4 planejamento

513 visualizações

Publicada em

Planejamento , objetivos e estratégias e avaliação

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 planejamento

  1. 1. Objetivos, Estratégias e Avaliação
  2. 2. O papel da escola "Para fazer uma gestão focada na melhoria da aprendizagem, é essencial ter clareza sobre os propósitos educativos da escola."
  3. 3. OBJETIVOS do CEI Jardim Campos 2012 Construir uma formação que promova conhecimento de mundo, cidadãos autônomos, críticos, equilibrados, saudáveis física, e mentalmente conscientes de suas responsabilidades com o meio ambiente envolvendo as famílias, interferindo de forma positiva para que futuras gerações possam usufruir de forma trabalhando esses objetivos de forma lúdica e prazerosa.
  4. 4. Avaliação 2012 Dados
  5. 5. PPP FINALIDADES e OBJETIVOS OBJETIVO GERAL desta U.E.
  6. 6. Educação Infantil É essencial saber quais os cuidados as crianças demandam para se desenvolver e o que elas precisam aprender para construir sua autonomia e adquirir o conhecimento do mundo.
  7. 7. METAS PARA 2012 Parceria entre CEI e Famílias Atendimento de Qualidade Formação e atualização dos Profissionais do CEI
  8. 8. PARCERIA ENTRE CEI e FAMÍLIAS Com objetivo de inserir ainda mais as famílias no conhecimento das rotinas e propostas do CEI. Através das reuniões de pais, contato diário, nos momentos de entrada e saída, nas festas e eventos, serão tratados assuntos sobre o desenvolvimento da criança e o cotidiano do CEI. Todas as situações vividas pelas crianças na escola geram aprendizagem
  9. 9. ATENDIMENTO DE QUALIDADE Dentro das possibilidades do CEI Jardim Campos oferecer ás crianças e famílias um atendimento de qualidade, contribuindo na formação integral da criança. Todas as situações vividas pelas crianças na escola geram aprendizagem.
  10. 10. FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO CEI Foco das ações é sempre a criança, portanto todas as ações, formações, estudo, reflexão e pesquisa deverá contribuir para o aprimoramento da prática efetiva neste trabalho. Todas as ações dos adultos na U. E. terá reflexo na aprendizagem das criança.
  11. 11. REFLEXÃO - METAS 2012 Tínhamos o que precisávamos para atingi-las? Estávamos organizados para atingi-las? Tínhamos os conhecimentos necessários?
  12. 12. Metas para 2013
  13. 13. REFLEXÃO - METAS 2013 Temos o que precisamos para atingi-las? Estamos organizados para atingi-las? Temos os conhecimentos necessários?
  14. 14. PROJETOS 2012 Projeto de leitura Reunião Formativa aos pais Páscoa Junina Semana da Criança Festa Natalina PEA 2012: Natureza e Sociedade  Facebook,  Dão conta de atingir os objetivos e metas?
  15. 15. Projetos 2013
  16. 16. PEA: Natureza e Sociedade Objetivos: Percebemos ainda que a relação homem natureza esteja degradante. Por isso precisamos de uma conscientização desde a infância dos cuidados que devemos ter com esse universo, onde vivemos para que ele possa ser um legado a futuras gerações. Propor o aprofundamento do tema em momentos de estudo e reflexão para qualificar a prática pedagógica, de forma que reflita na aprendizagem significativa docente a fim de criar oportunidade de construção de conhecimento relacionado os diferente aspectos do contexto da Natureza e da cultura Sociedade, refletindo no trabalho com os educandos.
  17. 17. PEA 2012 Resultados esperados e metas: Os docentes apropriar-se de conceitos e práticas desse campo de experiência, para refletir no processo-ensino aprendizagem junto os educandos. Conscientizar as famílias de importância do resgate de valores e preservação da Natureza e sociedade. Contribuir com o desenvolvimento da criança como cidadão responsável consciente como parte integrante da Natureza e sociedade, visando um mundo melhor. Ao término deste espera-se que com o estudo e reflexão possamos adquirir novos conhecimentos, qualificando o planejamento de ações que reflita na criança, na família e na comunidade local.
  18. 18. PEA - Avaliação Os objetivos e as Metas foram atingidas? Comissão:
  19. 19. Rotina Avaliação
  20. 20. Calendário Sugestões
  21. 21. Conselho e APM
  22. 22. Reunião de Pais 5 - De quem é a escola.ppt
  23. 23. Plano de Acolhimento
  24. 24. METAS DE APRENDIZAGEM - Refletir sobre os objetivos e procurar compreender o tipo de ensino que é preciso promover na escola para que os alunos adquiram as habilidades exigidas. - Avaliar com a comunidade como se aproximar do perfil buscado pelos avaliadores. - Organizar a infra-estrutura adequadamente com base nas metas de aprendizagem. - Entender os fatores que interferem nas metas. - Avaliar onde estão localizados os piores resultados e quais são os motivos que levam a isso. - Planejar a formação continuada dos professores com foco nas necessidades de aprendizagem dos estudantes. - Criar condições de melhoria do aprendizado, planejando momentos ricos na formação da equipe .
  25. 25. Produtos relativos ao trabalho com crianças pequenas que podem ser avaliados são: em que medida a criança está livre de infecções, dormindo, alimentando-se e/ou mantendo rotinas estáveis; o quanto ela brinca, explora, pergunta, busca ajuda quando precisa, demonstrando confiança em si e nos educadores; o quanto os adultos estão realizando cuidados de modo sistematizado; quanto a família está tranqüila e informada a respeito da vida da criança na creche.
  26. 26. LDB/96, capítulo II, artigo 29 “o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade”.
  27. 27. DCN para a Educação Infantil – Resolução CEB no 01, de 07/04/99, art 3o , inciso III Estabelece que as propostas pedagógicas para a educação infantil devem promover “práticas de educação e cuidados, que possibilitem a integração entre os aspectos físicos, emocionais, afetivos, cognitivo/lingüísticos e sociais da criança, entendendo que ela é um ser completo, total e indivisível”.
  28. 28. RCN/I, 1998, 23 = EDUCAR (...) significa, portanto, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. Neste processo, a educação poderá auxiliar o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e éticas, na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis.
  29. 29. RCN/I, 1998, p. 24/25 = CUIDAR valorizar e ajudar a desenvolver capacidades. O cuidado é um ato em relação ao outro e a si próprio que possui uma dimensão expressiva e implica em procedimentos específicos (...) Para cuidar é preciso antes de tudo estar comprometido com o outro, com sua singularidade, ser solidário com suas necessidades, confiando em suas capacidades. Disso depende a construção de um vínculo entre quem cuida e quem é cuidado.
  30. 30. Princípios: • o respeito à dignidade e aos direitos das crianças, consideradas nas suas diferenças individuais, sociais, econômicas, culturais, étnicas, religiosas etc.; • o direito das crianças a brincar, como forma particular de expressão, pensamento, interação e comunicação infantil; • o acesso das crianças aos bens socioculturais disponíveis, ampliando o desenvolvimento das capacidades relativas à expressão, à comunicação, à interação social, ao pensamento, à ética e à estética; • a socialização das crianças por meio de sua participação e inserção nas mais diversificadas práticas sociais, sem discriminação de espécie alguma; • o atendimento aos cuidados essenciais associados à sobrevivência e ao desenvolvimento de sua identidade.
  31. 31. Educar significa, propiciar situações de cuidados, brincadeiras e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural. Neste processo, a educação poderá auxiliar o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e éticas, na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis.
  32. 32. Cuidar Para cuidar é preciso antes de tudo estar comprometido com o outro, com sua singularidade, ser solidário com suas necessidades, confiando em suas capacidades. Disso depende a construção de um vínculo entre quem cuida e quem é cuidado. Além da dimensão afetiva e relacional do cuidado, é preciso que o professor possa ajudar a criança a identificar suas necessidades e priorizá-las, assim como atendê-las de forma adequada. Assim, cuidar da criança é sobretudo dar atenção a ela como pessoa que está num contínuo crescimento e desenvolvimento, compreendendo sua singularidade, identificando e respondendo às suas necessidades. Isto inclui interessar-se sobre o que a criança sente, pensa, o que ela sabe sobre si e sobre o mundo, visando à ampliação deste conhecimento e de suas habilidades, que aos poucos a tornarão mais independente e mais autônoma.
  33. 33. Na organização do trabalho educativo: • a interação com crianças da mesma idade e de idades diferentes em situações diversas como fator de promoção da aprendizagem e do desenvolvimento e da capacidade de relacionar-se; • os conhecimentos prévios de qualquer natureza, que as crianças já possuem sobre o assunto, já que elas aprendem por meio de uma construção interna ao relacionar suas idéias com as novas informações de que dispõem e com as interações que estabelece; • a individualidade e a diversidade; • o grau de desafio que as atividades apresentam e o fato de que devam ser significativas e apresentadas de maneira integrada para as crianças e o mais próximas possíveis das práticas sociais
  34. 34. Capacidades de ordem física estão associadas à possibilidade de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, ao auto conhecimento, ao uso do corpo na expressão das emoções, ao deslocamento com segurança. cognitiva estão associadas ao desenvolvimento dos recursos para pensar, o uso e apropriação de formas de representação e comunicação envolvendo resolução de problemas. afetiva estão associadas à construção da auto-estima, às atitudes no convívio social, à compreensão de si mesmo e dos outros. estética estão associadas à possibilidade de produção artística e apreciação desta produção oriundas de diferentes culturas. ética estão associadas à possibilidade de construção de valores que norteiam a ação das crianças.
  35. 35. Capacidades de de relação interpessoal estão associadas à possibilidade de estabelecimento de condições para o convívio social. Isso implica aprender a conviver com as diferenças de temperamentos, de intenções, de hábitos e costumes, de cultura etc. inserção social estão associadas à possibilidade de cada criança perceber-se como membro participante de um grupo de uma comunidade e de uma sociedade.
  36. 36. OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL • desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações; • descobrir e conhecer progressivamente seu próprio corpo, suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo e valorizando hábitos de cuidado com a própria saúde e bem- estar; • estabelecer vínculos afetivos e de troca com adultos e crianças, fortalecendo sua auto-estima e ampliando gradativamente suas possibilidades de comunicação e interação social; • estabelecer e ampliar cada vez mais as relações sociais, aprendendo aos poucos a articular seus interesses e pontos de vista com os demais, respeitando a diversidade e
  37. 37. OBJETIVOS GERAIS DA E.I. • observar e explorar o ambiente com atitude de curiosidade, percebendo-se cada vez mais como integrante, dependente e agente transformador do meio ambiente e valorizando atitudes que contribuam para sua conservação; • brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; • utilizar as diferentes linguagens (corporal, musical, plástica, oral e escrita) ajustadas às diferentes intenções e situações de comunicação, de forma a compreender e ser compreendido, expressar suas idéias, sentimentos, necessidades e desejos e avançar no seu processo de construção de significados, enriquecendo cada vez mais sua capacidade expressiva; • conhecer algumas manifestações culturais, demonstrando atitudes de interesse, respeito e participação frente a elas e valorizando a diversidade.

×