SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Inteligência Artificial
e o seu uso em contexto militar
Evento sobre IA e uso militar
ELSA – The European Law Student´s Association
Faculdade de Direito da Universidade do Porto
Luis Borges Gouveia
Universidade Fernando Pessoa
25 de Novembro de 2020
4 Definições de Inteligência Artificial (IA)
Artificial Intelligence (AI)
1. A teoria e o desenvolvimento de sistemas de computador capazes de
realizar tarefas que normalmente requerem inteligência humana como
as demonstradas pela percepção visual, reconhecimento do discurso,
tomada de decisão e tradução entre linguagens (de diversos tipos)
2. Associada com a simulação da inteligência humana por máquinas que
são programadas para pensar como os seres humanos e imitar o seu
comportamento e ações. O termo é aplicado quando algumas das
facetas são simuladas (aprendizagem, resolução de problemas, …)
3. Inteligência demonstrada por máquinas que é diferente da inteligência
natural associada com o ser humano. Em geral, a IA refere máquinas ou
computadores que emulam as funções cognitivas humanas
4. A IA como a simulaçao da inteligência humana em máquinas que são
programadas para pensar como os humanos e emular as suas ações
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Inteligência
• pode ser definida de muitas formas: capacidade para lidar com lógica, entendimento, auto
consciência, aprendizagem, conhecimento emocional, raciocínio, planeamento, criatividade e
resolução de problemas
• capacidade de análise de informação e adaptação, percebendo a informação disponível de forma
a formar conhecimento que proporcione ação, de modo a permitir comportamentos adaptativos
ao ambiente circundante ou a um contexto
A brief History of Artificial Intelligence
https://www.youtube.com/watch?v=056v4OxKwlI
Can machine think?
http://sitn.hms.harvard.edu/flash/2017/history-artificial-intelligence/
Alan Turing
(1912, 1954)
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Tendências do
futuro ambiente
operacional em
contexto militar
Grande parte do material desta
apresentação é retirado do
trabalho
“IA e o seu Papel nos Conflitos
Futuros. Desafios para Portugal”
do
Ten-Cor Raúl Carvalho Morgado
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Natureza e caráter da guerra
Existe uma diferença entre a natureza objetiva da guerra e o caráter
subjetivo da guerra. A natureza descreve o que é a guerra, enquanto que o
caráter descreve como é que a guerra é combatida, com que armas e com
que doutrina.
• A natureza captura a essência da guerra (o que a diferencia como
fenómeno). A natureza da guerra é violenta, é conduzida pela política e
é interativa entre vontades opostas
• O caráter da guerra evolui pela influência da tecnologia, de fatores da
moral como a ética e as leis, da cultura e da cultura militar, que também
mudam ao longo do tempo e do lugar
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
No entanto o digital muda mais que o caráter,
muda a natureza…
As capacidades tecnológicas em robótica, inteligência artificial e equipas
humanos-máquinas, vão mudar mais do que apenas a forma como a guerra
é conduzida.
Os elementos mais significativos da guerra, violência, fatores humanos,
fricção e oportunidade permanecerão imutáveis. A essência da guerra como
violência politicamente dirigida manter-se-á, mesmo que mais máquinas
estejam envolvidas aos diversos níveis
O surgimento da Era da autonomização trará alterações à natureza da
guerra de diversas formas, pelo que teremos de considerar novas fontes de
potencial de combate e avaliar como é que elas afetam cada nível da guerra
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
O que é afetado?
• irá enfraquecer o papel da direção política, forçando a delegação de
resposta aos escalões mais baixos para aumentar a forma e rapidez dos
ataques
• a autonomia vai diminuir a capacidade dos governos obter apoio e
legitimidade das suas populações, ao mesmo tempo que se torna mais
fácil para governos hostis manipularem as populações dos adversários
• com maior impacto, formas de aprendizagem IA mais avançadas
aumentarão a intuição e o julgamento dos comandantes experientes.
Aumentando o papel da liderança
• podem reduzir o apoio popular às organizações militares, o que
paradoxalmente, podia libertar os governos de empenhar a força mais
prontamente desde que as consequências políticas fossem reduzidas.
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Áreas de atuação
• Sistemas autónomos de aprendizagem: permitem identificar e reconhecer
padrões de modo a fornecer um aviso antecipado de determinados eventos
• Colaboração Homem-Máquina: constituição de equipas Homem-Máquina que
combinam a análise estratégica de um ser humano com os computadores
• Operações humanas assistidas: capacidade de utilizar dispositivos eletrónicos e
aplicações que podem permitir que os humanos tenham um melhor desempenho
em combate (exemplo: exoesqueletos)
• Equipas de combate Homem-Máquina: um ser humano a trabalhar com sistemas
não tripulados é capaz de tomar melhores decisões e realizar operações
cooperativas
• Armas em rede semiautónomas: os sistemas estão ligados entre si e
robustecidos para sobreviver a ciberataques
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Aplicações militares
• Sistemas de armas não tripuladas inteligentes e autónomas: A IA pode ser utilizada no
desenvolvimento de veículos não tripulados aéreos, terrestres ou submarinos ou mesmo em
misseis de cruzeiro. Estes sistemas de armas utilizam IA para automática e autónoma, perseguir,
distinguir e destruir os alvos inimigos
• Fusão de dados, processamento e análise de informações: A utilização da IA no processamento
de dados de sensores e na deteção automática de padrões de dados pode melhorar a avaliação
situacional (exemplo: algoritmos de aprendizagem no processo de análise de imagens de satélite)
• Ciberdefesa e Ciberguerra: A defesa de redes de computadores e sistemas de informação críticos
podem ser melhoradas com recurso à IA, minimizando os efeitos das operações cibernéticas
detetando e mitigando os ataques através, entre outras técnicas, pelo reconhecimento de
padrões e analise estatística (a IA se constitui como fator crítico para a tomada de decisão)
• Rádios Cognitivos: O desenvolvimento de rádios cognitivos dotados com IA podem melhorar a
gestão dinâmica do espetro eletromagnético e consequentemente as comunicações. Em cenários
onde o espetro eletromagnético é cada vez mais congestionado, a IA será fundamental
• Aplicações ao nível tático: a utilização da IA em aplicações ao nível tático pode ser encontrada
em capacetes de combate com viseiras que analisam o campo de batalha ou em sistemas
antimíssil que analisam a trajetória dos misseis disparados para os derrubar
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Algumas notas
• O uso da IA em contexto civil e militar está interligado (conhecimento e
competências)
• Tal como o digital e o uso intensivo de meios digitais e de tecnologias de
informação e comunicação, a IA tem impacto real e significativo na segurança
e defesa (incluindo a componente militar)
• As áreas operacionais militares são:
• Estendidas: os ramos agora, além do AR – MAR – TERRA temos ESPAÇO e
CIBERSPAÇO
• Extendidas: ao espaço físico com as 4 dimensões (espaço físico e tempo) temos
adicionalmente o Ciberespaço e o tempo digital
• Complexas: o digital vem tornar tudo mais integrado e aumenta a dependência da
informação Do C3I – Comando, Controlo, Comunicações e Inteligência ao digital, com
o C4I – Comando, Controlo, Comunicações, Computadores e Inteligência
• As leis da criatividade e inovação e do conhecimento também aqui se aplicam
• Novas potencias militares em formação?
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Olá Futuro
Como ser Humano na era dos algoritmos
Hannah Fry
Inteligência Artificial
Como funciona e como podemos usá-la para criar um
mundo melhor
Nick Polson e James Scott
Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
Luís Borges Gouveia
Nota biográfica
Luis Borges Gouveia, nasceu em 1966 no Porto. Professor Catedrático na Faculdade de Ciências e
Tecnologia da Universidade Fernando Pessoa (UFP). Coordenador do Doutoramento em Ciências da
Informação, Especialidade Sistemas, Tecnologias e Gestão da Informação (UFP). Auditor de Defesa
Nacional, membro do Grupo de Reflexão sobre Resiliência Cibernética, Instituto de Defesa Nacional
(IDN). Membro da Direção Norte da Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade
da Informação (APDSI).
Agregado em Engenharia e Gestão Industrial (UA); Doutorado em Ciência da Computação (ULANCS,
UK); Mestrado em Engenharia Eletrónica e de Computadores (FEUP) e Licenciatura em Informática /
Matemáticas Aplicadas (UPT).
Os seus interesses estão associados com o uso e exploração do digital e as suas aplicações para
pessoas e organizações, nomeadamente em temas como a transformação digital e a
cibersegurança. Possui página na Web.
Possui página pessoal na Web em http://homepage.ufp.pt/lmbg

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Muistne vabadusvõitlus pt 49 50
Muistne vabadusvõitlus pt 49   50Muistne vabadusvõitlus pt 49   50
Muistne vabadusvõitlus pt 49 50
Sirle Reinholm
 
Venemaa XVI-XVIII sajandil
Venemaa XVI-XVIII sajandilVenemaa XVI-XVIII sajandil
Venemaa XVI-XVIII sajandil
Egon Mets
 
Ես իմ անուշ հայաստանի
Ես իմ անուշ հայաստանիԵս իմ անուշ հայաստանի
Ես իմ անուշ հայաստանի
Sona8
 
Suur prantsuse revolutsioon
Suur prantsuse revolutsioonSuur prantsuse revolutsioon
Suur prantsuse revolutsioon
Katri Silla
 
Täidesaatev_Võim
Täidesaatev_VõimTäidesaatev_Võim
Täidesaatev_Võim
kudisiim
 
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
Natalja Dovgan
 

Mais procurados (20)

O Estado Novo_ o salazarismo.pptx
O Estado Novo_ o salazarismo.pptxO Estado Novo_ o salazarismo.pptx
O Estado Novo_ o salazarismo.pptx
 
Muistne vabadusvõitlus pt 49 50
Muistne vabadusvõitlus pt 49   50Muistne vabadusvõitlus pt 49   50
Muistne vabadusvõitlus pt 49 50
 
Venemaa XVI-XVIII sajandil
Venemaa XVI-XVIII sajandilVenemaa XVI-XVIII sajandil
Venemaa XVI-XVIII sajandil
 
00211kreekalinnriigid
00211kreekalinnriigid00211kreekalinnriigid
00211kreekalinnriigid
 
Euroopa pärast Viini kongressi
Euroopa pärast Viini kongressiEuroopa pärast Viini kongressi
Euroopa pärast Viini kongressi
 
Ես իմ անուշ հայաստանի
Ես իմ անուշ հայաստանիԵս իմ անուշ հայաստանի
Ես իմ անուշ հայաստանի
 
Kohus
KohusKohus
Kohus
 
Suur prantsuse revolutsioon
Suur prantsuse revolutsioonSuur prantsuse revolutsioon
Suur prantsuse revolutsioon
 
Rooma ajaloo kaardid
Rooma ajaloo kaardidRooma ajaloo kaardid
Rooma ajaloo kaardid
 
Os faraós do antigo egipto
Os faraós do antigo egiptoOs faraós do antigo egipto
Os faraós do antigo egipto
 
Haridus ja teadus keskajal põHikoolile
Haridus ja teadus keskajal põHikoolileHaridus ja teadus keskajal põHikoolile
Haridus ja teadus keskajal põHikoolile
 
Kreeka ajaloo kronoloogiline ülevaade
Kreeka ajaloo kronoloogiline ülevaadeKreeka ajaloo kronoloogiline ülevaade
Kreeka ajaloo kronoloogiline ülevaade
 
Täidesaatev_Võim
Täidesaatev_VõimTäidesaatev_Võim
Täidesaatev_Võim
 
Mesopotaamia religioon ja kultuur
Mesopotaamia religioon ja kultuurMesopotaamia religioon ja kultuur
Mesopotaamia religioon ja kultuur
 
Tehnoloogia, meditsiin
Tehnoloogia, meditsiinTehnoloogia, meditsiin
Tehnoloogia, meditsiin
 
Vabariigi valitsus. 9. klass
Vabariigi valitsus. 9. klassVabariigi valitsus. 9. klass
Vabariigi valitsus. 9. klass
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
 
Riigieelarve
RiigieelarveRiigieelarve
Riigieelarve
 
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
Euroopa riigid ja rahvad. Absolutism.
 
28. kohtusteem
28. kohtusteem28. kohtusteem
28. kohtusteem
 

Semelhante a Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar

Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologiasConvergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias
hetorivc
 
Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias
hetorivc
 
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
Luis Pedro
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
Azul Assessoria Acadêmica
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
Azul Assessoria Acadêmica
 

Semelhante a Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar (20)

Artigo - Inteligência Artificial e seu uso no Cotidiano
Artigo - Inteligência Artificial e seu uso no CotidianoArtigo - Inteligência Artificial e seu uso no Cotidiano
Artigo - Inteligência Artificial e seu uso no Cotidiano
 
IA para escritórios de advocacia.docx
IA para escritórios de advocacia.docxIA para escritórios de advocacia.docx
IA para escritórios de advocacia.docx
 
Apresentação Ciência, Tecnologia e Inovação no Setor Cibernético: Desafios e ...
Apresentação Ciência, Tecnologia e Inovação no Setor Cibernético: Desafios e ...Apresentação Ciência, Tecnologia e Inovação no Setor Cibernético: Desafios e ...
Apresentação Ciência, Tecnologia e Inovação no Setor Cibernético: Desafios e ...
 
Conceitos tic
Conceitos ticConceitos tic
Conceitos tic
 
Fundamentos De Ia E Sistemas Baseados em Conhecimento
Fundamentos De Ia E Sistemas Baseados em ConhecimentoFundamentos De Ia E Sistemas Baseados em Conhecimento
Fundamentos De Ia E Sistemas Baseados em Conhecimento
 
Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologiasConvergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias
 
Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologiasConvergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias
 
Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias Convergencia de tecnologias
Convergencia de tecnologias
 
Fundamentos De Ia E SbCs
Fundamentos De Ia E SbCsFundamentos De Ia E SbCs
Fundamentos De Ia E SbCs
 
Desenvolvimento chatterbot- Lucas Pereira
Desenvolvimento chatterbot- Lucas PereiraDesenvolvimento chatterbot- Lucas Pereira
Desenvolvimento chatterbot- Lucas Pereira
 
[José Ahirton Lopes] Plataformas Cognitivas
[José Ahirton Lopes] Plataformas Cognitivas[José Ahirton Lopes] Plataformas Cognitivas
[José Ahirton Lopes] Plataformas Cognitivas
 
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
2012 11 09_v_baldi_filtros_smartcities
 
[José Ahirton Lopes] Inteligência Artificial 101
[José Ahirton Lopes] Inteligência Artificial 101[José Ahirton Lopes] Inteligência Artificial 101
[José Ahirton Lopes] Inteligência Artificial 101
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
 
IA em Saude- FAMEMA.pptx
IA em Saude- FAMEMA.pptxIA em Saude- FAMEMA.pptx
IA em Saude- FAMEMA.pptx
 
Inteligência Artificial e Oportunidades.pptx
Inteligência Artificial e Oportunidades.pptxInteligência Artificial e Oportunidades.pptx
Inteligência Artificial e Oportunidades.pptx
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
 
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
QUESTÃO 1 A Inteligência Artificial é uma das ciências mais recentes. Teve in...
 
Ai ad aula 1
Ai ad aula 1Ai ad aula 1
Ai ad aula 1
 

Mais de Luis Borges Gouveia

Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Luis Borges Gouveia
 

Mais de Luis Borges Gouveia (20)

A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémicoA Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
A Sala de Aula como um espaço de oportunidade num tempo pós pandémico
 
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learningSharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
Sharing ongoing research from *TRS group on ICT for teaching and learning
 
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
Casos de Estudo e Estudos de Caso. Práticas e Operacionalização: como resolve...
 
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
Contribuições para o uso da MVR - Matriz de Valor e Relevância - Indicadores ...
 
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFPEventos PhD CI SiTEGI UFP
Eventos PhD CI SiTEGI UFP
 
Information Science PhD event
Information Science PhD eventInformation Science PhD event
Information Science PhD event
 
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a DistânciaCuradoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
Curadoria Digital de Conteúdo para Educação a Distância
 
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
Proposta de um Modelo de Matriz de Correlação e Relevância – ODS e indicadore...
 
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
Livro de Resumos do Seminário PhD CI - SiTEGI 2020
 
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafiosO Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
O Digital e um espaço de oportunidades num oceano de desafios
 
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
Uma análise prévia do ensino de emergência em tempos de pandemia e o impacto ...
 
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superiorA oportunidade de um novo normal no ensino superior
A oportunidade de um novo normal no ensino superior
 
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
CULTURA DIGITAL DEFINIÇÃO E DIMENSÕES CONSTITUTIVAS: uma proposta para mapear...
 
Transformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informaçãoTransformação digital e gestão da informação
Transformação digital e gestão da informação
 
O momento da Transformação digital
O momento da Transformação digitalO momento da Transformação digital
O momento da Transformação digital
 
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystemEmerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
Emerging alternatives to leadership and governance in a digital ecosystem
 
Sobre Cultura Digital
Sobre Cultura DigitalSobre Cultura Digital
Sobre Cultura Digital
 
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digitalO lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
O lugar da leitura como espaço de convergência entre o real e o digital
 
Responder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IESResponder a um contexto digital nas IES
Responder a um contexto digital nas IES
 
Reviewing Power-Saving Approaches Used During the Actual End-User Usage of an...
Reviewing Power-Saving Approaches Used During the Actual End-User Usage of an...Reviewing Power-Saving Approaches Used During the Actual End-User Usage of an...
Reviewing Power-Saving Approaches Used During the Actual End-User Usage of an...
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
aulasgege
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
LindinhaSilva1
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
sfwsoficial
 

Último (20)

662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 

Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar

  • 1. Inteligência Artificial e o seu uso em contexto militar Evento sobre IA e uso militar ELSA – The European Law Student´s Association Faculdade de Direito da Universidade do Porto Luis Borges Gouveia Universidade Fernando Pessoa 25 de Novembro de 2020
  • 2. 4 Definições de Inteligência Artificial (IA) Artificial Intelligence (AI) 1. A teoria e o desenvolvimento de sistemas de computador capazes de realizar tarefas que normalmente requerem inteligência humana como as demonstradas pela percepção visual, reconhecimento do discurso, tomada de decisão e tradução entre linguagens (de diversos tipos) 2. Associada com a simulação da inteligência humana por máquinas que são programadas para pensar como os seres humanos e imitar o seu comportamento e ações. O termo é aplicado quando algumas das facetas são simuladas (aprendizagem, resolução de problemas, …) 3. Inteligência demonstrada por máquinas que é diferente da inteligência natural associada com o ser humano. Em geral, a IA refere máquinas ou computadores que emulam as funções cognitivas humanas 4. A IA como a simulaçao da inteligência humana em máquinas que são programadas para pensar como os humanos e emular as suas ações Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 3. Inteligência • pode ser definida de muitas formas: capacidade para lidar com lógica, entendimento, auto consciência, aprendizagem, conhecimento emocional, raciocínio, planeamento, criatividade e resolução de problemas • capacidade de análise de informação e adaptação, percebendo a informação disponível de forma a formar conhecimento que proporcione ação, de modo a permitir comportamentos adaptativos ao ambiente circundante ou a um contexto A brief History of Artificial Intelligence https://www.youtube.com/watch?v=056v4OxKwlI Can machine think? http://sitn.hms.harvard.edu/flash/2017/history-artificial-intelligence/ Alan Turing (1912, 1954) Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 4. Tendências do futuro ambiente operacional em contexto militar Grande parte do material desta apresentação é retirado do trabalho “IA e o seu Papel nos Conflitos Futuros. Desafios para Portugal” do Ten-Cor Raúl Carvalho Morgado Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 5. Natureza e caráter da guerra Existe uma diferença entre a natureza objetiva da guerra e o caráter subjetivo da guerra. A natureza descreve o que é a guerra, enquanto que o caráter descreve como é que a guerra é combatida, com que armas e com que doutrina. • A natureza captura a essência da guerra (o que a diferencia como fenómeno). A natureza da guerra é violenta, é conduzida pela política e é interativa entre vontades opostas • O caráter da guerra evolui pela influência da tecnologia, de fatores da moral como a ética e as leis, da cultura e da cultura militar, que também mudam ao longo do tempo e do lugar Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 6. No entanto o digital muda mais que o caráter, muda a natureza… As capacidades tecnológicas em robótica, inteligência artificial e equipas humanos-máquinas, vão mudar mais do que apenas a forma como a guerra é conduzida. Os elementos mais significativos da guerra, violência, fatores humanos, fricção e oportunidade permanecerão imutáveis. A essência da guerra como violência politicamente dirigida manter-se-á, mesmo que mais máquinas estejam envolvidas aos diversos níveis O surgimento da Era da autonomização trará alterações à natureza da guerra de diversas formas, pelo que teremos de considerar novas fontes de potencial de combate e avaliar como é que elas afetam cada nível da guerra Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 7. O que é afetado? • irá enfraquecer o papel da direção política, forçando a delegação de resposta aos escalões mais baixos para aumentar a forma e rapidez dos ataques • a autonomia vai diminuir a capacidade dos governos obter apoio e legitimidade das suas populações, ao mesmo tempo que se torna mais fácil para governos hostis manipularem as populações dos adversários • com maior impacto, formas de aprendizagem IA mais avançadas aumentarão a intuição e o julgamento dos comandantes experientes. Aumentando o papel da liderança • podem reduzir o apoio popular às organizações militares, o que paradoxalmente, podia libertar os governos de empenhar a força mais prontamente desde que as consequências políticas fossem reduzidas. Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 8. Áreas de atuação • Sistemas autónomos de aprendizagem: permitem identificar e reconhecer padrões de modo a fornecer um aviso antecipado de determinados eventos • Colaboração Homem-Máquina: constituição de equipas Homem-Máquina que combinam a análise estratégica de um ser humano com os computadores • Operações humanas assistidas: capacidade de utilizar dispositivos eletrónicos e aplicações que podem permitir que os humanos tenham um melhor desempenho em combate (exemplo: exoesqueletos) • Equipas de combate Homem-Máquina: um ser humano a trabalhar com sistemas não tripulados é capaz de tomar melhores decisões e realizar operações cooperativas • Armas em rede semiautónomas: os sistemas estão ligados entre si e robustecidos para sobreviver a ciberataques Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 9. Aplicações militares • Sistemas de armas não tripuladas inteligentes e autónomas: A IA pode ser utilizada no desenvolvimento de veículos não tripulados aéreos, terrestres ou submarinos ou mesmo em misseis de cruzeiro. Estes sistemas de armas utilizam IA para automática e autónoma, perseguir, distinguir e destruir os alvos inimigos • Fusão de dados, processamento e análise de informações: A utilização da IA no processamento de dados de sensores e na deteção automática de padrões de dados pode melhorar a avaliação situacional (exemplo: algoritmos de aprendizagem no processo de análise de imagens de satélite) • Ciberdefesa e Ciberguerra: A defesa de redes de computadores e sistemas de informação críticos podem ser melhoradas com recurso à IA, minimizando os efeitos das operações cibernéticas detetando e mitigando os ataques através, entre outras técnicas, pelo reconhecimento de padrões e analise estatística (a IA se constitui como fator crítico para a tomada de decisão) • Rádios Cognitivos: O desenvolvimento de rádios cognitivos dotados com IA podem melhorar a gestão dinâmica do espetro eletromagnético e consequentemente as comunicações. Em cenários onde o espetro eletromagnético é cada vez mais congestionado, a IA será fundamental • Aplicações ao nível tático: a utilização da IA em aplicações ao nível tático pode ser encontrada em capacetes de combate com viseiras que analisam o campo de batalha ou em sistemas antimíssil que analisam a trajetória dos misseis disparados para os derrubar Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 10. Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 11. Algumas notas • O uso da IA em contexto civil e militar está interligado (conhecimento e competências) • Tal como o digital e o uso intensivo de meios digitais e de tecnologias de informação e comunicação, a IA tem impacto real e significativo na segurança e defesa (incluindo a componente militar) • As áreas operacionais militares são: • Estendidas: os ramos agora, além do AR – MAR – TERRA temos ESPAÇO e CIBERSPAÇO • Extendidas: ao espaço físico com as 4 dimensões (espaço físico e tempo) temos adicionalmente o Ciberespaço e o tempo digital • Complexas: o digital vem tornar tudo mais integrado e aumenta a dependência da informação Do C3I – Comando, Controlo, Comunicações e Inteligência ao digital, com o C4I – Comando, Controlo, Comunicações, Computadores e Inteligência • As leis da criatividade e inovação e do conhecimento também aqui se aplicam • Novas potencias militares em formação? Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 12. Olá Futuro Como ser Humano na era dos algoritmos Hannah Fry Inteligência Artificial Como funciona e como podemos usá-la para criar um mundo melhor Nick Polson e James Scott Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.edu.pt
  • 13. Luís Borges Gouveia Nota biográfica Luis Borges Gouveia, nasceu em 1966 no Porto. Professor Catedrático na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Fernando Pessoa (UFP). Coordenador do Doutoramento em Ciências da Informação, Especialidade Sistemas, Tecnologias e Gestão da Informação (UFP). Auditor de Defesa Nacional, membro do Grupo de Reflexão sobre Resiliência Cibernética, Instituto de Defesa Nacional (IDN). Membro da Direção Norte da Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade da Informação (APDSI). Agregado em Engenharia e Gestão Industrial (UA); Doutorado em Ciência da Computação (ULANCS, UK); Mestrado em Engenharia Eletrónica e de Computadores (FEUP) e Licenciatura em Informática / Matemáticas Aplicadas (UPT). Os seus interesses estão associados com o uso e exploração do digital e as suas aplicações para pessoas e organizações, nomeadamente em temas como a transformação digital e a cibersegurança. Possui página na Web. Possui página pessoal na Web em http://homepage.ufp.pt/lmbg