUE TAL BRINCARMOS COMO AS PESSOAS DA IMAGEM? E VOCÊ JÁ BRINCOU DE CABRA-CEGA? O TEXTO A SEGUIR EXPLICA COMO É O JOGO. AS CRIANÇAS FAZEM UMA RODA À VOLTA DA CABRA-CEGA, QUE FICA DE JOELHOS E DE OLHOS TAPADOS COM UMA VENDA. A PROPOSTA É QUE A CABRA-CEGA ENCONTRE AS OUTRAS A PARTIR DAS DICAS POR ELAS FORNECIDAS, ATRAVÉS DE PERGUNTAS: CABRA-CEGA, PERGUNTA: “DE ONDE VENS?” “VENHO DE UM JARDIM.” “O QUE ME TRAZES?” “TRAGO FOLHINHAS DE HORTELÃ.” “DÁ-ME UMA!” “NÃO DOU.”
  • 73.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      71   DEPOIS, COMEÇAM TODAS A FUGIR ATÉ QUE ELA APANHE ALGUÉM, E ADIVINHE QUEM É. SE ELA ADIVINHAR, A PESSOA PASSA A SER A CABRA-CEGA. O JOGO RECOMEÇA E AS CRIANÇAS SAEM CANTANDO: “CABRA-CEGA! CABRA-CEGA! TUDO RI, MÃOS NO AR, A APALPAR, TATEAR, POR AQUI, POR ALI. TUDO RI! CABRA CEGA!” AGORA, UMA OUTRA CRIANÇA, COM UM OUTRO OBJETO NA MÃO, PERGUNTA: - “CABRA-CEGA ADIVINHE O QUE EU TENHO NA MÃO?” - “ONDE VOCÊ PEGOU?” - “A PROFESSORA ME EMPRESTOU”. - “OUÇA O BARULHINHO” - “EU QUERO TAMBÉM”. - “VENHA PEGAR” TODAS COMEÇAM A FUGIR ATÉ QUE ELA APANHE ALGUÉM, E ADIVINHE O QUE É. SE ELA ADIVINHAR, A PESSOA PASSA A SER A CABRA-CEGA. E ASSIM O JOGO CONTINUA COM OUTROS OBJETOS, EXPLORANDO A PERCEPÇÃO DOS SENTIDOS DAS CRIANÇAS. Atividade 3 VOCÊ SABIA? 1. VAMOS LER O TEXTO A SEGUIR PARA DESCOBRIR COMO OS ANIMAIS PERCEBEM OS AMBIENTES.
  • 74.   72      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  A) O QUE VOCÊ DESCOBRIU LENDO O TEXTO? ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ FOTOdivulgação VOCÊ SABIA QUE OS TUBARÕES SÃO CAPAZES DE SENTIR CHEIRO DE SANGUE A QUILÔMETROS DE DISTÂNCIA. ESTA É UMA HISTÓRIA VERDADEIRA. TUBARÕES PODEM SENTIR CHEIRO DE SANGUE A QUILÔMETRO DE DISTÂNCIA. SÃO CAPAZES DE DETERMINAR SE O CHEIRO VEIO PELA ESQUERDA OU PELA DIREITA, O QUE OS AJUDAM A DECIDIR EM QUE DIREÇÃO IR PARA CAPTURAR A PRESA. ISSO INDICA QUE ELES TEM UMA GRANDE SENSIBILIDADE OLFATIVA, OU SEJA, UM NARIZ CAPAZ DE SENTIR MUITO MAIS CHEIROS DO QUE NÓS HUMANOS DENTRO DA ÁGUA.
  • 75.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      73   2. VAMOS OBSERVAR A IMAGEM SEGUIR. A) CONVERSE SOBRE O QUE VEMOS NA IMAGEM. EM SEGUIDA, ANOTE ALGUMAS COISAS OBSERVADAS POR VOCÊ. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ B) PENSE E RESPONDA: OS PASSARINHOS TAMBÉM USAM OS ÓRGÃOS DOS SENTIDOS PARA ENCONTRAR SEUS ALIMENTOS? QUAIS DELES? SE VOCÊ NÃO SOUBER, PESQUISE E ANOTE. ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ FOTOantoniaterra
  • 76.   74      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ _____________________________________________________________ 4. O DESAFIO AGORA É PESQUISAR COMO OUTROS ANIMAIS PERCEBEM O AMBIENTE A SUA VOLTA E COMPLETE: A) NA SEGUNDA COLUNA DA TABELA ESCREVA SUAS HIPÓTESES PARA A QUESTÃO FEITA EM RELAÇÃO A CADA ANIMAL. 3. LEIA O TEXTO A SEGUIR E IDENTIFIQUE O SENTIDO QUE O GATO UTILIZA NESSE POEMA PARA SE RELACIONAR COM O AMBIENTE. O GATO QUE VIVIA PELOS CANTOS DO QUINTAL, QUANDO ESCUTAVA SUA DONA NA COZINHA, RONRONAVA QUE QUERIA MINGAU. ROOM...ROOM...ROOM.. MAS SE A DONA RESMUGANVA, O GATINHO MIAVA. MINGAU AUUUUUUUUUUUUUUUU..... LETICIA OLIVEIRA E MARIA MONTEZANO A) Escreva sobre o sentido que o gato utilizou:
  • 77.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      75   B) NA SEGUNDA COLUNA, ESCREVA O QUE VOCÊ DESCOBRIU COM SUA PESQUISA ANIMAIS HIPÓTESE CONCLUSÃO APÓS A PESQUISA POR ONDE A BORBOLETA SENTE O GOSTO? POR QUAL PARTE DO CORPO? ATRAVÉS DE QUAL SENTIDO A ESTRELA DO MAR ENCONTRA SEU ALIMENTO?QUAL PARTE DO CORPO? ATRAVÉS DE QUAIS SENTIDOS O CACHORRO SE RELACIONA COM O AMBIENTE? POR QUAIS PArTES DO CORPO? FOTOhAROLDOPALOjR.FOTOdivulgação FOTOANTONIATERRA
  • 78.   76      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  Atividade 4 A questão É... COMO RECONHECEMOS AS CONDIÇÕES DO TEMPO ATMOSFÉRICO NO DIA A DIA? 1. LEIA O POEMA A SEGUIR. A LUZ DO SOL É QUE ANUNCIA: QUE LINDO DIA, ANA MARIA! _ACENDEM-SE, NO MUNDO, ZILHÕES DE CORES... _ENTÃO, MAIS VERDE, TODAS AS ÁRVORES _MULTICOLORIDAS TODAS AS FLORES. E, GRAÇAS À LUZ, VAI VENDO A VIDA DIA A DIA, ANA MARIA. TÁ FRIO, TÁ QUENTE “QUE BLUSA É ESSA, SEU VICENTE?” AH, COMO MUDA O TEMPO! MUDA A ROUPA, E SE LASTIMA SE ABANA?... COBERTA POR CIMA?... A TEMPERATURA, VARIA: UI... E A PELE SENTE A DE ANA MARIA E A DE SEU VICENTE. MARGARETH APARECIDA BALLESTEROS BUZINARO
  • 79.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      77   A) A PARTIR DA LEITURA DO POEMA PREENCHA A TABELA A SEGUIR CONFORME O QUE SE PEDE. OBSERVE O MODELO. VERSOS COM PALAVRAS COMPORTAMENTO / RELACIONADAS AO SENSAÇÕES TEMPO ATMOSFÉRICO A LUZ DO SOL É QUE ANUNCIA QUE LINDO DIA, ANA MARIA! TÁ FRIO, TÁ QUENTE MUDA A ROUPA, E SE LASTIMA SE ABANA?... COBERTA POR CIMA?... UI... E A PELE SENTE A DE ANA MARIA E DE SEU VICENTE
  • 80.   78      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  B) AGORA É COM VOCÊ. OBSERVE AS MUDANÇAS NO TEMPO ATMOSFÉRICO E CONSTRUA UMA TABELA COM O QUE VOCÊ VÊ, SENTE E FAZ DIANTE DE CADA SITUAÇÃO DO TEMPO. SITUAÇÃO DO O QUE VÊ O QUE SENTE O QUE FAZ TEMPO ATMOSFÉRICO CHUVOSO VENTO usa GUARDA CHUVA MUITO SOL FRIO VESTE CASACO C) A PARTIR DOS VERSOS A SEGUIR DE CECÍLIA MEIRELES (OU ISTO OU AQUILO), CONTINUE A ESCREVER NOVOS VERSOS PARA O POEMA UTILIZANDO ALGUMAS SITUAÇÕES DO TEMPO ATMOSFÉRICO QUE VOCÊ COLOCOU NO QUADRO ACIMA. OU SE TEM CHUVA E NÃO SE TEM SOL, OU SE TEM SOL E NÃO SE TEM CHUVA! OU SE___________________________________________________ OU SE___________________________________________________ OU SE___________________________________________________ OU SE___________________________________________________
  • 81.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      79   Atividade 5 A questão É... QUAIS OS MATERIAIS QUE ESCOLHEMOS PARA A NOSSA PROTEÇÃO? 1. VOCÊ CONHECE A HISTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS? ouça a leitura dessa HISTÓRIA PARA DESCOBRIR OS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POR ELES? 2. DESENHE AS TRÊS CASAS CONFORME OS MATERIAIS UTILIZADOS PELOS TRÊS PORQUINHOS. MATERIAL UTILIZADO DESENHO DAS CASAS PALHA MADEIRA TIJOLO
  • 82.   80      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  3. AGORA É sua VEZ DE PESQUISAR. A) CONVERSE COM UMA PESSOA MAIS VELHA E DESCUBRA QUAIS OS MATERIAIS UTILIZADOS NA CONSTRUÇÃO DE SUA MORADIA. ASSINALE OS MATERIAIS A PARTIR DAS IMAGENS A SEGUIR. FOTOdivulgação FOTOSlilianborges
  • 83.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      81   VOCÊ SABIA? MUITAS CASAS ANTIGAMENTE ERAM CONSTRUÍDAS COM BARRO SOCADO. ERA UMA TÉCNICA CHAMADA TAIPA DE PILÃO SE DÁ O NOME DE TAIPA AO BARRO SOCADO E MISTURADO COM CAPIM E OUTROS MATERIAIS. OUTRAS CASAS ERAM FEITAS DE PAU-A-PIQUE. O “PAU-A-PIQUE” ERAm MADEIRAS ENTRECRUZADAS E AMARRADAS POR TIRAS DE CIPÓ E POSTERIORMENTE CHEIAS DE TERRA UMEDECIDA. AS ANTIGAS CASAS DE MINAS GERAIS ERAM (E AINDA SÃO EM MUITOS LUGARES DO BRASIL) GERALMENTE FEITAS COM ESSA TÉCNICA. FOTOSantoniaterra
  • 84.   82      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  4. OBSERVE AS IMAGENS A SEGUIR. IMAGEM 1 CASAS NO BAIRRO DE SÃO MIGUEL PAULISTA– 2011 FOTOANTONIATERAA IMAGEM 2 João Batista da Costa (1865-1926) – Casa e capela de Antonio Raposo Tavares – pintura do séc. XIX www.wikipedia.org-acessadoem13/08/2012.
  • 85.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      83   A) converse com sEUS COLEGAS SOBRE AS INFORMAÇÕES QUE PODEM SER OBTIDAS NAS IMAGENS QUE AJUDAM A DESCOBRIR QUAL É A MAIS ANTIGA E QUAL É A MAIS ATUAL. Atividade 6 Agora é com você... 1. OBSERVE A FOTO A SEGUIR E IMAGINE UMA CONSTRUÇÃO QUE VOCÊ FARIA NESSE LOCAL. VOCÊ PODE DESENHAR SOBRE ELA OU FAZER UMA COLAGEM A PARTIR DE PAPÉIS COLORIDOS. FOTOANTONIATERAA
  • 86.   84      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  7) DEPOIS ELABORE CARTAZES PARA MONTAR UMA EXPOSIÇÃO COM AS CONSTRUÇÕES QUE VOCÊ E SEUS COLEGAS CRIARAM. A PARTIR DOS CARTAZES VOCÊS PODEM CONVERSAR SOBRE OS TIPOS DE CONSTRUÇÃO, OS MATERIAIS, AS TÉCNICAS... Atividade 7 o que aprendemos nessa unidade 1. CONVERSe com sua turma e aponte SOBRE DUAS COISAS QUE GOSTou DE APRENDER NESSA UNIDADE. 2. É HORA DO NOSSO MURAL. EM FOLHAS AVULSAS COPIE A ATIVIDADE QUE VOCÊ MAIS GOSTOU DE FAZER NESSA UNIDADE E COLE-AS NO MURAL DA CLASSE.
  • 87.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      85   ANOTAÇõES _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ ____________________________________________ ____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________
  • 88.   86      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ ANOTAÇõES
  • 89.  NATUREZA E SOCIEDADE • 2O ANO      87   _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ ANOTAÇõES
  • 90.   88      cadernos de apoio e aprendizagem · SmESP  _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ ANOTAÇõES
  • 91. Cadernos de apoio e aprendizagem CadernosdeapoioeaprendizagemNATUREZAESOCIEDADE•2ºano NATUREZA E SOCIEDADE PROGRAMA . d e   o r i e n t a ç Õ e s  cu r r i cu l a r e s 2o ano 2o ano